Your SlideShare is downloading. ×
Custos de Produção
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Custos de Produção

94,602
views

Published on

Published in: Education

4 Comments
21 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
94,602
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1,201
Comments
4
Likes
21
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CUSTOS DE PRODUÇÃO
  • 2. OBJETIVO GERAL Definir e explicar as variáveis utilizadas para medir custos em economia e a relação presente entre elas, bem como seus usos e importância. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Caracterizar definições básicas e conceitos relacionados a custos dentro do universo da economia. Identificar a relação entre a função de produção e a curva de custo. Caracterizar e explicar as diversas medidas de custos e seus usos.
  • 3. CUSTOS EM ECONOMIA: DEFINIÇÃO E FUNDAMENTOS Lei de oferta:  Existe relação positiva entre o preço e a quantidade ofertada. O que resulta em uma curva positivamente inclinada. Objetivo da firma em economia:  Maximizar lucro.  Quanto maior os preços maior a receita e maior a possibilidade de ter um lucro maior.  Mas este resultado depende da estrutura de custos.
  • 4. CUSTOS EM ECONOMIA: DEFINIÇÃO E FUNDAMENTOS Receita Total  Quantia total que a empresa recebe pela venda de seus produtos.  Receita Total = Preço de Venda x Quantidade Vendida Custo Total  Quantia total gasta pela firma ao comprar e utilizar insumos de produção, visando viabilizar a quantidade produzida. Lucro Total  É a diferença entre receita total e custo total.  Lucro Total = Receita Total – Custo Total
  • 5. CUSTOS EM ECONOMIA: DEFINIÇÃO E FUNDAMENTOS Custo como custo de oportunidade  Os custos de produção de uma empresa devem incluir todos os custos de oportunidade envolvidos na produção. Ou seja, inclui custos associados a desembolsos e pagamentos, e custos que se efetivam sem que ocorra o desembolso efetivo (Ex: deixar de ganhar um rendimento mensal de 6,2% ao ano da poupança para investir o dinheiro em um novo empreendimento).
  • 6. CUSTOS EM ECONOMIA: DEFINIÇÃO E FUNDAMENTOS Os custos de produção são compostos por custos explícitos e custos implícitos:  Custos explícitos envolvem o pagamento efetivo (desembolso real) para a aquisição de fatores produtivos.  Ex: Compra de máquinas e equipamentos  Custos implícitos não envolvem desembolso efetivo por parte da empresa, mas constituem um custo de oportunidade.  Ex: Deixar de trabalhar ganhando 20 reais por hora para gerenciar sua própria empresa.
  • 7. CUSTOS EM ECONOMIA: DEFINIÇÃO E FUNDAMENTOS Lucro Econômico e Lucro Contábil: Em economia, o lucro de uma empresa é a diferença entre receita total e todos os custos de oportunidade, sejam eles explícitos e/ou implícitos (Lucro Econômico). Em contabilidade, o lucro de uma empresa é a diferença entre receita total e os custos explícitos desta empresa. Os contadores não consideram os custos implícitos (Lucro Contábil).
  • 8. CUSTOS EM ECONOMIA: DEFINIÇÃO E FUNDAMENTOS Lucro Econômico e Lucro Contábil: Visão em contabilidade Visão em economia Custos Custos Explícitos Explícitos Total de custos Receita Custos de oportunidade Lucro Total Implícitos Contábil Lucro Econômico Quando a receita total for maior que a soma dos custos explícitos e implícitos teremos lucro econômico. O lucro contábil será sempre maior que o lucro econômico.
  • 9. CUSTOS EM ECONOMIA: PRODUÇÃO E CUSTOS Função de produção: Relação entre a quantidade produzida (QP) de uma bem e a quantidade de insumos utilizada para produzi-lo (QI). Esta relação entre QI usada para produzir QP muda dependendo de quanto se esta produzindo. Ou seja, não é uma relação fixa.
  • 10. CUSTOS EM ECONOMIA: PRODUÇÃO E CUSTOS Produto marginal: é a quantidade adicional de produção gerada por um aumento unitário de um determinado insumo. É medida pela razão entre a quantidade adicional de insumo e a quantidade adicional de um insumo.
  • 11. CUSTOS EM ECONOMIA: PRODUÇÃO E CUSTOS Produto marginal decrescente: é a propriedade dos insumos segundo a qual o produto marginal deste insumo diminui conforme aumenta a quantidade utilizada deste insumo na produção. Exemplo: Conforme são contratados mais trabalhadores para trabalhar em uma lavoura, cada novo trabalhador contribui cada vez menos para a produção total deste empreendimento. Isso ocorre porque todos os outros insumos (como o terreno e máquinas) estão fixos.
  • 12. CUSTOS EM ECONOMIA: FUNÇÃO DE PRODUÇÃO Produto Marginal Quantidade Trabalhador Função de Produção 400 0 0 0 360 365 350 110 110 1 350 320 90 200 2 300 270 70 270 3 50 320 4 250 30 350 5 200 200 10 360 6 5 365 7 150 110 100 -A inclinação da função de produção é 50 a medida da produtividade marginal 0 0 de um determinado insumo. 0 1 2 3 4 5 6 7 8- Conforme o produto marginal diminui a função vai ficando menosinclinada. Como acontece com a função de produção acima.
  • 13. CUSTOS EM ECONOMIA: CURVA DE CUSTO TOTAL Custo Custo Curva de Custo Total Fixo Variável Custo 800 Quantidade (Aluguel (Sal. por Total 750 Fábrica) trabalhador) 700 650 50 0 50 0 600 50 100 150 110 550 50 200 250 200 500 50 300 350 270 450 50 400 450 320 400 350 50 500 550 350 300 50 600 650 360 250 50 700 750 365 200 150 100 50 0 0 50 100 150 200 250 300 350 400- A relação entre a quantidade que a firma produz e os seus custosdeterminam os preços a serem cobrados por seus produtos.- A curva de custo total mostra esta relação.
  • 14. CUSTOS EM ECONOMIA: VÁRIAS FORMAS DE MEDIRCUSTOS O custo total de produção podem ser divididos em fixos e variáveis. Custo Total = Custo Fixo Total + Custo Variável Total Custos fixos: são custos que não variam conforme alteramos a quantidade produzida.  Ex: Aluguel da fábrica. Custos variáveis: são custos que variam conforme alteramos a quantidade produzida.  Ex: Gastos com insumos.
  • 15. CUSTOS EM ECONOMIA: VÁRIAS FORMAS DE MEDIR CUSTOS  Gráfico de Custos160 150 Custo Custo Custo Quantidade Total Fixo Variável140 129 0 30 30 0 1 33 30 3120 110 2 38 30 8 120 3 45 30 15100 93 4 54 30 24 99 78 Custo Total 5 65 30 3580 65 Custo Fixo 6 78 30 48 8060 54 Custo Variável 7 93 30 63 45 63 8 110 30 80 3840 30 33 9 129 30 99 48 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 10 150 30 120 3520 24 15 0 8 3 0 2 4 6 8 10 12
  • 16. CUSTOS EM ECONOMIA: VÁRIAS FORMAS DE MEDIRCUSTOS Custo total médio (CTM)é o custo de produção de cada unidade padrão produzida. Podemos obtê-lo ao dividir o custo total (CT) pelo número de unidades produzidas. CTM= CFM +CVM Custo fixo médio (CFM): Custo fixo total dividido pelo número de unidades produzidas. Custo variável médio (CVM): Custo variável total dividido pelo número de unidades produzidas.
  • 17. CUSTOS EM ECONOMIA: VÁRIAS FORMAS DE MEDIRCUSTOS Custo marginal (Cmg): mede o quanto o custo total de uma firma aumenta quando aumenta-se a produção em mais uma unidade. Ou seja, qual o aumento de custo para se produzir uma unidade adicional. Custo marginal é importante para identificarmos se vale a pena produzir mais uma unidade de um produto ou não.
  • 18. CUSTOS EM ECONOMIA: VÁRIAS FORMAS DE MEDIR CUSTOS35 Custo Custo Custo Custo Quantidade Total Fixo Variável Marginal Médio Médio Médio30 0 - - - 325 1 33 30 3 5 2 19 15 4 720 Custo Total Médio Custo Fixo Médio 3 15 10 5 915 Custo Varíavel Médio 4 13,5 7,5 6 11 Custo Marginal10 5 13 6 7 135 6 13 5 8 15 7 13,28 4,28 9 170 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 8 13,75 3,75 10 19 9 14,33 3,33 11 21 10 15 3 12
  • 19. CUSTOS EM ECONOMIA: VÁRIAS FORMAS DE MEDIRCUSTOS Formado das curvas de custo:  Curva de custo marginal  Cresce conforme a produção aumenta.  Isso reflete a produtividade marginal decrescente.  Curva de custo médio total  Tem um formato de “U”. Ou seja, apresenta custos médios menores em quantidade intermediárias de produção (Escala Eficiente).  Em baixos níveis de produção o custo total médio é alto, pois os custos fixos são “diluídos” sobre uma quantidade pequena de produção. À medida em que a produção aumenta o custo total médio diminui.  O custo total médio começa a subir porque o custo variável médio cresce significativamente.
  • 20. CUSTOS EM ECONOMIA: CUSTO TOTAL MÉDIO, CUSTOMARGINAL E ESCALA EFICIENTE Relações entre custo total e custo marginal:  Sempre que o custo marginal for inferior ao custo total médio, temos que o custo total médio estará diminuindo.  Sempre que o custo marginal for superior ao custo total médio, temos que o custo total médio estará aumentando.  No ponto em que as curvas de custo marginal e custo total médio se cruzarem teremos o nível de escala eficiente.  Sendo que a escala eficiente é o nível de produção em que temos o menor custo total médio; ou seja, o menor custo por unidade padrão.
  • 21. CUSTOS EM ECONOMIA: CUSTO TOTAL MÉDIO, CUSTOMARGINAL E ESCALA EFICIENTE 35 30 25 Escala Eficiente 20 (CTM=Cmg) Custo Total Médio 15 Custo Marginal 10 5 0 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 CTM > Cmg CTM < Cmg CTM está diminuindo. CTM está aumentando.
  • 22. CUSTOS EM ECONOMIA: 5 PROPRIEDADES DAS CURVASDE CUSTO - UM RESUMO 1 - O Cmg aumenta com o aumento da quantidade produzida. 2 - A curva de CFM diminui com o aumento da quantidade produzida. 3 - A curva de CVM aumenta com o aumento da quantidade produzida. 4 - A curva de CTM tem um formato de “U”. 5 - As curvas de Cmg e CTM se cruzam no ponto em que a CTM é mínimo.
  • 23. CUSTOS EM ECONOMIA: CUSTOS NO CURTO E NOLONGO PRAZO Para os produtores a divisão de custos totais entre fixos e variáveis depende do horizonte de tempo:  No curto prazo muitos custos são fixos  Ex: Aluguel de um galpão ou industria é fixa para períodos curtos.  No longo prazo alguns custos que antes eram fixos podem se tornar variáveis  Ex: Aluguel de um galpão ou industria é variável no longo prazo, dado que podemos alugar mais ou menos galpões. Devido aos custos serem fixos no curto prazo, mas variáveis no longo prazo, as curvas de custo de longo prazo são diferentes das de curto prazo !
  • 24. CUSTOS EM ECONOMIA: CUSTOS NO CURTO E NO LONGO PRAZO CTM Longo PrazoCusto CTM curto prazo1 CTM curto prazo6 (Empresa Pequena) (Empresa Grande) CTM curto prazo2 CTM curto prazo5 (Empresa Pequena) (Empresa Grande) CTM curto prazo3 CTM curto prazo4 (Empresa Média) (Empresa Média) Quant.
  • 25. CUSTOS EM ECONOMIA:ECONOMIAS E DESECONOMIASDE ESCALA Economias de escala ocorrem quando o custo total médio de longo prazo diminui quando a produção aumenta. Deseconomias de escala ocorrem quando o custo total médio de longo prazo aumenta quando a produção aumenta. Retornos de escala constante ocorrem quando o custo total médio de longo prazo não se altera quando a produção aumenta.
  • 26. CUSTOS EM ECONOMIA: CUSTOS NO CURTO E NO LONGO PRAZO CTM Longo PrazoCusto CTM curto prazo1 CTM curto prazo6 (Empresa Pequena) (Empresa Grande) CTM curto prazo2 CTM curto prazo5 (Empresa Pequena) (Empresa Grande) CTM curto prazo3 CTM curto prazo4 (Empresa Média) (Empresa Média) Retornos Constantes de Escala Quant.
  • 27. CUSTOS EM ECONOMIA: DIVERSOS TIPOS DE CUSTO - UM RESUMO Tipo Definição Desc. Matemática Custos Explícitos Custos que exigem desembolso de dinheiro por parte da empresa. - Custos Implícitos Custos que não exigem desembolso de dinheiro por parte da - empresa. Custos Fixos Custos que não variam com a quantidade produzida. CF Custos Variáveis Custos que variam com a quantidade produzida. CV Custo Total O valor de mercado de todos os insumos que a empresa usa na CT = CF + CV produção. Custo Fixo Médio Custos fixos divididos pela quantidade produzida. CFM = CF/Q Custo Variável Médio Custos variáveis divididos pela quantidade produzida. CVM = CV/Q Custo Total Médio Custo total dividido pela quantidade produzida. CTM = CT/Q Custo Marginal O aumento do custo total que resulta de um aumento de uma Cmg = Var.CT/Var.Q unidade adicional de produção.Fonte: Mankiw, 2009.
  • 28. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Cengage Learning, 2009. 838 pg. VASCONCELLOS, M. S. Economia, Micro e Macro, Atlas, 2002.