Bel   lucia resumo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Bel lucia resumo

on

  • 962 views

 

Statistics

Views

Total Views
962
Views on SlideShare
962
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Bel   lucia resumo Bel lucia resumo Document Transcript

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ-UFOPACURSO : PEDAGOGIADISCIPLINA: ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONHECIMENTO-OECPROFESSOR: NELCILENE PALHANOACADÊMICAS:  ISABEL CRISTINA DE AGUIAR PINTO  LÚCIA MARIA MAIA PIMENTELRESUMO:ELEMENTOS DE EPISTEMOLOGIA E HISTÓRIA DA CIÊNCIA SETEMBRO DE 2011
  • RESUMO ELEMENTOS DE EPISTEMOLOGIA E HISTÓRIA DA CIÊNCIANotadamente, o referido trabalho do Professor Jesus Cardoso Brabo enfatiza-se ealicerçar-se na Ciência desde seu início e evolução, em que os conhecimentosforam sendo aprimorados para produção de novas idéias, objetivos e métodos queatendessem os anseios de uma sociedade em transformação e edificação decostumes, crenças e práticas cientifica. Diante disso, o autor retrata os percalçoshistóricos do surgimento e desenvolvimento da Ciência citando os filósofos gregos,franciscanos da época, padres, matemáticos e geógrafos que brilhantementecontribuíram para o avanço epistemológico do mundo. Segundo o autor BRABO e ocomentário de GOTTSCHALL (2004, p. 120) ressalta-nos: É possível ver nesses pensadores os primórdios de idéias que- embora iniciativas individuais, abafadas pelo oficialismo dominante-, depois de longa incubação, se transformariam nas vertentes do pensamento cientifico coerente. As teorias sobre o movimento na Terra e no Céu iriam desembocar em Galileu, Descartes e Newton e impulsionar a criação da ciência moderna.Sem dúvida a influência do trabalho desses cientistas objetivou um sistema dequebra de paradigmas, unificação de leis física terrestre e celeste e obstrução dedogmas estabelecidos pelos clérigos da época. Todo aparato que o oficio de GalileuGalileu (1564-1642) estabeleceu a outros, como: o padre Nicolau Copérnico (1473-1543) que revolucionou o conhecimento sobre a órbita celeste, sendo considerado ogerme da ciência moderna e Galileu o Pai dela, mas, outros também se destacaram:Ptolomeu, Arquimedes Johanes Kepler, Isaac Newton, Urbain Leverrier, Einstein eoutros grandes gênios cientistas que ousaram em sua época, caracterizando-ascomo o marco inicial do conhecimento para posteriormente, a nova geraçãoconstituir os conhecimentos, refletindo sobre eles e aprimorando-os.Nesta perspectiva, novas reflexões e entendimentos surgem sobre a natureza daciência, através de interrogações sobre seu significado, sua consistência e
  • avaliação, em que o processo inicia no século XX com nova nomenclatura,baseando-se numa forma sistematizada, deixando de lado o bojo filosófico epredominando as reflexões epistemológicas. Diante disso, o autor Brabo ressaltaque “o sucesso das explicações científicas e inovações tecnológicas dos inventoresrenascentistas inspiraram a procura pela sistematização de uma nova forma deproduzir e organizar o conhecimento e a tecnologia (...)”.Desta forma, o conhecimento vai sendo analisado e discutido sistematicamente, emque Kant o classificou como empírico (ou a posteriori) e o puro (ou a priori), sendoque o primeiro significa, conhecimento obtido pela experiência sensível, trazendoconsigo o caráter de singularidade e causalidade e o segundo, conhecimento puro,que não deriva da experiência, mas possui caráter de universalidade e necessidade.Baseando-se neste aspecto vários filósofos, matemáticos e cientistas dos séculosXVI e XIX teceram diversas considerações sobre o assunto, deixando contribuiçõespara o século XX, o apogeu da consolidação da Epistemologia como uma disciplinaautônoma.Com a desvinculação da epistemologia da filosofia, principais correntes formam oaporte para modernos termos e explicações de estudos voltados para os problemasdas ciências empíricas, surgindo assim, o Empirismo Lógico ou Positivismo Lógico,em que, cientistas, matemáticos e filósofos europeus formam o Circulo de Viena.Uma das crenças dessa corrente acredita que o espírito humano deve investigar oque é possível conhecer (observar e medir), para o autor BRABO alicerçado dasentrelinhas de Schlick, (1932/1975, p. 50) vai mais além, pois, “para o positivista, éreal tudo aquilo que o pesquisador da natureza considera real, quando este não sepõe a filosofar. O objeto da Física não é constituído de sensações, mas por leis”.Visando esta estrutura, o progresso cientifico e os problemas em torno das idéias dopositivismo lógico vão sendo solucionados de forma a expandir novos escopos desistema ou fenômenos, buscando melhorias ou reconhecimentos dos equívocosdurante a praticidade do pensamento da corrente.A admissão dos equívocos durante a abordagem da corrente Positivismo Lógicoeclodiu com novas contribuições do austríaco Karl Popper (1902-1994),contemporâneo pertencente ao Circulo de Viena tinha um conceito das teoriascientificas, acreditando que elas tinham que está mais próximo da verdade, porém o
  • confronto da veracidade e da falsidade foi observado, e assim, substituídoindefinidamente por novas teorias cada vez mais abrangentes e precisas.Diante dessa evolução do conhecimento surgem os cientistas contra a epistemologiado Positivismo Lógico, pois consideravam que esta teoria centrava-se apenas emum “contexto da justificação”, ou seja, normas de como deveria ser a “ciência ideal”,então, Hanson e Toulmin consideram que as teorias cientificas oferecem padrões(patterns) nos quais os dados pareçam inteligíveis, além de “raciocínio retrodutivo”(abdução) de inferência de hipóteses prováveis a partir de dados conceitualmenteorganizados, hierarquizando idéias de ordem natural, leis e hipóteses. Nestaprerrogativa, KUHN utiliza algumas idéias de Hanson e Toulmin e estrutura umaabordagem epistemológica ilustradas em exemplos da história da ciência,constituído assim, um autêntico paradigma alternativo no âmbito da Epistemologia.Em contra partida, Feyerabend e Lakatos contribuíram através de teorias epensamentos direcionados para o aprimoramento da epistemologia, sendo queFeyerabend denominou-se de “anarquista epistemológico” trazendo em seu esboçoo “ceticismo anarquista” que sugere a proliferação de teorias alternativas como únicométodo compatível com a perspectiva humanitária de desenvolvimento cientifico, jáLakatos acreditava que as teorias eram desenvolvidas dentro uma perspectivateórico-metodológica como PPC- Programa de Pesquisa Cientifica.Portanto, a historicidade da evolução do conhecimento e suas mudanças na formade buscar e descobrir epistemologicamente o cognitivo gerou várias teorias emétodos de como se pode alcançar com perfeição o conhecimento. Diante disso, amídia, a ciência e o ensino sofrem confrontos da veracidade e da praticidade doápice dos elementos constituintes da ciência, em que, o autor Brabo nos fala quenão possuímos um quadro geral que demonstre de como a Ciência funciona e nemuma teoria consistente da ciência, enfim, todo crescimento e desenvolvimento daCiência decorem de ousados estudos que foram contra tudo e contra todos e que aciência é falível no decorrer das transformações sócio-históricas. e que pode serusada para o bem e para o mal.