Colégio Estadual Severino Vieira – Ano letivo 2010
Diretor: Horácio Ramos Pereira Filho
Área de conhecimento: Ciências da ...
voltado para a construção de competências que favoreçam a inserção do homem no tempo e
espaço contemporâneos, seja pela ev...
questões e problemas relativos à determinada comunidade, à determinada escola, e que
merecem ser estudados. Segundo os PCN...
1. Interação entre os seres vivos;
   2. Qualidade de vida das populações humanas;
   3. Identidade dos seres vivos;
   4....
Expressar dúvidas, idéias e conclusões, acerca dos processos biológicos;
      Expor de forma organizada o conhecimento bi...
considerados mais evoluídos dentre os demais, bem como valorizar os conteúdos
           necessários a manutenção da saúde...
Resumo / esquemas: Cria o hábito de estudar fazendo anotações que poderão ser
       utilizadas para tirar dúvidas posteri...
memorização. A formação de indivíduos treinados apenas para memorizar frases e
responder a perguntas com respostas determi...
LOPES. Sônia Bio 3. São Paulo – SP, Saraiva, 16ª ed. 1995
PAULINO. Biologia. Série Novo Ensino Médio. Ed. Ática, São Paulo...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Proposta curricular severino vieira

2,505 views
2,415 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,505
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Proposta curricular severino vieira

  1. 1. Colégio Estadual Severino Vieira – Ano letivo 2010 Diretor: Horácio Ramos Pereira Filho Área de conhecimento: Ciências da Natureza Componente Curricular: Biologia Professor (s): Norma Sueli dos Santos Estagiário (a): Lorena Sá Teles e Silva Curso: Formação geral Segmento: Ensino médio - Nº de aulas semanais: duas aulas I – Justificativa: A Proposta Curricular surgiu da necessidade de se construir uma Referência Curricular para o Ensino Médio que possa ser discutida e traduzida em realidade, e ao mesmo tempo, possa garantir a todos os alunos que freqüentam o colégio o direito de ter acesso aos conhecimentos indispensáveis à construção de sua cidadania. Para tanto, é necessário redefinir claramente o papel da escola na sociedade brasileira e quais objetivos devem ser perseguidos nos dois anos do Ensino Médio. Assim sendo esta proposta, tem a intenção de provocar a reflexão a respeito da função da escola, sobre o que, quando, como e para que ensinar e aprender, envolvendo não apenas a escola, mas também a comunidade. Essas definições servem de norte para as diferentes áreas curriculares, considerando a estruturação com o trabalho escolar, nas diversas áreas estudas por cada série. A Proposta Curricular aponta também a importância de ser trabalhadas, na escola e na sala de aula, questões da sociedade brasileira, bem como da cultura local/regional. O ensino Médio, última etapa da educação básica, assim definido pela L.D.B., vem ao longo da sua história, sofrendo algumas mudanças a partir das legislações e das questões curriculares de cada área. Na perspectiva de atender o que prescrevem esses documentos oficiais, bem como, a real necessidade da nossa escola, o Colégio Estadual Severino Vieira - CESV assume o compromisso de discutir e consolidar uma proposta que sirva de suporte à prática cotidiana dos professores, visando à melhoria da qualidade no processo ensino-aprendizagem,
  2. 2. voltado para a construção de competências que favoreçam a inserção do homem no tempo e espaço contemporâneos, seja pela eventual continuidade dos estudos, seja no mundo do trabalho. Nas últimas décadas, o ensino de Biologia vem sendo marcado por uma dicotomia que constitui um desafio para os educadores. Seu conteúdo e sua metodologia no ensino médio voltados, quase que exclusivamente, para a preparação do aluno para os aos exames vestibulares, em detrimento das finalidades atribuídas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei Nº 9394/96) à última etapa da educação básica. Além disso, temas relativos à área de conhecimento da Biologia vêm sendo mais e mais discutidos pelos meios de comunicação, jornais, revistas ou pela Internet, instando o professor a apresentar esses assuntos de maneira a possibilitar que o aluno associe a realidade do desenvolvimento científico atual com os conceitos básicos do pensamento biológico. Assim, um ensino pautado pela memorização de denominações e conceitos e pela reprodução de regras e processos – como se a natureza e seus fenômenos fossem sempre repetitivos e idênticos – contribui para a descaracterização dessa disciplina enquanto ciência que se preocupa com os diversos aspectos da vida no planeta e com a formação de uma visão do homem sobre si próprio e de seu papel no mundo. O ensino da Biologia deve enfrentar alguns desafios: um deles seria possibilitar ao aluno a participação nos debates contemporâneos que exigem conhecimento biológico. Outro desafio seria a formação do indivíduo com um sólido conhecimento de Biologia e com raciocínio crítico. Cotidianamente, a população, embora sujeita a toda sorte de propagandas e campanhas, e mesmo diante da variedade de informações e posicionamentos, sente-se pouco confiante para opinar sobre temas polêmicos e que podem interferir diretamente em suas condições de vida, como o uso de transgênicos, a clonagem, a reprodução assistida, entre outros assuntos. O grande desafio do professor é possibilitar ao aluno desenvolver as habilidades necessárias para a compreensão do papel do homem na natureza. Os PCNEM consideram que há um conjunto de conhecimentos que são necessários ao aluno para que ele compreenda a sua realidade e possa nela intervir com autonomia e competência. Esses conhecimentos constituem o núcleo comum do currículo. Consideram, também, um conjunto de conhecimentos específicos, a parte diversificada, constituído por
  3. 3. questões e problemas relativos à determinada comunidade, à determinada escola, e que merecem ser estudados. Segundo os PCNEM, “[...] é objeto de estudo da Biologia o fenômeno da vida em toda a sua diversidade de manifestações. [...] O aprendizado da Biologia deve permitir a compreensão [...] dos limites dos diferentes sistemas explicativos [...] e a compreensão que a ciência não tem respostas definitivas [...].” Assim, os conteúdos de Biologia devem propiciar condições para que o educando compreenda a vida como manifestação de sistemas organizados e integrados, em constante interação com o ambiente físico-químico. O aluno precisa ser capaz de estabelecer relações que lhe permitam reconhecer que tais sistemas se perpetuam por meio da reprodução e se modificam no tempo em função do processo evolutivo, responsável pela enorme diversidade de organismos e das intrincadas relações estabelecidas pelos seres vivos entre si e com o ambiente. O aluno deve ser capaz de reconhecer-se como organismo e, portanto, sujeito aos mesmos processos e fenômenos que os demais. Deve, também, reconhecer-se como agente capaz de modificar ativamente o processo evolutivo, alterando a biodiversidade e as relações estabelecidas entre os organismos. Trata-se, portanto, de capacitar o educando para interpretar fatos e fenômenos – naturais ou não – sob a óptica da ciência, mais especificamente da Biologia, para que, simultaneamente, adquira uma visão crítica que lhe permita tomar decisões usando sua instrução nessa área do conhecimento. “[...] Todos devem aprender ciência como parte de sua formação cidadã, que possibilite a atuação social responsável e com discernimento diante de um mundo cada dia mais complexo.” Os PCN+ reafirmam que os conteúdos e as estratégias de aprendizagem devem propiciar o ensino por competências. Nesse sentido, “[…] o ensino da Biologia deve servir como “meio para ampliar a compreensão sobre a realidade, recurso graças ao qual os fenômenos biológicos podem ser percebidos e interpretados, instrumento para orientar decisões e intervenções”. (PCN+, p. 36). Reconhecendo que os principais temas biológicos referem-se à compreensão da vida na Terra, das conseqüências dos avanços tecnológicos e da intervenção humana, os PCN+ sintetizam, a título de referência, seis temas estruturadores:
  4. 4. 1. Interação entre os seres vivos; 2. Qualidade de vida das populações humanas; 3. Identidade dos seres vivos; 4. Diversidade da vida; 5. Transmissão da vida, ética e manipulação gênica; 6. Origem e evolução da vida. Tomando como referencial a proposta curricular apresentada nos PCNs e a necessidade de uma seqüência lógica na mediação dos conteúdos de Biologia no Ensino Médio, o programa de série, para o 2º ano, foi alterado na seguinte forma: Unidade/ Série I UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE IV UNIDADE 1ª - Reprodução (Conceitos; - Histologia – Tecido - Continuação – Escala - Seres Vivos tipos, características; ciclo Animal e Vegetal. Evolutiva – Anatomia - Vírus (características dos vegetais) - Organização dos e Fisiologia. gerais; doenças). - Reprodução humana – tecidos (Conceito; -Sistema Imunitário. - Reinos da natureza Masculina e feminina características; - Sistemas Digestório e (características; 2ª (anatomia e fisiologia). classificação e funções). Respiratório. reprodução; utilidades, Clonagem. - Sistemas – Escala - Sistemas Urinários e nocividade). - Regulação hormonal – Evolutiva – Anatomia e Cardiovasculares . - Reinos: Monera; masculino e feminino. fisiologia comparada. Protista; Fungi; Plantas - Fenômenos (Ovulação, - Sistema e Animal. menstruação, n idação, Nervoso/Sensorial. fecundação e gravidez). Efeito e conseqüências - Embriologia- das drogas no SN. Desenvolvimento - Sistema Endócrino ou Embrionário. hormonal. - Tipos de óvulos: fases embrionárias (folhetos embrionários e anexos embrionários). 3ª II – Objetivos Gerais Conhecer diferentes formas de obter informações (observação, experimento, leitura de texto, imagens, entrevistas, pesquisas etc.). Selecionando aquelas pertinentes ao tema biológico estudado;
  5. 5. Expressar dúvidas, idéias e conclusões, acerca dos processos biológicos; Expor de forma organizada o conhecimento biológico aprendido, através de textos, esquemas, gráficos, tabelas, maquetes entre outros; Estabelecer relações entre parte e todo de um fenômeno ou processo biológico; Relacionar fenômenos, fatos, processos, e idéias em biologia elaborando conceitos e construindo generalizações; Julgar ações de intervenção, identificando as que visam a preservação e a implementação da saúde individual e coletiva. III – Programa de Componente Curricular: 1ª Série Ensino Médio Ementa Objetivos Específicos: 2ª Série Ensino Médio Ementa Histologia- Tecido animal e vegetal. Sistemas- anatomia e fisiologia comparadas. Objetivos Específicos: Conceituar tecidos envolvendo as idéias de forma e funções; Identificar e caracterizar, estrutural e funcionalmente, os diversos tipos de tecidos que constitui os seres vivos; Enumerar e descrever os sistemas anatômicos e fisiológicos que constituem os seres vivos, observando o seu grau de complexidade dentro a escala evolutiva; Compreender a vida, do ponto de vista biológico, como fenômeno que se manifesta de formas diversas, mas sempre como sistema organizado e integrado; Descobrir o funcionamento do seu corpo comparando-o com os outros grupos do reino animal, de forma que possam distinguir o processo evolutivo pelo quais os sistemas que os formam passaram até a formação dos seres humanos, grupos
  6. 6. considerados mais evoluídos dentre os demais, bem como valorizar os conteúdos necessários a manutenção da saúde e da qualidade de vida. Conteúdos programáticos por Unidade I Unidade II Unidade Reprodução (Conceitos; tipos, características; ciclo dos 1. Histologia – Tecido Animal e Vegetal. vegetais) - Organização dos tecidos (Conceito; características; 1. Reprodução humano – Masculino e feminino classificação e funções). (anatomia e fisiologia). Clonagem. 2. Sistemas – Escala Evolutiva – Anatomia e - Regulação hormonal – masculino e feminino. fisiologia comparada. Fenômenos (Ovulação, menstruação, n idação, - Sistema Nervoso/Sensorial. Efeito e conseqüências fecundação e gravidez). das drogas no SN. 2. Embriologia – Desenvolvimento Embrionário. - Sistema Endócrino ou hormonal. - Tipos de óvulos: fases embrionárias (folhetos embrionários e anexos embrionários). III Unidade IV Unidade 1. Continuação – Escala Evolutiva – Anatomia e Seres Vivos Fisiologia. 1. Vírus (características gerais; doenças). - Sistema Imunitário. 2. Reinos da natureza (características; reprodução; - Sistemas Digestório e Respiratório. utilidades, nocividade). - Sistemas Cardiovasculares e Urinários. Reinos: Monera; Protista; Fungi; Plantas e Animal. 3ª Série Ensino Médio Ementa Objetivos Específicos: IV – Procedimentos metodológicos O processo ensino-aprendizagem é bilateral, dinâmico e coletivo, portanto, é necessário que se estabeleçam parcerias entre o professor e os alunos e dos alunos entre si. Diversas são as estratégias que propiciam a instalação de uma relação dialógica em sala de aula. Poderão ser inseridas como procedimentos metodológicos as técnicas descritas abaixo, de acordo com a necessidade da turma. Aulas expositivas e participativas, demonstrações didáticas e aulas práticas: Apesar de parecer tradicional, podem ser usado sob outra ótica, pois os métodos têm pontos positivos, pois traz a discussão, levantamento de hipóteses e a participação interativa / participativa do aluno. Leva em conta a experiência do aluno.
  7. 7. Resumo / esquemas: Cria o hábito de estudar fazendo anotações que poderão ser utilizadas para tirar dúvidas posteriores. Textos informativos: Cria oportunidade de interdisciplinaridade, visto que envolve compreensão, comentários e interpretação das informações recebidas. Leituras diversas: Estimula o raciocínio e amplia o vocabulário. Exercícios em grupo: Integra o indivíduo fazendo-o discutir dando-lhe condições de autonomia individual e no grupo, após a socialização do que foi pesquisado. Debates: Uma estratégia que desperta um grande interesse nos alunos é a que envolve uma pesquisa, individual ou em grupos, sobre um tema e o debate em sala de aula das conclusões a que chegaram os diferentes grupos. Pesquisa: É de vital importância, pois aciona várias fontes de consulta permitindo uma análise crítica sobre as mesmas. É importante valorizar consultas a fontes originais. Esta seleção de informações deve desencadear no aluno o pensamento reflexivo para que ampliem e transformem a informação recebida. Painel integrado: Equipes irão trabalhar assuntos diversificados e em uma segunda fase vão montar novas equipes com um componente de cada equipe anterior; tem como objetivo discutir em grupo vários temas sob o ponto de vista dos alunos. É encerrado com discussão em grupo e pequena dramatização ou apresentação dos temas. Estudo dirigido: estimula o educando a seguir orientações didáticas, permitindo que o mesmo seja mais independente. V – Avaliação O processo de avaliação visa a julgar como e quantos dos objetivos iniciais definidos no plano de trabalho do professor foram cumpridos. Necessariamente, deve estar estreitamente vinculado aos objetivos da aprendizagem. Além disso, tem a finalidade de revelar fragilidades e lacunas, pontos que necessitam de reparo e modificação por parte do professor. Ou seja, a avaliação deve estar centrada tanto no julgamento dos resultados apresentados pelos alunos quanto na análise do processo de aprendizado. Em um ensino por competências, o processo de avaliação não se limita a instrumentos com perguntas que exigem apenas operações cognitivas simples como a
  8. 8. memorização. A formação de indivíduos treinados apenas para memorizar frases e responder a perguntas com respostas determinadas é incompatível com o desenvolvimento de cidadãos socialmente inseridos e com espírito crítico aguçado, um dos objetivos da educação. Com isso tem-se que verificar os conhecimentos dos alunos com vários instrumentos: mini-testes, trabalhos de pesquisa, experiências, debates, estudos dirigidos, painéis integrados, testes e provas etc. Quantitativamente as competências analisadas terão que perfazer um escore de 50% para aprovação em unidade e 50% em recuperação final. A escola não utiliza o mecanismo de recuperação paralela. A escola deverá assegurar: ao aluno, uma boa formação, tornando-o capaz de realizar a transposição dos conteúdos formais na interpretação do cotidiano e na valorização dos conhecimentos não formais gerados na comunidade; ao professor: os meios necessários para proporcionar ao aluno uma formação contínua, de qualidade, que lhe garanta atualização permanente para enfrentar os avanços da sociedade. VI – Recursos: Quadro branco; Pilot, apagador; Livro texto do aluno e outros; Informes de revistas; Retroprojetor; Transparências; Data show; TV pen-drive; Aparelho de DVD; Dorso do corpo humano; Diagramas (corpo humano); Maquete de tecidos. Material de papelaria; Máquina de xérox; VII – Referências: AMABIS e MARTHO. Conceitos de Biologia. Vol. 1, São Paulo SP, Ed. Moderna, 2001 LINHARES, Sérgio; GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia: volume único. 1ª Ed. – São Paulo, SP, Ed. Ática, 2005.
  9. 9. LOPES. Sônia Bio 3. São Paulo – SP, Saraiva, 16ª ed. 1995 PAULINO. Biologia. Série Novo Ensino Médio. Ed. Ática, São Paulo, SP, 2002. Sites utilizados: http://www.brasilescola.com http://www.grupoescolar.com http://www.cynara.com.br http://www.mundoeducacao.com.br http://ava.ead.ftc.br http://www.sobiologia.com.br

×