• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Informativo ofícial da província de campo grande diagramado
 

Informativo ofícial da província de campo grande diagramado

on

  • 948 views

 

Statistics

Views

Total Views
948
Views on SlideShare
888
Embed Views
60

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

6 Embeds 60

http://scholaartigos.blogspot.com 27
http://scholaartigos.blogspot.com.br 12
http://www.redentoristas.org.br 10
http://scholaartigos.blogspot.ru 8
http://redentoristas.org.br 2
http://scholaartigos.blogspot.co.uk 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Informativo ofícial da província de campo grande diagramado Informativo ofícial da província de campo grande diagramado Document Transcript

    • Índice Palavra do Provincial Chamados para Servir........................................................................................2 Profissão Religiosa: Votos temporários Thiago professa em Ponta Porã.........................................................................3 Secretariado Vocacional inicia o seu trabalho...................................................5 Noviciado Fernando inicia o Noviciado...............................................................................6 Secretariado Vocacional Algumas sugestões para a Pastoral Vocacional.................................................7 Projeto de Animação Vocacional.....................................................................11 Campanha da Fraternidade A CNBB desperta para o tema atual................................................................13 Re corrente: Subsídio para a Campanha da fraternidade 2011.......................14 Partilhando VIII Congresso Latino Americano de Irmãos Redentoristas.............................18 Agenda Datas de posses das novas comunidades........................................................19 Comissões para motivar as decisões da 1º sessão do VIII Capitulo Provincial.........................................................................................................202 Informativo oficial da Província de Campo Grande Reunião de Reitores de Comunidade..............................................................21 Noticias Paróquia Santo Afonso, mais uma filha do Perpétuo Socorro.........................23 Santuário Perpétuo Socorro, na busca de consolidar sua missão em Campo grande..............................................................................................................24 Espiritualidade Sugestão de Leitura: O beijo de Deus, provocação a Vida Religiosa................27 O tempo das surpresas de Deus......................................................................27 Aniversáriantes...............................................................................................30
    • Palavra do Provincial CHAMADOS PARA SERVIR DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS A SERVIÇO DAS VOCAÇÕES Seguindo as orientações do 3º. Congresso Nacional Vocacional, promovido pela CNBB, a Província de Campo Grande organizou o Secretariado Vocacional, com a participação de dois promotores (um do PR e um do MS), os três junioristas e dois postulantes. A proposta é ter a participação de todos os confrades, como mandam as nossas Constituições (Const. 79: “Todos os confrades, portanto, na medida de sua estima e amor à própria vocação, dediquem-se aoapostolado de promover vocações para a Congregação.”).O chamado é para despertar discípulos missionários à serviço das vocações. É bom lembrar que quando se trata de vocação, que é um mistério de Deus,temos que sempre ter em vista o testemunho evangélico de todos os confrades.Do testemunho dos confrades é que novas vocações são despertadas no meio denossas comunidades. De nada adianta uma ‘propaganda vocacional arrojada’ semo testemunho sincero dos confrades. Que Maria Santíssima, sob o título de Mãe do Perpétuo Socorro, abençoe otrabalho vocacional de todas as comunidades da Província. 3 Informativo oficial da Província de Campo Grande Fraternalmente, Pe. Joaquim Parron, C.Ss.R. Provincial
    • Profissão Religiosa: Votos temporários THIAGO PROFESSA EM PONTA PORÃ LITURGIA MOTIVA AS VOCAÇÕES Numa liturgia com a participação de 22 confrades, com uma boa participação do povo da Paróquia São José de Ponta Porã, Thiago Palmeira Machado emitiu os primeiros votos na Congregação do Santíssimo Redentor, no dia 30 de janeiro de 2011. Esta profissão foi precedida de um trabalho vocacional, acompanhado pelo padre Antonio Mello e os junioristas Aparecido Filho e Marco Leutério. A Província de Campo Grande se alegra com o ‘sim do nosso irmão Thiago’. Que o exemplo deste jovem possa fortalecer a Vida Redentorista em nosso meio!4 Informativo oficial da Província de Campo Grande
    • 5 Informativo oficial da Província de Campo Grande
    • SECRETARIADO VOCACIONAL INICIA O SEU TRABALHO OTIMISMO NO PRIMEIRO ENCONTRO DO SECRETARIADO O Secretariado Vocacional, formado na 1ª. Sessão do VIII Capítulo, iniciou o seu trabalho neste último 1º. de fevereiro, no Escritório Central, em Curitiba, com boas perspectiva de trabalho. Inicialmente foi elaborado o Projeto Vocacional Provincial que contempla semanas vocacionais, tríduos em paróquias diocesanas e visitas às nossas comunidades locais. Neste primeiro encontro participaram os junioristas, um representante dos postulantes, os dois promotores da Província e também o provincial e o vigário provincial. No encontro também foi estudado as orientações do SAV (Serviço de Animação Vocacional) e a importância do testemunho para revitalizar a pastoral vocacional. Os dois promotores, Pe. Mello e Pe. Donizete, já estão organizando o encontro provincial do dia 15 de março (dia de S. Clemente) onde párocos e animadores locais estarão reunidos para dar encaminhamento do trabalho vocacional na Província. Esperança está sendo semeada!6 Informativo oficial da Província de Campo Grande
    • Noviciado FERNANDO INICIA O NOVICIADO Aos 22 dias de janeiro de 2011, foi celebrada à abertura oficial doNoviciado Redentorista em Tietê-SP; a qual, foi presidia pelo atual provincial deSão Paulo Pe. Luis Rodrigues. A comunidade do noviciado 2011/2012 é constituída por 10 noviços,tendo Pe. Ulisses da Silva como mestre e Pe. Jerônimo Colombo como vice. O Pe.Celso Cruz, atual formador do postulantado, foi o representante de nossaprovíncia na celebração. Ele fez a entrega das constituições ao Noviço FernandoCordeiro. Estava também presente o Fr. Thiago P. Machado. Desse modo irmãos,rezemos por todas as vocações e por todos os vocacionados, pois, “a messe égrande e os operários são poucos”. Maria, Mãe dos vocacionados, rogai por nós! 7 Informativo oficial da Província de Campo Grande
    • Secretariado Vocacional SECRETARIADO VOCACIONAL REDENTORISTA PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE www.redentoristas.org.br ALGUMAS SUGESTÕES PARA UMA PASTORAL VOCACIONAL EM ÂMBITO PAROQUIAL OU OUTRAS ÁREAS DE ATUAÇÃO DA PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE Antes de falar de sugestões, sinto-me na obrigação de fazer algumas considerações que considero importante. Primeiramente, gostaria de lembrar que vocação é dom, é mistério e é Deus quem chama a quem, como, quando e onde Ele quiser. Não podemos nos acomodar diante da falsa ideia de que o jovem não quer saber de vocação ou de que não adiante fazer muita coisa, pois a crise é geral. Por outro lado, graças a Deus, há uma sã preocupação pela falta de vocações. Existe, e é lógico que exista, uma preocupação quando comprovamos que cada ano nossas casas de formação recebem menos jovens. Devemos nos perguntar: Onde está o problema? O que eu fiz e continuo fazendo para que o número de candidatos aumente? “Temos acreditado no amor de Deus: assim se pode expressar ao cristão a opção fundamental de sua vida. Não se começa a ser cristão por uma decisão8 Informativo oficial da Província de Campo Grande ética ou uma grande ideia, mas pelo encontro com um acontecimento, com uma Pessoa, que dá um novo horizonte à vida...” 1. Partimos do pressuposto de que Deus é alguém que vive, que está e que chama a cada um pessoalmente a participar de sua própria intimidade. Por esta razão, a Pastoral Vocacional deve estar dirigida a criar e desenvolver a capacidade para escutar esta chamada e a encontrar-se com esse “Alguém” que fala ao coração. Esta busca da vocação pessoal deve ser o eixo que atravessa nossa tarefa pastoral. Se o ser cristão é uma vocação ao seguimento de Cristo, toda pastoral, especialmente a dos jovens, deve ter um componente 1 Deus Caritas Est, 1
    • vocacional: fazer compreender que a vida é resposta à chamada de Deus. Nossamissão será de ajudar os adolescentes e jovens a abrir-se, desde sua situaçãopessoal, ao encontro com Cristo e assim por as bases para que, chegado omomento, possa discernir, programar e construir sua vida adulta entendendo-acomo vocação. Gostaria de, mais uma vez, chamar a atenção para a mensagem do PapaBento XVI para a 47ª. Jornada Mundial de Oração pelas Vocações, de ondepoderemos extrair sete pontos fundamentais para a fecundidade da pastoralvocacional sacerdotal e religiosa. 1. A fecundidade da proposta vocacional depende primariamente da ação gratuita de Deus, mas, como confirma a experiência pastoral, está favorecida pela qualidade e riqueza do testemunho pessoal e comunitário daqueles que responderam ao chamado de Deus ao sacerdócio e à vida consagrada. 2. A iniciativa livre e gratuita de Deus encontra e interpela a responsabilidade de quantos acolhem seu convite para converter-se com seu próprio testemunho em instrumento de chamada divina. Deus ser serve do testemunho dos sacerdotes e religiosos, fiéis à sua missão, para suscitar novas vocações sacerdotais e religiosas ao serviço do Povo de Deus. 3. Três aspectos da vida do presbítero e religioso, essenciais para um testemunho sacerdotal e religioso eficaz: 3.1. Elemento fundamental e reconhecível de toda vocação ao sacerdócio e à vida consagrada é a amizade com Cristo... A 9 Informativo oficial da Província de Campo Grande oração é o primeiro testemunho que suscita vocações. 3.2. Outro aspecto da consagração sacerdotal e da vida consagrada é o dom total de si mesmo a Deus... A história de cada vocação vai unida quase sempre com o testemunho de um sacerdote ou religioso que vive com alegria o dom de si mesmo aos irmãos pelo Reino dos Céus. 3.3. Um terceiro aspecto que não pode deixar de caracterizar ao sacerdote e religioso é o viver a comunhão... Se o jovens vêem sacerdotes ou religiosos isolados e tristes, não se sentem
    • animados a seguir seu exemplo. Se sentem indecisos quando pensam que esse é o futuro de todo sacerdote ou religioso. É importante levar uma vida indivisa, que mostre a beleza de ser sacerdote ou religioso. Então o jovem dirá: “Sim, este pode ser um futuro também para mim, assim se pode viver”. 4. As vocações sacerdotais nascem do contato com os sacerdotes, quase como um patrimônio precioso comunicado com a palavra, o exemplo e a vida inteira. 5. Isso vale também para a vida consagrada. A existência mesma dos religiosos e das religiosas fala do amor de Cristo, quando o seguem com plena fidelidade ao Evangelho e assumem com alegria seus critérios de juízo e conduta... Imitar a Cristo pobre, casto e obediente, e identificar-se com Ele... 6. Para promover as vocações específicas ao ministério sacerdotal e à vida religiosa, para fazer mais vigoroso e decisivo o enuncio vocacional, é indispensável o exemplo de todos os que já deram o seu “sim” a Deus e ao projeto de vida que Ele tem sobre cada um. O testemunho pessoal, feito de eleições existenciais e concretas animará aos jovens a tomar decisões comprometidas que determinem seu futuro. Para ajudar-lhes é necessário a arte do encontro e do diálogo capaz de iluminar-lhes e acompanhar-lhes, através, sobretudo, da exemplaridade da existência vivida como vocação.10 Informativo oficial da Província de Campo Grande 7. Que a Virgem Maria, Mãe da Igreja ajude a todos aqueles aos quais o Senhor chama para segui-lo mais de perto, para que se convertam em árvores frondosas, carregada de frutos para o bem da Igreja e de toda a humanidade. “A Pastoral Vocacional tem como sujeito ativo, como protagonista, a própria comunidade eclesial, como tal, em todas suas diversas expressões” 2. a) O testemunho de cada confrade é o bem mais apreciado. Nenhum plano pastoral pode substituí-lo, pois o exemplo de vida arrasta e transforma o coração. 2 PDV 41
    • b) Potenciar a oração pessoal e comunitária pelas vocações sacerdotal e religiosa em cada uma das paróquias e santuários e em outros campos de missão de nossa Província; grupos de oração, terço, preces dos fiéis, retiros, caminhadas, encontros, etc. c) Educar, de tal maneira, que a vida se descubra em cunho vocacional, principalmente em grupos de catequese de crianças e adolescentes e em grupos de jovens. Potenciar a mesma convicção nos militantes de movimentos apostólicos. d) Criar, em casa Paróquia e Santuário o grupo de coroinhas, com seus respectivos acompanhantes (de preferência, casais), para que seja um canteiro de vocações. e) Convidar os seminaristas para que possam propor a vocação ao sacerdócio e à vida religiosa na catequese, grupos de jovens e adolescentes e escolas. f) Cuidar da animação vocacional nos momentos de celebração da Primeira Eucaristia e Confirmação. Cremos que todo coração humano pode acolher a Palavra de Deus e,ainda que com características e problemas distintos dos que o fizeram nopassado, os jovens de hoje também têm uma série de sensibilidades, modos deviver e valores que podem se enganchar na chamada de Deus. Nos próximos 4 anos, a Animação Vocacional, tentando responder àsexigências da Igreja e da Província, como já é do conhecimento de todos, será feita 11 Informativo oficial da Província de Campo Grandeem forma de Secretariado. Sua área de atuação extrapola o âmbito provincial.Para a Semana Santa de 2011, três paróquias na Diocese de Apucarana já abriramsuas portas. Cremos que em pouco tempo, outras farão o mesmo. Se todos abraçarmos essa causa, em pouco tempo nossas Casas deFormação, se não cheias, estarão com um bom número de seminaristas.
    • PROJETO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE Objetivo geral: Animar com renovado empenho a Pastoral Vocacional através da atuação dos missionários redentoristas, estudantes e leigos dentro dos objetivos das Dioceses e da Província e fazer com que Jesus Cristo seja conhecido e amado, segundo a espiritualidade redentorista, em todos os lugares onde nos encontramos. Objetivos específicos:  Despertar, acompanhar e acolher os vocacionados.  Despertar o interesse pelas vocações em nossas comunidades, na missão e nas escolas, nomeando um responsável.  Formar animadores vocacionais leigos (equipes vocacionais)  Integrar-se na equipe vocacional diocesana.  Criar e fornecer subsídios de divulgação vocacional.  Favorecer e incentivar os formandos para que sejam canais de animação vocacional em suas paróquias.  Testemunhar nosso jeito de ser Redentorista.12 Informativo oficial da Província de Campo Grande Quem deve trabalhar? Todos (OT 2; CDC, cân.233; Const. 79,80). Formandos, animadores vocacionais leigos, leigos redentoristas, professores e catequistas. Como? Através dos Promotores, que devem ser os articuladores e que acompanham a todos os que apresentarem o desejo de se consagrar a Deus e à Igreja, como Redentorista, de um responsável em cada comunidade e das equipes vocacionais paroquiais, que “é um agrupamento de pessoas que trabalham na comunidade eclesial em profunda sintonia com a Igreja Particular, para auxiliar o surgimento, dar acompanhamento e facilitar o encaminhamento das vocações laicais, sacerdotais, religiosas e missionárias” (Coleção Cadernos Vocacionais, n. 24, p.32). Deve-se conscientizar a comunidade que cada cristão é responsável pelas vocações.
    • Como começar? Antes de tudo, deve-se criar um clima vocacional favorável nacomunidade, organizando cursos de encontros formativos sobre o sentido davocação na Igreja de hoje, Com quem começar? 1. Com pessoas dispostas e de vivência de Igreja. 2. Jovens, formandos, casais, religiosos(as) e um confrade de cada comunidade. 3. Com representantes das pastorais e movimentos, sobretudo das Pastorais da Juventude, Familiar e Catequese. 4. Nas nossas Paróquias, Santuários, Escolas, Missão, Rádio e obras da Província. Atividades: 1. Missa mensal pelas vocações. 2. Hora Santa Vocacional. 3. Festa de aniversário do Pároco, do Bispo, do Papa. Festas jubilares (ordenação e profissão) 4. Profissões e ordenações. 4. Mês Vocacional 5. Semanas Missionárias Vocacionais 7. Dia Mundial de Oração pelas Vocações. Promovemos as vocações quando somos felizes, entusiasmados com 13 Informativo oficial da Província de Campo Grandenossa vocação, quando nos mostramos fiéis ao Celibato, aos ConselhosEvangélicos (Pobreza, Castidade e Obediência), quando somos zelosos na missão,seja nas paróquias, colégios, missões e meios de comunicação. Pe. Antonio Carlos de Mello, CSsR
    • Campanha da Fraternidade A CNBB DESPERTA PARA TEMA ATUAL RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO GEMEM EM DORES DE PARTO A Campanha da Fraternidade começou em 1964 refletindo temas da realidade social. Neste ano de 2011 vem com o TEMA: “Fraternidade e a Vida no Planeta” e com o LEMA: “A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22). Tem como ponto central o problema das mudanças climáticas e o aquecimento global, pois a irresponsabilidade humana e a falta de compromisso com a natureza têm custado a vida de muitos inocentes. Exatamente o que está acontecendo nos últimos tempos em São Paulo, Rio de Janeiro e em outros lugares do Brasil e do Mundo. A mídia escrita e falada foca apenas no fato em si, na desgraça, na tragédia, os jornais parecem ter prazer em mostrar os sofrimentos das pessoas, não leva à reflexão acerca dos fatores climáticos que têm trazido sérias implicações à natureza. Isso não é castigo para os bons, mas é um sinal profético para os maus. O ser humano precisa entender de uma vez por todas que quem manda neste mundo é Deus, diante da grandeza de Deus não somos absolutamente nada. O meio ambiente é o lugar onde Deus preparou com tanto carinho para o ser humano viver e conviver, mas agora, nos últimos dias, num sentido de causa e14 Informativo oficial da Província de Campo Grande efeito, a natureza tem respondido ao ser humano a forma como se tem cuidado do meio ambiente, é como se o feitiço se voltasse ao feiticeiro. A Campanha da Fraternidade, durante o tempo da Quaresma, será uma oportunidade de parar e refletir sobre a vida em nosso Planeta. Somos chamados a preservar as condições de vida em nossa Terra, sobretudo em nossa cidade, em nossa casa. Que Jesus misericordioso nos ajude a sermos profetas nos dias de hoje denunciando as injustiças e anunciando a justiça de Deus.
    • RE RECORRENTE: Subsídio para a Campanha da Fraternidade de 2011Interpela a consciência de toda pessoa deboa vontade o desastre recorrente ecriminoso – "por deslizamento de terra einundações" - que se abateu sobre a regiãoserrana do Rio de Janeiro – Petrópolis,Teresópolis e Nova Friburgo – na segundasemana de janeiro de 2011.Já são mais de 600 pessoas mortas antes dotempo, "um drama que já está entre os dezpiores deslizamentos do mundo nos últimos 111 anos, o segundo maior domundo no último ano e o terceiro maior da década", informa a ONU; o piordeslizamento de terra da história do Brasil. As lágrimas vertidas já formam umrio de dor. A Mídia, de forma sensacionalista e hipócrita, esconde as causasprofundas e não debate as necessárias soluções que devem ser implementadascom urgência para estancar a espiral de mortes que acontece todo ano.Comover-se e se fazer solidário nesta hora é dever ético, mas não basta asolidariedade momentânea que, se não for seguida de luta concreta por mudançadas causas que geram a tragédia, poderá amortecer a consciência de milhares defamílias vitimadas e tranqüilizar a consciência de quem se faz solidário, mas torceo nariz para quem luta por justiça social, por reformas agrária, urbana, tributária,educacional..., e pela construção de uma sociedade socialista e sustentávelecologicamente.Dá nojo ver a Mídia mostrando imagens de salvações dramáticas – para elevar osíndices de audiência - e explorando a dor das vítimas. 15 Informativo oficial da Província de Campo GrandeÉ repugnante ver repórteres estúpidos perguntando a quem está chorandofugindo do perigo: "Você está triste?", "Você vai voltar quando?". O cinismo deautoridades políticas se revela quando prometem: "O FGTS de atingidos seráliberado em breve. Bolsa família será antecipada. Aluguel de R$400,00 por mêsdurante um ano...". Isso é esmola que tripudia sobre a dignidade humana já tantasvezes pisada há décadas pela falta de reforma agrária e de reforma urbana.Imaginem: um jardineiro trabalhou 40 anos para construir a casa própria numaárea de risco, porque não pôde comprar um lote e construir em lugar seguro.Agora, vai receber R$400,00 para alugar o quê? Uma moradia digna?Cabe também inocentar Deus e a chuva. Não é a chuva que deve ir para a cadeia.Colocar a culpa na chuva e em Deus é encobrir o real – ideologia –, é criar uma
    • cortina de fumaça que ofusca a realidade beneficiando somente os adoradores do capitalismo – grandes empresários, políticos profissionais (uma corja) e ingênuos sustentadores da engrenagem que continua a trucidar vidas em progressão geométrica. A chuva é benfazeja, cai sobre justos e injustos, diz o evangelho (Mt 5,45); a chuva é reflexo da bondade de Deus, que é infinito amor. Deus rega com a chuva a terra que deu como herança ao seu povo (I Rs 8,36). "Mandarei chuva no tempo certo e será uma chuva abençoada" (Ez 34,26), assim o profeta Ezequiel consola o povo em tempos de exílio e de escassez de chuva. A sabedoria do povo da Bíblia reconhece que Deus, solidário e libertador, "através da chuva, alimenta os povos, dando-lhes comida abundante" (Jó 36,31). Na Bíblia se fala de chuva mais de cem vezes. Até no dilúvio, a chuva é vista como purificadora (cf. Gênesis 6 a 9). Sob o império dos faraós no Egito, a chuva de granizo é vista como uma praga em cima dos opressores e como uma dádiva de Deus que liberta da opressão (cf. Gênesis 9 e 10). A chuva não castiga e nem desabriga ninguém, apenas revela uma injustiça sócio- econômica e política existente anteriormente. Dizer que "a chuva castiga" é reducionismo que esconde o maior responsável por tanta dor e tanto pranto: o sistema capitalista, que descarta as pessoas e as condena a sobreviverem em encostas e áreas de risco. Quem é atingido quando a chuva chega exageradamente, salvo exceções, são as famílias que tiveram seus direitos humanos - direito à moradia, ao trabalho, à educação, a um salário justo, ao meio ambiente equilibrado e à dignidade - desrespeitados pelo capitalismo neoliberal e por pessoas que adoram o deus capital, o maior ídolo da atualidade. Entre tantos escritos sobre o crime que se abateu sobre o povo da região serrana16 Informativo oficial da Província de Campo Grande do Rio, que revelam causas e inspiram soluções, destaco alguns, abaixo. O jornalista Marcos Sá Corrêa vê longe e avisa: "É injusto, e talvez seja também cruel e exorbitante, que hoje não se processe no Brasil, por homicídio culposo, o político que patrocina baixas evitáveis e supérfluas em encostas carcomidas e vales entulhados por ocupações criminosas. No dia em que um prefeito, olhando as nuvens no horizonte, enxergar a mais remota possibilidade de ir para a cadeia pelas mortes que poderia impedir e incentivou, as cidades brasileiras deixariam aos poucos de ser quase todas, como são, feias, vulneráveis e decrépitas. De graça ou com o dinheiro virtual do PAC, os políticos não consertarão nunca a desordem que os elege. ... Os brasileiros estão perdendo mais uma chance de bater com força no projeto de lei número 1876/99, que o deputado Aldo Rabelo transfigurou (diria eu, desfigurou), para enquadrar o Código Florestal nos princípios do fato consumado. Ele reduz à metade as áreas de preservação em margens de rio, dispensa da reserva legal propriedades pequenas ou médias e consolida os desmatamentos ilegais.
    • Nunca foi tão fácil saber aonde ele quer chegar, folheando as fotografias aéreas dasavalanches em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Dá para ver nas imagens oque havia antes nos pontos mais atingidos. É o que o novo Código Florestal vaiproduzir no campo. Mais disso" (1).Caso o Congresso Nacional aprove as alterações no Código Florestal, demanda dabancada ruralista e do agronegócio encampada pelo deputado Aldo Rabelo, oparlamento brasileiro estará autorizando previamente centenas de tragédiasmais graves do que a que agora se abateu sobre o povo pobre na região serranado Rio.As Organizações Globo, de forma hipócrita, cobra, das autoridades federais verbaspara a prevenção de tragédias, para a contenção de encostas. É bom lembrar queem outubro de 2010, o governador Sérgio Cabral (PMDB/RJ) desviou R$ 24milhões do FECAM - Fundo Estadual de Conservação do Meio Ambiente -, para acontenção de encostas e obras de drenagem e deu para a Fundação RobertoMarinho construir um museu.Raquel Rolnik, relatora da ONU para a questão da Moradia digna, na TV Cultura,em 11/01/2011, ao ser perguntada se há solução para as perdas de vidas emvárias cidades "por chuvas intensas", respondeu: "Tem solução, sim. Há formas de intervenção para melhorar a estabilidade dosterrenos, drenar melhor a água, conter encostas, ou seja melhorar a condição desegurança e a gestão do lugar para que, mesmo numa situação de risco, se possamevitar mortes. Mas a questão de fundo é que ninguém vai morar numa área de riscoporque quer ou porque é burro. As pessoas vão morar numa área de visco porquenão têm nenhuma opção para a renda que possuem. Estamos falando detrabalhadores cujo rendimento não possibilita a compra ou aluguel de umamoradia num local adequado. E isso se repete em todas as cidades e regiõesmetropolitanas. Não adiantam nada as obras paliativas aqui e ali se não tocarmos 17 Informativo oficial da Província de Campo Grandenesse ponto fundamental que é: quais são os locais adequados, ou seja, fora dasáreas de risco, que serão abertos ou disponibilizados para que a população demenor renda possa morar?".Uma das maiores especialistas no mundo em desastres naturais e estratégias paradar respostas a crises, Debarati Guha-Sapir, consultora externa da ONU ediretora do Centro para a Pesquisa da Epidemiologia de Desastres, foi incisiva:Brasil não é Bangladesh. Não tem desculpa para permitir, no século XXI, quepessoas morram em deslizamentos de terras causados por chuva. Só um fator matadepois da chuva: descaso político. O Brasil já viveu 37 enchentes, em apenas dezanos. É um número enorme e mostra que os problemas das chuvas estão setornando cada vez mais freqüentes no País. Essas pessoas morreram, porque não
    • têm peso político algum e não há vontade política para resolver seus dramas, que se repetem ano após ano. Não há desculpa para não se preparar ou se dizer surpreendido pela chuva. Além disso, o Brasil é um país que tem dinheiro, pelo menos para o que quer. O Brasil praticamente só tem um problema natural e não consegue lidar com ele. Imagine se tivesse terremoto, vulcão, furacões..." (2). Esquecendo-se de responsabilizar o sistema capitalista e socializando a responsabilidade entre todos os seres humanos, o que oculta as profundas causas do desastre, Leonardo Boff, no artigo "O preço de não escutar a natureza" pondera: "Estamos pagando alto preço pelo nosso descaso e pela dizimação da mata atlântica que equilibrava o regime das chuvas. O que se impõe agora é escutar a natureza e fazer obras preventivas que respeitem o modo de ser de cada encosta, de cada vale e de cada rio. Só controlamos a natureza na medida em que lhe obedecemos e soubermos escutar suas mensagens e ler seus sinais. Caso contrário teremos que contar com tragédias fatais evitáveis". Enquanto trabalhava ganhando um salário mínimo por mês, um pai de família recebe a notícia de que vários membros da sua família tinham morrido, porque sua casinha construída no morro tinha sido derrubada por uma avalanche de deslizamento de terra, após intensas chuvas. Atônito, aquele trabalhador ainda teve força para indicar a uma equipe de resgate18 Informativo oficial da Província de Campo Grande como poderia chegar a uma comunidade que estava isolada. De volta para sua casa que não mais existia, correndo desesperado ao encontro de seus familiares sobreviventes, ao passar ao lado de uma casa que continuava intacta sem ter sido em nada abalada, exclamou: "Essa é a casa do meu patrão." Isso revela que quem mais sofre com a falta de reformas agrária, urbana, tributária, educacional... são os pobres, a classe trabalhadora. E quem lucra é a classe dominante. Logo, digo aos atingidos e atingidas pelo capitalismo - com economia neoliberal, democracia formal e com políticos profissionais, a quem interessam a perpetuação das injustiças – uni-vos, organizai-vos e vamos à luta, pois se ficar o bicho come, se fugir o bicho pega, mas se unirmo-nos, organizarmo-nos e partirmos para a luta até à vitória, o bicho fugirá e construiremos uma terra sem males onde não haverá nem choro e nem lágrimas. Enfim, um desafio inadiável é percebermos as relações entre as tempestades e o aquecimento global, entre o aquecimento global e o efeito estufa, entre o efeito
    • estufa e a emissão de gases CO2 e outros, entre a emissão de gases CO2 e outros eo modelo industrial vigente (capitalismo neoliberal), entre o capitalismoneoliberal e a mentalidade ocidental conquistadora, e a relação desta com o serhumano, seu Criador e todas as outras criaturas. Colaborou: Pe. Wilson Marques Dias, CSsR Partilhando VIII CONGRESSO LATINO AMERICANO DE IRMÃOS REDENTORISTAS COMPARTILHANDO EXPERIÊNCIAS E O TEMA DO SEXÊNIONos dias 5 a 11 de Dezembro de 2010 em San José, Costa Rica, IrmãosRedentoristas da América Latina e Caribe se encontraram num clima de muitafraternidade, esperança e mística. De início foi realizada uma Memória dos nossosCongressos Latino-Americano e Caribenho anteriores CLAHER-CLAIR:I. Em Bogotá, Colômbia em 1990 (48 Irmãos); II. Em Aparecida/SP (56 Irmãos);III. Em Belo Horizonte em 1996 (52 Irmãos); IV. Em Goiânia em 1999 (48Irmãos); V. Em Vila Marinella, Fusagasugá, Colômbia em 2002 (53 Irmãos); VI.Em Quito, Equador em 2004 (32 Irmãos); VII. Em La Plata, Argentina, em 2007(26 Irmãos); VIII. Em San José, Costa Rica em 2010 (29 Irmãos).Neste encontro compartilhamos experiências e tratamos do tema do sexênio e os 19 Informativo oficial da Província de Campo GrandeIrmãos no processo de reestruturação na Congregação. Outro tema abordado foisobre o Discernimento Comunitário no processo de reestruturaçãoCongregacional.No dia 8 de dezembro fizemos uma visita ao Santuário de Nossa Senhora de LosAngeles, foi emocionante ver a Fé e devoção Mariana do povo na América Central.Na continuidade de nossas reflexões, Felix Catalá tratou sobre EspiritualidadeRedentorista. E nosso confrade Araya compartilhou o Plano Global da CLAR“Escuchemos a Dios donde La vida clama” ao tratar dos desafios da Vida Religiosa.Nosso Irmão Jefrey Rolle compartilhou a reflexão “Que significa ser HermanoRedentorista hoje?Interessante destacar entre os Irmãos participantes a fraternidade, amizade,riqueza de trabalhos e desafios, diversidade de dons no serviço aos mais pobres eabandonados nos contextos urbanos. O Próximo Congresso será na BOLÍVIA dia
    • 08 a 14 de Dezembro de 2013. Esperamos despertar mais vocações de Irmãos até esta data. O tema escolhido foi: Apostolado dos Irmãos - Profetismo na Vida Religiosa e reestruturação. Alguns dados para refletirmos atualizados em 2010: MEMBROS DA CSSR: Em 1980: 6.573; Em 1990: 6.004; Em 2000: 5.506; Em 2010: 5.239, sendo 460 Irmãos: Com Votos Perpétuos 419 e com Votos Temporários 41. IRMÃOS: Europa: com Votos Perpétuos: 169 e com Votos Temporários: 06. Na América do Norte: com VP: 73 e nenhum com Votos Temporários. Na América Latina: com VP: 106 e com 20 com VT. Na Ásia-Oceania: com VP: 56 e com VT: 09. Na África e Madagascar: com VP: 15 e com VT: 06. Total: 419 com Votos Perpétuos e 41 com Votos Temporários. IRMÃOS NAS (V) PROVÍNCIAS DA AMERICA LATINA E CARIBE: Cuba: 00; Fortaleza: 01; Caracas: 01; San Salvador: 06; Perú Norte: 04; Resistência: 03; Bahia: 02; Haiti: 02; Buenos Aires: 04; Peru Sul: 03; São Paulo: 31; Recife: 08; Quito: 04; Rio de Janeiro: 10; Bogotá: 20; Santiago Chile: 01; Porto Alegre: 02; México: 03; San Juan: 02; Campo Grande: 03; Goiás: 09; Manaus: 03; Bolívia: 03; Paraguay: 01; Total: 126. Neste tempo em que a Congregação volta toda preocupação e carinho pelas vocações como um todo e de modo especial a vocação do irmão, somos chamados a nos irmanar com redobrado amor nesta missão que é de todos nós, Redentoristas, no seguimento de Jesus Cristo. Ir. Jorge Tarachuque, CSsR Curitiba/PR20 Informativo oficial da Província de Campo Grande Agenda DATAS DE POSSES DAS NOVAS COMUNIDADES As comunidades redentoristas onde terão “posse”, por causa do novo reitor ou pároco, já têm data marcada para a celebração. Que Deus abençoe essas novas comunidades para, com ardor missionário, “anunciar o Evangelho de modo sempre novo”. SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO (CURITIBA): Data: 06 de fevereiro/11
    • Horário: 8h30Local: SantuárioCelebrante: Dom Moacyr José VittiPARÓQUIA SÃO JOSÉ (PONTA PORÃ):Data: 27 de fevereiro/11Horário: 19hLocal: Igreja MatrizCelebrante: Dom Redovino RizzardoSANTUÁRIO NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO(CAMPO GRANDE):Data: 13 de fevereiro/11Horário: 10hLocal: SantuárioCelebrante: Dom Vitório PavanelloPARÓQUIA NOSSA SENHORA DA GUIA (CAMPO GRANDE):Data: 13 de fevereiro/11Horário: 19hLocal: Igreja MatrizCelebrante: Dom Vitório PavanelloPARÓQUIA SÃO LUIZ GONZAGA (LONDRINA):Data: 20 de fevereiro/11Horário: 19hLocal: Igreja MatrizCelebrante: Dom Orlando Brandes COMISSÕES PARA MOTIVAR AS DECISÕES DA Ia. 21 Informativo oficial da Província de Campo Grande SESSÃO DO VIII CAPÍTULO PROVINCIAL.O Capítulo deu mandato que as decisões da Ia. Sessão do VIII Capítulo fossemestudadas nos setores da Província. A data será a mesma para todos os setores:dia 1º. de março de 2011, das 9h30 até 12ha - Para as comunidades de Campo Grande, Ponta Porã e Aquidauana, a reunião.Responsáveis: Dirson Gonçalves e Wilson Marques. Local do encontro: Casa doPerpétuo Socorro – Campo Grande.
    • b - Para as Comunidades de Londrina e T. Borba. Responsáveis: Henrique de Lima, Antonio Mello e Marco Leutério. Local do encontro: Casa São Luiz - Londrina. c – Para as Comunidades de Ponta Grossa/Curitiba e região. Responsáveis: Gelson Mikuszka, Primo Hipólito, Helio Nunes, Adilson Schamne e Celso Cruz. Local do encontro: Casa do Perpétuo Socorro - Curitiba. d – Para o Litoral (Guratuba e Paranaguá). Responsáveis: Sérgio Campos, Vicente Melo e Francisco Lima. Local do encontro: Casa de Guaratuba. ANOTE NA TUA AGENDA REUNIÃO DOS REITORES DE COMUNIDADES Tema: discípulos servidores Dia 14 de março de 2011 – Início às 8h30 da manhã Local: Curitiba – Casa Central ENCONTRO DOS PROMOTORES VOCACIONAIS DAS COMUNIDADES LOCAIS E REITORES Dia 15 de março de 2011 – Início às 8h30 da manhã]22 Informativo oficial da Província de Campo Grande local: Curitiba – Casa Central ENCONTRO DO SECRETARIADO DE EVANGELIZAÇÃO COM O CEP Dia 15 de março de 2011 – Início 15h – Casa Central. ENCONTRO DO CONSELHO EXTRAORDINÁRIO PROVINCIAL (CEP) Dia 16 de março de 2011 – Início às 8h30 da manhã Local: Curitiba – Casa Central RETIRO PROVINCIAL 2011
    • 04 a 08 de abril – Início às 19h do dia 04 e encerramento ao meio-dia (12h) do dia08 de abril.REGIONAL DO PRDias 23 e 24 de maio de 2011 – Início com almoço (12h) dia 23 e encerramentodia 24 de maio com almoço (12h). Local: Casa Central.REGIONAL DO MSDias 30 e 31 de maio de 2011 – Inicio com almoço (12h) dia 30 e encerramentodia 31 de maio com almoço (12h). Local: Campo Grande.ASSEMBLEIA PROVINCIAL 2011Com a presença do Padre Geral, Micheal Brehl e conselheiros gerais.05 a 08 de setembro - Local: Campo Grande 23 Informativo oficial da Província de Campo Grande
    • Noticias PARÓQUIA SANTO AFONSO MAIS UMA FILHA DO PERPÉTUO SOCORRO No dia 20 de fevereiro será criada em Campo Grande a PARÓQUIA SANTO AFONSO. Será a primeira paróquia dedicada ao nosso santo fundador, em toda a24 Informativo oficial da Província de Campo Grande Arquidiocese. Se olharmos para esse fato como desígnio de Deus podemos acolhê- lo como uma homenagem pela fidelidade nos 80 anos de presença redentorista no Mato Grosso do Sul. A nova paróquia será composta por quatro comunidades: Santo Afonso (matriz), Nossa Senhora da Luz e outras duas que serão desmembradas da paróquia Maria Medianeira das Graças. O primeiro pároco será Pe. Alexandre Souza, diocesano.
    • SANTUÁRIO PERPÉTUO SOCORRO NA BUSCA DE CONSOLIDAR SUA MISSÃO EM CAMPO GRANDECom a criação da paróquia Santo Afonso, a dinâmica pastoral do SantuárioPerpétuo Socorro de Campo Grande muda consideravelmente. Deixaremos deatender duas comunidades relativamente distantes e teremos apenas o Santuárioe a Comunidade Santo Agostinho. A comunidade já tem uma estrutura físicapronta e uma organização pastoral bem definida com leigos engajados ededicados. Diante disso, o foco de nossa missão será atender bem no Santuáriopara que ele realmente funcione como um centro de apoio e acolhimentoespiritual, pastoral e social. Algumas luzes para esse novo tempo: DECISÕES DO CONSELHO SOBRE SANTUÁRIO: Na carta que o Conselho enviou dia 06 de janeiro com as orientações, nomeações e datas, no tópico sobre Campo Grande dizia: “As Comunidades Redentoristas do Perpétuo Socorro e Nossa Senhora da Guia devem ter um trabalho conjunto, de apoio pastoral e econômico.” Dessa forma, com a graça de Deus estamos dando cumprimento a um sonho que existia desde a criação da Paróquia Nossa Senhora da Guia (em 1993). Devemos trabalhar em parceria. Os primeiros passos já foram dados e, com a chegada de todos os confrades, das duas comunidades, serão dados os próximos encaminhamentos para formarmos essa UNIDADE, que trará muitas bênçãos para os Missionários Redentoristas de Campo Grande. DECISÕES DO CAPÍTULO SOBRE SANTUÁRIO: O Capítulo definiu bem claramente as ações que devemos ter em relação ao Santuário. A seguir, 25 Informativo oficial da Província de Campo Grande vamos destacar os principais tópicos. Eles servem como setas para o agir pastoral em Campo Grande: a) “Assumir os Santuários em uma perspectiva Pastoral que lhe são próprias, tornando-os centros de acolhida, de peregrinações, de encontro com Deus e com o outro. Assim como lugar de evangelização e entusiasmo para a vivência Cristã e eclesial”; b) “A partir da devoção popular valorizada e resgatada realizar a evangelização, seja no Santuário ou em suas atividades nos veículos de comunicação”;
    • c) “Tornar nossos santuários acolhedores dinâmicos, missionários e “atrativos” durante todos os dias da semana promovendo retiros, celebrações especiais e romarias”; d) Fazer com que os Santuários estejam sempre pautados na mídia. e) Ter como extensão pastoral dos Santuários redes de comunicação em rádios, TVs, revistas e jornais; f) Envolver os formandos redentoristas nas Pastorais dos Santuários e em seus veículos de comunicação; g) Dinamizar a Ação Social e tê-la como Pastoral que caracteriza o trabalho e a Missão dos Redentoristas no Santuário juntos aos necessitados; h) Ter uma assessoria de Marketing voltada para a captação de recursos, que ajude a pensar o Santuário em sua expansão em uma perspectiva evangelizadora. i) Ampliar as infra-estruturas de acolhida dos devotos; j) Incentivar e criar a dimensão Vocacional nos Santuários. k) Que cada Santuário faça um Plano de ação Pastoral e o apresente ao Governo Provincial. l) Que o CEP indique confrades para formarem uma comissão para pensar a dimensão da comunicação nos Santuários, e, em especial, para viabilizar a aquisição de veículos de comunicação para os mesmos.26 Informativo oficial da Província de Campo Grande Que Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a Mãe que nos Guia, conduza-nos sempre nos caminhos do Santíssimo Redentor para que, “fortes na fé e fervorosos na caridade” possamos “anunciar o evangelho de modo sempre novo”. Amém! Pe. Dirson Gonçalves, CSsR Campo Grande/MS
    • 27 Informativo oficial da Província de Campo Grande
    • Espiritualidade SUGESTÃO DE LEITURA LIVRO “O BEIJO DE DEUS – PROVOCAÇÃO À VIDA RELIGIOSA” Comentário inicial: A obra O Beijo de Deus é uma homenagem à Ir. Ana Roy, e tal obra foi organizada pelo Missionário Redentorista Pe. Márcio Fabri dos Anjos. Ir. Ana foi famosa em todo o Brasil como alguém que questionou e tentou “re- fundar” o verdadeiro sentido da Vida Consagrada após o Concílio Vaticano II. Através da CRB Nacional, cursos e retiros ela contribuiu muito com a formação duma espiritualidade animadora e provocante. Faleceu em Salvador da Bahia em 30 de Abril de 2008. Eu proponho uma contribuição dela que poderia servir como reflexão pessoal e até melhor, como uma reflexão comunitária. Por isso, no fim de sua colocação vou indicar algumas perguntas para facilitar uma partilha comunitária. Pe. Lourenço Kearns, CSsR Curitiba/PR O TEMPO DAS SURPRESAS DE DEUS “O Concílio Vaticano II fez uma referência à necessidade, para a Igreja, de ser constantemente melhorada, re-elaborada, re-formada (sempre reformada). Com os carismas na Vida Religiosa acontece o mesmo. Isto supõe entregar-se às28 Informativo oficial da Província de Campo Grande surpresas de Deus e assumir os caminhos através dos quais o seu Espírito nos provoca. Assim avançamos por etapas no tempo e no espaço, de gerações em gerações. Faremos uma reflexão teológica que nos parece importante. 1. O TEMPO DA AVENTURA COM DEUS E EM DEUS PARA PROCLAMAR SUA GLÓRIA. A palavra “clamar” com seu prefixo “pro” indica uma direção. Proclamar é clamar em favor de... A Palavra de Deus afinal é essencialmente proclamação. Deus não fala para si. O discurso Trinitário dirige-se sempre a todos, a favor de todos, com amor preferencial pelos pobres. O conteúdo da proclamação: a Glória
    • de Deus é o homem, a humanidade toda em comunhão com os Três Amados.Conseqüentemente, a proclamação nossa volta-se para o mundo sofrido, para queo Pai, o Filho e o Espírito Santo se tornem conhecidos.Não se trata de um conhecimento intelectual, mas de um conhecimento bíblico,isto é, uma experiência extremamente envolvente. Fazer com que todos os homense mulheres ao nosso redor possam experimentar a ternura, a misericórdiasalvífica de nosso Deus (parece que Afonso escrevesse isso). Os carismas na VidaReligiosa supõem uma grande aventura para poder viver no mistério de Deus,para saborear a relação com a Santíssima Trindade. Este aspecto trinitário docarisma é muito importante para quem quer viver a vocação em toda suadimensão.Mergulhemos um instante na base teológica desenvolvida por Paulo na carta aosEfésios: “Nele nos escolheu antes de criar o mundo para sermos Santos” (Ef 1,4),isto é, para “experimentar” a Paternidade-Comunhão de Deus, como absoluto denossa vida. Para entrarmos na intimidade Divina faz-se necessário que saiamosde nós mesmos.E somos então reconduzidos ao dinamismo da vida apostólica: envio e missão. Arelação de Deus com seus filhos passa pela mesma dinâmica que implica umasaída, como se deu com Seu Filho, em Jesus. Deus não é um Deus para si, mas écomunicação para seus amados, aos quais comunica vida.Então Deus faz sair seus eleitos e os envia a proclamar a Boa Notícia de umaconvivência com o Deus que salva. Nesta releitura do primeiro objetivo docarisma, a Vida Religiosa encontra a sua razão e seu espaço de ser, na intimidade 29 Informativo oficial da Província de Campo GrandeTrinitária, condição da proclamação – testemunho da mesma.Não procurem defini-la como identidade e, sim, interpretem-na como aventuraexodal, de constante saída de si rumo aos irmãos. Contam menos as estradas quepisarem; contam mais as pessoas encontradas no caminho com as quais se faz apartilha e se comungam as palavras e a experiência do Deus que salva (cf. At 8,25-40).Nós poderemos, por conseguinte, testemunhar o Deus-Aliança que, na suaPaternidade (Filiação), inspiração amorosa quis ser experimentados por todos. Epodemos expressar em todos uma vida humana segundo o desejo e a promessade Deus Trino e Uno.
    • PISTAS PARA RELFEXÃO PESSOAL E COMUNITÁRIA 1. Você acredita que um elemento essencial da evangelização redentorista e de seu evangelizador precisa primeiro experimentar a “copiosa redenção” em sua vida de oração antes que possa pregá-la aos outros? Como você faz isso? Poderia partilhar? 2. Você sente em si mesmo uma diferença quando você prega sobre algo que vem de sua própria experiência do amor de Deus ou quando simplesmente prega idéias sem uma preparação orante? Qual é a diferença? Poderia partilhar com os outros? 3. Você acredita que a expressão “Copiosa Redenção” precisa primeiro ser experimentada pelo missionário redentorista antes que possa pregá-la? 4. Alguns textos das Constituições para orar e partilhar: Art. 2º: A presença de Cristo na comunidade. 23. Chamados a continuar a presença de Cristo e sua missão de redenção no mundo, escolhem os Redentoristas a pessoa de Cristo como centro de sua vida. Esforçam-se por se unir sempre mais a Ele em comunhão pessoal. Dessa maneira estarão o próprio Redentor e seu Espírito de amor presentes no coração da comunidade, para formá-la e sustentá-la. Na medida em que os confrades mais intimamente se unirem a Cristo, mais estreita será a comunhão entre eles próprios. 24. Cultivarão o espírito de contemplação, pelo qual cresce e se fortalece sua fé, para que participem verdadeiramente do amor do Filho para com o Pai e para com os homens. Desse modo tornar-se-ão capazes de reconhecer Deus nas pessoas e nos acontecimentos da vida cotidiana; de perceber em sua verdadeira30 Informativo oficial da Província de Campo Grande luz o desígnio salvífico de Deus e de discernir entre realidade e ilusão. 25. Serão dóceis ao Espírito Santo, que sem cessar atua para conformá-los a Cristo, de modo que aprendam a ter os mesmos sentimentos que Cristo (cf. Fl 2,5ss.) e se revistam da mesma mentalidade (1Cor 2,16), que os move interiormente à obra do apostolado através da variedade dos ministérios. Contribuição: Pe. Lourenço Kearns, CSsR Curitiba/PR
    • ANIVERSARIANTES 05 Pe. Marcelo Pereira 27 Pe. Angelo18 Pe. Eduardo Moriarty 31 Informativo oficial da Província de Campo Grande