Contact agosto colorido

3,481 views

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,481
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contact agosto colorido

  1. 1. Índice Palavra do Provincial O Testemunho suscita Vocações.....................................................05 Promovendo Vocações Edilei recebe o Diaconato..............................................................06 Ordenação motiva seminaristas.....................................................07 Jovens que evangelizam jovens......................................................08 Tríduo e Encontro dos estudantes fortalecem vocações.................09 Juventude Redentorista e as vocações...........................................11 Entrevistas Pe. Paulo do Nascimento Souza......................................................14 Pe. Pedro Hélio de Oliveira.............................................................17 Noticias XXIX Encontro Nacional dos Junioristas..........................................20 Reunião da Comissão Nacional das Missões Populares...................22 Imagem do Rocio atrai 300 mil fiéis................................................23 Festa de N. Senhora da Guia...........................................................24 JUMIRE assume comunidade..........................................................24 Pe. Joseph W. Tobim assume nova função na Igreja.......................25 Festa do Divino em Guaratuba.......................................................28 Espiritualidade Quando Deus responde nossas orações?........................................29 4
  2. 2. Tu és Sacerdote para sempre..........................................................36 Candidatos ao sacerdócio precisam saber viver em comunidade............................................40 Pastoral Um pouco de História da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Londrina-Pr.............................................42 Aniversariantes Parabéns do mês de Agosto...........................................................46 5
  3. 3. Palavra do Provincial O Testemunho Suscita Vocações Promover as vocações é um compromisso de todos os confrades Neste mês de agosto a Igreja no Brasil convida os cristãos a refletirem sobre as diversas vocações específicas: laical, religiosa e sacerdotal, e ao mesmo tempo, motiva as pessoas a responderem com mais generosidade o chamado de Deus. Cada pessoa é chamada valorizar as diversas vocações nas comunidades eclesiais. Para nós Redentoristas é importante que despertemos mais vocações laicais em nossas comunidades eclesiais, valorizando os vários ministérios na Igreja. O Documento de Aparecida destaca que todos devem ser ‘discípulos missionários’ anunciando o Reino de Deus e formando comunidades cristãs. De modo especial, ‘os Redentoristas, na medida de sua estima e amor à própria vocação, dediquem-se ao apostolado de promover vocações para a Congregação’ (Const. 79). No entanto, o melhor meio de promover as vocações à Vida Religiosa e Sacerdotal é o testemunho. O Papa Bento XVI é enfático ao afirmar: “Deus usa o testemunho dos sacerdotes/religiosos, fiéis à sua missão, para suscitar novas vocações sacerdotais e religiosas a serviço de seu povo.” (Mensagem vocacional, 2010). Assim, fica o convite para cada um de nós promovermos mais vocações através de nosso testemunho fiel e generoso ao chamado do Senhor! Pe. Joaquim Parron CSsR Superior Provincial 6
  4. 4. Edilei Recebe O Diaconato Ordenação em T. Borba motivou as vocações na paróquia O Jovem Redentorista EDILEI ROSA SILVA recebeu o sacramento da Ordem no Grau de Diaconato, neste 1º. de agosto, na igreja Matriz da Paróquia N. Sra. de Fátima, em Telêmaco Borba, PR, pela imposição das mãos de Dom Sérgio Braschi, bispo de Ponta Grossa. Vários confrades, formandos e familiares do Edilei e o povo da paróquia participaram da maravilhosa celebração, que também destacou as virtudes de St. Afonso Maria de Ligório (1696-1787). A ordenação foi precedida de um tríduo vocacional organizado pelos formadores e pelos formandos das várias etapas (propedêutico, postulantado e juniorato) e por um encontrão com a juventude da paróquia. Edilei testemunhou, com suas palavras no final da liturgia, que o chamado à Vida Redentorista é a razão de sua caminhada e que está entusiasmado com o espírito missionário da Congregação. Os confrades acolheram, durante a celebração, Edilei com muito carinho, mostrando o sentido da fraternidade tão sonhada por Santo Afonso. 7
  5. 5. Agradecemos todos que ajudaram e contribuíram para esta celebração: a paróquia N. Sra. de Fátima, os confrades, o povo de Deus de T. Borba, os jovens que estão nas várias etapas da formação, os formadores e todos que motivam as vocações na Província! Pe. Joaquim Parron CSsR Superior Provincial Ordenação Motiva Seminaristas Assim como a família dos noivos se preparam para o matrimonio de seus filhos, nós Redentoristas nos preparamos para este grande dia da ordenação diaconal do Frater Edilei. Encontrava-se estampado em seu semblante cada passo da sua vida rumo ao sacerdócio: seu chamado, seu sim, seus trabalhos pastorais, suas orações, enfim sua caminhada até aquele momento da ordenação diaconal. Neste dia Edilei recebeu o avental para o trabalho a serviço de Deus e nós seminaristas recebemos através do seu testemunho motivação para continuarmos nossa caminhada rumo ao sacerdócio. Eu, propedêuta que me encontro no primeiro estágio da formação me senti orgulhoso em participar deste momento tão especial da vida do Edilei e rogo a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro para que ele seja um exemplo de sacerdote para nós, e que seu trabalho traga cada vez mais almas para o Santíssimo Redentor jesus Cristo. Propedêuta: Robson Luiz Skavinski 8
  6. 6. Jovens Que Evangelizam Jovens Temos percebido na Igreja um desafio muito grande na evangelização da juventude, porém ao mesmo tempo, se tem visto uma disposição por parte de alguns jovens que se põem a serviço com muita coragem e boa vontade. Nestes últimos dias do mês de julho alguns jovens da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de T. Borba, abraçaram um desafio de realizarem um grande encontro com os jovens, o mais interessante em se perceber aqui, não é o evento que se pretendia realizar, e sim a sensibilidade com que cada um deles se pôs ao serviço, procurando associar o tempo de seus estudos e trabalhos com o comprometimento com o projeto assumido, disposição esta que exigiu muitas renuncias de lazer, descanso, namoro etc. para estarem juntos em reuniões e preparativos para o encontro. Nós formandos Redentoristas nos orgulhamos de podermos tido o privilégio de podermos acompanhar todos estes trabalhos, e fomos sem dúvidas, evangelizados por cada um deles, que nos mostraram que é possível encontrar em nossas comunidades jovens que evangelizam jovens. Aos Jovens de T. Borba, desejamos perseverança e coragem, como nos diz o Apóstolo João “Jovens, vós sois fortes e já venceste o mal deste 9
  7. 7. mundo, pois a palavra de Deus permanece em vós” Não há o que temer basta confiar, pois nEle será grande redenção! Jovens de Boa vontade a serviço do Redentor Formandos Redentoristas Tríduo e Encontro Dos Estudantes Fortalecem Vocações! Nos dia 29, 30 e 31 de julho foi realizado o tríduo em preparação da ordenação de Edilei em T. Borba, esses dias de oração foi concretizado pelo grupo de formandos e formadores de nossa província, essa iniciativa oportunizou experiência pastoral para muitos de nossos formandos, que 10
  8. 8. sentiram a fé e a esperança do povo e a necessidade das comunidades da presença de homens de fé para os animarem na caminhada junto a Igreja. Houve também pequenos e importantes momentos de convivência e formação entre os formandos e formadores, estreitando os laços de amizade e fraternidade no grupo e ao mesmo tempo motivando ao trabalho em conjunto. A associação entre o trabalho de evangelização na realização do tríduo em preparação da ordenação de Edilei e o encontro dos estudantes, resultou na soma de esforços entre os estudantes e consagrados, em atingir um objetivo comum, que era animar as comunidades a participarem de um grande momento de fé, onde um jovem consagrado responderia com generosidade ao chamado de continuar servindo a Igreja, dando mais um passo pela ordem do Diaconato rumo a Sacerdócio. Jovens de Boa vontade a serviço do Redentor Formandos Redentoristas 11
  9. 9. Juventude Redentorista e As Vocações Refletindo a partir do ‘O Genuíno Redentorista’ Depois de ler o “Genuíno Redentorista” cheguei à conclusão que ser Redentorista ou JUMIRE, não é para qualquer um, é uma questão de VOCAÇÃO, é um chamado de Deus para viver um Carisma especifico. Qualquer jovem pode querer ser Redentorista, mas o Redentor não escolhe qualquer um, ele escolhe poucos, “Muitos são chamados, mas poucos são escolhidos” (Mt, 22, 14). E Jesus chama quem ele quer: “Jesus subiu a montanha e chamou os que ele quis.” (Mc 3, 13) Jesus ao chamar os que ele quis, tinha um objetivo bem claro, fazer com que seus discípulos ficassem com ele, (Mc 3, 14). O convívio diário com o Mestre facilita a aprendizagem do discípulo impulsionando-o para a Missão. Fala-se muito de crise vocacional, mas acredito que uma das luzes que podemos nos deixar ser guiado é o “Testemunho”, conforme nos diz o Papa Bento XVI: “Pois o testemunho suscita vocações”. A fecundidade da proposta vocacional depende primeiramente da ação gratuita de Deus, mas é favorecida também pela qualidade e riqueza do testemunho pessoal e comunitário de todos aqueles que já responderam ao chamamento do Senhor, seja no Ministério Ordenado ou Religiosos consagrados com votos, pois o seu testemunho pode suscitar noutras pessoas o desejo de, por sua vez, corresponder ao apelo de Cristo. 12
  10. 10. PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO DOS JUMIRISTAS NAS PARÓQUIAS Para ser uma Juventude Redentorista, é preciso gostar de Santo Afonso e conhecer a espiritualidade Afonsiana, dificilmente amaremos uma pessoa, sem antes conhece-la. Existem jovens que procuram conhecer a vida de vários Santos e compram com muita facilidade livros biográficos, mas infelizmente algumas livrarias quase que não possuem uma bibliografia vasta dos Santos Redentoristas e pouco se ouve falar entre os jovens, que alguém esta lendo alguma obra de Santo Afonso ou um livro da Espiritualidade Redentorista. Com o pensamento de formar os jovens, estamos indicando um livro de bolso, publicado pela Editora Santuário, “Vida de Santo Afonso M. de Ligório” da coleção Vida de Santos, escrito pelo Pe Francisco Costa, CSsR, um livro de leitura rápida e com facilidade na compreensão. É de suma importância nossas comunidades religiosas incentivar essa leitura para um melhor conhecimento da vida de Santo Afonso. Desconto: A paróquia que já tem cadastro na Editora Santuário poderá comprar o livro com 20% de desconto. O livro custa 11,90. Pode pesquisar pelo site www.editorasantuario.com.br ou ligar para o 0800 – 160004 cadastrar a paróquia e fazer o pedido. AGENDA DO PE ALEX CSSR, FINAL DE JULHO, AGOSTO E SETEMBRO: COMPROMISSOS: JUMIRE, MISSÃO E (TASK FORCE) “FORÇA-TAREFA” 18/07 até 25/07 Missão na Zona rural de Grandes Rios 27/07 até dia 01/08 Tríduo e Ordenação do Fr Edilei, em Telêmaco Borba. 13
  11. 11. 02/08 até dia 08/08 Missão Zona Urbana de Grandes Rios 08/08 até dia 31/08 Assessoria do JUMIRE de Telemaco e também (task force) “força-tarefa” na Paróquia, para auxiliar os confrades no que for preciso. 01/09 até 05/07 Forum Faculdade UNINORTE e assessoria JUMIRE Londrina. 10 /09 até 12/09 Segunda fase missão Perpetuo Socorro Curitiba. 14/09 até 03/10 assessoria ao JUMIRE de Ponta Porã e força-tarefa na Paróquia São José. Qualquer coisa é só entrar em contato pelo e-mail pealexcssr@hotmail.com ou pelo celular (43) 9634-2406 Pe Alex cssr assessor JUMIRE A promoção das vocações O próprio Espírito de Cristo suscita missionários na Igreja. Às mais das vezes serve-se de contatos e relacionamentos, que se estabelecem entre as pessoas, para levar o convite de Cristo a seus apóstolos. Por isso, cada confrade no convívio com os homens em seu ministério apostólico, deve estar atento para descobrir e discernir os dons que o Espírito prodigaliza a muitos jovens. Lembre-se, ainda, cada um que o melhor e mais eficiente meio de promover as vocações é a oração constante e, ao mesmo tempo, o exemplo da própria vida e o zelo apostólico (cf. Mt 9,38; Lc 10,2). Constituição 80 14
  12. 12. Entrevistas Do Mês De Agosto Para este mês de Agosto, dedicado às vocações, o CONTACT traz entrevista com dois confrades que trabalham na formação em nossa província: o Pe. Paulo Nascimento Sousa (Propedêutico) e o Pe. Pedro Hélio de Oliveira (Juniorato). Esses dois confrades têm uma história de dedicação à formação dos novos redentoristas da província. Pe. Pedro já trabalhou em santuários, na missão popular e também em paróquias, mas grande parte de sua vida missionária foi como formador. O Pe. Paulo também está no mesmo caminho. Já trabalhou em Santuário, em paróquia, mas passou a maior parte de seu apostolado como formador dos jovens que entram no início da formação. Vamos conhecer um pouco mais dos dois confrades: Padre Paulo Do Nascimento Sousa: Nasceu em 29 de Junho de 1971, tem 39 anos completos, é natural de Nova Aurora/PR, fez sua Profissão Religiosa em 30 de Janeiro de 2000 e foi ordenado sacerdote em 19 de Dezembro de 2003. Já tem 10 anos de profissão e está prestes a completar 7 anos de ordenação. Atualmente está como formador do Propedêutico, em Ponta Grossa/PR. Nós conversamos com ele e pedimos que fizesse a seguinte partilha: Contact: Partilhar um pouco sobre o trabalho que realiza hoje, como formador: Pe. Paulo: Primeiramente quero agradecer a Deus pelo dom da vida, pela minha família que tanto tem apoiando-me nesta caminhada como padre. Agradecer a Deus pelos confrades que é minha família que não só 15
  13. 13. acompanha, mas caminha do meu lado sendo um apoio na missão que hoje estou. Estimados confrades estou há cinco anos frente à formação aqui em Ponta Grossa, e dou graças a Deus por esta experiência adquirida ao longo desses anos. Quero dizer que gosto de trabalhar na formação, isto falo com muita emoção no coração, “a formação é minha vida” não consigo separar a minha vida desse trabalho que considero parte integrante do meu ser sacerdote, haja visto que a Província confiou a mim esta etapa de formação. Ser formador é estar ao lado, é coloca as mãos na massa, é caminhar lado a lado com os formandos, é ser um com eles e, perceber o formando é enxergar-lo com o olhar de Deus, olhar carinhoso, amoroso, misericordioso e compassivo, mas também de um Deus que repreende para que assim possamos caminhar com dedicação e zelo pela vocação que é dom Gratuito D`Ele para conosco. Ser formador é ter um amor incondicional pela vida consagrada e colocar a serviço dos irmãos, graças a Deus tenho assumido com carinho o trabalho que a mim foi confiado que é a formação dos futuros religiosos da província. Contact: Partilhar um pouco sobre sua vida como vocacionado... Pe. Paulo: Minha caminhada como vocacionado, foi muito legal e um pouco tumultuada também, pois passei por momentos difíceis. Primeiramente iniciei na Congregação dos Missionários da Consolata em Cascavel conclui o ensino médio e iniciei o ensino fundamental, depois saí isto na metade do ano, mas os padres da diocese de Toledo não me deixaram fora por muito tempo e no ano seguinte ingressei na diocese de Toledo concluí o ensino fundamental em Cascavel no seminário São José, depois fui para Toledo fazer o Propedêutico, no decorrer desse ano foi quando os missionários redentoristas fizeram santas missões em Cascavel oportunidade que encontrei para conversar com os mesmos, tornei-me um vocacionado redentorista. Foi muito emocionante aquele encontro com o Pe. MARCOS 16
  14. 14. SERRAT, a conversa com o Pe. Edson e depois com todos eles em um almoço, mas também me deu um frio na barriga encontrar com aqueles padres missionários que sempre tive uma idéia de gente brava. Mas fui muito bem acolhido a graça de Deus foi abundante naquele encontro com os missionários Redentoristas fiquei irradiante. Lembro-me que chorei de alegria saindo de Nova Aurora e indo só com a roupa do corpo para conversar com eles e depois voltando para pegar uma bolsa de roupas para voltar e ficar com o Marcos e Edson uma semana nas santas missões. Nossa foi um momento muito mas muito lindo na minha vida de vocacionado, foi emocionante, depois o encontro com o Pe. Mello aqui onde estou hoje como formador, o Mello me acolheu muito bem, ele estava indo lá para as regiões de Cascavel, Toledo e MS, e ia passar lá por casa, como eu estava aqui com os missionários conversamos e já acertamos minha vinda para o estagio vocacional, fiquei muito feliz mas muito mesmo. Obrigado queridos confrades pelo que vocês são no meu ser Religioso hoje. Que nossa, Mãe do Perpétuo Socorro vos abençoe sempre. Contact: Perspectivas e esperanças para o futuro vocacional da província... Pe. Paulo: Tenho muita esperança, acredito na ação do Espírito Santo na vida dos nossos jovens, e principalmente no testemunho de vida dos nossos confrades. Vocações têm e muitas, agora tudo depende da forma como nós congregados vamos assumindo o desafio de sermos promotores vocacionais em nossas unidades e em nossas celebrações, no contado direto com os jovens. Porém, percebo também que às vezes não zelamos das vocações que chegam até nós. Que os párocos e confrades se interem um pouco mais na vida dos vocacionados, que provem de suas paróquias, que possam fazer visitas dêem uma passada para conversar com eles, nós formadores somos embaixadores vossos senhores confrades, não somos donos dos vocacionados, nossas casas 17
  15. 15. de formação não são exclusivas nossas (formadores) mas estão abertas para o senhores passarem e fazer uma visita conversando com os vocacionados que procedem de vossas paróquias, isto faz muito bem a eles é uma maneira de motivá-los e eles se sentirão valorizados. Não simplesmente mandar para o seminário, o desafio é nosso de assisti-los ao longo de sua caminhada. Esta é minha esperança que haja um despertar em nós e através do nosso testemunho de vida, nossa alegria de sermos consagrados, cativar em os nossos jovens um querer abraçar esta vida, caminhando como Redentoristas. Pe. Paulo do Nascimento Souza Formador do Propedêutico, Ponta Grossa,Pr Padre Pedro Hélio De Oliveira: Nasceu em 16 de Julho de 1953, tem 57 anos completos, é natural de Ponta Grossa/PR, fez sua Profissão Religiosa em 08 de Fevereiro de 1979 e foi ordenado sacerdote em 07 de Dezembro de 1985. Já tem 31 anos de profissão e está prestes a completar 25 anos de ordenação. Atualmente está como formador dos Junioristas, em Londrina/PR. Acompanhemos, a seguir a sua partilha: Contact: Partilhe um pouco sobre o trabalho que realia hoje como formador: Pe. Pedro: Estou trabalhando na formação já alguns anos. Iniciei 1989 na Vice-província de Recife, Garanhuns, PE. Onde trabalhei na Promoção Vocacional e no Aspirantado nos anos de 1989 até 1992. Na Província de Campo Grande atuei no Postulantado, Colombo, PR, nos anos 1994 e 1995. Por 4 anos, 1998 até 2001, fui formador no Aspirantado em Ponta Grossa, PR. 18
  16. 16. Agora depois de alguns anos em trabalhos em Santuário, Curitiba e junto aos imigrantes, Newark, USA, estou novamente, desde o início deste ano como formador no Juniorato(teologia), Londrina , PR. Portanto estou trabalhando no campo formativo por 11 anos. Sou muito grato a Deus e aos meus superiores pela confiança que colocaram em mim neste ministério tão importante dentro da Congregação. Confesso que nunca pensei e desejei trabalhar como formador. Tudo começou devido as necessidades das unidades. Vendo o resultado desses anos de trabalho, posso afirmar que já me sinto realizado neste ministério. Do tempo quando trabalhei na formação na Vice- Província de Recife, foram ordenados 8 jovens e 2 irmãos. Na Província de Campo grande, sendo nas duas etapas, Aspirantado e Postulantado, foram ordenados 7 jovens. Contact: Partilhe sobre a sua vida vocacional: Pe. Pedro: Posso afirmar que minha vocação é genuinamente redentorista. Nasci em Harmonia, onde fui batizado, crismado e primeira comunhão. Na época pertencia ao Município de Tibagi, PR. Meu registro de nascimento é de Tibagi. Por isso sou tibagiano. Em Harmonia trabalhavam e ainda atuam os missionários redentoristas, vindo dos Estados Unidos. Com os meus 7,8,9 anos de idade, vendo o jeito, a alegria como eles trabalhavam e tratavam o povo me motivou a querer ser igual a eles. E daí nasceu o meu desejo de ser redentorista. E setembro de 1962, a minha família mudamos para Tibagi, PR, onde também estavam os missionários redentoristas. Eles da mesma forma, com o jeito de trabalhar e o jeito de ser deles me animou ainda mais. Logo me entrosei na Paróquia de Tibagi. E expresseia padres o desejo de me tornar um missionário redentorista. Aí entram na minha história vocacional muitos padres redentoristas.Dentre eles o Pe. Guilherme Tracy, o meu promotor 19
  17. 17. vocacional na época e grande motivador vocacional. Não posso esquecer ainda o Pe. Miguel Lundy, então Pároco de Tibagi. Fui para Seminário do Santíssimo Redentor em Ponta Grossa com 11 para 12 anos de idade. Lá fiquei até os meus 17 anos, 1970, quando pedi para sair. Desde a minha saída fiquei com a minha família, agora, num pequeno povoado, Pinheiro Sêco, Tibagi. Onde meus pais me deram muito apoio, como também dos padres de Tibagi, ainda o Pe. Guilherme Tracy (mestre de noviços) e o Pe. Geraldo Oberle, Pároco. Fiquei 6 anos fora do Seminário, onde estudei e trabalhei em Ponta Grossa. Voltei para o Seminário Santíssimo Redentor, 1977, incentivado também por outros missionários Redentoristas, e destaco aqui o saudoso Pe. Raimundo Weithman, Pároco de Telêmaco Borba, que tinha sido o meu formador quando estive no Seminário. Em 1978, fiz o Noviciado na minha querida cidade, Tibagi, a primeira da turma de noviços do Pe. Lourenço Kearns. Nos anos de 1979 – 198, os estudos de Filosofia e Teologia em Curitiba, PR. A minha ordenação foi também na acidade de Tibagi, em 1985 Sendo bispo ordenante o saudoso dom Bernardo Noker, missionário redentorista. Portanto, no dia 7 de dezembro deste ano estou celebrando os meus 25 de ordenação. Agradeço a Deus , a querida Mãe do Perpétuo Socorro, a Santo Afonso e aos meus confrades com que tive e tenho a oportunidade de conviver e ser missionário dentro da Congregação do Santíssimo Redentor. Pe. Pedro Hélio de Oliveira, C.Ss.R. Formador do Juniorato (Teologia)- Londrina 20
  18. 18. Xxix Encontro Nacional Dos Junioristas Do Brasil Porto Alegre, 2010 O encontro dos junioristas tem o intuito de pensar questões envolvendo a VIDA E A MISSÃO APOSTÓLICA dos Missionários Redentoristas, atualizando o carisma de Santo Afonso e assim formar homens novos para anunciar a boa nova frente aos desafios de nosso tempo. Um momento de fraternidade entre os membros de todas as unidades, conhecimento, troca de experiência, tendo em vista a integração e ação missionária. Esse encontro contou com a presença de Pe.Joaquim Parron, que partilhou conosco a respeito do XXIV CAPÍTULO GERAL, fazendo com que cada confrade busque o: DINAMISMO MISSIONÁRIO, A PROCLAMAÇÃO EXPLÍCITA DA PALAVRA DE DEUS, ou seja, “ANUNCIAR O EVANGELHO DE MODO SEMPRE NOVO”- S.CLEMENTE-: RENOVADA ESPERANÇA,CORAÇÕES RENOVADOS,ESTRUTURAS RENOVADAS PARA A MISSÃO. 21
  19. 19. Ir.Viveiros partindo do documento “INSTRUMENTUM LABORIS”, nos levou a refletir sobre a CONSAGRAÇÃO – UMA VIDA ESPECIALMENTE DEDICADA A DEUS, que sentido tem para nós Missionários Redentoristas a pertença a CSSR. A Formação Humana é de fundamental importância, buscando aqui ver que JESUS CRISTO é o EXEMPLO DO VERDADEIRO HUMANO, ACOLHER, SER IRMÃO, SIMPLES. Pe.Marcelo, trouxe-nos a importância da “participação e corresponsabilidade”- Quem somos? Para que somos? A quem somos enviados? Quem somos nós Redentoristas nos dias de hoje? A Identidade do Missionário Redentorista é o “ ANÚNCIO EXPLÍCITO DO EVANGELHO”- Evangelizar e Ser Evangelizado, ter a Opção pelos Pobres e Mais Abandonados, estar abertos a todas as necessidades de nosso tempo em qualquer lugar do mundo. O encontro contou com a presença de Junioristas vindo da unidade de Campo Grande (2), São Paulo (4), Porto Alegre (5), Minas Gerais (2), Goiás (2),Vice-Província do Recife (1). O encontro aconteceu dos dias 11/07 à 17/07/2010, tendo momentos de descontração, passeio, partilhas. Em assembléia dos Junioristas, já ficou definido a temática do “XXX ENCONTRO NACIONAL DOS REDENTORISTAS DO BRASIL – JUBILEU DE PÉROLA, SE REUNINDO E CRESCENDO NA FORMAÇÃO REDENTORISTA. TEMA: “30 ANOS DE HISTÓRIA: PERFIL DO NOVO REDENTORISTA”. A unidade escolhida para ser realizado o próximo encontro será a PROVINCIA DE CAMPO GRANDE. “Toda a santidade consiste em amar a Deus e todo o amor a Deus consiste em fazer a sua vontade.” (Santo Afonso Maria de Ligório) Fr. Loacir Resner Londrina,Pr 22
  20. 20. Reunião Da Comissão Nacional Das Missões Populares II Encontro Preparando o II Encontro Nacional das Equipes Missionárias Redentoristas A Comissão Nacional das Santas Missões Redentoristas, composta por um representante de cada unidade redentorista do Brasil, esteve reunida na Casa de Retiros São José em Belo Horizonte/MG, entre os dias 05 a 07 de Julho, para preparar o II Encontro Nacional das Equipes Missionárias Redentoristas, que acontecerá nos dias 07 a 11 de Fevereiro de 2011, neste mesmo local: Casa de Retiros São José em Belo Horizonte. Esta Comissão também está responsável pelos encaminhamentos da Missão Interprovincial que já está acontecendo na cidade de Itabuna/BA, onde teremos a Primeira Escola de Formação Missionária nos dias 18 e 19 de Setembro deste ano. Mais detalhes sobre esta grande Missão você poderá acompanhar em nosso Blog. http://mc.redentorista.zip.net Aproveitamos a oportunidade para estudos e reflexões acerca das mudanças provocadas pelo processo de reestruturação. É importante convidar os Leigos de nossa Província, bem como o JUMIRE, para participar deste II Encontro Nacional e partilhar um pouco de nossa caminhada em nível nacional. Agradecemos a todos pelas orações e emprenho neste trabalho missionário. Na ternura do Deus da Vida, que nos cumula de Bênçãos e de Graças, Pe. Wilson Marques, CSsR Equipe Missionária do Mato Grosso do Sul 23
  21. 21. Imagem Do Rocio Atrai 300 Mil Fiéis O Redentorista Luiz Langer em cerimônia na Catedral Metropolitana Neste sábado, dia 10 de julho de 2010, o bispo auxiliar de Curitiba, dom Ladislau Biernaski, celebrou na Catedral Metropolitana de Curitiba a missa de encerramento da Visita da Imagem Peregrina da Padroeira do Paraná, Nossa Senhora do Rocio. A cerimônia contou com a participação dos Missionários Redentoristas, que atuam em Paranaguá, sede do Santuário do Rocio. Segundo o padre Luiz Langer, responsável pelo evento, mais de 300 mil pessoas tiveram contato com a imagem peregrina nesta visita, que teve início no dia 19 de fevereiro deste ano. O Redentorista Sérgio Campos, reitor do Santuário, lembrou que “a devoção cresce a cada ano no Paraná”. Hoje mais de 160 emissoras de rádios transmitem diariamente a Consagração à Nossa Senhora do Rocio, diretamente de Paranaguá. (fonte: Gazeta do Povo, 12/07/2010, p. 8). Publicado na Gazeta do Povo em 12/07/2010 24
  22. 22. Festa De Nossa Senhora Da Guia A Paróquia Nossa Senhora da Guia, em Campo Grande, está em plena preparação para a festa da padroeira. Será uma novena de 05 a 15 de Agosto. Estão envolvidos vários confrades da província e também o Arcebispo de Campo Grande, Dom Vitório. A paróquia envolveu também grupos de cantos e ministérios de músicas de várias paróquias, inclusive o Ministério “Alegrai- vos”, de Aquidauana. Serão 10 dias de celebração, fé, encontro e fraternidade. No dia 14, sábado, a paróquia fará também um encontro vocacional para os jovens conhecerem mais ainda a história e o carisma redentorista. Para acompanhar a programação completa, acesse o site: www.nossasenhoradaguia.com.br Jumire Assume Comunidade O JUMIRE da Paróquia Nossa Senhora da Guia assume, a partir do dia 1º de Agosto, Festa de Santo Afonso, uma grande missão no Bairro Colorado, onde está a Capela São Clemente. É uma das comunidades mais simples e com maior carência de lideranças. Os jovens ficarão, durante seis meses, animando a comunidade, visitando todas as famílias, fazendo “arrastões”, panfletagens, motivando as famílias a voltarem para a Igreja. Outro aspecto fundamental nessa missão é formarem novas lideranças na comunidade. Essa é uma nova experiência na paróquia. São 32 jovens que aceitaram o desafio de levar a mensagem de Jesus de um jeito novo, dinâmico e criativo. É tempo de missão. Que o Espírito Santo os conduza e fortaleça da mesma forma que conduziu e fortaleceu Santo Afonso e São Clemente. Que seja um tempo de graça a paz. 25
  23. 23. Pe. Joseph W. Tobin, C.Ss.R. nomeado Secretário da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica com o posto de Arcebispo Titular de Obba. Em 2 de agosto de 2010 o Santo Padre nomeou o Pe. Joseph William Tobin, C.Ss.R., Superior Geral Emérito e membro da Província de Denver, como Secretário da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica com o posto de Arcebispo. Em breve daremos detalhes sobre sua ordenação episcopal. Padre Tobin nasceu em Detroit, Michigan, EUA em 3 de maio de 1952. Ele é o primeiro dos 13 filhos de José (falecido) e Maria Teresa Tobin. Padre Tobin foi batizado na paróquia redentorista do Santíssimo Redentor, que ele freqüentou antes de ingressar no seminário menor redentorista, no outono de 1966. Entrou no noviciado em julho de 1972 e em 5 de agosto de 1973 fez sua profissão temporária. Cursou filosofia no Colégio Santíssimo Redentor, de Waterford, Wisconsin, e teologia no Seminário Mount St. Alphonsus em Esopus, NY, EUA. Obteve o mestrado em educação religiosa no Instituto Divinity. Padre Tobin fez a profissão perpétua em 21 de agosto de 1976 e foi ordenado sacerdote em 1 de junho de 1978. Padre Tobin fala inglês, espanhol, italiano, francês e português. De 1979 a 1990 trabalhou primeiro como vigário paroquial e depois como pároco da Paróquia do Santíssimo Redentor, em Detroit, Michigan - a paróquia da sua juventude. Também serviu a Igreja local como vigário episcopal e juiz do tribunal metropolitano. 26
  24. 24. Em 1990 foi nomeado pároco da Igreja Santo Afonso, em Chicago, Illinois. Ambos os trabalhos incluíram um extenso ministério entre os fiéis de língua espanhola. Em 1991, foi eleito pelo XXI Capítulo Geral, em Itaici, Brasil, como Conselheiro Geral do então Superior Geral, Pe. Juan Manual Lasso de la Vega, transferindo-se para Roma. Em 1997, o XXII Capítulo Geral, celebrado em West End, New Jersey, EUA, elegeu o Pe. Tobin como Superior Geral, e ele foi reeleito pelo XXIII Capítulo Geral, em 2003, realizado em Roma. Durante seu ministério como Superior Geral, a União dos Superiores Gerais (USG), duas vezes elegeu-o como seu Vice-Presidente. Ele também foi escolhido para ser membro de cinco Sínodos dos Bispos (1998, 1999, 2001, 2005 e 2008). Em junho deste ano, o Santo Padre pediu ao Padre Tobin para ser um dos dois visitadores apostólicos das ordens religiosas masculinas na Irlanda, para ajudar a Igreja da Irlanda na questão dos escândalos de abuso sexual. Padre Tobin sucede como Secretário da Congregação IVCSVA ao Arcebispo Gianfranco Agostino Gardin, OFM Conv., o qual foi nomeado Ordinário da diocese de Trevino, Itália, em 18 de dezembro de 2009. (Dom Gardin, aliás, é Doutor em Teologia Moral pela Academia Alfonsiana.) O atual Prefeito da Congregação para os Religiosos é o Cardeal Frank Rodé, CM (Congregação da Missão), natural da Eslovênia. A Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica (Congregatio pro Institutis Vitae Consecratae et Societatibus Vitae Apostolicae ) é a Congregação da Cúria Romana responsável por tudo que diz respeito aos Institutos de vida consagrada (ordens e congregações religiosas, tanto masculinas como femininas e institutos seculares) e as Sociedades de Vida Apostólica quanto a seu governo, disciplina, estudos, bens, direitos e privilégios. A Congregação para os IVCSVA tem suas origens na "Sagrada Congregação para as Consultas sobre os Regulares", instituída pelo Papa Sixto V em 27 de maio de 1586. Seu nome foi mudado em 1908 para a 27
  25. 25. Congregação dos Assuntos Religiosos; foi mudado novamente para Congregação para os Religiosos e Institutos Seculares, em 1967, pelo Papa Paulo VI e, finalmente, recebeu seu nome atual do Papa João Paulo II em 1988. Padre Michael Brehl, sucessor do padre Tobin como Superior Geral, expressou assim a reação da Congregação Redentorista: "Os Redentoristas muito se orgulham do Padre Joseph Tobin no momento em que ele aceita esta nova missão. Ele serviu muito bem a nossa Congregação e a Igreja como nosso Superior Geral. Esta nomeação levará os seus dons e sua experiência para o serviço de todos os Religiosos sacerdotes, irmãos e irmãs. Seu amor a Deus e ao povo de Deus, e sobretudo o seu amor aos pobres e abandonados, será o centro do seu ministério." SCALA Boletim Redentorista Reportagem Especial A evangelização “Testemunhas do Evangelho da graça de Deus (cf. At 20,24), os Redentoristas proclamam, antes de tudo, a sublime vocação do homem e do gênero humano. Sabem que todos os homens são pecadores, mas sabem igualmente que esses mesmos homens já foram de um modo mais profundo escolhidos, salvos e reunidos em Cristo (cf. Rm 8,29ss.) Empenhar-se-ão, pois, em ir ao encontro do Senhor onde Ele já está presente e atua com seu modo misterioso.” Constituição 7 28
  26. 26. Festa Do Divino Em Guaratuba Redentoristas motivam a devoção e a vivência comunitária No dia 16 de julho, numa Missa presidida pelo bispo de Paranaguá, Dom João A. dos Santos, e concelebrada por vários Redentoristas, deu-se a abertura da Festa do Divino 2010 em Guaratuba, tendo como tema: “Espírito Santo iluminai e abençoai o Povo de Deus”. Uma grande multidão acompanhou a missa de abertura, tendo como casal festeiro Enéas e Vânia Marcondes, e concelebrada pelos confrades: Miguel Nascimento, Vicente Gomes, Joaquim Parron, Antonio Mello e Ademar Maia. O pregador do novenário foi padre Vicente Gomes que motivou a comunidade a vivenciar a dimensão comunitária da fé cristã. Padre Miguelito destacou que tanto a parte cultural como a parte espiritual (novenário) tiveram uma grande participação do povo de Guaratuba e também de pessoas que vieram de outras regiões. Parabéns aos Redentoristas de Guaratuba por este evento! Comunidade de Trabalho Cada um, conforme disposição do Superior competente, de acordo com a própria aptidão e talento, assumirá a parte dos trabalhos da comunidade e os encargos exigidos pela vocação missionária. Pois, o cumprimento da própria missão constitui a parte principal da observância religiosa. Constituição 39 29
  27. 27. Quando Deus Responde Às Nossas Orações? “PEDI E RECEBEREIS, BUSCAI... PORQUE TODO AQUELE QUE PEDE, RECEBE; E QUEM BUSCA, ACHA; E AO QUE CHAMA, ABRIR-SE-Á (MT 7, 7-8). A maioria de nós ora num tempo ou no outro. E ainda, muitos cristãos sentem que suas orações não têm resposta. Como sentiríamos se todas as nossas orações fossem respondidas? Deus sempre atua em relação à oração. Suas respostas podem ser “não”, “espera” ou “sim”. Jesus respondeu aos pedidos de outros. Lemos no relato de Jo 11 acerca de Jesus quando foi ao túmulo de Lázaro, morto há quatro dias. Ele orou e chamou Lázaro para fora do túmulo e isto se fez. Aquela foi uma resposta a uma oração grande e poderosa. E Deus pode responder a nossas orações se elas forem grande como uma montanha ou tão pequena como as que fazemos. Podemos mencionar muitos passos para conseguir respostas às orações, mas fixemo-nos em três passos que, se forem seguidos realmente em nossas orações, farão que nossas orações sejam respondidas: 1. Deus responde à oração quando somos persistentes. Isto significa que devemos orar sobre um pedido mais de uma vez? Sim. Muito frequentemente deixamos de orar, sem insistir uma segunda, terceira ou mais vezes. Em Mt 7, 7-8, Jesus disse radicalmente: “Pedi e vos será dado; procurai, e encontrareis; batei, e se abrirá para vós. De fato, todo o que pede, recebe; quem procura, encontra; a quem bate se abrirá”(TEB). 30
  28. 28. 2. Persistir com seriedade. Necessitamos persistir na oração para mostrar que realmente somos sérios com os nossos pedidos. No texto paralelo de Lucas 11, 5-8, Jesus nos fala de “um homem que vai a seu vizinho no meio da noite para pedir-lhe três pães emprestados, porque um de seus amigos chegou de viagem em sua casa e ele não tem nada para lhe oferecer. Se o outro, lá de dentro da casa, lhe responder: Não me aborreças! Agora a porta está fechada; meus filhos e eu estamos deitados; eu não posso levantar-me para te dar o pão, eu vos digo: mesmo que ele não se levante para lho dar por ser seu amigo, pois bem, porque o outro não tem vergonha, ele se levantará para lhe dar tudo o que lhe é preciso” (TEB). Devido a insistência do homem, o vizinho se levanta e lhe dá os pães. E Jesus disse que se continuarmos clamando a Deus, Ele responderá. 3. Persistir apesar dos obstáculos. Necessitamos persistir na oração para vencer os obstáculos que podem estar no caminho das respostas. Tenhamos em mente isso: “Peça, busque, procure”. DEUS RESPONDE À ORAÇÃO QUANDO SOLUCIONAMOS O PROBLEMA DO PECADO a) O pecado da dúvida. b) O pecado do orgulho (falta de humildade, arrogância, prepotência) c) O pecado da impureza. d) O pecado de não perdoar. PERDOAR, CURAR, RESTAURAR, RENOVAR... Resolvi me dedicar à reflexão acerca do perdão, porque sei que este é um tema muito oportuno e porque os problemas que enfrentamos nas comunidades religiosas e no seminário são justamente devido à falta de 31
  29. 29. perdão. Ouvi de um dos seminaristas que não quer perdoar a um de seus colegas e, mesmo que ele cresça e mude radicalmente de vida, jamais confiará no mesmo e jamais será seu amigo. É muito triste isso. Se não corrigirmos agora, o que acontecerá no futuro se o mesmo perseverar? Por que essa atitude? É falta de Deus mesmo, porque o perdão vem de Deus. Existem recordações, situações, acontecimentos, pessoas que, mais que cicatrizes, têm deixado feridas na alma e se convertem em pedra no sapato que não nos deixa avançar, pois dói e lastima cada vez que tentamos caminhar... é necessário aprender a perdoar. Em que consiste o perdão?... é o remédio que cura a dor da alma, é o sentimento que devolve a esperança, é o milagre que renova ou restauras, é a magia que nos permite recordar sem sofrer, e muitas vezes esquecer aquilo que tanto nos fez chorar, nos roubou a fé no amor, na amizade, em Deus... Recordo, quando durante o CETESP, minha orientadora espiritual disse: parece loucura, mas você precisa perdoar a Deus, não porque haja feito algum mal... senão por aquilo, pelo qual o culpamos: enfermidades, acidentes, consequências dos erros da humanidade, etc. que nos impedem encontrar a paz. Devemos aprender com Ele. Fazemos de nossa oração um muro de lamentações, nos afastamos dEle porque não conseguimos entender ou discernir qual é sua vontade, o culpamos pelos erros dos outros... Para poder renovar nosso interior, é preciso se libertar de toda culpa a Deus, aprender a descobrir e experimentar seu imenso amor e encontrar nele a cura interior. 32
  30. 30. Custa-nos reconhecer que é a nós mesmos que devemos perdoar, porque nos culpamos de muitas das coisas que se passam ao nosso redor; julgamos muito severamente nossos erros, nos atormentamos pelo que deixamos de fazer ou fizemos mal. Ficamos estancados no passado sem poder avançar, negando-nos a oportunidade de começar de novo, libertar-nos, restaurar, renovar...Perdoar- nos é ser capazes de aceitar e indultar nossa própria humanidade, passar a folha, atrevermos a escrever um novo capítulo de nossa história pessoal. Para encontrar a paz da alma, falta perdoar aos demais: a palavra que doeu, a traição que golpeou, a ação que a vida destroçou, o abandono que deixou vazios internos, a omissão, a indiferença, o cansaço, a fragilidade humana do outro... Perdoar ao outro é libertar-nos de sentimentos que causam muita dor, porque nos envolvem em fatos que já se passaram, em tormentas que cessaram, em dilúvios e terremotos que ainda que não tenhamos esquecido, nosso coração segue batendo e por isso temos a oportunidade de seguir vivendo, restaurando o que está destruído, renovando o coração ferido e devolvendo a fé e a paz que havíamos perdido. O perdão sai de nós mesmos, com a graça de Deus, pois é divino. Sai de nossa capacidade de amar, de voltar e de recomeçar. O aprender perdoar surge dessa experiência que temos de Deus Pai e de Jesus Cristo, que nos ensinou a perdoar, pagando nossas dívidas, libertando-nos de toda culpa, dando-nos uma nova vida no amor que diariamente nos manifesta na cruz que, ainda que não aceitemos, nos redime e nos liberta. Perdoar é começar de novo, amar com tanta intensidade para que façamos do perdão o milagre que restaura nossa vida, devolve a paz e a esperança perdidas e nos enche de força e fé para fazer que nossos sonhos se tornem realidade. 33
  31. 31. Somos convidados a rever nosso interior e pensar: Que me falta para perdoar? Que me impede de perdoar? Que me impede de avançar? Estou pronto para começar de novo, reparar, restaurar, renovar? Só Deus nos dá a capacidade de perdoar. Muitos dos problemas que nos afligem, sobretudo, no que se refere ao relacionamento humano, quer na família, quer na comunidade religiosa ou seminário vêm de nossa incapacidade de perdoar, que é um fato, mil vezes comprovado. Não vou negar que na história isto tenha sido sempre um problema. Mas não vamos nos enganar tampouco que hoje parece que custa, mais que nunca, perdoar. Desde a perspectiva puramente humana, é impossível perdoar, porque, como já vimos, o perdão é divino. Somos muito débeis, quando a situação pede perdão. Nesse caso, temos que recorrer ao nosso interior, muitas vezes, confuso, que luta entre o sim e o não da ofensa, que dá mil voltas sobre os porquês do assunto, e facilmente queremos fugir da culpa, porque nossa soberba não admite danos, e ao final nunca encontra, tampouco, uma razão poderosa para pedir perdão ou perdoar, porque o tema não tem nenhuma importância, ou nos vemos, em todo caso, como parte do problema e não causadores do mal... É impossível o perdão desde determinantes naturais. Não se conhece essa virtude profunda mais que no Antigo Testamento, onde o povo de Deus pede, com freqüência, perdão por seus pecados. No Novo Testamento percebemos que não podemos ser perdoados por Deus, se não nos perdoamos antes. Condição, pois, para o amor cristão de nosso Deus, é que perdoemo-nos mutuamente, como irmãos. Quem não perdoa, se dana a si mesmo. 34
  32. 32. Perdoar é decidir perdoar. A ofensa não se apagará da memória, mas não devemos viver no ressentimento, e, sim, na paz. A partir do momento em que aprendemos a perdoar, a viver sem ressentimentos, nos encaminharemos à felicidade desejada. O ensinamento de Jesus sobre o perdão, podemos entre muitos textos, encontrar em Lucas, onde nos diz que o perdão vem depois do arrependimento: “Se teu irmão vier a te ofender, repreende-o; e se ele se arrepender, perdoa-o. e se ele te ofender sete vezes por dia e sete vezes voltar a ti, dizendo: ‘Eu me arrependo”, tu o perdoarás” (TEB – Lc 17, 3-4). Jesus é claro; devemos perdoar sempre que nos peçam perdão. Também há uma passagem em que Pedro se aproxima de Jesus e lhe pergunta: “Senhor, quando o meu irmão cometer uma falta a meu respeito, quantas vezes lhe hei de perdoar? Até sete vezes? Jesus lhe disse: Eu não digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes” (TEB- Mt 18, 21-22). Entendemos assim que o perdão é um dom de Deus e uma decisão humana, por isso nossa disposição ao perdão deve ser plena, e se deve buscar a força de Deus nos sacramentos da Igreja. Quando uma pessoa é rejeitada ao querer reconciliar-se, é importante que não se desanime. Se tivermos amado de verdade, conhecemos a dor de uma relação machucada, mas também o gozo da reconciliação quando se superam as diferenças. Uma das verdades mais duras que devemos enfrentar é o fato de que não podemos obrigar a ninguém que nos ame. Uma das verdades mais libertadoras é que ninguém tem o poder de impedir que amemos a aquele (a) com quem não conseguimos fazer as pazes. E isso é tudo o que Deus nos chama a fazer: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei, também amai-vos uns aos outros. Eis o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (TEB – Jo 13, 34; 15, 12). Nesses momentos, quando nossos melhores esforços por amar são rejeitados, temos 35
  33. 33. a oportunidade de compartilhar os sofrimentos de Nosso Senhor, experimentar sua dor e seu implacável desejo de reconciliação. Alimentemos a confiança na infinita bondade de Deus, que quer nos perdoar. Vivamos em plenitude a alegria de haver recebido o perdão de Deus, que gosta de perdoar e de esquecer os pecados de seus filhos. Peçamos a Ele que nos dê o desejo de perdoar. Deste modo, estamos comprometidos a levar uma vida que deve ser testemunho, que motive aos demais a ir até Deus, para que todos cheguem ao Reino de Deus, reino de justiça e de paz, da verdade e do amor. Mãe do Perpétuo Socorro leve-nos a seu Filho para que aprendamos dEle a lição do perdão! Pe. Antonio Carlos de Mello, CSsR Curitiba, 27 de junho de 2010. Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro A missão de Cristo Redentor, razão da dedicação Separados para a obra à qual foram chamados (At 13,2), os Redentoristas estão prontos a ser fiéis à vocação por toda a sua vida, a renunciar a si mesmos e a tudo o que possuem, a fim de se tornarem discípulos de Cristo e se fazerem tudo para todos (cf. 1Cor 9,22). Constituição 49 36
  34. 34. Tu és Sacerdote para sempre “Tu és sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedeque.” (Salmo 110, 4; Hebreus 5, 6) Mês de Agosto celebramos as várias vocações. Na nossa Província iniciamos o mês nos alegrando com a Ordenação Diaconal do Edilei. No dia 07 de julho de 2010, pela graça de Deus, completei nove anos de sacerdócio. Uma vocação desenvolvida, até então, entre a direção da rádio Difusora, Santuário do Rocio, Equipe Missionária e Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Curitiba. Nove anos de muitas realizações, alguns pecados, várias conversões, experiências fortes e graças. Partilho um pouco do que tenho refletido sobre o sacerdócio. O QUE É O SACERDÓCIO O Santo Cura d’Ars afirmava que o mistério sacerdotal é imenso e somente no céu será completamente entendido. Mas, podemos começar dizendo que sacerdócio é uma vocação. Quando alguém, apesar de todos os sacrifícios, se dispõe a assumir sua vocação, seja qual for, encontra novos motivos para viver, renova o ânimo e se agigante diante dos obstáculos e dificuldades. Pessoas sem consciência da vocação são pessoas de “futuro morto”, sem sentido, sem motivação, tipo “caso perdido”. O papa Paulo VI, numa audiência em Roma, disse que o sacerdote é outro Cristo. Ser outro Cristo significa que a postura, a fala, o sorriso e as ações sacerdotais precisam coincidir com as de Cristo. É Jesus quem julga e age no sacerdote. O sacerdote atua não em seu nome, mas na pessoa de Cristo (in persona Christi). Quando atende confissão diz: “eu te absolvo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Não diz que Cristo absolve, pois o sacerdote é a pessoa de Cristo no Sacramento. 37
  35. 35. É o Cristo que, num gesto de benignidade, ergue sua mão misericordiosa para perdoar ao que humildemente vem pedir perdão. Deus impôs as mãos sobre o sacerdote e quer que elas se tornem suas no mundo. Quando as mãos sacerdotais foram ungidas com óleo é porque as destinou ao serviço do mundo. Deus chama o sacerdote porque quer servi-se dos seus lábios, mãos, espírito e talento. Sacerdócio é uma ponte que liga duas margens: vida terrena e eterna. Suporta o peso de todos os que passam por ela. Resistência e solidez precisam ser as virtudes da ponte. É avaliada não pela beleza, mas, sobretudo, pela capacidade de serviço e bem que faz. A ponte é um instrumento de passagem, pois ninguém mora numa ponte. Usa-se para passar, e depois a deixa para trás. Quase sempre fica no esquecimento, sendo lembrada somente quando novamente for necessária. Pelo seu valor, numa guerra, a ponte é a primeira coisa a ser bombardeada e destruída por isso o mundo tem muitas pontes destruídas. Sacerdócio é canal da graça divina. Encontramos isso nos Atos dos Apóstolos e Cartas de São Paulo. A primeira missão do sacerdote é deixar a graça de Deus agir nele. Uma ponte, para ajudar precisa antes ser forte e resistente. Só após ser fortalecido o padre pode pregar o Evangelho do Reino, anunciar a palavra, oferecer dons da comunidade e renovar o povo de Deus em sua fé. Torna-se aquele que apresenta sua humanidade a Deus, mas também apresenta Deus à humanidade. Deus passa pelo sacerdócio e o sacerdócio passa por Deus. Santo Afonso, no livro “Selva”, diz que na consagração o Verbo encarnado vem pelas suas mãos no pão e vinho, em total obediência. Obediente, Deus fez o sol parar quando Josué pediu: “Sol! Fica imóvel diante de Gabaon”. E o sol deteve-se no céu. Às poucas palavras do padre, Deus vem ao altar, ou em qualquer lugar que o chame, e se põe entre suas mãos. Deus se coloca à disposição do 38
  36. 36. padre, que pode transportá-lo à sua vontade de um lugar para outro, encerrá- lo no sacrário, expô-lo no altar, ou ministrá-lo aos outros. Todo sacerdote recebe de Deus as chaves que podem levar o pecador ao céu ou jogá-lo no inferno (cf. Sto. Afonso). Deus confirma tudo que o sacerdote liga ou desliga na terra. O sacerdócio é um peregrinar com Deus. A exemplo de Moisés, que precisou descalçar as sandálias diante da sarça ardente, o padre, mais do que ninguém, é chamado a descalçar as sandálias das paixões humanas e deixar- se guiar pela mística divina, como peregrino no mundo. Nele se perpetua a presença de Deus na história. Ele é chamado a fazer de sua voz e olhar, a voz e o olhar de Deus; de suas mãos, mãos que abençoam, curam e aliviam a dor dos que sofrem sob o peso dos pecados. SACERDÓCIO E POVO DE DEUS O povo tem grande estima pelos padres e até entendem a diferença que há entre um e outro. Sabem claramente quando busca a santidade ou não. Sabe se é testemunho de vida e reconhece seu trabalho missionário e criatividade pastoral. Alguém me disse: “há padres de todos os jeitos. São como médicos, alguns atendem bem a gente, outros mal. Alguns nos curam, outros nos deixam mais doentes ainda. Nós, em nossa ignorância, buscamos os que nos fazem bem. Se são ruins, nunca nos farão bem”. Como padre, sei que preciso dar testemunho de vida feliz, alegre, entusiástica e de santidade na seara do Senhor. O sacerdote será Bom Pastor na medida que estiver próximo de Jesus – com Ele, por Ele e Nele. Não há sacerdócio cristão sem Jesus, sem Igreja e sem mundo. É no Encontro com Jesus, vivendo na Igreja e agindo no mundo que o sacerdócio acontece. Povo reunido é Igreja. Sem sacerdote, não há Eucaristia e, sem Eucaristia, não há Igreja. O teólogo francês, Henri de Lubac (1896-1991), 39
  37. 37. afirmava que a “Eucaristia edifica a Igreja”. Com certeza, o sacerdócio edifica a Igreja. O caminho inverso também é verdadeiro. Se alguém quiser destruir a Igreja, tentará fazê-lo começando pela destruição do sacerdócio. As tentações não tiram férias, e buscam, a todo momento, macular a imagem da Igreja através do padre. O número insuficiente de sacerdotes tem atrapalhado a realização regular da celebração Eucarística em muitas comunidades. Quanto menos vivência eucarística, menos a Igreja se faz. Muitos sacerdotes carecem de espírito missionário, inclusive em sua formação. Pensa-se muito na formação sacerdotal voltada para a administração paroquial e se esquece de ajudar formandos e sacerdotes a serem discípulos de Jesus. “É oportuno indicar a complementaridade entre a formação iniciada no Seminário e o processo de formação permanente” (DAp, 2007, n.326). Por falta disso, muitas pessoas vivem e morrem sem assistência da Igreja, à qual pertencem pelo batismo. Muitas pastorais ficam sem assistência espiritual. Leigos de boa vontade tentam levar adiante, mas desanimam e o Reino de Deus acaba por ser protelado. Mas, não se pode esquecer que os leigos tem parte importante na santificação do sacerdote, assim como o sacerdote trabalha pela santificação do leigo. Enfim, trago comigo a frase de nosso divino Redentor, dirigida a Pedro: "Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?... Apascenta os meus cordeiros, apascenta as minhas ovelhas" (Jo 21,15.17). Do mesmo modo, Pedro disse a todos do seu tempo: "Guiai o rebanho de Deus, que está entre vós, tende cuidado dele, tornando-vos sinceramente exemplares do rebanho" (1Pd 5,2.3). Na paz do Cristo, Eterno Sacerdote! Pe. Gelson Luiz Mikuszka, C.Ss.R 40
  38. 38. Candidatos ao sacerdócio precisam saber viver em comunidade, diz padre Guy O missionário canadense, padre Guy Labonté, radicado no Brasil há vários anos, disse que os seminaristas que se preparam para ser padres precisam assumir a vida de comunidade. “Assumir as exigências da vida comunitária é indispensável para os candidatos ao sacerdócio”, disse o missionário, ex- secretário do Centro Cultural Missionário da CNBB e, atualmente, atuando em Manaus (AM). Padre Guy foi o conferencista desta terça-feira, 6, no 1º Congresso Missionário Nacional de Seminarista, que começou domingo, 4, no Seminário Nossa Senhora de Fátima, da Arquidiocese de Brasília, na capital federal. O evento reúne 160 seminaristas de todo o Brasil, além de formadores. Promovido pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) e Centro Cultural Missionário (CCM), juntamente com as Comissões da CNBB para os Ministérios Ordenados e para a Animação Missionária, o Congresso reflete sobre a formação missionária dos seminaristas. Padre Guy discorreu sobre a formação do padre em sua preparação para a vida de comunidade. “O sentido da vida e da missão do presbítero é determinado pela qualidade e profundidade da sua experiência de comunhão”, disse. Segundo o missionário, a experiência de vida em comunidade deve ser aprofundada no presbitério (conjunto dos padres que pertencem a uma diocese) “para reavivar sempre no coração do presbítero a razão de sua consagração e lhe oferecer o suporte afetivo para o árduo e, muitas vezes, solitário, serviço pastoral”. 41
  39. 39. De acordo com padre Guy, a vida em comunidade traz muitos benefícios para as pessoas. “A comunidade é espaço de crescimento e amadurecimento humano-afetivo; de fraternidade; de diálogo; de respeito às diferenças”, destaca. “O seminarista deve cultivar a capacidade de conviver e integrar-se em comunidade; assumir responsabilidades; trabalhar em equipe; ser solidário; valorizar o trabalho do outro e escutar atentamente o outro”, recorda padre Guy. Lembrando a vocação missionária dos seminaristas, padre Guy enumera quatro atitudes que devem marcar a vida do futuro padre. “Estar alegremente disponível a serviço da missão que a Igreja lhe confiar; ter a certeza de que se consagra para a missão para a construção do Reino do Senhor; aceitar os vários carismas dentro da comunidade presbiteral e saber relacionar-se com as pessoas”, aponta. O Congresso prossegue até sábado, 10. Na tarde de hoje, os participantes trabalham em grupo o tema refletido pela manhã. Na quarta-feira, 7, o indiano padre Joachim Andrade faz a conferência do dia que traz como tema a dimensão espiritual na formação dos seminaristas. (fonte: www.cnbb.org.br, 06/julho/2010). A comunidade de pessoas A comunidade deve promover o desenvolvimento das pessoas, incentivar as relações interpessoais e constituir a verdadeira fraternidade. Isso exige máxima estima pelas pessoas, por seus valores e qualidades, e que se favoreça o crescimento da maturidade e da responsabilidade de todos os confrades, dando-lhes oportunidade de tomar decisões pessoais. Constituição 36 42
  40. 40. Um pouco da historia da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Londrina A Província Redentorista de Campo Grande tinha um sonho de assumir um trabalho pastoral na cidade de Londrina PR, quando era Arcebispo, Dom Albano Cavilin, chegou a oferecer uma paróquia, mas não se concretizou. O tempo foi passando e parecia estar distante a concretização deste sonho! Mas tudo estava nos planos de Deus. O ano de 2008 assumimos a Paróquia São Luiz Gonzaga, sob a responsabilidade do Pe. Agenor Martins CSsR e Pe. Pedro Aguiar CSsR, que tornaram esta paróquia toda Missionária, e muito Redentorista, criando duas comunidades com os nomes de nossos Santos Redentoristas, São Clemente e São Geraldo. Quis a Providencia Divina, nos encaminhar também a Paróquia Nossa senhora do Perpétuo Socorro, que fica nas proximidades da Rodoviária, ao lado do “Marco Zero”, local onde nasceu Londrina; uma paróquia que esta completando este ano 43 anos de Paroquiato. O início desta paróquia, deu-se com a primeira missa realizada em 12/06/1964 celebrada por Frei Nereu do Vale , que era Capuchinho, auxiliado pelo Sr. Izaú, leigo que deu inicio a todo trabalho nesta paróquia.. E em 05/01/1968 o primeiro Bispo de Londrina Dom Geraldo Fernandes, nomeou como primeiro pároco, o RVm º Pe. Brás Bruginara, da Congregação dos Padres de Schoenstat. Constando nesta mesma data, a fundação da Vila Fraternidde, que leva o nome desta vila ate os dias de hoje. Esta Paróquia esteve aos cuidados desta Congregação, durante 21 anos, ou seja ate os anos 1989. 43
  41. 41. Assumindo a Paróquia o RVm º José Luiz Mour SCJ, que ficou por um período curto. Assumindo depois o Clero diocesano, dos anos 1990 ate 1996, com os padres: RVmsº Pe Limeira e Pe. Sebastião. Assumindo no ano de 1996 a 1999 Congregação Missionária dos Padres Xaverianos, na pessoa do RVmº Pe. Jair Ferreira Julião. E em 1999 assume novamente a Paróquia os Padres de Schoestat, na pessoa do Pe. Carlos Shimura, permanecendo na paróquia ate os anos de 2002. E em maio de 2002, assume esta paróquia a Congregação do PIME, na pessoa do Rvmº Pe. Ângelo Villa, que conduziu a paróquia ate o ano de 2009. E no dia 24 de junho de 2009, assumiu esta Paróquia a Congregação do Santíssimo Redentor, Província de Campo Grande, tendo como primeiro pároco, o RVmº Pe. Marcelo das Graças Pereira CSsR, que tomou posse em missa presidida pelo Arcebispo de Londrina Dom Orlando Brandes, o Superior Provincial , padres diocesanos e confrades. Foi entronizado solenemente nesta data o ícone vindo de Roma, enviado a nós, pelo Pe. Alfeu. Estamos celebrando um ano deste acontecimento, e de trabalho Redentorista nesta Paróquia, gostaríamos de agradecer o grande empenho do Pe. Agenor Martins CSsR, que muito dedicou para assumirmos esta paróquia, se hoje estamos aqui, muito devemos a sua dedicação, em dialogar com a Província, com o PIME, e com Dom Orlando, agradecemos também aos padres : Pe. Pedro Hélio de Oliveira CSsR , Pe. Pedro Aguiar CSsR, e aos padres que nos ajudaram nos finais de semana. Esta paróquia sempre esteve aos cuidados de Congregações Missionárias, então pode-se dizer que ela é Missionária de nascimento, nasceu em um local muito simples, onde muitos de seus moradores tiveram vergonha de dizer que moravam aqui e que pertenciam a vila fraternidade, local de muita prostituição e drogas. Hoje a Paróquia tem uma realidade de cidade grande, com seus desafios e novidades, com um trabalho bonito deixado por nossos antecessores, que deixaram suas marcas indeléveis aqui, e lembrados com 44
  42. 42. saudades pelo povo, sacerdotes santos como o Primeiro Pároco, Pe. Braz que batizou e Casou quase todos os Paroquianos, dizem que ele chegava na casa dos paroquianos na hora do almoço,e se convidava para a refeição, trajava quase sempre um terno cinza e tinha um fusca para sua locomoção, fundou a Legião de Maria. Lembranças do querido Pe. Limeira, dinânico, amigo da juventude, e foi quem construiu a nova Igreja Matriz; com muito sacrifícios e festas para arrecadar fundos para construção. Deve-se ao Pe. Jair (Missionário Xaveriano), a criação das Pastorais, e exigência para o andamento das mesmas, criação dos Conselhos. Mas a grande marca, que ficara nos escritos e na mente desta paróquia esta na pessoa do Pe. Ângelo Villa , que com seu estilo bem italiano, trouxe uma espiritualidade grande para este povo, com celebrações diárias e atendimento paroquial, adquiriu vários bens para a paróquia, dentre estes a Casa paroquial, onde residimos hoje. A ele devemos também a construção da única capela dedicada a Santo Alberico , (primeiro Martir do PIME na China) que fica nas proximidades da Casa paroquial. Reformou a Igreja matriz e lhe deu um bom decoro, sacerdote exímio, mesmo com as limitações de saúde, esteve á frente desta paróquia por um período de sete anos, muito dedicado, queria construir um salão paroquial com salas de Catequese, fundou o “projeto Dom Bosco” com objetivo, tirar crianças da rua e terem acompanhamento escolar. Gostaria de destacar, a alegria e desejo do Pe. Ângelo, de que esta paróquia fosse entregue pelo PIME, que ela fosse entregue aos Missionários Redentoristas. Já se passou um ano que estamos aqui na Paróquia, podemos render graças a Deus, por tudo que esta acontecendo aqui, pois estamos em um trabalho muito Redentorista, primeiro, nosso compromisso de tornar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro mais conhecida e amada, através das Novenas e pregações Marianas, com leituras das cartas enviadas pelo Santuário de Curitiba. 45
  43. 43. Apoio a Catequese, as pastorais e Movimentos já existentes; apoio e incentivo a formação de Novos Grupos de Reflexão, Missas nos setores, Através das Missas do santíssimo, realizadas quinzenalmente, com participação da RCC de Londrina, da Criação da Pastoral Familiar, atendimento pessoal, almoço nas Famílias, Projeto de Construção do “Centro Catequético Pe. Brás”, Formação de um Grupo de Jovens. E para uma atualização do nosso Carisma, já fazendo parte da refundação, tão falada na Congregação, e na Província, nosso trabalho realizado com a AMIREV (Associação Missionária Recuperando Vidas) Chácara de Recuperação, Comunidade Terapêutica. Enfim estamos tentando, continuar todo o ardor missionário, já encontrado aqui, fazendo nosso Fundador Santo Afonso, os Beatos e Santos Redentoristas Conhecidos, colocando nosso jeito Redentorista. Para isso estamos vivendo as Missões Redentoristas, que tem nos ajudado a viver mais próximos da Comunidade, conhecendo nossa realidade, e querendo levar a Copiosa Redenção aos desanimados. E nesta data memorável de 27 de junho de 2010, quando comemoramos os 43 anos da vida desta paróquia agora Redentorista, concluímos a 3º fase das Santas Missões Redentoristas, trabalho assumido pelas duas equipes Missionárias nossas, de Mato Grosso e Paraná, levantamos o Santo Cruzeiro, para que fique registrado para a posteridade, a marca forte de nosso Carisma Redentorista, de Levar a Copiosa Redenção a todos! durante as Santas Missões esteve conosco nosso Pastor Dom Orlando Brandis, que enalteceu nosso trabalho Redentorista bem vivido em sua Arquidiocese. Pe. Marcelo CSsR. 46
  44. 44. Aniversariantes do mês de Agosto Pe. Agenor Martins Pe. Charles Coury Pe. Ademar Pe. Roque 03/08 06/08 08/08 16/08 Ir. Hélio Nunes Pe. Lourenço Pe. Marcus Vinícius Pe. Rodrigo 20/08 21/08 22/08 23/03 Aos Confrades Parabéns! 47

×