Aula 1    TECTÔNICA DE PLACAS E     MEGA-ESTRUTURAS DA           CROSTAAula baseada no livroUnderstanding Earth (3a edição...
ESTUDO DAS PAISAGENS -GEOMORFOLOGIA Estudo sistemático das formas de relevo, baseando-se nas características que lhes dete...
Paisagens, morfoestrutura emorfotectônicaUm método: refletir sobre aquilo que vemos para “enxergar”  aquilo que não vemos....
Estudos de macrogeomorfologia /morfotectônica  A maior parte das estruturas morfológicas  espetaculares da crosta terrestr...
PLACAS TECTÔNICASConceito fundamental nas GeociênciasIntegrada a partir de vários ramos dasgeociênciasInicialmente sugerid...
Mosaico das Placas TectônicasPeter W. Sloss, NOAA-NESDIS-NGDC      Fig. 20.3
Características gerais das PlacasGrupo de rochas de diferentes origensmovimentando-se na mesma direção.Pode ser uma crosta...
Idade da Crosta Continental                                Fig.21.2Áreas azuis marcam a crosta   continental submersa
Ciclo de Wilson  Placas Tectônicas aparecem e desaparecem em um  ciclo (como num ciclo de vida de uma pessoa).  Há seis es...
4) Estágio de senilidade: o alargamento do oceano é  máximo e já começa a subducção (do tipo B - zona  de Benioff) e a des...
Rochas vulcânicas e sedimentos não- marinhos são depositados em rift-valleysResfriamento e subsidência de margemrifteada p...
Desenvolvem-se plataformas carbonáticas(ou rochas carbonatadas)   Margem continental continua a crescer   suprida pela ero...
Regiões de uma                         Borda Convergente                         do tipo Oceano -                         ...
Continuidade                      da SubducçãoFig. 20.20aColisão Continente–Continente
Aproximação deum Arco ouMicrocontinente Colisão Acresção de uma Microplaca (e/ou Terreno exótico)
Mecanismo (motor) de movimentodas Placas TectônicasConvecção do manto .Fricção na base dalitosfera transfereenergia da ast...
Tipos de bordas de PlacasDivergentes (ou de criação): cadeias meso-oceânicasConvergentes: (ou de destruição) zonas de coli...
Estruturas em bordas de placasPara a boa caracterização morfoestrutural emorfotectônica de uma região qualquer é de sumaim...
O-C            O-O          C-C        O-Oconvergente     divergente   divergente divergente                              ...
Estruturas em Borda de Placas DivergentesJunção Trípliceinicia dentro deum continente,gerando um rifte(dois braços seabrem...
Leste da África,                                     Rifte de Rio                                     Grande              ...
Formação de um rifte no interior de um Continente
Delta do Nilo                           Golfo de                           ‘Aqaba                Golfo de                 ...
Cadeias Meso-  Oceânicas  Rifte-valey  Central  (amplitude é  inversamente  proporcional à  taxa de  abertura /  alargamen...
Rifteamento e crescimento do assoalho oceânico
Estruturas em Bordas de Placas Transformantes   Grandes falhas que só atingem a crosta oceânica.   Movimento do tipo strik...
Centros de crescimento são deslocados pela BordaTransformante                                         Fig. 20.7
Falha                 transcorrenteFalha            FalhaTransformante    Transformante/transcorrente   /transcorrentedo J...
Estruturas em Borda de Placa Convergente  Há pelo menos três tipos de bordas  convergentes:oceano–oceano                  ...
Zona de Subducção Oceano - OceanoArcos de Ilhas:• Cinturão Tectônico de intensos sismos.• Alto fluxo de calor, arco com vu...
Zona de Subducção Oceano-Continente (Placa de           Nazca – Placa Sulamericana)Arcos Continentais:  Vulcões ativos (an...
Formação de grandes edifícios orogenéticos (orógenos = montanhas): grandes expressões geomórficas em zonas de subducção.  ...
Bordas ConvergentesOceano–Continente (Placa Africana – Placa Euro-Asiana)                                             Fig....
Bordas Convergentes Continente–ContinenteNos limites Continente–continente a convergência isacomodada por: • Dobras (encur...
Himalaia e o Platô do TibetProduto da colisão entre a India e a Ásia.Colisão inicial começa a 45 Ma atrás, e continuaaté o...
Sistema Himalaiano: formação de falhas de cavalgamentoe transcorrentes
Falhas Inversasou deCavalgamento
Sistemas de dobras    em orógenosterrenos Alpinosterrenos Apalachianos
Aula1 - Megaestruturas
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Aula1 - Megaestruturas

1,631 views
1,386 views

Published on

Tectônica de Placas e Mega-Estruturas

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,631
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
51
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula1 - Megaestruturas

  1. 1. Aula 1 TECTÔNICA DE PLACAS E MEGA-ESTRUTURAS DA CROSTAAula baseada no livroUnderstanding Earth (3a edição)Autores: Peter Copeland e William Dupré(Universidade de Houston)
  2. 2. ESTUDO DAS PAISAGENS -GEOMORFOLOGIA Estudo sistemático das formas de relevo, baseando-se nas características que lhes determinaram a gênese e a evolução. Usa como premissas a natureza das rochas, suas estruturas (intrínsecas ou extrínsecas), o clima e as diferentes forças endógenas (tectônicas) e exógenas, que entram como fatores construtores e destruidores do relevo terrestre.
  3. 3. Paisagens, morfoestrutura emorfotectônicaUm método: refletir sobre aquilo que vemos para “enxergar” aquilo que não vemos. Paisagem (landscape): tudo que se relaciona às características superficiais de um terreno. É localizada na interfácie da litosfera, atmosfera, hidrosfera e biosfera; Morfoestrutura: consiste nas feições geomorfológicas correlacionadas exclusivamente às estruturas geológicas morfotectônica Morfotectônica: “geomorfologia + tectônica”. São processos que agem de forma a criarem estruturas morfológicas (morfoestruturas) em nível macrogeomorfológico.
  4. 4. Estudos de macrogeomorfologia /morfotectônica A maior parte das estruturas morfológicas espetaculares da crosta terrestre, são conseqüência dos eventos tectônicos em bordas de placas (destruição ou criação de placa).
  5. 5. PLACAS TECTÔNICASConceito fundamental nas GeociênciasIntegrada a partir de vários ramos dasgeociênciasInicialmente sugerida a partir da geologia epaleontologiaCompletada a partir de muitas outras evidências(principalmente as geológicas)
  6. 6. Mosaico das Placas TectônicasPeter W. Sloss, NOAA-NESDIS-NGDC Fig. 20.3
  7. 7. Características gerais das PlacasGrupo de rochas de diferentes origensmovimentando-se na mesma direção.Pode ser uma crosta oceânica e continental ouapenas de um tipo.A crosta oceânica é formada por assembléia derochas derivadas de lavas basálticas (máficas e/ouultramáficas).A crosta continental é formada por assembléia derochas ígneas e/ou metamórficas de composiçãograníticas e granitóides.
  8. 8. Idade da Crosta Continental Fig.21.2Áreas azuis marcam a crosta continental submersa
  9. 9. Ciclo de Wilson Placas Tectônicas aparecem e desaparecem em um ciclo (como num ciclo de vida de uma pessoa). Há seis estágios, que podem se repetir ou serem abortadas em uma fase qualquer:1) Estágio embrionário: inicia o rifteamento com uma rio junção tríplice (a partir de um hot-spot) (Ex. Leste africano)2) Estágio juvenil: inicia a abertura de um novo juvenil oceano, com derramamento de lavas básicas tipo MORB (ou mantélicas) (Ex. Mar Vermelho)3) Estágio de maturidade: ocorre o alargamento da maturidade placa oceânica com afinamento da crosta oceânica (Ex. Oceano Atlântico)
  10. 10. 4) Estágio de senilidade: o alargamento do oceano é máximo e já começa a subducção (do tipo B - zona de Benioff) e a destruição de placa oceânica (Ex. Oceano Pacífico)5) Estágio terminal: há aproximação de duas massas continentais (em regiões opostas de uma placa oceânica. A crosta oceânica está em processo de subducção total e o edifício orogenético começa a ficar mais alto e mais largo (Ex. Mar Mediterrâneo)6) Estágio de geosutura: a crosta oceânica desaparece e as massas continentais colidem. O edifício orogenético se amplia e chega em sua largura máxima. O movimento é travado e há acresção continental, com agregação de faixas de terrenos exóticos ao terreno original (Ex. Cadeia Himalaiana / Índia). Há espessamento da crosta.
  11. 11. Rochas vulcânicas e sedimentos não- marinhos são depositados em rift-valleysResfriamento e subsidência de margemrifteada permitem depósitos sedimentares
  12. 12. Desenvolvem-se plataformas carbonáticas(ou rochas carbonatadas) Margem continental continua a crescer suprida pela erosão do continente Fig. 20.17c
  13. 13. Regiões de uma Borda Convergente do tipo Oceano - Oceano Regiões de uma Borda Convergente do tipo Oceano- ContinenteFig. 20.18
  14. 14. Continuidade da SubducçãoFig. 20.20aColisão Continente–Continente
  15. 15. Aproximação deum Arco ouMicrocontinente Colisão Acresção de uma Microplaca (e/ou Terreno exótico)
  16. 16. Mecanismo (motor) de movimentodas Placas TectônicasConvecção do manto .Fricção na base dalitosfera transfereenergia da astenosferaà litosfera.Células de convecçãopodem girar naastenosfera entre 4 e6 vezes.Empuxo da trincheiraEmpurrão da cadeia
  17. 17. Tipos de bordas de PlacasDivergentes (ou de criação): cadeias meso-oceânicasConvergentes: (ou de destruição) zonas de colisão; zonasde arcos vulcânicosTransformantes (ou conservativas): Falha de Santo AndréNova crosta é criada nas cadeias coceânica e crostas antigassão destruídas (recicladas) nas zonas de subducção (i.e., aTerra não está em expansão)Densidades importantes: Crosta continental ≈ 2.8 g/cm3 Crosta oceânica ≈ 3.2 g/cm3 Astenosfera ≈ 3.3 g/cm3
  18. 18. Estruturas em bordas de placasPara a boa caracterização morfoestrutural emorfotectônica de uma região qualquer é de sumaimportância o entendimento inicial das estruturasgeológicas.As estruturas em geral controlam as feiçõesgeomorfológicas, as quais posteriormente serãosubmetidas a processos de “esculturação” pelosfatores climáticos.
  19. 19. O-C O-O C-C O-Oconvergente divergente divergente divergente O-O O-O divergente O-C convergente convergente Fig. 20.8a,b
  20. 20. Estruturas em Borda de Placas DivergentesJunção Trípliceinicia dentro deum continente,gerando um rifte(dois braços seabrem ao mesmotempo enquantoum terceiro éabortado) que sealarga até tornar-se uma baciaoceânica
  21. 21. Leste da África, Rifte de Rio Grande • Início da formação de um oceano (pode não ser completado) • Tipos de rochas: basaltos e sedimentos arenososPeter W. Sloss, NOAA-NESDIS-NGDC
  22. 22. Formação de um rifte no interior de um Continente
  23. 23. Delta do Nilo Golfo de ‘Aqaba Golfo de SuezEarth Satellite Corp. Fig. 20.5a
  24. 24. Cadeias Meso- Oceânicas Rifte-valey Central (amplitude é inversamente proporcional à taxa de abertura / alargamento) Sismos com focos rasos Quase exclusivamente basáltica Peter W. Sloss, NOAA-NESDIS-NGDC
  25. 25. Rifteamento e crescimento do assoalho oceânico
  26. 26. Estruturas em Bordas de Placas Transformantes Grandes falhas que só atingem a crosta oceânica. Movimento do tipo strike-slip (direcional). Quando colam microplacas transformam-se em falhas transcorrentes. Sismos fracos e geralmente rasos. Há muito pouca ou nenhuma atividade magmática. São chamadas de bordas conservativas
  27. 27. Centros de crescimento são deslocados pela BordaTransformante Fig. 20.7
  28. 28. Falha transcorrenteFalha FalhaTransformante Transformante/transcorrente /transcorrentedo Jordão de Santo André
  29. 29. Estruturas em Borda de Placa Convergente Há pelo menos três tipos de bordas convergentes:oceano–oceano Filipinasoceano–continente Andescontinente–continente Himalaia
  30. 30. Zona de Subducção Oceano - OceanoArcos de Ilhas:• Cinturão Tectônico de intensos sismos.• Alto fluxo de calor, arco com vulcões ativos (andesítico).• Bordejado por uma trincheira submarina.
  31. 31. Zona de Subducção Oceano-Continente (Placa de Nazca – Placa Sulamericana)Arcos Continentais: Vulcões ativos (andesito e riolito) Geralmente acompanhado por compressão da crosta superior Nos limites da convergência, a colisão é responsável pela subducção (± cavalgamento).
  32. 32. Formação de grandes edifícios orogenéticos (orógenos = montanhas): grandes expressões geomórficas em zonas de subducção. Orogenia: soma das forças tectônicas (i.e., Orogeniadeformação, magmatismo, metamorfismo, erosão) queproduzem cadeias de montanhas.
  33. 33. Bordas ConvergentesOceano–Continente (Placa Africana – Placa Euro-Asiana) Fig. 20.8c
  34. 34. Bordas Convergentes Continente–ContinenteNos limites Continente–continente a convergência isacomodada por: • Dobras (encurtamento e espessamento da crosta)• Falhas transcorrentes • Subducção intracontinental Fig. 20.d
  35. 35. Himalaia e o Platô do TibetProduto da colisão entre a India e a Ásia.Colisão inicial começa a 45 Ma atrás, e continuaaté o presente.Antes da colisão, o sudeste da Ásia a região erasemelhante aos Andes de hoje.Formação de grandes cavalgamentos e empurrões
  36. 36. Sistema Himalaiano: formação de falhas de cavalgamentoe transcorrentes
  37. 37. Falhas Inversasou deCavalgamento
  38. 38. Sistemas de dobras em orógenosterrenos Alpinosterrenos Apalachianos

×