GUIA DO BRASILEIRÃO 2014

  • 310 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
310
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O guia Que soem os tambores, role a bola e comece o Campeonato Brasileiro. O Bhaz preparou um guia para deixar você por dentro de todos os clubes que disputarão este campeonato. Elenco, time-base, destaques, artilheiro, quem mais entrou em campo até o momento etc. Veja tudo o que precisa saber para acompanhar o Brasileirão a seguir:
  • 2. Nome: Clube Atlético Mineiro Fundação: 25 de março de 1908 (106 anos) Estádio: Arena Independência, Belo Horizonte (MG) Capacidade: 23.000 pessoas Esta temporada teve mudanças significativas, que passam por quase todos os setores do clube. A base da equipe campeã da América, ano passado, foi mantida, o comando não. Cuca deixou o Atlético para se aventurar no futebol chinês. Paulo Autuori foi contratado para substituir o ex-comandante e teve um início difícil. Em meio a muitas críticas, o treinador teve dificuldades para fazer o Galo emplacar na Copa Libertadores. O time alvinegro, aliás, chegou a passar dificuldades até no Campeonato Mineiro. Porém, o Atlético embalou e atingiu uma sequência de 17 jogos sem perder. Assim que os bons resultados foram acontecendo, a pressão sobre Paulo Autuori foi diminuindo. A principal mudança no time alvinegro é na postura dentro de campo. A ofensividade de Cuca deu lugar à tranquilidade de Autuori. Em relação aos nomes, a grande contratação do Galo nesta temporada foi o zagueiro Otamendi. Entretanto, o defensor argentino ficará no clube somente até o término da Copa Libertadores. O craque Ronaldinho Gaúcho dispensa apresentações. Eleito em duas oportunidades o melhor jogador do mundo, o camisa 10 do Atlético é um dos poucos jogadores do futebol brasileiro que podem decidir uma partida em uma jogada genial. O meia, porém, não teve um grande início de temporada e espera retomar seu ápice técnico durante o Brasileirão. Fique de olho Marion retornou de empréstimo no início deste ano. De mero desconhecido, o jogador passou a xodó dos atleticanos em pouco mais
  • 3. de dois meses. Veloz, ousado e de boa finalização, o atacante é a grande promessa do Atlético para esta temporada. Palpite do Bhaz: Candidato ao título. Artilheiro do Galo na temporada: Jô, com oito gols. Quem mais entrou em campo este ano: Guilherme e Neto Berola, com 16 jogos cada. Desempenho na temporada: 21 jogos, 11 vitórias, oito empates e duas derrotas; 33 gols marcados e 14 gols sofridos. 1- Victor (goleiro), 2- Giovanni (goleiro), 3- Otamendi (zagueiro), 4- Réver (zagueiro), 5- Leonardo Silva (zagueiro), 6- Edcarlos (zagueiro),
  • 4. 7- Marcos Rocha (lateral-direito), 8- Alex Silva (lateral-direito), 9- Pedro Botelho (lateral-esquerdo), 10- Pierre (volante), 11- Leandro Donizete (volante), 12- Josué (volante), 13- Fillipe Soutto (volante), 14- Claudinei (volante), 15- Ronaldinho Gaúcho (meia), 16- Dátolo (meia), 17- Guilherme (meia/atacante), 18- Diego Tardelli (atacante), 19- Jô (atacante), 20- Fernandinho (atacante), 21- Marion (atacante), 22- Neto Berola (atacante), 23- André (atacante), 24- Carlos (atacante) e 25- Luan (atacante). Técnico Paulo Autuori Time base: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva (Réver), Otamendi e Dátolo (Pedro Botelho); Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho Gaúcho e Diego Tardelli; Fernandinho (Guilherme) e Jô. Nome: Clube Atlético Paranaense Fundação: 26 de março de 1924 (90 anos) Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR) Capacidade: 42.372 pessoas O Furacão não teve um grande primeiro semestre. O clube paranaense teve muitas dificuldades e passou da pré-Libertadores no apagar das
  • 5. luzes. As dificuldades encontradas na primeira fase duplicaram na segunda, e o Atlético-PR não conseguiu passar da fase de grupos da competição. A qualidade do elenco rubro-negro chegou a ser colocada em xeque pelos torcedores. Mais uma vez o Atlético-PR utilizou seu time sub-23 no campeonato estadual, mas não conseguiu nenhum grande êxito e acabou sendo eliminado na semifinal da competição, após ser goleado por 4 a 1 pelo Londrina. Como destaque do time aparece o atacante Éderson. O jogador foi o artilheiro do último Campeonato Brasileiro e espera repetir o sucesso da última edição. O craque A boa fase de Éderson se deve ao bom futebol apresentado por Marcelo. Veloz e habilidoso, o atacante é um dos grandes trunfos do Atlético-PR. Seu bom futebol chegou a despertar o interesse do Corinthians, mas as negociações não avançaram e o jogador permaneceu no Furacão. Fique de olho Marcos Guilherme chegou a ter algumas oportunidades na última temporada, mas é neste ano que o meia promete desencantar. Após realizar um bom Campeonato Paranaense, o jogador chegou a ganhar uma oportunidade na Copa Libertadores. O atleta espera ter mais chances durante o Campeonato Brasileiro para demonstrar seu potencial. Palpite do Bhaz: Coadjuvante no Brasileirão. Artilheiro do Furacão na temporada: Marcos Guilherme, com 8 gols. Quem mais entrou em campo este ano: Lucas Alves, com 17 jogos. Desempenho na temporada: 23 jogos, dez vitórias, três empates e dez derrotas; 32 gols marcados e 31 gols sofridos. Goleiros: Weverton, Rodolfo e Renan Rocha Zagueiros: Manoel, Cleberson, Dráusio, Rafael Zuchi e Renato Chaves Laterais-direitos: Sueliton, Carlos César
  • 6. Laterais-esquerdos: Natanael e Lucas Olaza Volantes: Deivid, Mirabaje, Paulinho Dias, João Paulo, Otávio, Juninho e Éverton Meias: Fran Mérida, Felipe, Zezinho, Marcos Guilherme e Nathan Atacantes: Éderson, Marcelo, Douglas Coutinho, Bruno Mendes, Mosquito e Bruno Furlan Técnico: Miguel Ángel Portugal Time base: Weverton; Sueliton, Manoel, Cleberson e Natanael; Paulinho Dias, Deivid, João Paulo e Fran Mérida; Marcelo e Éderson. Nome: Esporte Clube Bahia Fundação: 1 de janeiro de 1931 (83 anos) Estádio: Arena Fonte Nova, Salvador (BA) Capacidade: 50.000 pessoas O Bahia teve um início de temporada irregular. Após o começo ruim, que culminou com a eliminação na primeira fase da Copa do Nordeste, o Tricolor se recuperou no decorrer do Campeonato Baiano, e, além do título da competição, conseguiu estruturar seu time. Com jogadores experientes, como o meia Lincoln, ex-Atlético, Palmeiras e Coritiba, o tricolor baiano se encaixou e, em 12 jogos pelo estadual, perdeu apenas um. O primeiro objetivo do Bahia no Campeonato Brasileiro é escapar do rebaixamento. Dessa forma, o Tricolor vai tentar aproveitar o início do Brasileirão, quando as principais equipes estão com suas atenções voltadas para a Copa Libertadores, para somar o máximo de pontos possíveis. O craque O Bahia não tem um jogador que é indiscutivelmente o craque da equipe. Quem tem se destacado neste primeiro semestre é o meia Anderson Talisca. Habilidoso e ágil, o jovem de 20 anos assumiu de vez
  • 7. o posto de titular nesta temporada e espera manter o bom nível de apresentações durante o Campeonato Brasileiro. Fique de olho Emprestado pelo Flamengo, o atacante Rafinha tem se destacado no Bahia. Aos 21 anos, o jogador apresenta muita velocidade, habilidade e um bom poder de finalização. Rafinha espera se firmar de vez no Tricolor e, quem sabe, ser a revelação deste Campeonato Brasileiro. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro do Tricolor na temporada: Anderson Talisca e Rhayner, ambos com quatro gols. Quem mais entrou em campo este ano: Marcelo Lomba, Titi e Anderson Talisca, todos com 19 jogos. Desempenho na temporada: 19 jogos, dez vitórias, seis empates e três derrotas; 25 gols marcados e 20 gols sofridos. Goleiros: Marcelo Lomba, Omar e Douglas Pires Zagueiros: Titi, Lucas Fonseca, Anderson Conceição, Demerson, Robson e Sérgio Raphael Laterais-direitos: Madson, Rafael Galhardo, Diego Macedo e Railan Laterais-esquerdos: Pará, Guilherme Santos e Raul Volantes: Rafael Miranda, Fahel, Wilson Pittoni, Diego Felipe, Uelliton, Hélder e Anderson Mello Meias: Anderson Talisca, Lincoln, Emanuel Bianccuchi, Branquinho, Ítalo Melo e Wangler Atacantes: Rhayner, Maxi Biancucchi, Rafinha, Hugo, Nadson, Zé Roberto, Marcão, Jeam e Henrique Técnico: Marquinhos Santos Time base: Marcelo Lomba; Madson, Titi, Lucas Fonseca e Guilherme Santos; Fahel, Wilson Pittoni (Uelliton), Lincoln e Anderson Talisca; Rhayner e Maxi Biancucchi.
  • 8. Nome: Botafogo de Futebol e Regatas Fundação: 1 de julho de 1894 (119 anos) Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Capacidade: 78.838 pessoas Após naufragar na primeira fase do Campeonato Carioca, o Botafogo apostou suas fichas na Copa Libertadores. Na primeira fase da competição, Wallyson brilhou e o time não teve problemas para chegar à fase de grupos do torneio. Entretanto, na segunda fase, faltou brio e garra para a equipe, que acabou naufragando novamente. Qualidade e experiência o time tem. O que faltaria ao Botafogo então? A resposta não é difícil. O clube carioca vive uma asfixia financeira e tem encontrado dificuldades para honrar com os vencimentos dos seus jogadores. Os atletas do clube carioca chegaram a ensaiar uma greve, que acabou se tornando um protesto corriqueiro no dia a dia do clube. O craque Contratado no início da temporada, Jorge Wagner tem sido o grande destaque do Botafogo neste início do ano. Com a aposentadoria de Seedorf, o experiente meia de 35 anos assumiu a camisa 10 e vem dando conta do recado. Até o momento, o jogador entrou em campo 13 vezes e marcou três gols. Fique de olho Após aproveitar bem as oportunidades que teve durante o Campeonato Carioca, Daniel chegou a receber duas chances de entrar na Copa Libertadores. Talentoso, o jogador espera ser aproveitado durante o Campeonato Brasileiro e trocar o rótulo de promessa por revelação. Palpite do Bhaz: Coadjuvante no Brasileirão. Artilheiro do Glorioso na temporada: Ferreyra e Henrique, ambos com cinco gols. Quem mais entrou em campo este ano: Henrique, com 18 jogos.
  • 9. Desempenho na temporada: 23 jogos, sete vitórias, seis empates e dez derrotas; 25 gols marcados e 25 gols sofridos. Goleiros: Jefferson, Helton Leite e Renan Zagueiros: Bolívar, Dória, André Bahia, Dankler, Risso e Matheus Menezes Laterais-direitos: Lucas, Edílson e Alex Santos Laterais-esquerdos: Júlio César, Júnior César e Anderson Santos Volantes: Marcelo Mattos, Gabriel, Renato, Rodrigo Souto, Bolatti, Airton, Fabiano, Dedé e Sidney Meias: Jorge Wagner, Lodeiro, Ronny, Daniel, Cidinho e Gegê Atacantes: Ferreyra, Wallyson, Emerson Sheik, Zeballos, Sassá e Yguinho Técnico: Vagner Mancini Time base: Jefferson; Edílson, Bolívar, Dória e Júlio César; Marcelo Mattos, Gabriel, Jorge Wagner e Lodeiro; Wallyson e Ferreyra. Nome: Associação Chapecoense de Futebol Fundação: 10 de maio de 1973 (40 anos) Estádio: Arena Condá, Chapecó (SC) Capacidade: 22.613 pessoas Após 34 anos, a Chapecoense está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. Com um elenco modesto, o time de Chapecó espera conseguir, ao menos, se manter na primeira divisão. Após realizar uma grande campanha na Série B em 2013, a equipe catarinense garantiu o acesso até com certa facilidade. Entretanto, o início de temporada neste ano não foi dos melhores. Após vencer quatro dos nove primeiros jogos, o Verdão não conseguiu se classificar para o quadrangular final do Campeonato Catarinense e teve que participar do hexagonal contra o rebaixamento no estadual.
  • 10. A missão foi superada pela Chapecoense, que terminou como líder do hexagonal. Entretanto, Gilmar Dal Pozzo tem um compromisso ainda mais difícil: acertar a equipe para o início da Série A. O craque O grande nome da Chapecoense neste início de temporada é o meia Régis, de 21 anos. O jogador iniciou a temporada no banco de reservas e aproveitou bem as chances dadas por Gilmar Dal Pozzo, tanto que virou titular da equipe. Com boa finalização, Régis marcou oito gols nas dez vezes que entrou em campo nesta temporada. Fique de olho A escassez de bons laterais toma conta do futebol brasileiro, mas parece não ter atingido a Chapecoense. Aos 22 anos, Fabiano despontou bem no Campeonato Catarinense. Zagueiro de origem, o atleta vem exercendo bem as funções da posição, demonstrando ser uma grande arma ofensiva do Verdão. Nas 13 vezes que entrou em campo nesta temporada, Fabiano anotou quatro gols. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro do Verdão na temporada: Régis, com oito gols. Quem mais entrou em campo este ano: Rafael Lima, com 20 jogos. Desempenho na temporada: 20 jogos, 11 vitórias, cinco empates e quatro derrotas; 29 gols marcados e 16 gols sofridos. Goleiros: Danilo, Nivaldo e Lauro Zagueiros: Rafael Lima, Alemão, Tiago Saletti, André Paulino, Fabiano, Leandro Amaro, Neuton e Jaiton Lateral-direito: Ednei. Laterais-esquerdos: Fabinho Gaúcho, Bruno Collaço e Rodrigo Biro Volantes: Wanderson, Willian Arão, Bruno Silva, Dedé, Diones, Abuda e Ricardo Conceição Meias: Camilo, Régis, Nenén e Wescley Atacantes: Leandro, Alemão, Roni, Tiago Luis, Fabinho Alves, Gral, Bergson e Neilson.
  • 11. Técnico: Gilmar Dal Pozzo Time base: Danilo; Ednei, Rafael Lima, André Paulino e Fabinho Gaúcho; Wanderson, Willian Arão, Camilo e Régis; Roni e Bergson. Nome: Sport Club Corinthians Paulista Fundação: 1 de setembro de 1910 (103 anos) Estádio: Arena Corinthians, em São Paulo (SP) Capacidade: 48 mil pessoas Com um primeiro semestre para ser apagado, o Corinthians espera fazer no Campeonato Brasileiro tudo o que não fez no Paulista. Com uma campanha muito irregular, o Timão acabou sendo eliminado na primeira fase do estadual. O fato motivou uma série de protestos dos torcedores corintianos, que chegaram a invadir o CT para cobrar, de forma mais áspera, os jogadores. O Corinthians sofreu uma mudança significativa nesta temporada. Após três anos no clube, Tite passou o comando para Mano Menezes. De volta à equipe que o consagrou, Mano não tem mais aqueles jogadores que o ajudaram a chegar no ápice da sua carreira, mas conta com um time bom. Entretanto, o Timão parece estar sem confiança. Se restabelecer o equilíbrio psicológico, a equipe alvinegra vai dar trabalho no Brasileirão. O craque De volta ao clube, Elias chega para ser o grande nome do Corinthians nesta temporada. Após uma belíssima passagem pelo Flamengo, clube pelo qual conquistou a Copa do Brasil, o volante acertou o seu retorno ao Parque São Jorge. Mas o jogador, como foi contratado fora do período de transações internacionais, só poderá estrear pelo Timão após a Copa do Mundo. Titular com Mano Menezes entre 2008 e 2010, Elias é polivalente e pode atuar como segundo, terceiro e até quarto homem de meio-campo. Fique de olho
  • 12. Após uma passagem pelas categorias de base do Cruzeiro, o meia Zé Paulo chegou ao Corinthians para integrar os juniores. Depois de se destacar, o jogador chegou ao time profissional e ganhou três oportunidades durante o Campeonato Paulista. Zé Paulo sabe que as chances serão escassas durante o Campeonato Brasileiro, mas quer aproveitá-las e comprovar seu status de promessa. Palpite do Bhaz: Candidato a Libertadores. Artilheiro do Timão na temporada: Romarinho, com oito gols. Quem mais entrou em campo este ano: Ralf e Romarinho, ambos com 16 jogos. Desempenho na temporada: 16 jogos, oito vitórias, três empates e cinco derrotas; 25 gols marcados e 19 gols sofridos. Goleiros: Cássio, Walter e Danilo Fernandes Zagueiros: Gil, Cleber, Felipe, Pedro Henrique e Wanderson Laterais-direitos: Fagner e Guilherme Andrade Laterais-esquerdos: Uendel, Fábio Santos e Guilherme Arana Volantes: Ralf, Elias, Guilherme, Bruno Henrique e Jocinei Meias: Jadson, Danilo, Renato Augusto, Ramirez, Rodriguinho e Zé Paulo Atacantes: Romarinho, Guerrero, Luciano, Malcom e Paulinho Técnico: Mano Menezes Time base: Cássio; Fagner, Gil, Cleber e Uendel; Ralf, Elias, Jadson, Luciano e Romarinho; Guerrero. Nome: Coritba Foot Baal Club Fundação: 12 de outubro de 1909 (104 anos) Estádio: Couto Pereira, Curitiba (PR) Capacidade: 37.182 pessoas
  • 13. Muita gente acredita que os estaduais só servem apenas para derrubar treinadores. Injusto ou não com as competições regionais, o pensamento serviu para o Coritiba neste ano. Após um início irregular no Campeonato Paranaense e a queda na semifinal da competição, Dado Cavalcanti não resistiu à pressão e acabou sendo demitido. Para o seu lugar, a diretoria do Coxa anunciou um velho conhecido do futebol brasileiro: Celso Roth. Comandado pelo talento do meia Alex, o Coritiba tem um elenco modesto. Após escapar do rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro do ano passado, o Coxa espera passar menos sufoco neste ano. Para isso, a equipe alviverde espera somar pontos no início da competição, quando algumas equipes estarão com suas atenções voltadas para a Copa Libertadores. O craque No alto dos seus 36 anos, Alex anunciou que vai pendurar a chuteira no fim da temporada. Com um inegável talento, o meia foi crucial para o Coritiba em 2013 e espera ter a mesma importância neste ano. Além de ser um craque dentro de campo, o jogador é um dos principais líderes do elenco do Coxa, além de ser referência para os jogadores mais jovens. Fique de olho Dudu Figueiredo teve algumas chances durante a última temporada, mas é neste ano que o meia de 22 anos espera se firmar de vez, não apenas no Coritiba, mas no cenário nacional. Habilidoso, o jogador é apontado como uma grata promessa das categorias de base do Coxa. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro do Coxa na temporada: Júlio César, com cinco gols. Quem mais entrou em campo este ano: Keirrison, com 13 jogos. Desempenho na temporada: 17 jogos, oito vitórias, cinco empates e quatro derrotas; 23 gols marcados e 18 gols sofridos.
  • 14. Goleiros: Vanderlei, Vaná e William Menezes Zagueiros: Luccas Claro, Leandro Almeida, Welinton, Bonfim, Chico e Walisson Laterais-direitos: Victor Ferraz, Norberto, Ivan e Jackson Laterais-esquerdos: Carlinhos, Abner, Diogo e Paulo Otávio Volantes: Baraka, Germano, Gil, Misael, Moacir, Sergio Manoel e Wanderson Meias: Alex, Jajá, Robinho, Dudu, Denner, Diogo Sodré, Luizinho e Roni Atacantes: Júlio César, Zé Eduardo, Geraldo, Keirrison, Bartola e Maykon Técnico: Celso Roth Time base: Vanderlei; Victor Ferraz, Luccas Claro, Leandro Almeida e Carlinhos; Baraka, Gil, Alex e Jajá (Robinho); Geraldo e Júlio César. Nome: Criciúma Esporte Clube Fundação: 13 de maio de 1947 (66 anos) Estádio: Heriberto Hülse, Criciúma (SC) Capacidade: 20.000 pessoas O início de temporada do Criciúma não foi muito animador. Ricardo Drubscky iniciou a temporada no comando do Tigre, mas resistiu a apenas sete jogos. A substituição no comando da equipe aconteceu, mas nos resultados não. Após ser eliminado no quadrangular final do Campeonato Catarinense, o Tricolor sucumbiu também na primeira fase da Copa do Brasil. Caio Júnior tem a missão de acertar o Tigre rápido, visando somar pontos no início do Campeonato Brasileiro. Para isso, o Criciúma tem uma importante arma: o Heriberto Hülse. O “caldeirão” de Santa Catarina costuma ser o local onde o tricolor faz a maior parte das suas vítimas. Nas nove vezes que o Criciúma atuou em casa nesta temporada, venceu seis, empatou duas e perdeu apenas uma. O craque
  • 15. Aos 39 anos, Paulo Baier parece um garoto. Demonstrando bom preparo físico, que vem acompanhado de muita categoria, o meia será o encarregado de criar as principais jogadas do Criciúma nesta temporada. Com o mesmo talento de outrora, o camisa 10 é o artilheiro do Tigre na temporada, com cinco gols. Fique de olho Após uma passagem apagada pelo São Paulo, o atacante Silvinho espera explodir no Criciúma e se firmar de vez no cenário nacional. Rápido e habilidoso, o jogador espera conquistar não apenas o técnico Caio Júnior, mas também o torcedor catarinense. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro da Tigre na temporada: Paulo Baier, com cinco gols. Quem mais entrou em campo este ano: Galatto, com 16 jogos. Desempenho na temporada: 17 jogos, sete vitórias, cinco empates e cinco derrotas; 19 gols marcados e 16 gols sofridos. Goleiros: Vanderlei, Vaná e William Menezes Zagueiros: Luccas Claro, Leandro Almeida, Welinton, Bonfim, Chico e Walisson Laterais-direitos: Victor Ferraz, Norberto, Ivan e Jackson Laterais-esquerdos: Carlinhos, Abner, Diogo e Paulo Otávio Volantes: Baraka, Germano, Gil, Misael, Moacir, Sergio Manoel e Wanderson Meias: Alex, Jajá, Robinho, Dudu, Denner, Diogo Sodré, Luizinho e Roni Atacantes: Júlio César, Zé Eduardo, Geraldo, Keirrison, Bartola e Maykon Técnico: Caio Júnior Time base: Galatto; Eduardo (Ezequiel), Ronaldo Alves, Escudero e Everton; João Vitor, Serginho, Ricardinho e Paulo Baier; Silvinho e Lucca.
  • 16. Nome: Cruzeiro Esporte Clube Fundação: 2 de janeiro de 1921 (93 anos) Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG) Capacidade: 62.160 pessoas Após manter a base do time que foi campeão brasileiro na última temporada, esperava-se que o Cruzeiro começasse a temporada voando. Entretanto, não foi isso que aconteceu. Após um início muito irregular na Copa Libertadores, a Raposa por pouco não caiu na fase de grupos do torneio continental. Quando foi preciso, no entanto, o time celeste demonstrou a garra que fez a equipe chegar ao tricampeonato nacional – fato que enche o cruzeirense de esperança de que o time vai decolar na hora certa. Com um dos melhores elencos do futebol brasileiro, o Cruzeiro contratou poucos reforços para esta temporada. Entretanto, os nomes que chegaram não conseguiram fazer sombra aos campeões nacionais. A única alteração em relação à equipe do último ano está no ataque. Com dificuldades para conseguir um atacante referência, Marcelo Oliveira tem escalado Júlio Baptista como centroavante. O camisa 10 tem agradado e deixado Borges e Marcelo Moreno no banco de reservas. O craque Eleito o melhor jogador do último Campeonato Brasileiro, Éverton Ribeiro é, de fato, de quem mais se espera no Cruzeiro. Assim como o time celeste, o jogador teve atuações irregulares no início do ano, mas, aos poucos, vem retomando o futebol que o fez ser pedido até na Seleção Brasileira. Fique de olho Embora esteja no elenco profissional do Cruzeiro há algumas temporadas, Elber espera “explodir” de vez este ano. As vezes que foi
  • 17. acionado foi bem e constantemente é lembrado pelos torcedores e pedido nas partidas. Palpite do Bhaz: Candidato ao título. Artilheiro da Raposa na temporada: Bruno Rodrigo, Ricardo Goulart e Dagoberto, todos com cinco gols. Quem mais entrou em campo este ano: Fábio, com 20 jogos. Desempenho na temporada: 22 jogos, 14 vitórias, seis empates e duas derrotas; 40 gols marcados e 13 gols sofridos. 1- Fábio (goleiro), 2- Rafael (goleiro), 3- Dedé (zagueiro), 4- Bruno Rodrigo (zagueiro), 5- Léo (zagueiro), 6- Wallace (zagueiro), 7- Ceará
  • 18. (lateral-direito), 8- Mayke (lateral-direito), 9- Egídio (lateral-esquerdo), 10- Samudio (lateral-esquerdo), 11- Lucas Silva (volante), 12- Nilton (volante), 13- Henrique (volante), 14- Rodrigo Souza (volante), 15- Souza (volante), 16- Éverton Ribeiro (meia), 17- Rodrigo Goulart (meia), 18- Marlone (meia), 19- Elber (meia), 20- Júlio Baptista (meia-atacante), 21- Borges (atacante), 22- Dagoberto (atacante), 23- Willian (atacante), 24- Marcelo Moreno (atacante) e 25- Luan (atacante). Time base: Fábio; Ceará, Dedé, Bruno Rodrigo e Samudio; Lucas Silva, Nilton (Henrique), Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart; Dagoberto e Júlio Baptista. Técnico Marcelo Oliveira Time base: Fábio; Ceará, Dedé, Bruno Rodrigo e Samudio; Lucas Silva, Nilton (Henrique), Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart; Dagoberto e Júlio Baptista. Nome: Figueirense Futebol Clube Fundação: 12 de junho de 1921 (92 anos) Estádio: Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC) Capacidade: 20.000 pessoas
  • 19. Comandado por Vinícius Eutrópio, o Figueirense começou a temporada “aos trancos e barrancos”. Em meio ao início irregular, a equipe se acertou e foi embalar de vez no quadrangular final do Campeonato Catarinense, no qual teve apenas uma derrota. Campeão estadual em cima do Joinville, a confiança do Figueira está alta e a equipe espera aproveitar o bom momento nas primeiras rodadas do Brasileirão. Em um elenco que conta com jogadores rodados, como o goleiro Neneca, o volante Marcos Assunção e o atacante Ricardo Bueno, Vinícius Eutrópio espera aliar a juventude de alguns jogadores com essa experiência para alcançar bons resultados no Campeonato Brasileiro. Entretanto, o objetivo inicial da equipe é modesto: escapar do rebaixamento. O craque Aos 37 anos, Marcos Assunção figura como o principal jogador do Figueirense nesta temporada. Após uma passagem apagada pelo Santos, o volante espera demonstrar que ainda tem capacidade de ser decisivo. Fique de olho Aos 23 anos, o atacante Dudu tem demonstrado que será importante para o Figueirense. Titular da equipe, o jogador anotou dois gols nesta temporada, sendo um deles na final do Campeonato Catarinense. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro do Figueira na temporada: Éverton Santos, com seis gols. Quem mais entrou em campo este ano: Tiago Volpi e Leandro Silva, ambos com 17 jogos. Desempenho na temporada: 19 jogos, nove vitórias, seis empates e quatro derrotas; 27 gols marcados e 18 gols sofridos. Goleiros: Tiago Volpi, Alex, Neneca e Neto Zagueiros: Nirley, Thiago Heleno, Bruno Alves, Marquinhos e Raul Laterais-direitos: Leandro Silva e Willian Laterais-esquerdos: Ivan e Marquinhos Pedroso
  • 20. Volantes: Marcos Assunção, Luan, Rivaldo, Nem, Dener, Paulo Roberto e Jefferson Meias: Giovanni Augusto, Marco Antônio, Leonardo, Yago, Vitor Júnior, Wesley e Hiroshi Atacantes: Éverton Santos, Ricardo Bueno, Everaldo, Ciro, Lúcio Maranhão, Dudu e Clayton Técnico: Vinícius Eutrópio Time base: Tiago Volpi; Leandro Silva, Thiago Heleno, Nirley e Marquinhos Pedroso; Luan, Marcos Assunção, Giovanni Augusto (Vitor Júnior) e Marco Antônio; Éverton Santos e Dudu (Lúcio Maranhão ou Ricardo Bueno). Nome: Clube de Regatas do Flamengo Fundação: 15 de novembro de 1895 (117 anos) Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Capacidade: 78.838 pessoas No início da temporada, o Flamengo tinha um único objetivo: ser bicampeão da Copa Libertadores. Entretanto, em um novo “Maracanazo”, a equipe rubro-negra, que precisava de uma vitória simples, acabou sendo derrotada pelo León, do México, e foi eliminada na fase de grupos do torneio continental. Na mesma semana, o Urubu conquistou o Campeonato Carioca, o que abafou o desastre. Após perder o volante Elias, que retornou ao Sporting (POR) e posteriormente foi vendido ao Corinthians, o técnico Jayme de Almeida teve dificuldades para armar o meio-campo. Amaral e Muralha vêm sendo os titulares, mas nenhum deles caiu ainda nas graças dos torcedores. O Flamengo tem um time limitado para brigar pelo título nacional. Resta, então, como objetivo ao clube carioca, se classificar novamente para a Copa Libertadores. O craque Após uma passagem discreta pelo Atlético, clube pelo qual conquistou a Copa Libertadores do ano passado, Alecsandro vem sendo o grande destaque do Flamengo neste ano. Com 12 gols em 19 jogos nesta
  • 21. temporada, o atacante está entre os maiores artilheiros do Brasil. A boa fase é tamanha que o jogador colocou Hernane “Brocador”, xodó da torcida, no banco de reservas. Fique de olho Nos últimos anos, Nixon recebeu poucas chances em partidas do Flamengo. Neste ano o atacante deseja que seja diferente. O jovem de 21 anos recebeu nove oportunidades nesta temporada, sendo uma, inclusive, na Copa Libertadores. Com três gols, o jogador agradou Jayme de Almeida e deve ser mais aproveitado no Campeonato Brasileiro Palpite do Bhaz: Coadjuvante no Brasileirão. Artilheiro do Mengão na temporada: Alecsandro, com 12 gols. Quem mais entrou em campo este ano: Felipe e Gabriel, com 21 gols. Desempenho na temporada: 25 jogos, 16 vitórias, cinco empates e quatro derrotas; 53 gols marcados e 29 gols sofridos. Goleiros: Felipe, Paulo Victor e César Zagueiros: Wallace, Samir, Chicão, Erazo, Fernando e Frauches Laterais-direitos: Leonardo Moura, Léo e Digão Laterais-esquerdos: André Santos e João Paulo Volantes: Amaral, Cáceres, Feijão, Márcio Araújo, Luiz Antônio, Muralha e Recife Meias: Elano, Gabriel, Lucas Mugni, Everton, Carlos Eduardo, Matheus e Rodolfo Atacantes: Alecsandro, Hernane, Igor Sartori, Negueba, Nixon e Paulinho Técnico: Jayme de Almeida Time base: Felipe; Leonardo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Muralha (Amaral), Márcio Araújo, Elano e Gabriel; Paulinho e Alecsandro (Hernane).
  • 22. Nome: Fluminense Football Club Fundação: 21 de julho de 1902 (110 anos) Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Capacidade: 78.838 pessoas Após ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado dentro de campo, o Fluminense acabou sendo beneficiado por uma escalação irregular da Portuguesa e se manteve na Série A da competição. Como alento, ficaram os erros do último ano. Entretanto, o aprendizado nas Laranjeiras está difícil. Contratado no final do ano passado, Renato Gaúcho ficou no clube carioca pouco mais de três meses antes de ser demitido. O novo encarregado de fazer os torcedores esquecerem a última temporada é Cristóvão Borges. O treinador conta com bons jogadores, porém, não tem um time formado. Sem um padrão de jogo definido, o Fluminense não consegue emplacar na temporada. Eliminado pelo Vasco no Campeonato Carioca, o Tricolor demonstrou dificuldades quando encarou equipes mais organizadas. O craque Após três temporadas no futebol chinês, Conca retornou ao Fluminense para ser o grande nome da equipe. Ágil, habilidoso e preciso nos passes, o meia argentino retornou em grande estilo. Com boas apresentações, tem sido o destaque do Tricolor neste início de temporada. Fique de olho Embora esteja no elenco profissional desde 2011, somente agora o zagueiro Elivélton vem tendo uma sequência como titular na equipe. O ponto fraco do time carioca na última temporada era a defesa, e a expectativa é de que, ao lado de Gum, o jovem defensor solucione essa carência do Tricolor. Palpite do Bhaz: Coadjuvante no Brasileirão.
  • 23. Artilheiro do Tricolor na temporada: Conca, Wagner, Walter e Fred, todos com seis gols. Quem mais entrou em campo este ano: Diego Cavallieri, com 19 jogos. Desempenho na temporada: 19 jogos, dez vitórias, cinco empates e quatro derrotas; 38 gols marcados e 21 gols sofridos. Goleiros: Diego Cavallieri, Felipe e Kléver Zagueiros: Gum, Elivélton, Leandro Euzébio e Wellington Carvalho Laterais-direitos: Bruno, Wellington Silva e Igor Julião Laterais-esquerdos: Carlinhos, Ailton e Ronan Volantes: Jean, Diguinho, Fábio, Rafinha, Valencia e Willian Meias: Conca, Wagner, Chiquinho, Higor e Roberto Atacantes: Fred, Walter, Rafael Sóbis, Michael, Michael, Marcos Junior, Biro Biro, Kenedy e Matheus Carvalho Técnico: Cristóvão Borges Time base: Diego Cavallieri; Bruno, Gum, Elivélton e Carlinhos; Diguinho, Jean, Conca e Wagner; Rafael Sóbis (Walter) e Fred. Nome: Goiás Esporte Clube Fundação: 6 de abril de 1943 (70 anos) Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO) Capacidade: 50.049 pessoas Após um início de temporada muito bom, o Goiás teve uma leve queda de produção antes da estreia no Campeonato Brasileiro, o que foi suficiente para demitir o técnico Claudinei Oliveira. Após ficar 16 jogos invicto, o Esmeraldino tropeçou diante do Botafogo-PB, pela Copa do Brasil e embalou uma sequência de quatro jogos sem vencer e sem
  • 24. marcar gol. A quadra negativa foi o suficiente para o time goiano perder o estadual para o seu rival, Atlético-GO. O Goiás manteve a base da equipe que quase se classificou para a Copa Libertadores no último Brasileirão. Frustrado por não ter conseguido se classificar para o torneio continental ano passado, o Esmeraldino traça como objetivo ficar no G4 este ano. Para isso o clube goiano conta com a boa fase de Araújo e o bom trio que sustenta o seu meio- campo: Amaral, Thiago Mendes e David. O craque David pode ser apontado como um dos pilares de sustentação do meio- campo do Goiás. Meia de origem, o jogador foi escalado um pouco mais recuado e cresceu na nova função. Com boa saída para o jogo e bom na bola parada, o agora volante é essencial para o Esmeraldino neste Brasileirão. Fique de olho Após ter algumas poucas oportunidades na última temporada, o lateral-direito Clayton Sales cresceu este ano e assumiu a titularidade da equipe. Muito bom no apoio ao ataque, o jogador tem apenas que se acertar defensivamente. Nas 14 vezes que entrou em campo neste ano, o lateral anotou três gols. Palpite do Bhaz: Coadjuvante no Brasileirão. Artilheiro do Esmeraldino na temporada: Araújo, com nove gols. Quem mais entrou em campo este ano: Thiago Mendes e Araújo, ambos com 18 jogos. Desempenho na temporada: 20 jogos, 11 vitórias, sete empates e duas derrotas; 33 gols marcados e 12 gols sofridos. Goleiros: Renan, Harlei e Edson Zagueiros: Valmir Lucas, Pedro Henrique, Felipe, Jackson e Alex Alves Laterais-direitos: Clayton Sales e Vítor Laterais-esquerdos: Mário Sério e Lima Volantes: Juliano, Thiago Mendes, David, Amaral, Leandro, Túlio,
  • 25. Rodrigo e Ray Meias: Ramon, Carlos Alberto, Paulo, Liniker, João Paulo, Raphael Luz e Tiago Real Atacantes: Araújo, Welinton Júnior, Erik, Léo Bonatini e Rychely Técnico: Ricardo Drubscky Time base: Renan; Clayton Sales (Vítor), Valmir Lucas, Pedro Henrique e Lima; Amara, Thiago Mendes, David e Carlos Alberto (Ramon ou Tiago Real); Araújo e Léo Bonatini. Nome: Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense Fundação: 15 de setembro de 1903 (109 anos) Estádio: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS) Capacidade: 60.540 pessoas O Grêmio começou muito bem a temporada. Após tirar de letra o fato de estar no grupo da morte da Copa Libertadores, o Tricolor engrenou também no Campeonato Gaúcho. Mas a boa fase deu lugar a alguns questionamentos após a final do estadual, na qual enfrentou o Internacional, seu maior rival. Depois de ser derrotado em casa pelo Colorado, por 2 a 1, o Grêmio perdeu também o jogo de volta, desta vez por 4 a 1. O revés trouxe alguns questionamentos da torcida. O Tricolor, entretanto, se escora na grande campanha que vem realizando na Copa Libertadores. Aliás, tomar gol no torneio continental, não é algo comum para a equipe comandada por Enderson Moreira. Nos seis jogos da fase de grupos, o Grêmio levou apenas um tento. O craque Após as atuações apagadas na última temporada, Barcos resolveu trocar o papel de coadjuvante para assumir o posto de protagonista
  • 26. principal do Grêmio. Artilheiro do Campeonato Gaúcho, o atacante argentino também é o artilheiro do Tricolor na Libertadores. Fique de olho Depois do Grêmio anunciar a venda de Alex Telles para o Galatasaray, da Turquia, imaginou-se que o clube teria dificuldades para acertar com um lateral-esquerdo que substituísse bem o ex-jogador. Entretanto, não foi isso que aconteceu. Com boas atuações, Wendell não demorou a cair nas graças da torcida e a despertar o interesse do futebol europeu. Tanto que o lateral já foi negociado com o Bayer Leverkusen, da Alemanha, clube que ele defenderá após a Copa Libertadores. Palpite do Bhaz: Candidato a Libertadores. Artilheiro do Tricolor na temporada: Barcos, com 15 gols. Quem mais entrou em campo este ano: Barcos, Luan, Pará, Wendell, Edinho e Ramiro, todos com 19 jogos. Desempenho na temporada: 25 jogos, 13 vitórias, sete empates e quatro derrotas; 43 gols marcados e 21 gols sofridos. Goleiros: Marcelo Grohe, Busatto e Follmann Zagueiros: Bressan, Rhodolfo, Werley, Pedro Geromel, Saimon, Canavésio, Gabriel e Rafael Thyere Laterais-direitos: Pará, Tinga e Moisés Laterais-esquerdos: Wendell e Breno Volantes: Ramiro, Riveros, Edinho, Adriano, Matheus Biteco, Guilherme Amorim e Léo Gago Meias: Zé Roberto, Dudu, Maxi Rodríguez, Alán Ruiz, Jean Deretti, Guilherme Biteco e Rodriguinho Atacantes: Barcos, Luan, Kéber, Lucas Coelho, Yuri Mamute e Everton Técnico: Enderson Moreira Time base: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Ramiro, Riveros, Zé Roberto e Dudu; Luan (Edinho) e Barcos.
  • 27. Nome: Sport Club Internacional Fundação: 4 de abril de 1909 (104 anos) Estádio: Beira Rio, em Porto Alegre (RS) Capacidade: 50.128 pessoas Nos últimos anos, o Internacional sempre vem sendo apontado como um dos favoritos ao título nacional. Embora sempre tenha bons times, o Colorado nunca consegue justificar o favoritismo e, sequer, tem brigado pela taça do Campeonato Brasileiro. Este ano, porém, parece que vai ser diferente. Com jogadores em boa fase, a equipe gaúcha conta, mais uma vez, com um bom elenco, que promete, enfim, confirmar o rótulo de postulante à conquista nacional. Com D’Alessandro dando o tom da equipe e Rafael Moura desencantando, o Internacional deu a primeira mostra de sua força na final do Campeonato Gaúcho. Após vencer o Grêmio por 2 a 1, na casa do rival, o Inter goleou o Tricolor por 4 a 1 e conquistou o estadual. Outro fator que também pode ser decisivo para o Colorado é o retorno do seu estádio. Com o Beira Rio liberado das reformas para a Copa do Mundo, o Inter, enfim, tem casa fixa novamente. O craque O Internacional desta temporada tem sido reflexo do seu melhor jogador: D’Alessandro. A garra e a ambição da equipe tem deixado o meia argentino contente. Feliz com a boa fase, tanto individual quanto coletiva, D’Ale segue sonhando com o título brasileiro e com uma vaga na Seleção Argentina que disputará a Copa do Mundo. Fique de olho Valdívia, de 19 anos, ingressou no elenco profissional do Internacional no segundo semestre do ano passado. Nas poucas vezes que teve oportunidade, demonstrou bom potencial. Habilidoso e com boa visão de jogo, o meia espera firmar de vez no Colorado neste temporada.
  • 28. Palpite do Bhaz: Candidato ao título. Artilheiro do Colorado na temporada: Rafael Moura, com nove gols. Quem mais entrou em campo este ano: Wellington Paulista, com 14 jogos Desempenho na temporada: 20 jogos, 17 vitórias, dois empates e uma derrota; 46 gols marcados e 13 gols sofridos. Goleiros: Dida, Muriel e Agenor Zagueiros: Paulão, Juan, Ernando, Índio e Thales Laterais-direitos: Gilberto e Claudio Winck Laterais-esquerdos: Fabrício e Alan Ruschel Volantes: Willians, Aránguiz, Ygor, Augusto, João Afonso e Gladestony Meias: D’Alessandro, Alex, Alan Patrick, Otávio, Eduardo Sasha e Valdívia Atacantes: Rafael Moura, Jorge Henrique, Wellington Paulista e Maurides Técnico: Abel Braga Time base: Dida; Gilberto, Paulão, Juan e Fabrício; Wllians, Aránguiz, D’Alessandro, Alex e Alan Patrick; Rafael Moura. Nome: Sociedade Esportiva Palmeiras Fundação: 26 de agosto de 1914 (99 anos) Estádio: Allianz Parque, em São Paulo (SP) Capacidade: 43 mil pessoas Após conquistar a Série B sem nenhuma dificuldade, o Palmeiras espera caminhar bem na Série A deste ano. Eliminado pelo Ituano no Campeonato Paulista, o Verdão segue sob um olhar de desconfiança de sua torcida. A medida adotada pelo clube de pagar os salários de
  • 29. acordo com a produção dos jogadores tem afastado os grandes nomes do clube e, até mesmo, a permanência de quem lá está. Peças fundamentais no esquema de Gilson Kleina, o volante Wesley e o atacante Alan Kardec estão com dificuldades para estender seus vínculos com o Palmeiras, já que não são adeptos à nova política do clube. Wesley, aliás, deve mesmo deixar o Verdão e foi até colocado à venda, o que não agradou o jogador. Dentro de campo, o time paulista tentará, primeiramente, alcançar – e se manter – no grupo que garante uma vaga na Copa Libertadores do próximo ano. Pensar em título é válido, mas o Palmeiras terá que reforçar seu elenco se quiser erguer o caneco. O craque Cotado até mesmo para disputar a Copa do Mundo, o atacante Alan Kardec é a grande esperança dos palmeirenses para a disputa do Campeonato Brasileiro. Entretanto, o clube paulista tem encontrado dificuldades para renovar com o jogador. Com nove gols, o centroavante é o artilheiro do Palmeiras nesta temporada. Fique de olho O jovem zagueiro Wellington, de 22 anos, vem entrando aos poucos no Palmeiras e, devagar, vai conquistando a confiança do técnico Gilson Kleina e do torcedor palmeirense. Como espelho, o defensor tem o experiente Lúcio, que pode auxiliar o jogador em sua formação. Palpite do Bhaz: Coadjuvante no Brasileirão. Artilheiro do Verdão na temporada: Alan Kardec, com nove gols. Quem mais entrou em campo este ano: Marcelo Oliveira, com 18 jogos. Desempenho na temporada: 19 jogos, 14 vitórias, dois empates e três derrotas; 32 gols marcados e 14 gols sofridos. Goleiros: Fernando Prass, Bruno e Fábio Zagueiros: Lúcio, Wellington, Victorino, Tiago Alves e Thiago Martins Laterais-direitos: Wendel e Bruno Oliveira Laterais-esquerdos: Juninho, Wlliam Matheus e Victor Luis
  • 30. Volantes: Marcelo Oliveira, Wesley, Eguren, França, Josimar, Renato e Bruninho Meias: Valdívia, Bruno César, Mendieta, Felipe Menezes, Serginho e Marquinhos Gabriel Atacantes: Alan Kardec, Leandro, Mazinho, Diogo, Miguel, Rodolfo e Patrick Vieira Técnico: Gilson Kleina Time base: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Wellington e Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley, Valdívia e Bruno César; Leandro e Alan Kardec. Nome: Santos Futebol Clube Fundação: 14 de abril de 1912 (102 anos) Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP) Capacidade: 16.798 pessoas Mais uma vez inspirado pelos “Meninos da Vila”, o Santos teve um início de temporada arrasador, ou “Santástico”, como seus torcedores gostam de falar. Com 50 gols marcados nas 21 vezes que entrou em campo neste ano, o Peixe apresenta uma safra muito boa de garotos. Rápido e habilidoso, o alvinegro praiano demonstra também uma capacidade incrível de improvisar jogadas. Oswaldo de Oliveira, porém, tem encontrado dificuldades para equilibrar a equipe. Se o Santos vai muito bem no ataque, na defesa tem deixado a desejar.Por ser um time muito jovem, o Peixe alterna criatividade e ousadia no ataque com a falta de experiência. Se conseguir encaixar a zaga como fez com o ataque, o alvinegro praiano será um adversário duro de ser batido no Brasileirão. O craque Após uma temporada irregular ano passado, Leandro Damião se desvalorizou – e muito – e, ao invés de ser vendido para um grande clube europeu como era a tendência, acabou saindo do Internacional
  • 31. para o mercado interno. Contratado pelo Santos por 13 milhões de euros (cerca de R$ 41,6 milhões), Damião espera recuperar o futebol que o fez chegar na Seleção Brasileira. É o grande nome do jovem ataque do Peixe e, embora tenha 24 anos, é um dos jogadores mais experientes do setor ofensivo santista. Fique de olho O Santos tem um elenco que conta com 30 jogadores. Destes, 14 são oriundos das categorias de base do clube. Dessa forma, é difícil apontar apenas uma revelação. Mas quem mais chamou a atenção no primeiro semestre foi o atacante Geuvânio. Rápido, habilidoso, com bom passe e boa finalização, o jogador surge como um possível substituto de Neymar. Palpite do Bhaz: Candidato a Libertadores. Artilheiro do Peixe na temporada: Gabriel e Cícero, ambos com nove gols. Quem mais entrou em campo este ano: Gabriel e Geuvânio, ambos com 19 jogos. Desempenho na temporada: 21 jogos, 15 vitórias, quatro empates e duas derrotas; 50 gols marcados e 19 gols marcados. Goleiros: Aranha, Vladimir e Gabriel Gasparotto Zagueiros: Edu Dracena, David Braz, Neto, Jubal, Gustavo Henrique e Vinícius Simon Laterais-direitos: Cicinho e Bruno Peres Laterais-esquerdos: Emerson e Mena Volantes: Arouca, Alan Santos, Alison e Lucas Otávio Meias: Cícero, Leandrinho, Lucas Lima, Léo, Léo Cittadini e Serginho Atacantes: Geuvânio, Leandro Damião, Thiago Ribeiro, Gabriel, Rildo, Stéfano Yuri e Diego Cardoso Técnico: Oswaldo de Oliveira Time base: Aranha; Cicinho, Edu Dracena (Neto), Gustavo Henrique e Emerson; Arouca, Alan Santos, Cícero e Geuvânio; Thiago Ribeiro e Leandro Damião.
  • 32. Nome: São Paulo Futebol Clube Fundação: 25 de janeiro de 1930 (84 anos) Estádio: Morumbi, São Paulo (SP) Capacidade: 66.795 pessoas Após passar sufoco no último Campeonato Brasileiro, o São Paulo começou a temporada tentando corrigir alguns erros. Em uma troca ousada, mandou Jadson para o Corinthians e trouxe o atacante Alexandre Pato. E o camisa 11 é a maior aposta do Tricolor neste ano. O quarteto formado por Ganso, Pato, Osvaldo e Luis Fabiano promete dar trabalho aos adversários e fazer com que o São Paulo brigue pelo seu sétimo título brasileiro. Embora a teoria seja ótima, a prática tem deixado a desejar. Eliminado pelo Penapolense no Campeonato Paulista, o São Paulo continua demonstrando os mesmos erros defensivos da última temporada. Se no ataque a equipe conta com grandes nomes, na defesa ainda está necessitada de um jogador que chegue, vista a camisa e se torne incontestável. O craque O título de “craque” do São Paulo poderia ser dado ao técnico Muricy Ramalho. Entretanto, o costume manda o rótulo ser entregue a um jogador, e não ao técnico. Sendo assim, as expectativas se voltam a Alexandre Pato. Com um talento inegável, o atacante busca a reafirmação no futebol. Ciente de que o Tricolor seja, talvez, sua última oportunidade de superar as expectativas de quem sempre esperou muito do seu futebol, Pato quer esquecer as temporadas irregulares e dar a volta por cima no Morumbi. Fique de olho A carência de bons defensores no São Paulo é tamanha que Muricy Ramalho tem escalado o volante Rodrigo Caio na zaga. Entretanto, o jovem zagueiro Lucas Silva demonstrou na base são paulina que tem potencial para ser o “cão de guarda” do Tricolor. Promissor, o jogador
  • 33. já vem sendo observado por grandes clubes europeus, como os rivais ingleses Manchester City e Manchester United. Palpite do Bhaz: Candidato a Libertadores. Artilheiro do Timão na temporada: Luis Fabiano, com 11 gols. Quem mais entrou em campo este ano: Antônio Carlos, Paulo Henrique Ganso e Osvaldo, todos com 17 jogos. Desempenho na temporada: 18 jogos, dez vitórias, três empates e cinco derrotas; 32 gols marcados e 15 gols sofridos. Goleiros: Rogério Ceni, Denis e Renan Ribeiro Zagueiros: Antônio Carlos, Rodrigo Caio, Edson Silva, Paulo Miranda, Roger Carvalho e Lucas Silva Laterais-direitos: Luis Ricardo e Douglas Laterais-esquerdos: Alvaro Pereira, Reinaldo e Clemente Rodriguez Volantes: Souza, Wellington, Denílson, João Schmidt, Hudson e Fabrício Meias: Paulo Henrique Ganso, Maicon, Cañete, Lucas Evangelista e Boschilia Atacantes: Alexandre Pato, Luis Fabiano, Osvaldo, Pabón, Ademilson e Ewandro Técnico: Muricy Ramalho Time base: Rogério Ceni; Luis Ricardo, Antônio Carlos, Rodrigo Caio e Alvaro Pereira; Souza, Wellington (Maicon), Paulo Henrique Ganso e Pabón (Osvaldo); Alexandre Pato e Luis Fabiano. Nome: Sport Clube do Recife Fundação: 13 de maio de 1905 (108 anos) Estádio: Ilha do Retiro, em Recife (PE) Capacidade: 32.983 pessoas
  • 34. Campeão da Copa do Nordeste, o Sport tem um bom time que mescla bem juventude e experiência em todos os setores. Após o início ruim na temporada, o Leão resolveu trocar o comando de sua equipe e substituiu Geninho por Eduardo Baptista. O jovem treinador alcançou uma boa sequência de resultados. Campeão da Copa do Nordeste, o rubro-negro está perto de assegurar mais uma conquista no primeiro semestre: o Campeonato Pernambucano. Para realizar boa campanha no Campeonato Baiano, o treinador conta com a experiência de jogadores como o goleiro Magrão, o zagueiro Durval e o atacante Neto Baiano. Por outro lado, Eduardo Baptista conta com gratas revelações para esta temporada, como o atacante Erico Junior. Embora tenha um time bom, o primeiro objetivo do Sport é não ser rebaixado. Feito isso, quem sabe conseguir uma vaga em uma competição sul-americana. O craque O experiente Neto Baiano tem sido “o cara” do Sport neste início de temporada. Com um estilo provocador, o atacante marcou 15 gols nas 24 vezes que entrou em campo nesta temporada. O centroavante é a referência do esquema adotado pelo Eduardo Baptista. Fique de olho Habilidoso e muito veloz, Erico Junior já deu mostras que pode ser importante tanto na equipe titular quanto como uma espécie de 12° jogador do Sport. Como carência o atacante tem a finalização. Se aprimorar este quesito, poderá ser uma grata revelação deste Campeonato Brasileiro. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro do Leão na temporada: Neto Baiano, com 15 gols. Quem mais entrou em campo este ano: Neto Baiano, com 24 jogos. Desempenho na temporada: 25 jogos, 13 vitórias, cinco empates e sete derrotas; 33 gols marcados e 16 gols sofridos
  • 35. Goleiros: Magrão, Saulo e Flávio Zagueiros: André, Durva, Henrique Meza, Ferron e Oswaldo Lateral-direito: Patric Laterais-esquerdos: Marcelo Cordeiro, Renê, Danilo e Igor Volantes: Éwerton Pascoa, Rodrigo Mancha, Anderson Pedra, Augusto César, Bileu, Naldinho, Neto, Ronaldo, Welton e Wendel Meias: Aílton, Everton Felipe, Renan Oliveira e Robert Flores Atacantes: Neto Baiano, Erico Junior, Ananias, Felipe Azevedo, Leonardo, Sandrinho e Joelinton Técnico: Eduardo Baptista Time base: Magrão; Patric, Durval, Ferron e Renê (Danilo); Éwerton Pascoa, Rodrigo Mancha, Renan Oliveira e Aílton; Felipe Azevedo (Ananias) e Neto Baiano. Nome: Esporte Clube Vitória Fundação: 13 de maio de 1899 (114 anos) Estádio: Barradão, Salvador (BA) Capacidade: 35.000 pessoas O Vitória teve um início de temporada irregular. Após ser eliminado nas quartas de final da Copa do Nordeste com uma goleada por 5 a 1 para o Ceará, o rubro-negro baiano teve uma crescente e embalou uma boa sequência de resultados. Entretanto, na final do Campeonato Baiano, o Leão acabou sendo derrotado pelo seu maior rival, o Bahia, e viu a pressão dos torcedores retornar. No último Campeonato Brasileiro, o Vitória realizou boa campanha e, por pouco, não conseguiu uma vaga para a Copa Libertadores deste ano. Após perder Maxi Biancucchi, seu principal jogador na última temporada, para o Bahia, o Leão está apostando suas fichas na experiência de Juan e na juventude de William Henrique. O primeiro deixou a lateral esquerda e tem atuado como meia, posição na qual tem realizado boas apresentação. Já William, revelação da equipe no Brasileirão do ano passado, tem se firmado cada dia mais no clube.
  • 36. O craque O experiente lateral-esquerdo Juan tem sido o grande destaque da equipe nesta temporada. Revezando atuações como lateral e meia, o jogador entrou em campo 16 vezes neste ano e marcou oito gols. Revelação Acostumado a revelar grandes jogadores, o Vitória chega para esta temporada com mais uma promessa: Mansur. Quando Juan é deslocado para o meio-campo, é o jovem lateral que assume a posição. As boas atuações do jogador já chamaram a atenção do Atlético, que sondou o atleta. Palpite do Bhaz: Risco de rebaixamento. Artilheiro do Leão na temporada: Juan, com oito gols. Quem mais entrou em campo este ano: Wilson, com 21 jogos. Desempenho na temporada: 21 jogos, 11 vitórias, seis empates e quatro derrotas; 43 gols marcados e 26 gols sofridos. Goleiros: Wilson, Gustavo e Douglas Zagueiros: Matheus Salustiano, Rodrigo Defendi, Jonathan Ferrari, Luiz Gustavo, Dão e Vinícius Laterais-direitos: Ayrton e Nino Paraíba Laterais-esquerdos: Juan, Mansur, Euller e Danilo Tarracha Volantes: Luis Cáceres, José Welison, Marcelo, Lucas Zen, Neto Coruja, Gabriel Soares e Mineiro Meias: Mauri, Escudero, Felipe, Arthur Maia, Leilson e Matheus Henrique Atacantes: William Henrique, Caio, Marquinhos, Souza, Rômulo, Willie e Dinei Técnico: Ney Franco Time base: Wilson; Ayrton, Matheus Salustiano, Rodrigo Defendi e Juan (Mansur); Luis Cáceres, José Welison, Mauri (Juan) e Escudero; William Henrique e Souza (Caio).