O suicidio

19,582 views
19,159 views

Published on

Emile durkheim

Published in: Travel, Technology
1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
19,582
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,708
Actions
Shares
0
Downloads
710
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O suicidio

  1. 1. SOCRÁTES AZEVEDO LEISIANE JESUS CECÍLIA SUAREZ DÉBORA REIS LORENA VITÓRIO SUICÍDIO Prof.: Túlio Lucena
  2. 2. FATO SOCIAL COERÇAO SOCIAL CONSCIÊNCIA COLETIVA DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO SOLIDARIEDADE MECÂNICA SOLIDARIEDADE ORGÂNICA DIREITO REPRESSIVO NORMAL E PATOLÓGICO DIREITO RESTITUTIVO SUICÍDIO ANOMIA Émile Durkheim
  3. 3. Siguinificado do Suicídio s.m. Suicídio, do latim sui (próprio) e caedere (matar), é o ato intencional de matar a si mesmo. Sua causa mais comum é um transtorno mental que pode incluir depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, alcoolismo e abuso de drogas.
  4. 4. Problemas de integração do indivíduo na sociedade moderna “Todo caso de morte que resulte direta ou indiretamente de um ato positivo ou negativo praticado pela própria vítima, ato que a vítima sabia dever produzir resultado.” O SUICÍDIO
  5. 5. O SUICÍDIO •O comportamento de suicidar-se também possui causas sociais; •A sociedade é que explica o comportamento do indivíduo; •Toda sociedade tem, em cada momento de sua história, uma aptidão definida para o suicídio
  6. 6. Observar Ocorrência, principalmente as variações de ocorrência no tempo e no espaço, da coisa estudada no caso, a “taxa de mortalidade-suicídio própria à sociedade considerada” Comparar Explicar as ocorrências (as “taxas”) encontradas em diferentes momentos (anos) da mesma sociedade e em diferentes sociedades Procurar uma explicação social da coisa no caso, explicar as causas sociais do suicídio O SUICÍDIO
  7. 7. Observação de Durkheim sobre o Suicídio “Não somente a taxa (de mortalidade- suicídio) permanece constante durante longos períodos de tempo, mas sua invariabilidade é mesmo muito maior do que aquela observada nos principais fenômenos demográficos” O SUICÍDIO
  8. 8. Com base na observação pode concluir... “Num grau bem mais alto que as taxas de mortalidade, pessoais a cada grupo social do qual elas podem ser vistas como um índice característico” O SUICÍDIO
  9. 9. Curiosidade… Como Durkheim morreu? Morreu em 1917, supostamente pela tristeza de ter perdido o filho na Primeira Guerra Mundial, no ano anterior. Quem foi Durkheim ? Emile Durkheim nasceu em 1858, em Épinal, no noroeste da França, próximo à fronteira com a Alemanha. Era filho de judeus e optou por não seguir o caminho do rabinato, como era costume na sua família. Mais tarde declarou-se agnóstico. Depois de formar-se, lecionou pedagogia e ciências sociais na Faculdade de Letras de Bordeaux Suas obras mais famosas são A Divisão do Trabalho Social e O Suicídio
  10. 10. Sempre que esse ato for incapaz de fazer com que a morte suceda os próprios indivíduos “deliberam” sua auto-eliminação, para o cumprimento das taxas sociais de morte Morte Voluntária “tentativa de suicídio” O SUICÍDIO
  11. 11. TIPOS DE SUICÍDIO ALTRUÍSTA ANÔMICO O SUICÍDIO Indivíduo é fracamente integrados em uma sociedade, de modo que termina a sua vida terá pouco impacto no resto da sociedade EGOÍSTA indivíduo está extremamente ligado à sociedade e por isso não tem vida própria Existe uma fraca regulação social entre as normas da sociedade e do indivíduo e é frequentemente causada por dramáticas mudanças econômicas ou sociais
  12. 12. FATALÍSTA regulação social é completamente instilada no indivíduo. Não há esperança de mudança contra a disciplina opressiva da sociedade. Parece que a única maneira de escapar disso é o suicídio *NÃO se aproxime ou eu juro que vou morder !!
  13. 13. Suicídio egoísta: Quando os indivíduos não estão integrados às instituições ou a redes sociais que regulam suas ações e lhes imprimam a disciplina e a ordem (como a igreja, o trabalho, a família), acabam tendo desejos infinitos que não podem satisfazer; Os homens estão mais inclinados ao suicídio quando não estão integrados num grupo social, quando seus desejos não podem ser reduzidos à autoridade e à força impostos pelo grupo; Os indivíduos pensam essencialmente em si mesmos, sofrendo com depressão, melancolia e outros sentimentos. TIPOS SUICÍDIO
  14. 14. Suicídio anômico: Se deve a um estado de desregramento social, em que as normas estão ausentes ou perderam o sentido; Quando os laços que prendem os indivíduos aos grupos se afrouxam, há uma crise social que provoca o aumento desse tipo de suicídio; Atinge os indivíduos em função das condições de vida nas sociedades modernas; Correlação entre a freqüência do suicídio e as fases do ciclo econômico. TIPOS SUICÍDIO
  15. 15. Suicídio altruísta: Se trata do suicídio pelo completo desaparecimento do indivíduo no grupo; O indivíduo se mata devido a imperativos sociais, sem sequer pensar em fazer valer seu direito à vida; O indivíduo se identifica tanto com a coletividade que é capaz de tirar sua vida por ela (mártires, kamikases, honra, etc) TIPOS SUICÍDIO
  16. 16. O SUICÍDIO No Brasil, 4,9 pessoas a cada 100 mil morrem por suicídio. É uma das menores médias do mundo. Os maiores índices são do Rio Grande do Sul (11 para cada 100 mil), sendo Porto Alegre a capital com maior taxa de suicídios (11,9 para cada 100 mil). A cidade brasileira com o maior índice é o Município de Venâncio Aires, com mais de 40 casos a cada 100 mil habitantes.
  17. 17. Um milhão de pessoas cometeram suicídio no mundo em 2002 O SUICÍDIO A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo A cada 3 segundos uma pessoa atenta contra a própria vida O suicídio está entre as três maiores causas de morte em pessoas com idade de 15 a 35 anos Cada suicídio tem sério impacto em pelo menos outras 6 pessoas O impacto psicológico, social e financeiro do suicídio em uma família e sua comunidade é imensurável. DIMENSÃO DO PROBLEMA
  18. 18. O Suicídio hoje Mais de um milhão de pessoas cometem suicídio a cada ano, tornando- se esta a décima causa de morte no mundo. O SUICÍDIO d uma das principais causas de morte entre adolescentes e adultos com menos de 35 anos de idade.Entretanto, há uma estimativa de 10 a 20 milhões de tentativas de suicídios não-fatais a cada ano em todo o mundo. Em todo o mundo as taxas de suicídio aumentaram 60% nos últimos 50 anos, principalmente nos países em desenvolvimento. A maioria dos suicídios do mundo ocorrem na Ásia, que é estimada em até 60% de todos os suicídios do planeta. Segundo a Organização Mundial da Saúde, China, Índia e Japão podem ser responsáveis por 40% de todos os suicídios no mundo.
  19. 19. O suicida carrega em si um potencial grandioso para a vida, porém não consegue administrá-lo a seu favor: a morte aparece como término de espera, como liberação final para a vida: A vida se transforma em dor. A morte é o alívio. O SUICÍDIO
  20. 20. Todo suicídio é uma maneira de comunicação: a expressão drástica de emoção Antiguidade: o morto era privado de honras fúnebres  Atenas (séc IV): Cortava-se a mão direita e esta parte era enterrada distante do resto do corpo  Roma: pessoas privadas de sepultura  Zurique: O corpo do suicida era punido no local do ato; se o suicídio fosse com um punhal, enfiava-se uma madeira na cabeça do morto; se fosse afogado, era enterrado na areia perto da água.  França (séc XVI): O suicida só era enterrado com autorização  Religião Judaica: O suicida é enterrado a parte. O tema do suicídio historicamente evidencia-se por perseguição e repressão pela coletividade: O SUICÍDIO
  21. 21. FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS E AMBIENTAIS IDADE SEXO ESTADO CIVIL PROFISSÃO DESEMPREGO • homens cometem mais suicídio • mulheres tentam mais • jovens: 15 a 35 anos • idosos: acima de 75 anos • pessoas divorciadas / viúvas / solteiras • pessoas sozinhas • médicos • veterinários • farmacêuticos (maior taxa de suicídio) • químicos • agricultores • perda do emprego, mais do que estar desempregado { { { { { { O SUICÍDIO
  22. 22. • pessoas que mudaram da área rural para a urbana, ou diferentes regiões ou países FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS E AMBIENTAIS continuação: MIGRAÇÃO ESTRESSORES • problemas interpessoais: discussões com parceiros, famílias, amigos, namorados • rejeição / separação • Perdas: financeiras, de emprego, lutos, aposentadoria • mudanças sociais e políticas • outros fatores estressores FACILDADE DE ACESSO • fator determinante EXPOSIÇÃO • Adolescentes vulneráveis expostos ao suicídio na vida real ou através dos meios de comunicação { { { { { { O SUICÍDIO
  23. 23. Filme: O germinal O GERMINAL O filme Germinal é baseado no romance francês de Émile Zola, Germinal (de 1881). Este filme mostra a realidade dos operários franceses, retratando o processo de gestação de movimentos grevistas e de uma atitude mais ofensiva por parte dos trabalhadores das minas de carvão do século 19 na França em relação à exploração de seus patrões. O filme inicia com a vinda de um novo operário Etienne Lantier, o qual está desempregado e procura emprego na companhia de mineração. O cruel Chaval, o bondoso Toussaint Maheu e o amor de Catherine fazem parte de um cotidiano de miséria, maus-tratos, alcoolismo e uma rebelião que pode acabar em tragédia.
  24. 24. O filme apresenta o processo de produção no modelo capitalista do século XIX. Oposição entre necessidade humana e necessidades materiais (produção). O título do filme, "germinal", está relacionado ao "processo de gestação e maturação dos movimentos grevistas e de uma atitude mais ofensiva por parte dos trabalhadores das minas de carvão do século XIX na França em relação à exploração de seus patrões" por esta razão é que são citados, ao longo do filme, Marx, Engels e a Internacional socialista. O GERMINAL
  25. 25. Mostra a vida diária de um trabalhador nas minas de carvão e as precariedades em que viviam. Além de ser muito difícil conseguir emprego, os que são empregados têm um salário baixo que mal dá para sobreviver e sustentar a família que geralmente é enorme. O trabalho é pesado e os riscos são grandes. Nas minas ocorrem desabamentos, além dos riscos de explosões devido a circulação de gases em certos lugares da mina. O GERMINAL
  26. 26. Conclusão Este trabalho tentou evidenciar a influência que a sociedade exerce sobre o indivíduo, e uma vez que esta se modifica, o indivíduo terá de possuir os meios necessários para a poder acompanhar, isto é, situar-se individualmente dentro do coletivo, para não se abater num estado anômico. O SUICÍDIO “Durkheim levou esta perspectiva ao extremo desenvolvendo um estudo sociológico com base nas estatísticas francesas do suicídio, e chegando à conclusão que as forças maioritárias que levam o indivíduo a terminar com a própria vida são exteriores, isto é, o meio social em que este se encontra é que vai determinar o desfecho da sua vida.”
  27. 27. Conclusão O autor caracterizou três tipos diferentes de suicídio, anômico, egoísta e altruísta, e as razões pelas quais praticam um e não outro, baseando-se em características tão dispersas como o sexo, a religião, a família, a posição social, só para citar algumas. O SUICÍDIO Durkheim salienta que quanto maior o grau de coesão social menor será a tendência para o indivíduo por termo à própria vida. Na sociedade francesa de Durkheim, onde a maioria dos indivíduos eram católicos e em que a ida à Igreja é apenas semanal, nas zonas urbanas é mais comum o suicídio do que nas zonas rurais, uma vez que a individualidade é mais acentuada.
  28. 28. “Assim que o homem começa a viver, tem idade suficiente para morrer” Martin Heidegger
  29. 29. BIBLIOGRAFIA Falta colocar O SUICÍDIO

×