Your SlideShare is downloading. ×
Sistema digestório
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,273
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
132
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • A hérnia de hiato caracteriza-se por uma fraqueza do músculo diafragma. Este músculo divide o abdômen do tórax, e é por um espaço neste músculo, conhecido por hiato esofágico, que o esôfago penetra na cavidade abdominal. Devido ao alargamento deste espaço, uma parte do estômago desliza em direção ao tórax, o que se denomina hérnia de hiato. O maior inconveniente que a hérnia de hiato traz aos pacientes é a sua relação com o refluxo gastroesofágico. O refluxo se caracteriza pelo retorno do conteúdo do estômago (suco gástrico e alimentos) para o esôfago. Como a mucosa (revestimento interno) do esófago não está preparada para receber este tipo de conteúdo, já que este é muito ácido, ocorre uma inflamação do esófago, conhecida como esofagite. O tratamento da hérnia de hiato pode ser clínico ou cirúrgico, na dependência do tamanho da hérnia de hiato e da intensidade do refluxo gastroesofágico.
  • Sais biliares: esteróides que, a partir do colesterol, são sintetizados no fígado.
  • Quilomicrons : grandes partículas que transportam as gorduras alimentares e o colesterol para os músculos e outros tecidos
  • Indol e escatol: compostos voláteis oriundos da decomposição da matéria orgânica. Conferem odor característico às fezes.
  • Transcript

    • 1. Livro 1 página 57 a 70
    • 2. A DIGESTÃO Permite a quebra das macromoléculas presentes nosalimentos em suas unidades moleculares. Possibilita a absorção dos nutrientes e o seu transportepara as células do corpo humano. A nossa digestão é extracelular, realizada dentro deórgãos que compõem o tubo digestório. O processo digestório envolve as seguintes etapas:
    • 3. A ETAPAS DO PROCESSO DIGESTÓRIO Ingestão: captura do alimento pela boca; Mistura e movimentação do alimento: contraçõesmusculares misturam o alimento e as secreções emovimentam o alimento ao longo do trato gastrointestinal; Digestão: degradação do alimento por processosquímicos e mecânicos; Absorção: passagem do alimento digerido aos sistemassanguíneo e linfático para distribuição às células; Defecação: eliminação de substâncias não digeridas.
    • 4. A DIGESTÃO MECÂNICA Movimentos que auxiliam na digestão mecânica•Mastigação• Deglutição• Peristaltismo
    • 5. A DIGESTÃO QUÍMICA Série de reações que degradam as moléculas grandese complexas de carboidratos, lipídios e proteínas,transformando-as em moléculas simples, pequenas osuficiente para passar através das paredes dos órgãosdigestórios e as membranas celulares. Envolve a ação de enzimas específicas que degradamas moléculas presentes nos alimentos. As secreções contendo as enzimas podem serproduzidas por células da própria parede do tubodigestivo ou então por glândulas anexas, sendo lançadasno tubo digestivo.
    • 6. ENZIMAS DIGESTÓRIASAmilases: Digestão do amido. (amilase salivar, amilasepancreática).Proteases: digestão de proteínas. (pepsina, tripsina).Lipases: Digestão de lipídios. (lipase pancreática).
    • 7. ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DIGESTÓRIO Órgãos Glândulas Anexas• Boca• Faringe • Fígado• Esôfago • Pâncreas• Estômago • Glândulas Salivares• Intestino delgado• Intestino grosso• Ânus
    • 8. BOCA Cavidade revestida por umamucosa de tecido epitelial derevestimento estratificadopavimentoso não queratinizado. Abertura para a entrada doalimento no tubo digestório. Digestão Mecânica: MASTIGAÇÃO
    • 9.  Os dentes trituram ao alimento, reduzindo-o a pequenospedaços e misturando -o à saliva. A língua movimenta o alimento empurrando-o em direção àgarganta, para que seja engolido (deglutição). Receptor do sentido do paladar: PAPILAS GUSTATIVAS Papilas gustativas  células sensoriais percebem os quatro sabores primários: amargo (A), azedo ou ácido (B), salgado (C) e doce (D). Distribuição dos receptores gustativos na superfície da língua: não é homogênea. Combinação dos sabores primários: centenas de sabores distintos.
    • 10. EXERCÍCIOSLIVRO 1 PÁGINAS 59 E 60
    • 11. BOCA Digestão Química: SALIVA Glândulas salivares
    • 12.  Composição da saliva: 99,5% água, amilase salivar(ptialina), mucina e lisozima. A amilase salivar inicia a digestão do amido e do glicogênio,transformando-os em maltose. A mucina (glicoproteína) lubrifica o alimento, para facilitara mastigação e a deglutição. A lisozima destrói bactérias, protege a mucosa da boca deinfecções e os dentes de cáries. A água fornece um meio para dissolver os alimentos demodo a iniciar as reações digestivas e proporcionar adegustação.
    • 13. AÇÃO DA AMILASE SALIVAR
    • 14. A SECREÇÃO DA SALIVA Produzida pelas glândulas parótidas, submandibularese sublinguais. A estimulação é feita pelo SN autônomo. A estimulação parassimpática estimula a secreçãocontínua ou mais intensa (o alimento, seu cheiro...). Durante uma situação de stress, atua a estimulaçãosimpática, que provoca o ressecamento da boca por inibira produção de saliva.
    • 15. A DEGLUTIÇÃO É um mecanismo que movimenta o alimento da bocaao estômago. É auxiliado pela saliva e pelo muco. Envolve a boca, a faringe e o esôfago. É dividida em três etapas: voluntária, faríngea eesofágica.
    • 16. FARINGE E ESÔFAGOFaringe  situada no final da cavidade bucal canal comum aos sistemas digestório e respiratório por ela passa o alimento, que se dirige aoesôfago, e o ar, que se dirige à laringe.Esôfago  canal que liga a faringe ao estômago o bolo alimentar leva de 5 a 10 segundos parapercorrê-lo.Longo canal com paredes constituídas de músculoslisos de contração involuntária, responsáveis peloperistaltismo.
    • 17. A DEGLUTIÇÃO ETAPA VOLUNTÁRIA E FARÍNGEA
    • 18. A DEGLUTIÇÃO ETAPA ESOFÁGICA
    • 19. LIVRO 1 PÁGINA 62 E 63
    • 20. ESTÔMAGO O estômago é uma bolsa de parede musculosa,localizada no lado esquerdo abaixo do abdômen, logoabaixo das últimas costelas. É um órgão muscular que liga o esôfago ao intestinodelgado. Entre o esôfago e o estômago existe uma válvula(cárdia ou esfíncter cardíaco) que fica normalmente emestado de contração, funcionando como um esfíncter,impedindo o refluxo do alimento. Para que o alimento entre no estômago após adeglutição, ocorre o relaxamento da cárdia.
    • 21. DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO Refluxo do conteúdo estomacal para a parte inferiordo esôfago. Irritação da parede esofágica, sensação de queimação(azia), regurgitação, dor à deglutição, pode aumentar orisco de câncer de esôfago. Causas: incapacidade que tem a válvula cárdia de retero conteúdo do estômago, provocando a regurgitação,hérnia de hiato, excessiva produção de suco gástrico,ingestão de alimentos condimentados, gordurosos, fumoe alcoolismo, maus hábitos de alimentares, alergias asubstâncias presentes nos alimentos.
    • 22. A DIGESTÃO MECÂNICA NO ESTÔMAGO Vários minutos após a alimento entrar no estômago,movimentos peristálticos suaves denominados ondas demistura passam pelas paredes do estômago a cada 20segundos. Essas ondas maceram o alimento e o misturam com osuco gástrico, transformando-o em quimo. Cada onda de mistura força uma pequena quantidadedo quimo em direção ao duodeno, enquanto o restante éforçado para trás, onde será submetido a mais misturas.
    • 23. A DIGESTÃO QUÍMICA NO ESTÔMAGO Produção do SUCO GÁSTRICO (ácido clorídrico, muco,enzimas). As células da mucosa da superfície e do colo secretammucina, proteína que protege o estômago. As células parietais secretam ácido clorídrico e fatorintrínseco de B12 (absorção dessa vitamina). O HCl é bactericida e converte o pepsinogênio (enzimainativa) em pepsina (enzima ativa).As células principais secretam pepsinogênio. As células G produzem o hormônio gastrina.
    • 24. A DIGESTÃO QUÍMICA NO ESTÔMAGO
    • 25. A DIGESTÃO QUÍMICA NO ESTÔMAGO A renina, enzima que age sobre a caseína, uma dasproteínas do leite, é produzida pela mucosa gástricadurante os primeiros meses de vida. Seu papel é o de flocular a caseína, fazendo com queela fique mais tempo no estômago e seja melhor digerida,facilitando assim a ação de outras enzimas proteolíticas. A renina é produzida em grande quantidade noestômago de recém-nascidos e de crianças e em menorquantidade no estômago de pessoas adultas.
    • 26. INTESTINO DELGADODivisão: duodeno, jejuno e íleoDigestão: predominantemente noduodeno: suco entérico, suco pancreático, bile (não contém enzimas digestivas)Absorção do alimento: jejuno-íleo
    • 27. DUODENO Recebe o quimo do estômago, através do esfíncterpilórico. É onde se desembocam os canais contendo secreçõesdo pâncreas e a bile. JEJUNO Maior parte do intestino delgado. Apresenta milhões de pequenas dobras (vilosidadesintestinais), altamente vascularizadas. Aumento na superfície de absorção da paredeintestinal.
    • 28. ÍLEO Porção final do intestino delgado. É onde se completa a absorção dos nutrientes. Comunica-se com o intestino grosso, passando-lhe omaterial fecal.
    • 29. GLÂNDULAS ANEXAS E DIGESTÃO QUÍMICA  FÍGADO É a maior glândula do corpo humano, pesando 1,4 kgno adulto médio. Os lóbulos hepáticos consistem de fileiras dehepatócitos, que produzem a bile. Recebe sangue de 2 fontes: da artéria hepática própriaobtém sangue arterial e da veia porta do fígado recebesangue venoso contendo nutrientes recém-absorvidos.
    • 30.  FUNÇÕES DO FÍGADO• Produção da bile e de sais biliares.• Metabolismo dos carboidratos: converte glicose emglicogênio e degrada glicogênio em glicose. Converte certosaminoácidos e ácido lático em glicose. Converte frutose egalactose em glicose. Converte glicose em triglicerídeos paraarmazenamento.• Metabolismo de lipídios: armazena triglicerídeos e degradaácidos graxos.• Metabolismo das proteínas: síntese das proteínasplasmáticas – globulinas, albumina, fibrinogênio eprotrombina. Altera os aminoácidos para produzir ATP.Converte amônia em uréia.
    • 31.  FUNÇÕES DO FÍGADO• Remoção de drogas e hormônios.• Armazenamento: de glicogênio, vitaminas (A, B12,D, E e K) eminerais (ferro e cobre).• Fagocitose: células reticuloendoteliais estreladas fagocitamhemácias, leucócitos destruídos e algumas bactérias.• Ativação da vitamina D: além da pele, o fígado tambémparticipa da ativação desta vitamina.
    • 32.  A BILE• Líquido amarelado, marrom ou verde-oliva; pH ~ 7,6 a 8,6;contendo água e sais biliares; colesterol, pigmentos biliares evários íons.• Função: emulsificação de lipídios, facilitando a ação dalipase.• Principal pigmento: bilirrubina, derivada do heme dahemoglobina que é degradado de hemácias velhas. Quandoquebrada no intestino, forma a estercobilina que dá às fezes acor marrom.
    • 33.  PÂNCREAS É composto por dois tipos de células: As ilhotas de Langerhans, porção endócrina, que produz oshormônios insulina e glucagon.Os ácinos, porção exócrina, que secretam uma mistura deenzimas digestivas denominadas de suco pancreático. Produz o suco pancreático.Líquido claro e incolor que contém água, alguns sais, bicarbonatode sódio e enzimas.O bicarbonato de sódio reage com o ácido clorídrico do quimo,elevando o pH que fica levemente alcalino (~8). Isso interrompe a ação da pepsina e cria o ambiente correto paraas enzimas no intestino delgado.
    • 34.  AS ENZIMAS PANCREÁTICAS
    • 35. ATENÇÃO!!!! As enzimas que digerem proteínas são produzidas emforma inativa para impedi-las de digerir o própriopâncreas. A forma inativa é ativada no intestino delgado. Participação de uma enzima presente no suco entérico:ENTEROQUINASE Esse mecanismo também ativa as propeptidasesproduzidas pelo pâncreas em peptidases ativas.
    • 36. O INTESTINO DELGADO E A DIGESTÃO QUÍMICA Produção do suco entérico ou suco intestinal. Pequenas glândulas exócrinas localizadas na mucosado epitélio intestinal.
    • 37. ETAPAS DA DIGESTÃO QUÍMICA
    • 38. A ABSORÇÃO DE NUTRIENTES Passagem dos nutrientes digeridos do tratogastrintestinal ao sangue ou à linfa. Glicose e galactose são transportadas às célulasintestinais por transporte ativo. A frutose por difusãofacilitada. A seguir, esses monossacarídeos movem-se para foradas células intestinais por difusão facilitada e penetramnos capilares sanguíneos das vilosidades intestinais. O transporte dos aminoácidos para as célulasintestinais ocorre por transporte ativo e daí por difusãopara a corrente sanguínea.
    • 39.  Os monoglicerídeos e ácidos graxos de cadeia longa sãotransportados com o auxílio dos sais biliares, formandomicelas que passam por difusão para as célulasintestinais. Dentro das células intestinais muitos monoglicerídeos,ácidos graxos e glicerol são recombinados emtriglicerídeos. Estes são revestidos por proteínasformando os quilomicrons, saem da célula intestinal epenetram nas vilosidades.
    • 40.  As vitaminas lipossolúveis são absorvidas junto com ostriglicerídeos ingeridos na dieta. As vitaminas hidrossolúveis são absorvidas por difusão. Grande parte da água é absorvida no próprio intestinodelgado por osmose. O que sobrar será absorvido nointestino grosso.
    • 41. INTESTINO GROSSO Divisão: Ceco, cólon e reto Absorção de água. Formação e lubrificaçãodas fezes. O quilo permanece nointestino grosso por 3 a 10horas, torna-se sólido ousemi-sólido, como resultadoda absorção de água – são asfezes.
    • 42.  Constituição das fezes: sais, descamação de célulasepiteliais da mucosa, bactérias, produtos da decomposiçãobacteriana, partes não-digeridas de alimento e água. As bactérias fermentam quaisquer carboidratosrestantes e liberam H2, CO2 e CH4. Elas também convertem aminoácidos em substânciasmais simples: indol, escatol, H2S (sulfeto de hidrogênio) eácidos graxos. Que contribuem com o odor. Decompõem a bilirrubina. Sintetizam vitaminas do complexo B e vitamina K.
    • 43.  Os movimentos peristálticos no intestino grosso sãomais lentos. O alimento no estômago inicia uma açãoreflexa, que se propaga em direção ao intestino delgado eao intestino grosso. Na metade do colo transverso esse movimento seintensifica e impulsiona o conteúdo do colo ao reto. A defecação ocorre quando o músculo esfíncter do ânusrelaxa devido à pressão causada pela contraçãoinvoluntária do músculo do reto e a contração voluntáriado diafragma e dos músculos abdominais. O músculo esfíncter externo do ânus é voluntário e, sefor relaxado, a defecação ocorre. Caso contrário, adefecação pode ser adiada até a próxima onda peristáltica.
    • 44.  A diarreia ocorre quando o quimo passa rapidamentepelo intestino delgado e pelo intestino grosso, nãohavendo tempo para absorção de água. Pode ser causada por estresse ou micróbios que irritama mucosa intestinal.A prisão de ventre é causada pelo peristaltismo muitolento no intestino grosso. Ocorre muita absorção de água eas fezes ficam secas e duras, dificultando a defecação. Pode ser causada por hábitos alimentares inadequados,espasmos do colo, volume insuficiente de dieta, falta deexercícios e estresse.
    • 45. REGULAÇÃO HORMONAL DA DIGESTÃO

    ×