Stress

68,617 views
68,225 views

Published on

39 Comments
109 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
68,617
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
39
Likes
109
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Stress

  1. 1. Stress Área de projecto Coordenador: António Cadete Escola Secundária de Amares
  2. 2. “ Síndrome do Ser Humano Apressado”
  3. 3.  O que é?  Como se forma?  Quais os factores stressantes?  Que condicionantes?  Quais as consequências?  Quais as doenças relacionadas?  Que tipo de mudanças acontecem?  Que tipos de stress existem?  Quais as situações limite?  Como prevenir?  Que soluções a optar?
  4. 4. O porquê do tema… <ul><li>Inquietação quando se ouve a constante popularização da palavra; </li></ul><ul><li>Banalização do tema; </li></ul><ul><li>O stress quanto à origem de certas doenças: predisposição a outras; </li></ul><ul><li>Consideração do stress como doença pela comunidade científica; </li></ul><ul><li>Existência de poucos estudos científicos relativos ao assunto; </li></ul><ul><li>Completar obsoletas lacunas presentes no nosso conhecimento. </li></ul>
  5. 5. Introduzindo…
  6. 6. O stress é um mal típico do mundo moderno, da vida agitada e cheia de tensões. Vai muito além de um simples cansaço físico e mental. É causado pela acção de defesas orgânicas decorrentes de estímulos físicos, psicológicos ou psicossociais. <ul><li>Constitui uma adaptação do organismo e produz uma sucessão de transformações físicas e químicas accionadas pelo sistema nervoso. </li></ul><ul><li>“ O stress pode provocar desde uma simples dor de cabeça até um enfarte. Por outro lado, pode ser positivo quando nos ajuda a atingir um alto índice de eficiência.” </li></ul>O stress
  7. 7. Um pouco de história…
  8. 8. A evolução do conceito STRESS Primeiramente usado para descrever fenómenos físicos, como calor ou força aplicada . Considerado “A Epidemia dos anos 80”. Com a evolução do saber científico, o conceito passou a ser trabalhado com estatuto de ciência. Walter B. Cannon, fisiologista de Harvard, foi o 1º a explorar a bioquímica do susto (constatação do medo como não sendo unicamente psíquico). Ao longo do tempo, concluiu-se que o stress também é desencadeado por reacções orgânicas.
  9. 9. . . . 1º modelo de stress (Cannon,1932): “medo, luta, fuga”, designado actualmente por “reacção do stress”. Interligação do sistema nervoso, endócrino e límbico, aproximando-se o conceito de stress do que é hoje. Hans Selye, em 1936, define stress como um Síndrome Geral da Adaptação (alarme, resistência, exaustão). Em 1978, relação do conceito de stress com patologias de outro foro (explicação de doenças crónicas e envelhecimento precoce). Recentemente, através de experiências com animais, correlacionou-se a adrenalina e a hipertensão arterial, a imunidade natural e o stress social.
  10. 10. Definição de Stress <ul><li>O stress é a resposta do organismo </li></ul><ul><li>a acontecimentos que provocam </li></ul><ul><li>desequilíbrios no bem-estar. É provocado por qualquer acontecimento – positivo ou negativo – que nos obriga a mudar de comportamento. O agente responsável pode ser físico ou psicológico e ambiental. </li></ul>Fig. 1: Hans Selye
  11. 11. A reacção do stress
  12. 12. Como se dá a reacção de stress? O factor de stress Origem Um acontecimento Psicossocial Comportamental Biológica Física Uma situação Uma pessoa Um objecto
  13. 13. <ul><li>Reacção do stress: </li></ul><ul><li>há uma activação da amígdala no mesencéfalo; </li></ul><ul><li>no hipotálamo, um sinal é desencadeado; </li></ul><ul><li>o hipotálamo processa as informações e envia um mensageiro químico à hipófise; </li></ul><ul><li>isto estimula a hipófise que envia também o seu mensageiro químico para as glândulas supra-renais. </li></ul>“ A cascata do stress”
  14. 14. <ul><li>doses de adrenalina e cortisona são libertadas para o sangue pelas supra-renais, sendo mais a tarde a informação processada por uma estrutura do cérebro – sistema reticular; </li></ul><ul><li>este, por sua vez, decide se a essa informação deve ou não tornar-se consciente, desencadeando ou não, assim, alterações orgânicas. </li></ul>“ A cascata do stress” (Continuação)
  15. 15. Homeostasia É importante a adaptação do organismo às necessidades e obstáculos que surgem durante a vida, mantendo o equilíbrio interno do corpo.
  16. 16. Fig.2 Glândulas supra-renais Fig.3 Estrutura cerebral Fig.4 Reacção do stress
  17. 17. Mudanças comportamentais e fisiológicas
  18. 18. <ul><li>Músculos contraídos ou tensos; </li></ul><ul><li>Dores nas costas; </li></ul><ul><li>Cefaleias; </li></ul><ul><li>Problemas com o sono; </li></ul><ul><li>Cansaço; </li></ul><ul><li>Ritmo cardíaco acelerado; </li></ul><ul><li>Tremores e suores; </li></ul><ul><li>Zumbido nos ouvidos; </li></ul><ul><li>Sonolência ou desmaio; </li></ul>Sintomas físicos: <ul><li>Sensação de sufoco; </li></ul><ul><li>Dificuldade de deglutição; </li></ul><ul><li>Dores de estômago; </li></ul><ul><li>Enjoos ou vómitos; </li></ul><ul><li>Diarreia ou obstipação; </li></ul><ul><li>Necessidade frequente de urinar; </li></ul><ul><li>Perda de interesse no sexo; </li></ul><ul><li>Perda ou ganho de peso; </li></ul><ul><li>Desassossego. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Procrastinação; </li></ul><ul><li>Ranger os dentes; </li></ul><ul><li>Dificuldades em cumprir responsabilidades laborais; </li></ul><ul><li>Excessiva atitude crítica; </li></ul><ul><li>Agitação; </li></ul><ul><li>Punhos cerrados; </li></ul><ul><li>Alimentação desequilibrada; </li></ul><ul><li>Mudança de hábitos tabágicos; </li></ul><ul><li>Desejo de acompanhamento ou isolamento; </li></ul><ul><li>Falar de situações stressantes. </li></ul>Sintomas comportamentais:
  20. 20. Sintomas emocionais: <ul><li>Choro; </li></ul><ul><li>Sensação dominante de tensão; </li></ul><ul><li>Irritabilidade e desassossego; </li></ul><ul><li>Dificuldades em descontrair; </li></ul><ul><li>Nervosismo; </li></ul><ul><li>“ Ferver em pouca água”; </li></ul><ul><li>Falta de significado na vida; </li></ul><ul><li>Sensação de solidão; </li></ul><ul><li>Infelicidade sem causa aparente; </li></ul><ul><li>Depressão. </li></ul>
  21. 21. Sintomas cognitivos: <ul><li>Pensamentos de ansiedade; </li></ul><ul><li>Medo por antecipação; </li></ul><ul><li>Preocupação constante; </li></ul><ul><li>Deficiente poder de concentração; </li></ul><ul><li>Dificuldade em pensar; </li></ul><ul><li>Dificuldades de memória; </li></ul><ul><li>Perda de sentido de humor; </li></ul><ul><li>Indecisão; </li></ul><ul><li>Ausência de criatividade. </li></ul>
  22. 22. Em suma… A capacidade de administração de um certo número de factores que levam à sobrecarga é variável de pessoa para pessoa. Porém, ultrapassado um certo limite, o organismo entra em STRESS .
  23. 23. Factores stressantes
  24. 24. Factores stressantes Factor Stressor é um acontecimento, uma situação, uma pessoa ou um objecto capaz de proporcionar suficiente tensão emocional capaz de induzir à reacção de Stress. Natureza Emocional Ambiental Biológica Física
  25. 25. Acontecimentos causadores de stress
  26. 26. A força dos stressores depende mais da sensibilidade do sujeito do que do valor do objecto, ou seja, depende de “como” e “com que” peso a pessoa valoriza o acontecimento.
  27. 27. Escala quantitativa a respeito de um inquérito realizado: Stress Valor Morte do cônjuge 100 Divórcio 73 Prisão 63 Separação conjugal 63 Morte de aparente próximo 60 Doença ou incapacidade 53 Matrimónio 50 Desemprego 47 Reconciliação conjugal 45 Reforma 45
  28. 28. Consequências do stress
  29. 29. O stress pode influenciar a evolução e o desfecho de uma doença. A sua redução pode melhorar a qualidade de vida de um doente e ajudá-lo a ter um papel mais activo na mudança do estilo de vida e na diminuição dos factores de risco da doença.
  30. 30. O stress pode ter consequências a vários níveis: Sistema endócrino Sistema respiratório Sistema gastrointestinal Sistema cardiovascular Sistema nervoso Sistema imunológico
  31. 31. Doenças cardiovasculares Hipertensão Artrite Cefaleias AVCs Câncro Diabetes Stress acumulado Consequências nefastas Para a saúde Desta forma pode resultar em…
  32. 32. Infertilidade <ul><li>Talvez uma das mais importantes alterações ovarianas produzidas pelo stress é a infertilidade, ocasionada por anovulação. </li></ul>O stress associa-se ao tema, seja como causa, seja como consequência; conduz a alterações hormonais que na mulher afectam a função ovulatória e no homem afectam a produção normal de esperma.
  33. 33. O stress e o sistema imunitário <ul><li>Os estudos mostram que o sistema imunitário é afectado por fontes de stress a curto prazo. </li></ul>Uma vez afectado pelo stress, a rapidez com que o sistema imunitário recupera depende da fonte original do stress e do indivíduo em si.
  34. 34. Efeitos cardiovasculares <ul><li>A ansiedade e o stress constituem factores de risco importantes no desenvolvimento de doença cardiovascular. </li></ul><ul><li>Qualquer tipo de stress, ao activar a resposta corporal de luta ou fuga, aumenta a tensão arterial e a frequência cardíaca. </li></ul>
  35. 35. O stress e as perturbações gastrointestinais <ul><li>O stress pode provocar contracções anormais do intestino delgado e do cólon e afectar o ritmo do trânsito intestinal; úlceras nervosas são susceptíveis de aparecer no estômago. </li></ul>
  36. 36. Ansiedade <ul><li>Viver ansiosamente passou a ser considerado uma condição do homem moderno ou um destino comum ao qual todos estamos, de alguma maneira, “atrelados”. </li></ul>O grande objectivo da ansiedade é o de proteger o organismo!
  37. 37. Depressão A depressão é uma das doenças psiquiátricas mais frequentes. A depressão é uma doença de contornos indefinidos, que provoca o sofrimento de milhões de pessoas em todo o Mundo, incluindo crianças.
  38. 38. <ul><li>Quando a tristeza teima em permanecer e a pessoa não é capaz de lidar com ela, o melhor é pedir ajuda. A depressão é mais comum do que pensamos. Tratar é sempre a melhor solução. </li></ul>
  39. 39. O lado positivo do stress
  40. 40.  A manifestação do stress pode ser muito útil. A adrenalina capacita a pessoa a realizar feitos hercúleos. Quando devidamente invocada, a reacção do stress ajuda-nos a enfrentar muitos desafios. O lado positivo do stress
  41. 41. Eustress e distress
  42. 42. Eustress (fase positiva) Distress (fase negativa) <ul><li>vitalidade; </li></ul><ul><li>entusiasmo; </li></ul><ul><li>optimismo; </li></ul><ul><li>perspectivas positivas; </li></ul><ul><li>resistência à doença; </li></ul><ul><li>vigor físico; </li></ul><ul><li>lucidez mental; </li></ul><ul><li>sãs relações humanas; </li></ul><ul><li>alta produtividade e criatividade. </li></ul><ul><li>fadiga; </li></ul><ul><li>irritabilidade; </li></ul><ul><li>falta de concentração; </li></ul><ul><li>depressão; </li></ul><ul><li>pessimismo; </li></ul><ul><li>doenças; </li></ul><ul><li>acidentes; </li></ul><ul><li>dificuldade de comunicação; </li></ul><ul><li>baixa produtividade e criatividade </li></ul>
  43. 43. Não podemos eliminar o stress <ul><li>Fisiologicamente, a ausência total de Stress equivale à morte (Selye). </li></ul>O estado de stress está intimamente relacionado com a capacidade de adaptação do indivíduo à circunstância actual. Impreterivelmente, ele contribui para a sobrevivência das espécies e, claro está, a nossa.
  44. 44. <ul><li>O stress é inevitável enquanto vivemos. </li></ul><ul><li>A algumas fontes de stress </li></ul>não podemos escapar enquanto que outras podemos evitar ou manejar O que é grave é que a maioria de nós não distingue entre uma situação e outra. Controlar o stress
  45. 45. Uma alimentação favorável ajuda a combater o distress. Um corpo saudável é meio caminho para uma mente sã. Stress e nutrição Um stress elevado pode levar a carências de minerais essenciais como o magnésio, cálcio ou zinco; evitar a ingestão de café, chá ou colas, que contêm cafeína.
  46. 46. Stress nas crianças <ul><li>Várias experiências tem mostrado que o stress também existe nas crianças, já que estas também têm de se adaptar a novos desafios que a vida lhes coloca. </li></ul>Ex.: Entrada na escola .
  47. 47. Stress nos estudantes Personalidade (Percepção única do mundo) Expectativas Sentimentos Experiências
  48. 48. Stress nos estudantes Os adultos queixam-se mais de stress do que os jovens, mas estes também o sentem, sendo actualmente os mais vulneráveis.
  49. 49. Stress nos estudantes Actualmente, a responsabilidade do estudante é maior do que antes: a corrida aos diplomas é mais competitiva, num mundo onde não é fácil encontrar emprego. O que está em jogo é o sucesso da vida profissional, isto é, o cumprimento das aspirações de cada um, e a sociedade tem exigências cada vez maiores para com os jovens diplomados. “ O poder das expectativas”
  50. 50. Inquéritos aos estudantes Resultados e conclusões:
  51. 51. Os alunos da ESA estão stressados? Objectivo: Conhecer o nível de stress dos estudantes do ensino secundário da ESA. A nossa amostra… <ul><li>Alunos do 10º ano (122 estudantes) </li></ul><ul><li>Alunos do 11º ano (126 estudantes) </li></ul><ul><li>Alunos do 12º ano (131 estudantes) </li></ul>
  52. 52. Concluindo…
  53. 53. Stress ocupacional
  54. 54. Stress ocupacional Na década de 50 investigadores concluem que variáveis inerentes ao local de trabalho podem induzir stress, criando-se assim o conceito de Stress Ocupacional. Ora, o stress profissional aparece quando há uma falha na adequação entre a pessoa e as exigências colocadas pela organização na qual trabalha.
  55. 55. Stress ocupacional &quot;Hoje sinto-me stressado!&quot; É uma expressão habitual nos nossos ambientes de trabalho e, embora já não existam &quot;profissões que não geram stress&quot;, há ocupações e circunstâncias laborais que produzem sinais de stress mais evidentes do que outras.
  56. 56. Nos dias de hoje, o stress representa um grande encargo financeiro para as organizações. Experiências com animais provaram que um grau muito baixo de stress limita a qualidade do desempenho. Quando a tensão é moderada, o desempenho sobe. Finalmente, se o stress é intenso e prolongado, o desempenho cai. Isto é conhecido como a lei Yerkes-Dodson . Este princípio pode ser equiparado no campo humano. Stress ocupacional
  57. 57. Stress nos docentes A docência é, apontam alguns pesquisadores, uma das profissões que mais causa desgaste emocional e stress.
  58. 58. Alguns problemas que envolvem a profissão docente indisciplina dos alunos violência nas escolas insuficiência de apoios falta de condições trabalho intenso desvalorização social
  59. 59. Factores que favorecem o aparecimento do stress nos docentes <ul><li>Aumento das exigências e expectativas sociais em torno da profissão docente; </li></ul><ul><li>Os docentes vivem constantemente o conflito entre o papel de educador e o de transmissor de conhecimentos; </li></ul><ul><li>É-lhes exigido que acompanhem as constantes mudanças sociais, a modificar os materiais didácticos e a diversificar os programas de ensino; </li></ul><ul><li>Têm um trabalho excessivo e estão sujeitos, à pressão constante do tempo; </li></ul>
  60. 60. <ul><li>Uma vez identificada a origem do stress na nossa vida são grandes as hipóteses de o ultrapassarmos; é possível evitar ou, pelo menos, combater o declínio físico e algumas dificuldades relacionadas com a idade. </li></ul>Idade e stress
  61. 61. Género e stress Estudos realizados em muitos países revelam que as mulheres sofrem mais de stress do que os homens .
  62. 62. Tratar o stress Mais do que identificar o que pode ser gerador de stress, importa olhar este problema pela positiva e descobrir que factores permitem ultrapassá-lo. <ul><li>Aqui ficam alguns conselhos </li></ul><ul><li>Faça uma boa alimentação. Beba com moderação. Revitalize o seu estilo de vida; </li></ul><ul><li>Proponha-se a ler um livro todos os meses; </li></ul><ul><li>Pratique exercício, duas a três vezes por semana, de acordo com suas possibilidades físicas. Fazer ginástica liberta endorfinas que são os nossos Anti-depressivos naturais e aumentam o nosso bem-estar; </li></ul><ul><li>Mantenha o bom humor em qualquer circunstância. </li></ul>
  63. 63. Sugestões para evitar stress <ul><li>Aprenda e pratique uma técnica de relaxamento; </li></ul><ul><li>Afaste-se de situações angustiantes ou conflituosas; </li></ul><ul><li>Evite levar para casa problemas relacionados com o trabalho; </li></ul><ul><li>Reparta o seu tempo equilibradamente entre trabalho, lazer e família; </li></ul><ul><li>Quando estiver sobrecarregado de trabalho, faça um período de descanso, lembre-se que o stress pode desencadear doenças graves; </li></ul><ul><li>Ouça música, viaje no pensamento, crie formas diferentes de ritmos; </li></ul><ul><li>Transforme os seus problemas em desafios. </li></ul>
  64. 64. Dez fórmulas anti-stress: 1 - Acorde mais cedo 2 - Planeie o seu dia 3 - Defina prioridades 4 - Saiba dizer não 5 - Crie bom ambiente 6 - Aprenda a relaxar 7 - Mude de rotina 8 - Tenha vida social 9 - Dedique-se a uma actividade criativa 10 - Melhore a sua vida sexual
  65. 65. As plantas que combatem o stress – fitoterapia <ul><li>As plantas medicinais também podem ser uma ajuda muito grande no combate aos sintomas do stress. </li></ul><ul><li>Exemplos de plantas medicinais : </li></ul><ul><li>Ginseng Coreano </li></ul><ul><li>Ginkgo Biloba </li></ul><ul><li>Jarsin Extract </li></ul><ul><li>Kawa-Kawa </li></ul><ul><li>Yam Mexicano </li></ul><ul><li>… </li></ul>
  66. 66. Diário: escrever para aliviar o stress Uma forma segura de decantar qualquer emoção – mesmo os sentimentos mais terríveis ou tristes – é escrever um diário. Uma folha de papel em branco e uma caneta podem dar um tremendo alívio e, possivelmente revelar conflitos escondidos. Sabias que…
  67. 67. Sites mal concebidos podem provocar stress e ansiedade A lentidão no carregamento dos conteúdos, a paginação confusa ou de difícil navegação, muitos pop-ups, publicidade desnecessária e sites inacessíveis são os cinco erros habitualmente cometidos na concepção das páginas de Internet que acabam por provocar stress nos utilizadores da Internet.
  68. 68. Processo de maturação Pesquisas revelam que situações familiares stressantes e experiências traumáticas na infância estão relacionadas com níveis elevados de cortisol e especulam que este facto poderia conduzir a uma mudança no tempo de amadurecimento das glândulas adrenais.
  69. 69. <ul><li>Depressão: </li></ul><ul><li>Nos últimos três anos, os antidepressivos subiram de escalão, o Serviço Nacional de Saúde comparticipava-os em 40% e passaram para os 70%, isto porque se trata de medicamentos relevantes para doenças importantes e frequentes. </li></ul><ul><li>Porém, a comparticipação pode contribuir para o uso excessivo destes medicamentos. </li></ul><ul><li>Consultas: </li></ul><ul><li>Aproximadamente 50 a 75% de todas as consultas médicas estão directa ou indirectamente relacionadas ao Stress. </li></ul>Sabias que…
  70. 70. O nosso Blog
  71. 72. Exercícios de relaxamento A prática regular de técnicas de relaxamento ajuda o corpo a livrar-se dos efeitos cumulativos do stress. O exercício melhora os níveis de colesterol, pressão arterial e o sistema imunitário. O exercício melhora o metabolismo e a boa disposição. Se fizer exercício logo após um episodio stressante estará a esgotar as hormonas que provocam o stress. Quase todas as formas de movimento ajudam a aliviar a tensão dos músculos. Certas actividades como o Ioga, Tai Chi, Qi Gong promovem o relaxamento. Aprender a relaxar
  72. 73. Vivemos numa sociedade Deveras stressante Andamos num corrupio Não pensamos um instante. Andam todos a correr Parece que o mundo vai acabar Vivem cada momento Com a pressa de chegar. Assim é a agitação Ninguém pára para pensar E nesta longa correria Acabam por se stressar. Só assim é que desaceleram Porque o stress está a vencer Acabam no psicólogo Com medo de enlouquecer. Começam a estar cansados De tamanha agitação Acabando por ficar doentes Dependentes da medicação. O STRESS
  73. 74. Pensar positivo… <ul><li>Agir, não reagir. Planifiquem a vida como se existisse um “plano B”. </li></ul>03/29/07
  74. 75. Bibliografia <ul><li>SILLAMY, Norbert ; Dicionário Temático Larousse – Psicologia; Círculo de Leitores, edição número 4217. </li></ul><ul><li>Nova Enciclopédia Larousse , volume XXI, Círculo de leitores, edição número 4478. </li></ul><ul><li>DORTU, Jean-Claude; Combater o “Stress” Do Estudante – Colecção Saber Aprender, Porto Editora, 1993. </li></ul><ul><li>Nova Enciclopédia Larousse , volume XXI, Círculo de leitores, edição número 4478. </li></ul><ul><li>Soares-Fortunato JM. Comportamento plaquetário em stress . Lição à escolha em provas de Agregação. Faculdade de Medicina do Porto, 1990. </li></ul><ul><li>Soares-Fortunato JM. Iodo e hormonogénese tiroideia. Dissertação de Doutoramento. Faculdade de Medicina do Porto, 1973. </li></ul><ul><li>Como controlar o stress, Dossier de Saúde da Escola de Medicina de Hardvard. </li></ul>
  75. 76. http:// www.psisalpicos.blogspot.com http:// www.pfizer.pt / saude / sex_dis_pato.php / http:// expressoemprego.clix.pt / scripts /indexpage.asp?headingID=4457 http:// cie.fc.ul.pt /membros/ mcesar /textos%202000/ Stress.pdf http://www.naturaville.com.br/telas/pagina.asp?id=4 - 19k http://www.prodep.minedu.pt/newsletter/Newsletter%20n http://www.videogest.pt/catalogo/it170004.htm http:// www.prosaude1234.hpg.ig.com.br/habitosalimentares http:// www.psiqweb.med.br/cursos/intro.html http:// www.who.int/entity/whr/2001/en/whr01_po.pdf http://cardiologia.browser.pt/PrimeiraPagina.aspx http://www.medicosdeportugal.iol.pt/action/2/topic/24/type/1/ http:// www.jorgebastosgarcia.com.br/endocrino3.html http://www.acores.com/a/telemoveis-provocam-ansiedade http:// www.jorgebastosgarcia.com.br/endocrino3.html http://www.sosdepressao.com.br/abordagem.htm http:// www.psiqweb.med.br/cursos/fisio2a.html http://www.coursejournal_medicina.blogs.sapo.pt http://www.redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf / Cibergrafia:
  76. 77. Trabalho realizado por: <ul><li>Andreína Silva . . . . . Nº 2 </li></ul><ul><li>Cláudia Pinheiro. . . . Nº 5 </li></ul><ul><li>Diana Teixeira . . . . . Nº 6 </li></ul><ul><li>Flávia Neves . . . . . Nº 11 </li></ul>12ºA
  77. 78. http://esa-vs-stress.blogspot.com/ Lala

×