Your SlideShare is downloading. ×
0
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Tumores
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,264
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
156
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Transcript

    • 1. Tumores Renais Edson Paschoalin
    • 2. Tumores Benignos
      • Leiomioma
      • Hemangioma
      • Lipoma
      • Tu células justaglomerulares
    • 3.  
    • 4. Tumores com Potencial Maligno
      • Oncocitoma (3% tu renais) 2:1
      • Angiomiolipoma (hamartoma) 3% Tu renais; 1:8
      • Adenoma
    • 5.  
    • 6. Tumores Malignos
      • Wilms
      • Adenocarcinoma (Tu células renais) (80% Tu renais) 2:1
    • 7.  
    • 8.  
    • 9. Manifestações clínicas dos Adenocarcinomas Renais
      • Clínica Freqüência
      • Hematúria 59%
      • Massa 45%
      • Dor 41%
      • Perda de peso 28%
      • Anemia 21%
      • Sintomas de mestástases 10%
      • Tríade clássica 9%
      • Febre 7%
      • Incidental 7%
      • Eritrocitose 3%
      • Varicocele 2%
    • 10. Síndrome Paraneoplásicos Associados ao Adenocarcinoma
      • Síndrome Freqüência Causa
      • Anemia 41% Fator mielotóxico
      • Hipertensão 38% Renina, prostaglandinas
      • Febre 17% Fator hepatotóxico
      • Hipercalcemia 6% Paratormônio, prostaglandinas
      • Policitemia 4% Eritropoetina
    • 11. Diagnóstico
      • Anemia (30%)
      • Hematúria (60%)
      • Ultra-sonografia
      • Urografia excretora (calcificação)
      • Tomografia computadorizada
        • Alta sensibilidade e especificidade
      • Ressonância magnética
      • Radioisótopos (rastreamento de metástases ósseas)
      • Arteriografia renal (angioressonância)
    • 12. Sistematização para Avaliação de Massa Renal Hematúria, massa renal Ultra-sonografia Tomografia computadorizada Cística Complexa Sólida Nada Angiografia Cirurgia Hipovascular Hipervascular Punção lombar Cirurgia Contraste Análise bioquímica Radiografia
    • 13. Tratamento
      • Nefrectomia radical (rim, adrenal, gordura perirrenal, fáscia de Gerota, retirada completa dos linfonodos retroperitoniais do hilo renal até a bifurcação da ilíaca)
      • Resistentes a radioterapia e quimioterapia
    • 14. Classificação pelo Sistema TNM
      • Tx Tumor primário não-avaliado
      • T0 Sem evidência de tumor primário
      • T1 Tumor < 2,5 cm e limitado ao rim
      • T2 Tumor > 2,5 cm e limitado ao rim
      • T3 Tumor estendendo-se para a veia renal ou veia cava inferior, invasão de adrenal ou tecido perinéfrico, sem extensão além da fáscia de Gerota
      • T3a Invasão da adrenal ou tecidos perinéfricos, preservando estruturas além da fáscia de Gerota
      • T3b Extensão tumoral para a veia renal ou veia cava inferior
      • T3c Extensão tumoral para a veia cava inferior acima do diafragma
      • T4 Invasão além da fáscia de Gerota
    • 15. Linfonodos Regionais
      • Nx Linfonodos não-avaliados
      • N0 Ausência de linfonodos metastásticos
      • N1 Metástase em um único linfonodo, < que 2cm
      • N2 Metástase em um único linfonodo > que 2cm e < que 5cm
      • N3 Metástase em linfonodo > que 5 cm
    • 16. Metástases à Distância
      • Mx Presença de metástase à distância não avaliada
      • M0 Ausência de metástase à distância
      • M1 Presença de metástase à distância
    • 17. “ A messe é abundante, mas os operários são poucos; pedi,pois ao Senhor que mande mais operários para a messe” (São Lucas)
    • 18. Tumor de Wilms
      • Max Wilms, 1899, Tu renal misto
      • Incidência: neoplasia + frequente da infância ( 8: 1.000.000)
      • Ambos sexos: pico em tôrno 3 anos (75% entre 1 e 5 anos) ; 5% dos casos é bilateral
      • Forma esporádica ou familiar ( + precocemente e bilateral)
      • Anomalias associadas (15%) :
        • Genitourinárias: Criptorquidia, hipospádia, rins fundidos, duplicidade pieloureteral
        • Aniridia (Lesão ocular)
    • 19. Tumor de Wilms
      • Etiologia : Restos do blastema metanefrogênico
      • Estadiamento : I a V
      • Metástases : Localmente (retroperitonial, veia renal, ggl. regionais);
        • 10% para pulmão, fígado, ossos, cérebro
      • Prognóstico:
        • Idade paciente, extensão doença (estadiamento)
        • Tipo histológico, ressecabilidade cirúrgica
      • Clínica:
        • Percepção massa abdominal ( 90% )
        • Dor abdominal e hematúria macroscópica ( 20%)
    • 20. Neoplasia de Pelve Renal e de Ureter
      • CPRs raros, 6% dos Tu renais; 3:1; 60-70 anos
      • Relação tu rim, bacinete, ureter = 51:3:1
      • CPRs: fumo, analgésico (fenacetina), anilina
      • I.U. crônica associada litíase renal (Câncer epidermóide pelve renal)
      • Associação CPR a Tu bexiga é freqüente (30 a 75%)
    • 21.  
    • 22. Diagnóstico
      • Hematúria
      • Indolor, cólica renal (coágulos)
      • Obstrução: dor surda e contínua
      • Tu assintomático (descobertos acidentalmente)
      • U.Excretora: defeito de enchimento bacinete, cálices
    • 23.  
    • 24.  
    • 25. Diagnóstico
      • Diferencial
        • Coágulo, cálculo radiotransparente, bola de fungo, papila necrótica
      • Cistoscopia
        • Possibilidade Tu vesical concomitante
      • Citologia urinária ajuda se positiva (muitos falso-negativo)
      • Estadiamento: CT tórax, abdômen
    • 26. Tratamento
      • Nefroureterectomia com pequena Cistectomia homolateral
    • 27. “ A messe é abundante, mas os operários são poucos; pedi, pois ao Senhor que mande mais o operários para a messe” (São Lucas) “ O segredo da felicidade é fazer do seu dever o seu prazer” Ulisses Guimarães
    • 28. Carcinoma de Uretér
      • Raros, 1% Tu malignos trato urinário superior
      • 7º década, 3:1
      • Terço inferior: 70%
      • Associados câncer bexiga 30 a 50%
    • 29.  
    • 30.  
    • 31. Câncer de Bexiga
      • Após próstata, + freqüente do homem
      • 5ª causa óbito pacientes + 75 anos
      • Incidência aumenta com + idade
      • Menos 1% antes 4ª década
      • 3-5 vezes + freqüente homens
    • 32. Câncer de Bexiga
      • 18 a 35% carcinógenos
      • Aminas aromáticas, tabagistas
      • Natureza epitelial
      • 90% dos casos  células transicionais
      • 6% dos casos  células epidermóides
      • 1 a 2% dos casos  adenocarcinomas
    • 33.  
    • 34. CIS (Carcinoma in situ )
      • Lesão plana, intra-epitelial
      • Aspecto endoscópico:
        • Normal / levemente aveludado
    • 35.  
    • 36. Quadro Clínico
      • 70 a 85%
        • Hematúria indolor
      • 20%
        • Sintomas irritativos
      • 7%
        • Sintomas relacionados a metástases
    • 37. Diagnóstico
      • Ultrasonografia
      • Cistoscopia
        • Lavado vesical para citologia oncótica
      • CT/RM para avaliação pélvica (cirurgia radical)
      • Laboratório: BTA (bladder tumor antigen) ; NMP22 ; ácido hialurônico
    • 38.  
    • 39.  
    • 40. Fatores de Risco de Recorrência e Progressão da Doença após Tratamento Inicial de Tumores Vesicais superficiais
      • Baixo risco Alto risco
      • Estádio Ta Tis ou T1
      • Grau G1 ou G2 G3
      • Recidivas prévias Não Sim
      • Multiplicidade Isolado Múltiplo
      • Associação com CIS Não Sim
      • Ploidia Diplóide Aneuploide, tetraploidia
      • Anomalia do gene p53 Ausente Presente
    • 41. Tratamento
      • Estadiamento
        • Superficiais
        • Infiltrativos
        • Metastásticos
      • RTU da lesão
      • Cistectomia parcial
      • Gold standard
        • Cistectomia radical com linfadenectomia pélvica, associada à derivação urinária
    • 42. “ É terrível verificar que nossa tecnologia é maior que nossa humanidade” Albert Einstein
    • 43. Tumor de Testículo
      • Germinativos ( 90% )
      • Não-germinativos
        • Primários (tu cél. Leydig, tu cél Sertoli, sarcomas)
        • Secundários
          • Linfomas e metástases
    • 44. Germinativos
      • 0,5% neoplasias homem
      • 1:50.000 homens
      • Incidência aumentou 51%, mortalidade reduziu 70%
      • Criptorquidia aumenta 50 vezes
        • 85% testículos criptorquídicos
        • 15% testículo normal
    • 45. Diagnóstico
      • Aumento testicular indolor, ou simulando orquiepididimite
      • Ultra-som  massa sólida
      • Marcadores séricos:
        •  -HCG
        •  -fetoproteína
      • DHL elevado – maior massa tumoral dos seminomas
    • 46. Tratamento
      • Orquiectomia inguinal + radioterapia, quimioterapia e/ou linfadenectomia
    • 47. “ Os amigos fiéis são como o sol, que não precisa aparecer todos os dias para sabermos que ele existe” Noé Bonfim
    • 48. Tumor de Pênis
      • Malignos
        • Carcinoma epidermóide do pênis (95%)
        • Carcinoma verrucoso
        • Basocelular
        • Melanoma
        • Sarcoma
          • 1% de todos as neoplasias
          • Brasil: varia de acordo com a região Norte/Nordeste: 50/100.000 habitantes
        • Fimose e baixas condições socioeconômicas
    • 49.  
    • 50.  
    • 51.  
    • 52. “ Ouça o paciente. Ele lhe dará o diagnóstico” Hermann Blurigart

    ×