Câncer de Pulmão<br />
INTRODUÇÃO<br /><ul><li>  Este câncer tem sua origem nas células dos pulmões, órgãos esponjosos localizados na região peit...
  O tumor de pulmão, assim como outras doenças cancerígenas, desenvolve-se por meio da multiplicação desordenada de célula...
 Elas formam a lesão e destroem os tecidos adjacentes, </li></ul>podendo atingir a circulação e acometer outras <br />part...
INTRODUÇÃO<br /><ul><li> De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pulmão, cuja incidência mundial ...
 A doença é classificada em pequenas células e não pequenas células. Esta última, composta por tipos variados de células, ...
 Para o pulmão se proteger das agressões da fumaça e das substâncias nocivas do cigarro, ocorre uma transformação da mucos...
 Esse processo pode gerar células anormais (malignas) e, com isso, formar lesões locais e metastáticas.</li></li></ul><li>...
SINTOMAS<br /><ul><li> Vale ressaltar que o câncer de pulmão é uma doença incomum em quem não fuma.
 Em seu estágio inicial, o câncer de pulmão geralmente é assintomático;</li></li></ul><li>SINTOMAS<br /><ul><li> Quando os...
 Tosse;
 Expectoração com sangue;
 Falta de ar;
 Dor torácica;
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Câncer de pulmão

11,109

Published on

Published in: Health & Medicine
1 Comment
11 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
11,109
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Câncer de pulmão"

  1. 1. Câncer de Pulmão<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br /><ul><li> Este câncer tem sua origem nas células dos pulmões, órgãos esponjosos localizados na região peitoral do corpo e responsáveis pela absorção do ar inalado e pela liberação do dióxido de carbono exalado pelo indivíduo.
  3. 3. O tumor de pulmão, assim como outras doenças cancerígenas, desenvolve-se por meio da multiplicação desordenada de células anormais, denominadas malignas.
  4. 4. Elas formam a lesão e destroem os tecidos adjacentes, </li></ul>podendo atingir a circulação e acometer outras <br />partes do organismo. Esse fenômeno é <br />conhecido como metástase.<br />
  5. 5. INTRODUÇÃO<br /><ul><li> De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pulmão, cuja incidência mundial aumenta em 2% a cada ano, é o mais comum de todos os tumores malignos.
  6. 6. A doença é classificada em pequenas células e não pequenas células. Esta última, composta por tipos variados de células, é responsável por 75% dos casos, segundo dados do INCA.</li></li></ul><li>CAUSAS<br /><ul><li> A principal causa do câncer de pulmão é o tabagismo, sendo responsável por 90% dos casos, de acordo com levantamento feito pelo INCA
  7. 7. Para o pulmão se proteger das agressões da fumaça e das substâncias nocivas do cigarro, ocorre uma transformação da mucosa causada por alterações celulares importantes.
  8. 8. Esse processo pode gerar células anormais (malignas) e, com isso, formar lesões locais e metastáticas.</li></li></ul><li>Sílica<br />Cromo<br />Níquel<br />Poluição atmosférica e a exposição a radiações ionizantes <br />Asbesto e outras fibras minerais<br />CAUSAS<br />Outras causas menos comuns de câncer de pulmão (> 10% dos casos):<br />Arsênico e hidrocarbonetos policíclicos<br />Fatores genéticos<br />
  9. 9. SINTOMAS<br /><ul><li> Vale ressaltar que o câncer de pulmão é uma doença incomum em quem não fuma.
  10. 10. Em seu estágio inicial, o câncer de pulmão geralmente é assintomático;</li></li></ul><li>SINTOMAS<br /><ul><li> Quando os primeiros sinais clínicos começam a se manifestar, é comum haver:
  11. 11. Tosse;
  12. 12. Expectoração com sangue;
  13. 13. Falta de ar;
  14. 14. Dor torácica;
  15. 15. Sibilos (chiado no peito);
  16. 16. Rouquidão ;
  17. 17. Infecções freqüentes (pneumonia).
  18. 18. Também podem ocorrer sinais de cansaço (fadiga), perda de apetite e inchaço na face e no pescoço. </li></li></ul><li>DIAGNÓSTICO<br /><ul><li> Como os sintomas são muito semelhantes aos já apresentados pelos fumantes de longa data, o diagnóstico acontece tardiamente na maioria dos casos. A forma mais eficaz de confirmar a doença é por meio de raios X de tórax, complementados por tomografia computadorizada;
  19. 19. A endoscopia respiratória (broncoscopia), por sua vez, avalia a árvore traqueobrônquica e, em alguns casos, permite a biópsia;
  20. 20. Durante o procedimento, uma sonda com fibra ótica é introduzida pela cavidade nasal com a finalidade de visualizar o local e coletar amostras suspeitas;</li></li></ul><li>DIAGNÓSTICO<br /><ul><li> Outro método comum para a realização da biópsia é a aspiração por agulha na parede do tórax, em que é retirado o líquido pleural localizado na membrana que reveste os pulmões;
  21. 21. Com a confirmação da doença, torna-se necessário avaliar o estágio de evolução, ou seja, se está restrita ao pulmão ou se atingiu também outros órgãos;
  22. 22. Nessa análise, denominada estadiamento, são realizados diversos exames de sangue (dosagem de enzimas) e imagem (ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética).</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Procurar um médico aos primeiros sinais da doença é fundamental para a indicação do melhor tratamento para cada caso;
  23. 23. Somente o especialista poderá orientar o paciente em relação aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.
  24. 24. O tratamento possui três alternativas:</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Seja de forma combinada ou isolada, todas têm como objetivo combater as células cancerígenas;
  25. 25. A escolha da melhor estratégia dependerá do tamanho, da localização e da extensão do tumor;
  26. 26. De acordo com o INCA, os tumores restritos ao pulmão devem ser removidos por meio de procedimento cirúrgico;
  27. 27. Nos primeiros estágios da doença, as chances de cura são de 75%. Em estágios mais avançados, a combinação de radioterapia e quimioterapia obtém os melhores resultados, com 30% de chance de cura.</li></li></ul><li>PREVENÇÃO<br /><ul><li> A forma mais importante e eficaz de prevenção é o combate ao tabagismo;
  28. 28. Com essa medida, há redução significativa do índice de novos casos e da taxa de mortalidade relacionada com o câncer de pulmão;
  29. 29. Também é fundamental diminuir a exposição passiva contínua à fumaça do tabaco (fumantes passivos), já estabelecida como importante causa de desenvolvimento de neoplasia pulmonar;</li></li></ul><li>PREVENÇÃO<br /><ul><li>Para os indivíduos que trabalham expostos a outros agentes irritantes dos pulmões, é recomendado o uso de equipamentos de proteção individual.
  30. 30. Para aqueles que têm história familiar de câncer de pulmão, é essencial o acompanhamento regular com um especialista para a realização de exames periódicos.</li></li></ul><li>Consulte sempre o seu médico.<br />Fontes: <br />INCA. Instituto Nacional de Câncer. http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=340.<br />Mayo Clinic. http://www.mayoclinic.com.<br />www.drauziovarella.com.br/.../755/cancer-de-pulmao.<br />Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)<br />Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)<br />

×