Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação trombose venosa profunda

1,494

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,494
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Trombose venosa profunda
  • 2. INTRODUÇÃO• A trombose venosa profunda é uma doença grave causadapela formação de trombos (coágulos) no interior das veiasprofundas.• Na maioria das vezes, o coágulo se forma na batata da perna(panturrilha), mas também pode formar-se nas coxas e, algumasvezes, nos membros superiores.
  • 3. INTRODUÇÃO• Quando o coágulo se desprende, pode migrar até o pulmão eobstruir uma artéria. Esta complicação é chamada de emboliapulmonar e pode ser fatal.• Outra complicação é a síndrome pós-flebítica (insuficiênciavenosa crônica), que acontece por causa da destruição dasválvulas situadas no interior das veias responsáveis em levar osangue venoso de volta para o coração.
  • 4. CAUSAS• A imobilidade prolongada é a principal causa da trombosevenosa profunda, comum não só em viagens longas, nas quais oindivíduo fica sentado muitas horas na mesma posição, mastambém nos casos de permanência no leito por conta dedoenças, imobilizações ou após cirurgias.• Problemas de coagulação do sangue e lesões nos vasostambém predispõem à formação de trombos.
  • 5. SINTOMAS• A trombose venosa profunda pode não apresentar sintomas oumanifestar-se com:Edema;Calor;Vermelhidão locais;Endurecimento da musculaturana região afetada pelo trombo.Dor;
  • 6. SINTOMAS• Já nos casos de síndrome pós-flebítica os sintomascaracterísticos são:Edema;Pele escurecida;Endurecimento do tecidosubcutâneo;Eventualmente, formação deúlceras.Eczemas;
  • 7. DIAGNÓSTICO• O diagnóstico clínico é feito com base na história clínica e nossintomas e confirmado por exames de imagem elaboratoriais, como ecodoppler colorido, flebografia ou, emdeterminadas situações, ressonância magnética.• Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e mais rapidamente foriniciado o tratamento, maior a possibilidade de reversão doquadro, evitando sequelas.
  • 8. TRATAMENTO• Procurar um médico aos primeiros sinais da doença éfundamental para a indicação do melhor tratamento para cadacaso.• Somente o especialista poderá orientar o paciente em relaçãoaos procedimentos adequados e ao uso de remédios.
  • 9. TRATAMENTO• O objetivo do tratamento da trombose venosa profunda épromover a reabsorção do(s) trombo(s) e evitar suascomplicações. Para tal existem medicações orais e venosas quesão eficazes nesta função.• Em casos muito graves, pode ser necessário um procedimentocirúrgico para a retirada do(s) trombo(s).
  • 10. TRATAMENTOSão medidas importantes para prevenir a formação de trombos:Não fumar;Manter o peso dentro dos limites saudáveis;Restringir o consumo de bebidas alcoólicas;Praticar exercícios físicos.
  • 11. TRATAMENTO• Pessoas com risco de desenvolvimento de trombose venosadevem movimentar-se frequentemente durante as viagenslongas, em períodos de imobilização, depois de cirurgias e quandotiverem necessidade de permanecer em repouso por muito tempo.• Usar meias elásticas também auxilia na prevenção.
  • 12. Consulte sempre o seu médico.Fontes:www.cives.ufrj.br/informacao/tvp/tvp-iv.html.www.trombose.med.br.www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext.www.teses.usp.br/teses/.../tde-29012009-165529.Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)

×