Your SlideShare is downloading. ×
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Apresentação enxaqueca
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação enxaqueca

484

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
484
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Enxaqueca
  • 2. INTRODUÇÃO• Enxaqueca é uma doença neurovascular caracterizada por dorque envolve habitualmente apenas um lado da cabeça, comintensidade de moderada a forte, e duração de até 72 horas.• A dor pode estar associada a náuseas e vômitos, além dedesconforto com exposição à luz (fotofobia) e sons altos.
  • 3. CRESCIMENTO• De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, a enxaqueca afeta:• Normalmente, as crises surgem antes de 40 anos de idadee, surpreendentemente, regridem depois dos 55 anos.Mulheres20%Homens5 a 10%
  • 4. CAUSAS• Os fatores desencadeantes da enxaqueca são extremamentevariáveis, sendo distintos para cada paciente. De forma geral, eles estãorelacionados com:EstresseSono prolongadoJejumTraumas cranianosOdores fortesIngestão de determinados alimentos comochocolate e comidas gordurosas e lácteasAdministração de medicamentosvasodilatadoresExposição a ruídos altosTemperaturas elevadas
  • 5. • A privação de cafeína, em grandes consumidores de café, e os vôos emgrandes altitudes também podem desencadear o quadro de enxaqueca.• A queda dos níveis hormonais, que ocorre antes damenstruação, aumenta o risco de desenvolvimentode enxaqueca em algumas mulheres.CAUSAS
  • 6. • Um conjunto de sintomas neurológicos, denominado aura, costuma semanifestar antes da dor de cabeça. A aura visual é a maiscomum, podendo se apresentar como flashes de luz, falhas no campovisual ou imagens brilhantes de zigue-zague.• Os sintomas costumam se agravar com movimentos súbitos, inclinaçãoda cabeça, prática de atividade física e esforço mental.• É muito comum o relato, por parte dos pacientes, de dor do tipo latejanteou pulsátil, algum tipo de limitação nas atividades diárias na presença dador e piora da dor com atividades como caminhar ou subir escadas.SINTOMAS
  • 7. • É realizado por meio de exame clínico, no qual o médicoavalia, minuciosamente, o histórico descrito pelo paciente, acompanhadode exames físico e neurológico completos.• Para que o tratamento seja iniciado, deve-se descartar a hipótese deoutras causas de dor de cabeça, como doenças infecciosas e tumores.Para tanto, costumam-se solicitar, quando necessário, exames deimagem, como ressonância magnética ou tomografia computadorizada.• O eletroencefalograma também pode ser recomendado com o intuito deregistrar a atividade elétrica cerebral.DIAGNÓSTICO
  • 8. • Procurar um médico aos primeiros sinais da doença é fundamental paraa indicação do melhor tratamento para cada caso.• Somente o especialista poderá orientar o paciente em relação aosprocedimentos adequados e ao uso de remédios.TRATAMENTO
  • 9. TRATAMENTOO tratamento deve ser realizado de acordo com a intensidade e a frequênciadas crises, cujo principal objetivo é remover e prevenir a enxaqueca.Quadros LevesNa maioria das vezes, são controlados commedidas simples, como sono ou repouso.Quadros moderadosSão indicados medicamentosespecíficos, que agem em mecanismosque desencadeiam a dor de cabeça.
  • 10. TRATAMENTOQuadros com manifestações intensas, incapacitantes oucom pouca resposta aos medicamentosO especialista pode receitar outros medicamentos, desdeantidepressivos tricíclicos até betabloqueadores eanticonvulsivantes. Formas não medicamentosas tambémpodem ser empregadas, como técnicas de relaxamento,terapia cognitiva comportamental, dieta, fisioterapia,psicoterapia e acupuntura.
  • 11. • A forma mais indicada de prevenção é identificar os fatoresdesencadeantes das crises. Eles variam de acordo com ohistórico de cada paciente.PREVENÇÃO Distribuir adequadamente a carga de trabalho (evitando estresse) Manter horários regulares para as refeições Evitar prolongar o sono além do horário usual de acordar Reduzir o consumo de café e chá Evitar o uso de analgésico sem recomendação médica Não se expor a luz muito intensa, ruídos e cheiros fortes Não se exercitar em dias muito quentes.Alguns cuidados também devem ser tomados:
  • 12. Consulte sempre o seu médico.Fontes:Manual Merck. Biblioteca Médica Online. http://www.manualmerck.net.Sociedade Brasileira de Cefaleia. http://www.sbce.med.br/dor-de-cabeca/tudo-o-que-voce-queria-saber/23-tipos-de-dor-de-cabeca?start=1.Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)

×