Your SlideShare is downloading. ×
Apresentação câncer de fígado
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação câncer de fígado

666
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
666
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Hepatocarcinoma
  • 2. INTRODUÇÃO• Hepatocarcinoma é o nome dado ao câncer primário dofígado. A doença inicial é potencialmente curável por meiode cirurgia, quando a ressecção completa da lesão pode serrealizada.
  • 3. CAUSAS• Todos os tipos de câncer são originados por umamultiplicação desordenada das células de determinado órgão.Não se sabe exatamente como as células se tornam, em dadomomento, cancerígenas.• O hepatocarcinoma é um tumor raro no Brasil, relacionadoem 50% dos casos com cirrose hepática, que pode estarassociada a alcoolismo, hepatite crônica secundária einfecção pelo vírus das hepatites B ou C.
  • 4. SINTOMAS• Os sintomas podem passar despercebidos até que o tumoratinja um tamanho grande ou cause complicações.• Entre os possíveis sintomas estão:Dor na região direita superior do abdômen;Falta de apetite, perda de peso;Icterícia (cor amarelada das mucosas e da pele) eAumento do tamanho do fígado e do abdômen.
  • 5. SINTOMAS• Como na maioria das vezes, a doença ocorre em indivíduosque já sabem ter cirrose; a primeira manifestação, nessescasos, pode ser uma piora abrupta de um quadro até entãoestável.
  • 6. DIAGNÓSTICO• O diagnóstico definitivo é dado após a realização dabiópsia do tumor. Ultrassonografia, tomografiacomputadorizada e ressonância magnética também sãométodos válidos para diagnóstico da extensão da doença.
  • 7. TRATAMENTO• Procurar um médico com regularidade e, principalmente,aos primeiros sinais da doença é fundamental para que elepossa indicar o melhor tratamento para cada caso.• Somente o médico deverá orientar o paciente em relaçãoaos procedimentos adequados e ao uso de remédios.
  • 8. TRATAMENTO• A ressecção cirúrgica da lesão é o tratamento que conferemelhor prognóstico para o paciente, com taxas de cura entre40% e 50%. No entanto, apenas 10%-15% dos doentesapresentam condições clínicas e extensão tumoral compatíveiscom a realização dessa cirurgia. Alguns indivíduos podem sercandidatos ao transplante hepático, com intuito curativo.• Já em casos que limitem a possibilidade de cirurgia, otratamento é realizado por meio de quimioterapiaregional, ligadura ou embolização da artéria hepática, injeçãopercutânea de etanol, ablação por radiofrequência, crioterapiae quimioterapia sistêmica.
  • 9. • A melhor forma de evitar a doença é a prevenção dacirrose, por meio do controle da ingestão abusiva de álcool, edas hepatites B e C, que pode ser realizada evitando-se ocontato com sangue ou secreções de indivíduoscontaminados e usando preservativo nas relações sexuais.• Em pacientes com cirrose, com risco bem maior dedesenvolver o tumor, é recomendada a realização deultrassonografia abdominal e dosagem de alfafetoproteína acada 6-12 meses, na tentativa de detectar precocementeesse tipo de câncer.PREVENÇÃO
  • 10. Procure sempre o seu médico.Fontes:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=35005http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?232Exames: 1, 27, 14, 16, 17, 23Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)

×