Your SlideShare is downloading. ×
Influência de fatores abióticos na atividade externa de Melitoma segmentaria (Apidae, Emphorini) em Santa Catarina
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Influência de fatores abióticos na atividade externa de Melitoma segmentaria (Apidae, Emphorini) em Santa Catarina

194

Published on

http://label-univille.blogspot.com.br/2014/02/influencia-de-fatores-abioticos-na.html

http://label-univille.blogspot.com.br/2014/02/influencia-de-fatores-abioticos-na.html

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
194
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. INFLUENCIA DE FATORES ABIÓTICOS NA ATIVIDADE EXTERNA DE MELITOMA SEGMENTARIA (APIDAE, EMPHORINI) EM SANTA CATARINA Denise Monique Dubet da Silva Mouga¹, Andressa Karine Golinski dos Santos¹, Manuel Warkentin¹, Rogério Nunes Barbosa¹, Juliane Valduga da Silva¹ 1Universidade da Região de Joinville LABEL Laboratório de Abelhas da UNIVILLE INTRODUÇÃO: A influência dos fatores abióticos sobre a atividade externa de Apidae tem sido averiguada para espécies sociais. Para espécies solitárias, também polinizadoras, tais dados não se encontram disponíveis. OBJETIVO: Obter informações sobre a influência da temperatura, umidade relativa e intensidade luminosa no movimento externo de Melitoma segmentaria, abelha solitária, com nidificação natural em parede de tijolos. MATERIAIS E MÉTODOS: Trabalho realizado em propriedade rural em Joinville/ SC (26º10’34.44”S 48º55’076”W, Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas, altitude 38m, clima segundo Koeppen, precipitação anual 2418,0 mm). Realizadas observações com 3 ninhos de um agrupamento natural de 29, em parede abrigada de tijolos maciços de barro de 12,4 m², de 20/03/2013 a 21/06/2013, das 6h às 16h (280 horas de esforço amostral), a uma distância de 1-2 m da entrada dos ninhos. Anotadas informações de movimento externo (saída e entrada com ou sem carregamento) e, a cada hora, os valores de temperatura (oC), umidade relativa (%) e intensidade luminosa (lux). Utilizados termohidrômetro digital ICEL Manaus modelo HT-208 e luxímetro digital ICEL Manaus modelo LD-511. ♀ ♀ RESULTADOS E DISCUSSÃO: Anotada atividade externa em 10 dias do período de estudo (265 registros). Em média, o início da atividade externa se deu às 7:50 e o final, às 8:30 (com carregamento) e 15h (sem carregamento). O pico de atividade externa ocorreu entre 7h-9h., em 8 dias. Temperatura: a faixa com maior número de registros (83) foi 23ºC24ºC., não houve registros com temperatura menor que 18,6 ºC e maior que 27,5 ºC. Umidade relativa: a faixa com maior número de registros (127) foi 80%-90%, não houve registros com umidade relativa menor que 52% e maior que 90%. Intensidade luminosa: a faixa com maior número de registros (67) foi de 003 lux (valor sob edificação) e 426 lux (valor fora da edificação)(28 registros), não houve registros com intensidade luminosa menor que 000lux (sob e fora da edificação) e maior que 010 lux (sob a edificação) e 1075 lux (fora da edificação). Foi observado carregamento de pólen nas escopas, das 7:00 às 8:30, em apenas 8 dos retornos, apontando para a finalização do processo de aprovisionamento das células de cria. As faixas de movimento evidenciadas indicam uma espécie com atividade matutina e limites amplos mas definidos. Localidade do estudo: Distrito de Pirabeiraba, Bairro Rio Bonito, Vila Canela. Parede de observação CONCLUSÃO: O movimento dos ninhos em diminuição, na medida do avanço do outono, com interrupção completa antes do término da estação, evidencia sazonalidade e necessita continuidade de estudo nas demais estações (inverno, primavera e verão). FINANCIAMENTO PIBIC da UNIVILLE AGRADECIMENTO Aos proprietários do Sítio Kersten

×