LABEL
Laboratório de Abelhas
da UNIVILLE
Diversidade de abelhas nativas
(Hymenoptera, Apidae)
em floresta ombrófila densa ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila densa submontana na região sul do Brasil

418 views
310 views

Published on

Enderlei Dec; Denise M. D. S. Mouga; Manuel Warkentin; Andressa K. G. dos Santos; Juliane V. da Silva
http://label-univille.blogspot.com.br/2013/09/diversidade-de-abelhas-nativas.html

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
418
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
148
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila densa submontana na região sul do Brasil

  1. 1. LABEL Laboratório de Abelhas da UNIVILLE Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila densa submontana na região sul do Brasil Enderlei Dec; Denise M.D.S. Mouga; Manuel Warkentin; Andressa K.G. dos Santos; Juliane V. da Silva LABEL – Laboratório de Abelhas da Univille / email: label@univille.br Universidade da Região de Joinville, Campus Univille, Joinville, SC, Brasil 59% (172) 35% (102) 6% (18) Métodos de coleta aplicados e número de indivíduos coletados Rede entomológica Prato armadilha Isca de cheiro (Eugenol) Espécies não assinaladas para SC foram coletadas: Begonia campos-portoana Brade, exclusiva das encostas da serra do mar e restrita ao norte de SC, foi visitada por Ariphanarthra palpalis. Família Tribo Espécie R P I Total Apinae Apini Bombus brasiliensis Lepeletier, 1836 13 x x 13 Bombus morio Swederus, 1787 8 x x 8 Euglossa annectans Dressler, 1982 x x 16 16 Eulaema cingulata Fabricius, 1804 x x 1 1 Partamona helleri Friese, 1900 2 x x 2 Plebeia droryana Friese, 1900 23 x x 23 Plebeia remota Holmberg, 1903 2 x x 2 Trigona spinipes Fabricius, 1793 23 x x 23 Emphorini Paratetrapedia fervida Smith, 1879 2 x x 2 Paratetrapedia sp. 2 x x 2 Xylocopini Ceratina (Ceratinula) sp. 2 x x 2 Ceratina (Crewella) sp. 2 3 x 5 Xylocopa frontalis Olivier, 1789 1 x x 1 Xylocopa brasilianorum Linnaeus, 1767 5 x x 5 Halictinae Augochlorini Ariphanarthra palpalis Moure, 1951 4 x x 4 Augochlora sp.01 3 x x 3 Augochlora sp.02 8 x x 8 Augochlora sp.03 3 x x 3 Augochlora sp.04 5 x x 5 Augochlora sp.05 5 x x 5 Augochlora sp.06 8 x x 8 Augochlora sp.07 4 x x 4 Augochlorella sp. 2 x x 2 Augochloropsis sp. 6 x x 6 Neocorynura dilutipes Vachal, 1904 1 x 1 2 Paroxystoglossa sp. 3 x x 3 Halictini Dialictus sp. 13 99 x 112 Megachilinae Anthidini Anthidioctes sp. 1 x x 1 Megachilini Megachile nudiventris Smith, 1853 8 x x 8 Megachile cachoeirensis Schrottky, 1920 1 x x 1 Megachile sp. 1 x x 1 R= Rede entomológica; P= Prato armadilha; I= Isca aromática (Eugenol) No total, 351 abelhas foram amostradas. Destas, apenas 7% é representado por Apis mellifera, Linnaeus 1758. Euterpe edulis Martius e Geonoma gamiova Barb. Rodr., palmeiras nativas da Mata Atlântica e ameaçadas de extinção foram visitadas pelas espécies: Plebeia droryana, Augochloropsis sp. 01 e Neocorynura dilutipes. As unidades de conservação (UC) de uso parcial cobrem uma pequena parcela do território catarinense, sendo assim de extrema importância o estudo e a preservação desses ambientes. Visando conhecer o nível de diversidade da apifauna que existe no Parque Ecológico Prefeito Rolf Colin, em Joinville, SC, está sendo realizado o levantamento das espécies de abelhas nativas. Coletas quinzenais de abelhas: • janeiro a maio/2012; • das 08:00 às 18:00h; • redes entomológicas; • pratos armadilha; • iscas aromáticas. Plantas associadas coletadas e identificadas. Área de Estudo Introdução e Objetivos Metodologia Resultados e Discussão Megachile cachoeirensis Eulaema cingulata Neocorynura dilutipes 4 5,4 Riqueza Abundância (%) Apinae Halictinae Megachilinae Riqueza e abundância das famílias coletadas Conclusões A interação de abelhas silvestres com plantas nativas, além da baixa abundância de A. mellifera, denotam a importância da UC para a manutenção da biodiversidade local. A identificação de espécies não assinaladas para o Estado apontam a necessidade da continuidade dos estudos. Durante o período de coleta, 22 espécies de plantas e 32 espécies de abelhas foram registradas.

×