A. Inclusão da espécie exótica Apis mellifera na rede. B. Exclusão da espécie exótica Apis mellifera da rede.
O efeito de ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O efeito de espécies exóticas numa rede de interações mutualísticas de polinização no Parque Nacional São Joaquim-SC

377 views
306 views

Published on

Autores:
Denise M. D. S. Mouga
Enderlei Dec
Manuel Warkentin
Juliane V. da Silva
Andressa K. G. dos Santos
João Carlos Ferreira de Melo Jr.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
377
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O efeito de espécies exóticas numa rede de interações mutualísticas de polinização no Parque Nacional São Joaquim-SC

  1. 1. A. Inclusão da espécie exótica Apis mellifera na rede. B. Exclusão da espécie exótica Apis mellifera da rede. O efeito de espécies exóticas numa rede de interações mutualísticas de polinização no Parque Nacional São Joaquim-SC LABEL Laboratório de Abelhas da UNIVILLEDenise M. D. S. Mouga1 Enderlei Dec1 Manuel Warkentin1 Juliane V. da Silva1 Andressa K. G. dos Santos1 João Carlos Ferreira de Melo Jr.2 1-Label - Laboratório de Abelhas da UNIVILLE 2-Laboratório de Anatomia Vegetal da UNIVILLE Universidade da Região de Joinville, Rua Paulo Malschizsky 10, Campus Universitário, Zona Industrial Norte, Joinville, SC, CEP 89219-710, email: label@univille.br Objetivo: verificar o padrão estrutural de uma rede de interação planta polinizador, relevante na conservação de comunidades. Área de estudo: Parque Nacional São Joaquim, SC (clima temperado, precipitação anual de neve, Bioma Mata Atlântica) Metodologia: •Sakagami et al. (1967) •registro de Apis mellifera L. (espécie exótica) •construção da matriz das interações e suas métricas As métricas da rede em (com / sem Apis mellifera): conectância 0,44 / 0,25; índice de aninhamento NODF 16,06 / 13,13; grau de especialização H´2 = 0,56; (rede heterogênea, coesa, assimétrica; aninhada e em grau intermediário de especialização). Resultados: •esforço de campo: 266 horas (agosto/10 a fevereiro/12) •captura de 2797 abelhas •abundância de indivíduos (%) (sem Apis mellifera): Apinae-84,2 Halictinae-12,9 Andreninae-1,52 Megachilinae-0,93 Colletinae-0,47 •riqueza de espécies: 59 : Halictinae-25 Apinae-18 Megachilinae-7 Andreninae-6 Colletinae-3 Abundância (%) das espécies de abelhas: Apis mellifera (69,1%) Bombus pauloensis (9,2%) Schwarziana quadripunctata (9,2 %) Trigona spinipes (2,8 %) A. mellifera apresentou o maior no de interações. Excluindo-a, as abelhas nativas ampliaram muito sua importância nas interações. Diversas espécies vegetais exóticas foram observadas interagindo com a melissofauna. As relações mutualísticas observadas indicam uma intensificação de interações, principalmente em espécies exóticas, sugerindo certa alteração na estruturação da rede de polinizadores.

×