Aspectos das Interações de Abelhas Nativas e Plantas Medicinais

465 views
398 views

Published on

Enderlei Dec, Denise M. D. S. Mouga, Lucas M. Silveira

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
465
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
278
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aspectos das Interações de Abelhas Nativas e Plantas Medicinais

  1. 1. Plantas medicinais possibilitam o preparo de diversos produtos fitoterápicos. Cientificamente validadas, apresentam grande eficácia quando aplicadas de forma correta. Suas flores fornecem alimento para as abelhas que produzem o mel e outros produtos aplicados também na fitoterapia. LABEL Laboratório de Abelhas da UNIVILLE Geral: observar a interação existente entre as abelhas e as 116 plantas medicinais situadas nos 03 jardins da UNIVILLE, Específicos: 1- analisar a tipologia dos pólens das plantas medicinais visitadas; 2- construir uma coleção de referência de pólens (palinoteca); 3- verificar a concentração do néctar dessas plantas visitadas; 4- realizar análises de méis; 5- organizar a coleção de referência de abelhas do Laboratório de Abelhas da Univille –LABEL; 6- depositar todas as informações em bancos de dados. Espécies mais visitadas e seus pólens ASPECTOS DAS INTERAÇÕES DE ABELHAS NATIVAS E PLANTAS MEDICINAIS Dec, E.¹; Mouga, D.M.D.S.2; Silveira, L.M.3 1. 2. 3. Universidade da região de Joinville, Campus Univille, CEP:89201-972, Joinville, Brasil Das 52 espécies de plantas visitadas, foram realizadas análises polínicas até o momento em 32 espécies, que estão disponíveis em: http://www.univille.br/label Produtos coletados pelas abelhas Introdução: Objetivos: LABEL - Laboratório de Abelhas da UNIVILLE E-mail: label@univille.br Materiaise Métodos: Os jardins de plantas medicinais da Univille distribuem-se em três áreas com 275m² cada, divididos em 1) Famílias botânicas, 2) Compostos químicos e 3) Plantas tóxicas. Com observações semanais durante 13 meses foi estabelecido um calendário floral e identificou-se a preferência botânica das abelhas assim como o recurso forrageiro mais apreciado por elas (pólen, néctar, outros). Botões fechados foram coletados na pré-antese floral e armazenados em ácido acético até o momento em que seus pólens foram submetidos à acetolise. Após, foram montados em lâminas, fotografados, analisados e mensurados constituindo posteriormente, a palinoteca. Para estudar a relação abelha-flor, foram calculados em gráficos por uma representação de barras verticais. Lista das plantas medicinais visitadas pelas abelhas. As espécies marcadas em amarelo representam plantas tóxicas Pólen + néctar 14% Pólen 19% Néctar 67% Resultadose Discussão: Ocimum basilicum L. Ocimum gratissimum L. 1 2 3 4 5 6 7 8 1- Sambucus nigra L.; 2- Catharanthus roseus (L.) G. Don; 3,7- Nicotiana tabacum L. 4- Sphagneticola trilobata (L.) Pruski; 5- Ageratum conyzoides L.; 6- Stachytarpheta jamaicensis (L.) Vahl; 8- Plectranthus grandis (Cramer) R. Willemsen 0 5 10 15 20 1 2 3 4 5 6 7 8 12 13 nºdeespéciesdeplantas Número de interações estabelecidas nº de interações estabelecidas e de espécies de plantas A maioria dos pólens analisados até o momento são do tipo mônade, esferoidal, tricolporado; A palinoteca inclui até o momento 32 espécies; A Coleção de Referência de Abelhas possui 2.812 indivíduos Os itens 3,4 e 6 estão em construção. Conclusão:

×