Primeiro de Maio

  • 5,484 views
Uploaded on

RELATÓRIO DE ESTUDO URBANO

RELATÓRIO DE ESTUDO URBANO

More in: Technology , Real Estate
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
5,484
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
25
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - UFMG GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO RELATÓRIO FINAL: BAIRRO PRIMEIRO DE MAIO ANÁLISE E ESTUDO URBANOLUDMILA SOUZA VIEIRAMOZER LOPES DE FREITASRENATA DE SOUSA PEDROSATHAÍS LAMONIER VARELLA ALVES BELO HORIZONTE 2011
  • 2. 2SUMÁRIOINTRODUÇÃO ................................................................................................... 3CARACTERIZAÇÃO DO BAIRRO PRIMEIRO DE MAIO................................... 4 Localização ..................................................................................................... 4 Relação com bairros vizinhos ........................ Erro! Indicador não definido.7 Visadas ........................................................................................................... 9 Evolução urbana ........................................................................................... 10 Perfil socioeconômico da população do bairro/vila ....................................... 12 Caracteristicas do sítio .................................................................................. 13ESTRUTURA URBANA ATUAL ....................................................................... 17 Uso e ocupação do solo/ equipamentos urbanos ......................................... 17 - Bairro Primeiro de Maio ........................................................................... 18 - Vila Primeiro de Maio............................................................................... 21 Aspectos da legislação vigente.................................................................. 25 Percepção dos moradores ......................................................................... 37 Espaços públicos ....................................................................................... 42 Relação entre os cursos d’água e a ocupação.......................................... 43SÍNTESE .......................................................................................................... 45PROPOSIÇÕES ............................................................................................... 48CONCLUSÃO ................................................................................................... 55BIBLIOGRAFIA ................................................................................................ 56ANEXOS .......................................................................................................... 57
  • 3. 3INTRODUÇÃOO estudo preliminar tem como principal objetivo identificar as característicasurbanísticas, físicas e socioeconômicas do bairro Primeiro de Maio. O estudofoi baseado em informações obtidas na visita de campo, assim como napalestra do técnico social da URBEL, do estudo e palestra ofertada pelosociólogo e antropólogo Frank de Paula Ribeiro, dados do portal da prefeiturade Belo Horizonte e pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.A partir da junção de informações obtidas, tem-se o intuito de analisar ecorrelacionar os dados para um estudo mais profundo e detalhado. Essaanálise foi de grande importância para a elaboração do relatório final a respeitodo bairro, bem como para a proposição de melhorias urbanas para ele.
  • 4. 4 CARACTERIZAÇÃO GERAL DO BAIRRO/VILA PRIMEIRO DE MAIOLocalizaçãoO bairro Primeiro de Maio localiza-se na região norte da capital sendocircundado pelos bairros São Gabriel a leste, Providência a nordeste,Minaslândia a noroeste, Dona Clara a oeste e Suzana a sul (ver fig. 5).Percebe-se claramente através de análise local e também verificando dadoscensitários que há maior semelhança entre o Primeiro de Maio e os bairrosMinaslândia e Providência no que diz respeito a padrão construtivo dasedificações, paisagem e contexto urbano. Até o limite entre esses bairros, emalguns momentos, não fica muito definido tamanha é a semelhança dascaracterísticas.O contrário ocorre entre o Primeiro de Maio e o Dona Clara, que apresentaedificações com melhores níveis de acabamento, sendo reflexo de umapopulação de maior poder aquisitivo. Inclusive, entre esses dois bairros o limiteé bem marcado pela Avenida Cristiano Machado que se configura como umabarreira física, delimitando claramente o perímetro das duas regiões.O bairro tem como limites a Avenida Cristiano Machado, importante via deacesso à região, e a Via 240, que divide a região nordeste e norte da cidade eé um dos acessos à MG-020, que leva a Santa Luzia, outra cidade da RegiãoMetropolitana. As linhas de metrô e a Estação também se configuram comolimites, já que estas localizam-se adjacente ao bairro. Apesar de a região teressas importantes vias de acesso, considera-se que o bairro é introvertido, poisessas avenidas não o cruzam, apenas são adjacentes a ele. O meio de ligaçãoentre o bairro e essas avenidas de fluxo rápido é feito principalmente pela RuaVolts.A região é abastecida por várias linhas de transporte coletivo (dentre elas estãoas linhas 703, 710, 734, 1502, 1510, 5508 que percorrem as ruas locais e maisoutras tantas linhas que passam pela Cristiano Machado e que também servemao bairro). No entanto, para aqueles que desembarcam nessa via, completar opercurso a pé é mais complicado já que o relevo íngreme do bairro éconsiderado um fator negativo para os pedestres. Além disso, a estação demetrô Primeiro de Maio e a estação São Gabriel também são bastante
  • 5. 5utilizadas por quem deseja chegar ao bairro, embora os seus acessosapresenta deficiências, pois localizam-se um pouco afastada do bairro e a linhade metrô abrange apenas algumas regiões da cidade.Percebe-se também que nos locais cujos moradores possuem maior poderaquisitivo e onde há edificações com melhor nível de acabamento e estruturafísica, as ruas fazem parte do itinerário do transporte coletivo e as paradas deônibus são mais recorrentes.A presença de “ruas sem saída” em alguns pontos acaba por gerar sítiosespecíficos onde apenas moradores dessa área frequentam, não servindocomo via de passagem aos demais moradores do bairro.Como barreira física pode-se observar o cercamento por toda a extensão doslimites da estação de metrô São Gabriel. Já que o local é consideradoperigoso, na maior parte do diaalgumas pessoas evitam passarbeirando o gradil, assim comoevitam atravessar a linha férrea emcertos horários. Na estação Primeirode Maio até a própria edificação évista como uma barreira visual do Figura 1: Estação de metrô Primeiro de Maio Fonte: acervo de Hudson Nepucenobairro, sendo possível observar aconfiguração da paisagem apenas quando se ultrapassa o viaduto da RuaSônia.Já na Vila Primeiro de Maio, umaanálise mais específica deve ser feita.Como há becos estreitos, a passagemde automóveis e ônibus ficacomprometida, assim como apassagem de viaturas policiais paragarantir a segurança dos moradores.Esses becos, inclusive, funcionamcomo barreira visual já que suas Figura 2: Ao lado da estação Primeiro de Maioconstruções estreitas, sem Fonte: acervo de Hudson Nepuceno
  • 6. 6afastamento lateral e muitas vezes altas não permitem visibilidade dosarredores.Barreiras subjetivas de cunhosocial também são verificadas,como é o caso dos becos, nosquais muitas pessoas evitamentrar. Isso aconteceprincipalmente por se tratar deuma área caracterizada pormaiores índices de violência,como é comprovado pordepoimento de moradores.MAPA Figura 3: Divisão de Belo Horizonte em bairros e destaque para o Primeiro de Maio Fonte: Prefeitura de Belo Horizonte <www.pbh.gov.br> Figura 4: Vista aérea da região do bairro Primeiro de Maio. Fonte: GoogleMaps
  • 7. 7Relações com os bairros vizinhos Figura 5: Localização dos bairros.O Bairro Primeiro de Maio se encontra próximo a dois aeroportos, o daPampulha, além de estar circundado por grandes avenidas, como a CristianoMachado, o Anel rodoviário e a Risoleta Neves (via 240). Essas são asprincipais vias de ligação do bairro com bairros vizinhos e até mesmo com ocentro da cidade. Há também o acesso do Primeiro de Maio pelo metrô cujaestação recebe o mesmo nome.Apesar de as grandes e largas avenidas favorecerem o acesso à região, elasconfiguram barreiras em relação ao bairro, pois possuem grande fluxo decarros e acabam se tornando perigosas e movimentadas. Isso acabadesfavorecendo o deslocamento a pé e o consequente contato do bairro com ovizinho que se encontra do outro lado da avenida. As pessoas acabampreferindo utilizar os serviços e equipamentos públicos mais próximos. Isso
  • 8. 8pode ser observado no bairro Primeiro de Maio com o bairro Dona Clara (pelaAvenida Cristiano Machado), o São Gabriel (pela Avenida Risoleta Neves) e oVila Maria Virgínia e o Fernão Dias (pelo Anel Rodoviário) (vide figura 4). Noentanto, a Avenida Cristiano Machado se localiza em um vale longo que pornão possuir grandes irregularidades do solo, favorece o deslocamento a pé.Dessa forma, apesar de pouco contato entre os bairros que se encontramnessa situação, ela não é nula, há possibilidades favoráveis também para esseintercâmbio cultural e de serviços.O bairro Providência, que se localiza a nordeste do Primeiro de Maio, é ligado aele por pequenas vias, ao contrário dos exemplos anteriores, o que favorecemais intensamente um intercâmbio cultural e social entre os moradores dosdiferentes bairros. Pode-se perceber que a utilização de serviços entre eles émais frequente. No entanto, as irregularidades do relevo pela presença deencostas se caracterizam como um dificultador do fluxo de pessoas a pé, o quetambém relativiza esse contato.Além disso, o crescimento descontrolado da região provocou a ocupação deáreas inapropriadas para habitação. Foram erguidas moradias em morros, emáreas íngremes e nas margens de córregos. Isso resultou em situaçõesconflitantes: bairros habitados por uma população com melhor poder aquisitivoe infraestrutura urbana contrastam com bairros e vilas habitados por umapopulação carente, com condições mínimas de moradia, o que favoreceu asegregação de muitas pessoas.Levando em consideração esses aspectos, pode-se perceber que o bairroPrimeiro de Maio possui características variadas que nem sempre favorecem ocontato entre os bairros vizinhos, tornando-o muitas vezes independente, comseus próprios serviços locais. No entanto ele é considerado a principalreferência cultural da região e é ponto de encontro dos acontecimentosculturais, movimentos festivos e de lazer que acontecem próximo à IgrejaSanto Antônio, no bairro Providência.
  • 9. 9Visadas Figura 6: Visada do bairro Primeiro de Maio a partir do anel rodoviário. Fonte: GoogleMapsO bairro Primeiro de Maio situa-se em umlugar de destaque, uma vez que se encontraem uma altitude maior em relação à AvenidaCristiano Machado, onde há um grande fluxode automóveis. O bairro é uma referênciatanto pela altimetria, como pela localização Figura 7: Visada da Av. Cristianoentre a Avenida Cristiano Machado e o Anel Machado a partir do final da Rua Berilo. Fonte: GoogleMapsRodoviário.O melhor ponto de visada do bairro a serexplorar é a Rua Ladainha, pois ela éretilínea, o que permite a visão doprolongamento desta, assim como é menosestreita que as demais ruas do bairro. Outracaracterística importante é que essa ruasitua-se em uma crista, o quegeomorficamente confere a ela uma posição Figura 8: Rua Ladainhade destaque, uma vez que permite uma Fonte: GoogleMapsmelhor visibilidade do entorno.As ruas do bairro, com exceção da Rua Ladainha, Volts, Nossa Senhora daGlória e demais vias da região noroeste, são estreitas o que lhes conferemuma baixa visibilidade e com isso, uma difícil leitura do entorno. Entretanto,
  • 10. 10vale lembrar que, apesar de estreitas,algumas ruas por situar em uma altitude altapossibilita a visualização de áreas em contasmais baixas, o que pode ser averiguado naRua Badaró Júnior. Nos becos, as ruas seestreitam, o que implica em uma menorpercepção do espaço. Figura 9: Visada da Av. Cristiano Machado a partir da Rua Badaró Júnior. Fonte: GoogleMapsEvolução urbanaDe acordo com o portal* da prefeitura deBelo Horizonte o bairro Primeiro de Maioocupa áreas de antigas fazendas do iníciodo século XX que posteriormente deramorigem a povoados. Sua ocupação Figura 10: Avenida Cristiano Machado Fonte: GoogleMapsdefinitiva ocorreu por volta de 1930,quando a cidade de Belo Horizonte se expandiu para além dos limites daAvenida do Contorno. Com o crescimento demográfico surgiram os déficitshabitacionais cuja solução adotada foi a criação de vilas operárias, já que oslotes em tamanhos reduzidos tinham um menor preço no mercado.Em 1937, com a inauguração do Matadouro Municipal, que foi deslocado paraa região devido à disponibilidade de água e para proporcionar fácil acesso aosboiadeiros, foi promovido um novo parcelamento do solo na região, resultandona criação da Vila Operária. Esta deu origem ao bairro São Paulo, nasproximidades de onde é hoje o bairro Primeiro de Maio.Como pôde ser observado no livro** “Primeiro de Maio: memórias e imagensde um lugar “ no início, a Vila Operária mantinha intensas relações com o bairroSão Paulo pelo fato de nele existirem as únicas igrejas e escolas da região.Entretanto, uma diferença de caráter socioeconômico passou a existir entre avila e o bairro, principalmente na década de 50, quando a Vila foi invadida porum novo contingente populacional. Esta invasão se deu devido ao rompimentoda barragem da Pampulha, o que levou um grande número de desabrigados ase instalar nas vilas da região. A união das Vilas Santa Maria, Operária,
  • 11. 11Minaslândia e São José, em 1967, deram origem ao bairro Primeiro de Maio,nome escolhido pelos próprios moradores. Em 1991, a Prefeitura de BeloHorizonte fez o desmembramento definitivo dos bairros Primeiro de Maio e SãoPaulo.A unidade de planejamento do Primeiro de Maio é composta pelos seguintesbairros: Guarani, Aarão Reis, Minaslândia, Providência, Primeiro de Maio, BoaUnião e Conjunto Habitacional Providência. Sendo a principal referênciacultural da região, ele conta com o Centro de Referência da Cidadania, e éponto de encontro dos acontecimentos culturais, movimentos festivos e delazer que acontecem próximo à Igreja Santo Antônio e Praça JASC.Sendo uma região de difícil ocupação, por tratar-se de um maciço rochoso,formado por rochas graníticas, apresentando linhas de serra, há a presença demoradias em lotes irregulares e construções sem habite-se, principalmenteporque a população possui um perfil carente e com baixo grau de instrução.Nos arredores há pequenos comércios e serviços de atendimento local ealgumas indústrias de médio porte em áreas mais próximas da AvenidaCristiano Machado (vide mapa de equipamentos urbanos – figura14) já que setrata de uma avenida em um vale longo, que liga diversos pontos da regiãometropolitana, caracterizada por um fluxo rápido e intenso de veículos epessoas. Estas informações serão mais bem desenvolvidas adiante.Atualmente, a partir das obras urbanas que melhoraram a integração do Nortecom o restante da capital mineira, como a linha de metrô que liga o MinasShopping a Venda Nova, e a construção da Via 240, que cobriu parte doCórrego do Onça, abriram-se novos eixos de crescimento econômico nosbairros. A implantação da Linha Verde e a construção do novo CentroAdministrativo do Governo de Minas Gerais criam uma nova perspectiva daregião, com a valorização das áreas do entorno, tanto em bairros como oPrimeiro de Maio, como na Regional Norte de maneira geral.*Portal da prefeitura:http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/contents.do?evento=conteudo&idConteudo=39120&chPlc=39120&termos=primeiro%20de%20maio**Livro “Primeiro de Maio: memórias e imagens de um lugar” : RIBEIRO, Frank de Paula; BENJAMIN, Raquel Côrrea. Primeiro deMaio: memórias e imagens de um lugar. Belo Horizonte, 2005.
  • 12. 12Perfil sócio econômico da população do bairro/ vilaO bairro Primeiro de Maio possui em geral uma população homogênea, comcaracterísticas comuns entre si. Uma diferença um pouco mais significativaocorre principalmente entre o bairro e as vilas. No entanto, os dois secaracterizam por possuir uma população de baixa renda, com uma rendamédia por responsável pelo domicílio entre zero e cinco salários mínimos deacordo com dados do IBGE (ano 2000). Além disso, há uma alta taxa defamílias chefiadas por mulheres, o que demonstra um forte indício dedesestruturação e desorganização social, que se caracterizam por casaisdivorciados, ou maridos ausentes.Ao serem realizadas entrevistas com moradores locais é possível perceber queprovavelmente um dos fatores que contribuem para esse perfil de renda é abaixa escolaridade das pessoas em geral do bairro. Muitas delas nãocompletaram o ensino fundamental e médio, mas a maioria das crianças eadolescentes está na escola. Outro fator a se analisar é que há na região umapresença de instituições de ensino técnico e profissionalizante, no entanto elasse encontram de certa forma vazias, com muitas vagas disponíveis. Isso ocorreprincipalmente por serem cursos que oferecem uma profissionalização muitabásica, o que não atende a demanda da população.Há também uma alta taxa de desemprego estrutural, no qual as pessoas quenão se requalificam e não se adaptam às novas demandas do mercado são, decerta forma, excluídas do cenário profissional. Isso é comprovado, no Primeirode Maio, com um grande índice de trabalhadores informais e desempregadosem geral.Além disso, há muitos domicílios sem banheiro, o que caracteriza residênciasmuito simples com questões de saneamento muito precárias. De acordo com omapa do IBGE (ano 2000), tem-se que na maioria do bairro o índice épequeno, entre 0,1% a 5%, mas concentrado em algumas áreas,principalmente na Vila, esse número chega a 15%. Essa situação é um poucopreocupante, pois mostra uma carência de necessidades básicas em umaresidência.Levando em consideração esses aspectos, pode-se concluir que o bairroconvive com questões muitas vezes complicadas, pois há carências de alguns
  • 13. 13elementos sociais básicos, o que contribui para a violência e miséria. Noentanto, de acordo com entrevistas realizadas pelo grupo com os moradores, amaioria das pessoas residentes no bairro Primeiro de Maio gosta de morar lá.Isso ocorre principalmente por possuírem uma relação de vizinhança, porexistir uma coesão social entre os moradores. Além disso, o bairro possuiproximidade das principais vias de Belo Horizonte e o metrô Primeiro de Maio,o que facilita o acesso e o deslocamento deles pela cidade.Características do SítioAs características geográficas podem influenciar a forma de ocupação de umaárea ou região conforme descrito nos textos complementares da disciplina*. Nobairro Primeiro de Maio e em seu entorno, foi identificado um vale curto na RuaSônia, propício a instalação de atividades que exigem grandes áreas comoclubes, condomínios e cemitérios, porém isso não ocorre, uma vez que foiidentificado foram instalações de pequeno comércio local e pontual. Issoprincipalmente por ele formar um espaço envolvente em sua concavidade final.Além disso, ele se caracteriza por ter fácil acesso ao vale principal, onde selocaliza a Av. Cristiano Machado. Esta por sua vez, se localiza ao longo de umvale contínuo, o que é coerente, já que esse tipo de relevo se presta àpassagem e fluxos rápidos devido à sua baixa declividade. Como os valescontínuos apresentam grandes áreas planas, são propícios a atividades queexigem muito espaço e fácil acesso de veículos de carga como depósitos eoficinas. Terrenos com essas características possuem baixo custo, devido aosproblemas de drenagem e saneamento.Outra característica geográfica do bairro é a linha de crista curta, que selocaliza próxima à Rua Américo Martins. Ela é pouco adequada à passagem, jáque existem alternativas com menor declividade. Entretanto, ela se mostraimportante para vias de acesso local. O lugar chamado pico-lugar (pontosimétrico em relação aos limites da coluna) é propício a formação de núcleo deatividade de bairro, como praças. Além disso, existe a sela que se encontratambém próxima a Rua Américo Martins. Ela é favorável aos assentamentos decomércio e serviços quando próximas as áreas residenciais, tambémapresentam alto potencial de passagem, como é possível observar no local.
  • 14. 14As encostas se encontram ao longo de todo o bairro apresentando declividadesvariadas e por isso se prestam a diversas ocupações. Em geral tem um menorpotencial para servir como passagem.Textos complementares da disciplina: SEPLAN, Superintendência de desenvolvimento da região metropolitana,Plambel. Plano de Ocupação do Solo da Aglomeração Urbana de Belo Horizonte - Os sistemas naturais. BeloHorizonte (p.14-34)ANDRADE, Rodrigo Ferreira e MAGALHÃES, Beatriz de Almeida. A formação da cidade. In: CASTRIOTA, L.b. (Org.).Arquitetura da Modernidade. Belo Horizonte: Editora UFMG; IAB-MG, 1998.ANDRÉS, Maurício. Notas sobre o corpo urbano de Belo Horizonte. Revista Fundação JP, Belo Horizonte, v. 5, n. 4, p.13 - 20. abr.1975.
  • 15. 15Figura 11: Mapa de declividadeFonte: Prodabel adaptado pelo autor Figura 12: Mapa de altimetria Fonte: Prodabel adaptado pelo autor
  • 16. 16 PROBLEMA DE INUNDAÇÃOFigura 13: Áreas de observação no bairroFonte: Mapa elaborado pelo autor
  • 17. 17 ESTRUTURA URBANA ATUALEquipamentos Urbanos Figura 14: Mapa dos principais equipamentos urbanos Fonte: PRODABEL adaptado pelo autor
  • 18. 18LEGENDA Locais de Adoração Parques/áreas de lazer1. Igreja Batista Esperança Plena 1. Campo de Futebol2. Mitra Arquidiocesana de Belo Horizonte 3. Parque do Córrego Primeiro de Maio3. Igreja do Evangelho Quadrangular 5. Praça esportiva4. Exército de Salvação5. Igreja Santo Antônio6. Igreja Evangélica Assembleia de Deus7. Igreja Nossa Senhora da Glória Instituições de ensino Comércio/serviços1. Centro de formação profissional Divina Concentração de comércio deProvidência - unidade Nita Chaves abrangência local (mercearias, bares, salões2. Creche Agostinho Cândido de Souza de beleza, açougues, lojas de roupas, etc.)3. Escola Estadual Helena P. R. Costa – Concentração de comércio deanexo creche abrangência municipal (oficinas, lojas de4. Escola Madre Paula materiais de construção, etc.)6. Escola Municipal Josefhina Souza Lima9. Escola Estadual Professor Hilton Rocha Mercearias Postos de gasolina Restaurantes Farmácias Lojas Atendimento de saúde Trem1. Centro de Saúde Primeiro de Maio 1. Estação de metrô São Gabriel2. UPA Norte - Policlínica Albert Sabin 2. Estação de metrô Primeiro de Maio Ônibus- Bairro Primeiro de MaioA ocupação do bairro Primeiro de Maio é predominantemente horizontal,unifamiliar e se dá predominantemente por casas, que possuem um, dois ou nomáximo três pavimentos. As edificações em geral não apresentamafastamentos frontais e laterais, de maneira que as testadas se encontramdiretamente nas calçadas (quando estas existem) e as casas vizinhas seapresentam justapostas. Além disso, os quarteirões são estreitos e as casasnão possuem quintais e áreas livres, o que favorece a configuração da ruacomo espaço de convívio entre os moradores.As casas são continuamente adaptadas a novas necessidades da família,através da ampliação e criação de novos cômodos, o que gera um cenário deum bairro sempre em construção. Dessa forma é recorrente a presença de
  • 19. 19entulhos e materiais construtivos nas calçadas, uma vez que não há espaçopara o destino destes na própria edificação e nem locais apropriados paracaçambas. Além disso, as edificações têm aspecto inacabado, com ausênciade acabamento, o que compromete a estética do bairro, favorece patologiasconstrutivas, como infiltração e contribui para a proliferação de vetores dedoenças.Outro aspecto observado é que parte das casas não se restringe à ocupaçãoresidencial e reserva cômodos para atividades que gerem renda para a família,através de comércio, aluguel de quartos e/ou prestação de serviços. Essasatividades são, em geral, de pequeno porte, destinadas ao público local econcentradas em ruas específicas.A Rua Volts, localizada em umaencosta, se destaca pela concentraçãode comércio e serviços de pequenoporte e de diversas naturezas, taiscomo mercados, salões de beleza ebares. Além disso, ela apresenta Figura 15: Rua Volts com Rua Padre Cyrequipamentos de grande abrangência Assunção.local, como a Creche Agostinho Fonte: GoogleMapsCândido Souza, o Centro de formaçãoprofissional Divina Providência (unidade Nita Chaves) e um posto de saúde(vide mapa de equipamentos urbanos – fig. 14). Esta concentração decomércio e serviços talvez se explique devido ao fato de que a Rua Voltstermina próximo à estação de metrô São Gabriel, em uma via de retorno quepossibilita aos motoristas acesso ao Anel Rodoviário e à Av. CristianoMachado. Vale lembrar que nesse local é possível detectar a presença degrandes espaços vazios entre as avenidas, os quais poderiam ser mais bemaproveitados com a melhor adequação do espaço público, através de praças,área de convívio e lazer.A Rua Ladainha localiza-se em uma cristae em uma área de baixa declividade emrelação ao entorno. Dessa forma, ela sedestaca como importante eixo de acesso Figura 16: Rua Ladainha com Rua Nossa Senhora da Glória. Fonte: GoogleMaps
  • 20. 20local e de assentamento de atividades de comércio e serviço de bairro, o que égeomorficamente adequado. Observa-se a existência de padarias, açougue,salões de beleza, mercearias, armarinhos, entre outros. A Rua Ladainha seprolonga para fora do bairro, onde recebe o nome de Rua Américo Martins daCosta, que apesar de se desviar um pouco da linha da crista, continua sendoum importante centro comercial. Além disso, ela funciona como via de ligaçãodo Primeiro Maio com outros bairros. No encontro das duas vias há umalargamento da rua e a formação de um centro de convergência de atividades,o que configura um ponto nodal. Este local compreende a cela e atua comoimportante ponto de integração entre as principais vias. Apesar disso, esse éum ponto mal estruturado e poderia ser mais bem explorado pela importânciaque tem na ligação do bairro com as demais regiões vizinhas.A Avenida Cristiano Machado contorna grande parte do bairro e está localizadaao longo de um vale contínuo, com baixa declividade. Isso favorece aspassagens e fluxos rápidos, com vias arteriais,expressas e/ou de transporte de massa, e ainstalação de atividades que exigem muitoespaço e acesso fácil de veículos de carga.Esses aspectos foram confirmados pelapresença de grande tráfego na avenida e deestabelecimentos como oficinas e lojas dematerial de construção. Em comparação com as Figura 17: Av. Cristiano Machado.atividades do interior do bairro, tais Fonte: GoogleMapsestabelecimentos apresentam maior porte eatendimento mais abrangente, o qual se estende a toda a cidade de BeloHorizonte. Vale destacar a existência da Escola Estadual Hilton Rocha e daestação de metrô Primeiro de Maio, estruturas de grande porte da avenida(vide mapa de equipamentos urbanos).Na Cristiano Machado as edificações continuam horizontalizadas e semafastamentos, porém não se dedicam à ocupação residencial e sim, aocomércio identificado por grandes galpões e estoques. Nessa região, ascalçadas são largas e muitas vezes servem de estacionamento para as lojas. Avegetação identificada é pouca, mas é maior do que a vegetação do interior dobairro, que é praticamente inexistente. Vale lembrar que nas proximidades da
  • 21. 21Escola Estadual Professor Hilton Rocha existem grandes vazios que poderiamser mais bem utilizados para atividades culturais, por exemplo. Poderia seranalisada uma intervenção tanto na escola, quanto nos espaços livres doentorno, com a instalação de serviços que melhor atendem e contribuem para odesenvolvimento do bairro.As demais ruas do Primeiro de Maio são,em geral, estreitas e irregulares e muitasvezes, sem saída. Algumas se afunilam namedida em que adentram o bairro,formando becos onde se concentramatividades ilegais, como o tráfico dedrogas. Em algumas vias não existe Figura 18: Rua Faraday.calçada ou ela desaparece em alguns Fonte: GoogleMapspontos. Nessas ruas, predominam as edificações residenciais. A maior partedas casas apresenta aparência similar, mas algumas se destacam com melhorrevestimento e até mesmo com muros e grades. Na medida em que seaproxima da Vila Primeiro de Maio, as construções tendem a ficar maisprecárias. Vale lembrar que ao longo das ruas existe carência de algunsequipamentos urbanos, como lixeiras públicas e locais de recreação e convíviodos moradores (praças, parques, etc.).- Vila Primeiro de MaioA vila Primeiro de Maio por ter sido ocupada, inicialmente ilegalmente éconformada por becos que se ramificam, bifurcam e se estreitamaleatoriamente, conforme a implantação das moradias. O usuário acabatomando a parte pública para si, sem prever as conseqüências, o que geraproblemas de locomoção, inacessibilidade aos aparatos e serviços urbanos,como por exemplo, a coleta de lixo. Em todos os becos o trânsito deautomóveis ocorre somente em uma única faixa e, normalmente, não existemcalçadas. O fluxo, em alguns casos, é possível quando os veículos são depequeno porte. Em outros becos a largura da via pública é tão pequena, que sóé possível o trânsito de pessoas e carrinhos-de-mão. Em alguns casos, o becoé tão estreito, que se torna impossível também o trânsito destes.
  • 22. 22A Vila, por se situar em uma área de encosta relativamente íngreme e possuirum relevo irregular, apresenta possíveisáreas de risco com deslizamento de terra,por exemplo (figura 21 e 22). Por isto,segundo o técnico social da URBEL,Davidson, os terrenos devem seraveriguados antes da sua legalização paraocupação. Figura 19: Mapa áreas de risco Fonte: acervo Hudson NepomucenoO principal ponto crítico é no Beco Roseirascom o Beco dos Santos, onde já foramfeitas obras de intervenção pelaprefeitura. Foram retirados do local osmoradores e construída uma pequenapraça, assim como também foramfeitas obras de contenção da encosta,através do jateamento de concreto.Apesar da boa intenção da iniciativa Figura 20: Vista da praça Figura 20: Vistapública, percebe-se que o espaço é da praça (Beco Roseiras com beco Dos Santos) Roseiras com beco Dos Santos)inutilizado.Outro local crítico é a pedreira, que sesitua no cruzamento do BecoItapanema com o Beco Lindolfo Faria,apesar desses não serem interligados.Esta região se conforma como umagrande área de risco, uma vez queapresenta o terreno muito íngreme e sesitua num vale curto, o que o torna um Figura 21: Vista da pedreira. Foto tirada dopercurso natural de drenagem de Beco Itapanema.águas pluviais. Já houve casos de Fonte: acervo Hudson Nepomucenodesmoronamento no local, e há alguns anos foram feitas obras de contençãode encosta, nas quais foi utilizado o mesmo processo de contenção na área derisco anteriormente citada. Entretanto, esta providência é uma medida paliativa
  • 23. 23e não é adequada. Observam-semoradias neste local, o que configurauma importante e possível área deintervenção a ser estudada.A Vila Primeiro de Maio é configurada Figura 22: Vista da pedreira. Foto tirada doprincipalmente por residências e Beco Lindolfo Faria.quase não existem edifícios de Fonte: acervo de Hudson Nepomucenocomércio ou serviço. Elas são coladas uma nas outras, gerando umaglomerado, que às vezes se tornam impossível perceber onde eles começame terminam. As residências, em geral, apresentam o padrão de revestimentoinacabado, de maneira que na maioriao tijolo fica aparente e exposto eapenas algumas apresentam pinturaexterna. Apesar do grau deprecariedade observado nas casas edo contexto urbano, a maioria dascasas apresenta rede de esgoto eágua tratada. Figura 23: Vista da Vila. Fonte: acervo de Hudson NepomucenoObserva-se também na Vila fortesatividades criminais. Em uma entrevista concedida por uma moradora do sexofeminino, ela reclama de vários buracos de tiros na parede de sua casa. Outroproblema é o tráfico de drogas, que ocorre principalmente no cruzamento daRua Jorge Francisco dos Santos coma Rua Otis, e é facilitada pelaproximidade da Av. Cristiano Machado.Este local é conhecido como praçatroca égua (figura 24).No Beco Ladainha também se fazmuito presente essas atividades, o quepoderia ser amenizado com oalargamento da via, facilitando o Figura 24: Praça troca éguaacesso de policiais, iluminação e Fonte: acervo de Hudson Nepomuceno
  • 24. 24aparatos urbanos, em geral. Isso poderia proporcionar maior segurança paraos moradores que não estão envolvidos com o crime.Observando algumas ruas do bairro Minaslândia, próximo à divisa com oPrimeiro de Maio, verifica-se o mesmo tipo de ocupação que o bairro emanálise, ainda que vias como a Rua Sônia e a Rua Joana Darc sejam maislargas e apresentem vegetação e edificações com melhor acabamento. Valelembrar que no encontro das ruas Joana Darc e Penélope existe o ParquePrimeiro de Maio, um dos poucos parques da região.
  • 25. 25Aspectos da legislação vigente · Zoneamento 1996
  • 26. 26· Zoneamento 2010
  • 27. 27AnálisesDe acordo com os mapas das leis de uso e ocupação do solo dos anos 1997 e2010 de Belo Horizonte, pode-se perceber que o bairro em estudo, Primeiro deMaio, se encontra em três zonas principais ZAP (Zonas de AdensamentoPreferencial), ZEIS-1 (Zonas de Especial Interesse Social) e ZAR-2 (Zona deAdensamento Restrito), segundo os potenciais de adensamento e asdemandas de cada local/ região.Conceitos: · Art. 8º - São ZARs as regiões em que a ocupação é desestimulada, em razão de ausência ou deficiência de infra-estrutura de abastecimento de água ou de esgotamento sanitário, de precariedade ou saturação da articulação viária interna ou externa ou de adversidade das condições topográficas, e que se subdividem nas seguintes categorias:II - ZARs-2, regiões em que as condições de infra-estrutura e as topográficasou de articulação viária exigem a restrição da ocupação. · Art. 10 - São ZAPs as regiões passíveis de adensamento, em decorrência de condições favoráveis de infra-estrutura e de topografia. · Art. 12 - São ZEISs as regiões edificadas, em que o Executivo tenha implantado conjuntos habitacionais de interesse social ou que tenham sido ocupadas de forma espontânea, nas quais há interesse público em ordenar a ocupação por meio de implantação de programas habitacionais de urbanização e regularização fundiária, urbanística e jurídica, subdividindo-se essas regiões nas seguintes categorias: · Art. 91-A - A ADE do Primeiro de Maio tem o objetivo de preservar os traços da ambiência original dos espaços públicos e a tipologia típica da ocupação e do uso, por meio de:I - valorização da centralidade urbana, conformada pelo centro comercial aolongo da Rua Ladainha, nos bairros Primeiro de Maio e Providência;
  • 28. 28II - promoção da requalificação urbana da área e das fachadas de edificaçõesde interesse cultural, com integração ao Parque Primeiro de Maio;III - instituição de perímetro de proteção do patrimônio cultural.Parágrafo único - A altura das edificações não poderá ultrapassar doispavimentos, prevalecendo as demais disposições contidas nesta Lei.PARÂMETROS URBANÍSTICOS:COEFICIENTES DE APROVEITAMENTO BÁSICO E MÁXIMO(Incluído como Anexo V da Lei nº 7.165/1996)As zonas ZAP E ZAR-2, há a possibilidade da “Outorga Onerosa de Direito deConstruir”, pois o coeficiente máximo é maior que o coeficiente básico nas duaszonas. PARÂMETROS URBANÍSTICOS RELATIVOS À QUOTA DE TERRENO POR UNIDADE
  • 29. 29HABITACIONAL. TAXA DE OCUPAÇÃO, TAXA DEPERMEABILIDADE E ALTURA MÁXIMA NA DIVISASubstitui o Anexo VI da Lei N° 7.166/96LOCALIZAÇÃO DOS USOS(Substitui o Anexo XI da Lei n.º 7.166/96)VR = Via Preferencialmente Residencial
  • 30. 30VM = Via de Caráter MistoVRM = Via Preferencialmente Não ResidencialA = AdmitidoAC = Admitido sob condiçõesNA = Não admitidoAFASTAMENTOS MÍNIMOS LATERAIS E DE FUNDO(Substitui o Anexo VII da Lei n° 7.166/96)AFASTAMENTO FRONTALSubseção VIArt. 51 - O afastamento frontal mínimo das edificações é equivalente a umadistância fixa definida em função da classificação viária da via lindeira à testadado terreno, da seguinte forma:I - vias de ligação regional e arteriais, 4,00 m (quatro metros);II - demais vias, 3,00 m (três metros).
  • 31. 31LOTEAMENTO DO BAIRRO PRIMEIRO DE MAIO:Figura 25Fonte: Prefeitura de Belo Horizonte
  • 32. 32POSSIBILIDADES DE USO E OCUPAÇÃO:1 - Exemplo de loteamento, quarteirão da rua Ampere com, Volts, Ohm eNossa Senhora da Glória. Zona ZAR-2Usos que podem ser instalados:Comércio varejista de bebidas, de eletrodomésticos e equipamentos de áudio evídeo, cursos diversos e centro de treinamento de condutores, atividadescomplementares em saúde (fonoaudiologia, psicologia, nutricionismo),consultoria, atividade jurídicas e contábeis, informática e tecnologia dainformação, serviços técnicos profissionais, serviços domésticos, chaveiros,restauração e manutenção de artigos e equipamentos pessoais e domésticos,residências assistenciais (orfanato, conjunto residência para idosos),residências, cooperativas, associações, biblioteca, parque público, temploreligiosos, creche, lavoura temporária e permanente, entre outros.Exemplo de taxa de ocupação do lote 15A:LOTE: 20AÁREA DO TERRENO: 250m² ( 15 x15 x 14 x 17 )QUOTA: 45ÁREA MÁXIMA A SER CONSTRUÍDA: 250m² ( sem outorga onerosa)ÁREA MÁXIMA A SER CONSTRUÍDA: 325m² ( com outorga onerosa)NÚMERO MÁXIMO DE UNIDADES A SEREM CONSTRUÍDAS: 5 ( sem outorga onerosa) Máximo de 50m² cada unidade se forem construídas 5 unidadesNÚMERO MÁXIMO DE UNIDADES A SEREM CONSTRUÍDAS: 5 ( com outorga onerosa) Máximo de 65m² cada unidade se forem construídas 5 unidades
  • 33. 33No entanto, esses cálculos não são válidos porque há de ser considerar osafastamentos laterais e frontais. Se tivermos uma edificação de apenas 1pavimento, cuja altura chega a 4m, a lei não obriga afastamento lateral.Mesmo assim, se colocarmos afastamentos laterais de 1,5m, para no caso deabrir janelas, além do afastamento frontal de 3 metros da via coletora,teremos uma área passível de construção de 130m², conforme o esquemaabaixo:Desta forma, com a área de construção reduzida poderemos ter, por exemplo,2 casas geminadas cuja projeção é de 65m², mas a área construída sendo de125m² cada ( 65m² no primeiro pavimento e 60m² no segundo pavimento) oque caracteriza uma residência bem ampla, sem que haja outorga onerosa.
  • 34. 342 - Exemplo de loteamento, quarteirão da rua ladainha com, Volts, BadaróJúnior e Nossa Senhora da Glória. Zona ZAR-2Usos que podem ser instalados:Academia de ginástica, serviço de esterilização, laboratório fotográfico,atividades de atenção a saúde humana (fisioterapia, enfermagem), atividadesodontológicas, centro de pesquisa, atividades médicas especializadas, postode vacinação, escolas (ensino médio, fundamental, profissionalizantes), entreoutros.LOTE: 20AÁREA DO TERRENO: 190m² (15,0 x 15,0 x 12,0 x 11,0)QUOTA: 45ÁREA MÁXIMA A SER CONSTRUÍDA: 190m² ( sem outorga onerosa)ÁREA MÁXIMA A SER CONSTRUÍDA: 247m² ( com outorga onerosa)NÚMERO MÁXIMO DE UNIDADES A SEREM CONSTRUÍDAS: 4 ( sem outorga onerosa) Máximo de 61,75m² cada unidade se forem construídas 4 unidadesNÚMERO MÁXIMO DE UNIDADES A SEREM CONSTRUÍDAS: 4 ( com outorga onerosa) Máximo de 47,50m² cada unidade se forem construídas 4 unidades
  • 35. 35No entanto, esses cálculos não são válidos porque há de ser considerar osafastamentos laterais e frontais. Se tivermos uma edificação de apenas 1pavimento, cuja altura chega a 4m, a lei não obriga afastamento lateral.Mesmo assim, se colocarmos afastamentos laterais de 1,5m, para no caso deabrir janelas, além do afastamento frontal de 3 metros da via coletora,teremos uma área passível de construção de 83m², conforme o esquemaabaixo:Desta forma, com a área de construção reduzida e com o limite de número depavimentos temos lotes com residências unifamiliares caracterizando o tipode ocupação do bairro Primeiro de Maio.
  • 36. 36Apesar de a lei restringir a quantidade de unidades e a área máxima deconstrução de cada unidade deve-se ainda levar em conta os afastamentosobrigatórios o que faz diminuir ainda mais o tamanho das unidades. Destaforma, os empreendedores, em casos de projetos multifamiliares, aumentam aárea de cada unidade e constroem menos unidades. Outra estratégia é acompra de lotes circunvizinhos para um único empreendimento. Na região daSavassi, por exemplo, esse tipo de intervenção vem ocorrendoconstantemente. Há a junção de lotes vizinhos de forma a aumentar a área doterreno e com isso há possibilidade de se projetar apartamentos maiores eedifícios com muitas unidades.No bairro Primeiro de Maio, no entanto, por se tratar de uma região comadensamento restrito com ADE específica as edificações não podemultrapassar 2 pavimentos o que diminui o adensamento da região emcomparação á outros lugares da cidade principalmente para que não hajasobrecarga na infraestrutura desse bairro considerado de classe média baixa.Já que o número máximo de pavimentos do bairro é 2, dificilmente teremosuma edificação com altura maior que 12m, ou seja, a fórmula para cálculo deafastamento lateral não será usada para o bairro Primeiro de Maio, noentanto, há que se levar em conta os afastamentos frontais das vias.Pensando na flexibilização do projeto recomenda-se afastamentos laterais de,no mínimo 1,5m, para aberturas de janelas mesmo que no projeto inicial nãoesteja previsto esquadrias.Através da visita à campo foi possível perceber algumas edificaçõesconstruídas de forma inadequada já que não segue a legislação vigente,principalmente nos becos da vila. Nas entrevistas realizadas algunsmoradores indicaram que essa irregularização se deve à falta de recursofinanceiro dos moradores para contratar um projetista ou técnico capacitadoou ainda por se tratarem de construções que passaram por reformasadministradas pelos próprios moradores onde, muitos deles, não possuemconhecimento a respeito das leis de uso e ocupação do solo da cidade.
  • 37. 37Percepção dos moradoresEntrevista 1Figura 26- Mapa mental. Sexo feminino 61 e sexo feminino 28A senhora de 61 anos, entrevistada, declara gostar muito de morar no bairrodevido ao fato de estar lá desde que nasceu. Ela comenta um pouco dáevolução do bairro: conta que no início de sua criação ele “era mato”, de difícilacesso, constantemente inundado pelo rio e com um matadouro. Ele recebeumelhoramentos ao longo do tempo, se tornou Vila Operária e depois Primeirode Maio (cerca de 47 anos atrás). As casas hoje são de meio-lote e osprimeiros terrenos foram doados pela prefeitura.Tanto a senhora, quanto sua filha encaram o bairro Primeiro de Maio como aregião das ruas elétricas e consideram o restante como favelas que foramsendo criadas ao redor do bairro e onde hoje se concentra a violência. Nobairro, as pessoas são solidárias, amigas, formando uma grande família.Ao confeccionar o mapa, elas começam pelas ruas elétricas (o bairro de fato) edestacam alguns limites importantes, a partir dos quais começam os becos e
  • 38. 38as favelas: o posto de saúde (à esquerda, entre as Ruas Ampère e Ohm), aRua Ladainha (acima), a linha de metrô (à direita, onde acabam as RuasBadaró Júnior, Berilo, Campinas – atual Padre Cyr Assunção – e Ampère) e aRua A (abaixo).A Igreja Santo Antônio é o limite com o bairro Providência. Logo, parte da RuaLadainha pertence ao Primeiro de Maio e parte, ao Providência.Comentam que a Rua A era um antigo “faroeste” devido ao tráfico de drogas eao grande número de mortes. Hoje, entretanto, a maioria dos criminosos dessaregião já morreram ou estão presos.Entrevista 2Figura 17 - Mapa mental. Sexo feminino 31A moradora entrevistada, apesar de sentir medo de morar no bairro devido aoalto índice de criminalidade, não deseja se mudar, já que o Primeiro de Maiopossui boa localização na cidade (fica perto do centro) e todos os seusserviços/comércio internos ficam próximos uns dos outros e das residências.Além disso, todo mundo se conhece, o que cria um clima de vizinhança. Alémdisso, ela destaca que a violência no bairro começou há apenas 10 anos e queela atinge apenas quem está envolvido com o crime, ainda que esteja presenteem todo o bairro.
  • 39. 39Ao confeccionar o mapa, ela começa pelo desenho da Igreja Santo Antônio ede sua praça e a toma como referência por ser um antigo elemento do bairro.Ela comenta que essa praça há um tempo atrás era o local de concentraçãocultural do bairro (festas, eventos) e ponto de encontro dos moradores, mashoje, devido ao seu abandono e falta de manutenção, ela não é maisfrequentada. Os eventos passaram a acontecer nas próprias casas domoradores ou nos bares. Ela comenta também a disposição das edificações,“coladas” umas nas outras, a grande quantidade de bares existentes no bairro(“um do lado do outro”) e a concentração de comércio na Rua Ladainha.Menciona a Av. Cristiano Machado como foco de inundação do bairro.Entrevista 3Figura 28 - Mapa mental. Sexo feminino 16Gosta muito de morar no bairro, pois ele é movimentado, possui bastantecomércio, lugares para sair e as pessoas gostam de visitá-lo. Ela destaca afrequente realização de bailes nas casas dos moradores ou no salão de festasdo bairro, bem como de eventos na rua (pagode, etc.). Ela destaca o costumede frequentar o Parque Ecológico Primeiro de Maio e o trata como local deconvívio social, de reunião de moradores. Ao confeccionar o mapa, ela conferedestaque à igreja.
  • 40. 40Entrevista 4Figura 29 - Mapa mental. Sexo feminino 15Gosta de morar no bairro, pois ela foi criada no bairro e todos os seus parentesnele residem. Todos são respeitados por serem antigos no bairro e os vizinhossão amigos. Além disso, existe muito comércio (Rua Ladainha), o elimina anecessidade de ir para outros lugares fazer compras. Ela possui grande medoda violência, comenta inclusive que os criminosos andam exibindo armas, edeclara que “se não tivesse violência, o bairro seria perfeito”.Ao confeccionar o mapa, ela comenta a disposição das casas, com ausênciade afastamentos, e começa por sua casa. Destaque para a rua desenhada(Rua Ladainha): maior largura, inclusive de mão dupla, que permite apassagem de ônibus, tipologia de via pouco frequente no bairro. O desenhomostra ainda que apesar da rua ser essencialmente comercial, existemedificações residenciais também.
  • 41. 41Entrevista 5Figura 30 - Mapa mental. Sexo feminino 21Declara que o bairro tem um pouco de tudo, é bem diversificado, e que é muitoperigoso, mas que os moradores, quem está dentro do bairro, já se acostumoucom a violência (ela é encarada como um fato social normal, cotidiano) . Nãodeseja se mudar e como causa disso, ela destaca a existência de muitaspessoas “bacanas” e humildes, as amizades com os vizinhos, o convívio demuitos anos, o conhecimento dos limites de onde pode ir e onde não pode,onde é perigoso.Ao confeccionar o mapa, ela foca na Rua Ladainha (Principal), na Igreja NossaSenhora da Glória e na concentração de comércio e de bares. Comenta aexistência de casinhas “coladas” e com cobertura de laje.AnáliseDe acordo com as entrevistas e os mapas mentais realizados em campo nobairro Primeiro de Maio, pode-se perceber que a maioria dos residentes dobairro são antigos moradores que acompanharam de perto as mudançasocorridas durante os anos. Principalmente a mudança com a chegada de umamassa de pessoas que foram se instalando em locais nem sempre muitoapropriados, resultando na configuração que se tem hoje das vilas e favelas dobairro. A criminalidade, por sua vez, aumentou, pois muitas vezes a presençadesse assentamento massivo da vila, representou o limite para a ação dapolícia e das regras vigentes em geral da cidade.Outro aspecto relevante apontado pelos moradores foi à presença no bairro depontos de encontro, como a praça em que se localiza a igreja Santo Antonio.
  • 42. 42Antigamente esse espaço era local de festas e eventos culturais em geral.Além disso, a boa localização do bairro na cidade e a presença de muitocomércio e serviço dentro do próprio bairro e em suas proximidades são fatoresmarcantes, para que esses moradores se identifiquem com o local, e gostemde morar lá. A maioria dos entrevistados alega não querer sair do bairro, poisalém disso, eles tem entre eles um sentimento de vizinhança e a amizade.Espaços públicosHá no bairro Primeiro de Maio espaços livres e públicos, em que a apropriaçãopor parte dos moradores ocorre de forma diversa. Além dos espaços do bairro,essa apropriação se estende para os bairros vizinhos, como o bairroProvidência primeiramente e depois o bairro Minaslândia, construindo umarelação forte entre os moradores dos diferentes bairros, de acordo com osociólogo Frank, como a praça que foi requalificada pelo orçamentoparticipativo entre o bairro Primeiro de Maio e Minaslândia, a qual é utilizadapelos moradores desses diferentes bairros.O antigo espaço cultural bar calabouço foi um local de referência cultural epolítica para o bairro Primeiro de Maio e para a cidade de Belo Horizonte, o barse localizava na praça Santo Antônio. Local em que se organizaramimportantes feiras de cultura popular da região norte, além de shows e eventosem geral. As pessoas deram, dessa forma, ao espaço diferentes aspectos.Outro espaço público importante para o bairro é a praça Troca-égua, em queocorreram muitas seções de cinema e apresentações de grupos de quadrilha ea típica folia dos Reis. Foi nesse local também que as pessoas se organizavampara fazer reinvidicações políticas.Levando em consideração esses aspectos que foram citados pelo sociólogoFrank, pode-se perceber que a apropriação dos espaços públicos era maisintensa e presente em épocas anteriores, pois atualmente apesar de aindahaver feiras de cultura, e a folia dos Reis, esses eventos são mais esporádicos.No entanto a praça que foi requalificada é utilizada com freqüência,principalmente a quadra que está sempre sendo usada pelos jovens, modelopara outras praças que precisam de reformas, pois se encontram degradadas e
  • 43. 43inutilizadas. No Beco Roseiras com o Beco dos Santos, por exemplo, já foramfeitas obras de intervenção pela prefeitura, em que foram retirados do local osmoradores e construída uma pequena praça, em que se percebe que o espaçoé inutilizado.Relação entre os cursos d’água e a ocupaçãoO bairro Primeiro de Maio está situado nabacia hidrográfica do Onça e da Pampulha,onde se tem respectivamente, próximo aobairro, os ribeirões de mesmo nome.Devido à malha retilínea, que normalmentenão acompanha as curvas de nível, àinadequada ocupação do solo e àinexistência de áreas permeáveis, podem-seobservar possíveis pontos de alagamento,empoçamento e problemas gerados devido Figura 31: Localização do Bairro Primeiro de Maio em relação às baciasao grande fluxo e velocidade das águas nos de Belo Horizonte.dias de chuva. Outro problema que agrava isto é o lixo que é jogado no meiodas ruas e becos.Na encosta oeste do bairro, onde se situam as ruas Ampère, Ohm, Padre CyrAssunção e Berilo, podem-se observar pequenos pontos de empoçamentodevido às reentrâncias do relevo, assim como a inexistência de boca-de-lobo.O mesmo se verifica no outro lado da encosta, no Beco Itapena, Castro e naextremidade pertencente ao bairro Primeiro de Maio da Rua Maria Ortiz. Estasinformações foram obtidas através da leitura do mapa de curva de nível daregião (vide figura 12). Entretanto, através de entrevista com moradores locais,elas não foram confirmadas. Segundo eles, o principal ponto de inundação eque também foi averiguado pelo grupo, é ao longo da Avenida CristianoMachado, o que é justificado por se situar em um vale longo correspondente aoribeirão Pampulha, que foi canalizado para a construção da avenida. Isto éagravado pela ausência de áreas permeáveis.
  • 44. 44As ruas ao longo dos vales curtos, e estes por serem um local de destinonatural da água de chuva, apresentam grande fluxo d’água, sendorecomendável o uso de bocas-de-lobo. Isso é verificado bem adaptado na RuaSônia e mal adaptado no Beco Ladainha, onde há apenas um no seu pontomais baixo.Muitos becos na Vila Primeiro de Maio, como, por exemplo, o beco ladainha,Marechal Rondon e a Rua Monte Rei são muitos íngremes, o que já confere,em dias não-chuvosos, dificuldades de locomoção, o que é agravado em diaschuvosos pelo grande fluxo de água.
  • 45. 45SÍNTESE Figura 32: Setorização do bairro Fonte: Mapa elaborado pelo autor Residencial pouco adensada Residencial renda média Comercial grande porte Alto índice de residência sem Vila Primeiro de Maio Área de risco (pedreira)banheiro Residencial muito adensado Área inundável Comercial local/ poucasresidências Residencial maior renda Comercial local Área perigosa (drogas)
  • 46. 46A partir do estudo do Primeiro de Maio, da análise de sua distribuição espaciale do levantamento de seus dados sócio-econômicos é possível dividir o bairroem algumas áreas com características peculiares e marcantes, ainda que eleseja relativamente homogêneo. A figura atrás apresenta uma hipótese para aessa setorização.As áreas de comércio municipal e residencial de maior rendacorrespondem às regiões comerciais do bairro. A área de maior renda marcadaao longo das ruas Ladainha e Volts concentram os estabelecimentos deabrangência local, tais como padarias, mercearias e lojas de roupas. A RuaLadainha se encontra em uma crista, que é naturalmente adequada aocupações dessa natureza. A Rua Volts, por outro lado, se localiza em umaencosta e provavelmente desenvolveu esse tipo de atividade devido à suaproximidade às grandes vias de acesso ao bairro. A mancha amarela, ao longoda Av. Cristiano Machado, é caracterizada por comércios/serviços deabrangência municipal e que não são demandados com frequência por ummesmo consumidor, como oficinas e lojas de materiais de construção. Ela selocaliza, de forma adequada, ao longo de um vale contínuo. As demais áreasdo bairro são predominantemente residenciais e se encontram, em geral, emencostas.A área residencial pouco adensada do mapa corresponde a uma regiãocujos lotes são maiores, permitindo maiores afastamentos e áreas livres comvegetação em seu interior. Além disso, podem ser identificados lotes vagos aolongo das ruas. Junto à Avenida Cristiano Machado observa-se a existência deequipamentos públicos de grande porte, como a estação de metrô Primeiro deMaio e a Escola Estadual Professor Hilton Rocha, os quais ocupam grandeslotes com pequena porcentagem construída.A área com alto índice de residência sem banheiro do mapa além decorresponder à região com maior número de residências sem banheiro é umadas menores rendas médias por responsável pelo domicílio do bairro. Dessaforma, as construções são bem mais simples, sem acabamento e com gravesproblemas de saneamento básico, constituindo uma das áreas mais precáriasdo bairro.
  • 47. 47A área da Vila Primeiro de Maio corresponde às famílias commenores rendas da região. As construções são precárias e justapostas, semafastamentos, e a presença de uma grande quantidade de becos favorece oalto índice de criminalidade. A linha cinza no mapa indica a área maisperigosa do Primeiro de Maio, correspondente ao Beco Ladainha, que culminana chamada Praça Troca Égua, onde existe intenso tráfico de drogas. Amancha vermelha demarca a área de risco da Vila devido à pedreira, a qualnão é passível de ocupação e de onde muitas famílias deverão ser removidas.A área residencial de renda média baixa trata-se de uma região muitoadensada, onde as construções não possuem afastamentos, nemacabamentos, ainda que possam ser identificadas casas pontuais commelhores revestimentos. Nessa região, as vias obedecem a um traçadogeométrico e os becos são praticamente inexistentes.A área residencial muito adensada corresponde a uma área coma presença de famílias na maioria de baixa renda que fazem parte da VilaPrimeiro de Maio. As residências são simples, muito próximas umas das outrase, e grande maioria não possui banheiro, cerca de 5,1 a 10%, de acordo com oIBGE, senso de 2000.As áreas inundáveis representam locais que durante os períodos dechuvas alagam e trazem transtornos para o bairro e a região.Por fim, a área residencial de alta renda demarca a região demoradores de maior poder aquisitivo. Dessa forma, as casas possuem melhoracabamento, ainda que os afastamentos não estejam presentes. As viascontinuam geometrizadas. A concentração desse perfil de família nessa regiãopode ser explicada pelo maior custo do terreno devido à proximidade com aárea comercial do bairro. Outra hipótese é que os moradores sejam donos dosestabelecimentos da área citada.
  • 48. 48Proposição Fgura 33:Propostas de intervenção Fonte: Mapa elaborado pelo autor Alargamento do beco Horta comunitária Contenção de encosta da Ladainha Pedreira Espaço Público – Praça, espaço Praça e criação de um conjunto habitacional para para shows locais, feirinhas marco referencial. assentamento de família removidas de suas casas. Direção do fluxo de Remoção de moradores Remoção e revitalização da automóveis para a criação de uma praça praça
  • 49. 49PropostasA partir dos problemas observados em campo e através de entrevistas epesquisas, pode-se perceber que o bairro Primeiro de Maio apresenta grandesproblemas com relação à infra-estrutura. A maioria das ruas são muito estreitase impermeabilizadas, as quais dificultam o trânsito de automóveis, e ocasionamalagamentos em algumas áreas de vale, em que as poucas áreas verdesagravam isto. Além disso, percebe-se a carência de aparatos urbanos, comoiluminação, lixeiras, bancos e áreas de lazer e convívio.Grande parte do bairro se situa em encostas em que às vezes apresentagrandes declividades, acima de 47%, principalmente na Vila Primeiro de Maio.Essa característica é desfavorável tanto para o fluxo de pessoas como deautomóveis, tornando muitas vias inacessíveis. Isso é acentuado peloestrangulamento dos becos. Além disso, essa configuração confere ao bairrocerta insegurança, uma vez que o fluxo de pessoas fica reduzido, assim comoa atuação de policiamento no local, favorecendo a criminalidade.Apesar de o bairro estar situado em um local estratégico da cidade, próximo agrandes avenidas como a Cristiano Machado e a estação de metrô. O bairro seencontra de certa forma isolado, uma vez que não há uma conexão diretadessas com o bairro, o que configura mais como barreira/ limite do que vias deacesso rápido e fácil para os moradores.Analisando esses problemas e condicionantes do bairro, pode-se elaborarproposições que melhorem a vida dos moradores e da cidade, proporcionandomaior segurança, acessibilidade, lazer, etc.Primeiramente tem-se como proposta a contensão da encosta da Pedreira, situada no fim do beco Lindolfo Faria. Isso porque os moradores que seencontram próximos a área, principalmente em épocas de chuva, se sentemameaçados devido aos possíveis deslizamentos. A contensão seria feita porgrampeamento das rochas evitando o deslocamento dessas. Dessa forma, nãoseria necessária a remoção das pessoas que residem lá atualmente, elaspoderiam permanecer na área com segurança.Outra proposta é tornar mais acessível a via demarcada no mapa que selocaliza no beco Ladainha que culmina na chamada Praça Troca Égua, onde
  • 50. 50existe intenso tráfico de drogas. Pretende-se torna o beco mais acessível coma criação de escadas com corrimãos, facilitando a mobilidade dos pedestresque mesmo em dias não chuvosos é dificultada pela grande declividade. Alémdisso pretende-se torna-lá movimentada, através de uma boa iluminaçãodurante a noite, e colocar mobiliários urbanos que propicie que esta se torne asala comunitária da vizinhança que reside neste beco. Através destasestratégias pretende-se também inibe as práticas criminais no local.Na praça Troca Égua pretende-se ampliá-la, tornando-a uma praçapública de convívio e lazer. Isso seria feito através da colocação de bancos,vegetação, tonando-a um local agradável e por isso de permanência dosmoradores da região. Para tornar isso possível, uma vez que ela se configuraatualmente pela presença de práticas criminais, uma boa e abrangenteiluminação seria ponto de foco de atuação. No entroncamento da Rua Ladainha com Américo Martins e Joana Américatem-se a formação de um ponto nodal, que se encontra confuso, uma vez quenão se tem clara a ligação e visualização do que ocorre ao longo dessas. Porisso propõe-se o tratamento disso, através de uma rotatória que integra essastrês vias com a Rua Zilá Silveira. Com isso o caráter de sela que essa regiãoapresenta seria potencializado, pois favoreceria a comunicação do Primeiro deMaio com os bairros do entorno. Nessa grande rotatória de ligação, que é umadas áreas mais altas do bairro, seria criada uma praça com a presença de ummarco central, que facilita e evidencia a leitura do bairro, tanto para osmoradores como também para as pessoas que não conhecem a região. Alémdisso, a criação de uma grande área pública em uma das principais avenidasde comércio do bairro proporcionará uma maior integração tanto dosmoradores do bairro como os do entorno.Na rotatória que liga a Cristiano Machado ao bairro, pretende-sefazer um grande espaço público, multifuncional, no qual poderia ocorrereventuais feiras, shows, ou servir no dia-a-dia como área de entretenimento elazer. Ela é cortada pela Cristiano Machado, que a subdivide em duas partes,em que essas atividades poderiam se realizar. É uma área estratégica, por serde fácil acesso para a população em geral, além de ser um convite parafreqüentarem o bairro, e utilizarem seus serviços.
  • 51. 51No Beco Roseiras com o Beco dos Santos, onde já foram feitas obras deintervenção pela prefeitura, foram retirados do local os moradores e construídauma pequena praça, em que se percebe que o espaço é inutilizado. Por issopropõe-se a revitalização dessa com a criação de espaços mais atrativos,arborizados e iluminados. Dessa forma, essa área seria mais freqüentada pelosmoradores, tornando-a mais segura.Há ao redor da praça muitas casas, e uma das moradoras reclama por falta deprivacidade, por isso essa intervenção seria uma ação conjunta com osmoradores do local, para garantir que seus interesses sejam assegurados. Aintenção é de torná-la: “uma sala de estar, não só para a interação cotidianacomo também para as ocasiões especiais, de modo que as atividadescomunitárias e as atividades importantes para a comunidade local possam serrealizadas ali.” HERTZBERGER, Herman, (1996). Lições de arquitetura. P.59.Essa valorização do espaço público como espaço comum se baseiaprincipalmente na idéia de que os moradores têm interesses e necessidadescomuns. Há uma constante busca para que a arquitetura, moradia tenhamreciprocidade com o espaço público, para que elas se relacionem e não setornem elementos isolados e interdependentes.Em parte do bairro a linha de metrô deixa de ser subterrânea, a noroestedo bairro próximo a rua Júlio Verne e a nordeste próximo a rua Cinco de Julho,o que conforma para os moradores uma grande barreira física. A ligação dasáreas que o metrô subdivide se torna perigosa e muitas vezes inacessível. Háao lado da linha, grandes corredores murados em que se formam áreasdeterioradas propícias às atividades ilícitas. Pretende-se superar essecondicionante, desfavorável para a configuração urbana, através da atribuiçãoa esses grandes corredores de uma nova atividade urbana, e que ela não sejaapenas uma área de passagem.Levando em consideração o que foi observado no bairro, a criação de umahorta comunitária intensificaria o sentido de coletivo e identidade entre osmoradores. A horta poderia ser subsidiada por uma ONG criada por eles, quepoderiam nessa atividade incrementar a renda familiar. Dessa forma apresença dos próprios trabalhadores, incentivaria a formação de um local não
  • 52. 52só de passagem como também de encontro para os comerciantes e curiosos,aumentando assim, o fluxo de pessoas.Outra proposta é direcionar o fluxo de automóveis no bairro , tornandoalgumas ruas de sentido único, pois como elas são muito estreitas, torna-secomplicado e muitas vezes caótico o transito de veículos e pessoas. Por isso aintenção é diminuir o fluxo de automóveis e favorecer o fluxo de pessoas,aumentando, dessa forma, algumas calçadas. Visa-se uma valorização dopedestre em relação aos motorizados. Quadro síntese dos problemas, condicionantes e potencialidades observados no bairro Primeiro de Maio. Problemas Condicionantes PotencialidadesRuas muito estreitas, Grande declividades, acima de Presença de áreas nãoque impossibilitam o 47% principalmente na Vila. ocupadas, ou pouco adensadas.trânsito de automóveis, Ex. Áreas próximas a linha deprincipalmente na Vila. metrô e à Estação Primeiro de Maio.Impermeabilização Presença do anel rodoviário, da Presença marcante deexcessiva do solo. Av. Cristiano Machado, da Via movimentos culturais e feiras de 240 e o metrô, como grandes cultura. barreiras/limites.Poucas áreas verdes e Áreas degradadas e de risco Ligação de vias locais como asombreadas. são ocupadas por moradores rua Jorge Francisco e a Rua dos Trabalhadores com a Cristiano Machado.Deslizamento de rochas Linha de metrô deixa de serna encosta da Pedreira. subterrânea, próximo a Rua Júlio Verne e rua B.
  • 53. 53Proposta Prioritária: Praça Troca ÉguaJulga-se a revitalização eampliação da praça trocaégua como prioritária, umavez que das propostasapresentadas é a que maiscontribuirá positivamentepara o desenvolvimento dobairro, principalmentesocialmente. Através desta Figura 34: Vista da Praça Troca Éguaproposta pretende maior Fonte: GoogleMapscontrole das práticascriminais, que é intenso no local, assim como realçar o caráter histórico-culturaldo bairro, dos moradores e do local específico, que de acordo como osociólogo Frank de Paula já ocorre. A intenção é potencializar asmanifestações culturais e feiras de cultura que anos atrás acontecia maisfrequentemente, assim como gerar um ambiente “espaçoso” de lazer eagradável dentro da Vila Primeiro de Maio, uma vez que a maioria dosmoradores desta não encontra isto em casa.Entretanto para queisto seja possívelseria necessário aremoção de trêscasas (figura 35)onde estas famíliasseriam realocadaspara um conjuntohabitacional a serconstruído na RuaVitorino Cerqueirapróximo a EscolaEstadual HiltonRocha (ver mapa de Figura 35 Fonte: Elaborado pelo autor
  • 54. 54proposição- figura 33). Pretende-se fechar uma pequena parte da ruaadjacente a rotatória, mantendo a antiga praça e incorporando esta a novapraça. Entretanto para facilitar o fluxo de carro na região pretende-se criar umanova rua a noroeste a futura praça (figura 36).O objetivo é tornaresse local uma praçapública de convívio,lazer e exacerbaçãodo conhecimento e dacultura. Isso seria feitoatravés da colocaçãode bancos,playground,vegetação, boailuminação earquibancada comespaço pararealização de teatro, Figura 36.shows e demais Fonte: Elaborado pelo autormanifestações. Dessaforma ela seria tanto um local agradável e de permanência dos moradores daregião assim como um local onde culminam e se manifestam os anseios dapopulação.
  • 55. 55CONCLUSÃOO Bairro Primeiro de Maio é, em geral, habitado por pessoas de classe socialbaixa, o que explica a sua aparência pouco organizada e com carência demanutenção. O bairro apresenta algumas ruas com concentração de comércioe serviços de âmbito local, que atendem os moradores em suas necessidadescotidiana. O acesso ao Primeiro de Maio é privilegiado por grandes vias detráfego de Belo Horizonte e por duas estações de metrô. Existe uma forterelação entre os moradores e o sentimento de vizinhança é resultado dahistória de luta do Primeiro de Maio.O bairro, entretanto, necessita de maior investimento em infraestrutura, emáreas de lazer e em segurança. Dessa forma, as condições de vida dosmoradores melhorariam, bem como a estética da região e o seuposicionamento frente à cidade.
  • 56. 56BIBLIOGRAFIARIBEIRO, Frank de Paula; BENJAMIN, Raquel Côrrea. Primeiro de Maio:memórias e imagens de um lugar. Belo Horizonte, 2005.SEPLAN, Superintendência de desenvolvimento da região metropolitana,Plambel. Plano de Ocupação do Solo da Aglomeração Urbana de BeloHorizonte - Os sistemas naturais. Belo Horizonte (p.14-34).Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Disponível em<www.ibge.gov.br> Acesso em: 06 de maio de 2011.ANDRÉS, Maurício. Notas sobre o corpo urbano de Belo Horizonte. RevistaFundação JP, Belo Horizonte, v. 5, n. 4, p. 13 - 20. abr.1975.BELO HORIZONTE. Lei n. 7166, de 27 de agosto de 1996. Estabelece normase condições para parcelamento, ocupação e uso do solo urbano no Município.DOM - Diário Oficial do Município, Belo Horizonte, ano 2, n. 224, p. 1-11, 28ago. 1996 e legislações posterioresHERTZBERGER, Herman, (1996). Lições de arquitetura. São Paulo: MartinsFontes. Tradução de Carlos Eduardo Lima Machado.Prefeitura de Belo Horizonte. Disponível em <www.pbh.gov.br> Acesso em: 06de maio de 2011.Notas pessoais da palestra proferida pelo técnico social da Urbel, Davidson epelo sociólogo Frank de Paula Ribeiro.Imagens e fotos de Hudson Nepuceno Maciel, GoogleMaps.
  • 57. 57ANEXOSMapas temáticos do Bairro Primeiro de Maio e região. IBGE – senso de 2000.
  • 58. 58
  • 59. 59
  • 60. 60