LLX Logística S.A.LLX Logística S.A.       July, 2008                Agosto, 2008
DisclaimerEsta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a a...
1. Overview
Companias abertas do Grupo EBXTodas as empresas estão listadas no Novo Mercado da Bovespa , totalizandoUS$ 18,1 Bi* de val...
Visão geral da LLX depois da reestruturação                                        Acionistas                             ...
LLX Highlights                  Portos estrategicamente posicionados na região Sudeste do Brasil   Portfolio      Retro-Ar...
Localização Estratégica dos portos da LLXTerminal de Uso Misto projetado para atender navios cape-size com capacidade de22...
Fundamentos Setoriais Favoráveis                              Fluxo de Comércio Brasileiro                                ...
Administração Experiente             Officer             Officer                                                 Experienc...
LLX Portos – Redução do Frete MarítimoCalado profundo permitindo acesso de grandes navios, reduzindo frete marítimo       ...
Operação Portuária próxima à plena capacidade    Os portos da LLX serão uma alternativa para “desafogar” o setor logístico...
LLX Cronograma                                    Carve Out                                        Constituição da LLX com...
2. Projetos
2A. Porto do Açu
Porto do AçuLocalização e Integração Logística                                     MMX SE                                 ...
LLX Minas-Rio / LLX Açu                                                     LLX Açu  Estrutura Onshore  -300 ha para proce...
Porto do AçuEm construção e atraindo importantes parceiros industriais   A construção do Porto do Açu   começou em Outubro...
Porto do AçuEm Construção                18
Localização Estratégica do Porto Açu situado nas proximidadesdos Blocos da OGX na Bacia de Santos, Campos e Espírito Santo...
Porto do Açu principais atividadesCapex ( (para 100% do projeto)Capex para 100% do projeto)              LLX Minas-Rio: US...
Porto do AçuVolume e Capex                                     Capex                                                      ...
2B. Porto Brasil
Porto BrasilLocalização e Integração Logística                                  MMX CORUMBA Porto Brasil será conectado a ...
Porto Brasil Infra-estrutura Área Industrial Taniguá         Retro-area: 6 million m2                    Ilha : 500.000 m2...
Porto BrasilPrincipais AtividadesUma nova alternativa para exportação          AÇUCAR E GRÃOS A GRANEL     16,6 Mtpa      ...
Porto BrasilVolume e Capex                  553,2 561,7                                                                   ...
2C. Porto Sudeste
Porto SudesteLocalização e Integração Logística                     Belo Horizonte                                        ...
Porto Sudeste Visão Geral                                                 ra ia                                           ...
Porto SudesteVolume e Capex                     169,1                                                                     ...
Capex – Origens & Aplicações de Recursos                         Capex – Total         Participação LLX                   ...
EBITDA por Produto e por PortoFonte : Estudo de Viabilidade Verax em 12/06/08                                             ...
Principais Riscos & MitigaçõesRiscos Ambientais                                               Riscos RegulatóriosExpertise...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentação corporativa agosto 2008

517 views
436 views

Published on

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
517
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação corporativa agosto 2008

  1. 1. LLX Logística S.A.LLX Logística S.A. July, 2008 Agosto, 2008
  2. 2. DisclaimerEsta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ouexpectativas da Companhia e de sua administração a respeito de seu plano de negócios. Afirmações prospectivas incluem, entre outras,todas as afirmações que denotam previsão, projeção, indicam ou implicam resultados, performance ou realizações futuras, podendo conterpalavras como "acreditar", "prever", "esperar", "contemplar", "provavelmente resultará" ou outras palavras ou expressões de acepçãosemelhante. Tais afirmações estão sujeitas a uma série de expressivos riscos, incertezas e premissas. Advertimos que diversos fatoresimportantes podem fazer com que os resultados reais divirjam de maneira relevante dos planos, objetivos, expectativas, estimativas eintenções expressos nesta apresentação. Em nenhuma hipótese a Companhia ou suas subsidiárias, seus conselheiros, diretores,representantes ou empregados serão responsáveis perante quaisquer terceiros (inclusive investidores) por decisões ou atos deinvestimento ou negócios tomados com base nas informações e afirmações constantes desta apresentação, e tampouco por danosconseqüentes, indiretos ou semelhantes. A Companhia não tem intenção de fornecer aos eventuais detentores de ações uma revisão dasafirmações prospectivas ou análise das diferenças entre as afirmações prospectivas e os resultados reais.Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendo ser reproduzidos ou divulgados no todoou em parte sem a sua prévia anuência por escrito. Diretor de Relações com Investidores Ricardo Antunes – CEO Antonio Castello Branco – Gerente Tel. 55 21 2555-5661 ri@llx.com.br 2
  3. 3. 1. Overview
  4. 4. Companias abertas do Grupo EBXTodas as empresas estão listadas no Novo Mercado da Bovespa , totalizandoUS$ 18,1 Bi* de valor de mercado. Segmento: Segmento: Segmento: Segmento: Logistica Mineração Petroleo & Gás Geração de Energia Valor de Mercado: Valor de Mercado: Valor de Mercado: Valor de Mercado: US$ 847 M* US$ 2,8 bi* US$12,5 bi* US$ 1,9 bi* Acionista Acionista Acionista Acionista Controlador: Controlador: Controlador: Controlador: 57% 67% 61% 76%*Fonte: Rede de Notícias em 21 de Agosto de 2008 4
  5. 5. Visão geral da LLX depois da reestruturação Acionistas Controladores(1) + Acionistas Minoritários 57% 43% 51% 70% 70% 70% LLX Minas-Rio LLX Açu LLX Brasil LLX Sudeste 49% 30% 30% 30% Centennial Logística(1) Eike Batista and Administração 5
  6. 6. LLX Highlights Portos estrategicamente posicionados na região Sudeste do Brasil Portfolio Retro-Areas extensas Incomparável Moderno conceito de integração Porto-Indústria Conexão com malhas rodoviárias e ferroviárias existentes Berços de calado profundo comportando grandes navios permitindo redução do frete maritimo Baixos Custos Portos Privados não estão sujeitos as taxas referentes aos portos públicos (TUP e OGMO) Operacionais Alta produtividade devido à equipamentos portuários de última geração Contratos de Carga suficiente para viabilizar os portos da LLX (Memorandos de Entendimento - MoUs - já assinados) Longo prazo Contratos de longo prazo com companhias do grupo EBX dando suporte para investimentos Integração logística é prioridade para o Governo brasileiro Potencial de Portos brasileiros estão operando a praticamente 100% de capacidade de maneira sub-ótima Crescimento O setor portuário é tido como ponto de estrangulamento ao crescimento das exportações do país Contínuo desenvolvimeto de novos projetosDesenvolvimento O setor portuário tem apresentado crescimento desde 2005 do Negócio “Super Porto” do Açu está em construção 6
  7. 7. Localização Estratégica dos portos da LLXTerminal de Uso Misto projetado para atender navios cape-size com capacidade de220.000 toneladas (Calado: 18,5m) Localização Area Principais Produtos Minério de Ferro vindo por minerodutos (MMX Minas-Rio) e "Super Porto" do Sao João da 7.800 ha por ferrovia (Terceiros), Açu Barra, RJ produtos siderúrgicos, carvão, granito, GNL e contêineres. Area Industrial de Porto Sudeste Itaguaí RJ 52,1 ha Minério de Ferro 1.900 ha Contêineres, minério de ferro, "Super Porto" Peruibe, SP (estrutura granéis agricolas, granéis marítima de 50 Brasil liquidos e fertilizantes ha) 2% 6% País PIB 2007 (US$ Bi) Brasil 1.313,590 34% Porto do Açu Rússia 1.289,582 Porto Sudeste Índia 1.098,945 Porto Brasil LLX Hinterlândia 985,223 Coréia 957,053 Austrália 908,826 México 893,365 Fonte: IBGE Holanda 768,704 Turquia 663,419 A hinterlândia dos portos da LLX concentra Suécia 455,319 75% do PIB brasileiro Bélgica 453,636 Fonte: FMI (2008) 7
  8. 8. Fundamentos Setoriais Favoráveis Fluxo de Comércio Brasileiro Abertura Econômica – Fluxo Comercial / PIB 2006 (US$ Bilhão) Exportação Econom ics Ope nnes - Trade Flow 2006 21% 7E): Importação 2 -2 0 0 67% 71% R (200 253 54% 62% 66% 229 CAG 50% 192 34% 38% 159 107 18% 21% 91 121 74 107 63 48 Brazil Brazil Argentina Chile China Korea Mexico India Indonesia Venezuela 2000 47 146 118 138 73 96 60 2002 2003 2004 2005 2006 2007E Fonte: SECEX/Ministério do Desenv. Ind e Comercio Exterior Fonte: IMF Baixo investimento em Infraestrutura: Brasil Total de Tráfego Marítimo Brasileiro Capacidade de Utilização dos Portos Brasileiros (Milhão de tonelada) 180 (horas do berço utilizado / horas do berço avaliado) .6% R: 8 CAG 160 97% 93% ’07E 91% ’02 – 140 38 80% 120 32 343 354 100 63% 80 283 264 60 40 20 0 1970 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 2000 2003 2006 Brazil exports Brazil imports Investments in infrastructure Itajaí São Francisco Rio Grande Santos Vitória 2002 2003 2004 2005 2006 2007E do Sul Fonte:IPEADATA / BCB e Merril Lynch Fonte: Antaq.Atual capacidade portuária é incapaz de lidar com o rápido crescimento do comércio externo brasileiro. 8
  9. 9. Administração Experiente Officer Officer Experience Experience Eike Fuhrken Batista Presidente e Fundador do Grupo EBX, conglomerado empresárial fundado em 1983 Presidente e Fundador Engenheiro pela PUC-RJ e Mestre pelo Imperial College de Londres Ricardo Antunes 23 anos de experiência na CVRD CEO Ex- CEO da Rio Doce Internacional Co-fundador da MMX Mestre em Economia pela PUC-RJ e PhD em Finanças pela PUC-RJ. Diploma da Universidade de Yale em Governança Corporativa. Experiência no setor público incluindo BNDES, Ministério da Fazenda e como Secretária Eliane Aleixo Lustosa Adjunta da Secretaria de Direito Econômico. Ex- Vice-Presidente e CFO do Grupo Abril, Globex CFO e Petros (Fundo de Pensão da Petrobras). Membro do Conselho do IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa). Ex-membro do Conselho de Administração de várias empresas abertas brasileiras (Perdigão, CPFL, Coteminas, Telet, Americel and Tele Norte Celular). Engenheiro Mecânico (UFES) com MBA pela COPPEAD/UFRJ José Salomão 23 anos de experiência no desenho, implementação e operação de terminais portuários (minério de ferro, carvão, ferro gusa, fertilizantes, carga agrícola, conteiners e carga geral). Diretor de Desenvolvimento Ex-Executivo do Porto de Tubarão, Porto de Praia Mole, TVV- Terminal de Vila Velha, Pasha Terminal – Los Angeles, Docenave e Brasil Ferrovias. Engenheiro Civil (UGF/RJ)com MBA pela FGV/RJ.Diploma de Project Management (PMI) da Luis Alfredo Osório de Castro FIA/USP. 30 anos de experiência na implementação de projetos de infraestrutura (projetos urbanos e Diretor de Implantação terminais portuários, geração de energia elétrica e plantas industriais nas empresas Pronil, OAS and Brascan. 9
  10. 10. LLX Portos – Redução do Frete MarítimoCalado profundo permitindo acesso de grandes navios, reduzindo frete marítimo -40% to Graneis Sólidos e -75% Líquidos Usando Panamax (70 m dwt) e Capesize (120 a 180 m dwt) ao invés de Handymax (40 m dwt ) Contêineres -20% to Industrias de Transformação, e -40% Montadoras, Alimentos, Manufaturados etc. Utilizando navios conteineiros de 8 a 12 mil TEUs ao invés de 1,5 mil a 3 mil TEUs 10
  11. 11. Operação Portuária próxima à plena capacidade Os portos da LLX serão uma alternativa para “desafogar” o setor logístico nacional Terminais de Minério de Ferro: Tempo inativo Miné Ideal 15 -20% O contínuo crescimento econômico dos Vale < 2% últimos anos mostra falhas na infraestrutura nacional, especialmente no setor portuário e Mil TEU’s/m berços linear TEU’ berç de transportes. Referência Internacional 1,3 Grande parte dos portos brasileiros estão operando acima de suas capacidades, Santos Brasil 1,5 causando longas filas e aumento de custos tanto para enviar quanto para receber as Área: TEU’s/m² TEU’ s/m² diversas cargas. Referência Internacional 4,2 A situação é mais crítica na região Sudeste, Vitória comprometendo o crescimento de 7 exportações de commodities e produtos industrializados e de importações.Fonte: Drewry’s Reports 2007 e relatórios de companhias. 11
  12. 12. LLX Cronograma Carve Out Constituição da LLX como uma empresa independente Anglo American compra 49% do capital da LLX Minas-Rio Venda de 15% da LLX Logística S.A. para o fundo canadense OTPP 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Desenvolvimento Desenvolvimento OperaçãoMinas - Rio Detalhamento Licença de Início da do Projeto Implantação Operação Autorização Licença Prévia ANTAQ Construção Início da Construção Desenvolvimento Operação Construção Detalhamento Autorização Licença de Início da Início da do Projeto ANTAQ Implantação Operação ConstruçãoAçu Licença Prévia Desenvolvimento Desenvolvimento Desenvolvimento Operação Detalhamento Licença Licença de Início da Implantação OperaçãoBrasil do Projeto Prévia Autorização ANTAQ Construção Início da Construção Desenvolvimento Desenvolvimento Desenvolvimento Operação Detalhamento Licença Licença de Início daSudeste do Projeto Prévia Implantação Operação Autorização ANTAQ Construção Início da Construção 12
  13. 13. 2. Projetos
  14. 14. 2A. Porto do Açu
  15. 15. Porto do AçuLocalização e Integração Logística MMX SE Porto do Açu45 km de via permanente será construída para conectar oPorto Açu à malha ferroviária Porto Sudeste 15
  16. 16. LLX Minas-Rio / LLX Açu LLX Açu Estrutura Onshore -300 ha para processar, 7.500 ha de área do complexo movimentar, armazenar industrial e pelotização. Direito de usar estrutura Offshore Estrutura Offshore da LLX Minas-Rio, incluindo a -Ponte e Canal de Acesso Construção de berços adicionais -Quebra mar -Carvão ( e granéis sólidos) -1 berço Carregamento de Minério de Ferro, podendo ser -Granéis Líquidos expandido para 4 -Pier multi-uso com 4 berços para cargas gerais, aço, contêiner e Base de apoio Offshore Oceano Atlântico 16
  17. 17. Porto do AçuEm construção e atraindo importantes parceiros industriais A construção do Porto do Açu começou em Outubro de 2007 e já possui 46 MoUsMINÉRIO DE FERRO 26,5 Mtpa 1 contrato MINÉRIO DE FERRO 26,5 Mtpa 1 contratoGRANÉIS LÍQUIDOS 5,5 M m³pa 7 MoUs GRANÉIS LÍQUIDOS 5,5 M m³pa 7 MoUsCARGAS GERAIS 73,4 k TEUs pa 29 MoUs CARGAS GERAIS 73,4 k TEUs pa 29 MoUsCARVÃO/CIMENTO 11,2 Mtpa CARVÃO/CIMENTO 11,2 Mtpa 66 MoUs MoUsPROD. SIDERÚGICOS 8,2 Mtpa PROD. SIDERÚGICOS 8,2 Mtpa 44 MoUs MoUs 17
  18. 18. Porto do AçuEm Construção 18
  19. 19. Localização Estratégica do Porto Açu situado nas proximidadesdos Blocos da OGX na Bacia de Santos, Campos e Espírito Santo do 19
  20. 20. Porto do Açu principais atividadesCapex ( (para 100% do projeto)Capex para 100% do projeto) LLX Minas-Rio: US$ 900 M LLX Minas-Rio: US$ 900 M LLX - - Açu : US$ 700 M LLX Açu : US$ 700 MMinério de Ferro: Carvão: Granéis Líquidos (GNL): Produtos Siderúrgicos:Mais de 63,2 mtpa Mais de 15,3 mtpa Mais de 4,0 M m 3 pa Mais de 11,2 mtpa Base de Apoio a Arrendamento de áreas: Granito: Carga Geral: Mais de 1,5 mtpa Mais de 330.000 TEUs pa Operações Off-shore : Mais de 3.300 hectares para Mais de 80,000 tons de carga pa aluguel (Fonte : Estudo de Viabilidade Verax em 12//06) 20
  21. 21. Porto do AçuVolume e Capex Capex 93,5 766,0 82,0 US$ 1.600 M Volume– Mtpa * Volume– 77,6 205,6 67,9 LLX Minas-Rio (Minério de ferro) US$ 900M 62,2 560,4 LLX-Açu (Não minério) US$ 700 M 348,8 39,8 65,2 274,5 30,3 283,6 256,7 20,0 17,8 53,2 80,7 75,4 15,1 - - - 38,1 32 ... 2 ... 07 08 09 10 11 12 13 14 15 07 08 09 10 11 12 13 14 15 3 16 16 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 ...20 ... (*) Tonelada excluindo contêineres Produto /Atividades Preço Referência de Mercado Opex Var Opex Fixo US$/Unid. Vol. US$/Unid. Vol. US$ M 10,5 (ferrovia) 0,31 (ferrovia) 2,9 (ferrovia) Minério de Ferro (t) Terminais de Sepetiba US$ 11,8/t 6,65 (duto) 0,16 (duto) 19,8 (duto) Média Terminal de Carvão Carvão (t) 9,4 1,2 11,9 US$10,5/t Cargas Gerais (TEUs) 237 Preço Santos Brasil 4T07 17,1 19,1 Granito (t) 8 Terminal de Carga Geral (Vitória) 2,6 4,2 GNL (m 3 ) 5 Mercados Internacionais 0,6 2,5 Terminal Sepetiba: Placas US$ Produtos Siderúrgicos (t) 22,2 3,4 30 20/t and Bobinas US$31/t Aluguel/Arrendamento (US$/m 2 2 or 5 - - - pv) SG&A (US$ M) - - 17,9Fonte : Estudo de Viabilidade Verax em 12/06/08 21
  22. 22. 2B. Porto Brasil
  23. 23. Porto BrasilLocalização e Integração Logística MMX CORUMBA Porto Brasil será conectado a ferrovia de1800 km (ALL) e a rodovia BR-101 (Padre Manoel da Nóbrega). 23
  24. 24. Porto Brasil Infra-estrutura Área Industrial Taniguá Retro-area: 6 million m2 Ilha : 500.000 m2 13 milhões m2Centro de Distribuição Capacidade Anual: 11 berçosCentro Consolidação e • Cargas Gerais: 3,2 milhões (TEU) Profundidade de 18,5 mDesconsolidação • Minério de Ferro: 20 milhões (ton)Depot • Granéis Agrícolas: 28,9 milhões (ton) • Fertilizantes: 10 milhões (ton) • Granéis Líquidos: 7,5 milhões (ton) 24
  25. 25. Porto BrasilPrincipais AtividadesUma nova alternativa para exportação AÇUCAR E GRÃOS A GRANEL 16,6 Mtpa 12 MoUs de commodities e CARGAS GERAIS 1,1 M TEUs pa 5 MoUs ETANOL 22,5 M m 3 pa 3 MoUs manufaturados brasileiros Carga Geral Minério de Ferro Granéis Líquidos (Etanol) Mais de 3,2 M TEUs pa Mais de 20.0 mtpa Mais de 7,5 M m3 pa Granéis Agrícolas Fertilizantes Arrendamento de áreas Mais de 28,9 mtpa Mais de 10,0 mtpa Mais de 600 hectares para aluguel 25
  26. 26. Porto BrasilVolume e Capex 553,2 561,7 Volume Ramp up - Mtpy * 64,9 Development Capex US$ 1,950 M 45,4 46,5 346,0 41,1 27,0 17,8 97,9 100,3 79,8 41,2 35,3 2,2 1,8 - - - - - - 32 ... 07 08 09 10 11 12 13 14 15 ... 32 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 16 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 ... 20 ... (*) Tonnage excluding general cargo Fonte : Estudo de Viabilidade Verax em 12/06/08 26
  27. 27. 2C. Porto Sudeste
  28. 28. Porto SudesteLocalização e Integração Logística Belo Horizonte MMX Sudeste MRS Contratos de transporte acertados com a MRS e de acesso portuário com o terminal CSN Sepetiba até 2011, Porto quando tiver início as atividades do Porto Sudeste. Sudeste 28
  29. 29. Porto Sudeste Visão Geral ra ia Pê viár r o fer Minério de Miné km Ferro 1 .5 ia al er G 0. 8 k m Ponte Berço 29
  30. 30. Porto SudesteVolume e Capex 169,1 Volume – Mtpa 1º Fase Capex 1º Fase 118,3 US$ 380 M 25,0 25,0 25,0 20,0 15,0 49,0 43,9 10,0 - - - - - - - 5,0 - - - - ... 32 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 ... 32 ... 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 ... Produto Preço Referência de Opex Var Opex Fixo /Atividades US$/Unid. Mercado US$/Unid. US$ M Vol. Vol. Minério de Terminal de 10.5 0.8 14.4 Ferro Sepetiba US$ 11.8/t SG&A (US$ M) - - 13.4Fonte : Estudo de Viabilidade Verax em 12/06/08 30
  31. 31. Capex – Origens & Aplicações de Recursos Capex – Total Participação LLX Participaç LLX S.A. Dívida Dí LLX S.A. Equity 100 % Projetos US$ MM US$ MM US$ MM Origens Origens Minas -Rio 75% 25% US$ 600 US$ 600 -1a. Fase- Minas- -1a. Fase-Porto do US$ 306 US$ 306 US$ 229 Açu US$ 300 – 2ª. Fase US$ 229 US$ 153 US$ 76 US$ 76 LLX Açu US$ 115 Anglo :US$ 180 M LLX A çu LLX Açu US$ 38 Aç Non-Ore Non-Ore US$ 700 US$ 489 US$ 489 US$ 367 US$ 367 US$ 122 (19% LLX Minas-Rio) Minas- US$ 700 US$ 122 Jul07PortoBrasil Porto Brasil Porto Brasil US$ 1.951 US$ 1.951 US$ 1.365 US$ 1.365 US$ 1.024 US$ 1.024 US$ 341 US$ 341 OTPP: US$ 185 M Jan/08Sudeste Porto Sudeste Porto Porto Sudeste US$ 381 US$ 381 US$ 266 US$ 266 US$ 200 US$ 200 US$ 66 US$ 66 Fonte : Estudo de Viabilidade Total US$ 3.932 MM US$ 2.579 MM US$ 1.935 MM US$ 643 MM Verax em 12/06/08 e LLX. 31
  32. 32. EBITDA por Produto e por PortoFonte : Estudo de Viabilidade Verax em 12/06/08 32
  33. 33. Principais Riscos & MitigaçõesRiscos Ambientais Riscos RegulatóriosExpertise da Administração Plano de Negócios conforme a Lei dos Portos Experiente equipe técnica (processos de (Lei 8630/93); licenciamento dos portos no Brasil - para Porto do Açu já possui autorização pela CVRD, CSN ...); ANTAQ; Porto Sudeste é um terminal privado paraTrack Record do Grupo EBX carga própria da MMX Sudeste; MMX, MPX precedentes e sinergia; Plano de Negocios do Porto Brasil comContratação das melhores consultorias. limitação de carga de terceiros ainda apresenta retornos atrativo. PrincipaisInvestimentos Comunidade Indigena Riscos Equipe de profissionais de compras & experiente e bem-sucedida; Mais de 90% das 60 famílias que ocupam 10 Questões Mecanismos rígidos de controles de hectares do Porto Brasil já concordaram com a orçamentos e de contingências relocação; Implementação diferenciada com Negociação com a FUNAI está em andamento. investimentos iniciais após fechamentos de contratos de longo prazo. Integração Porto-FerroviaRequisitos de Financiamento Porto do Açu – estágio avançado das Longo prazo (12 anos) e atrativo finanaciamento negociações com FCA; dado pelo BNDES destinados para LLX Minas-Rio e Porto Brasil - MoU assinado com AL,L estudo de outros em negociação para outros portos; viabilidade conjunto da Sandwel a ser Bradesco fez compromisso firme de US$ 750 M. completado em 4T08 para o desenvolvimento de novo corredor logistico à região Centro Oeste; Porto Sudeste –Plano de expansão da MRS abrange facilmente a demanda dos portos. 33

×