O blogue l_fadista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

O blogue l_fadista

on

  • 295 views

a importância do blogue na BE

a importância do blogue na BE

Statistics

Views

Total Views
295
Views on SlideShare
239
Embed Views
56

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 56

http://becalvito2.blogspot.pt 51
http://becalvito2.blogspot.com 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O blogue l_fadista Document Transcript

  • 1. Vantagem do blogue na Biblioteca Escolar.Da leitura dos vários textos que nos foram apresentados fica a ideia de que a criaçãode um blogue para passar informação aos alunos, e até mesmo levá-los a ser co-autores, é relativamente fácil.Qualquer pessoa pode publicar de forma gratuita informação (centrando-se no seuconteúdo e não nas ferramentas - interfaces), não só devido à forma intuitiva e fácilcomo se faz mas também por permitir aos intervenientes a colocação de comentáriosa tudo o que é “postado” e a possibilidade de guardar em arquivo todo o materialeditado para mais tarde ser consultado, permitindo assim o enriquecimento doconhecimento.Segundo Sónia Cruz esta e outras ferramenta da web2.0 faz são positivas porque: “…a integração das tecnologias na educação torna-se essencial e urgente para o desenvolvimento integral da formação de alunos que se exige hoje, preparados para o mercado de trabalho, em constante mudança e transformação, pelo que devem mostrar competências que não se limitam a áreas nas quais se especializaram, mas desenvolver um espírito aberto, flexível e capaz de se adaptar para evoluir… indica-nos que cada vez mais os alunos estão motivados para as tecnologias informáticas e menos motivados para os métodos tradicionais de ensino. “ (Manual de Ferramentas da Web 2.0 para Professores, p. 18)Desta forma a biblioteca escolar só tem a ganhar com a criação de um blogue onde osalunos sejam elementos activos, conseguindo assim uma maior visibilidade junto dosmesmos.No caso da escola onde trabalho a grande maioria dos alunos possuem pagina nofacebook, e noutras redes sociais, onde passam grande parte do seu tempo pelo que,tal como constatou João Proença (2012) no seu estudo, estes alunos retêm muitomais facilmente toda a informação que lhes chega por esse meio do que pelo ensinotradicional.O mesmo autor refere que: “Se a Biblioteca da Escola for ter até eles através de umarede social isso significará uma mudança radical: a Biblioteca passa a ser visível. Nãoé o aluno que tem que se dirigir à Biblioteca Escolar mas é a Biblioteca que vem tercom ele e se torna visível através das propostas que lhe faz” (pag.64).Luísa Fadista – a Biblioteca Escolar Web 2.0 1
  • 2. Se a biblioteca escolar der espaço para o “Incremento das competências digitais dosutilizadores da rede. Este é indubitavelmente um facto a ter em conta. Aprende-se autilizar a Internet, utilizando-a, aprendendo com os erros e, principalmente aprendendocom as boas práticas dos outros utilizadores.” (Proença, J. p.64)Numa época em que toda a informação está à distância de um clique e em que osalunos são o que se pode considerar da geração GOOGLE 1 “importa que a bibliotecafaça entender aos potenciais utilizadores a mais-valia dos serviços que oferece e ospromova de uma forma credível e consistente”. Ainda segundo Proença “De nadaservem longas publicações ou cartazes feitos de forma mais ou menos amadora; a BEtem que saber comunicar e de modo especial em rede e saber aproveitar aspotencialidades das redes sociais para fazer marketing.”Seoane Garcia (2008a), citado por Proença, J. (2012), aponta seis características dosBlogues que os distinguem das páginas Web tradicionais: “1. Fácil atualización : sin necesidad de conocimiento de html ni programación. 2. Cronología en la publicación: los post (artículos) se organizan en orden cronológico inverso. 3. Interactividad: facilitan que los lectores “reaccionen” a cada publicación através de los comentarios. 4. Lenguaje coloquial: comunicación directa, cálida y personal. 5. Actúan como herramientas sociales: facilitan conocer personas que se dedican a temas similares. 6. Publicación en múltiples formatos: las diferentes plataformas de blogging redistribuyen todo lo publicado en diferentes formatos de manera automática, html, rss, rdf, atom” (Seoane Garcia, 2008ª, citado por Proença, J., 2012, p. 68).Ainda para este autor (Proença, J.) o facto de os blogues poderem ser escritos deforma colaborativa, comentados e avaliados com facilidade e poderem ser acessíveisa alunos e professores transforma-os numa ferramenta de trabalho em rede de grandevalor “com inegáveis vantagens na educação face ao perfil desejado do cidadão doséculo XXI”.1 http://www.bad.pt/noticia/2012/08/17/ifla-2012-as-nuvens-e-a-geracao-google/Luísa Fadista – a Biblioteca Escolar Web 2.0 2
  • 3. Assiste-se cada vez mais à proliferação de inúmeros “Blogues educativos usadoscomo: espaço de partilha, de reflexão, discussão, de construção coletiva deconhecimento, de colaboração, portfólio” (Proença, J. 2012, p 69).Celaya (citado por Proença. J. 2012) realça a importância do uso dos Blogues pelasbibliotecas na promoção da leitura para crianças, jovens e adultos.O uso dos Blogues pelas bibliotecas em geral (e nas bibliotecas escolares, maisconcretamente por ser esse o assunto que nos diz respeito), pode ser uma mais-valiapois permitem o diálogo entre os vários leitores e a criação de comunidades de leituraonde os vários membros podem comentar o mesmo livro ou assunto econsequentemente de aprendizagem.No entanto não se pense que pelo simples facto de uma Biblioteca Escolar possuir ealimentar um Blogue, seja garantia de que é uma Biblioteca 2.0, “ou seja umabiblioteca inovadora em termos de relação com o utilizador”. “O Blogue poderá ser uma página Web bem ao estilo da Web 1.0 numa linha muito unidirecional, pois este pode ser alimentado por uma só pessoa, pode não ter interação (com a proteção de comentários), pode publicar só longos e inúteis textos do ponto de vista do utilizador, pode não ser atualizado e ainda não ter uma política de ligações estabelecida e feliz... Para se poder aferir sobre a qualidade de um Blogue de uma Biblioteca Escolar, os seus propósitos têm que ser bem claros. Temos para nós que quanto menos generalista for o Blogue mais possibilidade tem de fidelizar públicos pois é muito diferente um Blogue destinado a um público juvenil de um Blogue destinado a adultos. No referente à possibilidade de comentários no Blogue, há PB que manifestam alguma reserva ao comentário livre no Blogue. É nossa opinião que, num mundo e “atitude” Web 2.0 o comentário deverá ser possível e fomentado.” (Proença, J, 2012, p.73)Para Proença, J. o blogue deve ser sempre aberto a todos os colaboradores, compossibilidade de o administrador poder fazer uma triagem do que se publica.Até porque se algum colaborador for menos correto, nos seus “posts” existe sempre apossibilidade de ser eliminado do blogue!Luísa Fadista – a Biblioteca Escolar Web 2.0 3
  • 4. Bibliografia:- Manual de Ferramentasda web 2.0 para Professores (2008); Ministério da Educação /DGIDC;org. de Carvalho, A. ;versão online, acedida em 22/02/2013, disponibilizado em:http://www.crie.min-edu.pt/publico/web20/manual_web20-professores.pdf-Biblioteca Escolar e Web 2.0 – Questões em torno de algumas práticas em implementação eperceção do impacto no trabalho da Biblioteca (2012); Dissertação apresentada para obtençãode Grau de Mestre em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares; Proença, J.; versãoonline acedida em 22/02/2013, disponibilizado em:https://repositorioaberto.uab.pt/bitstream/10400.2/2149/1/Tese%20%20joao%20paulo%20proen%C3%A7a.pdfLuísa Fadista – a Biblioteca Escolar Web 2.0 4