Your SlideShare is downloading. ×
MISSIONÁRIOS DA LUZ - CAPÍTULO 1 - O PSICÓGRAFO
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

MISSIONÁRIOS DA LUZ - CAPÍTULO 1 - O PSICÓGRAFO

1,525
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,525
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
72
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Estudo da obra “ MISSIONÁRIOS DA LUZ” Autor André Luiz, espírito, psicografada por Francisco Cândido Xavier. Federação Espírita Brasileira - ano de 1944. Capítulo 1 O PSICÓGRAFO Quarta-feira, 22 de janeiro de 2014. Rose Campos
  • 2. André Luiz, vive, estuda e trabalha na Colônia Espiritual Nosso Lar, no Ministério das Comunicações (como foi descrito no livro “Os Mensageiros”). Ele está particularmente interessado pelo estudo da comunicação inter-planos. O instrutor Alexandre permite uma visita de A.L., a um núcleo que ele dirige, na crosta, ligado às atividade de um Centro Espírita.
  • 3. “Dentre as dezenas de cadeiras, dispostas em filas, somente dezoito permaneciam ocupadas por pessoas terrestres, autênticas. “Grande assembléia de almas sofredoras. Público extenso e necessitado.” “Em torno das zonas de acesso (ao Centro Espírita) postavam-se corpos de guarda e compreendi, pelo vozerio do exterior, que também ali a entrada dos desencarnados obedecia a controle significativo.” As demais (cadeiras) atendiam à massa invisível aos olhos comuns do plano físico.” “Grandes números de cooperadores (do plano espiritual) velavam, atentos.”
  • 4. “Reparei que fios luminosos dividiam os assistentes da região espiritual em turmas diferentes. Cada grupo exibia características próprias.”
  • 5. “E enquanto o devotado mentor falava com o coração nas palavras, os dezoito companheiros encarnados demoravam-se em rigorosa concentração do pensamento, elevado a objetivos altos e puros.” “Cada qual emitia raios luminosos, muito diferentes entre si, na intensidade e na cor.” “Essa corrente não se limitava ao círculo movimentado.” “Em certos pontos despejava elementos vitais, qual fonte miraculosa, com origem nos corações e cérebros humanos que aí se reuníam.” “Esses raios confundiam-se à distância aproximada de sessenta centímetros dos corpos físicos e estabeleciam uma corrente de força, bastante diversa das energias de nossa esfera.”
  • 6. “As energias dos encarnados casavam-se aos fluidos dos trabalhadores de nosso plano de ação, congregados em vasto número. “...formando precioso armazém (estoque) de benefícios para os infelizes extremamente apegados ainda às sensações fisiológicas. Semelhantes forças mentais NÃO SÃO ILUSÓRIAS, como pode parecer ao raciocínio terrestre menos esclarecido quanto às possibilidades INFINITAS além da matéria mais grosseira.
  • 7. “Alexandre: - Temos SEIS comunicantes prováveis, mas na presente reunião somente UM médium (dos 18) compareceu em condições de atender.”
  • 8. “... Precisamos considerar que nos serviços mediúnicos preponderam os FATORES MORAIS.” “... Neste momento o médium necessita de clareza e serenidade como a superfície lisa de um lago...” “... Precisa renunciar a si mesmo com abnegação e humildade...” “Estamos diante do psicógrafo comum. Nossos auxiliares já lhe prepararam as possibilidades para que se não lhe perturbe a saúde física.” Diante da curiosidade científica de A.L., Alexandre, com suas possibilidades magnéticas, o auxiliou a obter uma visão “superior à de raio X” para melhor observar o médium.
  • 9. “As glândulas do rapaz transformaram-se em núcleos luminosos, à guisa de perfeitas oficinas elétricas.”” “Cérebro, lobos centrais, células corticais e fibras nervosas apresentavam circuitos de energia peculiares. A epífise irradiava então, raios intensos e azulados..”
  • 10. Alexandre: “- Acredita que o intermediário possa improvisar o estado receptivo? De modo nenhum. A sua preparação espiritual deve ser incessante”. “Qualquer incidente pode prejudicar-lhe o aparelhamento sensível.” “Além disso, a nossa colaboração magnética é fundamental para a execução da tarefa.”
  • 11. “ NO EXERCÍCIO MEDIÚNICO DE QUALQUER MODALIDADE , A EPÍFISE (GLÂNDULA PINEAL) DESEMPENHA O PAPEL MAIS IMPORTANTE. “Através de suas forças equilibradas, a mente humana intensifica o poder de emissão e recepção de raios peculiares à nossa esfera.”
  • 12. “É nela, na epífise, que reside o sentido novo dos homens; entretanto, na grande maioria deles, a potência divina dorme embrionária.” “A operação da mensagem não é nada simples.” “Muito antes da reunião o servidor já foi objeto de nossa atenção especial.” “Ao sentar-se aqui foi assistido por muitos trabalhadores de nosso plano.”
  • 13. Alexandre , acena para um colaborador e diz: “- Calixto, temos seis amigos para o intercâmbio, mas somente um médium em condições. Só você poderá se comunicar hoje. Recorde sua missão consoladora e nada de particularismos. A oportunidade é limitadíssima e devemos considerar o interesse de todos.”
  • 14. Calixto enlaçou o médium com o braço esquerdo e com a ponta dos dedos da mão direita, tocou-lhe o cérebro, no centro da memória, como a recolher o material de lembranças do companheiro encarnado. A zona motora do médium adquiriu outra cor e luminosidade. Alexandre colocou a mão sobre o lobo frontal do colaborador humano com o objetivo de inibir-lhe, tanto quanto o possível, as interferências do aparelho mediúnico, na comunicação. Calixto demonstrava imensa alegria no semblante feliz, satisfeito com a oportunidade do trabalho. Tomando o braço do companheiro médium, iniciou o serviço com as belas palavras: - A PAZ DE JESUS ESTEJA CONVOSCO! FIM DO PRIMEIRO CAPÍTULO