Your SlideShare is downloading. ×
0
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Rede Bibliodata
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Rede Bibliodata

2,150

Published on

Trabalho realizado para a disciplina de Gestão de Redes e Pessoas pela Universidade Federal de São Carlos pelos seguintes graduandos de Biblioteconomia e Ciência da Informação: Klicia Mendonça, Paulo …

Trabalho realizado para a disciplina de Gestão de Redes e Pessoas pela Universidade Federal de São Carlos pelos seguintes graduandos de Biblioteconomia e Ciência da Informação: Klicia Mendonça, Paulo Aparecido Rodriguês da Silva e Rebeca Carrari.

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,150
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Gestão de Redes e PessoasKlicia Silva MendonçaPaulo Aparecido Rodriguês da SilvaRebeca Carrari
  • 2. Rede Bibliodata
  • 3. O que é?• A Rede BIBLIODATA é uma rede de catalogação cooperativa, que visa a difusão dos acervos bibliográficos do país, o aperfeiçoamento dos serviços de documentação e informação das instituições participantes e o compartilhamento dos recursos empregados.• Missão: Disseminar informação através do compartilhamento de dados e serviços entre bibliotecas, gerando recursos e desta forma, contribuir para o desenvolvimento cultural e sócio-econômico do país.• Objetivos gerais: Desenvolver e manter o Catálogo Coletivo da Rede, desenvolver metodologias e instrumentos para a catalogação cooperativa, gerando subsídios para o compartilhamento de serviços e recursos entre as instituições participantes.
  • 4. Histórico• Criação do Serviço de Intercâmbio de Catalogação (SIC) em 1942, em funcionamento no DASP (Departamento Administrativo do Serviço Público) em convênio com o Departamento de Imprensa Nacional.• O SIC foi desligado da Biblioteca do DASP e transferido para o IBBD (Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação), atual IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia), criado em 1954.• Em 1970, o SIC reformula seus serviços seguindo o Projeto MARC desenvolvido pela Library of Congress partindo para a automação.
  • 5. • O projeto CALCO (Catalogação Legível por Computador) foi, então, desenvolvido pela professora Barbosa. Seu objetivo era intercambiar a informação catalogada entre bibliotecas, criando a catalogação cooperativa no país cujos produtos seriam a geração do Catálogo Coletivo Nacional e a Bibliografia Nacional Corrente.• O formato CALCO foi inteiramente baseado no formato MARC II da Library of Congress.• O Serviço de Intercâmbio de Catalogação (SIC) deixou de existir em 1973, depois de 31 anos, para que o Projeto CALCO entrasse em funcionamento.
  • 6. • Através da Biblioteca Central da Fundação Getulio Vargas e do Centro de Processamento de Dados começou a ser desenvolvido o projeto BIBLIODATA/CALCO em 1977, visando estabelecer princípios e rotinas para a implantação dos trabalhos que se prestariam à automação de todos os serviços de informação.• Os objetivos eram a constituição do cadastro de obras da instituição e a produção de fichas e etiquetas para manutenção dos catálogos de suas bibliotecas, adotando normas internacionais para o processamento de registros bibliográficos, de maneira que estes pudessem vir a ser úteis a outras bibliotecas do país por meio da cooperação bibliográfica.
  • 7. • Em 1977, a Biblioteca Nacional publicou manuais de instruções para a utilização do CALCO.• Graças à evolução tecnológica nas áreas de computação e de telecomunicações no fim dos anos 70 e início dos anos 80, a FGV propôs uma nova experiência de trabalho cooperativo em catalogação bibliográfica e com o apoio da Biblioteca Central.• O ideal era de ser a solução para se chegar ao controle bibliográfico nacional, à otimização da escassa mão-de-obra nos serviços de biblioteconomia e documentação e ao armazenamento ordenado e compatível, em nível internacional, da nossa produção intelectual.
  • 8. • A organização e desenvolvimento da Rede foi feita com muita economia e cautela, a fim de propiciar, em primeiro lugar, a adoção de normas que já fossem de aceitação corrente e que satisfizessem ao maior número de bibliotecas participantes; em segundo lugar, esperou-se que o sistema fosse crescendo na medida da contribuição de novas bibliotecas participantes.• De 1994 a 1996, a Rede BIBLIODATA/CALCO passou por uma atualização no formato dos registros bibliográficos, que passou de CALCO para USMARC, uma vez que o formato CALCO, foi ficando muito defasado em relação a este ao longo do tempo.
  • 9. • Com o fim da utilização do formato CALCO, a Rede BIBLIODATA/CALCO passou a ser denominada apenas de Rede BIBLIODATA.• Em 1999, foi distribuída a primeira edição do CD-ROM de Catalogação da Rede Bibliodata.• Em janeiro de 2000 começou o desenvolvimento um novo produto - EAD Bibliodata - um curso de ensino a distância em três módulos (Padrões em Biblioteconomia e Ciências da Informação; Indexação e o Sistema de Recuperação da Informação; e Automação de Bibliotecas).
  • 10. • Em 2001 os esforços estão sendo concentrados, principalmente, no desenvolvimento de um novo sistema para o gerenciamento do Catálogo Coletivo, visando a catalogação cooperativa on line.• Atualmente, no site da Rede BIBLIODATA é possível acessar um Guia de Informação sobre Arquivos (Brasileiros e Estrangeiros), Bases de dados, Bibliotecas (Brasileiras, Estrangeiras e Virtuais), Fontes para processamento técnico (Formato MARC 21, Catalogação, Classificação e Pesquisa), Instituições, Museus (Brasileiros, Estrangeiros e Virtuais), Organização de Informação (Associações de classe, Órgãos normativos, Redes de Bibliotecas e Outras organizações) além de Publicações eletrônicas, Sites interessantes, Textos técnicos e Textos selecionados sobre Biblioteconomia, Ciência da Informação e novas tecnologias.
  • 11. BibliodataFundação Biblioteca Nacional FGV UFG UFU Bibliodata UNESP Ministério da Defesa UFPR UNIRIO UFES UFRN UFOP UNICAMP UFSC
  • 12. Referências:• Disponível em: <http://www8.fgv.br/bibliodata/>. Acesso em: 20 set. 2011.

×