Your SlideShare is downloading. ×
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO

10,605

Published on

A construção civil possui um alto índice de acidentes, aliado às péssimas condições …

A construção civil possui um alto índice de acidentes, aliado às péssimas condições
de trabalho. Minimizar os riscos e buscar melhorias no ambiente de trabalho da
construção civil é fundamental para o desenvolvimento de práticas de gestão da
segurança e a saúde do trabalhador.

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
10,605
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
203
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO Kleber Marcelo Braz Carvalho¹, Clécio Ribeiro Cosenza²RESUMOA construção civil possui um alto índice de acidentes, aliado às péssimas condiçõesde trabalho. Minimizar os riscos e buscar melhorias no ambiente de trabalho daconstrução civil é fundamental para o desenvolvimento de práticas de gestão dasegurança e a saúde do trabalhador. Utilizar questionários para avaliar oconhecimento dos funcionários quanto a pontos relativos à segurança do trabalho foia forma escolhida nesta pesquisa para avaliar a análise dos riscos ambientais e ascondições de segurança do trabalho por meio da visão dos funcionários Destaforma, a análise dos dados forneceu resultados sobre a gestão de segurançaaplicada no canteiro de obras. Os resultados dos questionários da obra em estudodemonstraram falhas na gestão de segurança e serviram como um dos instrumentosde reavaliação pela equipe responsável pela segurança e higiene do trabalho docanteiro de obra.Palavras-chave: Higiene, Segurança, Construção, Obra.ABSTRACTMinimize the risks and seek improvements in the working environment ofconstruction is critical to the development of safety management practices andworker health. To contribute to the safety management in construction is necessaryto know the degree of knowledge of employees in health and safety at work, thusfostering an awareness of the practical worker. Using questionnaires to assessemployees knowledge about issues relating to job security. Thus, the data analysiswill provide us with results on the management of security applied at the constructionsite. The questionnaire results of the work in the study showed flaws in safetymanagement and served as instruments of re-evaluation by the team responsible forsafety and hygiene of the construction site.Keywords: Health, Safety, Construction, Sites.__________________________________¹ Discente do Curso de Pós-graduação em Engenharia e Segurança do Trabalho pela Faculdade deTecnologia e Ciência – FTC-Itabuna (BA), Graduação em Engenharia Civil pela UniversidadeEstadual de Feira de Santana (UEFS).² Professor orientador, Professor da Pós-graduação – FTC-Itabuna (BA), Graduação em EngenhariaElétrica pela EFEJ (MG).
  • 2. 21 INTRODUÇÃO A construção civil representa um dos segmentos com maior índice deacidentes, isso devido à própria natureza do trabalho que implica em riscos e podemresultar em acidentes de todos os tipos. O trabalho em grandes alturas (em lajes,telhados, pontes e viadutos, sobre andaimes ou escadas) e em escavações (comutilização de explosivos, máquinas de terraplenagem, possibilidade dedesprendimento de materiais) e entre outras atividades reforçam as estatísticas deacidentes graves e fatais. Além de doenças ocupacionais inerentes dessa atividadeque são ainda mais difíceis de serem apurados. Primeiro porque muitos dos riscospara a saúde, como a exposição a produtos químicos ou outras substâncias nocivas(poeiras de amianto e sílica), bem como a manipulação de cargas pesadas, alémdos elevados níveis de ruído e vibração encontrados no setor, podem ter efeitossomente a médio ou longo prazo para a saúde do trabalhador. Somando essesfatos, a construção civil representa um dos setores industriais mais atrasados emtermos de melhorias da qualidade de vida de seus colaboradores. Para minimizar os riscos e buscar melhorias no ambiente de trabalho daconstrução civil é fundamental o desenvolvimento de práticas de gestão dasegurança e a saúde do trabalhador. Essas práticas devem está elencadas noPrograma de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção –PCMAT (CABRAL, 2003). Para contribuir com a gestão de segurança na construçãocivil é necessário verificar o grau de conhecimento dos funcionários da em higiene esegurança do trabalho, para desta forma fomentar práticas que sensibilizem ooperário. O uso da metodologia de aplicação de questionários tem tido grandeaceitação no meio profissional na área de saúde e segurança, por ser umaferramenta de fácil aplicação para quantificar e qualificar o local e as condições detrabalho, além de servir como parâmetro comparativo para as melhorias e avaliaçõesfuturas. Essa metodologia foi adotada nessa pesquisa para avaliar o conhecimentodos funcionários quanto a pontos relativos à segurança do trabalho. A análise dosdados nos fornecerá resultados sobre a gestão de segurança aplicada no canteirode obras.
  • 3. 32 METODOLOGIA Administrar qualquer atividade exercida numa empresa é sempre mais eficazse baseada num programa. A segurança do trabalho está entre as atividades quedeve ter este respaldo, em conformidade com as obrigações legais e sociais daempresa. Na visão de Rasmussen (1997), a redução continuada de acidentes requeresforço da parte da academia e da indústria; o autor ainda recomenda quepesquisas devem ser conduzidas pela estratégia de combate aos acidentes emcanteiros de obras. Portanto, para avaliar a gestão de segurança e higieneimplantada na obra; foi escolhida pela análise dos riscos ambientais e as condiçõesde segurança do trabalho por meio da visão dos funcionários No canteiro de obras pesquisado, o programa de segurança para mitigar ascondições e atos inseguros é baseado na seguinte forma: a empresa tem umprograma de treinamento introdutório, onde o funcionário tem no seu primeiro dia umtreinamento recebendo orientação sobre segurança, saúde e meio ambiente. Osnovos funcionários são orientados sobre a obra, a localização dos ambientes, ondese encontram os principais riscos, as proteções que deverão utilizar e como devemexercer sua função evitando riscos. Outro instrumento utilizado na gestão de segurança no canteiro de obra sãoreuniões quinzenais de trinta minutos, liderado pelo engenheiro e técnico desegurança com temas que enfatizam o uso adequado dos EPI’s em cada etapa daobra, e o que os funcionários irão vivenciar nos estágios da construção. Ainda háinformativos ao longo da obra, com dizeres alusivos a segurança e higiene esupervisão constante dos serviços. Uma questão se apresentou em reuniões da administração da obra, era aferiro grau de eficiência desses instrumentos acima citados e também entender o motivopelos quais os funcionários deixam de cumprir os padrões de desempenho ou nãofazem o que se supõe que deveriam fazer. Esses aspectos foram motivadores parase criar um meio de avaliar esse sistema de gestão. A proposta foi de elaborar com ajuda do Técnico de Segurança da obra e poruma estagiária, estudante em Tecnólogo em Segurança do Trabalho, umquestionário. As perguntas elaboradas consistiam em assuntos e conceitosanteriormente tratados em reuniões e diálogos de segurança. Individualmente, o
  • 4. 4questionário foi aplicado pela estagiária aos 52 funcionários que trabalhavam naobra na primeira semana do mês de Novembro/2009 com sigilo e anonimato dasopiniões proferidas. Através de questionário, procurou-se identificar o grau de importância que osfuncionários dão à segurança do trabalho no dia-a-dia, bem como, as suasnecessidades. Foi possível, também, avaliar o grau de instrução que estes têm emrelação aos riscos inerentes a estas atividades e o ambiente que estes as executam.As perguntas do questionário procuraram cobrir questões referentes às condições deambiente de trabalho, englobando estrutura, higiene e localização dos vestiários esanitários; o local para refeição; a sinalização; o treinamento; o fornecimento deequipamento de segurança individual; e a segurança coletiva. O método de avaliação da pesquisa foi pelo questionamento de SIM e NÃO; epor respostas sugeridas para escolha pelo entrevistado. A apresentação dapesquisa foi tabulada a partir do percentual das respostas dos funcionários emrelação às diferentes variáveis pesquisadas. Com os resultados da pesquisaprocura-se obter um panorama real do canteiro estudado, baseado nas respostasdos entrevistados. As entrevistas foram realizadas em canteiro de obra com as seguintescaracterísticas: condomínio com 98 apartamentos, 10 pavimentos, com pico de 63funcionários, a obra foi entregue em julho/2010.3 RESULTADOS E DISCUSSÃO Em seguida serão apresentados os dados da pesquisa, com respostas sim ounão e com alternativas para respostas. As perguntas do questionário procuraramcobrir questões referentes às condições de ambiente de trabalho, englobandoestrutura, higiene e localização dos vestiários e sanitários; o fornecimento deequipamento de segurança individual; e a segurança coletiva:
  • 5. 5 Você tem conhecimento do que é o CA (Certificado de Aprovação)? 80 70 60 67,31% 50 40 30 32,69% 20 10 0 Sim NãoGráfico I – Grau de Conhecimento do que é CA Você sabe o que é EPI (Equipamento de Proteção Individual)? 100 90 80 90,38 % 70 60 50 40 30 20 10 9,62 % 0 Sim NãoGráfico II - Grau de Conhecimento do que é EPI Você sabe o que é EPC (Equipamento de Proteção Coletiva)? 90 80 82,69 % 70 60 50 40 30 20 10 17,31 % 0 Sim NãoGráfico III - Grau de Conhecimento do que é EPC
  • 6. 6 Você foi treinado ou orientado sobre a correta utilização dos EPI´s? 120 100 96,15 % 80 60 40 20 3,85 % 0 Sim NãoGráfico IV – Treinamento e orientação sobre EPI Na obra onde trabalha atualmente, o responsável (engenheiro, mestre de obras, encarregado) exige a utilização dos equipamentos de proteção individual? 100 100 % 80 60 40 20 0 0 Sim NãoGráfico V – Exigência de utilização de EPI
  • 7. 7 Você está satisfeito com o vestiário, banheiro e refeitório instalados no canteiro de obra? 100 80 76,93 % 60 40 20 23,07 % 0 Sim NãoGráfico VI - Grau de Satisfação das Áreas de Vivência Do que se trata a norma NR-18? 70 60 63,46 % 50 40 30 20 28,85 % 10 7,69 % 0 Não sei, nunca ouvi dizer. Já ouvi falar, mas não me lembro É uma norma relacionada à do que se trata. segurança na construção civilGráfico VII - Grau de Conhecimento sobre NR-18 Você utiliza o equipamento de proteção individual? 70 60 65,38 % 50 40 30 34,62 % 20 10 0 Porque é obrigatório. Porque acho importante para preservação da minha saúde.Gráfico VIII – Uso de EPI
  • 8. 8 Como você reage quando não está usando o EPI e é orientado a colocá- lo? 70 60 61,53 % 50 40 30 20 23,07 % 10 15,54 % 0 Nunca precisei que chamassem Coloco rapidamente o EPI, e Tento arranjar alguma desculpa minha atenção continuo trabalhandoGráfico IX – Reação quando cobrado o uso do EPI Já sofreu algum tipo de acidente no ambiente de trabalho? 56 54 53,85 % 52 50 48 46 46,15 % 44 42 Sim NãoGráfico X – Informação do funcionário se já sofreu de acidente Qual tipo de acidente? 50 45 40 43,3 % 35 30 33,3 % 25 20 15 10 13,43 % 5 6,67 % 3,3% 0 Atingido por objeto Corte Choque com objeto Penetração por Queda objeto
  • 9. 9Gráfico XI - Tipo de acidente acometido pelo funcionário A empresa disponibiliza os equipamentos, fardas e calçados sempre que necessário? 80 70 60 68,24 % 50 40 30 30,76 % 20 10 0 Sim Às vezes demora um pouco.Gráfico XII – Disponibilização de EPI pela empresa 90 76,93 % 75,01 % 80 70 60 50 40 30 19,23 % 21,15 % 20 10 3,84 % 3,84 % 0 Boa Razoável Ruim Boa Razoável Ruim Camisa CalçaGráfico XIII – Grau de resistência da farda
  • 10. 10 Como é que classifica o seu ambiente de trabalho, relativo ao fator : Luminosidade 80 71,17 % 70 60 50 40 30 21,15 % 20 10 5,76% 1,92 % 0 Muito Boa Boa Sem Opinião InsuficienteGráfico XIV – Classificação do ambiente de trabalho quanto a luminosidade Como é que classifica o seu ambiente de trabalho, relativo ao fator : Ruido 50 43,32% 45 40 35 30 26,92 % 26,92% 25 20 15 10 5 1,92 % 1,92 % 0 Excessivo Forte Sem Opinião Fraco InexistenteGráfico XV - Classificação do ambiente de trabalho quanto ao ruido
  • 11. 11 Como é que classifica o seu ambiente de trabalho, relativo ao fator : Vibração 60 53,87% 50 40 30 26,92 % 20 11,53% 10 3,84 % 3,84 % 0 Excessivo Forte Sem Opinião Baixa InexistenteGráfico XVI - Classificação do ambiente de trabalho quanto a vibração3.1 Avaliação das entrevistas Dentre os entrevistados, a maior parte informa que foi orientado sobre acorreta utilização dos equipamentos (Gráfico IV) e sabe do significado do termo EPI(Gráfico II). Entretanto, na pesquisa foi constatado que os funcionários não sabemoutros conceitos anteriormente tratados em reuniões quinzenais, como a definiçãode CA (Gráfico I), EPC (Gráfico III) e NR-18 (Gráfico VII). Aproximadamente 35%deles utilizam o equipamento de proteção individual (Gráfico VIII) porque éobrigatório e existe cobrança quanto a sua utilização (Gráfico V). Muitos alegaramque em alguns momentos se esquecem de utilizar o EPI, de forma que apenas23,07% dos entrevistados nunca precisaram ser orientados a colocar osequipamentos de proteção individual enquanto trabalhavam (Gráfico IX). Isto nosmostra que poucos trabalhadores estão conscientes da importância de se trabalharrespeitando as normas de segurança, e esse pode ser o motivo de quase 50% delesjá terem sofrido algum tipo de acidente leve (Gráfico X). Aponta-se, portanto comoprincipal fator de acidentes a falta de atenção durante a execução das tarefas, eatribui-se, devido ao mesmo fator, a não absorção dos conteúdos tratados emreunião. O gráfico XI aponta que os entrevistados indicaram a penetração por objeto
  • 12. 12e corte como as maiores incidências de acidentes. Essa situação demonstra oexcesso de atos inseguros pelos funcionários da obra. As instalações do canteiro de obras, tais como vestiário, banheiro e refeitórionão se apresentam em conformidade com a NR 18 (Item 4.2.3), que aborda quecondições das instalações sanitárias devem ser mantidas em perfeito estado deconservação e higiene, nem com a NR 18 (Item 4.2.11.2), que aborda que orefeitório não pode ter comunicação direta com as instalações sanitárias. Devido aesses fatores cerca de 80 % dos funcionários não estão satisfeitos com asinstalações atuais (Gráfico VI). Por outro lado, maior parte dos trabalhadores estásatisfeita com o fator luminosidade no canteiro de obras (Gráfico XIV). O fator ruídofoi classificado como forte ou excessivo para 70% dos entrevistados (Gráfico XV),muitos alegaram, entretanto que o ruído é normal a qualquer obra. O fator vibraçãofoi classificado como baixo por mais da metade dos entrevistados (Gráfico XVI).Todos os trabalhadores recebem equipamentos, fardas e calçados quando estãonecessitados, porém 30,76% afirmaram que esses algumas vezes demoram umpouco a serem fornecidos (Gráfico XII). Cerca de 70% dos entrevistados acham quea resistência da farda é boa, 4% acham ruim e o restante razoável (Gráfico XIII).4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao propor este trabalho, teve-se como foco estruturar uma empresa deconstrução civil de médio porte para iniciar um programa de segurança,contemplando o mínimo exigido de condições físicas para executar uma atividade,estabelecido em normas, apoiando-se também com o ponto de vista dostrabalhadores, com base em suas narrativas sobre o seu trabalho e o local que asegurança ocupa. Essa situação contribui para reduzir o paradigma tradicional ouclássico da segurança em busca da responsabilização do trabalhador acidentado. Assim, com a metodologia aplicada, chegou à conclusão de que asensibilização da equipe de trabalho e analise preliminar de risco das atividades nãoatingirão os resultados esperados. Isso ficou claro nas entrevistas que evidenciou afalta de atenção com principal fator de acidentes, demonstrando falhas na gestão. Apesar dos resultados frustrarem a equipe técnica da obra, no período deexecução da obra não houve afastamentos por acidentes no exercício da função.Para empresa esse é o principal resultado, mas para os responsáveis da segurança
  • 13. 13e higiene não basta apenas um número baixo de acidente. Principalmente paraempresa estudada, onde a maioria de seus funcionários com o término da obramigram para outro canteiro de obras da empresa. Desta forma é importante que otrabalhador leve esses conceitos de segurança e higiene que aprendeu para a outraobra. Isso é fundamental porque em outros canteiros da empresa, através deinformações com outros funcionários e da observação in loco, observou-se a falta deprincípios básicos na gestão de segurança. Evidenciando a falta de açõespreventivas da empresa para evitar acidentes. Para evitar essas distorções a administração da empresa deve determinar asdiretrizes através de uma política de segurança, saúde e meio ambiente. As pessoasestão muito mais disponíveis a cumprir as normas e procedimentos quandopossuem o exemplo dos líderes da organização em todos os seus níveis. Com issopadronizar para todas as obras treinamentos, atendendo constantemente alegislação e implantando a OHSAS 18001 referente à Gestão de Segurança eSaúde no Trabalho. Deixando de ter a imagem de que ações em relação àsegurança são apenas em cumprimento das obrigações legais e trabalhistas. Essa pesquisa foi uma iniciativa da administração da obra (engenheiroresidente, técnico de segurança e estagiaria). Participei como engenheiro residentee participei os resultados para a administração da empresa. Esses resultadostrouxeram alguns desdobramentos que consideramos como avanço. Um exemplo foia expansão das ações de gestão de segurança para outras obras da empresa, pormeio do técnico de segurança e estagiaria que participaram deste trabalho. REFERÊNCIASALMEIDA, Ildeberto Muniz de. Construindo a Culpa e Evitando a Prevenção:Caminho da Investigação de Acidentes do Trabalho em Empresas de Municípiode Porte Médio. Tese de Doutorado apresentada ao Departamento de SaúdeAmbiental da Faculdade de Saúde Pública. São Paulo: Universidade de São Paulo,1997.BRASIL. Ministério do Trabalho. Condições e Meio Ambiente de Trabalho naIndústria da Construção. NR–18. Brasília, 1998.CABRAL, Nara. Análise da Segurança no Trabalho de uma Empresa deConstrução Civil. Monografia. Especialização em Engenharia de Segurança doTrabalho. Cuiabá-MT: Universidade Federal de Mato Grosso, 2003.
  • 14. 14Manuais de Legislação Atlas. Segurança e Medicina do Trabalho. 50. ed. SãoPaulo: Atlas, 2002.RASMUSSEN, J. Risk Management in a Dynamic Society: a modeling problem.Safety Science, v. 27, n. 2/3, p.183-213, 1997.
  • 15. 15 ANEXO QUESTIONÁRIO DE OPINIÃO DOS FUNCIONÁRIOS QUANTO A SEGURANÇA NO CANTEIRO DE OBRAS1. Você tem conhecimento do que é o CA (certificado de aprovação)?( ) Sim ( ) Não2. Você sabe o que é EPI?( )Sim ( )Não3. Você sabe o que é EPC (Equipamento de proteção coletiva)?( )Sim ( )NãoCaso sim dê exemplos de proteção coletiva que você identifica na obra.4. Você acha importante trabalhar respeitando as normas de segurança?( )Sim ( )NãoPor quê? (Não é obrigatória a justificativa)5. Você utiliza o equipamento de proteção individual:( ) Porque é obrigatório.( ) Porque acho importante para preservação da minha saúde.6. Você foi treinado ou orientado sobre a correta utilização dos EPI´s?( )Sim ( )Não7. Na obra onde trabalha atualmente, o responsável (engenheiro, mestre de obras, encarregado) exige a utilização dos equipamentos de proteção individual?( )Sim ( )Não8. Como você reage quando não está usando o EPI e é orientado a colocá-lo?( ) Nunca precisei que chamassem minha atenção.( ) Finjo que não estão falando comigo, e continuo trabalhando.( ) Coloco rapidamente o EPI, e continuo trabalhando.
  • 16. 169. Você está satisfeito com o vestiário, banheiro e refeitório instalados no canteiro de obra?( )Sim ( )Não10. A empresa disponibiliza os equipamentos, fardas e calçados sempre que necessário?( )Sim ( )Não11. O que você acha da resistência da farda?Camisa ( ) Boa ( )Razoável ( )RuimCalça ( ) Boa ( )Razoável ( )Ruim12. Como é que classifica o seu ambiente de trabalho, relativamente aos seguintes fatores:a) Luminosidade( ) Muito boa( ) Boa( ) Sem opinião( ) Suficiente( ) Insuficienteb) Ruído( ) Excessivo( ) Forte( ) Sem opinião( ) Fraco( ) Inexistentec) Vibrações( ) Excessivo( ) Forte( ) Sem opinião( ) Fraco( ) Inexistente13. Os fatores anteriormente mencionados (iluminação, ruído e vibrações) exercem repercussões fisiológicas e psicológicas que afetam o desempenho do seu trabalho?( ) sim( ) não14. Dê uma resposta para cada uma das frases abaixo, em função da seguinte escala:Não influencia - NIInfluencia Pouco - IP
  • 17. 17Sem opinião - SOInfluencia consideravelmente - ICInfluencia muito – IMa) Ambiente de trabalho ( )b) As condições físicas de trabalho ( ) (iluminação, ruído, temperatura, equipamentos, utensílios,...)c) Ergonomia ( ) (modo a proporcionar-lhes o máximo de conforto, segurança e eficiência nodesempenho)d) Reconhecimento profissional ( )e) O salário que recebe em função do cargo ( )f) As tarefas que executa diariamente ( )g) Remuneração em função da produtividade ( )h) A existência de condições de Higiene e Segurança ( )15. Já sofreu algum tipo de acidente no ambiente de trabalho.( ) sim ( ) nãoData: Horário:16. Tipo de acidentes:Atingido por objeto ( )Libertação de gases ( )Corte/ferida ( )Choque com objeto ( )Queimadura ( )Entalamento ( )Exposição ( )Hiper-reforço ( )Penetração por objeto ( )Queda em altura ( )Queda ao mesmo nível ( )Lesão provocada por um EPI ( )

×