SEO para conteúdo Incorporando as técnicas do Search no seu dia-a-dia”

7,769 views
7,691 views

Published on

Manual de SEO para jornalistas, redatores de conteúdo, editores e blogueiros.

Published in: Education
2 Comments
27 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
7,769
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,848
Actions
Shares
0
Downloads
328
Comments
2
Likes
27
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • gshgdhasfdghdftfsdghdsfghadfghadsfghsda
  • gshgdhasfdghdftfsdghdsfghadfghadsfghsda
  • SEO para conteúdo Incorporando as técnicas do Search no seu dia-a-dia”

    1. 1. SEO para conteúdoIncorporando as técnicas do Search no seu dia-a-diaPor Klaus Junginger http://computerklaus.com@computerklaus Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    2. 2. 1 Fundamentos do SEO ....................................................03-122 Glossário do Search .......................................................13-183 O ambiente de buscas ....................................................19-294 SEO na prática ...............................................................30-655 Google News ..................................................................66-766 Operadores de busca .....................................................77-797 Mitos do SEO .................................................................80-858 Interpretando resultados .................................................86-979 Conteúdo técnico ............................................................98-136 Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    3. 3. 1. Fundamentos do SEO Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    4. 4. O que é SEO?Abreviação de Search Engine Optimization.Traduzindo, equivale à otimização para motores de busca.>>>Pessoalmente, defino SEO como "conjunto de técnicas aplicadasao conteúdo de páginas na web, com a finalidade de orientar mecanismos depesquisa a identificar melhor o tipo de conteúdo disponível nas URLs”. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    5. 5. Conteúdo sem SEO TM & © 2008 Entertainment Rights Distribution Limited. All rights reserved.
    6. 6. Conteúdo com SEO TM & © 2008 Entertainment Rights Distribution Limited. All rights reserved.
    7. 7. Cronologia do Search Yahoo Web MSN Search Crawler (Bing) Lycos Inktomi93 94 95 96 97 98 Infoseek AskJeevs Excite AltaVista Google Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    8. 8. Por que SEO?Vantagens e diferenciais do SEO em relação a outrasformas de marketing digital: Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    9. 9. Uma estratégia sólidaOs links patrocinados trazem resultados imediatos, porémo tráfego cessa assim que o investimento é interrompido.Idealmente, haverá investimentos em ambos, o que poderesultar em SERP domination. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    10. 10. O SEO gera visibilidadeEm portais que hospedam publicidade, o SEO torna o conteúdoamigável ao buscador, aumentando a qualidade e a quantidadede visitas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    11. 11. O SEO cria relevânciaCom SEO o seu conteúdo aparece na hora certa,no lugar certo, exatamente quando o cliente está procurandopor ele. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    12. 12. SEO Google Presentationhttp://www.google.com/ads/answers/numbers.html Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    13. 13. 2. Glossário do Search Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    14. 14. CTR Click through rate. Taxa de cliques.ROI Return over investment. Retorno sobre investimento.White Hat SEO Aplicação de SEO de acordo com as diretrizes de qualidade do Google.Black Hat SEO Explora falha algorítmicas do Google, na busca por maior participação e, consequentemente, tráfego orgânico.Grey Hat SEO Técnicas que ficam no meio das categorias acima.AdWords Site do Google que permite configuração de campanhas publicitárias na rede AdSense.SM Search Marketing Marketing de busca: é a principal categoria que abriga todas as ações de mkt no meio digital. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    15. 15. Bot, Googlebot, Robôs que visitam as URLs para determinar seu conteúdo.GoogleadbotAlgorítmo Centenas de cálculos que fazem a avaliação do conteúdo das páginas na web.Bounce rate Taxa de rejeições. Descreve quantas pessoas visitaram a URL e não aprofundaram a navegação.Redirecionamento Ocorre quando uma URL leva o visitante para outro endereço.SERP Search engine results page, página que consolida os resultados de busca em mecanismos de pesquisa.Bing Motor de buscas da Microsoft.Linkbuilding Distribuição de links pela internet com o objetivo de gerar tráfego e juice. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    16. 16. Rich Snippet Conteúdo de micro formatos. Ex: ***Sitelinks Links que o Google considera relevantes e resolve apresentar embedados ao snippet.Cluster Agrupamento de snippets. Encontrados exclusivamente no Google News.Snippet Resultado isolado de uma SERP.Protocolo Linguagem utilizada para estabelecer a comunicação entre computadores.Erros categoria 50x Representam inacessibilidade do servidor. “Server down” etc.Erros 404 Representa página não encontrada. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    17. 17. Domínio É a raiz de um site. Ex: uol.com.brSubdomínio Locais separados por um “.” antes do domínio. Ex: idgnow.uol.com.brTLD Top Level domain. É o domínio principal. No Brasil é .brwww Nome do diretório que hospeda o conteúdo das páginas na web. Um site bem programado pode ser acessado sem digitar www.HTTP Hyper Text Transfer Protocol. Protocolo utilizado para transferência de páginas HTML.FTP File Transfer Protocol. É o protocolo que realiza a transferência de arquivos..HTML/.HTM Extensão de arquivo que hospeda o conteúdo nas páginas da internet. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    18. 18. Tag Marcação de conteúdo.Meta tag Conteúdo invisível na página, que orienta o buscador.Robots.txt Arquivo que configura as permissões de acesso dos buscadores ao conteúdo dos sites.AdWords Plataforma do Google utilizada para configurar campanhas de links patrocinados.AdSense Rede do Google responsável pela exibição das campanhas do AdWords.Google Webmaster Tools (GWT) Site para configuração de domínios no Google.Código fonte/Source Code Conteúdo apresentado ao Google.Index/Índice É a biblioteca do Google. Quando você navega no Google não está acessando o conteúdo da web, mas aquilo que foi armazenado pelo Google. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    19. 19. 3. O ambiente de buscas Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    20. 20. Como são apresentados osresultados no Google?Os resultados das buscas são divididos em duas categorias: Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    21. 21. I Resultados pagosA locação de espaços publicitários é a principal fonte de receita do Google,que recebe a cada mil impressões e por clique. A posição de um anúncioé influenciada por fatores, como:• Qualidade do conteúdo da página destino• Oferta por clique• Taxa de cliques• Idade da conta do AdWords Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    22. 22. II Resultados orgânicosSão todos os resultados não patrocinados. Agrupados em snippets,as páginas sugeridas pelo buscador são ranqueadas de acordo com parâmetrosque só o Google conhece. Suspeitamos de alguns:• Taxa de cliques em resultados orgânicos• Locais em que se encontram as palavras-chave• Nível de interação do visitante com o conteúdo• Quantidade e qualidade de links externos e seus textos âncora Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    23. 23. SnippetsOs resultados orgânicos são exibidos em formade snippets. A manipulação/formatação adequada deum snippet é fundamental para promover o clique. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    24. 24. Anatomia de um snipett TÍTULO META DESCRIPTION SITE LINKS Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    25. 25. TítuloO título da página é a informação mais importante de um snippet.É com base em seu conteúdo que o usuário irá clicar. A presença da palavra-chave no título é fundamental. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    26. 26. Meta descriptionA description ajuda o usuário a identificar rapidamente o assunto de uma página.Pense nela como um “lead”. É desejável que a description e o título sejamcomplementares.>>>O uso de palavra-chave na meta description não é fator de ranquamento.A meta description é apenas uma sugestão para o Google, que poderá publicá-lase julgar relevante para a busca. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    27. 27. RanqueamentoFatores que ajudam a determinar uma boaposição na SERP Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    28. 28. - Conteúdo indexável- Palavras-chave na estrutura de código e conteúdo- Links com quantidade e relevância- Ausência de conteúdo duplicado (interno e externo)- Taxa de cliques nos resultados de busca- Tempo de carregamento do site- Taxa de disponibilidade do site- Autoridade do domínio- Idade do domínio- User experience (experiência do usuário)- Reverberação nas redes sociais Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    29. 29. Fonte: Google, Inc“Links são como votos. Servem para endossar a qualidade do que foi experimentado pelos visitantes.” Matt Cutts Google Search Quality Group
    30. 30. 4. SEO na prática Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    31. 31. O SEO aplicado ao conteúdoComo tornar o seu conteúdo relevantedo ponto de vista da busca? Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    32. 32. Palavras-chave (Keywords)Palavra-chave é o primeiro termo digitado pelointernauta dentro do ambiente de busca. O empregoestratégico de palavras-chave é decisivo para ranquearcom sucesso. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    33. 33. Tipos de palavras-chavePalavras-chave (KWs) com diferentes volumesde procura implicam em maior ou menor concorrênciana hora do ranqueamento. Podemos identificar3 tipos de KW: Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    34. 34. A. Broadhead (Cabeça)Alta busca, alta concorrência, pouca conversãoEx: camisa seleçãoB. Long Tail (Cauda longa)Bom volume de busca, média concorrência, alta conversãoEx: camisa seleção 70C. Goldmine (Mina de ouro)Alta busca, pouca concorrência, alta conversãoEx: camisa seleção Zico 1980 Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    35. 35. Escolhendo palavras-chaveO Google “entrega o ouro” mais fácil do que vocêimagina. Basta usar as ferramentas certas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    36. 36. Google Suggest MonitorOs termos exibidos no Suggest Monitor são o primeiro indício de por ondecomeçar. Ao digitar uma busca na caixa de pesquisas, é exibida uma caixacom no máximo dez sugestões derivadas dos termos digitados.As sugestões apresentadas seguem ordem hierárquica por volume de pesquisa.Não é possível determinar quantas vezes um termo precisa ser buscado antes deser incluído no rol de sugestões do buscador. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    37. 37. Novas palavras-chave surgem a todo momento: do jornalismo,da publicidade, do cotidiano das pessoas. As #hashtags são ótimosexemplos de palavras-chave criadas por usuários.Ex: Hudson Bay Miracle (The New York Times) Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    38. 38. Google Trends (google.com.br/trends)Ferramenta que realiza a comparação entre o volume de pesquisas porcertos termos. No Google Trends é possível delimitar espacial ecronologicamente a pesquisa. Quanto mais restrita a busca, mais sólidoo resultado.Ex: Dilma e Serra Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    39. 39. Outra boa fonte para criação de palavras-chave é o brief do cliente.Preste atenção nas palavras que ele utiliza e que fazem parte do seuuniverso de atuação. Você receberá dicas valiosas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    40. 40. Google Insights for Search (goolge.com/insights/search)Mais do que comparação por volumes, o GI permite a visualizaçãoda tendência de busca de certas palavras-chave por período.Oferece 4 tipos de filtro por conteúdo:Universal, imagens, notícias (Google News) e compra (Google Shopping) Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    41. 41. Se o seu site tem uma busca interna, saiba que tudoque for digitado nela deve ser considerado na hora de criar conteúdo,pois será uma palavra-chave de alta conversão. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    42. 42. Google AdWords keyword toolA mais precisa ferramenta de seleção de palavras-chave do Google.O AdWords apresenta sugestões de palavra-chave de acordocom 3 parâmetros:1 - frase exata “palavra-chave”2 - correspondência de frase [palavra-chave]3 - correspondência ampla palavra-chave Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    43. 43. Google AlertsUma espécie de "clipping digital gratuito" que permite ao usuário monitorarpalavras-chave através do Alerta do Google (requer login).O uso é bastante intuitivo e permite acompanhar o conteúdo relacionadoàs palavras que você selecionar. O usuário pode definir quando desejareceber os informes e qual canal do Google quer manter na "mira". Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    44. 44. Usando palavras-chaveO emprego estratégico das palavras-chave é decisivopara ranquear com sucesso. Existem lugares certos paraa inserção de KWs. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    45. 45. 1. TítuloCrie seus títulos de forma que apresentem a palavra-chave naprimeira metade. Recomenda-se trabalhar com até 66 caracteres,incluindo espaços. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    46. 46. 2. Meta descriptionO conteúdo da meta description é decisivo na hora de promovero clique do usuário. Idealmente ela conterá as palavras-chave naprimeira metade de seus 165 caracteres.>>>Alguns profissionais usam caixa alta para destacar palavras-chave nametadescription, pois ela é destacada pelo buscador na SERP. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    47. 47. >>>Página em flash sem meta description. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    48. 48. 3. Chave H1 (Header 1)Pense no H1 como se fosse a manchete de um jornal.Cada página terá apenas 01 campo H1. Idealmente um H1tem o mesmo comprimento de uma description (máximode 165 caracteres, incluindo espaços). Evite concentrartodo o corpo de texto nas chaves H1. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    49. 49. 4. Corpo do textoOs corpos de textos são formados por blocos.Dentro do corpo de texto cada palavra-chave deve estaralocada em blocos que sejam relevantes para ela e “apenas ela”.Evite escrever textos atacado mais de 3 palavras-chavepara não diluir a relevância delas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    50. 50. Cada site tem um “talento” específico.Ex: o IDGNOW! fala de tecnologia. Se quiser falar sobre agricultura, o valordeste conteúdo em relação ao que ele faz será considerado de baixa relevânciapelo Google. Dê preferência a KWs que estejam direta ou indiretamenterelacionados ao core business do site/domínio. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    51. 51. 4.1 Tipos de leitura na webAo inserir palavras-chave em seus textos, considere quea dinâmica de leitura adotada pelo internauta tem regraspróprias. O scanning, ou leitura em “F”, determina bem quais sãoos locais mais suscetíveis ao olhar do leitor.Procure concentrar as KWs nestes campos, ao longo do corpoe nos intertítulos (H2), lembrando que as 100 primeiras palavras sãoas mais importantes. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    52. 52. Fonte: Hotchkiss 2005 Eye tracking Baseado nesse tipo de estudo é possível definir quais os locais mais apropriados para alocar as KWs. No Google (e na maioria das páginas) os campos de maior visbilidade são os do hemisfério esquerdo. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    53. 53. A leitura em sites de conteúdoComo mostram os testes por eye tracking,o hemisferio esquerdo da página éo mais “nobre”para inserção de palavras-chave. Isto também valepara sites com grandes volumes de texto. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    54. 54. 4.2 Negrito e itálicoAntes de destacar uma palavra-chave dentro do texto,certifique-se de que ela apresenta maior densidade em comparaçãoàs outras. Negrite apenas uma palavra por bloco. Seu “orçamento”para o uso do negrito e do itálico é restrito. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    55. 55. 4.3 VocabulárioEvite substituir a KW apenas por sinônimos. Foque nela e em seusderivados. Por exemplo, quando a KW for "casa", evite palavras como“imóvel”, “residência” ou “moradia” em lugares estratégicos. Prefira,derivados do radical “casa”. Ex: “caseiro”, “casinha”, “casarão”, etc.>>>Esta técnica se chama lematização e é muito utilizada pelo buscador. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    56. 56. LematizaçãoAo procurar por "casarão" no Google, ele traz o termo parao radical “casa”. Em seu índice, o Google procura por páginasque contemplem o termo “casa” e, quando as encontra, por“casarão”. Por que errar grafia na internet é tão grave?1.Se a palavra digitada com erro não existir, não haverá radical e o Google “entra em parafuso”.2.O seu conteúdo aparecerá em buscas consideradas irrelevantes para a palavra-chave que você está atacando. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    57. 57. WebspamSpam é informação irrelevante exposta como se tivesse algum valor.As modalidades de Spam não se resumem aos e-mails que chegam às nossascaixas postais. Spam também são páginas de baixo valor informacional,muitas vezes, super otimizadas ou com características de Black Hat SEO.Entre os artifícios usados por webmasters spammers estão:- Textos escondidos- Keyword stuffing- Redirecionamentos indesejados- Scripts gerados para “atacar” palavras-chave- URLs postas à venda, com várias palavras-chave em seu código Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    58. 58. 4.4 Volume de textoO Google é um apreciador de textos longos. O robô de busca,ao se deparar com páginas com baixo volume de texto, se sente poucoincentivado a adicioná-lo ao índice. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    59. 59. • Se o seu conteúdo inclui imagens, dedique, em média 3 vezes o mesmo espaço ocupado por imagem ao texto.• Use como parâmetro os textos de páginas concorrentes e escreva sempre um pouco a mais.• Intercale blocos de texto com imagens para dar rítmo à leitura. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    60. 60. 4.5 Jargões técnicosQuando o assunto é tráfego, vale a pena explicaro significado de abreviações. SRF é Secretaria da Receita Federal.Mas nem todo leitor sabe disso. Seja claro e informativo.Além de tornar o texto mais didático, evita que o internautaprocure por SFR ou RFS. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    61. 61. 5. ImagensO Google não sabe interpretar o conteúdo de imagens.Portanto, a otimização de imagens exige o emprego de KWsem locais estretégicos. Apenas evite replicar conteúdo doscampos ALT e do títlo da imagem. Onde inserrir as KWs:• ao redor da imagem• no nome do arquivo• no campo ALT text (exibido quando o cursor estaciona em cima da imagem) Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    62. 62. 6. URLÉ o conteúdo da barra de endereço do navegador. Procure inseriras palavras-chave na própria URL.Ex: http://computerklaus.com/curso-de-seo Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    63. 63. 7. Texto-âncoraO link é a essência da internet. Procure linkar para outras páginasrelevantes. Não há problema em usar comandos como: “cliqueaqui” ou “mais aqui” ou “leia mais”. A qualidade do conteúdo dapágina destino confere relevância ao seu conteúdo.>>>O Google vai “ler” a página destino e se ela for relevate a sua matériaganha importância. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    64. 64. 5. O Google NewsCanal que agrega sites considerados mídias qualificadas paratransmissão de notícias. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    65. 65. Interface do Google News TÍTULO META DESCRIPTION O Google News exibe as matérias em clusters consolidando notas que tratam do mesmo acontecimento, de acordo com a hora da publicação. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    66. 66. Indexação e ranqueamentono Google NewsPara ocupar o topo dos clusters do Google Newsé necessário conhecer as regras de indexação,que são resultado de um processo em 3 etapas: Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    67. 67. 1 / CrawlingAssim que um site publica uma nova matéria, o sitemap é atualizadoe o Google é informado da nova publicação. De acordo com o rítmo depublicações, a indexação pode acontecer em questão de segundos.2 / Classificação por editoriaDurante o crawling, o robô extrai do corpo de texto e do título palavrasque o ajudam a classificar uma determinada editoria. Por exemplo: "inflação","preços" e expressões percentuais são indícios de que a matéria pertenceà seção de economia.3 / Ranqueamento dos clusters de notíciasOs sinais que o Google News usa para realizar a classificação são termosque estão por toda a URL.Veja a seguir os 20 fatores decisivos para liderar os clusters. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    68. 68. 10 fatores que ajudam você no Google News.Fonte: googlenewsrankingfactors.com
    69. 69. 10 fatores que atrapalham você no Google News.Fonte: googlenewsrankingfactors.com
    70. 70. Aparecendo no Google NewsQualquer site pode se candidatar à seção de notíciasdo Google News, desde que esteja em conformidade comas diretrizes de qualidade dele. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    71. 71. 1 / Conteúdo originalEvite “copy-paste”. O Google identifica conteúdo duplicado e levementeeditado. O partilhamento de conteúdo próprio entre sites do mesmogrupo também gera ruido. Para distribuir conteúdo próprio ao longo deuma mesma rede de sites, proceda da seguinte forma:• Implemente o original-source (meta tag proprietária) no cabeçalho HTML dapágina original do conteúdo. Descreva o endereço original da notícia. Esta metatag deve apontar para ela mesma.• Copie o conteúdo da original-source logo abaixo da syndication-sourcedos sites que devem replicar a matéria, apontando para o autor original.A syndication-source pode estar citada no cabeçalho da URL proprietária. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    72. 72. 2 / Número de caracteresEvite publicar matérias com menos de 800 caracteres, excluindoartigos, preposições (stop words).3 / Texto corridoEvite usar listas e bullet points em seus textos e não os interrompa comseções de links, mesmo que sejam de assuntos relacionados. Prefiralinks editoriais.4 / ExpedienteMantenha uma página com a relação de profissionais, endereço,telefone e localização da sua redação/empresa. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    73. 73. 5 / Links externosEnvie uma relação de links de outros sites que apontam para suapublicação, para reforçar a relevância do seu conteúdo.6 / ImagensPosicione as imagens próximas ao título da matéria e trabalhe comformato .jpg/.jpeg de boa resolução (mínimo 400 px de largura).7 / TítuloNão deverá ser um link redundante, ou seja, conduzir o leitor de voltaao mesmo artigo. Use a mesma string no título da matéria e no títuloda página. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    74. 74. 8 / Data de publicaçãoInsira a data de publicação entre os campos que compõemo título e o corpo de texto.10 / URL fixaAloque o conteúdo sempre na mesma URL para facilitar a varredurapelo Google.11 / IDCrie um ID numérico com 3 ou mais dígitos, evitando os números 199200 e 201 nas primeiras posições. Não use a data do dia de publicaçãocomo parte do ID. A identificação deve ser parte integrante da URL.Ex:http://www.portalimprensa.uol.com.br/400001http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,pt-convoca-campanha-para-regular-a-midia,768475,0.htm Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    75. 75. 10 / News-sitemap.XMLCaso o CMS do site não permita a inserção da ID numérica, éindipsnável tem um News-Sitemap.XML.Vincluar corretamente os títulos das páginas ãs URLs no Sitemap-News. XML é um detalhe ao qual deve ser dado muita atenção. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    76. 76. 6. Operadores de busca Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    77. 77. a) Busca simplesExecutada pela maioria dos usuários. Quando a palavra-chave écomposta, o Google devolve resultados que contenham a sequência daspalavras digitadas. Ex: Jornalismo e SEOb) Busca com aspasForça o Google a apresentar resultados exatamente de acordocom o termo digitado. Ex: “Jornalismo e SEO”c) Busca restritaElimina um dos termos digitados. Ex: Jornalismo –SEOd) Busca por temaInforma ao Google que o usuário deseja resultados pertencentes aouniverso da palavra antecedida pelo operador. Ex: Jornalismo ~digital Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    78. 78. e) Busca com domínio definidoO Google irá procurar conteúdo existente dentro do domínio especificado.Ex: curso de SEO site:computerklaus.comf) Busca por TLDDevolve resultados dentro do Top Level Domains especificado.Ex: Jornalismo e SEO site:.comg) Busca por conteúdo no títuloOferece resultados que apresentam o conteúdo procurado no título.Ex: intitle:curso de SEO para jornalistash) Busca de conteúdo de domíniosDevolve a lista completa de URLs indexadas pelo Google e hospedadasdentro do domínio especificado. Ex: site:estadao.com.br Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    79. 79. 7. Mitos do SEO Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    80. 80. Mito #1:negritar as palavras-chave resolve.Existem diversas tags de texto para negritar palavras.As mais usadas são "bold" <b> texto </b> e "strong" <strong> texto</strong>. Elas de fato reforçam o conteúdo mas podem “pesar” nainteração com o usuário.- Dê preferência ao “strong”- Negrite as palavras-chave apenas na primeira ocorrência- Trabalhe com frases curtas Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    81. 81. Mito #2:repetir o termo várias vezes traz mais resultados.A repetição exacerbada (keyword stuffing) de um termoé identificada pelo buscador e pode afetar negativamente o conteúdoe seu ranquemanto.- Empregue as palavras-chave apenas em lugares estratégicos- Utilize lematização  Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    82. 82. Mito #3:linkar para dentro é melhor do que linkar para fora.O visitante não é propriedade sua. Procure oferecer uma experiênciade informação agradável e completa. Se existe uma página fora do seudomínio que possa completar a informação que você está passando,não hesite: linque. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    83. 83. Mito #4:copiar conteúdo é estar sujeito a penalização.Se alguém penalizar você não será o buscador e sim, o leitor.Copiar indisvriminadamente traz perda de credibilidade.Isto só não é o caso com obras literárias consagradas ou letrasde música por exemplo, que são largamente difundidase encontradas em várias páginas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    84. 84. Mito #5:SEO? Ah, deixa que eu faço rapidinho.Para entregar estratégias robustas e consistentes o SEO sedebruça sobre planilhas, números e estatísticas que possam aferiros resultados do seu trabalho. Um SEO bem feito exige horas,dias, períodos inteiros de muita dedicação. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    85. 85. 8. Interpretando resultados Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    86. 86. Intenção de buscaCada vez que você realiza uma busca, o Googleprocura classificá-la em 4 tipos de intenção. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    87. 87. 1 / Informacional (KNOW)Buscas por termos genéricos são interpretada pelo buscadorcomo buscas do tipo "KNOW". O Google interpreta que a pessoadeseja apenas “aprender” sobre o assunto.Ex: “reciclagem”, “látex” Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    88. 88. 2 / Navegacional (GO)É interpretada pelo buscador como uma busca que visao acesso/visita a determinada página. Normalmente, o usuáriojá sabe para onde quer ir só não sabe como chegar.Ex: procura por marcas, personalidades, organizações, etc. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    89. 89. 3 / Conversão (DO)A busca é classificada como “DO” quando o usuário deixa claraa intenção de “fazer” algo. Seja realizar uma compra,baixar um arquivo ou pagar uma conta online. É o tipo de buscamais complexo, com maior potencial de gerar negócios e ondeexiste maior concorrência.Ex: “segunda via TIM” ou “passagens Gol” Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    90. 90. 4 / Localização (FIND)Este tipo de busca é reflexo da crescente penetraçãode dispositivos móveis (smartphones, pads, etc).As buscas nestes dispositivos costumam ser rápidas,com a missão de encontrar produtos e serviços próximosà pessoa que está buscando.Ex: “lavanderia” Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    91. 91. Resultados de buscaCada intenção de busca gera um tipo diferentee específico de devolução. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    92. 92. Resultado VitalO único tipo de busca com resultado Vital é a do tipo “GO”.Porque o termo digitado tem “dono”. Por exemplo, uma busca por “santander”vai apresentar em primeiro lugar, a homepage do banco Santander, porque ela éo único resultado vital possível. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    93. 93. Resultado Relevante ou ÚtilUm resultado Relevante para uma busca pelo termo Santander seria,por exemplo, a página "abra sua conta", respondendo a uma intençãode busca do tipo “DO”.Outro resultado Relevante seria a exibição das agências Santanderpróximas, atendendo a buscas interpretadas como “FIND”. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    94. 94. Resultado Média RelevânciaAinda buscando por "Santander", um resultado de MédiaRelevância traria a logomarca do banco. Tal resultado também atendea uma busca do tipo “DO”. Na categoria de Média Relevância tambémestão incluidas notícias sobre o banco Santander. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    95. 95. Resultado Baixa RelevânciaSeria o perfil do cidadão “José Santander” em uma rede social,classificada como busca tipo "KNOW”. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    96. 96. Resultado Irrelevante (Off topic)Um hotel com suite chamada “Santander” é considerado irrelevantepara uma busca pelo nome Santander. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    97. 97. 8. Conteúdo técnico Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    98. 98. Otimizando o seu siteURLs descomplicadas transmitem melhor o conteúdo.Criar categorias e nomes para os arquivos ajuda a manter o siteorganizado e facilita o rastreamento pelos motores de busca.Além disso, a sua URL se torna mais "amigável” para quem quiseracessar ou linkar o seu conteúdo. A maioria das pessoasse sente intimidada por URLs extensas ou complexas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    99. 99. As URLs nos resultados de buscaA URL de um arquivo é exibida como parte do resultadode uma pesquisa no Google, logo abaixo do título do documento.Ela aparece negritada quando a palavra pesquisada faz partede sua constituição. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    100. 100. Fonte: Google Search Engine Optimization Starter GuideExemplo de URL simples e amigável. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    101. 101. Use mais palavras e menosnúmeros nas URLsSempre que possível, use palavras que façam partedo universo do conteúdo do seu site. Isso aumenta as chancesde gerar links. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    102. 102. Fonte: Google Search Engine Optimization Starter GuideURLs com palavras relevantes, oferecem aos usuários e buscadores mais informaçãosobre a página do que um ID ou nome estranho. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    103. 103. Fonte: Google Search Engine Optimization Starter GuideURLs cheias de números são confusas e pouco amigáveis. Os usuários podem terdificuldade em lembrar seu endereço ou achar acreditar que são irrelevantes e deixar de forauma parte, quebrando o link. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    104. 104. Evite• URLs longas com sessões de usuário e parâmetros desnecessários• Nomes genéricos como “pagina1.html”• Não sature a URL com palavras-chave Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    105. 105. Simplifique a estrutura do diretórioUse uma estrutura de diretório que organize o seu conteúdoe permita ao visitante saber exatamente onde está no seu site.Utilize a sua estrutura de diretório para indicar o tipo de conteúdocontido na URL. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    106. 106. Evite• árvores de diretórios muito complexas (trabalhe com 2 - 3 subníveis)• nomes de diretórios sem relação direta com o conteúdo Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    107. 107. Defina URLs únicas por arquivoPara evitar que usuários diferentes linkem em versões diferentesda URL foque em uma única versão. Se você encontrar pessoasacessando o mesmo conteúdo em URLs diferentes configue umredirecionamento 301 (permanente) para uma URL única. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    108. 108. Evite• sub-domínios e diretório raiz com acesso ao mesmo conteúdo Ex: "domain.com/page.htm" and "sub.domain.com/page.htm"• utilizar caixa alta nas URLs Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    109. 109. Melhorando a navegabilidadeA navegação faz diferença para os usuários e tambémpara o buscador. Além de facilitar a localização do conteúdo,ela pode ajudar o Google a “entender” que tipo de informaçõesvocê considera relevante. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    110. 110. Planeje a navegação do sitebaseado na homepageTodo site tem uma homepage que normalmente serve de pontode partida de navegação. A não ser que o seu sitetenha poucas páginas, pense muito bem em como irá conduziros visitantes aos conteúdos que deseja evidenciar. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    111. 111. Crie trilhasAs “breadcrumbs trails”, ou trilhas internas, localizadosno topo ou no pé das páginas, ajudam o usuário a navegarcom mais agilidade entre as sessões. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    112. 112. URL cortadas: previna-seAlguns usuários podem cortar pedaços da URL para tentarloalizar informações específicas. Antecipe este cenário.O seu site está preparado para oferecer conteúdo em situaçõesassim ou responderá com um clássico 404 (page not found)? Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    113. 113. Prepare 2 site mapsExistem dois tipos de sitemap: o HTML, para o usuáriosgoogle.com/sitemap.html e o XML, que informa o buscador sobre oconteúdo do seu domínio. Configurando o Google Webmaster Tools vocêpode submetero XML ao buscador para que ele indexe suas páginas.>>>Aplicativo do Google para gerar site maps: www.google.com/sitemp.XML Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    114. 114. Crie uma hierarquia fluidade navegaçãoPrograme o site usando palavras em vez de códigosna estrutura da URL. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    115. 115. Mantenha sua página404 funcionalErros 404 significam páginas não encontradas. Em caindo em umapágina 404 é interessante que o usuário encontre uma caixa de buscasou um link fácil para a homepage.>>>O código 404 é uma parte natural da web e não influencia a qualidade do site. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    116. 116. Hierarquizando o conteúdodas páginasA tag H1 (uma por página) serve para descrever o conteúdomais importante desta URL. A segunda parte mais importante deveestar compreendida nas chaves H2.>>>Se a H2 for um conteúdo mais broadhead do que a H1 algo pode estar errado. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    117. 117. Configurando o acessodo rastreadorAs configurações de acesso do rastreador são realizadasEm um arquivo chamado robots.txt, normalmente localizado na raízdo domínio. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    118. 118. .htaccessArquivo oculto localizado na raíz do domínio.Serve, por exemplo, para impedir que o rastrear re-indexe páginaspreviamente gravadas. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    119. 119. rel=“nofollow”Indica ao buscador ou crawler que o link não deve transmitira relevância da página à página destino.Deve ser usado como atributo-mestre em campos de comentário,por exemplo para evitar SPAM.>>>O nofollow também é um atributo que deve ser aplicado ao conteúdodas páginas de tags. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    120. 120. rel=“canonical”Instrução que direciona a relevância de uma página ou conjuntode páginas para outro endereço. Por exemplo, um site que vendeiPhone de diferentes cores, pode querer direcionar toda relevânciade suas páginas para apenas um endereço. Serve para combaterconteúdo duplicado. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    121. 121. rel="canonical" em sites de notíciasDiferentes matérias de uma editoria de esportes teriam arel=canonical apontando para a homepage desta editoria. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    122. 122. rel=“next” e rel="prev"Assim como a rel=canonical combate a ocorrênciaou a valorização de conteúdo duplicado, as rels "next" e "prev",denotam o parentesco entre páginas.A rel=next e a rel=prev não devem ser usadas na paginação de artigosem sites de notícias . Podem paginar categorias, mas não conteúdos. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    123. 123. Fonte: Google, Inc>>>A página inicial de uma série não terá a rel=prev, apenas a rel=next. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    124. 124. Instrução indexPermite a indexação (memorização do conteúdo e gravação no cachê).É essencial para ter o conteúdo exibido nas pesquisas do Google.Já o noindex, nega a indexação e, consequentemente, elimina aschances de aparecer em pesquisas. Pertence à meta robots. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    125. 125. Quando usar o noindex?Em URLs com versões para impressão e em arquivos .pdf como mesmo conteúdo de páginas do portal/site. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    126. 126. PagerankÀ medida que um site ou página começa a receberlinks externos, sua importância para o conteúdo aumenta.Chamado de PageRank, e, supostamente, sem influênciasobre o ranking orgânico, o PR serve para transferir autoridadeaos links dentro da página. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    127. 127. A maioria dos websites têm PR entre 4 e 6.Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    128. 128. Informando o Google sobresites para mobileConfigure o seu site para mobile para que ele seja indexadopelo Googlebot-Mobile e submeta o seu Mobile Sitemap ao Googlepara informá-lo de sua existência.>>>Você pode criar mobile sitemaps usando o Google Webmaster Tools. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    129. 129. Oriente o usuárioPode acontecer que a versão desktop do seu site sejavisualizada no celular, no lugar lugar da versão mobile- ou vice-versa.Neste caso, esteja pronto para redirecionar usuário. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    130. 130. Exemplo de redirecionamentode usuário de mobile para a versão mobile da URL. Neste caso, recomenda-se que o conteúdo das URLs seja o mais parecido possível. Fonte: Google Search Engine Optimization Starter Guide Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    131. 131. User-agentsO Google identifica a relação entre versões mobilee desktop das URLs. Certifique-se de que o seu servidor estejaservindo a página apropriada para cada sistema.>>>O Google utiliza o “Googlebot” para conteúdos de desktops eo “Googlebot-Mobile” para conteúdos mobile. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    132. 132. Exemplo de mudança de formato de página baseado no User-agent. Neste casoo usuário desktop precisa estar Alinhado com o Googlebot e o usuário mobile com o Googlebot-Mobile. Fonte: Google Search Engine Optimization Starter Guide Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    133. 133. Divulgando o seu siteExistem vários caminhos para promover o seu conteúdode forma eficiente e fortalecer suas estratégias de comunicação online.Os mais óbvios são: Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    134. 134. RSSO RSS ou feed, “pinga” o Google no ato da publicação de novosconteúdos, ativando convidando o crawler.Google PlacesSe a sua empresa é local, cadstre-a no Google Places.Além de ajudar as pessoas a localizá-lo, você ganha visibilidadeextra na página do Google.Mídias SociaisAprofunde-se e explore todas as possibilidades de interaçãoe promoção.Webmaster toolsAjude o Googlebot a crawlear de forma mais eficiente utilizandoas ferramentas que o Google oferece. Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    135. 135. Blog Use o blog da sua empresa para divulgar novidades em produtosou serviços. Quanto mais constante o ritmo de postagens (01 post/dia), maior a taxa de visitas do agente do Google. Fonte: Google Search Engine Optimization Starter Guide Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    136. 136. Implementando o SEOExistem muitas empresas oferecendo bons serviçosem SEO como opção para quem ainda não tem um SEO "inhouse".O SEO também pode vir através da agência. Mas ter o SEOdentro da sua empresa, sem dúvida ainda é a solução que trazmelhores resultados, pela agilidade, sigilo e, principalmente,pela sinergia que gera com os outros departamentos.Considere. E começe hoje mesmo a rankear ;) Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.
    137. 137. Obrigado.klaus jungingerContent SEO CoachCel: 55 11 6953-4623 // computerklaus.com // info@computerklaus.com // @ComputerklausLayout e Design: Margit Junginger // septrox@gmail.com Copyright 2012 computerklaus.com. Direitos reservados.

    ×