0
GEOGRAFIA AGRÁRIA
3º ano
Geografia – Profª Cláudia
TÉCNICA AGRÍCOLA
 Propriedade da terra: pequenas, médias e
grandes propriedades.
 Nível tecnológico: uso intensivo de ma...
SISTEMAS AGRÍCOLAS
 É o modo como os produtores realizam a atividade agrícola em uma
determinada área. Os sistemas agríco...
AGRICULTURA ITINERANTE
 Baixo nível tecnológico.
 Técnicas tradicionais, como a coivara (queimada).
 Falta de conservaç...
AGRICULTURA CAMPONESA
 Principal fundamento é o trabalho não-
assalariado.
 Relações de trabalho não capitalistas: peque...
AGRICULTURA DE JARDINAGEM
 Característica do Sudeste Asiático e Extremo Oriente.
 China, Indonésia, Tailândia, Malásia, ...
PLANTATION
 Característica do processo de colonização.
 Grandes propriedades rurais.
 Monocultura de exportação.
 Mão-...
PLANTATION
 Baixo investimento em tecnologia.
 Enriquecimento dos grandes proprietários rurais
e empobrecimentos dos tra...
SISTEMAS COLETIVISTAS
 Ocorreu nos antigos países socialistas: URSS,
China, entre outros.
 Sociedades primitivas.
 Perí...
MODERNA EMPRESA AGRÍCOLA
 Alto grau de capitalização e organização
empresarial.
 Estados Unidos, Canadá, União Européia,...
MODERNA EMPRESA AGRÍCOLA
 Mecanização intensa.
 Biotecnologia/ produtos transgênicos.
 Interesses especulativos de gran...
ATIVIDADES AGRÍCOLAS NA NOVA
DIT
 Divisão Internacional do Trabalho.
 Países centrais: produção baseada na utilização
de...
AS ATIVIDADES RURAIS NO BRASIL
 País de população predominantemente urbana.
 Um dos maiores produtores agrícolas mundiai...
AS ATIVIDADES RURAIS NO BRASIL
 A agricultura responde por 10% do PIB, porém, a
participação do setor tem aumentado nos ú...
AS ATIVIDADES RURAIS NO BRASIL
 Expansão do agronegócio em áreas de fronteira
agrícola ou de sistemas agrícolas menos
pro...
A ESTRUTURA FUNDIÁRIA
 1970: criação do INCRA (Instituto de Colonização
e Reforma Agrária).
 Colonização da Amazônia.
 ...
A ESTRUTURA FUNDIÁRIA
 Latifúndio por dimensão: 600 vezes maior que o módulo rural da
região, não importando se é ou não ...
FORMAÇÃO DA ESTRUTURA
FUNDIÁRIA
 Conseqüência do processo de colonização.
 Latifúndio: origem nas sesmarias.
 1850: Lei...
AS RELAÇÕES DE TRABALHO NO
CAMPO
 As relações de trabalho no campo se diferenciam
de acordo com o tipo de produção.
 Pod...
AS RELAÇÕES DE TRABALHO NO
CAMPO
 Região Sul: predomínio dos pequenos produtores, porém,
atrelados a grandes empresas (fu...
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Aula geo claudia 3ano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Aula geo claudia 3ano

812

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
812
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Aula geo claudia 3ano"

  1. 1. GEOGRAFIA AGRÁRIA 3º ano Geografia – Profª Cláudia
  2. 2. TÉCNICA AGRÍCOLA  Propriedade da terra: pequenas, médias e grandes propriedades.  Nível tecnológico: uso intensivo de maquinas, produtos orgânicos, braçal....  Relações de trabalho: parceria, arrendamento, trabalhador rural, meeiro.  Destino da produção: mercado local, regional, nacional ou internacional.
  3. 3. SISTEMAS AGRÍCOLAS  É o modo como os produtores realizam a atividade agrícola em uma determinada área. Os sistemas agrícolas são classificados em:  Agricultura itinerante  Agricultura camponesa  Agricultura de jardinagem  Plantation  Sistemas coletivistas  Moderna empresa agrícola
  4. 4. AGRICULTURA ITINERANTE  Baixo nível tecnológico.  Técnicas tradicionais, como a coivara (queimada).  Falta de conservação do solo.  Escassez de capital para investimentos.  Produção voltada para a subsistência.  Organização familiar.
  5. 5. AGRICULTURA CAMPONESA  Principal fundamento é o trabalho não- assalariado.  Relações de trabalho não capitalistas: pequenas propriedades, parcerias e arrendamento.  Falta de investimentos e apoio do governo.  Baixa produtividade.
  6. 6. AGRICULTURA DE JARDINAGEM  Característica do Sudeste Asiático e Extremo Oriente.  China, Indonésia, Tailândia, Malásia, Japão, entre outros.  Utilização intensiva de mão-de-obra.  Produção voltada ao mercado interno.  Utilização de pequenos espaços e toda e qualquer área onde é possível produzir alimentos.  Necessidade de gerar emprego para a população rural.
  7. 7. PLANTATION  Característica do processo de colonização.  Grandes propriedades rurais.  Monocultura de exportação.  Mão-de-obra assalariada de baixo custo.  Sistema predominante na América Latina, África e Ásia.
  8. 8. PLANTATION  Baixo investimento em tecnologia.  Enriquecimento dos grandes proprietários rurais e empobrecimentos dos trabalhadores rurais.  Emergência de conflitos no campo.
  9. 9. SISTEMAS COLETIVISTAS  Ocorreu nos antigos países socialistas: URSS, China, entre outros.  Sociedades primitivas.  Período recente: Israel.  Kibutz: a propriedade e o trabalho da terra são coletivos. Da mesma forma, o dinheiro da venda da produção é dividido com a comunidade.
  10. 10. MODERNA EMPRESA AGRÍCOLA  Alto grau de capitalização e organização empresarial.  Estados Unidos, Canadá, União Européia, Brasil, Argentina, entre outros.  Produção voltada ao mercado internacional, ex: soja, milho, algodão, trigo, frutas.  Venda na Bolsa de Mercadorias de Chicago.
  11. 11. MODERNA EMPRESA AGRÍCOLA  Mecanização intensa.  Biotecnologia/ produtos transgênicos.  Interesses especulativos de grandes empresas.  Dificuldades de pequenos e médios agricultores em competir no mercado internacional nesse segmento.
  12. 12. ATIVIDADES AGRÍCOLAS NA NOVA DIT  Divisão Internacional do Trabalho.  Países centrais: produção baseada na utilização de modernas tecnologias, elevado padrão de vida dos agricultores e organização do setor (Protecionismo).  Países periféricos e semi-periféricos: baixa qualidade de vida da população rural, dificuldades em suprir as necessidades de alimentação da população local, conflitos e diferentes sistemas agrícolas.
  13. 13. AS ATIVIDADES RURAIS NO BRASIL  País de população predominantemente urbana.  Um dos maiores produtores agrícolas mundiais.  A agricultura ainda é um setor importante na economia brasileira (commodities).  Geração de pouco emprego no campo.
  14. 14. AS ATIVIDADES RURAIS NO BRASIL  A agricultura responde por 10% do PIB, porém, a participação do setor tem aumentado nos últimos anos.  Grande parte da agricultura está atrelada a agentes econômicos urbanos (bancos, indústrias alimentícias, entre outras).  Produtos de exportação: soja, fumo, algodão, cana-de-açúcar, carne, frutas tropicais, laranja, entre outros produtos.
  15. 15. AS ATIVIDADES RURAIS NO BRASIL  Expansão do agronegócio em áreas de fronteira agrícola ou de sistemas agrícolas menos produtivos.  Proálcool (fonte energética).  Forte concentração da propriedade da terra.  Manutenção da precariedade das relações de trabalho e condições de vida na zona rural.
  16. 16. A ESTRUTURA FUNDIÁRIA  1970: criação do INCRA (Instituto de Colonização e Reforma Agrária).  Colonização da Amazônia.  Minifúndio: a propriedade é inferior a um módulo rural (quantidade de terra necessária para um trabalhador e sua família se sustentarem).  O módulo rural varia de uma região para outra.
  17. 17. A ESTRUTURA FUNDIÁRIA  Latifúndio por dimensão: 600 vezes maior que o módulo rural da região, não importando se é ou não explorado.  Latifúndio por exploração: propriedade entre 1 e 600 vezes o módulo rural, mas não totalmente explorada.  Empresa rural: propriedade entre 1 e 600 vezes o módulo rural, mas é bem aproveitada economicamente.  1,4% dos proprietários de terras detêm metade da área rural do Brasil.  32% possuem apenas 1,4% das terras.  Estrutura fundiária concentrada na modalidade latifúndio.
  18. 18. FORMAÇÃO DA ESTRUTURA FUNDIÁRIA  Conseqüência do processo de colonização.  Latifúndio: origem nas sesmarias.  1850: Lei de Terras (instituição da propriedade privada da terra no Brasil).  Processo de expansão da fronteira agrícola reproduziu a concentração fundiária.  Expansão dos conflitos pela posse e propriedade da terra.
  19. 19. AS RELAÇÕES DE TRABALHO NO CAMPO  As relações de trabalho no campo se diferenciam de acordo com o tipo de produção.  Pode-se verificar também mudanças nos tipos de relação de trabalho de acordo com a região.  Região Sudeste: territorialização do capital.  Expulsão dos pequenos proprietários e expansão da cana-de-açúcar e laranja (moderna agricultura).
  20. 20. AS RELAÇÕES DE TRABALHO NO CAMPO  Região Sul: predomínio dos pequenos produtores, porém, atrelados a grandes empresas (fumo, suínos, aves).  Regiões Norte e Nordeste: bolsões de pobreza em meio a latifúndios.  Região Centro-Oeste: pouca geração de emprego em um região aonde o agronegócio é a principal atividade econômica.  Migrações motivadas por atividades rurais: bóias-frias.  A maioria dos trabalhadores não tem estabilidade, nem garantia de direitos trabalhistas.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×