Your SlideShare is downloading. ×
Katálysis- Webshow Automação Laboratorial II
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Katálysis- Webshow Automação Laboratorial II

590
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
590
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • RS232 nada mais é que um conjunto de normas que definem comunicação serial ponto a ponto entre dois dispositivos. A norma RS232 define os níveis de tensão, a temporização, o protocolo de troca de dados e a disposição mecânica dos conectores. A interface RS232 tem como principal atrativo a sua implementação simples e barata, sendo disponível como padrão na maioria dos computadores atuais e antigos. As principais limitações da interface RS232 se devem ao fato da mesma operar por níveis de tensão, sendo extremamente suscetível a ruídos, o que inviabiliza a comunicação de maneira confiável em distâncias superiores a 10 ou 15 metros. Outra limitação é que o padrão RS232 foi desenvolvido para ser uma comunicação ponto a ponto, não permitindo que mais de dois dispositivos usem a mesma “linha de dados”. Exemplos: Balanças, pHmetros, instrumentos de laboratórios simples, etc.
  • RS422 é uma evolução do padrão RS232 e tem como principal novidade a implementação de linhas de transmissão balanceadas, o que torna a comunicação extremamente imune a ruídos, permitindo o envio de informações à distâncias de até 1200 metros de maneira extremamente confiável. O padrão RS422 é mais utilizado em comunicações ponto a ponto, embora seja possível utilizar o mesmo em pequenas redes. Para operação em rede o número máximo de dispositivos que podem ser conectados é limitado pois cada  circuito de saída RS422 pode ser ligado no máximo a 10 entradas. Também não é possível a utilização de um único par de fios para operar como "barramento" ou seja, os dados são transmitidos por uma linha e recebidos por outra. O principal uso do padrão RS422 é para estender a comunicação RS232 a grandes distâncias, de maneira transparente ao usuário sem a necessidade de alterar programação e protocolos.
  • RS485 é uma evolução do padrão RS422, tendo como principal enfoque a comunicação em rede, ou seja, com apenas um par de fios é possível se comunicar com diversos equipamentos em rede usando o mesmo barramento. Assim como o RS422, o RS485 utiliza linha de dados balanceada, bastante similar as linhas de dados da interface RS422, logo também permite comunicação em distâncias de até 1200 metros de maneira extremamente confiável. Exemplos: redes de balanças analíticas, etc.
  • GPIB = General Purpose Instrument Bus Barramento desenvolvido pela Hewlett-Packard para a troca de informações entre computadores e equipamentos de automação industrial. A definição elétrica desse barramento foi incorporada a uma norma do IEEE
  • TCP/IP = Acrônimo de Transmission Control Protocol/Internet Protocol. Um Protocolo desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para a comunicação entre computadores. O TCP/IP foi projetado para o sistema UNIX e tornou-se o padrão hoje em dia. Exemplos de Equipamentos de Laboratório: Equipamentos mais complexos – Cromatógrafos, Absorção Atômica, ICPs, etc; equipamentos mais simples: Balanças Analíticas, pHmetros.
  • Transcript

    • 1. 14:00 hs – 15:00 hs Conferência: +55 11 2122-0210 Sala 1. Senha: 1234 0 Webshow 18/04/2011 Automação Laboratorial II Integração de Equipamentos e Sistemas
    • 2. Objetivo da Palestra Sistemas de Qualidade, processos internos e externos cada vez mais oneram os laboratórios. Além disso, mais equipamentos são necessários. Será que posso automatizá-los? Como? Custos cada vez mais elevados, horas desperdiçadas em tarefas menos nobres são mais freqüentes nos laboratórios e a diminuição dessas horas cada vez mais é algo imprescindível. Logo, a Palestra tem como objetivo dar breves noções de como caracterizar a integração de equipamentos com sistemas. 1
    • 3. Sistema de Produção Sistema Laboratorial Equipamentos Sistemas de um Laboratório: Esperado Automatizar significa ter instrumentos que possibilitam isso 2
    • 4. Exemplos: Balanças analíticas, pHmetros, Tituladores, etc. Comunicação Equipamento – Computador: RS 232 3
    • 5. Comunicação Equipamento – Computador: RS 422 4
    • 6. Comunicação Equipamento – Computador: RS 485 5
    • 7. Comunicação Equipamento – Computador: GPIB GPIB = General Purpose Instrument Bus. Barramento desenvolvido pela Hewlett-Packard para a troca de informações entre computadores e equipamentos de automação industrial. A definição elétrica desse barramento foi incorporada a uma norma do IEEE Exemplos: Equipamentos mais complexos – Cromatógrafos, Absorção Atômica, ICPs, etc. 6
    • 8. Comunicação Equipamento – Computador: TCP/IP TCP/IP = Acrônimo de Transmission ControlProtocol/Internet Protocol. Um Protocolo desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para a comunicação entre computadores. O TCP/IP foi projetado para o sistema UNIX e tornou-se o padrão hoje em dia. Exemplos de Equipamentos de Laboratório: Equipamentos mais complexos – Cromatógrafos, Absorção Atômica, ICPs, etc; equipamentos mais simples: Balanças Analíticas, pHmetros. 7
    • 9. Como tratar e automatizar: (Unidirecional e Bidirecional) Coletar dados é muito fácil a partir da interface adequada (RS232, TCP/IP); O problema é coletar informações pontuais (peso, etc.) e associá-las a outras informações (que não estão disponíveis pelo equipamento, por exemplo). informações (usuário, etapa analítica), o manuseio e os cálculos (worklists); Duas formas diferentes: - Usar programas comerciais adequados a isso (ELN, SDMS, etc.) - Programar (Escrever programas). 8
    • 10. Como tratar e automatizar: (Unidirecional e Bidirecional) Exemplo: Balança Analítica – Só fornece peso. Horário? Usuário? Como fazer médias? Checagem de calibração ou medidas? Peso inicial ou Peso Final? Descarte de medidas? (e a razão do descarte). Por isso, precisamos programar ou contar com uma solução comercial adequada. 9
    • 11. Como tratar e automatizar: Programar: Grandes desvantagens = Suporte e validar Softwares comerciais: - Upgrades constantes com diversas inovações e requerimentos; - Suporte; - Validação com protocolos estabelecidos (quando necessário). 10
    • 12. Exemplo: Controle de Estoques 11
    • 13. Integração de Sistemas 12 LIMS, etc. SAP ? Normalmente, sistemas complexos contemplam ferramentas próprias (SAP: Connector, Módulos, etc)
    • 14. 13 Joy Harms +55 11 9393-7673 +55 21 7553-0352 [email_address] Katálysis Instrumentação Científica Ltda ? 15 minutos