Your SlideShare is downloading. ×
0
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Ética Empresarial
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Ética Empresarial

21,266

Published on

Published in: Technology
3 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
21,266
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1,130
Comments
3
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Ética Empresarial Karina Rocha karinacomk@gmail.com karinacomk.comSaturday, July 2, 2011
  • 2. Hoje Apresentação pessoal, objetivos, metodologia e sistema de avaliação Apresentação do grupo Slides parte 1 Estudo de Caso Almoço Retomana do Estudo de Caso Slides parte 2 Debate Conclusão e atividades para notaSaturday, July 2, 2011
  • 3. Saturday, July 2, 2011
  • 4. Saturday, July 2, 2011
  • 5. O que é uma empresa? "Atividade econômica organizada, exercida profissionalmente pelo empresário, através do e s t a b e l e c i m e n t o " . Tr ê s c o n c e i t o s b á s i c o s d a o empresário, o empresarialidade: estabelecimento e a atividade. "Célula de base de toda a economia industrial. (Pedreira e Lamy)Saturday, July 2, 2011
  • 6. AMBIENTE DE NEGÓCIOSSaturday, July 2, 2011
  • 7. AMBIENTE DE NEGÓCIOS PODER DE FOGO DAS ORGANIZAÇÕES  As 100 maiores empresas do mundo têm receitas anuais que excedem o PIB de 50% das nações- estado do mundo.  A GM tem a mesma receita anual da Austria.  Cinco empresas na Inglaterra recebem 50% de tudo o que os britânicos gastam.  Mais de 40% do controle de cada um dos 12 setores industriais globais mais importantes, como têxtil e o de mídia , estão nas mãos de 5 corporações ou menos.  Dez corporações controlam quase todos os aspectos da cadeia alimentar mundial.Saturday, July 2, 2011
  • 8. Saturday, July 2, 2011
  • 9. O que é Ética? "Ética é a ciência normativa dos comportamentos humanos". (Reale) "A disciplina ou campo do conhecimento que trata da definição e avaliação de pessoas e organizações, é a disciplina que dispõe sobre o comportamento adequado e os meios de implementá-lo, levando-se em consideração os entendimentos presentes na sociedade ou em agrupamentos sociais particulares. (Maximiano)Saturday, July 2, 2011
  • 10. Moral – Conjunto de hábitos e costumes efetivamente vivenciados por um grupo humano. A Ética é a ciência da moral – estuda para extrair princípios e regras universais aplicáveis a toda conduta humana (grupo humano). Direito – Acordos de caráter obrigatório, estabelecidos entre pessoas.Saturday, July 2, 2011
  • 11. A Ética e a lei Além de outros dispositivos constitucionais, onde a ética permeia, verifica-se que é no capítulo VII, do título III da Constituição Federal de 1988, que se encontra de forma mais evidente a imposição da necessidade da ética, no exercício da honrosa função de servir a sociedade, estando esse princípio dentre os mais importantes da Administração Pública, a saber: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. No âmbito da atividade empresarial, os princípios éticos que norteiam o direito, estampados no capítulo I, do título VII, da Ordem Econômica e Financeira, fundamentam-se na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, reprimindo o abuso do poder econômico, incentivando a livre concorrência, dando tratamento preferencial às empresas de pequeno porte, proibindo a atuação do Estado na área específica da iniciativa privada, a não ser em caráter excepcional (segurança nacional ou relevante interesse coletivo). O § 4o, do art. 173, da Constituição Federal de 1988, estabeleceu as práticas que devem ser evitadas na exploração da atividade econômica, por ferir a ética empresarial, dispondo que: "A lei reprimirá o abuso do poder econômico que vise à dominação dos mercados, à eliminação da concorrência e ao aumento arbitrário dos lucros".Saturday, July 2, 2011
  • 12. E a ética empresarial? "O comportamento da empresa - entidade lucrativa - quando ela age de conformidade com os princípios morais e as regras do bem proceder aceitas pela coletividade (Moreira) A ética na actividade empresarial é este olhar desperto para o outro, sem o qual o eu não se humaniza; a actividade dirigida para o outro". "A ética empresarial consiste na busca do interesse comum, ou seja, do empresário, do consumidor e do trabalhador...a lógica da empresa é necessariamente ética, e as empresas imorais não são, por conseguinte, autênticas empresas". (Denny)Saturday, July 2, 2011
  • 13. E a ética empresarial? A maioria dos autores que estudam a questão da ética empresarial, estabelece que o comportamento ético é a única maneira de obtenção de lucro com respaldo moral. A sociedade tem exigido que a empresa sempre pugne pela ética nas relações com seus clientes, fornecedores, competidores, empregados, governo e público em geral. Os procedimentos éticos facilitam e solidificam os laços de parceria empresarial, quer com clientes, quer com fornecedores, quer, ainda, com sócios efetivos ou potenciais, Isso ocorre em função do respeito que um agente ético gera em seus parceiros. "A ética da empresa trata de mostrar, então, que optar por valores que humanizam é o melhor para a empresa, entendida como um grupo humano, e para a sociedade em que ela opera".50 A atividade empresarial não é só para ganhar dinheiro. Uma empresa é algo mais que um negócio: é antes de tudo um grupo humano que persegue um projeto, necessitando de um líder para levá-lo a cabo e que precisa de um tempo para desenvolver todas as suas potencialidades.Saturday, July 2, 2011
  • 14. E a ética empresarial? Os bancos suíços construíram uma reputação de confiabilidade com base na preservação do sigilo sobre suas contas secretas. Sob a perspectiva absoluta, para o banco, o correto é proteger a identidade e o patrimônio do cliente. Durante muito tempo, os bancos suíços foram admirados por essa ética, até ficar evidente que os clientes nem sempre eram respeitáveis. Traficantes de drogas, ditadores e nazistas haviam escondido nas famosas contas secretas muito dinheiro ganho de maneira ilícita. Os bancos continuaram insistindo em sua política, enquanto aumentavam as pressões internacionais, especialmente dos países interessados em rastrear a lavagem de dinheiro das drogas, ou recuperar o que havia sido roubado pelos ditadores e nazistas. Para as autoridades destes países, a ética absoluta dizia que o sigilo era intrinsecamente errado, uma vez que protegia dinheiro obtido de forma desonesta. Finalmente, as autoridades suíças concordaram em revelar a origem dos depósitos e iniciar negociações visando à devolução do dinheiro para os seus donos.Saturday, July 2, 2011
  • 15. Exemplo 1 Sigilo de Informações Financeiras: Empresa de grande porte passa por dificuldades financeiras e o Analista Financeiro da empresa, que descobre tal fato, é irmão do Gerente do banco que fornece crédito e serviços à empresa.Saturday, July 2, 2011
  • 16. O que o Analista deve fazer? Ele deve ser ético e manter sigilo? Ou deve avisar ao irmão que seu principal cliente possivelmente quebrará à curto prazo? O que vale mais moralmente? Ética Empresarial ou Ética perante um familiar?Saturday, July 2, 2011
  • 17. TESTE DA HONESTIDADE Você passaria no Teste da Honestidade? Toalhas do Hotel: São Paulo: 13% dos entrevistados disseram que pegariam.Saturday, July 2, 2011
  • 18. “Gato” da TV por assinatura: São Paulo: 41% dos entrevistados disseram que fariam “gato” da TV por assinatura. Belo Horizonte: 36% dos entrevistados disseram que fariam “gato” da TV por assinatura.Saturday, July 2, 2011
  • 19. Sonegação de Imposto de Renda: 29% dos brasileiros responderam que escondem parte de seus investimentos para sonegar impostos. Devolução do Troco: Três quartos dos brasileiros responderam que devolveriam o troco que receberam a mais. No Rio de Janeiro e Recife, a marca chegou a 93% da população entrevistada.Saturday, July 2, 2011
  • 20. CONCLUSÃO Estudar sobre ética empresarial nos faz refletir sobre até que ponto podemos nos dedicar a nossas empresas. Será que vale a pena abandonar um emprego quando somos obrigados a agir de forma antiética?Saturday, July 2, 2011
  • 21. Você é Ético?Saturday, July 2, 2011
  • 22. Saturday, July 2, 2011
  • 23. TESTE SUA HONESTIDADE: 1. Ao sair de um supermercado, você percebe que a caixa lhe deu R$ 50 a mais de troco. Você volta e devolve o dinheiro? Sim Não 2. Você bebeu demais em uma festa e suspeita que está acima do limite legal para dirigir. Você volta dirigindo para casa? Sim NãoSaturday, July 2, 2011
  • 24. 3. Você encontrou uma brecha para sonegar imposto de renda, escondendo parte do seu rendimento. Você faz isso? Sim Não 4. O estacionamento do shopping está lotado – exceto pelas vagas reservadas a deficientes físicos. Você estaciona o carro numa dessas vagas? Sim NãoSaturday, July 2, 2011
  • 25. 5. Você descobre que é possível fazer um “gato” da sua TV por assinatura pagando apenas um ponto. Você faz isso? Sim Não 6. Você precisa de envelopes e canetas em casa. Você os pega na empresa em que trabalha? Sim NãoSaturday, July 2, 2011
  • 26. 7. Você encontra uma carteira na rua com R$ 100, sem endereço do dono. Você entrega a carteira numa delegacia? Sim Não 8. Você vê o conjuge de sua/seu melhor amiga/o andando de mãos dadas com um estranho. Você se sente obrigado a contar ao seu amigo(a)? Sim NãoSaturday, July 2, 2011
  • 27. 9. As toalhas do banheiro do hotel em que você está hospedado são muito bonitas e de boa qualidade. Você coloca uma delas na mala e a leva para casa? Sim Não 10. Está chovendo e você espera pelo ônibus numa longa fila. Quando o ônibus chega, você percebe que não há lugar para todos e você não vai conseguir entrar se não passar a frente das pessoas. Você fura a fila? Sim NãoSaturday, July 2, 2011
  • 28. 11. Você está dirigindo, voltando para casa, às 9 horas da noite e a rua está quase vazia. Você excede o limite de velocidade em 20 km/h para chegar em casa mais rápido? Sim Não 12. Um amigo oferece a você, de graça, uma cópia ilegal de um caro software de computador. Você o aceita e o instala no seu computador? Sim NãoSaturday, July 2, 2011
  • 29. Saturday, July 2, 2011
  • 30. Teorias da ÉticaSaturday, July 2, 2011
  • 31. Teorias da Ética Teoria fundamentalista: propõe que os conceitos éticos sejam obtidos de uma fonte externa ao ser humano, a qual pode ser um livro (como a Bíblia), um conjunto de regras, ou até mesmo outro ser humano;Saturday, July 2, 2011
  • 32. Teorias da Ética Teoria utilitarista: sustentada nas idéias de Jeremy Bentham e John Stuart Mill, para os quais o conceito ético deve ser elaborado "no critério do maior bem para a sociedade como um todo";Saturday, July 2, 2011
  • 33. Teorias da Ética Teoria kantiana: defendida por Emanuel Kant, propõe que o conceito ético seja extraído do fato de que cada um deve se comportar de acordo com princípios universais.Saturday, July 2, 2011
  • 34. Teorias da Ética Teoria contratualista: baseada nas idéias de John Locke e Jean Jacques Rousseau, parte do pressuposto de que o ser humano assumiu com seus semelhantes a obrigação de se comportar de acordo com as regras morais, para poder conviver em sociedade. Os conceitos éticos seriam extraídos, portanto, das regras morais que conduzissem à perpetuação da sociedade, da paz e da harmonia do grupo social;Saturday, July 2, 2011
  • 35. Teorias da Ética Teoria relativista: segundo a qual cada pessoa deveria decidir sobre o que é ou não ético, com base nas suas próprias convicções e na sua própria concepção sobre o bem e o mal. Assim sendo, o que é ético para um pode não o ser para outro.Saturday, July 2, 2011
  • 36. Teorias da Ética Na concepção de Max Weber: 1. A ética da convicção, entendida como deontologia ( estudo dos deveres); 2. A ética da responsabilidade, conhecida como teleologia (estudo dos fins humanos).Saturday, July 2, 2011
  • 37. Teorias da Ética Toda atividade orientada pela ética pode subordinar-se a duas máximas totalmente diferentes e irredutivelmente opostas. Ela pode orientar-se pela ética da responsabilidade ou pela ética da convicção. Isso não quer dizer que a ética da convicção seja idêntica à ausência de responsabilidade e a ética da responsabilidade à ausência de convicção. Não se trata evidentemente disso. Todavia, há uma oposição abissal entre a atitude de quem age segundo as máximas da ética da convicção - em linguagem religiosa, diremos: "O cristão faz seu dever e no que diz respeito ao resultado da ação remete-se a Deus" - e a atitude de quem age segundo a ética da responsabilidade que diz: "Devemos responder pelas conseqüências previsíveis de nossos atos.Saturday, July 2, 2011
  • 38. Evolução da Ética Empresarial Conferência Internacional Sobre o Meio Lei "Clayton Ambiente, em "Foreign Corrupt Sociedades A Riqueza das Estocolmo, Practices Act" Lei "Shelman Act primitivas Nações Suécia século XVIII 1.890 início do séc XX 1972 1977 Criaram-se as ONGs que Expansão das Esforços desempenharam multinacionais e isolados de redes acadêmicas Society for Business Ethics nos importante papel no Ensino da ética conflito entre os Professores EUA, e a EBEN - desenvolvimento nas Faculdades padrões éticos Universitários econômico, social e de Administração de diversas nos EUA e European Business Ethics Network na Europa, cultural de muitos países. e Negócios culturas Europa DÉCADA DE DÉCADA DE 80 DÉCADA DE FIM DO MILÊNIO DÉCADA DE 70 60/70 80/90Saturday, July 2, 2011
  • 39. - Desilusão com liberalismo - Profissionalização da gestão 1900 a - Influência socialismo e movimentos antitrust 1960 - Debate sobre condições de trabalho, ética dos executivos e filantropia - Mobilização cívica e revolucionária - Avanços científicos e movimentos ambientalistas 1960 a - Crise do capitalismo 1980 - Surgimento da Business ethics (filosofia e gestão) - Distinção entre filantropia e responsabilidade: base para corrente Business & Society - Avanço de políticas neoliberais - Globalização e Financeirização da economia 1980 - Flexibilização da produção aos dias - Debates sobre desenvolvimento sustentável atuais - Consolidação Business & society e surgimento Social issues management Fonte: Kreitlon, 2004Saturday, July 2, 2011
  • 40. 1953 - Acidente de Minamata (Japão) derramemento Mercúrio – 700 1950 mortos e 9000 doentes crônicos 1957 – Tcheliabinski (URSS) – primeiro acidente nuclear 1962 – Livro: “A Primavera Silenciosa, de Rachel Carson – alerta para 1960 perigos de pesticidas e poluentes 1972 – Relatório “Os limites do crescimento” – por um grupo de cientistas para a Clube de Roma 1972 – Conferência de Estocolmo – 1ª da ONU para meio ambiente – 113 países, 250 ONGs. Criação de órgãos de controle ambiental em 1970 vários países, criação do PNUMA 1976 – Acidente Seveso – Itália – incêndio indústria pesticidas, emissão de dioxinas 1978 – Selo Ecológico (Alemanha) – primeiro selo ecológico – “Anjo Azul”Saturday, July 2, 2011
  • 41. Acidente de Bohpal (Índia) – gases tóxicos na atmosfera – Union Carbide. 3.300 mortos e mais de 20.000 doentes crônicos 1984 Acidente Nuclear de Chernobil (Ucrânia) – 31 mortos, 134 pessoas com síndrome aguda de radiação e 237 suspeitas. Desde o acidente, 1986 35.000 casos de câncer na região Acidente de Basiléa (Suiça) – 30.000 litros de pesticida no Rio Reno – 500 mil peixes mortos Relatório “Nosso Futuro Comum” (Relatório Bruntland” 1987 Protocolo de Montreal – proíbe CFCs Constituição Brasileira – Cap. VI: “todos têm direito ao meio ambiente 1988 ecologicamente equilibrado...” Acidente Exxon Valdez (Alasca) 37 milhões de litros de óleo no mar 1989 Convenção da Basiléia (Suiça) – regulamenta a movimentação transfronteiriça de resíduos perigososSaturday, July 2, 2011
  • 42. Rio 92 – 2ª Conferência ONU para o Meio Ambiente – 172 países, 10.000 participantes. Resultados: Agenda 21; Declaração do Rio sobre 1992 Meio Ambiente e Sustentabilidade; Princípios para a administração sustentável de florestas Criação do CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável 1997 Protocolo de Quioto – Convenção sobre Mudanças Climáticas Lançamento da Norma ISO 14.001 Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes 2001 Rio + 10 – Convenção ONU – Joannesburgo (África do Sul) 2002 2º Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas ONU – 2.500 2007 cientistas, 130 paísesSaturday, July 2, 2011
  • 43. Os escândalos corporativos, a volatilidade e o pânico nas bolsas ocorridos principalmente nos Estados Unidos e na Europa são todos uma conseqüência do estouro da bolha especulativa criada nos anos 90. Ativos intangíveis, como marcas, clientes e tecnologias que essas empresas desenvolveram passaram a constituir seus ativos mais importantes, tomando lugar dos ativos declarados como patrimônio em sua contabilidade tradicional. Soma-se a isso algumas condutas antiéticas de alguns executivos que eram detentores de opções de ações que, ao manipular resultados contábeis, geriam em causa própria. O gerenciamento ou manuseio dos resultados, com a intenção de mostrar uma imagem diferente (estável no tempo, melhor ou pior) da entidade é conhecido como Earnings Management. Entre os maiores casos de escândalos corporativos Berganimi Junior (2002) relaciona os casos americanos que envolvem a casa dos bilhões de dólares:Saturday, July 2, 2011
  • 44. Adelphia Communications: US$ 2,3 bilhões em passivos ocultos, além de US$ 1 bilhão em desvios por ex- executivos; WorldCom (telecomunicações): US$ 7,2 bilhões; Qwest (telecomunicações): US$ 1,2 bilhão; Xerox (equipamentos): US$ 6,4 bilhões em receitas e US$ 1,4 bilhões em lucros; Merck (farmacêutico): US$ 12,4 bilhões em dupla contagem de receitas, Enron (energia): US$ 1 bilhão nos resultados e desvios não dimensionado praticados por ex-executivos.Saturday, July 2, 2011
  • 45. Saturday, July 2, 2011
  • 46. Ética e Cultura OrganizacionalSaturday, July 2, 2011
  • 47. A cultura é um mecanismo cumulativo. As modificações trazidas por uma geração passam à geração seguinte, de modo que a cultura transforma-se perdendo e incorporando aspectos mais adequados à sobrevivência, reduzindo o esforço das novas geraçõesSaturday, July 2, 2011
  • 48. Cultura organizacional A cultura de uma organização é o conjunto único de características que permite distingui-la de qualquer outra. Corresponde á personalidade no indivíduo e transmite a forma como as pessoas de uma organização se comportam, estabelecendo um sistema de valores que se exprime por meio de rituais, mitos, lendas e acções. O conceito envolve as formas de “pensar, sentir e agir” dos membros de uma organização. O conceito de cultura surgiu num contexto em que estavam em voga 3 modelos culturais em competição: O Japonês, o Americano e o Europeu. Foi moda nos anos 80.Saturday, July 2, 2011
  • 49. O que é cultura organizacional? A cultura, de certa forma, implica que rituais, clima, valores e comportamento aglutinam-se num todo coerente, fazendo-se visível pelos valores adotados (estratégias, objetivos e filosofias), pressupostos relevantes (crenças, percepções, pensamentos e sentimentos) e “artefatos” (estruturas e processos”. O valores, base da cultura organizacional, apresentam significados importantes para o grupo e formam a base para julgamentos morais, servindo de referência para aceitação ou não de novos membros, o que ajuda manter a estabilidade culturalSaturday, July 2, 2011
  • 50. • Fazer parte de uma empresa significa “aceitar” seus valores, visões e crenças sem abrir mão da visão crítica e das crenças e valores particulares. Embora as vozes dos indivíduos e das empresas possam ser distintas estas não são separadas, por isso, entrar para uma organização significa associar a identidade individual à corporativa. Saturday, July 2, 2011
  • 51. Os elementos visíveis são alguns Iceberg da Cultura aspectos formais e abertos tais Organizacional como os objectivos e estratégias da organização, políticas de recursos humanos, a tecnologia empregue, a estrutura adoptada, as descrições das funções, políticas e procedimentos, etc.. Os aspectos ocultos são percepções, atitudes e os sentimentos (ódio, simpatia, medo, desespero, entre outros) sobre os sistemas formais e informais da organização, e ainda os valores e expectativas da organização, as interacções informais que se estabelecem entre os membros, os padrões de influência e de poder e as normas de grupo.Saturday, July 2, 2011
  • 52. Exemplos Johnson& Johnson “acreditamos que a nossa responsabilidade primeira é para com os médicos, enfermeiras e pacientes, as mães e todos os outros que usam os nossos produtos e serviços” AmericanExpress “Serviço heróico ao cliente; Confiança mundial nos serviços; Encorajamento da iniciativa individual” Ford A Ford preconiza “As pessoas como fonte da nossa força” (...) “Honestidade e integridade básicas” Motorola “Responsabilidade prioritária de cada um” e “Satisfação total do cliente” Cada um destes princípios, embora inspiradores, são mutáveis ao longo do tempo, sobretudo quando a empresa passa por processos de fusão ou reestruturação.Saturday, July 2, 2011
  • 53. Formação da cultura organizacional Segundo Schein Definições do tipo I Cultura como artefato = Símbolos = documentos, arranjos espaços físicos, linguagem, estórias, celebrações, padrões de vestimenta Definições do tipo II Cultura como conjunto de valores e crenças compartilhados Definições do tipo III Cultura organizacional como pressuposto básicoSaturday, July 2, 2011
  • 54. Saturday, July 2, 2011
  • 55. A ética pode ser passada de pessoa para pessoa, o que é ‘certo e o errado’. Mas, existe o Código de ética, que é um instrumento que busca a realização dos princípios, visão e missão de determinado grupo. Orienta as pessoas quanto às suas posturas e atitudes ideais, moralmente aceitas ou toleradas pela sociedade como um todo.¹ Toda profissão tem, ou pelo menos deveria ter o seu código. Pode ser comparado à leis que os legisladores fazem.Saturday, July 2, 2011
  • 56. Cada pessoa tem sua maneira de agir e pensar. Consequentemente, em uma grande empresa, todos terão conceitos diferentes ou pelo menos parecidos. Por isso a neccesidade do Código de Ética. Ele faz com que pessoas de diferentes tipos trabalhem e ajam com o mesmo propósito. Deve atingir desde o administrador até o pessoal da limpeza. Sendo que aquele deve seguir primeiro e ser exemplo.Saturday, July 2, 2011
  • 57. Código de Ética da Petrobras “O respeito à vida e a todos os seres humanos, a integridade, a verdade, a honestidade(...) são os princípios éticos que norteiam as ações do Sistema Petrobras.”¹ “A lealdade ao Sistema Petrobras se manifesta como responsabilidade, zelo e disciplina no trabalho e no trato com todos os seres humanos, e com os bens materiais e imateriais do Sistema, no cumprimento da sua Missão”(...)Saturday, July 2, 2011
  • 58. Código de Ética da Caixa “O Código de Ética da CAIXA, no item respeito, deixa claro que a empresa não admite a prática de trabalho forçado ou compulsório.”¹ “O Código de Ética, valor responsabilidade, garante, protege e ao mesmo tempo estimula o monitoramento do cumprimento dos valores”(...)² “Ao rever e reeditar, nesta gestão, o seu Código de Ética, a CAIXA legitimou seu público como controlador de condutas para resguardar, entre outros fatores, a missão e imagem da empresa”(...)³ ____________________ ¹ ² ³ -http://downloads.caixa.gov.br/_arquivos/caixa/balanco_social/ Balanco_Social_2005.pdfSaturday, July 2, 2011
  • 59. Caso   • Fraude contábil nas operações da Epson no Brasil e México A Seiko Epson Corporation anunciou os resultados de uma investigação interna que apontou que executivos maquiaram resultados da subsidiária brasileira em 42 milhões de dólares desde 2000. Após perceberem o erro nos balanços da companhia, três funcionários da Epson Brasil inventaram números "para proteger suas posições". O lucro além do registrado é resultado de manipulações nos balanços durante oito anos fiscais, incluindo o atual. A companhia culpa a falta de interesse das administrações e a fragilidade dos processos que permitiram as fraudes e a manipulação de dados. Para acalmar seus acionistas, a Epson afirmou que implementará políticas mais rígidas para elaboração de balanços financeiros.Saturday, July 2, 2011
  • 60. Responsabilidade Social Forte tendência do consumidor Bem estar de seus colaboradoresSaturday, July 2, 2011
  • 61. Desenvolvimento Sustentável Visa o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico, o meio ambiente e as questões sociais Responsabilidade Social é um compromisso moral As empresas desempenham um papel árduo e podem influenciar na redução do impacto do uso dos recursos naturaisSaturday, July 2, 2011
  • 62. Saturday, July 2, 2011
  • 63. Termos associados • Ética • Filantropia (Amor ao Homem) • Cidadania corporativa (direitos e deveres) • Responsabilidade social – stakeholders (partes interessadas) • Sustentabilidade • Governança (Corporativa) • Investimento social privado • Marketing – Marketing social – Marketing relacionado a uma causaSaturday, July 2, 2011
  • 64. Formas de atuar 1) Atuando de maneira ética e socialmente responsável em todas as etapas de sua atividade produtiva Sem deixar de ser rentável e competitivoSaturday, July 2, 2011
  • 65. Formas de atuar 2) Mediante investimento 3) Mediante contribuição social ao debate sobre políticas públicas, • doações filantrópicas nas áreas: • compartilhando capacidade gerencial e técnica • Fiscal • programas de • Educacional voluntariado empresarial • iniciativas de marketing • Produtiva (qualidade) social • Ambiental • apoiando iniciativas de desenvolvimento • Responsabilidade Social comunitárioSaturday, July 2, 2011
  • 66. “Você tem que ser a mudança que você quer para o mundo” - GandhiSaturday, July 2, 2011
  • 67. COMERCIO JUSTO OXFAM INTERNATIONALSaturday, July 2, 2011
  • 68. O Que é comércio justo?Saturday, July 2, 2011
  • 69. Saturday, July 2, 2011
  • 70. Saturday, July 2, 2011
  • 71. Saturday, July 2, 2011
  • 72. Saturday, July 2, 2011
  • 73. Saturday, July 2, 2011
  • 74. Saturday, July 2, 2011
  • 75. Saturday, July 2, 2011
  • 76. Saturday, July 2, 2011
  • 77. Saturday, July 2, 2011
  • 78. Saturday, July 2, 2011
  • 79. Saturday, July 2, 2011
  • 80. Saturday, July 2, 2011
  • 81. Saturday, July 2, 2011
  • 82. Saturday, July 2, 2011
  • 83. Saturday, July 2, 2011
  • 84. Saturday, July 2, 2011
  • 85. Saturday, July 2, 2011
  • 86. Saturday, July 2, 2011
  • 87. Saturday, July 2, 2011
  • 88. Saturday, July 2, 2011
  • 89. Saturday, July 2, 2011
  • 90. Saturday, July 2, 2011
  • 91. Saturday, July 2, 2011
  • 92. Saturday, July 2, 2011
  • 93. Saturday, July 2, 2011
  • 94. Saturday, July 2, 2011
  • 95. Saturday, July 2, 2011
  • 96. Saturday, July 2, 2011
  • 97. Saturday, July 2, 2011
  • 98. Saturday, July 2, 2011
  • 99. Saturday, July 2, 2011
  • 100. Saturday, July 2, 2011
  • 101. Saturday, July 2, 2011
  • 102. Saturday, July 2, 2011
  • 103. Desenvolvimento alternativo ou solidário • cidadania, inclusão de setores marginalizados e subordinação do econômico a outros objetivos e valores • muito variado: toma forma a partir de 1970 • não rejeita o crescimento econômico, porém busca alternativas ao capitalismo emancipatórias e viáveis • crítica à estrita racionalidade econômica e à idéia de que a economia é uma esfera independente da vida social, que exige sacrifício de bens e valores sociais, políticos, culturais e naturais • ênfases: local, sociedade civil, comunidades marginalizadas como sujeitos e não como objetos de programas de desenvolvimento, estratégias de baixo para cima • insere-se nessa proposta a idéia de Economia Solidária - alternativa solidária dentro do capitalismoSaturday, July 2, 2011
  • 104. Interdependência entre as dimensões de ação Indivíduo Organização SociedadeSaturday, July 2, 2011
  • 105. Papéis dos consumidores Consumidores podem premiar 1. Novas concepções de negócios, atentas aos desafios econômicos, sociais e ambientais da atualidade 2. Atendimento a novas necessidades e a demandas não atendidas de certas populações 3. Empresas mais avançadas em suas práticas em termos éticos e de responsabilidade social e ambientalSaturday, July 2, 2011
  • 106. Consumidores podem punir Papéis dos consumidores (boicotar, protestar) 1. Empresas e produtos com elevado grau negativo de Consumidores podem impacto social e ambiental premiar 2. Empresas que não 1. Novas concepções de demonstram compromisso e negócios, atentas aos avanços contínuos no desafios econômicos, campo da ética e da sociais e ambientais da responsabilidade social e atualidade ambiental 2. Atendimento a novas necessidades e a demandas não atendidas de certas populações 3. Empresas mais avançadas em suas práticas em termos éticos e de responsabilidade social e ambientalSaturday, July 2, 2011
  • 107. Consumidores podem punir Papéis dos consumidores (boicotar, protestar) 1. Empresas e produtos com elevado grau negativo de Consumidores podem impacto social e ambiental premiar 2. Empresas que não 1. Novas concepções de demonstram compromisso e negócios, atentas aos avanços contínuos no desafios econômicos, campo da ética e da sociais e ambientais da responsabilidade social e atualidade ambiental 2. Atendimento a novas necessidades e a demandas Consumidores podem refletir não atendidas de certas 1. Refletir continuamente sobre populações seus padrões de consumo e 3. Empresas mais avançadas redefini-los, com em suas práticas em termos consciência dos impactos éticos e de responsabilidade de suas decisões social e ambiental 2. Influenciar outras pessoas para que também o façamSaturday, July 2, 2011
  • 108. Calculando a pegada ecológica No teste criado pela Redefining Progress, cada pessoa pode calcular o impacto de seu modo de vida sobre o planeta, considerando fatores como:  Clima da região em que vive  Tipo de moradia  Fontes de energia utilizadas na moradia  Materiais utilizados na construção e mobília  Tipo de veículo para transporte  Percursos percorridos  Hábitos cotidianos para poupar energia e água e de reciclagem  Tipo de alimentação  Origem dos itens de alimentação  Hábitos gerais de consumo, como freqüência de substituição de bens Fonte: http://www.myfootprint.org/en/visitor_information/Saturday, July 2, 2011
  • 109. Saturday, July 2, 2011
  • 110. RESPONSABILIDADE CORPORATIVA SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA TRANSFOR- MAÇÃO ACIONISTAS CONSELHOS RECURSOS OUTRAS PRESERVAÇÃO DIREÇÃO PARTES INTERESSADAS CIDADANIA CORPORATIVA INCLUSÃO SOCIAL DIREITOS AÇÕES HUMANOS ESTRUTURAISSaturday, July 2, 2011
  • 111. ÂMBITOS DA ÉTICA EMPRESARIALSaturday, July 2, 2011
  • 112. SA 80000 Norma internacional de avaliação da responsabilidade social para empresas fornecedoras e vendedoras,baseada em convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e em outras convenções das Nações Unidas (ONU). A Itália é o país com mais empresas certificadas, seguida de Índia, China e Brasil. Trabalho Infantil Trabalho Forçado Saúde e SegurançaSaturday, July 2, 2011
  • 113. ÉTICA E COMUNICAÇÃO DE CRISES Crise é qualquer incidente que causa algum efeito negativo sobre a organização. Pode ter diferentes causas: Desastres naturais Erro humano: involuntário, por negligência, por ação criminosa Todas as empresas precisam estar preparadas para enfrentar crises.Saturday, July 2, 2011
  • 114. Saturday, July 2, 2011
  • 115. COMUNICAÇÃO DA CRISE Características da crise: O elemento surpresa: leva a perda de controle. Informações insuficientes: a empresa só percebe que está vulnerável depois da crise estar desencadeada Ritmo acelerado dos fatos: assédio da imprensa Investigação detalhada: os executivos estão despreparados para os holofotes da mídia.Saturday, July 2, 2011
  • 116. COMUNICAÇÃO DA CRISE Casos famosos de crises: 1982: tylenol da Johnson & Johnson 1993: crise da seringa da Pepsi- Cola. (causa criminosa)Saturday, July 2, 2011
  • 117. COMUNICAÇÃO DA CRISE Como estar preparado para a crise? a) avaliar o risco para a organização b) elaborar plano para a crise c) determinar o efeito sobre os diversos públicos d) definir os objetivos de comunicação para crises potenciais e) analisar a escolha do canal f) designar uma equipe diferente para cada criseSaturday, July 2, 2011
  • 118. Ações de avaliação e diagnóstico Realizar auditorias legais e financeiras sobre riscos e responsabilidade civil Modificar a cobertura de seguro para atender às contingências do gerenciamento de crise Realizar auditorias de impacto ambiental Priorizar as atividades necessárias para as operações diárias Estabelecer um sistema de monitoramento para sinais antecipados de alarme Estabelecer um sistema de monitoramento para acompanhar crises passadas ou recentes.Saturday, July 2, 2011
  • 119. Ações de comunicação Fornecer treinamento para lidar com a mídia relativo ao gerenciamento de crise Melhorar as minhas de comunicação para as comunidades locais Melhorar a comunicação com os stakeholders que possam intervir. (polícia, etc)Saturday, July 2, 2011
  • 120. Ações psicológicas e culturais Aumentar a visibilidade do envolvimento da alta gerência com o gerenciamento de crise Melhorar o relacionamento com grupos ativistas Melhorar a comunicação de baixo para cima. Melhorar a comunicação de cima para baixo sobre os programas/ responsabilidades relativos ao gerenciamento da crise Fornecer treinamento relativo aos impactos humanos e emocionais das crises Fornecer serviços de suporte psicológico Reforçar a memória corporativa simbólica de crises e perigos do passadoSaturday, July 2, 2011
  • 121. Plano de comunicação de crise Unificação do comando Plano detalhado estudado fora da crise Lista de quem informar em uma emergência Relação com a mídia: informar tudo, informar rápido. Estratégia para informar funcionários Local p;ara funcionar como central de criseSaturday, July 2, 2011
  • 122. Comunicação durante a crise Assumir o controle da situação Coletar o máximo de informação possível Montar um centro de gerenciamento de crise Comunicar-se com rapidez e freqüência Entender a missão da mídia em uma crise Comunicar-se diretamente com o público afetado Lembrar que negócios devem continuar Fazer planos para evitar outra crise imediatamenteSaturday, July 2, 2011
  • 123. Para reflexão... • É possível combinar a visão de longo prazo da perspectiva sustentável com a visão de curto prazo da lógica do mercado? • Como alinhar sustentabilidade e competitividade? • É possível um “capitalismo sustentável, que preserva recursos disponíveis e, ao mesmo tempo, incentiva o consumismo?Saturday, July 2, 2011
  • 124. Indicações para consulta Instituto Ethos de Empresas e Resp. Social www.ethos.org.br Grupo de Institutos, Fundações e Empresas www.gife.org.br Compêndio para a Sustentabilidade On-Line www.institutoatkwhh.org.br/compendio Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e www.gestaosocial.org.br Gestão Social – CIAGS/UFBA Instituto Brasileiro de Governança Corporativa www.ibgc.org.br PNUD - Brasil www.pnud.org.br Conferências Interamericanas sobre www.csramericas.org Responsabilidade Social ISO 26000 www.iso.org/sr Índice de Sustentabilidade Empresarial da www.isebovespa.fgvsp.br BOVESPA (ISE) Centro de Estudos em Sustentabilidade da www.ces.fgvsp.br EAESP – FGV Ces 95 Instituto Akatu www.akatu.org.brSaturday, July 2, 2011
  • 125. QUESTÕES TRABALHO INDIVIDUAL 1. Qual o conceito de empresa? 2. Quais as diferenças entre ética e ética empresarial? 3. Explique as cinco teorias sobre a formação dos conceitos éticos. 4. Escreva sobre a importância da ética empresarial. 5. Quais são as teorias éticas citadas. 6. O que são valores éticos? 7. Descreva os motivos que justificam uma empresa ética.Saturday, July 2, 2011
  • 126. 1981 1995 – Cidadania Empresarial e Investimento Social Privado1982 - Prêmio ECO / AMCHAM 1995 – Governança Corporativa 1990 1998 – Responsabilidade Social 25 Prêmio Nacional da Qualidade EmpresarialSaturday, July 2, 2011
  • 127. DENNY, A. Ercílio. Ética e Sociedade. Capivari: Opinião, 2.001. 276 p. LEISINGER, Klaus M.; SCHMITT, Karim. Ética Empresarial. Petrópolis: Vozes, 2.001. 231 p. LIMA, Alex Oliveira Rodrigues. Ética Global. São Paulo: Iglu, 1.999. 122 p. MARTINS, Ives Gandra (Coordenador). Ética no Direito e na Economia. São Paulo: Pioneira, 1.999. 237 p. MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria Geral da Administração. São Paulo: Atlas, 1.974. 371 p. MOREIRA, Joaquim Manhães. A Ética Empresarial no Brasil. São Paulo. Pioneira, 1.999. 246 p. REALE, Miguel. Lições Preliminares do direito. São Paulo. Saraiva, 1.999. 393 p. 1 Advogado. Professor do Curso de Direito da UFMT. Mestrando no Programa de Pós- graduação em Direito da UNIMEP. 2 DENNY, Ercílio A. Ética e sociedade. Capivari: Opinião E., 2001, p. 134. 3 BULGARELLI, Waldírio. Sociedades comerciais. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1993, p. 22. 4 LAMY FILHO, Alfredo; PEDREIRA, José Luiz Bulhões. A lei das S. A. Rio de Janeiro: Renovar, 1992, p. 155. 5 REALE, Miguel. Lições preliminares de direito. 24. ed. São Paulo: Saraiva, 1999, p. 29 6 MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria geral da administração. São Paulo: Atlas, 1974, p. 294. 7 LUÑO, Angel Rodrigues. Ética. Pamplona: Erusa, p. 17. 8 MOREIRA, Joaquim Magalhães. A ética empresarial no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1999, p. 28.Saturday, July 2, 2011

×