Lingua Estrangeira para Crianças

866
-1

Published on

Panorama de LEC

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
866
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
44
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Na citaç ão dos slides 12 a 17 sugiro que os videoconferencistas A e B alternem as falas por slides . Impacto das novas TIC. Rapidez de mudança das novas TICs. Proximidade da TV digital e da digitalizaç ão total dos celulares. Os satélites e a comunicação GPS. São tecnologias caras, mas o computador, há 4 anos, também era caro e agora o Baú da Felicidade está vendendo em módicas parcelas mensais de 67 reais. Outro pedaço da citaç ão: “ É necessário entender tal mundo, para que seja possível fazer escolhas entre os discursos que se apresentam. ”
  • Lingua Estrangeira para Crianças

    1. 1. Ensino de Inglês para Crianças Karina Vicentin P rofa Formadora Grupo de Formação CEFORTEPE - 2011
    2. 2. <ul><li>“ O importante é não se esquecer que, em última análise, os nossos alunos precisam adquirir domínio da língua estrangeira para o seu próprio bem e para se tornarem mais aptos a enfrentar os novos desafios que o mundo coloca no seu caminho. São eles que têm que aprender a dominar a língua inglesa, jamais deixando que a língua inglesa comece a dominá-los ” </li></ul><ul><li>(Rajagopalan, 2005: 45) </li></ul>
    3. 3. Construtos e objetivos : <ul><li>Ser condizente com os construtos embasadores do processo de ensino-aprendizagem de LEC (formação integral do aluno). Portanto: </li></ul><ul><li>Devem ser retomados na avaliação visões de linguagem = construção de sentidos em situações reais e propositadas = multiletramentos ) + visões de aprendizagem (processo colaborativo) </li></ul>
    4. 4. Proficiência almejada <ul><li>Desempenho efetivo principalmente em situações do cotidiano que envolvam a integração das habilidades (multiletramentos) </li></ul><ul><li>Respeito ao desenvolvimento (meta)cognitivo - questões de leitura e escrita e uso da LM </li></ul>
    5. 5. Discutindo visões <ul><li>Tradicionais </li></ul><ul><li>Sociointeracionais </li></ul><ul><li>Críticas </li></ul>
    6. 6. Questões para reflexão <ul><li>Quais visões embasam as três diferentes atividades? </li></ul>
    7. 8. Proposta de atividade 2 <ul><li>Hoje vamos aprender família! </li></ul><ul><li>Quais concepções estão embasando essa proposta? </li></ul><ul><li>Qual é o foco em termos de linguagem e de visão de mundo? </li></ul>
    8. 10. Visões críticas <ul><li>O que significa um ensino crítico e socio-historicamente situado? </li></ul><ul><li>Há somente uma forma de desenvolvê-lo? </li></ul><ul><li>Quais suas bases? </li></ul>
    9. 11. Desenvolvimento Integral <ul><li>Lingüístico-discursivo </li></ul><ul><li>(meta) cognitivo </li></ul><ul><li>Psicológico </li></ul><ul><li>(afetivo/relacional) </li></ul><ul><li>Sócio-cultural </li></ul>Para AÇÃO SOCIAL e NÃO como aquisição de habilidades lingüísticas
    10. 12. <ul><li>Aprender inglês para agir no mundo (multissemiotizado) de forma crítica,situada, promovendo transformações – construindo multiletramentos </li></ul>
    11. 13. Construção de “ (Multi) Letramentos (Críticos) em LE: <ul><li>Práticas que envolvem DIFERENTES LINGUAGENS, capacidades e conhecimentos específicos e que, direta ou indiretamente, envolvem a letra/escrita, de modo colaborativo e agentivo/autoral </li></ul><ul><li>Rojo (2009); Evans (2005); Hall et al (2005) </li></ul>
    12. 14. Formação Plurilíngue : um possibilidade para se construir multiletramentos <ul><li>Plurilíngue </li></ul><ul><li>Plurivocal </li></ul><ul><li>Pluriestilístico </li></ul>
    13. 15. Por que Plurilíngue? <ul><li>Vivemos em um mundo multissemiótico (para além da letra, ou seja, um mundo de cores, sons, imagens e design que constroem significados em textos (...) </li></ul><ul><li>Rojo (2006) </li></ul>
    14. 17. Who am I? How do I Feel?
    15. 19. Here it comes…TO BE <ul><li>Write a poem </li></ul><ul><li>Sing a song </li></ul><ul><li>Play a game </li></ul><ul><li>Paint </li></ul><ul><li>BE (agentividade/autoria) </li></ul><ul><li>A poet </li></ul><ul><li>A singer </li></ul><ul><li>A painter… </li></ul>
    16. 20. POR QUÊ crítico - plurivocal? <ul><li>Vivemos em um mundo marcado por desigualdades fundamentais. As sociedades são organizadas a partir (das diferenças) dos gêneros, raças, classe social, idade, preferência sexual, entre outros, que geram desigualdades opressoras ( Moita Lopes, 2003) </li></ul>
    17. 21. Diversidade <ul><li>Como tratamos a homogeinização, estereótipos em sala e nas avaliações? </li></ul><ul><li>Como elas se apresentam por meio da linguagem e das atividades? </li></ul><ul><li>Pense na imagem da família apresentada nos livros didáticos... </li></ul><ul><li>e nos objetos de ensino ... pai, mãe, irmão..... </li></ul>
    18. 22. O que nos trazem as imagens?
    19. 27. Ensino Plurivocal e Pluriestilístico <ul><li>Quadro Vida Cultural .doc </li></ul><ul><li>ATIVIDADES Especificas.doc </li></ul><ul><li>Cope, Kalantzis, 2000) </li></ul>Quem sãos as princesas e príncipes? O que é bonito e bom? Certo e errado? Poderíamos criar uma nova companheira para o Chico Bento? Já que ele foi colocado ao lado da Rosinha, bastante semelhante a ele, no que diz respeito ao modo se ser e viver . Como seria descrever, por meio de diferentes gêneros, uma nova namorada para o Chico Bento? Vamos descrevê-la por meio de um poema? De uma canção?
    20. 28. Ensino situado – construção de multiletramentos <ul><li>POR QUÊ??? </li></ul><ul><li>PARA QUÊ </li></ul><ul><li>POR QUEM ?? </li></ul><ul><li>De que modo?? Recursos? </li></ul>
    21. 29. Importante- transcender a visão tradicional <ul><li>Ensino de LEC = </li></ul><ul><li>Cantar </li></ul><ul><li>Brincar/Jogar </li></ul><ul><li>Contar </li></ul><ul><li>De forma a-crítica, não situada e focada na aquisição do léxico e da forma </li></ul>
    22. 30. Ao invés de somente sugerir: <ul><li>Escreva sobre seu brinquedo preferido </li></ul><ul><li>Descreva sua casa </li></ul><ul><li>Relate sua rotina </li></ul><ul><li>Devemos também pensar: </li></ul><ul><li>Para quem/por quê/como? </li></ul><ul><li>Como se faz? Para que se faz?.. </li></ul>
    23. 31. Como situar a prática de linguagem? <ul><li>Descreva o Curupira X Vamos elaborar um verbete para uma enciclopédia ilustrada sobre o folclore brasileiro para circular em escolas de EFI/primárias em nível mundial </li></ul><ul><li>Relate/descreva quem é o curupira-/ </li></ul><ul><li>Desenhe/Cante/Dance/Conte </li></ul><ul><li>o seu curupira </li></ul>
    24. 32. You and I – Personagens Encantados <ul><li>Who is CURUPIRA?? </li></ul>O que esse personagem diz sobre a(S) cultura(s) brasileira(s)? O que esse personagem diz sobre VOC Ê e seu grupo social?
    25. 33. Pergunta básica <ul><li>No que ele é igual ou diferente de você??? </li></ul>
    26. 34. Será que nós ainda... <ul><li>Ensinamos Diálogos entre Johns e Maries </li></ul><ul><li>Praticamos jogos, brincadeiras, canções e histórias com a finalidade de ensinar habilidades lingüísticas </li></ul><ul><li>Ensinamos cores, frutas, animais, família, ao invés de vivenciarmos práticas sociais (experiências e identidades) em sala </li></ul>
    27. 35. Nas visões críticas e situadas: é importante problematizar <ul><li>Compreender porque a “ cuca vem pegar ” </li></ul><ul><li>Quem são as princesas? E principes? </li></ul><ul><li>Entender que a rosa que a Bela entregou à Fera não é igual a rosa que conhecemos </li></ul><ul><li>Compreender que a floresta em que chapeuzinho encontrou o lobo não era igual às florestas tropicais </li></ul>
    28. 36. Importante: por meio da LE, promover agentividade <ul><li>...E relacionar tudo isso aos valores locais, buscando não só respeitar, mas legitimar as diferenças </li></ul><ul><li>... E construir conhecimentos que possibilitarão a ação social nas diferentes práticas com as diferentes formas de linguagens, incentivando o aluno a ser autor de sua própria história </li></ul>
    29. 37. Visões críticas e situadas <ul><li>...Como avaliar nessas perspectivas? </li></ul><ul><li>O que fazem os LDs? </li></ul>
    30. 38. OBRIGADA! <ul><li>Sorria mais criança pra não sofrer </li></ul><ul><li>[…]E aprenda lutar pela vida pra se prevenir </li></ul><ul><li>Conheça todas as maldades pra não se iludir </li></ul><ul><li>Espalhe amor por onde for </li></ul><ul><li>Quem sabe amar destrói a dor </li></ul><ul><li>Seja todo seu viver </li></ul><ul><li>Um mundo cheio de prazer  </li></ul><ul><li>Ivone Lara </li></ul><ul><li>Children of the World </li></ul><ul><li>Romero Britto </li></ul> 
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×