Projetos - Estudos Preliminares

8,324 views
7,956 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,324
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projetos - Estudos Preliminares

  1. 1. BEM VINDOS!!!!!! ELABORAÇÃO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS ELABORAÇÃO
  2. 2. ELABORAÇÃO (PLANEJAMENTO) Normalmente, essa fase divide-se em: 1. Estudos Preliminares; 2. Anteprojeto; 3. Guia de Projeto Definitivo. 4. Projeto Definitivo
  3. 3. ESTUDOS PRELIMINARES <ul><li>• É o tempo, logo após definir o objetivo , em que o empreendedor, individualmente ou em pequeno grupo, </li></ul><ul><li>analisará os aspectos que são inerentes ao projeto ; entre estes podemos citar: </li></ul><ul><ul><li>recursos, </li></ul></ul><ul><ul><li>complexidade técnica </li></ul></ul><ul><ul><li>e outros que julgar necessário. </li></ul></ul>Aqui você vai responder a pergunta: “É possível?”
  4. 4. PROBLEMATIZAÇÃO <ul><ul><li>b) Caracterização do problema e justificativa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>A elaboração de um projeto se dá introduzindo o que pretendemos resolver, ou transformar. De suma importância, geralmente é um dos elementos que contribui mais diretamente na aprovação do projeto pela(s) entidade(s) financiadora(s). </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aqui deve ficar claro que o projeto é uma resposta a um determinado problema percebido e identificado pela comunidade ou pela entidade proponente. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deve descrever com detalhes a região onde vai ser implantado o projeto, o diagnóstico do problema que o projeto se propõe a solucionar, a descrição dos antecedentes do problema, relatando os esforços já realizados ou em curso para resolve-lo. </li></ul></ul></ul>
  5. 5. UM PROJETO A simples ação de “fazer café” pode ser considerada um processo. a) Descreva o processo tradicional (aquele que emprega café em pó, bule, coador etc.), relacionando suas entradas, recursos e atividades e saídas. b) Onde possível, classifique os componentes. Observe, por exemplo, que o calor necessário para ferver a água é uma das entradas (o que é necessário para cada funcionamento) e não um recurso (que está permanentemente à disposição das entradas, como o fogão ou o aquecedor). Não se esqueça dos produtos indesejáveis (lixo e rejeitos, ruído, calor, fumaça, vapor, trepidação etc.). c) Escolha alguns processos existentes na organização e descreva-os segundo seus componentes.
  6. 6. UM PROJETO <ul><ul><li>A maioria dos projetos é complicada para ser planejada e controlada a menos que sejam desmembrados em porções gerenciáveis. Isto é atingido pela estruturação do projeto sob a forma de árvore genealógica que especifica o projeto e suas partes (pacotes gerenciáveis): subprojetos, fases, tarefas etc. (work breakdown structure) </li></ul></ul><ul><ul><li>Exemplo de projeto doméstico </li></ul></ul><ul><ul><li>Propósito: fazer café da manhã na cama </li></ul></ul><ul><ul><li>Resultado final: café da manhã na cama com ovos quentes, torradas e suco de laranja sobre bandeja </li></ul></ul><ul><ul><li>Critérios de sucesso: o plano usa o mínimo de recursos de pessoal e tempo e produz alta qualidade (ovos recentemente fervidos e torradas quentes) </li></ul></ul><ul><ul><li>Escopo: o projeto começa na cozinha às 6h00 e termina no quarto; precisa de um operador e equipamento normal de cozinha. </li></ul></ul>
  7. 7. Servir café da manhã na cama Produzir copo de suco de laranja Produzir ovos quentes em um porta ovos Produzir torradas com manteiga Arrumar a bandeja Obter suco Obter copo Produzir ovo quente Obter porta ovos Produzir torrada Obter manteiga Obter louças e talheres Obter bandeja Obter ovo Obter água Obter pão Nível 3 Nível 1 Nível 0 Nível 2 Obter laranja
  8. 8. ANÁLISE DE RISCOS identificação, projeção e avaliação de riscos <ul><li>1. Identificação dos Riscos </li></ul><ul><li>Podem ser classificados como: </li></ul><ul><ul><li>Riscos de Projeto Referem-se a problemas orçamentários, de cronograma, de pessoal, de recursos e de requisitos, bem como ao impacto dos mesmos sobre o projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>Riscos Técnicos Identificam potenciais problemas de projeto, implementação, interface, verificação e manutenção. Acrescente-se a estes: ambiguidade de especificação, incertezas técnicas, obsolescência técnica e utilização de &quot;tecnologia de ponta&quot;. </li></ul></ul><ul><ul><li>Riscos do Negócio São aqueles que fogem ao controle do planejador, como uma mudança administrativa, que inviabiliza a continuidade do projeto, ou a perda de apoio da alta administração, alterações orçamentárias, etc. </li></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>2. Projeção dos Riscos </li></ul><ul><li>Deve-se obter a probabilidade de ocorrência do risco e suas consequências. Para tanto, pode-se classificar cada risco de acordo com uma escala qualitativa de probabilidade, que pode assumir os valores &quot; altamente improvável &quot;, &quot; moderadamente provável &quot;, &quot; altamente provável &quot;. </li></ul><ul><li>Após isso, deve-se classificar os riscos de acordo com a probabilidade (estimada) de sua ocorrência e de seu impacto sobre o projeto. </li></ul>ANÁLISE DE RISCOS identificação, projeção e avaliação de riscos
  10. 10. <ul><li>3. Avaliação dos Riscos </li></ul><ul><li>Deve-se, agora, analisar que riscos, ou combinação deles, podem levar ao encerramento do projeto, por implicarem em aumento excessivo do custo, em atrasos no cronograma ou em degradação do desempenho esperado. </li></ul><ul><li>A antevisão destes pode &quot;salvar&quot; o projeto, desde que claramente assinalados e compreendidos. </li></ul>ANÁLISE DE RISCOS identificação, projeção e avaliação de riscos
  11. 11. <ul><li>4. Gerenciamento e Monitoração dos Riscos </li></ul><ul><li>Esta fase prevê a elaboração de um Plano de Administração e Monitoração de Riscos . Dele, constam não apenas os riscos, suas probabilidades de ocorrer e o impacto sobre o projeto, mas também, os passos de reversão para o risco. </li></ul><ul><li>O estabelecimento de procedimentos de reversão devem levar em consideração os incrementos de custo e prazo causados no projeto e confrontá-lo com o impacto do risco, antes de aplicá-lo. </li></ul><ul><li>A monitoração dos riscos durante o desenvolvimento do projeto deve verificar se os procedimentos de reversão estão sendo aplicados corretamente e buscar a(s) fonte(s) do problema ocorrido. </li></ul>ANÁLISE DE RISCOS identificação, projeção e avaliação de riscos
  12. 13. RISCOS: CONTRA MEDIDAS = SE... ENTÃO...
  13. 14. RISCOS: A ENTREVISTA <ul><li>1. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DO RISCO </li></ul><ul><ul><li>NULO </li></ul></ul><ul><ul><li>BAIXO </li></ul></ul><ul><ul><li>MÉDIO </li></ul></ul><ul><ul><li>ALTO </li></ul></ul><ul><li>2. PARA RISCOS MÉDIOS E ALTOS: EXISTÊNCIA OU NÃO DE PLANO DE CONTINGÊNCIA </li></ul>
  14. 15. TABELA DE PONTUAÇÃO DE RISCOS

×