FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS-FTC             CURSO DE ADMINISTRAÇÃO             KARLLA MIRANDA DA COSTA O MERCADO DE...
KARLLA MIRANDA DA COSTAO MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NA MICRO REGIÃO        ...
KARLLA MIRANDA DA COSTA    O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,    CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NA MICRO REGIÃO...
Ao meu Deus que me deu forças parasuperar os obstáculos, para obter a vitória.A minha família e amigos, que meajudaram a v...
Sonhar grande ou pequeno dá omesmo trabalho, mas um sonhoinspirador faz toda diferença.                                 Mi...
AGRADECIMENTOS       A Deus, que sempre esteve comigo, a Ele toda honra e glória, por essa vitória, me deuforças para enfr...
LISTA DE FIGURASFigura 1    Localização da microrregião Ilhéus-Itabuna..............................................      ...
LISTA DE TABELASTabela 1   Distribuição percentual da população residente, por religião no Brasil           1991/2000........
SUMÁRIO1          INTRODUÇÃO.................................................................................................
4.2.2   Sexo e Faixa Etária..................................................................................................
O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NA MICRO REGIÃO ILHEUS-ITABUNA                ...
O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,            CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NO SUL DA BAHIA                  A...
1 INTRODUÇÃO1.1 Contextualização       A partir das últimas décadas (anos 70/ 80), o cenário religioso brasileiro vem semo...
milhões com projeção de aumentar para R$50 milhões até 2020. Quando considerada toda aindústria de produtos e serviços, o ...
interessem pelo tema, muito embora a limitação do tempo não tenha permitido odesenvolvimento de uma pesquisa mais abrangen...
IV. Avaliar o tamanho do mercado para o entretenimento gospel.V- discutir as técnicas que têm sido utilizadas nos empreend...
2 REFERENCIAL TEÓRICO  O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: CONCEITOS E EVOLUÇÃO2.1 Entretenimento       Sempre houve, ao l...
comunicações e publicidade. Wolf (1999) ratifica essa visão ao afirmar que ele está noencontro dos negócios com a comunica...
ser colocada a Arca da Aliança, símbolo do vínculo que une o povo e seu Deus, recordando aprimeira ligação: o arco-íris, a...
TABELA 01 - Distribuição percentual da população residente, por religião – Brasil –1991/2000    Religiões                 ...
Por fim, as neopentecostais são igrejas oriundas do pentecostalismo original ou mesmodas igrejas tradicionais. As principa...
cenário musical evangélico para apreciação e muito menos para uso litúrgico, e essasmudanças ocorreram para conquistar o m...
consumidor cristão brasileiro é fiel (quando gosta de um produto ou serviço, torna-seconsumidor dele e permanece como tal)...
seguida, a empresa procura identificar que segmento de mercado teria interesse pelo produto.Uma vez identificado o público...
identificado que 3,2% do total de turistas que se deslocaram no país, tinham motivaçõesreligiosas.       a- Música Gospel ...
cultos e templos e chegam ao turismo, tendo a propaganda e o marketing como                         influências primordiai...
c- Eventos       Melo Neto (2001) afirma, que os eventos compõem um cadeia de valor econômicoagregado que gera receitas pa...
Em estratégias de captação de eventos devem ser considerados os seguintes fatorescomo estímulo a percepção dos diferenciai...
3 METODOLOGIA3.1   Área de Estudo       A Microrregião Ilhéus – Itabuna pertence à mesorregião Sul Baiano, É formada por 4...
Figura-1 Mapa da Micro Região Ilhéus-Itabuna3.2 Método de Pesquisa      A definição do método, na medida em que se refere ...
procurou a partir de uma realidade mais ampla verificar uma situação particular valendo-se dacombinação de idéias pela int...
A população da microrregião Ilhéus –Itabuna representa 15 % do total do estado daBahia, conforme a Tabela 02. E, quando re...
eventos da microrregião: Ilhéus, Itabuna, Coaraci e Una que juntas são responsáveis por                %dos eventos realiz...
4 RESULTADOS E DISCUSSÃO5.1 Mercado Nacional :Contextualização       O segmento de Organização e Promoção de Eventos Gospe...
TABELA 14 - Total de custos – Atividades recreativas e culturais           Tabela 14 – Total de custos – Atividades recrea...
Ano                                   Retiradas (Mil reais)2002                                                           ...
inovadores, como o próprio nome diz, trazem novidades da área evangélica, como louvoresem ritmo funk e boates gospel. Este...
5.1.2.2 Sexo e Faixa Etária               Segundo a Figura 03, considerando-se o público-alvo principal do segmento gospel...
5.1.2.3 Grau de Instrução          A análise do público alvo por grau de instrução pode ser vista na Figura 04, que  apres...
Tipos de despesa,                   Despesas monetária e não-monetária média mensal familiar (R$)     número de           ...
Aluguel          135,89    131,15     196,04    131,20    173,22   301,00    186,90    141,19   Serviços etaxas           ...
Tamanho médioda família                 4,01      4,05          3,87         4,05           3,92      3,33             3,4...
Fazendo parte do calendário oficial de diversas cidades, a Marcha para Jesus contacom a participação de trios elétricos de...
Figura -     Pub GospelFigura        Brother Simion Shop & Café         Outro grande evento que ocorre em São Paulo é a   ...
Figura-       Cartaz de divulgação (SP)   - Expo Cristã no RJEspírito Santo :          O evento de maior expressão é o Jes...
Além da área espiritual e musical, o evento também conta com competições esportivasde destaque no cenário estadual. A Copa...
Figura-Figura-Marina de Oliveira, Cristina Xisto, vice-presidente do Grupo MK de Comunicação, e Yvelisede Oliveira, presid...
culto, que incluíram ainda a gravação ao vivo do CD e DVD Alegria, de André Valadão e doDVD instrumental Sem palavras.1   ...
10%           10%                                           80%                          Católicos     Evangélicos        ...
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
O mercado de entretenimento gospel
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

O mercado de entretenimento gospel

645

Published on

Trabalho de conclusão de concurso, Administração em 2008

Published in: Education
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
645
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "O mercado de entretenimento gospel"

  1. 1. FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS-FTC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO KARLLA MIRANDA DA COSTA O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS MICRO REGIÃO ILHEUS- ITABUNA. ITABUNA/BA 2008
  2. 2. KARLLA MIRANDA DA COSTAO MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NA MICRO REGIÃO ILHÉUS-ITABUNA Relatório do trabalho de conclusão do Curso de Administração com ênfase em Marketing, apresentado como parte das exigências para obtenção de título de Bacharel em Administração. Orientadora: Eliane Costa Marinho. ITABUNA/BA 2008
  3. 3. KARLLA MIRANDA DA COSTA O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO, CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NA MICRO REGIÃO ILHÉUS-ITABUNA Trabalho monográfico submetido à Faculdade de Tecnologia e Ciências – FTC, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Administração e aprovada pela seguinte banca examinadora.Aprovado em: Profa. Esp. Eliane Costa Pinto Marinho Faculdade de Tecnologia e Ciências _ FTC – Itabuna Prof............ Paulo Bomfim Faculdade de Tecnologia e Ciências _ FTC – Itabuna Profa. Ms.Maria Alice Accioly Dória Faculdade de Tecnologia e Ciências- FTC- Itabuna ITABUNA- 2008
  4. 4. Ao meu Deus que me deu forças parasuperar os obstáculos, para obter a vitória.A minha família e amigos, que meajudaram a vencer as barreiras.
  5. 5. Sonhar grande ou pequeno dá omesmo trabalho, mas um sonhoinspirador faz toda diferença. Michael Dell .
  6. 6. AGRADECIMENTOS A Deus, que sempre esteve comigo, a Ele toda honra e glória, por essa vitória, me deuforças para enfrentar todas as dificuldades, que me permitiu ganhar uma bolsa de estudos eme deu uma turma maravilhosa me guardando durante as viagens,entre Una e Itabuna. A minha família que esteve do meu lado em todos os momentos, especialmente àsminhas mães Maria e Mirian. A minha irmã Priscilla que esteve comigo em todos os momentos que precisei. A meus irmãos em Cristo em especial da Primeira Igreja Batista em Una, por orarempor mim sempre, me dando forças nas horas mais difíceis e se alegrando nos momentos defelicidade. Ao meu querido Pastor Edvaldo Santiago pelo incentivo ao estudo. A comunidade unense por ser tão ajudadora. Aos meus amigos por serem tão leais, em especial a minha amiga Grasy, que me deu amão no momento em que eu mais precisava. A minha amiga e irmã em cristo Tamara Ramos por ser a minha inspiração nessetrabalho de conclusão de curso, por sua dedicação a música, e pelos eventos maravilhosos queorganizou. A minha orientadora Eliane Marinho pele dedicação e atenção. Aos professores que passaram na minha vida acadêmica pelos ensinamentos. As minhas famílias que me acolheram com carinho : A família de Tia Vera(Coaraci), de Dayanna (Ilhéus), Solineide (Santa Luzia), Idália(Ihéus) Roma(Ilhéus), Neyla (Cananavieiras),Virgínia(Coaraci), Zélia(Coaraci). A Tamar Ramos por ser um exemplo de pessoa perseverante. Aos meus colegas que foram escolhidos por Deus em especial a minha colega Lilianpor ser minha parceira incondicional nos estudos durante esses quatro anos. A galera do busu, que com graça e alegria fizeram a jornada ser menos cansativa. Aos funcionários da FTC em especial ao pessoal de apoio e a turma da biblioteca pelapresteza. Aos amigos que me ajudaram a aplicar os questionários: Marvelee, Fábio, Weikman,Emanuel, entre outros e a todos que responderam com carinho. A coordenadora do curso de Administração Maria Alice Dória pelo apoio e incentivo. A todos que contribuíram direta e indiretamente nessa caminhada.
  7. 7. LISTA DE FIGURASFigura 1 Localização da microrregião Ilhéus-Itabuna.............................................. 29Figura 2 Aumento de evangélicos no país, de 194 0 a 2000.................................... 36Figura 3 Álbum Gospel de Elvis Presley e Aline Barros recebendo o Grammy Latino.......................................................................................................... 40Figura 4 Marcha pra Jesus em São Paulo................................................................. 41Figura 5 Pub Gospel em São Paulo.......................................................................... 42Figura 6 Brother Simion Shopping & Café.............................................................. 42Figura 7 Gospel Nigth............................................................................................... 43Figura 8 Expocristã................................................................................................... 44Figura 9 Jesus vida verão- Espírito Santo................................................................. 45Figura 10 Canta Rio – RJ............................................................................................ 46Figura 11 Organizadores do Canta Rio....................................................................... 46Figura 12 Congresso de Louvor e Adoração Diante do Trono em Belo Horizonte.................................................................................................... 47Figura 13 Religião professada pelos participantes de eventos .................................. 48Figura 14 Sexo dos entrevistados............................................................................... 48Figura 15 Faixa etária dos entrevistados .................................................................... 48Figura 16 Nível de escolaridade dos entrevistados..................................................... 49Figura 17 Renda dos entrevistados ............................................................................ 49Figura 18 Valor gasto em eventos pelos entrevistados .............................................. 50Figura 19 Quantidade de participação de eventos por ano pelos entrevistados.......... 50Figura 20 Disposição para participar de eventos em outras cidades.......................... 51Figura 21 Participação de eventos apenas com cantores nacionais............................ 52Figura 22 Percentual de entrevistados que concordam com inovações como: festa de camisa, boate gospel.............................................................................. 53Figura 23 Abertura de espaço para categoria gospel em eventos seculares............... 54
  8. 8. LISTA DE TABELASTabela 1 Distribuição percentual da população residente, por religião no Brasil 1991/2000......................................................................................................... 19Tabela 2 População total da microrregião Ilhéus-Itabuna de jovens por gênero das cidades pertencentes à amostra estudada ....................................................... 31Tabela 3 Receita operacional líquida – Atividades recreativas e culturais..................... 33Tabela 4 Total de custos- Atividades recreativas e culturais.......................................... 34Tabela 5 Retiradas pró-labore dos proprietários e sócios- Atividades recreativas e culturais............................................................................................................ 34Tabela 6 Sexo e faixa etária por religião......................................................................... 37Tabela 7 Grau de instrução por religião ......................................................................... 38Tabela 8 Extratos socioeconômicos segundo a religião.................................................. 39Tabela 9 Cantores Nacionais e Regionais mais citados pelos entrevistados.................. 51
  9. 9. SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO................................................................................................... 131.1 Problema................................................................................................................ 151.2 Justificativa............................................................................................................ 151.3 Objetivos ............................................................................................................... 151.3.1 Objetivo Geral....................................................................................................... 151.3.2 Objetivos Específicos............................................................................................ 152 REFERENCIAL TEÓRICO............................................................................... 162.1 O Mercado de Entretenimento Gospel: Conceitos e Evolução............................. 162.1.1 Entretenimento...................................................................................................... 162.1.2 Religião.................................................................................................................. 172.2 Mercado Gospel..................................................................................................... 202.2.1 Conceito e Evolução.............................................................................................. 202.2.2 Segmento de mercado............................................................................................ 222.2.3 Produtos e Serviços............................................................................................... 232.2.4 Música Gospel....................................................................................................... 242.2.5 Turismo Religioso................................................................................................. 242.2.6 Eventos.................................................................................................................. 263 METODOLOGIA................................................................................................ 283.1 Área de Estudo....................................................................................................... 283.2 Método de Pesquisa............................................................................................... 293.3 Técnica de Pesquisa............................................................................................... 303.4 População e Amostra............................................................................................. 303.4.1 População: caracterização...................................................................................... 303.4.2 Amostra: caracterização........................................................................................ 313.3 Tratamento dos dados............................................................................................ 324 RESULTADOS E DISCUSSÃO........................................................................ 334.1 Mercado Nacional: Contextualização.................................................................... 334.1.1 Análise Quantitativa: tamanho do mercado........................................................... 354.1.1.1 Análise da linha de produtos e preços praticados.................................................. 354.2 Aspectos Qualitativos: Perfil dos consumidores................................................... 364.2.1 Religião.................................................................................................................. 36
  10. 10. 4.2.2 Sexo e Faixa Etária................................................................................................ 374.2.3 Grau de Instrução................................................................................................... 384.2.4 Extratos socioeconômicos..................................................................................... 384.3 Despesas com Entretenimento e Cultura............................................................... 394.4 Contexto................................................................................................................. 405 MICRORREGIÃO ILHEUS-ITABUNA.......................................................... 475.1 Perfil dos consumidores - Pesquisa na microrregião Ilhéus-Itabuna..................... 475.2 Perfil das empresas e igrejas atuantes na região.................................................... 546 CONSIDERAÇÕES FINAIS E SUGESTÕES................................................. 56 REFERÊNCIAS................................................................................................... 58 APÊNDICES........................................................................................................ 62 APÊNDICE A- Questionários aplicados na pesquisa aos consumidores.............. 63 APÊNDICE B-Questionário aplicado nas empresas e igrejas organizadores de eventos................................................................................................................... 65 APÊNDICE C- Lista de representações das igrejas na microrregião Ilhéus- Itabuna................................................................................................................... 67 ANEXOS............................................................................................................... 69 ANEXO A- Eventos realizados em Itabuna.......................................................... 70 ANEXO B- Eventos realizados em Ilhéus............................................................ 77 ANEXO C- Eventos realizados em Una................................................................ 80 ANEXO D- Eventos realizados em Coaraci.......................................................... 83 ANEXO E- Cantores, banda e grupos regionais................................................... 85 ANEXO F- Cantores nacionais na região.............................................................. 86 ANEXO G- Corais e grupos vocais regionais....................................................... 88 ANEXO H- Grupos de Coreografia e Teatro regionais........................................ 89 ANEXO I- Opções de Lazer.................................................................................. 90 ANEXO J- Acampamento da Igreja Batista Teosópolis....................................... 91 ANEXO K- Cantores internacionais na região...................................................... 92
  11. 11. O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO,CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NA MICRO REGIÃO ILHEUS-ITABUNA Autora: KARLLA MIRANDA DA COSTA Orientadora: Profª ELIANE MARINHO COSTARESUMO Com o objetivo de avaliar o mercado de entretenimento gospel sua evolução,características e as perspectivas para micro região ilheus-itabuna, foram pesquisados osprincipais articulares do entretenimento gospel regional, em especial os eventos, baseadosnuma comparação com o mercado nacional que tem tido muitas mudanças influenciadas pelamelhoria das comunicações e dos transportes, permitindo uma interação maior do públicoalvo: os evangélicos e que por conta de seu rápido crescimento tem feito com que o mercadoprocure satisfazer essa parcela da população por meio de serviços e produtos especializados, ogospel deixou de ser apenas um estilo musical e passou a ser um estilo de vida. Olevantamento dos dados primários deu-se através da aplicação de questionários com osparticipantes dos eventos, bem como com os realizadores nas cidades de: Ilhéus, Itabuna, Unae Coaraci, como representatividade da região pesquisada. Utilizou-se como fonte secundária apesquisa em livros e revistas especializados, bem com pesquisas na internet que se mostrou segrande utilidade, visto que há poucos livros sobre o tema em questão. Os resultados apontamque tem crescido o número de eventos e de empresas realizadores do mesmo e que as igrejastem sido responsável pelos eventos realizados de maior qualidade e maior parte do públicosão jovens, na sua maioria mulheres, tem 2º grau completo, um renda salarial de até doissalários mínimos, estão dispostos a gastar até R$ 50,00; tem um tempo médio de participaçãode eventos de 10 anos, com uma média de até 4 eventos anuais, saem de suas cidades deorigem em busca de eventos, valorizam a mensagem, a organização, a seriedade osorganizadores, a pontualidade, a boa música, a mistura de estilos, segurança e a atração sejaela nacional ou regional; Apontam o atraso, a falta de estrutura, e falta de variedade daalimentação vendida nos eventos, bem como a decoração como as falhas mais freqüentesnesse eventos.A forma utilizada para divulgação dos mesmos são: a comunicação nas igrejas,cartazes, TV, rádio e com menor incidência a internet; no quesito inovação a maior parteconcorda com a organização de festas gospel de camisa, boates gospel e vêem de formapositiva a abertura de eventos seculares para atrações gospel, e o cd se mostrou um dosprodutos mais consumidos por esse público. Já as empresas e igrejas realizadores de eventoscobram em média de 10 a 30 reais, e alguns eventos são gratuitos e de cunho social, tem umamédia de participação de 3000 a 7000 pessoas, as modalidades de eventos praticados naregião são os shows, festivais de músicas, congresso, feiras e retiros e também encontramdificuldades com relação a infra-estrutura para realização do eventos, visto que a regiãopesquisada possui poucas opções, e que os eventos devem ser realizados de forma sazonalpara não cair na rotina com uma média de 2 em 2 meses e como sugestão a realização deeventos em lugares não tradicionais como Batuba Beach, Jardim Atlântico e também cursosde capacitação para organização de eventos gospel . Palavras-Chave: entretenimento; gospel; eventos.
  12. 12. O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: EVOLUÇÃO, CARACTERÍSTICAS E PERSPECTIVAS NO SUL DA BAHIA Autora: KARLLA MIRANDA DA COSTA Orientadora: Profª ELIANE COSTA PINTO MARINHO ABSTRACTWith the objective to assess the market for entertainment gospel its development,characteristics and prospects for micro-region Ilheus- Itabuna, were searched the main jointregional gospel of entertainment, especially the events, based on a comparison to the domesticmarket, which has had many changes influenced by better communications and transport,allowing a greater interaction of the target audience: the gospel and that because of its rapidgrowth has made the market look satisfy that portion of the population through specializedproducts and services, the gospel no longer just a musical style and has become a lifestyle.The survey of primary data has been through the application of questionnaires to theparticipants of the events, as well as the directors in the cities of: Ilhéus, Itabuna, Una andCoaraci, as representative of the region searched. It was used as a secondary source toresearch in books and specialized magazines as well as searches on the Internet that was veryuseful if, since there are few books on the subject in question. The results indicate that hasincreased the number of events and corporate directors of the same and that churches havebeen responsible for events held in increased quality and most of the audience are youngpeople, mostly women, have complete 2nd degree, an income wage up to two minimumwages, are willing to spend up to 50 reals has an average time to participate in events of 10years, with an average of up to 4 events per year, leaving their cities of origin in search ofevents, value the message, organization, the organizers seriously, punctuality, good music, amixture of styles, safety and attraction whether regional or national They highlight the delay,the lack of structure and lack of variety of food sold at events As well as the decoration as themost frequent failures in that way events. A used to disseminate them are: the communicationin churches, posters, TV, radio and the Internet with lower incidence, in the most innovativeaspect agrees with the organization of gospel-shirted festivals, nightclubs gospel in a positiveway and see the opening of attractions events secular to gospel, and the CD was one of theproducts most consumed by the public. Already businesses and churches directors of eventscharge an average of 10 to 30 reals, and some events are free and social nature, has an averageparticipation of people from 3000 to 7000, a detailed events in the region are charged theconcerts, festivals the music, congress, fairs and retreats and are also difficulties with regardto infrastructure for completion of events, since the region has few options investigated, andthat the events should be made in order not to fall into the seasonal routine with an average , 2in 2 months and as a suggestion the holding of events in places as non-traditional BatubaBeach, Garden Atlantic and also training courses for organizing events gospel.Key -Words: entertainment; gospel ; event.
  13. 13. 1 INTRODUÇÃO1.1 Contextualização A partir das últimas décadas (anos 70/ 80), o cenário religioso brasileiro vem semodificando rapidamente pelo grande crescimento do número de evangélicos, no qual sedestaca o surgimento das Igrejas neopentecostais. Essas Igrejas trouxeram inovações nasformas de culto, de comunicação, e de comportamento dos fiéis, apresentando uma formanova de se relacionar com Deus e na reinterpretação e relativização de doutrinas e costumesnas quais permeia o segmento gospel, estabelecendo um novo padrão. Se originalmente, o termo Gospel foi associado à música religiosa, atualmente tem umsignificado mais amplo, como movimento, estilo de vida. O mercado de produtos gospel temse desenvolvido não só nas grandes cidades, mas também em pequenas comunidades graças amelhoria da comunicação e dos transportes e a organização de igrejas em associações, quemesmo estando em lugares distantes, seguem as mesmas regras. Dolghie ( 2004) aponta a Igreja Renascer em Cristo “ reconhecida pelo estilo novo edespojado de seus pastores e pastoras, pelo culto vibrante e de caráter festivo,pelasprogramações para jovens e, acima de tudo pela música gospel”, como a responsável peladivulgação do chamado “ movimento gospel” tendo estimulado a produção fonográfica eespetáculos de promoção de produtos e ou serviços que abrangem uma grande diversidade:livros, CD’s, cartões de crédito entre tantos outros. A dimensão que vem tomando esse movimento denominado por Cunha ( 2007) de“cultura gospel” tem despertado o interesse de estudiosos não só das áreas da Sociologia,Ciências da Religião e da Comunicação. Economistas e administradores também têmdesenvolvidos trabalhos para avaliar esse mercado e as estratégias de marketing adotadas,pelos atores envolvidos nesse mercado, para a divulgação de seus produtos. Os dados do IBGE, em pesquisa realizada no censo 2000, informam que o paístem uma população de 26 milhões de evangélicos, com grande poder de consumo e queprecisa de alternativas de lazer e entretenimento. ”. Segundo a Sony DADC ( acessado em09/10/20080), em 2005, somente o segmento fonográfico, foi responsável pela venda de maisde 52 milhões de unidades de CDs e DVDs, gerando um faturamento superior a R$ 40
  14. 14. milhões com projeção de aumentar para R$50 milhões até 2020. Quando considerada toda aindústria de produtos e serviços, o segmento é responsável por um movimento em torno de R$1 bilhão. Ainda segundo a Sony ( ibdem), os números desse mercado são invejáveis: mais de200 mil pontos de pregação no país, com a abertura de 10 mil novas igrejas a cada ano; cercade 300 mil pastores e líderes e aproximadamente 500 escolas de ensino teológico. Nesse trabalho, buscou-se descrever o mercado gospel na microrregião de Ilhéus-Itabuna a partir da identificação dos elementos que o caracterizam: a música, o consumo e oentretenimento, tornando-o uma expressão cultural, mas que terá como foco apenas, oseventos. A pesquisa de campo foi desenvolvida em 10%, ou seja 4 dos 41 municípios daMicrorregião de Ilhéus-Itabuna da Bahia, que possui uma população estimada em 478.789habitantes( IBGE 2007). Dessa população, há uma estimativa de que 40% a 50% desse totalsejam de evangélicos segundo dados não oficiais, mas que só serão completados após o censode 2010. Nessa área, o mercado gospel tem apresentado expressivo crescimento emconsonância com os dados nacionais abrindo espaço para a criação de inúmeros negóciosassociados a esse nicho de mercado. Por se tratar de um mercado recente, ainda é pequena abibliografia encontrada sobre o tema, tornando-se válido o desenvolvimento do presentetrabalho, cujo objetivo é discutir as perspectivas do mercado de entretenimento gospel naregião Sul da Bahia e as estratégias (adotadas) de segmentação de mercado para o públicogospel. Para atingir esse objetivo fez-se um breve histórico da evolução do entretenimentogospel; identificou-se seus principais produtos e serviços; procedeu-se um levantamento dosprincipais empreendimentos gospel na Micro Região de Ilhéus-Itabuna e uma avaliação dotamanho desse mercado na região, discutindo as técnicas que têm sido utilizadas nosempreendimentos gospel da região, tendo como referência, os nacionais. O tema encontra-se desenvolvido em: Introdução; Referencial Teórico; Metodologia;Resultados e discussão e Considerações finais. A introdução traz de forma breve, umaapresentação ao leitor, do tema a ser tratado, destacando a importância do mesmo e osobjetivos que levaram ao desenvolvimento dessa pesquisa. O referencial Teórico traz umarevisão de literatura para buscar nos autores pesquisados, o apoio necessário à discussão dosdados encontrados na pesquisa de campo. Na Metodologia informa-se o caminho feito pelapesquisadora para o desenvolvimento do tema, e nos Resultados e Discussão estãoapresentados e comentados os dados coletados, seguidos de algumas considerações finais esugestões. Espera-se que esse trabalho contribua com informações úteis àqueles que se
  15. 15. interessem pelo tema, muito embora a limitação do tempo não tenha permitido odesenvolvimento de uma pesquisa mais abrangente.1.2 Problema Atualmente, segundo dados do IBGE em pesquisa realizada no censo 2000, o país temuma população de 26 milhões de evangélicos, são pessoas que tem um grande poder deconsumo e precisam de alternativas de lazer e entretenimento. Diante desta realidade,pergunta-se: o mercado da Região Sul da Bahia está preparado para atender esse público?1.3 Justificativa A análise da quantidade de evangélicos no país permite a criação de opções deentretenimento para esse público tão crescente, com o intuito de satisfazer suas necessidades epromover oportunidades de novos negócios nesse ramo. Hoje, o capitalismo enxerga aimportância desse nicho de mercado, com comportamentos e hábitos de consumo próprios. Osevangélicos se tornaram um mercado considerável, incentivando o aparecimento de novosnegócios e produtos. As ofertas vão de cerveja sem álcool a cartões de crédito, passando porinstrumentos musicais, livros e CDs de música gospel, a entrada dos protestantes no mercadode consumo também se tornou uma oportunidade de mercado. Essas informações darãosubsídios para conhecer os fatores determinantes para o surgimento de novos negócios.Portanto, através desta pesquisa, almeja-se demonstrar a promoção e execução de produtos eserviços específicos para esse público-alvo e mostrar que o turismo religioso deve serampliado para esse nicho de mercado, e promover a discussão de um tema pouco explorado.1. 4 OBJETIVOS1. 4.1 Objetivo Geral Discutir as perspectivas do mercado de entretenimento gospel na região sul da Bahia eas estratégias de segmentação de mercado para o público gospel.1 4.2 Objetivos Específicos I. Apresentar um breve histórico da evolução do entretenimento gospel; II. Identificar os principais produtos e serviços do mercado gospel; III. Fazer um levantamento dos principais empreendimentos gospel no Sul da Bahia.
  16. 16. IV. Avaliar o tamanho do mercado para o entretenimento gospel.V- discutir as técnicas que têm sido utilizadas nos empreendimentos gospel da região.
  17. 17. 2 REFERENCIAL TEÓRICO O MERCADO DE ENTRETENIMENTO GOSPEL: CONCEITOS E EVOLUÇÃO2.1 Entretenimento Sempre houve, ao longo da história, atividades divertidas e programadas comobrincadeiras de rua, jogos, festas, circos, teatros, shows, feiras, campeonatos, romarias,procissões, quermesses. Mas, de acordo com Trigo (2003) o entretenimento é relativamentenovo no mundo, quando considerado como uma atividade pagã. Por essa razão, trata-se deuma área de estudo relativamente nova. Nas últimas décadas, tem sido pesquisada em seusaspectos históricos, sociais e mercadológicos, permitindo, atualmente, desenvolver análisessobre seus peculiares métodos de gestão. Segundo Trigo (2003) a etimologia da palavra entretenimento, de origem latina, vemde inter (entre) e tenere (ter). Em inglês, a evolução da palavra entertainement significa“aquilo que diverte com distração e recreação” e “um espetáculo público ou mostra destinadaa interessar e divertir “. O que se deve ressaltar é a importância social, cultural e econômicado entretenimento na vida das pessoas. Muitos exemplos demonstram como permeia nossasociedade, e constitui-se uma forma econômica, uma referência cultural e um estilo em váriossegmentos sociais. No aspecto social, o entretenimento popular teve suas raízes no espetáculo onde aguerra, a religião, os esportes e outros aspectos da vida pública, foram campos férteis para suapropagação. A diversão perpassa todas as esferas humanas. Faz parte tanto da cultura popularcomo da elite, pois o objetivo do entretenimento é chamar atenção para algo ( WOLF, 1999). O crescimento do segmento entretenimento acelerou-se ao longo dos séculos XIX eXX, fruto da estruturação do capitalismo em sua fase pós-industrial. A tecnologia tambémpode ser considerada de fundamental importância para o grande desenvolvimento desse setor,pois o cinema, o rádio, a televisão (hoje com DVDs, cabos e videogames), e finalmente oscomputadores, revolucionaram esse segmento ao popularizar o uso das inovaçõestecnológicas destinadas à massa. Ainda segundo Trigo (2003), o desenvolvimento aceleradoda tecnologia permitiu novas possibilidades de entretenimento pelas variadas expressõesculturais, artísticas havendo cada vez mais a junção desses campos com a educação, esportes,
  18. 18. comunicações e publicidade. Wolf (1999) ratifica essa visão ao afirmar que ele está noencontro dos negócios com a comunicação. As transformações sociais ocorridas na década de 50 também foram responsáveis pelodesenvolvimento da área do entretenimento com a valorização de culturas alternativas queforam enriquecidas pela movimentação de grupos significativos, propiciando o surgimento denovas idéias que foram convertidas em mercadorias e serviços cada vez mais segmentados. De acordo com Wolf(1999) a mídia tem papel importante no crescimento do mercadodo entretenimento,e um dos princípios organizadores da economia, política, sociedade e vidacotidiana. Dentre os mais variados tipos de entretenimento, destaca-se o mercado de eventos,com shows e espetáculos que são fenômenos culturais de massa. Desde a teorização de Bord sobre a sociedade do espetáculo nos anos 60/70 a culturado espetáculo têm-se expandido em cada aspecto da vida social. Na cultura do espetáculo,empresas têm que ser entertainers para prosperar, pois na economia do entretenimento,negócios e diversão se fundem. É o setor econômico que mais cresce, na imensa economia deconsumo (WOLF, 1999). Ao final do século XX, na pós-modernidade, de acordo com Cunha (2007), tudo secongregou na mesma amálgama virtual e nos mesmos espaços reais subsegmentados. O duoconsumo-entretenimento constitui-se um aspecto conformador da cultura do mercado,hegemônica nestes primórdios do século XXI. Ao lado da mídia, e dos espaços de consumode bens na contemporaneidade, o entretenimento tem ocupado lugar significativo na vida daspessoas, num esforço para sobreviver em um sistema cuja lógica é excludente, o que provocadesgastes físicos e emocionais nas pessoas que buscam em seu tempo livre uma compensação,um alívio. Os centros urbanos concentram boa parte da indústria de entretenimento no Brasil,uma tendência que se explica pela proximidade com a população dessas localidades.( ANSARAH, 1999, op.97) 2.2 Religião A palavra religião vem do latim : religio, formada pelo prefixo re ( outra vez, de novo)e o verbo ligare ( ligar, unir, vincular). A religião é um vínculo, é a ligação do homem com odivino. Essa ligação aparece na religião judaica, quando Jeová indica ao povo o lugar ondedeve habitar- a Terra Prometida - e o espaço onde o templo deveria ser edificado, para nele
  19. 19. ser colocada a Arca da Aliança, símbolo do vínculo que une o povo e seu Deus, recordando aprimeira ligação: o arco-íris, anunciado por Deus a Noé como prova de seu laço com ele e suadescendência. Também no cristianismo a religio é explicitada por gesto de união e um dossímbolos se dá no Novo Testamento, quando Jesus dá a Pedro a missão de edificar sua Igrejae as “ Chaves do Reino”, onde o que fosse ligado na terra seria também ligado no céu e o quefosse desligado na terra assim também seria no céu ( CHAUÍ, 1995). Ainda segundo Chauí (1995), através da sacralização e consagração, a religião cria aidéia de espaço sagrado. Os céus, o monte Olímpo (na Grécia), as montanhas do deserto (emIsrael), templos e igrejas são santuários ou morada dos deuses. A religião organiza o espaço elhe dá qualidades culturais, diversas das simples qualidades naturais. A religião liga oshumanos com a divindade, porque organiza espaço e tempo. Os seres humanos precisamgarantir que a ligação e a organização se mantenham e sejam sempre propícias. Para isso, sãocriados os ritos que são realizados por meio de cerimônias em que gestos, pessoas, objetos eemoções determinadas adquirem o poder misterioso de presentificar o laço entre os humanose a divindade. O Brasil é considerado como o segundo país mais religioso do mundo, perdendoapenas para a Guatemala. Possui uma enorme diversidade religiosa e essa diversidade podeser vista como uma grande oportunidade de negócio, uma vez que, ela permite maiormobilidade e liberdade para as ações empresariais, sendo, portanto uma oportunidade degrande importância (ver Tabela 02). Esta diversidade tem grandes probabilidades depermanecer ou mesmo aumentar, devido o surgimento de novas igrejas ou movimentosreligiosos. Em sua composição religiosa destacam-se: a Católica Apostólica Romana, CatólicaOrtodoxa, Batista, Luterana, Presbiteriana, Metodista, Assembléia de Deus, CongregaçãoCristã do Brasil, Universal do Reino de Deus, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Deusé Amor, Igreja Adventista do Sétimo Dia, Testemunhas de Jeová, Mórmons, Espiritismo,Umbanda, Budismo, Candomblé, Messiânica, Judaísmo, Tradições esotéricas, Islamismo,Crenças Indígenas, Orientais, entre outras religiões. O censo demográfico do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)realizado no ano de 2000 (ver Tabela 01) indicou que a composição religiosa no Brasil estádisposta da seguinte forma:
  20. 20. TABELA 01 - Distribuição percentual da população residente, por religião – Brasil –1991/2000 Religiões 1991 (%) 2000 (%) Católica Apostólica Romana 83,0 73,6 Evangélicas 9,0 15,4 Espíritas 1,1 1,3 Umbanda e Candomblé 0,4 0,3 Outras religiosidades 1,4 1,8 Sem religião 4,7 7,4 Fonte: IBGE, Censos Demográficos 1991/2000. Dos 1,8% que se declaram seguidores de outras religiões, 1,1 milhão são testemunhasde Jeová, 200 mil fazem parte da Igreja dos Santos dos Últimos Dias ou mórmons, 215 milsão budistas, 109 mil messiânicos. Os judeus são em número de 87 mil, os esotéricos, 58 mile os muçulmanos, 27 mil. A Tabela 01 mostra a mudança na composição religiosa brasileira entre os anos de1991 e 2000, na qual se percebe um aumento pequeno daqueles indivíduos que se consideramsem religião (4,7 % em 1991; 7,4% em 2000), o que diminuiu o percentual da populaçãoadepta a algum tipo de religião em 2,5% (94,9% em 1991; 92,4% em 2000) e o crescimentoexpressivo de adeptos das Igrejas evangélicas. As preocupações espirituais e religiosas têm crescido. Esse aumento deve-se em parteao crescente ritmo do dia-a-dia, estresse e ansiedade das pessoas, ocasionando umadesesperada busca por segurança, paz de espírito e convivência mais harmoniosa com outraspessoas, muitas vezes encontradas na prática de uma religião. Brito e Caetano (2008) no artigo “Brasil do futuro: 50% evangélico”, afirmam queexistem no país cerca de 150 mil igrejas evangélicas de todos os tipos e denominações. Hátrês divisões entre as instituições protestantes: Tradicionais, Pentecostais e Neopentecostais.As tradicionais compreendem principalmente as igrejas históricas que tiveram origem noinício da Reforma Protestante como: Igreja Luterana, Igreja Presbiteriana, Igreja Batista e aIgreja Metodista. As pentecostais, tiveram origem numa época de reavivamento doprotestantismo nos Estados Unidos, cujas principais representantes no Brasil são: Assembléiade Deus, que comporta o maior número de fiéis no país, Evangelho Quadrangular, Deus éAmor e a Congregação Cristã no Brasil.
  21. 21. Por fim, as neopentecostais são igrejas oriundas do pentecostalismo original ou mesmodas igrejas tradicionais. As principais representantes são: Igreja Universal do Reino de Deus,a Igreja Internacional da Graça de Deus, a Igreja Renascer em Cristo e a Igreja Sara NossaTerra.2.3 Mercado Gospel2.3.1 Conceito e Evolução De acordo com Cunha (2007) o termo Gospel foi originado nos Estados Unidos. É ajunção de duas palavras: “God” (Deus) “Spell” (palavra) significando palavra de Deus ouevangelho. É comumente utilizado para classificar a música religiosa moderna ou a músicacontemporânea da Igreja nascida no século XX em comunidades protestantes negras comritmos como blues, no ragtime e nas músicas religiosas populares do movimento urbano dorevival (“reavivamento”) do século XIX. O que se define como gospel não é o gêneromusical e sim a mensagem de justiça social, cristo, paz e harmonia entre os homens. Na metade dos anos 30 do século XX, segundo Ferris e Wilson (1989),o apelo damúsica gospel no interior da cultura negra era bastante evidente, e foi rapidamente abraçadopelas gravadoras comerciais que desejavam capitalizar esta popularidade. As estações derádio e suas maiores redes incluíram a música na sua transmissão ao vivo. Estas tentativas demarketing de massa rapidamente levaram a um senso de profissionalismo entre os cantores. Ainda segundo esses autores, há significativas mudanças na música negra desde osanos 50, em especial, com a sofisticação em relação ao marketing e estilos musicais. Tais mudanças são partes, de um processo de transformação na música e na culturapopular onde historicamente, os ritmos consagrados no repertório musical evangélico sãoaqueles mais tradicionais e bem aceitos entre os adeptos: as baladas românticas, o rock, o pope o sertanejo, este mais desenvolvido entre os pentecostais. O movimento gospel assimilou atendência e colocou-as na lista de músicas mais tocadas e mais vendidas ( CUNHA, 2007). No entanto, o movimento abriu espaço para outros ritmos até então rejeitados pelosevangélicos - também populares- mais associados pelos religiosos a músicos marginalizados,como o rap, o funk, o hip-hop, o forró, o reggae; e ao carnaval e à malandragem, como osamba, o pagode o axé-music. As igrejas, nos anos 90, assistiram ao surgimento de umnúmero extenso de grupos musicais de todos esses ritmos que não encontravam espaço no
  22. 22. cenário musical evangélico para apreciação e muito menos para uso litúrgico, e essasmudanças ocorreram para conquistar o mercado jovem. No Brasil não é visto apenas como estilo musical, mas também como estilo de vida ou“ jeito de ser” . Atualmente, o mercado musical tem apresentado grande qualidade, fazendosurgir produtos e serviços específicos para o público gospel. No que diz respeito ao uso dessesgêneros na liturgia, ainda há dificuldades, mas muitas igrejas estão criando os própriosgrupos, que encontram mais facilidade para liderar e promover eventos e programaçõesalternativas nas diferentes comunidades religiosas. O crescimento gospel tornou possível o surgimento de uma diversidade de categoriase gêneros tornando repletas as estantes de ofertas de CDs nas lojas e grande variedade nossites da Internet. O site da loja o “ Submarino”, por exemplo, apresenta 15 diferentes gênerosnas categorias Gospel Nacional: Louvor e Adoração, Black Music, Pop, Rock, Dance,Rap/Funk, Hinos, Infantil, Instrumental, Pagode, Pentecostal, Popular, Reggae, Sertajo eVocal. De acordo com Kakuta e Ribeiro (2007) o segmento gospel, que se refere em essênciaaos evangélicos, tem tido um amplo crescimento e, cada vez observa-se a necessidade deoferecer produtos e serviços que alcancem as expectativas e desejos deste segmento tãopromissor. Para Negrão ( 2000, apud, DOLGHIE, 2004, p.204) a “ mercantilização do sagrado”não é algo novo posto que antecedeu “ a própria concepção e organização do mercadocapitalista moderno”. Assim, o mercado gospel e o marketing religioso atual, nada mais sãodo que uma nova forma desse antigo processo de mercantilização que ressurgiu quando aIgreja Renascer percebeu uma insatisfação dos seus fiéis e no campo protestante com osaspectos rituais e musicais em seus cultos. Contudo, a oferta de produtos religiosos não criapor si só o consumo religioso. [... ]nem a procura religiosa, nem a produção religiosa - nenhuma delas por si só - pode provocar o consumo religioso; este é resultado, única e exclusivamente,da convergência de uma procura religiosa insatisfeita com a oferta do produto adequado a esta procura. Sempre que, e somente se, ocorrerem essas duas condições, ocorrerá consumo religioso ( MADURO,1983, p.137-138 apud DOLGHIE, 2004 p.205) Segundo Cunha (2007), na lógica da cultura de mercado, consumir bens e serviços éser cidadão; na lógica da cultura gospel, consumir bens e serviços religiosos é ser cidadão noReino de Deus. Nesse caso, o consumo não é apenas uma ação que responde a lógica demercado. Mas, constitui-se elemento popular de valores e sentidos religiosos. Assim, o
  23. 23. consumidor cristão brasileiro é fiel (quando gosta de um produto ou serviço, torna-seconsumidor dele e permanece como tal), e conservador ( não gasta o seu dinheiro comprodutos ou serviços que não lhe tragam benefícios- ele poupa mais do que gasta- mas, aocomprar, tem o dinheiro voltado para família), mas busca inserção na modernidade. “Cristão”é hoje uma logomarca. Esta logomarca leva o consumidor cristão a sentir o desejo deconsumir o produto ou serviço. “ O fato de os cristãos terem se tornado um segmento de mercado já pode seridentificado na programação da mídia religiosa eletrônica, o que muda a relação dosprodutores religiosos com os meios” (CUNHA, 2007 p. 144). 2.3.2 Segmentação do mercado Para E. Kuazaqui (2000) a segmentação nada mais é do que uma técnica estratégicaque permite ao gestor aplicar melhor e mais eficientemente os recursos, bem como estruturare organizar a atividade para atender melhor ao mercado. Segundo esse autor, a condiçãobásica para que a segmentação seja empreendida eficazmente é que ela atenda a determinadosrequisitos em relação aos grupos resultantes do processo de segmentação. Os requisitos são:  Acessibilidade: o grupo resultante do processo deve ser acessível à empresa por meio da gestão do marketing mix;  Operacionalidade: a empresa responsável pela divisão do mercado em grupo deve apresentar condições, infra-estrutura e capacidade operacional de atender ao segmento-alvo;  Substancialidade: isso quer dizer que o grupo resultante deve gerar retorno à empresa, ou seja, com base na segmentação, o grupo de mercado a ser trabalhado deve propiciar condições de gerar lucros e valor para a empresa;  Mensurabilidade: os segmentos devem ser indentificáveis- significa saber exatamente quem são os participantes do grupo – e também quantificáveis – o que implica conhecer o número de participantes e potencial de mercado; Segundo Cobra (2008) o modelo tradicional de marketing considera que o mercado éo início e o fim das ações de marketing, e que a seqüência lógica de atividades deve ser:análise de dados de mercado, definição do marketing mix e obtenção de respostas domercado. No mercado cultural e de entretenimento, o processo se inicia no produto em si. Em
  24. 24. seguida, a empresa procura identificar que segmento de mercado teria interesse pelo produto.Uma vez identificado o público-alvo, a empresa decide sobre os outros três elementos domarketing mix , a saber: o preço, distribuição e promoção. De acordo com Kotler (1994) segmentar o mercado é identificar clientes comcomportamentos homogêneos quanto a seus gastos e preferências. Qualquer mercado pode serfragmentado em segmentos, nichos e em indivíduos. Segmento de mercado, corresponde agrupos distintos identificáveis dentro de um mercado; nichos são grupos menores que podemestar à procura de uma combinação especial de benefícios. A segmentação de mercado é a identificação de mercados que possibilitam diferentes estratégias de marketing. É o esforço de dividir mercados em grupos diretos de compradores que podem requer produtos ou compostos de marketing separados. A segmentação de mercado é o processo de classificar clientes em grupos com necessidades, características e comportamentos diferentes ( MOREIRA, 1999 p. 328). O tamanho do mercado gospel no Brasil exibe números expressivos mostrando suaforça e justificando a realização de uma exposição anual de produtos religiosos a Expo-Cristã– Feira internacional do Consumidor cristão que em 2007 movimentou cerca de R$10 milhõesem negócios ( BICHARA, 2008) 2.3 3 Produtos e Serviços “ Produtos são insumos transformados, que voltam ao ambiente externo sob a formade bens e serviços.” e “serviço é todo e qualquer ato ou desempenho essencialmenteintangível que uma parte pode oferecer a outra que não resulte na posse de algo (MOREIRA,1999, p. 294 ). A essência do mercado é satisfazer a demanda com a distribuição de produtose serviços. ( MOREIRA 1999, apud BRITTO; FONTES2002, p.17). Dentre os produtos oferecidos ao público gospel estão os CDs, livros e revistasespecializadas, Bíblias, Dvs, camisetas personalizadas, grifes de roupas, cartões de crédito,celulares entre tantos outros. Em termos de faturamento destacam-se o segmento de músicagospel ( R$ 600 milhões em 2007 , BECHARA, 2008) e o mercado editorial (aproximadamente R$ 240 milhões em 2007, BECHARA, 2008). O turismo religioso tambémvem despontando como um segmento promissor, pois em pesquisa feita pelo Ministério doTurismo em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, em 2006 foi
  25. 25. identificado que 3,2% do total de turistas que se deslocaram no país, tinham motivaçõesreligiosas. a- Música Gospel A música gospel tem sua origem na produção de cânticos religiosos protestantes apartir da década de 80 de forma paralela aos cânticos presentes nos cultos do protestantismotradicional. A música gospel, segundo (DOLGHIE, 2004, p. 203), diferencia-se pelorompimento “com o antigo cântico, quando passa a incorporar uma gama quase contraditóriade valores: valores seculares, litúrgicos e de mercado. [...] As bandas são as mais variadas e seconfundem com a apresentação de bandas musicais seculares” Segundo a mesma autora,nesse sentido o termo gospel é “[...] usado como uma música, não importa o seu estilo, quefala de Deus ou, pelo menos, das coisas de Deus”. Por meio dela, o jovem cristão sentiu-semais integrado com o mundo secular satisfazendo sua necessidade de pertencer a algum tipode grupo social (proporcionado pela música gospel). O entretenimento gospel e secular já não se diferenciam tanto e o jovem cristão tem aoseu dispor um mercado musical que atende os mais variados gostos aliando a suareligiosidade com o gosto musical e a diversão. Com o crescimento desse mercado háatualmente “cerca de 700 nomes entre bandas e cantores solistas, empresários e uma vastagama de serviços como arranjadores, e suporte técnico para shows”( DOLGHIE, 2004). b- Turismo Religioso O Turismo Religioso não é, necessariamente, um turismo feito por religiosos,místicos, santos populares, devotos e sacerdotes/profissionais de qualquer credo ou confissãoreligiosa. O adjetivo “religioso” deve ser reconhecido em sua amplitude espiritual emetafísica, embora esteja perigosamente comprometida com a perspectiva cristã –responsável pela sistematização desse significante, no universo do Império Romano e daIgreja Católica. Portanto, a correta definição para esse tipo de turismo encontra-se numexercício aproximativo. Trata-se de um fazer turístico capaz de manifestar algum dado dereligiosidade. E é exatamente na religiosidade – no ato popular de professar o sistema decrenças chamado de Religião – que o Turismo Religioso pode ser comparado às peregrinaçõese romarias aos lugares sagrados, em momentos também sagrados. A religião é considerada um fenômeno espiritual que envolve o profundo relacionamento entre as criaturas e o criador e por isso criam relações além dos
  26. 26. cultos e templos e chegam ao turismo, tendo a propaganda e o marketing como influências primordiais nesse processo. (ANDRADE 1997, pg. 126 ) Percebe-se, nos últimos anos, o aumento sistemático do debate sobre questõesreligiosas. Debate este motivado por uma série de fatores convergentes para uma espécie de“renascimento do sagrado”. Tais fatores são em nível internacional: os conflitos no mundoislâmico (bem com o crescimento geométrico desta religião monoteísta), o esgotamento dosrecursos ambientais, as crises econômicas e sua associação global com a redução dosinvestimentos sociais, a derrocada do socialismo como alternativa política global, e ocrescimento do terrorismo, entre outros. No Brasil, especificamente, o reconhecimento prático de que a democracia, aurbanização e os meios de comunicação selaram, de uma vez por todas, a separação entrecidadania e catolicismo, permitiu contraditoriamente um aumento da tolerância e daconcorrência entre diferentes credos. Deu-se afinal, o nascimento de um mercado religiosopulsante, fortalecendo em distintos rituais e estratégias de manutenção/expansão. E, semdúvida, o Turismo Religioso representa mais uma dessas estratégias. (OLIVEIRA,2008) Ainda de acordo com Oliveira (2008 p. 2) vale lembrar alguns episódios atuaisrelevantes. Nunca se teve tantos religiosos beatificados e canonizados pelo Vaticano –Anchieta, Frei Galvão, Madre Paulina – e tantos santuários católicos (oficiais ou populares)sendo expostos nos meios eletrônicos de comunicação. Pelo movimento protestante, nunca foitão farta e ostensiva a presença de casas de culto das mais variadas denominaçõesevangélicas. Além da paisagem urbana, rádios, jornais, televisões, internet, multiplicam osvalores da vida religiosa, como fenômeno de massa. O espiritismo (kardecistas, umbandistasou orientais) ganha nova força sincrética, graças ao boom de misticismo da Nova Era e ointercâmbio cultural da virada do milênio. Virada esta, por si só, um período especial paramotivar exercícios de fé e busca ritual. Está aí o consumo global das festividades natalinas,transformadas em evento turístico-religioso internacional: o ecumênico reveillon. Para Oliveira ( 2008) as análises sociológicas das motivações turísticas fixavam-se,exclusivamente, nos aspectos da renda e do entretenimento, voltados ao lazer. No campo dareligiosidade, tem-se uma permanente reconstrução de práticas e valores. Por isso fazerTurismo Religioso é fazer visita e, portanto, comprometer outra viagem, outra estada, outropatamar de aproximação ao sagrado. A densidade desses aspectos que reúnem, num sóevento, raízes históricas das peregrinações religiosas, costumes rituais nos locais de destino(santuários e festas) e a gestão dos equipamentos e atrativos correlatos.
  27. 27. c- Eventos Melo Neto (2001) afirma, que os eventos compõem um cadeia de valor econômicoagregado que gera receitas para o turismo, no comércio e na indústria do entretenimento, alémdos investimentos em patrocínio, criação e produção de merchadising, gastos com obras ,serviços e geração de empregos. O processo criativo em eventos exige originalidade na sua idealização, concepção eexecução. Assim, todo evento deve ser criado para ser único, envolver seu público-alvo,sensibilizar patrocinadores e apoio, trazendo resultados positivos aos empreendedores.Percebe-se, portanto, que a organização de eventos não se limita ao conhecimento ou análiseprévia das etapas do procedimento, mas muito além disso, envolve conhecimento de novastecnologias, gostos, necessidades e modismo. Para Moreira( 1999), os eventos são ocorrências projetadas para comunicar mensagensao público-alvo, tais como conferências com a imprensa , grandes inaugurações e outros. O setor de eventos é um dos que mais tem crescido no Brasil nos últimos anos, com a estabilidade da moda, o desenvolvimento da indústria nacional, a abertura de mercado e a posição estratégica do Brasil no Mercosul, empresas, instituições, e associações de praticamente todos os setores reúnem-se para apresentar seus produtos, resultados de pesquisas e estudos em eventos personalizados (ANSARAH, 1999 p. 57). O evento está sendo utilizado, hoje, como um dos instrumentos mais viáveis e demaior sucesso em comunicação. A implantação das atuais e sofisticadas técnicas de promoçãoe comercialização garantem a divulgação e o implemento de novas tecnologias turísticas. Asofisticação vem permitindo a organização de programações de eventos que estão motivandoe orientando o consumo de determinadas localidades - bens e serviços, diminuindo aociosidade característica do produto turístico ( BRITTO & FONTES, 2002) . Os eventos estão criando oportunidade de viagens, ampliando o consumo, permitindoa estabilidade dos níveis de emprego do setor e promovendo o desenvolvimento e acomercialização de produtos. “ O evento deve ser pensado como uma atividade econômica esocial que gera uma série de benefícios para os empreendedores, cidades promotoras,comércio local e para a comunidade” ( BRITTO ; FONTES, 2002) .
  28. 28. Em estratégias de captação de eventos devem ser considerados os seguintes fatorescomo estímulo a percepção dos diferenciais dos produtos: a qualidade dos serviços dehotelaria, entretenimento e lazer, da infra-estrutura turística, do espaço de eventos, datecnologia disponível, dos atrativos turísticos e da qualidade de serviços periféricos comoserviços de táxi, locação de veículos, comércio, bares e restaurantes etc. Sua organização nãose limita ao conhecimento ou análise prévia das etapas de procedimentos, envolve oconhecimento de novas tendências, gostos, necessidade e modismos. O bom profissional deeventos tem que perceber as sutis relações entre as coisas, admira desafios e propõe soluçõesinéditas e adequadas. É um profissional que domina o novo; outro aspecto importante é aousadia, a coragem de fugir do lugar comum e envolver esquemas em que os participantes sãocolhidos a todo instante com surpresas e atrativos, sob uma idéia central. O evento acima detudo deve ser agradável e divertido. ( BRITTO ;FONTES, 2002) . O segmento de Organização e Promoção de Eventos Gospel está inserido nasatividades de serviço do tipo recreativas e culturais. Segundo dados do IBGE, a receitaoperacional deste tipo de serviço teve um crescimento acentuado de 2003 a 2005, o que podeser verificado na Tabela 13. Em contrapartida, os custos totais do mesmo segmento diminuíram em 2005 comrelação a 2003, mas, de acordo com a curva do gráfico apresenta tendência de aumentar,sendo necessárias providências para mantê-los controlados (ver Tabela 14).Tratando daretirada pró-labore no segmento de atividade recreativa e cultural, os dados do IBGE, revelamum “salto” expressivo dos valores em 2005 e, segundo a curva do gráfico, a tendência éaumentar (Tabela 15). Ainda com relação a promoção de eventos há que se destacar o turismo de eventos,segmento também em crescimento, que envolve um conjunto de atividades exercidas pelaspessoas que viajam a fim de participar de congressos, convenções, assembléias, simpósios,seminários e demais encontros que visam ao estudo de alternativa, de dimensionamento ou deinteresses de determinada categoria profissional, associação, clube crença religiosa, outraorganização com objetivos profissionais , culturais de aperfeiçoamento setorial ou deatualização ( EMBRATUR).
  29. 29. 3 METODOLOGIA3.1 Área de Estudo A Microrregião Ilhéus – Itabuna pertence à mesorregião Sul Baiano, É formada por 41municípios: Almadina, Arataca, Aurelino Leal, Barra do Rocha, Barro Preto, Belmonte,Buerarema, Camacan,Canavieiras, Coaraci, Firmino Alves, Floresta Azul, Gandu, Gongogi,Ibicaraí, Ibirapitanga, Ibirataia, Ilhéus, Ipiaú, Itabuna, Itacaré, Itagibá, Itaju do Colônia,Itajuípe, Itamari, Itapé ,Itapebi, Itapitanga, Jussari, Mascote ,Nova Ibiá, Pau-Brasil, SantaCruz da Vitória, Santa Luzia, São José da Vitória, Teolândia, Ubaitaba ,Ubatã, Una, Uruçucae Wenceslau Guimarães. È a microrregião com maior númerode cidades. Sua população segundo dados do IBGE (2005) está em torno de 1.075.311 habitantesdistribuídos em uma área de 21.308,944 Km². Sua cultura historicamente ligada ao cacau, foiabalada com a crise dessa lavoura que transformou essa microrregião de grande exportadorade cacau para importadora desse produto. Atualmente, a economia desses municípios encontra-se em processo de diversificaçãocom a exploração de outras culturas, além da exploração do turismo que já apresentaresultados animadores. O comércio e a instalação de algumas empresas importantes tambémtêm contribuído para o desenvolvimento dessa microrregião.É uma área de belas paisagens onde se destaca a Mata Atlântica considerada como um dosmais importantes ecossistemas em biodiversidade do mundo e também dos mais ameaçados.Sua história que se confunde com o nascimento do país e a rica cultura da região convidam aoturismo nos seus diversos segmentos. As distâncias entre os municípios são favorecidas por estarem interligadas porrodovias asfaltadas em bom estado de conservação facilitando a movimentação das pessoasentre as mesmas. Todas são servidas pelos mais modernos meios de comunicação (rádio, tv ,jornal e internet) facilitando a divulgação dos eventos na microrregião por esses meios.
  30. 30. Figura-1 Mapa da Micro Região Ilhéus-Itabuna3.2 Método de Pesquisa A definição do método, na medida em que se refere ao caminho percorrido pelopesquisador em busca de respostas, é de fundamental importância em qualquer trabalhoinvestigativo. Pelas características desse estudo optou-se pelo método dedutivo, pois se
  31. 31. procurou a partir de uma realidade mais ampla verificar uma situação particular valendo-se dacombinação de idéias pela interpretação dos dados encontrados. Nesse método, a necessidadede explicação não está nas premissas, mas na relação entre essas e a conclusão ( CERVO eBERVIAN apud BARROS e LEHFELD, 2000). Quanto aos procedimentos utilizados tratou-se de uma pesquisa bibliográfica edescritiva. Bibliográfica porque se buscou informações já disponíveis na literatura sobre otema, e descritiva porque se buscou identificar e caracterizar o mercado gospel namicrorregião Ilhéus-Itabuna, ou seja, se objetivou conhecer e interpretar a realidade sem nelainterferir para modificá-la.3.3 Técnica de Pesquisa Foram utilizadas como técnicas de pesquisa: o questionário e o formulário aplicadosaos sujeitos da pesquisa ( empresas, Igrejas e consumidores) em número de 120 para a coletade dados primários. A escolha do questionário deveu-se ao fato do mesmo possibilitar umamaior sistematização dos resultados encontrados facilitando o processo de análise além depermitir aplicar a uma amostra grande em um pequeno espaço de tempo e a um custo baixo. A aplicação dos questionários ocorreu durante o mês de outubro de 2008 com adistribuição dos mesmos para a amostra escolhida e posterior recolhimento dos mesmos. Osformulários também foram utilizados visando obter a cooperação de alguns respondentes quede outro modo não participaria da pesquisa. A necessidade de deslocamento para a aplicação dos formulários constituiu-se umalimitação ao estudo dado que foi desenvolvido em quatro municípios.3.4 População e Amostra A área escolhida para a pesquisa é composta por 41 municípios, porém a aplicação dosquestionários ocorreu em apenas quatro deles; Ilhéus, Itabuna, Coaraci e Una representando10% do número total de municípios. A escolha recaiu sobre essas cidades por seremrepresentativas no contexto estudado. São referências no fornecimento de produtos e serviçospara o público gospel da microrregião e oferecem maior número de eventos nesse segmento,atraindo a população dos outros municípios da microrregião.3.4.1 População: caracterização
  32. 32. A população da microrregião Ilhéus –Itabuna representa 15 % do total do estado daBahia, conforme a Tabela 02. E, quando relacionada à população da microrregião estudadacom as cidades que farão parte da amostra observa-se que as mesmas correspondem a 40% dapopulação da mesma, corroborando a importância da escolha desses municípios para o estudo. Tabela-02 .População total da microrregião Ilhéus-Itabuna e percentual de jovens porgênero das cidades pertencentes a amostra estudada. População de jovens total e percentual População Total (16- 24 anos) e percentual Masculino FemininoEstado da Bahia 14.076.212MicrorregiãoIlhéus- Itabuna 1.075.311Itabuna 210.604Ilhéus 220.144Coaraci 22.764Una 22.277Fonte: IBGE, 2007. A microrregião Ilhéus-Itabuna conforme observado na Tabela 02 representa umpercentual importante no total do estado e o número de jovens também é representativo (15%). Essa caracterização é pertinente, pois na formatação dos eventos, é necessário definiras características do público-alvo para a elaboração das estratégias de comunicação. Apopulação feminina não prevalece muito sobre a masculina, a diferença é de apenas 1,12%, oque permite considerar que na área estudada a população mostra-se equilibrada quanto aossexos dos indivíduos que a compõem. Isto é uma oportunidade relativa de negócio (ver Tabela07), uma vez que possibilita uma maior mobilidade em termos de estratégias de comunicaçãopara atingir este público. O público jovem, por suas características, permite ou são “tocados” por uma amplavariedade de ferramentas de comunicação, constituindo-se uma vantagem para o promotor deeventos.3.4.2 Amostra: Caracterização Para melhor operacionalizar a pesquisa no tempo determinado para a entrega dosresultados, utilizou-se uma amostra colhida nas quatro principais cidades fornecedoras de
  33. 33. eventos da microrregião: Ilhéus, Itabuna, Coaraci e Una que juntas são responsáveis por %dos eventos realizados por ano na área de estudo. Nas cidades escolhidas para constituir a amostra existem 44 .representações de Igrejasevangélicas ( vide relação no Apêndice....) e funcionam empresas organizadoras de eventosgospel, que nelas se concentram pelas facilidades de contatar com prestadores dos serviçosnecessários para a formatação de um evento. Contudo, não se deixou de considerar que algunseventos são realizados de modo independente, por algumas Igrejas sem a mediação dessasempresas. Mas, pela dificuldade de caracterizá-los e mensurá-los, esses eventos não serãoalvos do presente estudo. Quando se deseja colher informações sobre um ou mais aspectos de um grupo grande ou numeroso, verifica-se, muitas vezes, ser praticamente impossível fazer um levantamento do todo. Daí a necessidade de investigar apenas uma parte desta população ou universo ( MARCONI e LAKATOS, 2001, p. ) Foi adotado por conveniência, o tipo de amostragem não probabilística, e intencional.Dessa forma, a pesquisadora visitou as Igrejas das referidas cidades para buscar osparticipantes da pesquisa levando em consideração o critério de que os respondentes deveriamser consumidores assíduos desse tipo de evento e os principais promotores desses eventos.Também buscou informações com os líderes dessas Igrejas. O objetivo foi trabalhar com umaamostra representativa que pudesse dar aos resultados a maior fidelidade possível,considerando-se a limitação do tempo e a pequena experiência da pesquisadora.3.5 Tratamento dos dados Os dados obtidos na pesquisa de campo e bibliográfica foram apresentados na formade tabelas e gráficos, na forma percentual, para facilitar o acompanhamento das análises tendosido utilizado a ferramenta Excel para o tratamento dos dados.
  34. 34. 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO5.1 Mercado Nacional :Contextualização O segmento de Organização e Promoção de Eventos Gospel está inserido nasatividades de serviço do tipo recreativas e culturais. Segundo dados do IBGE, a receitaoperacional deste tipo de serviço teve um crescimento acentuado de 2003 a 2005, o que podeser verificado na Tabela 13. Em contrapartida, os custos totais do mesmo segmentodiminuíram em 2005 com relação a 2003, mas, de acordo com a curva do gráfico apresentacomo tendência aumentar, sendo necessárias providências para mantê-los. (ver Tabela 14) Tratando da retirada pró-labore no segmento de atividade recreativa e cultural, osdados do IBGE, revelam um “salto” expressivo dos valores em 2005 e, segundo a curva dográfico, a tendência é aumentar (Tabela 15). TABELA 13 - Receita operacional líquida - Atividades recreativas e culturais Tabela 13 - Receita operacional líquida - Atividades recreativas e culturais Variável = Receita operacional líquida - total (Mil Reais) Atividades de serviços = 2.3 Atividades recreativas e culturais Brasil EIXO: Ano Ano Receita (mil reais) 2003 2.082.902 2004 2.189.916 2005 2.783.366 Fonte: IBGE - Pesquisa Anual de Serviços
  35. 35. TABELA 14 - Total de custos – Atividades recreativas e culturais Tabela 14 – Total de custos – Atividades recreativas e culturais Variável = Total de custos (Mil Reais) Serviços prestados às famílias = 1.3 Atividades recreativas e culturais Brasil EIXO: Ano Ano Custos (Mil reais) 2003 248.824 2004 178.227 2005 215.222 Fonte: IBGE - Pesquisa Anual de Serviços TABELA 15 - Retiradas pró-labore dos proprietários e sócios – Atividades recreativas e culturaisTabela 15 – Retiradas pró-labore dos proprietários e sócios – Atividades recreativas e culturais Variável = Retiradas pró-labore dos proprietários e sócios (Mil Reais) Serviços prestados às famílias = 1.3 Atividades recreativas e culturais Brasil EIXO: Ano
  36. 36. Ano Retiradas (Mil reais)2002 138.6772003 137.6472004 150.8622005 239.506Fonte: IBGE - Pesquisa Anual de Serviços5.1.1. Análise Quantitativa: tamanho do mercado O mercado de eventos é relativamente sazonal. Os “picos” para a realização deeventos correspondem aos feriados e às principais datas comemorativas, algumas relacionadasdiretamente ao cristianismo: natal, páscoa, dia da Bíblia, ano novo, dia dos namorados, etc.Associado à sazonalidade está à agenda das bandas, cantores e pregadores que possam sertrazidos pelas empresas de eventos. No mercado de eventos na região sul da Bahia, a média de faturamento anual porempresa é de R$ 160.000,00, considerando-se a realização de três a quatro grandes eventospor ano, que é a média de realização por empresa. Para este cálculo, considerou-se uma médiade faturamento por show de R$ 20.000,00 a R$ 60.000,00.5.1.1.1 Análise da linha de produtos e preços praticados O segmento de eventos gospel inclui: shows gospel, congressos e retiros espirituais.Mas, o objeto de estudo é o show gospel responsável pela maior participação de mercado,com alta margem de contribuição e impacto para a imagem da empresa. Estes shows aindapodem ser subdivididos em: shows tradicionais e inovadores. A diferença entre os dois estáno público a que é direcionado e, principalmente, nas atrações e estilos musicais. Já os shows
  37. 37. inovadores, como o próprio nome diz, trazem novidades da área evangélica, como louvoresem ritmo funk e boates gospel. Estes últimos (shows inovadores) O segmento gospel, se comparado ao seguimento secular, trabalha com preços muitobaixos. Em um show tradicional gospel, a faixa de preços dos ingressos varia de R$ 5,00 aR$30,00, sendo mais freqüente R$ 10,00. O problema, na precificação de eventos está navisão dos consumidores. Eles avaliam o evento principalmente pelas bandas ou cantores quese apresentam e fazem comparação de preços de um evento para outro, baseando-seprincipalmente por este aspecto. É importante, portanto, avaliar o perfil dos consumidores;sendo preciso conhecê-los para influenciar nas suas decisões e opiniões.5.1.2. Aspectos Qualitativos: Perfil dos consumidores5.1.2.1 Religião Como exposto na análise sócio-cultural do macro-ambiente, a população brasileira écomposta por uma diversidade de religiões, o que contribui muito para o mercado de eventosgospel, uma vez que, influenciados por suas religiões, esses indivíduos buscam aquilo queesteja de acordo com suas crenças, além do que, a religião desenvolve um sentimento deconfraternização, amplamente relacionado a eventos. O segmento gospel tem por público-alvo principal os evangélicos, mas também atinge,de forma secundária, mas bastante intensa, as demais religiões. Segundo o IBGE, as religiõesevangélicas têm tido um crescimento bastante expressivo em todas as regiões do país,conforme mostra a Figura 02. FIGURA 02: Aumento de evangélicos no país, de 1940 a 2000 Fonte: IBGE
  38. 38. 5.1.2.2 Sexo e Faixa Etária Segundo a Figura 03, considerando-se o público-alvo principal do segmento gospel, o público pentecostal é significativamente composto por jovens e adultos, com maioria feminina, sendo pequena a presença de pessoas com mais de 55 anos. No Protestantismo histórico a prevalência é de pessoas com mais de 55 anos e composta por uma maioria masculina. Existe, portanto, um equilíbrio no setor, que considerando a religião evangélica, abrange todas as faixas etárias e sexo. Considerando-se o público consumidor como um todo, que inclui desde católicos, até aqueles pertencentes a religiões afro-brasileiras e outras religiões, verifica-se a partir da Figura 03, que, em 1998, 85,8% da população masculina e 93,9% da população feminina no Brasil, possuía algum tipo de religião. Quanto à idade, 88,2% da população entre 16 e 25 anos, 87,1% da população entre 26 e 40 anos, 94,4% da população entre 41 e 55 anos e 97,5% da população entre 55 e 65 anos, possuía algum tipo de religião. Com este dados, percebe-se o tamanho da fatia de mercado consumidor que o segmento gospel pode atingir, em todas as faixas etárias e sexo.FIGURA 03: Sexo e faixa etária por religiãoFonte: Ministério da Saúde. Pesquisa sobre Comportamento Sexual da População Brasileira e Percepções sobreHIV/Aids.
  39. 39. 5.1.2.3 Grau de Instrução A análise do público alvo por grau de instrução pode ser vista na Figura 04, que apresenta dados do IBGE, 1998 - onde se percebe que a maioria dos pentecostais (65,2%) é formada por pessoas com o Fundamental Incompleto, enquanto a média nacional é de 46%. O Protestantismo histórico também possui grande parcela de fiéis com Ensino Fundamental Incompleto (41,8%), entretanto, na categoria Ensino Médio Completo, ele está em segundo lugar, atrás apenas dos Espíritas, com 20,8%, enquanto a média nacional é de 16,7%. A religião que tem maior parte de seus integrantes com ensino médio completo é a Espírita Kardecista com 42,7%, que também alcança o segundo lugar em Ensino Superior (18,9%), perdendo apenas para religiões Afro-brasileiras, com 33%. Em contraste, as religiões evangélicas possuem o menor percentual de indivíduos com Ensino Superior, 4,2% para o protestantismo histórico e 2,8% para os Pentecostais. FIGURA 04: Grau de instrução por religiãoFonte: Ministério da Saúde. Pesquisa sobre Comportamento Sexual da População Brasileira e Percepções sobreHIV/Aids. 5.1.2.4 Estratos socioeconômicos Tratando do rendimento segundo as religiões, pode-se caracterizá-las por estratos socioeconômicos (Figura 05). As categorias socioeconômicas variam de A (muito alto) a E (muito baixo) e as demais categorias (B, C, D) indicam níveis socioeconômicos intermediários. O rendimento é fortemente afetado pelo grau de instrução, o que pode ser observado na Figura 05. Os evangélicos, que possuem baixo grau de instrução (conforme visto no item acima), predominam nos estratos socioeconômicos C e D, enquanto os espíritas e os de religião afro-brasileira predominam na classe B.
  40. 40. Tipos de despesa, Despesas monetária e não-monetária média mensal familiar (R$) número de Religião da pessoa de referência da família famílias e Total Católica Evangélica de Sem religião Evangélica de Outras Outras tamanho médio apostólica origem Espírita e não- missão evangélicas religiosidades romana pentecostal determinada das famíliasDespesa total 1 144,16 1 110,21 1 604,44 947,72 1 632,10 3 265,30 1 584,30 1 222,90 Despesascorrentes 1 079,17 1 047,82 1 521,79 889,60 1 413,57 2 941,25 1 532,55 1 169,75 Despesas deconsumo 984,83 959,61 1 337,01 824,95 1 321,93 2 439,69 1 393,36 1 067,45 Alimentação 262,18 258,71 310,12 227,23 291,10 477,67 308,21 293,48 Habitação 315,77 305,80 443,28 287,60 448,33 802,62 424,21 326,46 FIGURA 05: Estratos socioeconômicos segundo religião Fonte: Ministério da Saúde. Pesquisa sobre Comportamento Sexual da População Brasileira e Percepções sobre HIV/Aids. 5.1.2.5 Despesas com Entretenimento e Cultura Na Tabela 16 encontra-se dados do IBGE, acerca das despesas segundo as religiões, na região nordeste. Em destaque está o tipo de despesa recreação e cultura, onde se pode incluir a atividade de organização de eventos. Percebe-se que as religiões evangélicas juntas são as que mais gastam com recreação e cultura, totalizando R$ 85,28/ mês. Ela é seguida de perto pelos Espíritas, que gastam R$ 80,92/ mês. Percentualmente, o gasto ainda é muito pouco. Considerando-se todas as religiões, o gasto com entretenimento e cultura é de R$ 247,08, que representa apenas 2,2% dos gastos totais (R$ 11.288,32).
  41. 41. Aluguel 135,89 131,15 196,04 131,20 173,22 301,00 186,90 141,19 Serviços etaxas 77,23 74,23 115,19 68,48 100,43 215,70 116,36 82,36 Manutenção dolar 42,20 41,84 54,33 32,86 78,38 135,28 48,78 35,32 Artigos delimpeza 9,91 9,62 14,05 8,46 9,61 17,98 13,76 12,00Eletrodomésticos 21,71 20,86 28,25 20,07 21,88 53,25 23,75 27,55 Outras 28,84 28,09 35,43 26,52 64,82 79,40 34,65 28,04 Vestuário 66,70 64,38 86,64 63,26 77,54 151,89 110,78 72,88 Transporte 156,68 153,26 233,06 107,32 230,18 418,73 298,57 165,91 Urbano 35,86 34,59 50,83 39,20 78,04 65,65 46,73 32,19 Combustível -gasolina e álcool 25,70 25,19 39,65 13,64 30,25 88,90 50,25 28,26 Aquisição deveículos 56,44 56,66 88,08 25,28 43,22 151,67 90,99 60,32 Outras 38,69 36,82 54,50 29,20 78,66 112,52 110,60 45,14 Higiene ecuidados pessoais 28,87 27,73 43,58 26,08 32,44 59,83 46,27 33,44 Assistência àsaúde 64,77 62,78 92,42 52,56 87,69 205,47 76,73 69,90 Remédios 34,20 33,71 42,87 29,93 27,93 89,56 37,65 33,14 Plano/Segurosaúde 16,18 15,24 30,85 8,33 39,89 80,43 22,10 20,45 Outras 14,39 13,82 18,71 14,30 19,87 35,49 16,97 16,31 Educação 32,10 30,97 53,38 19,67 77,41 143,55 25,61 34,99 Recreação ecultura 20,07 18,55 30,07 14,79 40,42 80,92 42,26 29,91 Fumo 5,63 5,81 4,00 2,38 3,43 7,03 5,49 8,66 Serviçospessoais 9,33 9,07 13,20 6,99 10,58 27,28 18,98 9,65 Despesasdiversas 22,74 22,54 27,24 17,07 22,81 64,70 36,26 22,17 Outras despesascorrentes 94,34 88,21 184,78 64,65 91,64 501,56 139,19 102,30 Impostos 32,68 32,14 47,48 13,90 16,66 182,94 35,02 35,22 Contribuiçõestrabalhistas 24,60 23,50 45,32 17,99 11,98 99,20 30,84 26,13 Pensões,mesadas edoações 17,53 14,20 57,91 24,23 57,17 59,87 45,25 20,69 Outras 19,53 18,38 34,07 8,53 5,83 159,56 28,09 20,26 Aumento doativo 46,33 46,09 45,53 30,14 108,20 260,17 31,19 36,59 Diminuição dopassivo 18,66 16,29 37,12 27,98 110,32 63,88 20,56 16,56 Número de 12 235famílias 500 9 960 123 374 878 987 978 37 094 114 158 109 381 651 888
  42. 42. Tamanho médioda família 4,01 4,05 3,87 4,05 3,92 3,33 3,43 3,79Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa de OrçamentosFamiliares 2002-2003.Nota: O termo família está sendo utilizado para indicar a unidade de investigação da pesquisa "Unidade deConsumo". Contexto: Houve muitas influências no mundo do entretenimento no período de 1950 a 2000 e um dos maiores entertaineres desse período foi o cantor Elvis Presley que também se tornou um ícone na divulgação da cultura gospel . Segundo Brito (1992) a música gospel sempre fez parte da vida de Elvis, desde sua infância até morte física em 1977, e o influenciou muito em sua carreira. Nos anos 70, freqüentemente, cantava ou cedia espaço para seus músicos, apresentarem canções gospel em seus shows, possuindo inclusive discografia gospel. Elvis é conhecido há muitos anos como o rei do rocknroll, mas ele também já vendeu mais de 250 milhões de músicas gospel nos Estados Unidos. Elvis veio de uma família de assembleianos tradicionais tendo sido batizado pelo Espírito Santo1 1, logo após foram surgindo vários grupos adeptos do gospel, conquistando inclusive o prêmio Grammy2, considerado o Oscar da música No Brasil, a região Sudeste é a que mais se destaca no segmento de eventos gospel. Com destaque para São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais.  São Paulo Tem uma dais maiores expressões que é a Marcha para Jesus. Trata-se de um evento internacional e interdenominacional que ocorre anualmente em milhares de cidades do mundo. Um ato pacífico, consciente e excitante do mover de Deus em nossos dias. A Igreja tem a oportunidade de mostrar que não é restrita aos templos, mas viva e aberta a toda sociedade, além de unir as igrejas cristãs em um ato de expressão pública de fé, amor, agradecimento e exaltação do nome de Jesus Cristo. A Figura - ..... retrata uma Marcha - em qualquer parte do mundo - são milhares de cristãos marchando pelas ruas, de todas as idades, raças, nacionalidades e culturas étnicas. Roupas coloridas, bandeiras, faixas, galhardetes. 1 Batismo pelo espírito santo: era a recepção da graça visível (através das línguas) e a introdução do cristão no mundo dos dons espirituais. 2 Grammy: mais requintado e prestigioso prêmio da indústria musical internacional presenteado anualmente pela National Academy of Recording Arts and Sciences nos Estados Unidos da América, honrando conquistas na arte de gravação musical e provendo suporte à comunidade da indústria musical.
  43. 43. Fazendo parte do calendário oficial de diversas cidades, a Marcha para Jesus contacom a participação de trios elétricos de diversas comunidades e igrejas cristãs, envolvendotodas as denominações .Além de São Paulo esse evento ocorre em outras centenas de cidades,incluindo as principais capitais do país. A Marcha para Jesus é um evento que há mais de 10anos vem sendo organizada pela Igreja Renascer em Cristo.Figura - Outro grande fenômeno dos eventos nas noites paulistas foi o surgimento de Pub´sGospel, um lugar onde além de ouvir uma boa música, os fiéis podem dançar ao som demúsicas gospel e degustar iguarias, além de reunir-se com outros irmãos. O que mais sedestaca é o Pub Gospel sob a direção de Bianca Toledo e o Brother Simion Shop & Café sobo comando de Brother Simion, ambos cantores gospel.
  44. 44. Figura - Pub GospelFigura Brother Simion Shop & Café Outro grande evento que ocorre em São Paulo é a Exposição Internacional doConsumidor Cristão- EXPO CRISTÃ, realizada pela EBF Eventos, que em 2008 completou asua 7ª edição. A feira reúne mais de 300 expositores numa área de 16.000 m², no Expo CenterNorte, e recebe mais de 100.000 visitantes, entre eles: líderes religiosos, músicos, cristãos detodas as idades. Sua uma duração média é de seis dias onde são promovidos os produtoscristãos. Um passeio recheado de atrações musicais, teatro, dança, filmes, workshops econgressos com líderes renomados, e que em 2006, começou a ser realizada também no Riode Janeiro.
  45. 45. Figura- Cartaz de divulgação (SP) - Expo Cristã no RJEspírito Santo : O evento de maior expressão é o Jesus Vida Verão, é um evento de musica cristã queacontece anualmente, todas as sextas e sábados do mês de janeiro, nas areias da Praia daCosta, estado do Espírito Santo, reunindo cerca de 50 mil pessoas por noite. Nasceu em 1992,e está em sua 16ª edição. Consagrou-se como um dos maiores do gênero no Brasil. Foipremiado no Credicard Hall, em São Paulo, com o Troféu Talento de melhor evento dosegmento no ano de 2006. O evento reúne seriedade, tradição e competência, integrando empresas arrojadas,objetivos sociais, músicos reconhecidos e personalidades de renome nacional. Tem naturezasocial, musical, espiritual e esportiva, possuindo como característica peculiar ser totalmenteaberto ao público.O Jesus Vida Verão também diferencia-se por ser voltado a reestruturaçãode famílias. Reúne uma equipe de cerca de 300 voluntários encarregados de prestar apoio eaconselhamento espiritual às pessoas interessadas. Durante as 16 edições do evento mais de8000 pessoas já foram atendidas e encaminhadas para serem acompanhadas por IgrejasCristãs em diversas regiões do país.
  46. 46. Além da área espiritual e musical, o evento também conta com competições esportivasde destaque no cenário estadual. A Copa Jesus Vida Verão de Futebol de Areia e a CorridaRústica Jesus Vida Verão agitam o município de Vila Velha durante o mês de Janeiro.Destaca-se pela excelente qualidade de suas atrações. Fernanda Brum, Voices, Diante doTrono, Toque no Altar, David Quinlan, Oficina G3, Kleber Lucas, Marquinhos Gomes, AlineBarros, Carlinhos Félix, Cassiane, Rose Nascimento, André Valadão, Fernandinho,Comunidade Internacional da Zona Sul, Soraya Moraes, Nívea Soares, entre outros, jápassaram pelos palcos deste evento, que cresce a cada ano atraindo multidõesFigura-Rio de Janeiro : Um dos eventos amis expressivos que já aconteceu no Rio, foi o Canta Rio que foirealizado no feriado de 7 de Setembro pela Grupo Mk de Comunicação, empresa formada pormídias que atuam no segmento evangélico em âmbito nacional há 20 anos. Na edição em2006 reuniu mais de 150 mil pessoas na Enseada de Botafogo com a presença Cassiane,Fernanda Brum, Aline Barros, Oficina G3, Marina de Oliveira, Kleber Lucas, Novo Som,Voices, Eyshila, Rayssa & Ravel, Quatro Por Um, Pamela, PG, Alda Célia, ComunidadeInternacional da Zona Sul, Léa Mendonça e Toque no Altar vão conduzir a grande festa deritmos e estilos, com a entrada franca . Seguindo o mesmo porte de outros eventos realizadospelo mesmo grupo: Canta Zona Sul (presença de 160 mil pessoas na Praia de Copacabana em2004) e o Canta Brasil (em 2000 cerca de 120 mil pessoas no Maracanã).
  47. 47. Figura-Figura-Marina de Oliveira, Cristina Xisto, vice-presidente do Grupo MK de Comunicação, e Yvelisede Oliveira, presidente do Grupo MK de ComunicaçãoMinas Gerais: O 1º Congresso Internacional de Louvor & Adoração Diante do Trono começou a serrealizado em 2000 pelo grupo Diante do Trono que é um grupo de música gospel surgido emBelo Horizonte, na Igreja Batista da Lagoinha. Criado em 1997, durante seus anos deministério tornou-se referência musical entre os evangélicos e é considerado um dos gruposmais populares na música cristã brasileira. Durante a sua história, venderam mais de seismilhões de discos, trazendo personagens conhecidas na música cristã de todas as partes doBrasil e do mundo. O evento acontece anualmente na Semana Santa, em Belo Horizonte,reunindo líderes de louvor e adoradores de todo Brasil e até mesmo do exterior. No ano de2007, cerca de 15.000 congressistas compareceram para participar de quatro dias intensos de
  48. 48. culto, que incluíram ainda a gravação ao vivo do CD e DVD Alegria, de André Valadão e doDVD instrumental Sem palavras.1 2Figura-1. http://wallpapersdiantedotrono.blogspot.com/2008/02/9-congresso-dt.htm2. http://www.flickr.com/photos/paulohigor5.2 MICRO REGIÃO ILHEUS-ITABUNA As informações apresentadas a seguir fazem parte da pesquisa de campo realizadadurante o mês de outubro com pessoas das cidade de Ilhéus, Itabuna, Una e Coaraci, membrosdas mais variadas denominações por se caracterizar ser uma pesquisa de cunhointerdenominacional.5.2.1 Perfil dos consumidores – Pesquisa na microrregião Ilhéus- Itabuna Foram entrevistados 120 indivíduos, adotando-se por metodologia de amostragem anão-probabilística por conveniência Em relação a religião professada a maioria destes, 80 % pertencem a alguma religiãoevangélica, 10% são espíritas e outros 10 % são católicos, conforme o gráfico figura 01. Esseresultado já era esperado visto que nosso objeto de estudos são os evangélicos, as demaiscategorias foram entrevistadas como público em potencial que participam dos eventos e quepor meio destes podem vir a ser tornar evangélicos.
  49. 49. 10% 10% 80% Católicos Evangélicos Espíritas Figura 1 – Religião professada pelo entrevistadosCom relação ao gênero dos pesquisados, 60% é composto por mulheres conforme Figura- 40% Feminino M asculino 60% Figura 2- A faixa etátia dos entrevistados apresentou predominância entre os 21-30 anos (60 %) sendo também expressiva a faixa entre 10e 20 anos.

×