Trabalhador espírita

64,077 views
69,880 views

Published on

Trabalhador espírita, espiritismo, espirita

Trabalhador espírita

  1. 1. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita O TRABALHADOR ESPÍRITA NO CENTRO ESPÍRITA
  2. 2. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita 1ª PARTE CONCEITOS BÁSICOS
  3. 3. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita - Os que crêem, admiram e praticam.  I - O QUE É SER ESPÍRITA Classificação dos Adeptos: - Os que acreditam; - Os que acreditam e admiram a moral espírita; Allan Kardec (“O Livro dos Espíritos” - Conclusão - item VII)
  4. 4. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita REFLEXÃO Professar é a mesma coisa que praticar? PROFESSAR: Reconhecer publicamente, declarar-se adepto, dizer de si mesmo, fazer propaganda da idé ia.
  5. 5. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más.” Allan Kardec (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – cap. XVII) “A única forma de ser espírita é começar pelo começo: estudar O Livro dos Espíritos”. Divaldo Pereira Franco (“Diálogo com Dirigentes e Trabalhadores Espíritas” – p.72)
  6. 6. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita "(...) Se vós vos dizeis espíritas, sede-o pois; olvidai o mal que se vos pôde fazer e não penseis senão uma coisa: o bem que podeis realizar. (...)". (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – cap. X, item 14)
  7. 7. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “Somente o Espiritismo, bem entendido e bem compreendido, pode (...) tornar-se, conforme disseram os Espíritos, a grande alavanca da transformação da Humanidade.” Allan Kardec (“Obras Póstumas” - Projeto - 1868)  II - ESTUDO DO ESPIRITISMO “Um dos maiores obstáculos capazes de retardar a propagação da Doutrina seria a falta de unidade.”
  8. 8. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “O estudo fiel e dedicado dos Evangelhos, portanto, e também da Doutrina dos Espíritos, é indispensável àquele que deseje prestar a sua colaboração. (...) São aquisições difíceis, que requerem perseverança e muito amor, humildade e raciocínio isento de personalismos e conveniências. (...) Teremos que nos renovar para a Doutrina: aprimorar nossa moral, educar a mente e o coração, mas jamais deturpá-la com as nossas opiniões pessoais, sempre prejudicadas.” Yvonne do Amaral Pereira (“A Luz do Consolador” – p. 49)  II - ESTUDO DO ESPIRITISMO
  9. 9. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  III - O QUE É O ESPIRITISMO “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.” Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo) “É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.”
  10. 10. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Revela, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo da nossa existência e qual a razão da dor e do sofrimento.  IV - O QUE O ESPIRITISMO REVELA Revela conceitos novos e mais aprofundados a respeito de Deus, do Universo, dos Homens, dos Espíritos e das Leis que regem a vida.
  11. 11. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita • “(...) [O Espiritismo] vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras. Ele é, pois, obra do Cristo, que (ele mesmo) preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra.” Allan Kardec (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” - I -7)  IV - O QUE O ESPIRITISMO REVELA •“Numa palavra, o que caracteriza a revelação espírita é o ser divina a sua origem e da iniciativa dos Espíritos, sendo a sua elaboração fruto do trabalho do homem.” Allan Kardec (“A Gênese” - I -13)
  12. 12. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “Trabalho, Solidariedade e Tolerância” _____ • _____ O estudo das obras de Allan Kardec é fundamental para o correto conhecimento da Doutrina Espírita. LEMAS IMORTAIS DO ESPIRITISMO “Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei.” “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade.” “Fora da Caridade não há salvação.”
  13. 13. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita 2ª PARTE CENTRO ESPÍRITA: A ESCOLA DAS ALMAS
  14. 14. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Movimento Espírita é o conjunto das atividades que têm por objetivo estudar, divulgar e praticar a Doutrina Espírita, contida nas obras básicas de Allan Kardec, colocando-a ao alcance e a serviço de toda a Humanidade.  I - MOVIMENTO ESPÍRITA
  15. 15. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita III - As Entidades Especializadas, que desenvolvem atividades espíritas específicas, tais como as de assistência e promoção social e as de divulgação doutrinária;  II - INSTITUIÇÕES ESPÍRITAS I - Os Grupos, Centros ou Sociedades Espíritas, que desenvolvem atividades gerais de estudo, difusão e prática da Doutrina Espírita e que podem ser de pequeno, médio ou grande porte; II - As Entidades Federativas, que desenvolvem as atividades de união das Instituições Espíritas e de unificação do Movimento Espírita;
  16. 16. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita • São núcleos de estudo, de fraternidade, de oração e de trabalho, praticados dentro dos princípios espíritas; • São escolas de formação espiritual e moral, que trabalham à luz da Doutrina Espírita; • São postos de atendimento fraternal para todos os que os procuram com o propósito de obter orientação, esclarecimento, ajuda ou consolação; • São oficinas de trabalho que proporcionam aos seus freqüentadores oportunidades de exercitarem o próprio aprimoramento íntimo pela prática do Evangelho em suas atividades;  III - O QUE É UM CENTRO ESPÍRITA
  17. 17. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “Um Centro Espírita é uma escola onde podemos aprender e ensinar, plantar o bem e recolher-lhe as graças, aprimorar-nos e aperfeiçoar os outros, na senda eterna.” Emmanuel - (Psicografia de F. C. Xavier - O Centro Espírita – “Reformador” jan./1951)  III - O QUE É UM CENTRO ESPÍRITA “Ensinar, mas fazer; crer, mas estudar; aconselhar, mas exemplificar; reunir, mas alimentar.” Bezerra de Menezes -
  18. 18. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Os Grupos, Centros ou Sociedades Espíritas têm por objetivo promover o estudo, a difusão e a prática da Doutrina Espírita, atendendo às pessoas: • que buscam esclarecimento, orientação e amparo para seus problemas espirituais, morais e materiais;   • que querem conhecer e estudar a Doutrina Espírita; • que querem trabalhar, colaborar e servir em qualquer área de ação que a prática espírita oferece.  IV - QUAL O SEU OBJETIVO
  19. 19. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita 3ª PARTE PRÉ-REQUISITOS DO TRABALHADOR ESPÍRITA
  20. 20. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Voluntário “é o cidadão que, motivado pelos valores de participação e solidariedade, doa seu tempo, trabalho e talento, de maneira espontânea e não remunerada, para causas de interesse social e comunitário”. (Programa Voluntários do Conselho da Comunidade Solidária - 1997)  I - VOLUNTARIADO
  21. 21. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita • Todos podem ser voluntários. • Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária. • Trabalho voluntário é uma via de mão dupla. • Voluntariado é: ação, escolha e compromisso • Voluntariado é uma ação duradoura e com qualidade. • Voluntariado é uma ferramenta de inclusão social.  I - VOLUNTARIADO
  22. 22. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  II - PEDAGOGIA ESPÍRITA Somos seres interexistenciais - temos uma dimensão espiritual. A vida é um aprendizado permanente, rumo à perfeição. O objetivo da existência é o desabrochar dos gérmens divinos da alma. O processo de educação é sempre um processo de auto-educação. A função do Educador é despertar o impulso de auto-educação do educando. Essa relação pedagógica, de ajudar o progresso do outro, sem imposição pode se dar em qualquer relação, entre dois seres humanos.
  23. 23. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita • Toda a prática espírita é gratuita, realizada com simplicidade e sem nenhum culto exterior. • O Espiritismo não impõe os seus princípios. Respeita todas as religiões e doutrinas, valoriza todos os esforços para a prática do bem e trabalha pela confraternização e pela paz entre todos os povos e entre todos os homens • Prática mediúnica espírita só é aquela que é exercida com base nos princípios da Doutrina Espírita e dentro da moral cristã.  III - PRÁTICA ESPÍRITA
  24. 24. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita RECOMENDAÇÕES SOBRE O PERFILRECOMENDAÇÕES SOBRE O PERFIL IDEAL DO TRABALHADOR ESPÍRITAIDEAL DO TRABALHADOR ESPÍRITA
  25. 25. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros. Como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros. Nisto reconhecerão todos que sois meus discípulos se tiverdes amor uns pelos outros.” (“A Bíblia de Jerusalém” – Jo 13, 34-35)
  26. 26. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “Espíritas: amai-vos, eis o primeiro ensinamento, instrui-vos, eis o segundo.” “No Cristianismo encontram-se todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram. “ O Espírito da Verdade (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – Cap. VI)
  27. 27. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “(...) Tomai, pois, por divisa estas duas palavras: devotamento e abnegação, e sereis fortes, porque elas resumem todos os deveres que a caridade e a humildade vos impõem. (...)” (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – Cap. VI, item 8)
  28. 28. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita DEVOTAMENTO 1. Ato ou efeito de devotar-se, de abnegar. 2 Dedicação. ABNEGAÇÃO 1. Ato de abnegar. 2 Abandono; altruísmo; desprendimento. 3. Desprezo ou sacrifício dos próprios interesses para atender ou satisfazer as necessidades alheias. (“Michaelis: Moderno Dicionário da Língua Portuguesa)
  29. 29. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita 4ª PARTE DIFICULDADES NA CASA ESPÍRITA: COMO RESOLVER?
  30. 30. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Jogar uns contra os outros  I - ESTRATÉGIA DOS PLANOS INFERIORES: PROCEDIMENTOS DE DEFESA Incutir o desânimo, o desalento e o descrédito Demonstrar que são mais fortes Exagerar nossas fraquezas Blefar para confundir Distorcer a verdade
  31. 31. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Não supor uma falsa superioridade de nossa parte Orar e vigiar Bom senso e perspicácia Não subestimá-los Lembrar que todo amparo provém do Alto  I - ESTRATÉGIA DOS PLANOS INFERIORES: PROCEDIMENTOS DE DEFESA
  32. 32. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Usar da maledicência com o intuito de gerar perturbações Cultivar o hábito dos comentários desencorajadores Fixar-se nos ângulos inseguros da obra sem enxergar as realizações já feitas Preocupar-se excessivamente com direitos e esquecer dos deveres Atentar para os defeitos de todos, exceto os seus próprios  II - COMO DESTRUIR UM CENTRO ESPÍRITA Semear a dúvida e a discórdia quando o êxito está próximo
  33. 33. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Cuidar da cura do corpo em detrimento da cura da alma Acreditar em tudo que vem da parte dos Espíritos Introduzir prática estranhas a título de novidade, desprezando a fidelidade à Doutrina Espírita Centralizar cargos e tarefas na mãos de indivíduos ou grupos Idolatrar a figura de médiuns ou dirigentes espíritas  II - COMO DESTRUIR UM CENTRO ESPÍRITA Descuidar da criança e do jovem, esquecendo do futuro da Casa Espírita
  34. 34. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “O Espiritismo será o que o fizerem os homens. (...) Ao contacto da Humanidade as mais altas verdades à vezes se desnaturam e obscurecem. Podem constituir-se uma fonte de abusos. A gota de chuva, conforme o lugar onde cai, continua sendo pérola ou se transforma em lodo.” Léon Denis (No Invisível - Introdução)
  35. 35. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita 798. O Espiritismo se tornará crença comum, ou ficará sendo partilhado, como crença, apenas por algumas pessoas? “Certamente que se tornará crença geral e marcará nova era na história da humanidade, porque está na natureza e chegou o tempo em que ocupará lugar entre os conhecimentos humanos. Terá, no entanto, que sustentar grandes lutas, mais contra o interesse do que contra a convicção, porquanto não há como dissimular a existência de pessoas interessadas em combatê-lo, umas por amor-próprio, outras por causas inteiramente materiais. Porém, como virão a ficar insulados, seus contraditores se sentirão forçados a pensar como os demais, sob pena de se tornarem ridículos.” (O Livro dos Espíritos - Parte 3ª - Cap. VIII)
  36. 36. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita “O Espiritismo (...) é hoje o Grande Desconhecido dos que o aprovam e o louvam e dos que o atacam e criticam.” J. Herculano Pires (“Curso Dinâmico de Espiritismo” – Introdução) VALOR DO CENTRO ESPÍRITA “Se os espíritas soubessem o que é o Centro Espírita, quais são realmente a sua função e a sua significação, o Espiritismo seria hoje o mais importante movimento cultural e espiritual da Terra.” J. Herculano Pires (“O Centro Espírita” – Introdução)
  37. 37. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita REFLEXÃO O Espiritismo é o grande desconhecido porque o Centro Espírita não atende às suas finalidades, ou o Centro Espírita não atende às suas finalidades porque o Espiritismo é o grande desconhecido?
  38. 38. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita REFLEXÃO “... a verdadeira fortaleza de uma Casa Espírita, sob o ponto de vista da sua função na Terra, não está nos alicerces de concreto e sim no estudo e vivência do aspecto doutrinário...” Espírito Nora (“Aconteceu na Casa Espírita” – médium Emanuel Cristiano)
  39. 39. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita ESPIRITIZAR QUALIFICAR HUMANIZAR DESAFIOS PARA O CENTRO ESPÍRITA NO TERCEIRO MILÊNIO
  40. 40. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita ESPIRITIZAR Possibilitar que o freqüentador introjete o Espiritismo em seu mundo íntimo, e que gradualmente seja integrado na vivência da pessoa. QUALIFICAR Significa aprimorar-se, tanto no que se refere ao conhecimento espírita como na transformação moral. HUMANIZAR Desenvolvimento do sentimento da solidariedade. Caridade em seu amplo significado, como ação dinâmica e transformadora. DESAFIOS PARA O CENTRO ESPÍRITA NO TERCEIRO MILÊNIO
  41. 41. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS Qual a principal atividade de uma Casa Espírita? Aquela que é feita com amor.
  42. 42. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS É possível conciliar a necessidade de criticar e avaliar as tarefas sem ferir a caridade cristã? “Não vos conclamamos à inércia, ao parasitismo, à aceitação tácita, sem a discussão ou o exame das informações. Convidamo-vos à verdadeira dinâmica do amor.” (“Unificação paulatina, união imediata, trabalho constante...” Psicofonia de Divaldo P. Franco - Reformador - Fev./1976)
  43. 43. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS Como superar o melindre que tantas dissensões têm provocado na seara espírita? “Que os médiuns são pessoas de sensibilidade mais aguçada, sabemos todos. (...) É imperioso, contudo, distinguir entre sensibilidade e melindre. O médium responsável e interessado em dar o melhor de si mesmo à tarefa que abraçou não apenas aceita a crítica construtiva e leal, como a procura, desejoso de aperfeiçoar seu desempenho mediúnico.” Hermínio Miranda (“Diversidade dos Carismas”)
  44. 44. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS Como combater o personalismo que tem disseminado a idéia de falsa superioridade entre os irmãos de crença espírita? “Sabeis que os príncipes das nações as dominam, e que os grandes as tratam com império. Assim não deve ser entre vós; ao contrário, aquele que quiser tomar-se o maior seja o vosso servo; e aquele que quiser ser o primeiro entre vós seja vosso escravo; do mesmo modo que o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção de muitos.” Jesus – (Mateus: XX – 20 a 28 / ESE: VII – 4)
  45. 45. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS O que fazer para superar a divergência de opinião na Casa Espírita? Senhor Jesus! (...) Faze-nos observar, por misericórdia, que Deus não nos cria pelo sistema de produção em massa e que por isto mesmo cada qual de nós enxerga a vida e os processos de evolução de maneira diferente.” – Emmanuel.
  46. 46. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS Como evitar as deturpações doutrinárias que disseminam o desentendimento entre as criaturas sobre o Espiritismo? “Allan Kardec, nos estudos, nas cogitações, nas atividades, nas obras, a fim de que nossa fé não se faça hipnose, pela qual o domínio da sombra se estabelece sobre as mentes mais fracas, acorrentando-as a séculos de ilusão e sofrimento.” – Bezerra de Menezes
  47. 47. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS A união entre as Casas Espíritas é importante para o desenvolvimento de seus trabalhos? “Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.” (“Obras Póstumas” - Constituição do Espiritismo) “Solidários, seremos união. Separados uns dos outros, seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos. Distanciados entre nós, continuaremos à procura do trabalho com que já nos encontramos honrados pela Divina Providência.” (Bezerra de Menezes - Psicografia de F. C. Xavier - Mensagem de União - “Unificação” nov.-dez./1980.)
  48. 48. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita  I - PERGUNTAS E RESPOSTAS Como identificar a tarefa que me cabe diante do Evangelho de Jesus e da Doutrina Espírita? “Em cada templo, o mais forte deve ser escudo para o mais fraco, o mais esclarecido, a luz para o menos esclarecido, e sempre e sempre seja o sofredor o mais protegido e o mais auxiliado, como entre os que menos sofram seja o maior aquele que se fizer o servidor de todos, conforme a observação do Mentor Divino.” - Bezerra de Menezes (“Unificação” - Psic. F. C. Xavier – Reformador - dez/1975.)
  49. 49. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita DIRETRIZES DE TRABALHODIRETRIZES DE TRABALHO DE PAULO DE TARSODE PAULO DE TARSO NA TAREFA CRISTÃNA TAREFA CRISTÃ
  50. 50. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Que fazer para adquirir a compreensão perfeita dos desígnios do Cristo? AMA!
  51. 51. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Mas, como proceder de modo a enriquecermos na virtude divina? Jesus aconselha o amor aos próprios inimigos. Entretanto, considerava quão difícil devia ser semelhante realização. Penoso testemunhar dedicação, sem o real entendimento dos outros. Como fazer para que a alma alcançasse tão elevada expressão de esforço com Jesus Cristo? TRABALHA!
  52. 52. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Que providências adotar contra o desânimo destruidor? ESPERA!
  53. 53. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita Como conciliar as grandiosas lições do Evangelho com a indiferença dos homens? PERDOA!
  54. 54. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita ““Aproxima-se os tempos em que se cumprirão as coisasAproxima-se os tempos em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da humanidade. (...) Ditosos osanunciadas para a transformação da humanidade. (...) Ditosos os que hajam dito a seus irmãos: "Trabalhemos juntos e unamos osque hajam dito a seus irmãos: "Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontrenossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra", porquanto o Senhor lhes dirá: "Vinde a mim, vósacabada a obra", porquanto o Senhor lhes dirá: "Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aosque sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viessevossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!" Mas, ai daqueles que, por efeito das suasdano para a obra!" Mas, ai daqueles que, por efeito das suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois adissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão!tempestade virá e eles serão levados no turbilhão! O Espírito de VerdadeO Espírito de Verdade.
  55. 55. Conselho Espírita InternacionalSeminário: O Trabalhador Espírita FONTES BIBLIOGRÁFICAS Obras básicas de Allan Kardec Apostila “Preparação de Trabalhadores para as Atividades Espíritas” – FEB Manual “Orientação ao Centro Espírita” - FEB Apostila “O Tarefeiro Espírita” – Casa de Glacus Apostila “Trabalho Voluntário na Casa Espírita” – Alkíndar de Oliveira Dimensões Espirituais do Centro Espírita – Suely Caldas Schubert Aconteceu na Casa Espírita – Espírito Nora (médium Emanuel Cristiano)

×