Museu

2,739 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,739
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
138
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Museu

  1. 1. Museu Camila Meneghetti Eduarda de Oliveira Juliana Gulka Manuela Fonseca UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso de Biblioteconomia CIN 5016 Gestão Estratégica em Unidades de Informação
  2. 2. O que é um museu? <ul><li>Art. 1 o   Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento. (BRASIL, 2009) </li></ul>
  3. 3. Cronologia do Comitê Internacional De Museus - ICOM <ul><li>1946:  Museu é um estabelecimento permanente,  sem  fins lucrativos, com vistas a coletar, conservar, estudar, explorar de várias maneiras e, basicamente exibir para educação e lazer de valor cultural .  </li></ul><ul><li>1956:   Museu é um estabelecimento de caráter permanente, administrado para interesse geral, com a finalidade de conservar, estudar, valorizar de diversas maneiras o conjunto de elementos de valor cultural: coleções de objetos artísticos, históricos, científicos e técnicos, jardins botânicos, zoológicos e aquários.  </li></ul><ul><li>1974:  Museu é estabelecimento permanente, sem fins lucrativos, a serviço da sociedade, aberto ao público, que coleciona, conserva, pesquisa, comunica e exibe, para o estudo, a educação e o entendimento, a evidencia material do homem e seu meio ambiente. </li></ul><ul><li>2001:   Instituição permanente, sem fins lucrativos, a serviço da sociedade e do seu desenvolvimento, aberta ao público e que adquire, conserva, investiga, difunde e expõe os testemunhos materiais do homem e de seu entorno, para educação e deleite da sociedade. </li></ul>
  4. 4. Outros documentos: <ul><li>Declaração de Santiago do Chile, 1972: Princípios do Museu Integral; </li></ul><ul><li>Declaração de Quebec, 1984: Princípios de base para uma nova museologia; </li></ul><ul><li>Declaração de Oaxtepe, 1984: Eco museus: Patrimônio-Território-Comunidade; </li></ul><ul><li>Declaração de Caracas, 1993: O museu como gestor do patrimônio. </li></ul>
  5. 5. Vinculação da instituição <ul><li>O museu pode ser vinculado a pessoa física ou jurídica, embora possa ser declarado como de interesse público, no todo ou em parte, caso seu acervo represente um valor cultural de destacada importância para a nação, a diversidade cultural regional, étnica ou lingüística do país. </li></ul><ul><li>Pode ainda ser considerado ESTADUAL, REGIONAL ou DISTRITAL se for vinculado a Federação ou caso seja autorizado a utilizar esta denominação. </li></ul>
  6. 6. O museu como Unidade de Informação <ul><li>A documentação museológica representa um aspecto da gestão dos museus destinada ao tratamento da informação em todos os âmbitos, desde a entrada do objeto no museu até a exposição, envolvendo tarefas de coleta, armazenamento, tratamento, organização, disseminação e recuperação da informação. Considerando os documentos como registros da atividade humana, a documentação serve como instrumento de comunicação e preservação da informação no âmbito da memória social e da pesquisa científica. (YASSUDA, 2009, p. 22) </li></ul>
  7. 7. Funções do museu <ul><li>1) Função básica: preservação </li></ul><ul><li>Realizada por meio da documentação, conservação e comunicação (envolvendo exposição, educação informal e ações socioculturais). </li></ul><ul><li>Aquisição; </li></ul><ul><li>Investigação; </li></ul><ul><li>Difusão e </li></ul><ul><li>Exposição de testemunhos materiais dos seres humanos. </li></ul><ul><li>São responsáveis pelo patrimônio natural, cultural, material e imaterial de uma comunidade. Sua principal responsabilidade é a proteção e valorização deste patrimônio. </li></ul>
  8. 8. Funções do museu <ul><li>2) Funções secundárias: </li></ul><ul><li>a) Socioeducativa </li></ul><ul><li>Implementada por meio de projetos cujo objetivo é elevar o nível de educação e conhecimentos da sociedade, englobando crianças, jovens e adultos. Modos de realização: </li></ul><ul><li>Capacitações do público; </li></ul><ul><li>Exposições temporárias ou itinerantes; </li></ul><ul><li>Oficinas de música, artes cênicas, literatura, etc.; </li></ul><ul><li>Visitas guiadas; </li></ul><ul><li>É extremamente importante para um museu a implementação de políticas culturais de incentivo para o desenvolvimento da capacidade individual e coletiva da comunidade à qual pertence. </li></ul>
  9. 9. Funções do museu <ul><li>2) Funções secundárias: </li></ul><ul><li>b) Pesquisa museológica </li></ul><ul><li>Motivada por, basicamente, duas razões: </li></ul><ul><li>Produção de conhecimentos; </li></ul><ul><li>Promoção e desenvolvimento individual/coletivo. </li></ul><ul><li>Deve promover ações comprometidas socialmente para o desenvolvimento e uma economia sustentável por meio da preservação e valorização do patrimônio cultural e natural. </li></ul>
  10. 10. Usuários de um museu <ul><li>Pesquisadores </li></ul><ul><li>Historiadores </li></ul><ul><li>Museólogos </li></ul><ul><li>Estudantes </li></ul><ul><li>Sociedade em geral </li></ul>No século XVIII O museu servia para educar o indivíduo e estimular o senso estético nacional e pessoal, excluindo os bárbaros e escravos por não acreditarem que os dois grupos seriam merecedores do espaço que ele oferecia.
  11. 11. Usuários no Brasil <ul><li>Século XIX: os museus eram abertos apenas para um seleto grupo de pessoas cultas da época e além disso , serviram para os cursos de nível superior. </li></ul><ul><li>Na década de 1980, foram criados museus direcionados para a educação, que se preocupavam com a comunicação com o público visitante. </li></ul><ul><li>Os museus passaram a investir em cultura para a sociedade . </li></ul><ul><li>Houve preocupação na comunicação com os grupos escolares. </li></ul>
  12. 12. Usuário virtual <ul><li>Com o advento da tecnologia, os usuários do museu passaram a se comunicar com ele virtualmente. </li></ul><ul><li>O site do museu atua como um estimulador, para que o usuário virtual tenha curiosidade de realizar uma visita física. </li></ul><ul><li>O público virtual na sua maioria é composta por adultos, que estudaram até a pós-graduação e buscam informações para suas pesquisas. </li></ul><ul><li>O museu com o passar do tempo agregou usuários e mudou a sua forma de comunicação para poder atender os visitantes que o freqüentam, atuando como uma unidade de informação na sociedade. </li></ul>
  13. 13. Produtos e serviços de um museu <ul><li>Documentação </li></ul><ul><li>Conservação e segurança dos acervos </li></ul><ul><li>Ação educativa </li></ul><ul><li>Acesso público aos bens culturais </li></ul><ul><li>Exposição </li></ul>Exposições <ul><li>Individual </li></ul><ul><li>Coletiva </li></ul><ul><li>Antológica </li></ul><ul><li>Retrospectiva </li></ul><ul><li>Histórica </li></ul><ul><li>Comemorativa </li></ul><ul><li>Cronológica </li></ul><ul><li>Temática </li></ul>Tipos Características <ul><li>Permanente </li></ul><ul><li>Temporária </li></ul><ul><li>Itinerante </li></ul><ul><li>* De acordo com a sua duração. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Programas educativos: A finalidade destes programas é complementar e contribuir para elevar o nível de educação e de conhecimento das crianças, jovens e adultos. No projeto de exposições, deve-se levantar um perfil do visitante e decidir o que e como será transmitido. </li></ul><ul><li>Exposições voltadas para crianças : A informação é apresentada de forma simples e concreta e tem uma proposta de educação informal e lúdica. </li></ul><ul><li>Atividades voltadas ao público adulto : Realização de ciclos de filmes, oficinas de teatro ou artes, literatura, música, seminários, exposições temporárias, realizadas com o acervo do museu, ou por temáticas, etc. </li></ul><ul><li>Conferências e palestras : formas de fornecer maior conhecimento do conteúdo das exposições ou do patrimônio cultural e nacional local. </li></ul>Produtos e serviços de um museu
  15. 15. <ul><li>Visita Guiada </li></ul><ul><li>Um dos meios utilizados nos museus para facilitar a relação entre o visitante e o conteúdo da exposição. Essa atividade deve ser planejada levando em consideração o espaço, o número de pessoas para cada grupo e o tempo de duração da visita. </li></ul><ul><li>Para grupos de estudantes é interessante propôr atividades com caráter exploratório, tanto educativo como recreativo, pois estimulam a curiosidade e a criatividade dos visitantes. </li></ul><ul><li>Oficinas </li></ul><ul><li>Podem tratar de áreas específicas de conhecimentos ou de técnicas empregadas com os recursos naturais e elementos da cultura local, como trabalhos artesanais e artísticos. </li></ul>Produtos e serviços de um museu
  16. 16. <ul><li>Seu objetivo é permitir que a população conheça o museu, as pesquisas e os projetos que realiza. </li></ul><ul><li>Publicações promocionais : a finalidade deste tipo de publicação é difundir e incentivar o acesso da população às atividades organizadas pelo museu. Podem ser pequenos folhetos ou miniguias com informações sobre as atividades do museu, suas características e recursos expositivos, os horários de atendimento ao público, as atividades paralelas, como ciclo de filmes e palestras, os serviços de transportes, serviços especiais para estudantes e cursos, informações como a direção do museu, telefones e formas de contato. </li></ul><ul><li>Publicações especializadas : essas publicações possuem informações extensas e aprofundadas sobre o patrimônio cultural e natural e/ou coleção, como também sobre exposições que se realizem no museu. </li></ul><ul><li>Outros tipos de publicações são: </li></ul><ul><li>Catálogos </li></ul><ul><li>Guias de estudo </li></ul><ul><li>Boletins informativos ou revistas </li></ul>Publicações de museus
  17. 17. REFERÊNCIAS <ul><li>BRASIL. Estatuto de Museus . Lei 11.904 de 14 de janeiro de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11904.htm . Acesso em: 13 abr. 2011. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>CONSELHO INTERNACIONAL DE MUSEUS - ICOM. Disponível em: http://www.icom.org.br/ . Acesso em 16 abr. 2011. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>IPHAN. Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/portal/montarPaginaInicial.do . Acesso em: 13 abr. 2011. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>PORTAL EDUCAÇÃO E SITES ASSOCIADOS. Curso de Museologia Social: conceitos, técnicas e práticas. Educação a distancia. [s.l]: [s.n], [20--]. Arquivo em PDF. </li></ul>
  18. 18. REFERÊNCIAS <ul><li>PRIMO, Judite. Documentos básicos de museologia: principais conceitos. Cadernos de Museologia , n. 28, p. 117-133, 2007. </li></ul><ul><li>SISTEMA BRASILEIRO DE MUSEUS. Disponível em: http://www.museus.gov.br/sbm/oqueemuseu_museusdemu.htm . Acesso em: 16 abr. 2011. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>SUANO, Marlene. Museologia. O que é Museu? Disponível em: http://www.pallotti.com.br/museu/museologia.html . Acesso em: 16 abr. 2011. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>YASSUDA, Silvia Nathaly. Documentação museológica: uma reflexão sobre o tratamento descritivo do objeto no Museu Paulista. 123 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação), Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, 2009. </li></ul>

×