Solventes org.

5,318 views
4,996 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,318
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
238
Actions
Shares
0
Downloads
84
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Solventes org.

  1. 1. SOLVENTES ORGÂNICOS Ana Paula W. Naumann João V. Flores Baldo Josiane Tobias Tiago Nantes Barreto Silva Viviane Dias Ortt
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>Solvente orgânico é a designação genérica dada a um grupo de substâncias químicas orgânicas, líquidas à temperatura ambiente, que apresentam maior ou menor grau de volatilidade e lipossolubilidade. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>É empregado como solubilizantes, dispersante ou diluente em diferentes processos ocupacionais. </li></ul><ul><li>Podem ser empregados como substâncias puras ou na forma de misturas. </li></ul><ul><li>Estão subdivididos em : Hidrocarbonetos alifáticos; aromáticos ou halogenados; álcoois; cetonas; éteres entre outros. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O risco tóxico do uso de solventes orgânicos é bastante variável, em função de suas propriedades físico-químicas e de fatores diversos que podem alterar as fases de exposição, toxicocinética e toxicodinâmica dos mesmos. </li></ul>
  5. 5. FASE DE EXPOSIÇÃO <ul><li>Intensidade da exposição aos solventes orgânicos é influenciada por algumas características como lipossolubilidade, coeficiente de partição óleo/água e grau de ionização, que influenciam também a fase toxicocinética dos solventes. </li></ul>
  6. 6. FASE TOXICOCINÉTICA <ul><li>O comportamento toxicocinético dos solventes orgânicos. </li></ul><ul><li>Alteração na absorção, distribuição, biotransformação e excreção dos solventes no organismo. </li></ul>
  7. 7. Absorção e Distribuição dos solventes Pulmonar e Cutânea <ul><li>Absorção Pulmonar: Podem ser inalados pelos trabalhadores expostos e consequentemente atingir ao alvéolos pulmonares entrando em contato com o sangue capilar. </li></ul><ul><li>Absorção Cutânea: Solventes orgânicos penetrados através da pele. </li></ul>
  8. 8. Fatores que interferem na absorção e distribuição dos solventes orgânicos <ul><li>Fatores ambientais: temperatura </li></ul><ul><li>Fatores individuais: dieta e a ingestão de bebidas alcoólicas. </li></ul><ul><li>O aumento da temperatura ambiental tende a aumentar a taxa de respiração do indivíduo, sua freqüência cardíaca e o fluxo sanguíneo para os tecidos. </li></ul>
  9. 9. Biotransformação e Excreção <ul><li>A toxicidade dos solventes orgânicos está diretamente relacionada à sua biotransformação. </li></ul><ul><li>Vários fatores podem alterar estes processos metabólicos influenciando a toxicidade dos solventes: </li></ul><ul><li>Fatores ambientais </li></ul><ul><li>Fatores individuais </li></ul><ul><li>Fatores genéticos </li></ul><ul><li>Fatores fisiopatológicos </li></ul>
  10. 10. Aspectos Toxicológicos de solventes orgânicos específicos <ul><li>Benzeno: o benzeno é um líquido incolor, volátil,ponto de ebulição de 80,1°C,inflamável,de elevada lipossolubilidade e praticamente insolúvel em água. </li></ul><ul><li>O benzeno é absorvido por vias cutâneas e pulmonar.Irrita a pele e mucosas.Em sua ação tóxica aguda causa depressão no SNC.Pode causar edema pulmonar e hemorragias locais.O limite de exposição ocupacional do benzeno deve ser zero. </li></ul>
  11. 11. Tolueno <ul><li>Liquido incolor,volátil.A absorção ocorre principalmente pelo pulmão e também cutânea.Nas exposições agudas,crônicas atua sobre o SNC, afeta as atividades motoras do individuo. </li></ul><ul><li>Os sintomas são euforias,tremores e fadiga. </li></ul>
  12. 12. Xileno <ul><li>Liquido incolor,insolúvel em água e bastante solúvel em álcool. Utilizado em industrias químicas de plásticos,fibras sintéticas e couro.Tem capacidade como agente de limpeza e desengorduraste. </li></ul><ul><li>Pode sofrer absorção através das vias cutâneas e pulmonar.Apresenta ação irritante sobre a pele e mucosas, é hepatotoxico,pode desenvolver peroxidaçao lipidica. </li></ul>
  13. 13. Estireno <ul><li>Liquido incolor em temperatura ambiente.Pode ser absorvido pelas vias pulmonar e cutânea. </li></ul><ul><li>É biotransformado no fígado através das enzimas microssômicas hepática. </li></ul><ul><li>Irrita pele e mucosas e apresenta neurotoxicidade central periférica. </li></ul>
  14. 14. N-HEXANO <ul><li>É produzido durante o craqueamento catalítico ou térmico seguido de destilação fracionada do petróleo. </li></ul><ul><li>Volátil, lipossolúvel, praticamente insolúvel em água. </li></ul><ul><li>Empregado em indústrias de alimentos, como solventes de tintas, vernizes, adesivos e colas </li></ul>
  15. 15. <ul><li>É o representante mais tóxico dentre os solventes alifáticos e atualmente representa um problema social no Brasil, devido aos “cheiradores de cola”. </li></ul><ul><li>TOXICOCINÉTICA: É rapidamente absorvido pelo organismo através das vias cutânea, gastrintestinal e pulmonar. </li></ul><ul><li>TOXICODINÂMICA: Possui ação irritante de mucosas e pele, além de potente neurotoxicidade periférica, caracterizada por neuropatia progressiva motora e sensomotora </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Sintomatologia: Intoxicações agudas- Após ingestão acidental aparecem náuseas, irritações gastrintestinal e efeitos característicos da depressão do sistema nervoso central </li></ul>
  17. 17. METANOL <ul><li>O metanol é o representante quimicamente mais simples dentre os solventes alcoólicos. </li></ul><ul><li>Líquido claro, incolor, inflamável, volátil e de pequena lipossolubilidade. </li></ul><ul><li>TOXICOCINÉTICA: O metanol pode ser rapidamente absorvido pelas vias oral, respiratória e cutânea. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>TOXICODINÂMICA: É um depressor moderado do SNC e produz, em exposições a longo prazo, alterações ao nível pulmonar. </li></ul><ul><li>Sua principal ação tóxica ocorre a nível ocular, podendo resultar em cegueira. </li></ul>
  19. 19. SOLVENTES CLORADOS <ul><li>Os efeitos tóxicos dos solventes clorados variam em função do número de átomos de cloro presentes na molécula do mesmo. </li></ul><ul><li>Produzem depressão do SNC, ação hepatotóxica e nefrotóxica. </li></ul><ul><li>O clorofórmio desenvolve ação tóxica sobre o miocárdio. </li></ul>
  20. 20. CLORETO DE METILENO <ul><li>O cloreto de metileno ou diclorometano é um líquido incolor, não inflamável, volátil, odor semelhante ao éter, solúvel em água, álcool, éter e cetonas. </li></ul><ul><li>TOXICOCINÉTICA: Pode ser absorvido pelas vias pulmonar e cutânea. </li></ul><ul><li>TOXICODINÂMICA: Apresenta ação irritante sobre pele e mucosas. Possui ação depressora do SNC agindo também sobre fígado e rins. </li></ul>
  21. 21. PERCLORETILENO (PER) <ul><li>Também denominado tetracloretileno, é um líquido incolor, volátil, lipossolúvel, miscível com etanol, éter e óleos. </li></ul><ul><li>Utilizado em indústrias no desengraxamento de peças metálicas. </li></ul><ul><li>TOXICOCINÉTICA: Pode ser absorvido pela pele intacta e pulmões. </li></ul><ul><li>TOXICODINÂMICA: O PER é irritante de mucosas e pele. Apresenta ação nefrotóxica, hepatotóxica e depressora do SNC. </li></ul>
  22. 22. TETRACLORETO DE CARBONO <ul><li>É um líquido claro, inodoro, incolor, insolúvel na água, muito solúvel no álcool e éter, com elevada lipossolubilidade e volatilidade. </li></ul><ul><li>TOXICOCINÉTICA: A absorção deste solvente pode ocorrer através da via pulmonar ou cutânea. </li></ul><ul><li>TOXICODINÂMICA: A exposição ocupacional pode levar a danos hepáticos, entre eles o desenvolvimento de intensa fibrose, devido produzir degeneração gordurosa do tecido hepático. </li></ul><ul><li>Podem ocorrer icterícia, vômitos, diarréia, oligúria, proteinúria, cilindrúria e hematúria. </li></ul>
  23. 23. ANILINA <ul><li>É um líquido incolor que tende a escurecer quando exposto à luz, inflamável, lipossolúvel e moderadamente volátil. </li></ul><ul><li>É utilizada em vários processos industrias inclusive na síntese farmacêutica da acetanilida e fenacetina. </li></ul><ul><li>TOXICODINÂMICA: A principal ação tóxica da anilina corresponde à formação de metemoglobina que tem capacidade de oxidar o Fe2 presente no grupo heme da hemoglobina, tornando este pigmento incapaz de exercer sua principal função fisiológica que é o transporte de O2 . </li></ul>

×