Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CUIDADOR DE IDOSO NA
MODALIDADE FORMAÇÃO INICIAL E CO...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
ESCOLA TÉCNICA DE SÁUDE

PROJETO PEDAGÓGICO DO CU...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
ESCOLA TÉCNICA DE SÁUDE

Prof. Dr. Alfredo Júlio ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

SUMÁRIO

1

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO..............................................

06...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Denominação do Curso: Cuidador de Idosos
Local de Oferta:...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

2. APRESENTAÇÃO DO CURSO

O

Curso

busca

qualificar

numa

visão

multiprofissiona...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

3. CARACTERIZAÇÃO DO CAMPUS

A Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de Ub...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

4. PRONATEC

Instituído no dia 26 de outubro pela Lei nº 12.513/2011, o Programa Nac...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

II – trabalhadores – inclusive agricultores familiares, silvicultores, agricultores,...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

5. JUSTIFICATIVA

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

seus direitos sociais, criando condições para promover sua autonomia, integração e
p...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, educador físico, enfermagem e
outr...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

6. OBJETIVOS

6.1 Objetivo Geral

Desenvolver as habilidades de cuidado com idoso re...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

 Conhecer procedimentos de primeiro socorros e locomoção da pessoa
assistida;
 Abo...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

7. PERFIL DO CURSO

O curso de Cuidador de Idoso visa desenvolver as competências do...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

8. PERFIL DO PROFISSIONAL EGRESSO
O Cuidador de Idoso é a pessoa capacitada para aux...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

 prestar cuidados especiais a pessoas com limitações e/ou dependência
física
 obse...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

 verificar a despensa
 observar a qualidade e a validade dos alimentos
 fazer as ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

 preparar documentos e lista de telefones úteis
 acondicionar alimentação para ati...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

 honestidade
 abordagem de finitude (morte)

20
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

9. REQUISITOS PARA O INGRESSO

O ingresso ao Curso de Cuidador de Idoso na modalidad...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

10. PERIODICIDADE DA OFERTA

O Curso será ofertado em duas turmas consecutivas no an...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

11. FREQUENCIA MÍNIMA OBRIGATÓRIA

A presença é verificada dentro do processo de for...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

12. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

12.1 Estrutura Curricular

O Curso de Cuidador de Idoso ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso



Modalidades de atenção à pessoa idosa



Serviços disponíveis e direitos do cuid...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso



Alimentação



Saúde Bucal do Idoso



Envelhecimento do sistema estomatognátic...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

Matriz Curricular

T

P

CH

Envelhecimento Humano

20

0

20

Cuidador de Idosos

2...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

13. METODOLOGIA DE ENSINO

Os métodos pedagógicos e as práticas de ensino terá em co...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

14. MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO

O Curso de Cuidador de Idoso contará com os materi...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

15. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

A avaliação, parte do processo ensino/aprendizagem, s...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

A frequência mínima exigida no curso será de 75%, de acordo com a
Resolução CD/FNDE ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

16. INSTALAÇÕES, EQUIPAMENTOS

16.1 Laboratórios

A ESTES oferece vários cursos na á...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso



Armário vitrine para medicação em aço



Bacia Alumínio média



Bacia alumínio...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso



Conjunto para traqueostomia



CPU Pentium 200 Mux 16 MB - US-Robotics
Kit-um

...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso



Mergulhão



Mesa de cabeceira



Mesa Secretária 03 gavetas



Mesa secretári...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

17. ACERVO BIBLIOGRÁFICO
A Universidade Federal de Uberlândia possui biblioteca com ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

18. PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO ADMINISTRATIVO

A equipe poderá contar com quadro dos ...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

19. CERTIFICADOS

Fará jus ao Certificado de Qualificação Profissional de Cuidador d...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

20. CASOS OMISSOS

Os casos omissos serão resolvidos pelo Coordenador Geral do PRONA...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

21. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BONFIM, Mirele Cardoso do; GONDIM, Sônia Maria Guede...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

41

______. Subsecretaria de Direitos Humanos da Secretaria Geral da Presidência da
...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

FREITAS, E. V., et al. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro:
Guanabar...
Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso

a

PAPALIA, D. E.; OLDS, S.W. Desenvolvimento Humano. 10 . ed., Porto Alegre: Artes ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Projeto pedagógico fic cuidador de idoso

2,609

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,609
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
85
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projeto pedagógico fic cuidador de idoso

  1. 1. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CUIDADOR DE IDOSO NA MODALIDADE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE TRABALHADORES – FIC PELO PRONATEC UBERLÂNDIA 2012 1
  2. 2. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SÁUDE PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CUIDADOR DE IDOSO NA MODALIDADE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE TRABALHADORES – FIC PELO PRONATEC Aprovado pelo Colegiado da Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de Uberlândia em 12/12/2012. UBERLÂNDIA 2012 2
  3. 3. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SÁUDE Prof. Dr. Alfredo Júlio Fernandes Neto Reitor Prof. Dr. Aberto Martins da Costa Pró-Reitor de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis Profa. Ms. Maria Helena Ribeiro Godoy Diretora da Escola Técnica em Saúde Prof. Ms. Noriel Viana Pereira Coordenador Geral do PRONATEC/UFU Prof. Ms. Dnieber Chagas de Assis Coordenador Adjunto do PRONATEC/UFU 3
  4. 4. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso SUMÁRIO 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO.............................................. 06 2 APRESENTAÇÃO DO CURSO........................................... 07 3 CARACTERIZAÇÃO DO CAMPUS..................................... 08 4 PRONATEC......................................................................... 09 5 JUSTIFICATIVA................................................................... 11 6 OBJETIVOS......................................................................... 14 6.1 Objetivo Geral...................................................................... 14 6.2 Objetivos Específicos........................................................... 14 7 PERFIL DO CURSO............................................................ 16 8 PERFIL DO PROFISSIONAL EGRESSO............................ 17 9 REQUISITOS PARA O INGRESSO.................................... 22 10 PERIODICIDADE DA OFERTA........................................... 23 11 FREQUENCIA MÍNIMA OBRIGATÓRIA............................. 24 12 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR.......................................... 25 12.1 Estrutura Curricular.............................................................. 25 13 METODOLOGIA DE ENSINO............................................. 29 14 MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO.............................. 30 15 AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM..................................... 31 16 INSTALAÇÕES, EQUIPAMENTOS..................................... 33 17 ACERVO BIBLIOGRÁFICO................................................ 39 18 PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO ADMINISTRATIVO...... 40 19 CERTIFICADOS.................................................................. 41 20 CASOS OMISSOS............................................................... 42 21 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..................................... 43 4
  5. 5. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Denominação do Curso: Cuidador de Idosos Local de Oferta: Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de UberlândiaCampus Umuarama Modalidade: Curso presencial de formação inicial e continuada de trabalhadores, Eixo Tecnológico Ambiente e Saúde, subsequente ao ensino fundamental (conforme a Lei Nº 12.513, de 26 de Outubro de 2011, e Guia PRONATEC de cursos Turno da Oferta: Noturno Titulação conferida: Certificado de qualificação profissional Número de Vagas Oferecidas: 40 Número de Cursos no Ano de 2013: 2 turmas (uma em cada semestre) Duração do curso: 3 meses Carga Horária Total: 180 horas Equipe Diretiva do Campus: Maria Helena Ribeiro Godoy Início do curso: 2013/1 5
  6. 6. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 2. APRESENTAÇÃO DO CURSO O Curso busca qualificar numa visão multiprofissional, multi/inter/transdisciplinar pessoas que concluíram o ensino fundamental para cuidar de idoso, com ou sem limitações para as atividades de vida diária (AVD), desenvolvendo com incentivo e motivação as suas habilidades e capacidades de relacionar com esta faixa etária, familiares e equipe envolvida de forma humanizada. O curso está organizado para ser realizado em um módulo com carga horária total 180h, sendo 20 horas para o acolhimento inicial (Projeto Conhecer e Entrosar). 6
  7. 7. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 3. CARACTERIZAÇÃO DO CAMPUS A Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de Uberlândia localizada na Avenida Amazonas s/nº- Bloco 4K e Bloco 6X do Campus Umuarama foi criada em 1972, e oferece os cursos técnicos subseqüente ao ensino médio em Enfermagem, Análises Clínicas, Prótese Dentária, Saúde Bucal, Controle Ambiental e na modalidade PROEJA, o curso Técnico em Meio Ambiente. 7
  8. 8. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 4. PRONATEC Instituído no dia 26 de outubro pela Lei nº 12.513/2011, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) visa a ampliar a oferta de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) à população brasileira por intermédio de uma série de subprogramas, projetos e ações de assistência técnica e financeira. A integração das redes de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) e destas com as redes públicas de ensino será fundamental para a consolidação do Pronatec como política pública e também como esforço para consolidar o sistema federal de ensino. Dentre os subprogramas, projetos e ações que integram o Pronatec, merece destaque a Bolsa-Formação, pela qual a União financiará a oferta gratuita de cursos presenciais de EPT e assistência estudantil plena a diversos públicos. Mesmo sem transferências em espécie, o programa garantirá a cobertura integral de despesas com a oferta educacional, o transporte e a alimentação oferecidos a beneficiários, motivo pelo qual recebe a denominação descritiva de Bolsa-Formação. Ainda que possa ser estendido a outros segmentos sempre que houver demandas específicas para tanto, a Bolsa-Formação – assim como o Pronatec em geral – atenderá prioritariamente aos seguintes públicos, conforme estabelecido pela Lei nº 12.513/2011: I – estudantes do Ensino Médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos; 8
  9. 9. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso II – trabalhadores – inclusive agricultores familiares, silvicultores, agricultores, extrativistas, pescadores, indígenas, quilombolas, jovens em cumprimento de medidas socioeducativas e pessoas com deficiência. III – beneficiários dos programas federais de transferência de renda; IV – estudantes que tenham cursado o Ensino Médio completo em escola da rede pública ou em instituições privadas na condição de bolsista integral. A Bolsa-Formação Estudante destina-se a estudantes regularmente matriculados em instituições públicas de Ensino Médio. Eles serão beneficiados com Cursos Técnicos de duração mínima de 800 horas que, previstos no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos,editado pelo Ministério da Educação, serão realizados em concomitância com o Ensino Médio. Já a Bolsa-Formação Trabalhador destina-se a trabalhadores de diferentes perfis e beneficiários dos programas federais de transferência de renda. Eles receberão Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) com duração mínima de 160 horas, também conhecidos como cursos de qualificação, previstos no Guia Pronatec de Cursos FIC, editado periodicamente pelo Ministério da Educação. 9
  10. 10. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 5. JUSTIFICATIVA Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE, o Brasil conta com aproximadamente 18 milhões de idosos que representam cerca de 10% da população brasileira, e a projeção da Organização Mundial de Saúde- OMS indica que no ano de 2025 o Brasil terá mais de 32 milhões de idosos. Ainda segundo o IBGE, Uberlândia possui 622.441 habitantes. Destes, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 57.841 são idosos e representam 10,76% da população total, A expectativa de vida do município é expressiva e conforme os dados atuais o uberlandense vive em media ate 70,2 anos de idade. O primeiro documento nacional a fazer referência aos direitos dos idosos foi a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, determinando que “a família, a sociedade e o Estado têm o dever de amparar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bemestar e garantindo-lhes o direito à vida”. Em 1988 foi criado o Comitê Nacional para a Promoção de Saúde dos Idosos junto ao Ministério da Saúde. Dentre as diretrizes adotadas por esse programa foi proposto o atendimento dessa população por meio de equipes multidisciplinares no sentido de reintegração do idoso. Em 1990, a Lei Orgânica da Saúde- Lei Federal nº 8.080/90 assegurou a atenção integral e especial à saúde dos idosos, os quais deverão também ter preferência de atendimento no Sistema Único de Saúde- SUS para o tratamento das doenças que os afetam. Em 1994, a Lei Federal nº 8.842/94 estabelece a Política Nacional do Idoso, assegurando aos idosos com sessenta anos de idade ou mais os 10
  11. 11. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso seus direitos sociais, criando condições para promover sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade. Em 2004, passa a vigorar o Estatuto do Idoso- Lei Federal n° 10.741/03, destinado a regular os direitos assegurados as pessoa com idade igual ou superior a sessenta anos, garantindo que o idoso goze de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral e de todas as oportunidades e facilidades para preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social. A ocupação de cuidador integra a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO sob o código 5162-10, que define o cuidador como alguém que “cuida a partir dos objetivos estabelecidos por instituições especializadas ou responsáveis diretos, zelando pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida”. É importante ressaltar que, a pessoa do cuidador também merece cuidado para poder cuidar bem do outro. O Curso de Cuidador de Idoso também abordará essa questão da manutenção da integridade física, mental e emocional do profissional. O processo natural de envelhecimento é conhecido como senescência e as alterações associadas a alguma sobrecarga como doença, estresse ou acidentes que requeiram cuidados especializados denomina-se senilidade. Os problemas de saúde do idoso são heterogêneos, individualizados, crônicos, pode desenvolver a dependência parcial e/ou total do outro e repercutir na estrutura familiar. A presença de uma proporção cada vez maior de pessoas idosas na população e nas famílias que ainda estão na vida ativa, evidencia o papel do Cuidador. Tal situação requer equipe multiprofissional qualificada como nutricionista, médicos, cirurgiões dentistas, 11
  12. 12. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, educador físico, enfermagem e outros e o cuidador, seja da família ou não, tem que estar integrado a essa equipe. Em razão das informações expostas acima, justifica-se a criação do curso de Cuidador de Idoso na Modalidade Formação inicial e Continuada de Trabalhadores – FIC pelo PRONATEC, visando o melhor bem estar biopsicossocial do idoso, das famílias e do profissional. 12
  13. 13. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 6. OBJETIVOS 6.1 Objetivo Geral Desenvolver as habilidades de cuidado com idoso respeitando os aspectos físico, mental, social e legal. Capacitar, também, o estudante para o relacionamento humanizado com o idoso, seus familiares e equipe multiprofissional. 6.2 Objetivos Específicos  Abordar o papel do idoso na sociedade atual;  Dar visibilidade para a importância do idoso em termos da identidade do povo brasileiro;  Conhecer os aspectos do processo de envelhecimento, as modificações corporais e os efeitos psíquicos do envelhecer;  Debater aspectos referentes aos direitos e deveres do familiar no cuidado com o idoso, baseado na constituição federal e estatuto do idoso;  Difundir as políticas públicas de atenção ao idoso;  Trabalhar as especificidades da saúde do idoso, nos aspectos biológico, psicológico e social;  Melhorar as relações humanas entre cuidador/idoso/familiares e comunidade;  Debater sobre maus-tratos a idosos com vistas a socialização;  Abordar os cuidados de higiene do idoso e orientações básicas para as atividades de vida diária; 13
  14. 14. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  Conhecer procedimentos de primeiro socorros e locomoção da pessoa assistida;  Abordar sobre os cuidados com a saúde bucal e sua relação com a saúde geral  Compreender o processo de envelhecimento do sistema estomatognático (biológico e patológico);  Conhecer as possibilidades de lazer e atividades lúdicas e esportivas com pessoas idosas;  Esclarecer sobre práticas alimentares adequadas para a população idosa  Trabalhar a sexualidade na terceira idade;  Discutir a prática do acompanhamento e seu trabalho diário;  Abordar a dimensão ética do trabalho com o idoso;  Valorizar o trabalho do cuidador de idoso;  Entender a importância do auto-cuidado no papel do cuidador;  Esclarecer sobre os direitos trabalhistas do cuidador de idosos;  Conhecer as possibilidades e benefícios da previdência tanto do idoso quanto do cuidador como trabalhador;  Conhecer a realidade do idoso nas instituições de longa permanência para idoso (ILPI’s). 14
  15. 15. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 7. PERFIL DO CURSO O curso de Cuidador de Idoso visa desenvolver as competências do estudante para atuar nos cuidados quanto à higiene pessoal, conforto, e alimentação, observando possíveis alterações nas condições biopsicossociais. O processo de cuidar é a forma como se dá o cuidado e é um processo interativo, que desenvolve ações, atitudes e comportamentos com base no conhecimento científico, na experiência, intuição e tendo como ferramenta principal o pensamento crítico. Essas ações, realizadas para o “cuidar” e ser cuidado, visa promover, manter e recuperar a dignidade humana. 15
  16. 16. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 8. PERFIL DO PROFISSIONAL EGRESSO O Cuidador de Idoso é a pessoa capacitada para auxiliar o idoso o qual apresenta limitações para realizar as atividades e tarefas da vida quotidiana, fazendo elo entre o idoso, a família e serviços de saúde ou da comunidade. O Cuidador de idosos poderá atuar de forma autônoma ou voluntária no atendimento ao público da terceira idade, em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), clínicas, hospitais, centros de atenção ao idoso ou em domicílio. Ao concluir o Curso de Cuidador de Idoso o estudante deverá ter constituído as seguintes competências gerais da área da saúde: Cuidar da pessoa do idoso  levantar informações sobre a pessoa e suas atividades de vida diária  cuidar da aparência e higiene da pessoa  ajudar a pessoa nas atividades da vida diária (AVD)  estar atento às ações da pessoa  verificar informações, sinais dados pela pessoa  relatar o dia-a-dia da pessoa aos responsáveis  desestimular a agressividade da pessoa Cuidar da saúde do idoso  observar temperatura, urina, fezes e vômitos  observar a qualidade do sono  ajudar nas terapias ocupacionais e físicas 16
  17. 17. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  prestar cuidados especiais a pessoas com limitações e/ou dependência física  observar alterações físicas  observar as alterações de comportamento  lidar com comportamentos compulsivos  controlar guarda, horário e ingestão de medicamentos  acompanhar o idoso em consultas e atendimentos médico-hospitalar  relatar orientação médica aos responsáveis  seguir orientação de profissionais da saúde  observar sinais vitais  relatar condições de saúde aos profissionais e/ou responsáveis Promover o bem estar do idoso  ouvir o idoso respeitando sua necessidade individual de falar  dar apoio emocional  ajudar a recuperação da auto-estima, dos valores e da afetividade  promover atividades de estímulo a afetividade  estimular a independência  orientar o idoso na sua necessidade espiritual e religiosa  respeitar a pessoa em seus hábitos, gostos e valores  encaminhar a pessoa a outros profissionais quando necessário Cuidar da alimentação do idoso  participar na elaboração do cardápio 17
  18. 18. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  verificar a despensa  observar a qualidade e a validade dos alimentos  fazer as compras conforme lista e cardápio  preparar a alimentação quando necessário  servir a refeição em ambientes e em porções adequadas  estimular a ingestão de líquidos e de alimentos variados  controlar a ingestão de líquidos e alimentos  reeducar os hábitos alimentares da pessoa se necessário  ajudar a pessoa na alimentação quando necessário Cuidar do ambiente domiciliar e/ou institucional  cuidar dos afazeres domésticos quando necessário  manter o ambiente organizado e limpo  recomendar adequação ambiental  prevenir acidentes  cuidar da roupa e objetos pessoais da pessoa  preparar o leito de acordo com as necessidades do idoso Acompanhar o idoso em atividades externas (passeios, viagens e férias)  planejar passeios  listar objetos de viagem  arrumar a bagagem  preparar a mala de remédios 18
  19. 19. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  preparar documentos e lista de telefones úteis  acondicionar alimentação para atividades externas  acompanhar a pessoa em atividades sociais, culturais, lazer e religiosas  auxiliar nos preparativos de viagem  comunicar saída para atividades externas da pessoa aos responsáveis Demonstrar competências pessoais relacionadas a:  preparo físico  capacidade de acolhimento  capacidade de adaptação  empatia  privacidade da pessoa  paciência  capacidade de escuta  capacidade de percepção  calma em situações críticas  discrição  capacidade de tomar decisões  capacidade de buscar informações e orientações técnicas  iniciativa  preparo emocional  valores a partir do próprio exemplo e pela fala  capacidade de administrar o tempo 19
  20. 20. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  honestidade  abordagem de finitude (morte) 20
  21. 21. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 9. REQUISITOS PARA O INGRESSO O ingresso ao Curso de Cuidador de Idoso na modalidade de Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores- FIC pelo Pronatec dar-se-á conforme Resolução CD/FNDE Nº4 DE 16 de março de 2012, que tem como um dos requisitos para o candidato o Ensino fundamental completo como a escolaridade mínima exigida. 21
  22. 22. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 10. PERIODICIDADE DA OFERTA O Curso será ofertado em duas turmas consecutivas no ano de 2013 e terá duração de até 3 meses. As aulas teóricas e laboratoriais serão ministradas no período noturno. 22
  23. 23. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 11. FREQUENCIA MÍNIMA OBRIGATÓRIA A presença é verificada dentro do processo de formação do estudante e como critério de avaliação deve ter, no mínimo, 75% de frequência em cada disciplina. 23
  24. 24. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 12. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 12.1 Estrutura Curricular O Curso de Cuidador de Idoso está organizado em um módulo, com carga horária total de 180 horas distribuídas em 150h teóricas e 30h práticas. As disciplinas Envelhecimento Humano, Cuidador de Idoso, O Papel Social do Cuidador de Idoso e Procedimentos operacionais para o Cuidador de Idoso compõem a carga horária de 160h da matriz curricular e mais 20 horas são acrescidas para o Projeto Conhecer e Entrosar. Desta forma, a matriz curricular do curso está assim distribuída: 12.1.1 Projeto Conhecer e Entrosar (20 horas)  Recepção  Acolhimento  Interação / integração 12.1.2 Envelhecimento Humano (20 horas)  Processo de envelhecimento  Qualidade de vida no envelhecimento (ativo/dependente)  Envelhecimento no Brasil  Estatuto do Idoso 24
  25. 25. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  Modalidades de atenção à pessoa idosa  Serviços disponíveis e direitos do cuidador e da pessoa cuidada na cidade de Uberlândia 12.1.3 Cuidador de Idosos (20 horas)  Quem é o cuidador  O profissional- legislações pertinentes  Maus tratos  Relação do cuidador com a pessoa a ser cuidada, família e equipe de saúde  Cuidando do cuidador  Direitos e deveres do profissional 12.1.4 O Papel Social do Cuidador de Idosos (20 horas)  Atitudes diante do envelhecimento: vencendo o próprio medo de envelhecer  Estimulação da independência no autocuidado.  Resgate da autoestima, valores e afetividade.  A importância do papel do cuidador de idosos.  Ética e valores: cidadania; sigilo; solidariedade; respeito ao próximo. 12.1.5 Procedimentos Operacionais para o cuidador de idosos (100 horas)  Higiene 25
  26. 26. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  Alimentação  Saúde Bucal do Idoso  Envelhecimento do sistema estomatognático (mastigatório)  Orientações alimentar para aliviar sintomas  Alimentação por sonda  Acomodando a pessoa cuidada na cama  Mudança de decúbito  Exercícios  Adaptações ambientais  Estimulando o corpo e os sentidos  Vestuários  Comunicação  Dificuldade na memória  Proteção à pessoa cuidada  Sondas e dispositivos urinário externo  Auxiliando o intestino a funcionar  Úlcera de pressão/escaras/feridas  Ostomias  Problemas com o Sono  Cuidados com a medicação  Primeiros socorros no domicílio  Demência  Óbito (Abordagem de finitude) 26
  27. 27. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso Matriz Curricular T P CH Envelhecimento Humano 20 0 20 Cuidador de Idosos 20 0 20 20 0 20 70 30 100 Sub Total 160 Período Módulo Único CH Disciplinas 130 30 160 Projeto Conhecer e Entrosar 20 0 20 Total 150 30 180 O Papel Social do Cuidador de Idosos Procedimentos operacionais para o cuidador de idosos 20 27
  28. 28. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 13. METODOLOGIA DE ENSINO Os métodos pedagógicos e as práticas de ensino terá em conta o aluno como centro do processo educacional e sujeito ativo de sua própria aprendizagem, propondo situações de ensino e de aprendizagem que sejam mais eficazes no alcance dos objetivos específicos, ou seja, definindo criteriosamente as experiências que o aluno precisa realizar para aprender e imprimir sentido à sua formação exercitando habilidades e a capacidade de pensar por si mesmo. Dessa forma, as metodologias de ensino perpassarão por técnicas de ensino que promovam discussões científicas acerca do conteúdo proposto que fundamenta o aprendizado, como:  Aula expositiva dialogada  Gincanas e dramatizações  Estudo de Casos e solução de problemas  Brainstorming  Círculo de Estudos  Estudos dirigido em Grupo  Júri Pedagógico  Dinâmica em Grupo. Além disso, contará também com aulas práticas demonstrativas em laboratório para propiciar aos estudantes o experimento das técnicas – aplicação prática do conteúdo teórico, bem como projetos de educação e promoção de saúde do idoso, inserindo o estudante no contexto dos processos de trabalho e suas relações. 28
  29. 29. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 14. MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO O Curso de Cuidador de Idoso contará com os materiais didáticopedagógicos do acervo da Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de Uberlândia como manequins, materiais para projetos de educação e promoção em saúde do idoso, livros didáticos disponibilizados na biblioteca do Campus da Universidade Federal de Uberlândia, apostilas elaboradas pelo corpo docente do curso entre outros. 29
  30. 30. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 15. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação, parte do processo ensino/aprendizagem, será realizada de forma contínua, cumulativa e evolutiva em direção ao objetivo proposto, em consonância com a LDB Nº 9394/96, e com os critérios de avaliação norteados pela portaria 120/2009. A avaliação assume um papel diagnosticador, formativa e somática da aprendizagem e, mediante um feedback, docentes, discentes e setor pedagógico acompanharão a evolução da aprendizagem por meio de:  Observação sistemática do estudante nos aspectos cognitivo e afetivo;  Observação do processo de formação (pontualidade, responsabilidade, interesse, organização, relacionamento higiene aluno/professor, pessoal, higiene relacionamento ambiental, aluno/idoso, relacionamento aluno/aluno, participação, pontualidade dos trabalhos, uso de equipamento de proteção, trabalho em equipe e frequência);  Auto-avaliação;  Análise das produções individuais e coletivas dos alunos;  Teste escrito e/ou oral  Desenvolvimento de técnicas em laboratório  Dramatização  Jogos O resultado será expresso em notas de 0 (zero) a 100 (cem), sendo o aproveitamento mínimo de 60 pontos. Caso detectado dificuldade de aprendizagem, o estudante será conduzido a estudos de recuperação paralela. 30
  31. 31. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso A frequência mínima exigida no curso será de 75%, de acordo com a Resolução CD/FNDE nº 4 de 16 de março do ano de 2012. 31
  32. 32. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 16. INSTALAÇÕES, EQUIPAMENTOS 16.1 Laboratórios A ESTES oferece vários cursos na área de saúde com laboratórios específicos para as suas aulas práticas demonstrativas. Os Laboratórios estão localizados nos blocos 4K e 6X do Campus Umuarama, todos estão equipados com bancadas de trabalho, mesas, cadeiras, luminárias, manequins, multimídia, armários gerais para estoque e armazenamento de materiais e instrumentais. 16.2 Materiais e Equipamentos DESCRIÇÃO DO MATERIAL:  Antebraço  Aparelho circulatório  Aparelho “de TV 29” - TOSHIBA  Aparelho de TOSHIBA  Aparelho digestivo  Aparelho reprodutor feminino  Aparelho reprodutor masculino  Aparelho tricotomia com: 01 cuba 02 ap. tricotomia  Aparelho urinário  Ar condicionado  Armário com 2 portas – madeira  Armário com 6 portas de aço – tipo escaninho Vídeo-Cassete 04 cabeças - 32
  33. 33. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  Armário vitrine para medicação em aço  Bacia Alumínio média  Bacia alumínio pequena  Bacia Inox média  Balança 16 kg filizola  Balança antropométrica cap. 150 kg carga max  Balança tríplice escala marca Record  Balcão móvel  Bandeja de medicamento e banho  Banheira  Biombo  Bisnagas com solução  Bolsa colostomia  Bolsa de água quente  Bolsa de gelo  Bomba de Infusão  Cabeça externa, interna, cérebro  Cadeira de rodas inox  Cadeira giratória 5 pás em napa  Cadeira Hospitalar  Cadeiras auditório preta  Cama hospitalar com colchão  Canecas  Cateterismo vesical com 01 cuba redonda  Cateterismo vesical com 01 cuba rim  Cateterismo vesical com 01 pinça  Comadres 33
  34. 34. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  Conjunto para traqueostomia  CPU Pentium 200 Mux 16 MB - US-Robotics Kit-um  Cuba rim inox  Curativos pacotes com 01 pinça curatomica e 01 pinça hemostática  Escada 05 degraus  Escarradeiras  Escovas de dente e de próteses  Equipamentos para higiene bucal  Esqueleto  Estabilizador de voltagem 01 KWA – Office force line  Estetoscópio  Ferida de borracha para curativos  Foco Luz ( sem lâmpada )  Fogão a gás  Funil  Hamper  Higiene Oral com: 01 cuba redonda e 01 pinça  Impressora jato de tinta color - HP – DESK-JET  Irrigador para lavagem intestinal  Jarros alumínio  Jarros Inox  Maca com suporte armação tubular  Manequim de braço  Manequim para treinamento ressuscitação  Mão de borracha  Marrecos  Máscara Rosto Boneco 34
  35. 35. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso  Mergulhão  Mesa de cabeceira  Mesa Secretária 03 gavetas  Mesa secretária 3 gavetas est. Metalon revest. fórmica  Mesas madeira aula laboratório  Mobilizador Primeiros Socorros  Modelos de anatomia humana  Modelos de boca  Modelos com vários tipos de próteses dentárias  Monitor Suga color 14” - Five-Star  Oxigênio de parede  Panelas  Quadro esqueleto  Quadro Sist. Rep. Fem.  Rompedor de bolsa  Suporte album seriado  Suporte de soro  Tábua ressuscitação  Termômetro axilar  Termômetro para água  Termômetro retal  Tesouras  Vaporizador 35
  36. 36. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 17. ACERVO BIBLIOGRÁFICO A Universidade Federal de Uberlândia possui biblioteca com acervo bibliográfico suficiente para dar suporte ao Curso. 36
  37. 37. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 18. PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO ADMINISTRATIVO A equipe poderá contar com quadro dos técnicos administrativos e docentes da Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de Uberlândia, bem como de profissionais externos, de acordo com normas estabelecidas na Resolução CD/FNDE No 4 de 16 de março de 2012. 37
  38. 38. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 19. CERTIFICADOS Fará jus ao Certificado de Qualificação Profissional de Cuidador de Idosos, do Eixo Tecnológico Ambiente e Saúde, o aluno que concluir o curso com a frequência e aproveitamento mínimo exigido. 38
  39. 39. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 20. CASOS OMISSOS Os casos omissos serão resolvidos pelo Coordenador Geral do PRONATEC, pelo Coordenador-Adjunto da Bolsa-Formação do PRONATEC e pelo Supervisor do Curso. 39
  40. 40. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 21. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BONFIM, Mirele Cardoso do; GONDIM, Sônia Maria Guedes. Trabalho emocional: demandas afetivas no exercício profissional. Salvador: Edufba, 2010. BRASIL, Ministério da Educação, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução CD/FND nº 4 de 16 de março de 2012. Brasília: MEC, 2012 BRASIL. Cuidar melhor e evitar a violência: manual do cuidador da pessoa idosa. Brasília, 2008. ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Guia prático do cuidador. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. ______. Política Nacional do Idoso. Portaria nº 1.395, de 09 de dezembro de 1999. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília, DF, 13 dez. 1999. Seção 1, p. 20-24. ______. Presidência da República. Casa Civil. Projeto de Lei 1209/2011 e Lei nº 12.513/2011, do dia 26 de outubro. Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – PRONATEC. Que dispõe sobre o Fundo de Financiamento ao estudante do Ensino Superior; e dá outras providências. 2011a. ______. Presidência da República Federativa do Brasil. Ministério da Educação. Secretaria Executiva. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC). Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. Guia PRONATEC de Cursos FIC. Brasília: 2011b. ______. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. 40
  41. 41. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso 41 ______. Subsecretaria de Direitos Humanos da Secretaria Geral da Presidência da República. Idosos brasileiros: indicadores de condição de vida e de acompanhamento de políticas. Brasília, DF, 2005. 142p. BRAZ, Elizabeth; CIOSAK, Suely Itsuko. O tornar-se cuidadora na senescência. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 13, n.2, p. 372-77, abr./jun. 2009. CANELLA, Paulo; MALDONADO, Maria Tereza. Recursos de relacionamento para profissionais de saúde: a boa comunicação com clientes e seus familiares em consultórios, ambulatórios e hospitais. Ribeirão Preto, SP: Editora Novo Conceito, 2009. CARNEIRO,Rachel Shimba et al. Qualidade de Vida, Apoio Social e Depressão em Idosos: Relação com Habilidades Sociais. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 2, p. 229-237, 2006. CASTILHO, Áurea. A dinâmica do trabalho de grupo. 3ª ed., Rio de Janeiro: Qualitymark, 2007. COSTA, Geni de Araújo. Atividade física, organizadora. Envelhecimento e a manutenção da saúde. Uberlândia: EDUFU,2010.303p. DEL PRETTE, Almir; DEL PRETTE, Zilda A. P. (Orgs). Habilidades sociais: intervenções efetivas em grupo. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. FLEURY, Heloisa Junqueira; MARRA, Marlene Magnabosco (Orgs). Práticas grupais contemporâneas: a brasilidade do psicodrama e de outras abordagens. São Paulo: Agora, 2006. FONSECA, António M. Subsídios para uma Leitura Desenvolvimental do Processo de Envelhecimento. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 2, p. 277-289, 2007. FONTAINE, Roger. Psicologia do envelhecimento. São Paulo: Loyola, 2010. FREIRE, Sueli Aparecida; ARAUJO, Daiane Rodrigues; GONÇALVES, Lívia Melo. Qualidade de vida na velhice: preparando os estudantes da área de saúde. Em Extensão, Uberlândia, v.11, n. 1, p. 55-62, jan./jun. 2012.
  42. 42. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso FREITAS, E. V., et al. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2002. KAMIA, Meiry; PORTO, Juliana Barreiros. Comportamento proativo nasorganizações: o efeito dos valores pessoais. Psicologia: Ciência e Profissão, v.31, n. 3, p. 456-467, 2011. LIMA, Ângela Maria Machado de; SILVA, Henrique Salmazo da; GALHARDONI, Ricardo. Envelhecimento bem-sucedido: trajetórias de um constructo e novas fronteiras. Interface - Comunic., Saúde, Educ., v.12, n.27, p.795-807, out./dez. 2008. LIMA, Priscilla Melo Ribeiro de; COELHO, Vera Lúcia Decnop. A Arte de Envelhecer: Um Estudo Exploratório Sobre a História de Vida e o Envelhecimento. Psicologia Ciência e Profissão, v. 31, n.1, p. 4-19, 2011. LOUREIRO, Altair Macedo Lahud. A batuta da morte a orquestrar a vida. Interface Comunic., Saúde,Educ., v.12, n.27, p.853-62, out./dez. 2008. MINAS GERAIS. Secretaria do Estado de Minas Gerais. Atenção a saúde do idoso. Saúde em casa, 2006. MORAIS, Olga Nazaré Pantoja de. Grupos de idosos: atuação da Psicogerontologia no enfoque preventivo. Psicologia Ciência e Profissão, v. 29, n. 4, p. 846-855, 2009. NERI, A. L. Palavras-chave em Gerontologia. 2ª ed. Campinas: Alínea,2005. OLIVEIRA, T.R.C; FRIGERIO, M.L.M.A. Assossiation between nutrition and the prosthetic in edentulous elderly. Gerodontology 2004; 21: 205-208. OLIVEIRA, T.R.C.; FREITAS, F.J.G.; GONCALVES, F.S.; VELOSO-POPOFF, D.A ; PORTA, S.R.S.; BRITO, M.R.S. ; RABELO, D.F ; CARVALHO, V.F. Estratégias de Atuação Multidisciplinar na Saúde do Idoso. In: Maria Salete Sandini Linden; João Paulo de Carli, Ricardo Cauduro; Adair Luiz Stefanello Busatto. (Org.). Multidisciplinaridade na Saúde Bucal. 4ªed.Porto Alegre: RGO Editora, Informação & Didática Ltda, 2010, v. , p. 87-91 42
  43. 43. Projeto Pedagógico Cuidador de Idoso a PAPALIA, D. E.; OLDS, S.W. Desenvolvimento Humano. 10 . ed., Porto Alegre: Artes Médicas, 2008. RAMOS, L.R.; et al. Significance and managemente of disability among urban elderly residents in Brazil. J Cross-cultural gerontology. 1993;8:313-23. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de São Paulo. Especialização Técnica de Nível Médio de Enfermagem em Gerontologia. São Paulo, 2007. STUART-HAMILTON, Ian. A psicologia do envelhecimento. 3ª ed., Porto Alegre: Artmed, 2002. TAVARES, Darlene Mara dos Santos; DIAS, Flavia Aparecida; MUNARI, Denize Bouttelet. Qualidade de vida de idosos e participação em atividades educativas grupais. Acta Paul Enferm. 2012;00(0):000-0. 43

×