Currículo oculto, cultura e a resistência contra o sexismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Currículo oculto, cultura e a resistência contra o sexismo

  • 1,380 views
Uploaded on

Fonte SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade

Fonte SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,380
On Slideshare
1,380
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
9
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A academia Runner colocou um outdoor em São Paulo que dizia o seguinte:"Neste verão, qual você quer ser? Sereia ou Baleia?"Uma mulher enviou a eles a sua resposta e distribuiu o seguinte e-mail por aí...Ontem vi um outdoor da Runner, com a foto de uma moça escultural de biquíni e a frase:“Neste verão, qual você quer ser? Sereia ou Baleia?“ Respondo: Baleias sempre estão cercadas de amigos.Baleias têm vida sexual ativa, engravidam e têm filhotinhos fofos.Baleias amamentam.Baleias andam por aí cortando os mares e conhecendo lugares legais como as Banquisas de Gelo da Antártida e os Recifes de Coral da Polinésia.Baleias têm amigos golfinhos.Baleias comem camarão à beça.Baleias esguicham água e brincam muito.Baleias cantam muito bem e têm até CDs gravados.Baleias são enormes e quase não têm predadores naturais.Baleias são bem resolvidas, lindas e amadas.Sereias não existem. Se existissem viveriam em crise existencial: sou um peixe ouum ser humano? Não têm filhos, pois matam os homens que se encantam comsua beleza. São lindas, mas tristes e sempre solitárias...Runner querida, "prefiro ser baleia!"(A Runner retirou o outdoor na mesma semana!)
  • 2. Currículo ocultoGêneroSexismoPedagogia criticaResistência
  • 3. Currículo ocultoConjunto de atitudes, valores e comportamentos que são implicitamente “ensinados” através das relações sociais, dos rituais, das práticas e da configuração espacial e temporal da escola
  • 4. GêneroConceito central na teoria feminista contemporânea, refere-se em oposição à dimensão simplesmente biológica do processo da diferenciação sexual – aos aspectos culturais e sociais das relações entre os sexos.
  • 5. SexismoTendência a inferiorizar as mulheres. O sexismo manifesta-se tanto em práticas institucionais e sociais de discriminação das mulheres quando em práticas discursivas que expressam visões que tendem a inferiorizá-las.
  • 6. Para a Psicologia, o sexismo é um ideario,construído social, cultural e político onde um género,orientação sexual tenta se sobrepor ao outro. Existem duas assunções diferentes sobre as quais se assenta o sexismo:Um género é superior a outro.uma orientação sexual é superior a outraMulher e homem são profundamente diferentes (mesmo além de diferenças biológicas), e essas diferenças devem se refletir em aspectos sociais como o direito e a linguagem.Em relação ao preconceito contra mulheres, diferencia-se do machismo por ser mais consciente e pretensamente racionalizado, ao passo que o machismo é um muitas vezes um comportamento de imitação social. Nesse caso o sexismo muitas vezes está ligado à misoginia (ódio às mulheres)
  • 7. Pedagogia criticaA pedagogia, em seu sentido mais crítico, ilumina a relação entre conhecimento, autoridade e poder. Ela chama a atenção para questões que dizem respeito a quem tem controle sobre as condições para a produção de conhecimento. Ela também descreve a forma como o poder está implicado nos vários processos pelos quais o conhecimento, a identidade e a autoridade são construídas no interior de conjuntos particulares de relações sociais.
  • 8. Neste contexto, a pedagogia crítica, vista como uma forma de ativismo, refere-se a um esforço deliberado, por parte de trabalhadores/as culturais, para influenciar a forma como as subjetividades e o conhecimento são produzidos no interior de conjuntos particulares de relações sociais. Ela chama a atenção para as formas pelas quais o conhecimento, o poder, o desejo e a experiência são produzidos sob condições básicas e especificas de aprendizagem.
  • 9. ResistênciaNa teoria Educacional critica, o conceito desenvolveu-se em reação ao suposto determinismo das teorias da reprodução e à visão passiva da ação humana e social que elas supostamente implicavam.
  • 10. Com base no texto e no contexto social retratado por ele, trazemos o tema mais aprofundado ao currículo e ao cotidiano escolar. A educação perpetua alguns tipos de desigualdades entre meninos e meninas, preconceitos de gênero e desvalorização da mulher mesmo que despretensiosamente. E também a questão de gênero e domínio e mesmo não sendo uma disciplina ou tendo um grande foco em sala de aula ele estará associado à cultura, atitudes, valores e comportamentos que são implicitamente ensinados através das relações sociais, sendo assim é preciso trazer para dentro da escola as questões que abordem a realidade escolar e a cultura fora do contexto escolar assim interligando a pedagogia cultural com a pedagogia escolar.
  • 11. Amanda MariaAna PatriciaJoyce LudimileRoberta de Moura