Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Especializacoes da membrana_plasmatica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Especializacoes da membrana_plasmatica

  • 464 views
Published

SITE: www.tioronni.com.br …

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
464
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
23
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2013. www.tioronni.com.br
  • 2. ESTRUTURAS CELULARES Envoltórios Externos – Glicocálix O glicocálix (glico, do grego glykys = doce, glicídios; calix, do latim calyx = envoltório) ocorre externamente à membrana plasmática da maioria dos animais e protistas. Ele é formado por uma camada frouxa de glicídios, associados aos lipídios e às proteínas da membrana. As funções são: • Barreira de proteção contra agentes químicos e físicos; • Capacidade de reconhecimento entre células e entre o meio; • Forma uma malha que retêm nutrientes e enzimas.
  • 3. ESTRUTURAS CELULARES Envoltórios Externos – Parede Celular • VEGETAIS: celulose + lignina e suberalina • FUNGOS: quitina e em alguns poucos grupos de celulose • PROTISTAS: celulose e sílica • BACTÉRIAS: ácido teicóico, ácido murâmico e ácido diaminopimélico.
  • 4. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática – Estrutura e Composição As moléculas lipídicas constituem 50% da massa da maioria das membranas de células animais, sendo o restante, constituído de proteínas. As moléculas lipídicas são anfipáticas, pois possuem uma extremidade hidrofílica ou polar (solúvel em meio aquoso) e uma extremidade hidrofóbica ou não-polar (insolúvel em água). A membrana plasmática não é uma estrutura estática, os lipídios movem-se proporcionando uma fluidez à membrana. Os lipídios podem girar em torno de seu próprio eixo, podem difundir-se lateralmente na monocamada, migrar de uma monocamada para outra (flip-flop) que acontece raramente, e movimentos de flexão por causa das cadeias de hidrocarbonetos. A fluidez da membrana plasmática depende também da temperatura e da quantidade de colesterol, pois quanto maior a temperatura e maior quantidade de colesterol, a membrana é menos fluida.
  • 5. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - MP A membrana celular é a estrutura que delimita todas as células vivas, tanto as procarióticas como as eucarióticas. Ela estabelece a fronteira entre o meio intra-celular e o meio extracelular (que pode ser a matriz dos diversos tecidos).Todas as membranas plasmáticas celulares são constituídas predominantemente por fosfolipídeos e proteínas em proporções variáveis e uma pequena fração de açúcares, na forma de oligossacarídeos Modelo Mosaico Fluido - Sugerido por Singer e Nicholson, onde as proteínas da membrana estão engastadas na camada lipídica, do lado interno, do lado externo, ou atravessando completamente a membrana. Existe uma grande variedade proteínas membranais. A fluidez esta condicionada ao tipo de ligações intermoleculares na membrana. O termo mosaico se deve ao aspecto da membrana na microscopia eletrônica.
  • 6. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - MP
  • 7. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - MP
  • 8. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - MP
  • 9. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - Microvilosidades As microvilosidades são projeções citoplasmáticas na superfície celular, envolta por membrana plasmática. A ponta da microvilosidade é constituída por substância amorfa, onde está imerso a extremidade (+) da actina, e a extremidade (-) está conectada ao córtex. Os feixes de filamentos de actina são dispostos paralelamente, interligados pela proteína vilina, que possui dois sítios de ligação. Os feixes laterais estão ligados a membrana plasmática através da miosina I.
  • 10. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - Desmossomos Os desmossomos formam uma ponte entre duas células vizinhas, por onde se conectam os filamentos intermediários, formando uma estrutura de grande força tensora. Sua estrutura é composta de várias proteínas de ancoramento intracelular (placoglobina e desmoplaquina) que é responsável pela conexão do citoesqueleto às proteínas de adesão transmembrana (desmogleina e desmocolina), que pertecem à família das caderinas. Os hemidesmossomos ou meio- desmossomo, é semelhante ao desmossomo, porém liga a membrana plasmática de uma célula a lamina basal adjacente, por meio de filamentos de queratina que estão ligados à proteína de ancoramento plectina.
  • 11. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática - Interdigitações Os desmossomos formam uma ponte entre duas células vizinhas, por onde se conectam os filamentos intermediários, formando uma estrutura de grande força tensora. Sua estrutura é composta de várias proteínas de ancoramento intracelular (placoglobina e desmoplaquina) que é responsável pela conexão do citoesqueleto às proteínas de adesão transmembrana (desmogleina e desmocolina), que pertecem à família das caderinas. Os hemidesmossomos ou meio- desmossomo, é semelhante ao desmossomo, porém liga a membrana plasmática de uma célula a lamina basal adjacente, por meio de filamentos de queratina que estão ligados à proteína de ancoramento plectina. INTERDIGITAÇÕES INTERDIGITAÇÕES
  • 12. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática – Adesões Focais As adesões focais são formadas por proteínas da família das integrinas, que proporcionam adesão célula-matriz extracelular, e ligam-se aos filamentos de actina intracelulares. Assim, torna-se possível às células musculares ligarem-se aos seus tendões.
  • 13. ESTRUTURAS CELULARES Membrana Plasmática – Junções Aderentes As junções aderentes mantêm as células unidas, são formados por proteínas de adesão transmembrana da família das caderinas e conectam os filamentos de actina entre as células. No tecido epitelial, forma uma estrutura conhecida como cinturão de adesão, que localiza- se abaixo das junções oclusivas, e as membranas plasmáticas são unidas por caderinas. Os feixes de actina, ligadas as caderinas e proteínas de ancoramento, formam uma malha, que pode contrair-se por meio de proteínas motoras.
  • 14. CITOLOGIA www.tioronni.com.br
  • 15. OBRIGADO