Drogas

3,452 views
3,207 views

Published on

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,452
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Drogas

  1. 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2013. www.tioronni.com.br
  2. 2. CONCEITO: Droga é toda e qualquer substância, mesmo natural ou sintética que, introduzida no organismo modifica suas funções. As drogas naturais são obtidas através de determinadas plantas, de animais e de alguns minerais. Exemplo a cafeína (do café), a nicotina (presente no tabaco), o ópio (na papoula) e o THC tetrahidrocanabiol (da cannabis). As drogas sintéticas são fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnicas especiais. O termo droga, presta-se a várias interpretações, mas ao senso comum é uma substância proibida, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, modificando-lhe as funções, as sensações, o humor e o comportamento. USE DE DROGAS: É comum distinguir o abuso do uso de drogas de seu consumo normal. Esta classificação refere-se à quantidade e periodicidade em que ela é usada. Outra classificação, se refere ao uso das drogas em desvio de seu uso habitual, como por exemplo o uso de cola, gasolina, benzina, éter, loló, dentre outras substâncias químicas. Os usuários podem ser classificados em: experimentador, usuário ocasional, habitual e dependente.
  3. 3. • DEPRESSORAS: Podem dificultar o processamento das mensagens que são enviadas ao cérebro. Exemplos: álcool, barbitúricos, diluentes, cloreto de etila, clorofórmio, ópio, morfina, heroína, etc. • PSICODISLÉPTICAS OU ALUCINÓGENAS: Têm por característica principal a despersonalização em maior ou menor grau. Exemplos: maconha, skunk, LSD, psilocibina, e chá de cogumelo. • PSICOANALÉPTICAS OU ESTIMULANTES: Produzem aumento da atividade cerebral, diminuem a fadiga, aumentam a percepção ficando os demais sentidos ativados. Exemplos: cocaína, crack, cafeína, teobromina, MDMA ou ecstasy, anfetaminas (bolinha, arrebite) etc. TIPOS DE DROGAS QUANTO À FORMA DE PRODUÇÃO: • Naturais • Semi-sintéticas • Sintéticas
  4. 4. DROGAS QUE DIMINUEM A ATIVIDADE METAL: Ansiolíticos ou Tranqüilizantes Álcool Etílico Inalantes ou Solventes Narcóticos DROGAS QUE AUMENTAM A ATIVIDADE METAL: Anfetaminas Cocaína Tabaco DROGRAS QUE PRODUZEM DISTORÇÕES DE PERCEPÇÃO: Maconha Alucinógenos Ecstasy FONTE: http://www.betim.mg.gov.br TIPOS DE DROGAS
  5. 5. Os motivos que normalmente levam alguém a provar ou a usar ocasionalmente drogas incluem: • recreação; • problemas pessoais e sociais; • influência de amigos, traficantes assim como da sociedade e publicidade de fabricantes de drogas lícitas; • sensação imediata de prazer que produzem; • a facilidade de acesso e obtenção; • desejo ou impressão de que elas podem resolver todos os problemas, ou aliviar as ansiedades; • fuga; • estimular; • acalmar; • ficar acordado ou dormir; • emagrecer ou engordar; • esquecer ou memorizar; • fugir ou enfrentar; • inebriar; • inspirar; • fortalecer; • aliviar dores, tensões, angústias, depressões; • agüentar situações difíceis, privações e carências; • encontrar novas sensações, novas satisfações; • força do hábito; • ritual; • autoconhecimento, principalmente pelos psiconautas. MOTIVOS ASSOCIADOS AO USO
  6. 6. O álcool, que deve ser tão antigo quanto a própria humanidade, é consumido pelo homem desde sempre. De fato, a fermentação da fruta nunca foi um grande mistério, pelo que os primatas sempre conseguiram produzir leves intoxicações mediante este processo. Nome: cerveja, destilados e vinhos Origem: grão e frutas Quantidade média ingerida: 350 ml, 45 ml, 90 ml Forma ingestão: oral Efeitos a curto prazo (quantidade média): relaxamento, quebra das inibições, euforia, depressão, diminuição da consciência Duração: 2-4 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): estupor, náusea, inconsciência, ressaca, morte Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: moderado Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: obesidade, impotência, psicose, úlceras, subnutrição, danos cerebrais e hepáticos, morte Utilização médica: nenhuma ÁLCOOL – DROGA LEGAL
  7. 7. ÁLCOOL – DROGA LEGAL
  8. 8. A cola de sapateiro é uma mistura de vários solventes orgânicos, entre eles há o tolueno, que é tóxico e destrói os neurônios, diminuindo a capacidade intelectual e limitando, desse modo, a memória, a atenção, a concentração, o ânimo e a produtividade. 1ª fase: euforia, excitação, exaltação, tonturas, perturbações auditivas e visuais, náuseas, espirros, tosse, salivação, fotofobia, rubor na face. 2ª fase: depressão inicial do sistema nervoso central (SNC) com confusão, desorientação, perda de autocontrole, obnubilação (visão embaçada e nebulosa), diplopia (visão dupla), cólicas abdominais, dor de cabeça e palidez. 3ª fase: depressão média Nos casos crônicos, surgem prejuízos na memória, na destreza manual (alteração na reação dos estímulos), cansaço, dor de cabeça, confusão mental, incoordenação motora, fraqueza muscular, quedas (provocadas por lesão dos nervos motores), lesões irreversíveis no córtex cerebral, lesões nos brônquios e nos rins. do SNC, incoordenação ocular e motora, ataxia, fala pastosa, reflexos deprimidos e nistagmo. 4ª fase: depressão profunda do SNC, atingindo a inconsciência, que vem acompanhada de sonhos estranhos, podendo ocorrer convulsões. COLA DE SAPATEIRO
  9. 9. Um estudante, por exemplo, não consegue mais estudar; repete de ano e acaba abandonando os estudos. Há alguns anos, um rapaz de família rica estava cheirando cola em seu quarto, quando desmaiou em cima da droga, continuando assim a aspirá-la de maneira incontrolada; acabou morrendo porque os centros nervosos reponsáveis pela respiração pararam de funcionar. Nos casos crônicos, surgem prejuízos na memória, na destreza manual (alteração na reação dos estímulos), cansaço, dor de cabeça, confusão mental, incoordenação motora, fraqueza muscular, quedas (provocadas por lesão dos nervos motores), lesões irreversíveis no córtex cerebral, lesões nos brônquios e nos rins. COLA DE SAPATEIRO
  10. 10. Nome: DMT, escopolamina, LSD, mescalina, noz-moscada, psilocybina, STP Origem: sintética, mimendro (planta), cactus, moscadeira, cogumelo Quantidade média ingerida: variável, 5 mg, 150-200 mg, 350 mg, 400 mg, 25 mg Forma ingestão: oral, inalável, injetável, nasal Efeitos a curto prazo (quantidade média): alteração da percepção, especialmente visual, aumento da energia, alucinações, pânico Duração: variável Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): ansiedade, alucinações, exaustão, psicose, tremores, vômito, pânico Risco de dependência psicológica: baixo Risco de dependência física: nenhum Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: aumento de ilusões e de pânico, psicose Utilização médica: o LSD e a psilocybina foram testados no tratamento do alcoolismo, drogas, doenças mentais e enxaquecas ALUCINÓGENOS
  11. 11. ALUCINÓGENOS DMT: Ayahuasca, nome de origem inca, refere-se a uma bebida sacramental produzida a partir da decocção de duas plantas nativas da floresta amazônica: um cipó Banisteriopsis Caapi e folhas de um arbusto Psychotria viridis. O nome Ayahuasca significa "liana dos sonhos" ou "vinho das almas". Outros nomes para essa bebida são: Caapi, Yagé, Vegetal, Daime, Hoasca. Além de ser utilizada milenarmente por povos indígenas de boa parte da Amazônia (Brasil, Equador, Colômbia, Bolívia e Peru), desde as últimas décadas igrejas e em centros espirituais e/ou xamânicos a têm utilizado em seus rituais. Escopolamina: Esta é uma droga incolor, inodora e isípida. Ela é conhecida como hyoscina e é classificada como um Alcalóide tropano. Esta droga pode ser obtida a partir de plantas Solanaceas (nightshade). A maior parte da escopolamina vem da erva de Nome científico: Datura suaveolens L. Cujo nome popular é trombeta, trombeta-de- anjo, trombeteira, cartucheira, zabumba. (também conhecido como lírio, copo de leite, sete saias) As plantas que dão origem a droga são muitas, e muito disponíveis, o que torna o uso generalizado, e extremamente perigoso.
  12. 12. SANTO DAIME CONCEITO: O Santo Daime, a bebida ingerida ritualmente na doutrina religiosa que leva seu nome, contem um agente psicodélico, o DMT (Dimetil-triptamina). Embora as substâncias psicodélicas estejam legalmente proibidas na atualidade, o consumo ritual de Santo Daime tem sido legalizado há vários anos no Brasil (Mac RAE, 1992). Sensações provocadas: Entre os efeitos subjetivos similares podemos mencionar a nível somático: náuseas, vômitos, tremores, tonturas, debilidade, contraturas musculares, hiper reflexia, dores generalizadas, etc. A nível psíquico: profundas e rápidas alterações dos estados emocionais, tais como depressão, exaltação, serenidade, pânico, apatia, labilidade, etc.; alterações na memória e no pensamento, despersonalização e hiper sugestibilidade. A nível perceptivo-sensorial: distorções de tempo e espaço, estranhas sensações corporais, alterações na percepção de formas, cores, sons, etc., sinestesias e alucinações. Tolerância e Dependência : A tolerância cruzada significa que o efeito de uma substância será menor quando experimentada pouco tempo depois de ter ingerido outra do mesmo grupo. Por exemplo, se alguém consome LSD e no dia seguinte mescalina, o efeito desta última será inferior ao efeito obtido ingerindo mescalina unicamente.
  13. 13. Sensações provocadas pelo LSD LSD (Lyserg Sarue Diethylamid) provoca alucinações. As alterações da percepção ocorrem nos níveis visual, auditivo, gustativo e táctil. As alucinações visuais podem ter as cores e formas psicodélicas. Danos causados pelos alucinógenos Reações de pânico com sensação de deformação do corpo e de objetos. As alucinações manifestas durante a "viagem" podem se repetir em fragmentos até anos após o experimento: são os chamados "flash backs". As alucinações podem perdurar durante semanas, num quadro similar ao psicótico. Pode ocorrer distúrbio psicótico crônico. O LSD é uma droga sintética é tomada por via oral. A dependência psíquica que cria é baixa e fisicamente, a sua dependência é nula. O uso habitual tem os seguintes efeitos: alterações das percepções, especialmente das visuais, alucinações, pânico, flashbacks e midríase. A overdose de LSD cria ansiedade, pânico, alucinações, tremores e psicose. A longo prazo, o LSD cria pânico, más viagens, alucinações e psicoses LSD
  14. 14. LSD
  15. 15. MESCALINA CONCEITO: A mescalina é um alucinógeno forte extraído do cacto Peyote (Lophophora Williamsii). Apresenta-se sob a forma de pó branco, que é geralmente consumido por via oral (mastigado ou por infusão) ou, ocasionalmente, injetado. Sensações provocadas: A mescalina tem efeitos psicadélicos semelhantes aos do LSD mas menos intensos. Pode provocar a intensificação da percepção, sinestesias, distorções da imagem corporal e da percepção do espaço e do tempo, alucinações, intensificação e instabilidade emocional, aumento da capacidade sugestiva, sintomas de despersonalização e idéias paranóides. Estes efeitos podem ser acompanhados de tremores, taquicardia, hipertensão, hipertermia, transpiração, visão enevoada e dilatação da pupila. Tolerância e Dependência : A tolerância é praticamente nula e a dependência é semelhante à do LSD, isto é, reduzida.
  16. 16. COGUMELO Sensações provocadas pelo cogumelo: Cogumelos (chá de cogumelo - Psilocibina) retirado dos cogumelos selvagens que no Brasil crescem no estrume fresco do gado em noites úmidas, colhidos pela manhã. São ingeridos ao natural ou após fervura, formando-se uma beberagem, ou ainda com sucos de fruta ou com bebidas alcoólicas. Provocam alucinações visuais. Cogumelos ou fungos, são plantas que não contém clorofila, o que os impede de se alimentarem utilizando energia solar, impedindo o desenvolvimento de outros métodos de vida. Os fungos alucinógenos também estão presentes em várias cerimônias religiosas. Próprio das zonas rurais. Como o excremento de boi é adubo para o cogumelo, o chá pode causar alucinação, especialmente quando venta, de bois voando ou árvores com forma humana. Viagens mais curta e mais angustiante que a do LSD. Pode levar a quadro psicótico. Os cogumelos são usados em chás, e, como são pegajosos e amargos, para “quebrar” essas caracterísiticas, os dependentes usam vinho tinto, fervendo essa mistura e depois a passando pelo liquidificador, para que se desmanche, ficando como uma “batida” comum. Devido à ação do vinho tinto, provocam alucinações coloridas. Muitas vezes levam a morte, pois faz parte da receita um pouco de acetona.
  17. 17. NOZ - MOSCADA E PSILOCIBINA A Psilocibina (O-fosforil-4-hidróxi-N,N- dimetiltriptamina) é um alcalóide do grupo indólico e o principal componente psicoativo encontra-se nos cogumelos do gênero Psilocybe, de onde vem o seu nome. Sua estrutura molecular é análoga à serotonina especialmente se hidrolisada (defosforilação) em Psilocina (4-hidróxi-N,N- dimetiltriptamina) Litter, 1972. O óleo da noz-moscada contém vários compostos precursores sintéticos de drogas tipo-MDA. A maioria dos usuários consome cerca de 20 gramas de noz moscada, que contém, aproximadamente, 210 mg de miristicina (potencial MMDA), 70 mg de elemicina (potencial TMA) e 39 mg de safrol (potencial MDA). Estes óleos não-amínicos podem ser convertidos, in vivo, para as formas amínicas, isto é, MDA, MMDA e TMA.
  18. 18. Nome: benzedrina, dexedrina, methedrina, preludin Origem: sintética Quantidade média ingerida: 2,5-5 mg Forma ingestão: oral, injetável Efeitos a curto prazo (quantidade média): aumento da atenção, excitação, euforia, diminuição do apetite Duração: 1-8 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): inquietação, discurso apressado, irritabilidade, insônia, desarranjos estomacais, convulsões Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: nenhum Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: insônia, excitação, problemas dermatológicos, subnutrição, ilusões, alucinações, psicose Utilização médica: na obesidade, depressão, fadiga excessiva, distúrbios do comportamento infantil ANFETAMINAS
  19. 19. ANFETAMINAS
  20. 20. A droga foi sintetizada pela Merck alemã no início do século e foi usada como moderador de apetite durante várias décadas. Chegou recentemente ao Brasil, quando já estava proibida nos EUA, por causar forte dependência. É uma associação de anfetamina, LSD e cafeína, MetileneDioxiMetAnfetamina (MDMA). Sensações provocadas pelo ecstasy É usado em discotecas, e a sensação descrita pelos usuários é de que a droga é estimulante e afrodisíaca, causa erotização e provoca alucinações. Eles se sentem leves, soltos e dispostos a dançar a noite toda. Danos causados pelo ecstasy Provoca aumento da temperatura, que pode chegar a 42 graus, com abundante sudorese, que provoca distúrbios hídricos e minerais e necessidade de ingerir líquidos. São freqüentes os casos de morte. Diminui a potência sexual no homem. Induz a ataques de pânico e ansiedade. Provoca danos nas células nervosas, o que leva à depressão crônica. ECSTASY
  21. 21. ECSTASY
  22. 22. Nome: tofranil, ritalina, tryptanol Origem: sintética Quantidade média ingerida: 10-25 mg Forma ingestão: oral, injetável Efeitos a curto prazo (quantidade média): alívio da ansiedade e da depressão, impotência temporária Duração: 12-14 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): náusea, hipertensão, perda de peso, insônia Risco de dependência psicológica: baixo Risco de dependência física: nenhum Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: estupor, coma, convulsões, insuficiência cardíaca congestiva, danos ao fígado e aos glóbulos brancos, morte Utilização médica: na ansiedade ou supersedação, distúrbios do comportamento infantil ANTIDEPRESSIVOS
  23. 23. ANTIDEPRESSIVOS
  24. 24. Nome: doriden, hidrato de cloral, fenobarbital, nembutal, saconal Origem: sintética Quantidade média ingerida: 400 mg, 500 mg, 50-100 mg Forma ingestão: oral Efeitos a curto prazo (quantidade média): relaxamento, euforia, diminuição da consciência, tontura, coordenação prejudicada, sono Duração: 4-8 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): discurso "borrado", mal articulado, estupor, ressaca, morte Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: alto Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: sonolência excessiva, confusão, irritabilidade, graves enjôos pela privação Utilização médica: na insônia, tensão e ataque epilético BARBITÚRICOS
  25. 25. BARBITÚRICOS DORIDEN NEMBUTAL
  26. 26. Nome: café, chá, refrigerantes Origem: grão de café, folhas de chá, castanha Quantidade média ingerida: 1-2 xícaras, 300 ml Forma ingestão: oral Efeitos a curto prazo (quantidade média): agitação, irritabilidade, insônia, perturbações estomacais Duração: 2-4 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): agitação, insônia, enjôo Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: alto Tolerância: não Efeitos a longo prazo: agitação, irritabilidade, insônia, perturbações estomacais Utilização médica: na supersedação e dor de cabeça CAFEÍNA A cafeína é a droga mais consumida em todo o mundo. Gostamos tanto, que uma de nossas refeições diárias foi nominada em sua homenagem (café-da-manhã). FONTE: http://www.qmc.ufsc.br
  27. 27. CAFEÍNA
  28. 28. Nome: cocaína Origem: folhas de coca Quantidade média ingerida: variável Forma ingestão: nasal, injetável Efeitos a curto prazo (quantidade média): sensação de auto-confiança, vigor intenso Duração: 4 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): irritabilidade, depressão, psicose Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: alto Tolerância: não Efeitos a longo prazo: danos ao septo nasal e vasos sanguíneos, psicose Utilização médica: anestésico local COCAÍNA
  29. 29. COCAÍNA ABUSO DE COCAINA E ANFETAMINAS E RISCO DE AVC Jovens que consomem cocaína e anfetaminas correm um risco elevado de ser acometido de Acidente Vascular Cerebral (AVC), segundo um artigo publicado na revista “Archives of General Psychiatry” por pesquisadores da Universidade do Texas. O abuso de anfetaminas, mas não de cocaína, se relacionou também com um maior risco de morte por AVC do tipo hemorrágico. Segundo os autores do estudo, a cocaína e as anfetaminas podem provocar um AVC pelo aumento da pressão arterial ou desencadeando espasmos nas paredes das artérias. Foram analisados dados referentes a 8.369 casos de AVC que ocorreram entre 2000 e 2003. No ano de 2003, o abuso de anfetaminas se associou a um risco quatro vezes maior de AVC hemorrágico, enquanto o abuso de cocaína duplicou as probabilidades tanto de AVC hemorrágico como isquêmico.
  30. 30. O que é: O crack é uma mistura de cloridrato de cocaína (cocaína em pó), bicarbonato de sódio ou amónia e água destilada, que resulta em pequeninos grãos, fumados em cachimbos ( improvisados ou não). É mais barato que a cocaína mas, como seu efeito dura muito pouco, acaba sendo usado em maiores quantidades, o que torna o vício muito caro, pois seu consumo passa a ser maior. Estimulante seis vezes mais potente que a cocaína, o crack provoca dependência física e leva à morte por sua ação fulminante sobre o sistema nervoso central e cardíaco. Como age no corpo: Quando chega no corpo, o crack age em uma parte do cérebro chamada área tegmental ventral (VTA). Efeitos Colaterais: Ao percorrer a corrente sangüínea, o crack primeiro deixa o usuário se sentindo energizado, mais alerta e mais sensível aos estímulos da visão, da audição e do tato. O ritmo cardíaco aumenta, as pupilas se dilatam e a pressão sangüínea e a temperatura sobem. O usuário pode começar, então, a sentir-se inquieto, ansioso e/ou irritado. Em grandes quantidades, o crack pode deixar a pessoa extremamente agressiva, paranóica e/ou fora da realidade. Devido aos efeitos no ritmo cardíaco e na respiração, o crack pode causar problemas cardíacos, parada respiratória, derrames ou infartos. Ele também pode afetar o trato digestivo, causando náusea, dor abdominal e perda de apetite. CRACK
  31. 31. CRACK
  32. 32. O que é: O oxi (abreviação de oxidado) é uma droga derivada da cocaína, como o crack. O oxi é uma mistura de base livre de cocaína, cal, permanganato de potássio e algum combustível, como querosene, gasolina, diesel ou solução de bateria. Como o crack, p oxi é uma pedra, que costuma ser fumada em um cachimbo pelos usuários. O oxi, entretanto, tem um poder destruidor muito maior que o do crack. Em primeiro lugar porque é mais barato – e, assim, atinge mais pessoas. Em segundo lugar pois tem efeitos mais nocivos para o corpo, levando à morte mais cedo. OXI Quais são os efeitos do oxi? Na boca, o querosene ou gasolina combinados com o calor provocam ferimentos nos lábios e na mucosa bucal, danificam as papilas gustativas da língua - células responsáveis pelo reconhecimento de sabores -, causam ferimentos no esôfago e corroem os dentes. A cal virgem na droga pode provocar fibrose pulmonar, que prejudica a captação de ar pelo pulmão. Os químicos adicionados à droga vão para o fígado, que é o órgão responsável por metabolizá-las. No entanto, a droga sobrecarrega o fígado e compromete suas funções, como a distribuição de açúcar no organismo.
  33. 33. Nome: aerossóis (éter), colas, nitrato de amido, óxido nitroso Origem: sintética Quantidade média ingerida: variável Forma ingestão: inalável Efeitos a curto prazo (quantidade média): relaxamento, euforia, coordenação prejudicada Duração: 1-3 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): estupor, morte Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: nenhum Tolerância: possível Efeitos a longo prazo: alucinações, danos ao cérebro, aos ossos, rins e fígado, morte Utilização médica: dilatação dos vasos sanguíneos, anestésico leve INALANTES
  34. 34. INALANTES
  35. 35. INALANTES L-metanfetamina é um bonito exemplo de como moléculas que variam somente sua quiralidade podem ter efeitos biológicos muito diferentes. Moléculas quirais tem imagens no espelho que não são sobreponíveis. L-metanfetamina, abaixo, é encontrada em inaladores Vick Vapor. (Perceba como eles mascaram o nome, chamando de “levmetanfetamina”). Esta é uma imagem no espelho da D-metanfetamina - uma droga viciante. Como você pode perceber, os dois compostos têm enfoques médicos muito diferentes somente devido a uma pequena diferença estrutural. FONTE: http://www.gluon.com.br
  36. 36. Nome: Cannabis sativa, haxixe, maconha. Origem: sintética Quantidade média ingerida: variável Forma ingestão: inalável, oral, injetável Efeitos a curto prazo (quantidade média): relaxamento, quebra das inibições, alteração da percepção, euforia, aumento do apetite Duração: 2-4 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): pânico, estupor Risco de dependência psicológica: moderado Risco de dependência física: moderado Tolerância: não Efeitos a longo prazo: fadiga, psicose Utilização médica: na tensão, depressão, dor de cabeça, falta de apetite MACONHA
  37. 37. MACONHA “Quando se fuma maconha, a fumaça vai passando sobre a erva, e o calor e a umidade da fumaça forma uma "merla " amarelada e forte. E conforme vai fumando, isso vai ficando no dedo. PS: Não sai nem lavando.” FONTE: http://img454.imageshack.us
  38. 38. Nome: codeína, demerol, metadona, morfina, ópio, percodan. Origem: papoula de ópio, papoula de ópio sintética Quantidade média ingerida: 15-50 mg, 50-150 mg, 05-15 mg, 10 mg Forma ingestão: oral, injetável, nasal Efeitos a curto prazo (quantidade média): relaxamento, alívio da dor e da ansiedade, diminuição da consciência, euforia, alucinações Duração: 4 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): estupor, morte Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: alto Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: latargia, prisão de ventre, perda de peso, esterilidade e impotência temporária, enjôos pela privação Utilização médica: na tosse, na diarréia, analgésico, combate à heroína NARCÓTICOS São drogas que causam principalmente diminuição da dor (efeito analgésico) e sono (efeito hipnótico). São usados na medicina, sempre com muito cuidado e cautela, pois, apesar de combaterem a dor, levam risco ao paciente. FONTE: http://boasaude.uol.com.br
  39. 39. NARCÓTICOS
  40. 40. Nome: cachimbos, charutos, cigarro, rapé Origem: folhas de tabaco Quantidade média ingerida: variável Forma ingestão: inalável, oral Efeitos a curto prazo (quantidade média): relaxamento, contração dos vasos sanguíneos Duração: 1/2-4 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): dor de cabeça, perda de apetite, náusea Risco de dependência psicológica: alto Risco de dependência física: alto Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: respiração prejudicada, doença pulmonar e cardiológica, câncer, morte Utilização médica: nenhuma (usado em inseticida) NICOTINA
  41. 41. Nome: diazepam, bromazepam, dienpax, librium, valium Origem: sintética Quantidade média ingerida: 5-30 mg, 5-25 mg, 10-40 mg Forma ingestão: oral Efeitos a curto prazo (quantidade média): alívio da ansiedade e da tensão. supressão das alucinações e da agressão, sono Duração: 12-24 horas Efeitos a curto prazo (grandes quantidades): sonolência, visão perturbada, discurso "borrado", reação alérgica, estupor Risco de dependência psicológica: moderado Risco de dependência física: moderado Tolerância: não Efeitos a longo prazo: destruição de células sanguíneas, icterícia, coma, morte Utilização médica: na tensão, ansiedade, psicose, no alcoolismo FONTE: http://www.araras.sp.gov.br TRANQUILIZANTES
  42. 42. Nome: chá de fira Origem: fitas VHS e K7 Quantidade média ingerida: 1m Forma ingestão: oral Efeitos a curto prazo (quantidade média): alucinações Duração: 1 hora Risco de dependência psicológica: moderado Risco de dependência física: baixo Tolerância: sim Efeitos a longo prazo: câncer, coma, morte (metias pesados) Utilização médica: nenhuma FONTE: http://forums.tibiabr.com CHA DE FITA
  43. 43. OXI
  44. 44. Ocupação: Encoraje as atividades criativas e saudáveis de seus filhos, ajude-os a lidar com as pessoas de seu meio, motive-os a tomar decisões, ensine-os a assumir responsabilidades e estimule-os a desenvolver valores fortes e o senso crítico diante das mais diferentes situações, inclusive das drogas. Participação: Tome decisões em conjunto, assim todos percebem que suas opiniões e pontos de vista são respeitados. Presença: Reforce as relações familiares, participe mais das atividades dos filhos. Cresça com seus filhos. Prevenção: Explique sempre aos filhos quais são os riscos do uso de drogas. Ensine-os a não experimentá- las. Princípios: Evidencie os princípios espirituais, em contraposição aos valores materiais. Regras claras: Imponha limites. Quando fizer alguma proibição, não deixe dúvida sobre suas razões. O amor de pai e de mãe precisa ser exigente. Esse amor acompanha, coloca limites, exige comportamentos, orienta respostas, deixa as regras claras e alerta para os sinais de fraqueza. Confie em seus filhos. Quando um parente seu necessita de uma cirurgia tem de ser internado para fazê-la . Por maior que seja seu medo, maior do que ele será a necessidade de realizar a cirurgia. Mesmo que o cirurgião lhe dê uma possibilidade de apenas 10% de se salvar, você enfrenta o problema e diz sim. Porque, neste momento, você está dizendo sim à vida. FONTE: http://e.m.e.f.santarita.vilabol.uol.com.br O QUE A FAMÍLIA DEVE FAZER

×