• Like
  • Save
Projeto de leitura  - proeti -
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Projeto de leitura - proeti -

on

  • 2,417 views

Esse é um projeto que está em andamento na Escola Estadual São Benedito

Esse é um projeto que está em andamento na Escola Estadual São Benedito

Statistics

Views

Total Views
2,417
Views on SlideShare
1,485
Embed Views
932

Actions

Likes
0
Downloads
9
Comments
0

6 Embeds 932

http://escolaestadualsaobene.blogspot.com.br 923
http://secretariadaeducao.blogspot.com.br 4
http://escolaestadualsaobene.blogspot.com 2
http://www.escolaestadualsaobene.blogspot.com.br 1
http://escolaestadualsaobene.blogspot.in 1
http://escolaestadualsaobene.blogspot.de 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Projeto de leitura  - proeti - Projeto de leitura - proeti - Presentation Transcript

    • Projeto de leitura - Ler, compreender e recontar (PROETI) Escola Estadual São Benedito Professora Josiane Amaral
    • “Ninguém aprende a ler sem debruçar-se sobre textos. Não é o professor que ensina, é o aluno que aprende ao descobrir por si a magia e o encanto da literatura. Mediar este processo de descobertas é o papel do professor, que só pode fazê-lo também ele como leitor”... “E quando pensamos o professor como mediador de leituras, apontamos precisamente para sua ação no desenvolvimento deste tipo de leitura, gosto que somente cada indivíduo pode desenvolver mas cuja construção social passa também necessariamente pela escola”. (Geraldi, João Wanderly, pg 25, 29)
    • Como ler? • Sozinho • Em grupo • Em voz alta • Silenciosamente • Balbucios • Não existe regra para ler
    • Onde ler?
    • Porque ler? • Para estudar • Para se divertir • Para se informar • Para dramatizar
    • Ciberleitura • Revistas • Jornais • Livros • Ebook e biblioteca virtual/ domínio público • http://www.livroson.com • http://www.fnlij.org.br/principal.asp?cod_mat=25 Fundação nacional do livro infantil e juvenil • http://www.praquemgostadeler.com.br/2011/04/ diario-de-um-adolescente-hipocondriaco.html Blog
    • Sucumbi novamente à literatura infanto-juvenil, e dessa vez ela veio unida a aquela sensação de invadir a privacidade de alguém que acontece quando leio diários. O que não pode deixar de ser dito sobre esse livro é que ele é recomendado por alguém que entende de adolescência e de diários também: Adrian Mole, de O DIÁRIO SECRETO DE UM ADOLESCENTE, que escreveu a crítica do livro. O adolescente hipocondríaco que escreveu esse diário é Peter Payne, um inglês de 14 anos que têm duas irmãs: Sally (a mais velha, 17 anos) e Susie (a mais nova, 12 anos), pais normais, enfim, uma família britânica comum. Sabemos que a adolescência é uma fase difícil da vida, com muitas mudanças, descobertas e dúvidas; ah as dúvidas, são elas que aterrorizam os pensamentos de Peter, principalmente com relação a sua saúde a as mudanças que ocorrem com o seu corpo. Como esse garoto me fez rir com esse livro! A primeira gargalhada que soltei foi quando a professora de biologia lhe disse que ele estava tendo um ataque agudo de hipocondria, ele começou a perguntar quais eram os sintomas e achou que estava à beira da morte.
    • Mas simpatizei com o Peter, principalmente por que ele vai atrás de esclarecer todas as suas dúvidas, é obcecado por dicionários de medicina e não faz rodeios para consultá-los. O livro é cheio de curiosidades, tenho que destacar as relacionadas aos números do corpo humano como a quantidade de células, o cálculo do número de vezes que o coração do menino já bateu, a metragem das veias e artérias, e as estatísticas acerca de cada doença que assombra o protagonista. Peter passa por problemas com espinhas, fraturas, queimaduras causadas pela exposição excessiva ao Sol, odores que seu corpo começa a produzir, e higiene pessoal entre outras coisas; preocupa-se com suas medidas como o peso a altura e é claro, como todo garoto que começa a descobrir a sua sexualidade, o tamanho do seu pênis. Esse lance da sexualidade é o que realmente marca a adolescência, um dia se repudia o sexo oposto e no dia seguinte ele é tudo o que se deseja; aquela fase da vida em que segurar na mão do doutro nos deixa extremamente nervoso, a ansiedade pelo primeiro beijo, o desejo de ser correspondido. Peter nutre uma paixão platônica por sua colega de escola Cila; fiquei com tanta pena dele quando ela foi ao cinema com um amigo e não com ele. Para que o livro não ficasse totalmente voltado aos meninos, os autores Aidan Macfarlane e Ann Mcpherson também escreveram sobre o dia em quem Peter encontra o diário de sua irmã caçula Susie, lá ele passa a conhecer também as dúvidas femininas da adolescência; como a primeira menstruação, o crescimento dos seios e também aquelas que são comuns aos dois, por exemplo: como lidar com o turbilhão de hormônios que surge de repente? Falando assim até parece que é um livro educativo, se for eu realmente não percebi esse lado, achei que o DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE HIPOCONDRÍACO é informativo, curioso e muito, mas muito engraçado. Creio que o humor da história fica por conta da inocência e do desconhecimento que Peter tem a respeito destas questões, talvez, se eu tivesse lido o livro enquanto estava nessa fase da vida eu encontraria no livro respostas e não graça, é algo que depende mais do perfil do leitor do que do livro em si. O que posso afirmar com certeza é que Peter Payne é hilário, dei muitas risadas com a sua preocupação em esconder as primeiras penugens do seu futuro bigode, o seu tombo de bicicleta, o seu primeiro porre e o seu primeiro beijo. E quando terminei de ler, fiquei saudosa da minha adolescência, aquela fase da vida que apesar das dúvidas, nos traz menos complicações e responsabilidades do que a vida adulta!
    • Música LIVRO AMIGO Adaptação: Neusa Sorenti Música: Fico assim sem você Composição: Adbullah e Cacá Morais Gravação: Adriana Partimpim/BMG Vovó sem Chapeuzinho Caçadas sem Pedrinho É como não saber ler Joãozinho sem Maria Varinha sem magia É como não saber ler Por que é que eu penso sempre assim? Ler é um prazer sem fim, Leia um bom livro De fada ou de perigo Mas não conte o final pra mim.
    • Poesia sem Cecília Tesouro sem ilha É como não saber ler Baile sem Cinderela A bruxa sem panela É como não saber ler Tô louco pra você mostrar Um belo livro em sua mão E falar das personagens Curtir grandes viagens Fazer bater o coração
    • Eu não desisto e digo a você Que um bom livro é um grande amigo Eu conto as horas pra poder reler Aquela história que brincou comigo... Como foi bom! Como foi bom!
    • Sapo sem princesa Cisne sem beleza É como não saber ler Lobo sem três porquinhos Sítio sem Narizinho É como não saber ler Por que é que eu penso sempre assim? Ler é um prazer sem fim, Leia um bom livro De fada ou de perigo Mas não conte o final pra mim.
    • Leituras: Memórias de Emília • Porque ler Monteiro Lobato? • Lobato: • No topo da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, que diagnostica e mede o comportamento do leitor brasileiro a partir de cinco anos de idade, aparece a obra de Monteiro Lobato (1882-1948). Em 2008, essa pesquisa revelou que, depois da Bíblia, a obra mais importante para os leitores brasileiros é a de Lobato. • Sua obra tem encantado milhões de leitores brasileiros. Grande parte dos escritores de literatura infantil brasileira, que vieram depois dele, declaram a importância que a leitura de Lobato teve em suas vidas:
    • • Ana Maria Machado: Um dos livros que mais me marcou foi "Reinações de Narizinho", do Monteiro Lobato. A grande diferença do Lobato é que ele escrevia como as pessoas falavam. Além disso, o ambiente cotidiano e a mistura da realidade com a fantasia, tão presentes nos livros dele, também estão nos meus. • Ruth Rocha: Um livro que marcou minha infância foi "Reinações de Narizinho", o primeiro da série do Sítio do Picapau Amarelo que eu li. Acho que minha obra tem muita influência do Monteiro Lobato, penso muito como ele. Por que é com ele que entra o humor na literatura. • Pedro Bandeira: "Reinações de Narizinho" me marcou e, além disso, Narizinho foi minha primeira namorada... Creio que tentei "imitar" o processo construtivo do livro na minha primeira obra, "O Dinossauro que fazia au-au".
    • Por que ler Memórias da Emília? • Pela história em si e pela qualidade literária, do ponto de vista da originalidade, criatividade, imaginação e dos recursos linguísticos utilizados por Lobato. É uma história muito divertida! A principal personagem é Emília, a boneca de pano irreverente, que diz o que pensa e não teme críticas. É a única no Sítio a ter suas memórias. Para escrevê-las chama Visconde para ser seu secretário.
    • • Mais conhecido pelas jovens gerações por meio das versões em diferentes mídias de seus livros para o público infantil, queremos aqui destacar o grande escritor, propondo a leitura integral da história Memórias da Emília. Por tudo que Lobato significa, para Antônio Candido, é dever da escola incluir no currículo a leitura de suas obras. O encantamento que suas histórias provocam é inesgotável. Não tem idade para começar a ler Lobato, e não parar mais. (Vídeo)
    • Por que ler Machado? • É inegável a importância de um escritor como Machado de Assis para a história literária do Brasil, mas por que as pessoas conhecem tão pouco as obras do escritor? • O talento (um dos) de Machado está na imensa habilidade de construir os ersonagens de dentro para fora, ou seja, a complexidade dos seus personagens é muito grande.
    • • A vida e a obra literária de Machado de Assis, um dos mais importantes escritores da língua portuguesa, são documentadas por meio de imagens de época, filmes adaptados de suas obras e análises de professores e críticos literários brasileiros. Filho de operário negro com uma lavadeira portuguesa, nascido e criado no morro do Livramento, no Rio de Janeiro, Machado de Assis ascende à presidência da Academia Brasileira de Letras, tendo, assim, percorrido os extremos da sociedade brasileira, que soube representar como ninguém. Observador agudo da realidade de seu tempo e país, escreveu romances clássicos da literatura brasileira como Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro. (Vídeo)
    • Projetos • Encenação de um fragmento do conto “A Cartomante” – Turma A (I Sarau Literário 25/09) • Encenação de uma parte do Livro: Memórias de Emília – Turma A (II Sarau Literário 29/11) • Criação das memórias fantásticas da turma A no Blog: http://escolaestadualsaobene.blogspot.com.br/
    • I Sarau: Machado de Assis
    • Referências • BARBOSA, Juliana Bertucci; BARBOSA, Marinalva Vieira (orgs.). Leitura e mediação: reflexões sobre a formação do professor. 1 ed. Campinas, SP: Mercados de Letras, 2013. • LERNER, DÉLIA. Ler e escrever na escola – O real, o possível e o necessário. • ZILBERMAN, Regina. Livros e leitura entre professores e alunos. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/2006/leituras1.pdf página 23 acesso em 26 de junho de 2013 • http://www.youtube.com/watch?v=95cKeHNUtyI&hd=1 • http://www.mafua.ufsc.br/numero16/ensaios/memorias_de_emilia_aspectos_de_uma _literatura_para_criancas.html • http://leituras-aline-tews.blogspot.com.br/2009/11/analize-literaria-de-o- fantastico.html • http://pt.scribd.com/doc/77824166/O-Fantastico-Misterio-de-Feiurinha-Pedro- Bandeira