A história da escravidão no mundo é tão antiga quanto a da própria humanidade.
Porém a forma mais comum de escravidão regi...
Enviada ao Congresso, a proposta do MEC
                            instituiu cotas para estudantes que tenham
           ...
•   As piores mazelas, as maiores exclusões socio
    educacionais se dão nas escolas rurais ou de
    periferia das grand...
O sistema de cotas é uma medida emergencial, circunstancial e inevitável. Cabe
aqui a metáfora que Martin Luther King usou...
Um grupo de 113 cidadãos influentes – intelectuais,
empresários, advogados, artistas e sindicalistas –
tomou, no início de...
Discriminação

    não é

 solução ! ! !
ApresentaçãO Cotaspdf
ApresentaçãO Cotaspdf
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

ApresentaçãO Cotaspdf

993 views
948 views

Published on

Apresentação à disciplina de Didática, Curso de Licenciatura "Esquema 1", Centro Paula Souza. Relativo à adoção do Sistema de Cotas nas Universidades.

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
993
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

ApresentaçãO Cotaspdf

  1. 1. A história da escravidão no mundo é tão antiga quanto a da própria humanidade. Porém a forma mais comum de escravidão registrada historicamente tem origem a partir da relação de forças entre conquistadores e conquistados, com os primeiros impondo a condição servil aos segundos. Povos inteiros eram submetidos à servidão por terem sucumbido ao poder de um determinado conquistador.
  2. 2. Enviada ao Congresso, a proposta do MEC instituiu cotas para estudantes que tenham cursado integralmente o Ensino Médio em escolas públicas ou que se declarem afro-descendentes. O assunto é polêmico e, ipso facto, merece um amplo debate não só nos meios acadêmicos, mas em toda a sociedade. Olhando sob o prisma educaional, existem excelentes escolas públicas que se ombreiam com as boas escolas particulares (exemplos em Curitiba/PR: Colégio Militar, Cefet Ensino Médio, Colégio Estadual do Paraná, Escola Técnica da UFPR, etc.). As cotas (50% das vagas) serão essencialmente preenchidas por esses alunos, cujo padrão socioeconômico se assemelha ao dos estudantes de boa parte das escolas particulares. Muitos até mesmo têm condições financeiras de pagar cursos paralelos no contraturno. Se isso vier a acontecer, não se estará instituindo-se um privilégio?
  3. 3. • As piores mazelas, as maiores exclusões socio educacionais se dão nas escolas rurais ou de periferia das grandes cidades. É onde se justificam políticas afirmativas, como a implantação de escolas profissionalizantes e de cursos pré-vestibulares gratuitos, como o da USP e o Em Ação, de Curitiba (para o qual a UFPR cede instalações e cujos professores são voluntários). Por iniciativa do governo, podem ser organizadas ações proativas com diretores, professores, líderes comunitários, APMs, ONGs, universitários — ou até mesmo estudantes do Ensino Médio — das instituições públicas e privadas. • Para finalizar, a tão premente melhoria do ensino deve priorizar as séries de 1.ª a 8.ª. Em entrevista à Gazeta do Povo, Vitor B. Nascimento, que é afrodescendente e formado em Educação Física pela UFPR, posiciona-se muito bem quando fala do sistema de cotas: “É uma solução que começa pelo fim. É preciso investir mais no Ensino Fundamental”. • Com o projeto de lei, o governo se parece com o construtor bem intencionado que assume um prédio: sob o pretexto de consertar as paredes (Ensino Médio), danifica o telhado (Ensino Superior), sem se importar com a fundação (Ensino Fundamental), que está bastante comprometida.
  4. 4. O sistema de cotas é uma medida emergencial, circunstancial e inevitável. Cabe aqui a metáfora que Martin Luther King usou ao se referir à duração do período de escravatura nos EUA: quot;Em uma corrida, não se pode comparar uma pessoa que já estava no ponto de partida com outra que chegou 300 anos atrasadaquot;. Nenhum de nós é tolo a ponto de achar que o sistema de cotas vai resolver o problema da desigualdade racial, mas não se pode deixar políticas afirmativas como essa de lado. Os EUA implantaram o sistema de cotas há 30 anos e, agora, estão reorientando-o e até mesmo abandonando-o em algumas áreas por acreditarem que ele já causou o efeito desejado. Collin Powell e Condoleezza Rice usufruíram dessas cotas e chegaram ao posto de secretários de Estado. Trata-se de uma medida circunstancial para amenizar os efeitos de um atraso histórico e, assim que chegarmos a patamares mínimos de igualdade, ela deve ser abandonada. A tônica principal dos artigos é que as leis propostas instauram o “racismo velado” no País, a pretexto de combatê-lo... Roldão Arruda
  5. 5. Um grupo de 113 cidadãos influentes – intelectuais, empresários, advogados, artistas e sindicalistas – tomou, no início de maio deste ano, uma das iniciativas mais fortes contra a política de cotas raciais do país. Eles argumentam que as cotas não fazem sentido. “O processo de formação da sociedade brasileira foi marcado pela miscigenação desde a primeira presença de portugueses aqui”, diz a historiadora Isabel Lustosa, do museu e centro de estudos Casa Rui Barbosa. Segundo ela, tentar discriminar por raça agora cria uma divisão artificial na sociedade. “Em Brasília, o sujeito tem de olhar se o cabelo do candidato está no padrão ou não”. Para compensar a desigualdade econômica e racial do país, os autores do manifesto propõem outro tipo de ação. “A política que tem de haver é de uma distribuição melhor do acesso à boa educação”, diz Isabel. “Sou a favor de bolsas de estudo, como tive em meu colégio de freiras no Ceará. Éramos 13 filhos. Todos de cores variadas.”
  6. 6. Discriminação não é solução ! ! !

×