Smed colocando o conceito em prática

8,298 views
7,920 views

Published on

Em mais um aprofundamento em meus estudos sobre Lean Manufacturing, segue uma ferramenta que me atrai muito e que já tenho bem enraizado em meu dia a dia, passando sempre minha experiência ao operadores e analistas. Este trabalho como poderão observar, é mais focado ao seguimento automotivo mas o conceito se aplica a todos os seguimentos.

Published in: Automotive

Smed colocando o conceito em prática

  1. 1. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 SMED (Single Minute Exchange of Die )
  2. 2. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED Single Minute Exchange of Die Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Single Minute Exchange of Die Set up de ferramentas ( Troca Rápida em Minutos de 1 Dígito )
  3. 3. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED ( Single Minute Exchange of Die ) ( Troca Rápida em Minutos de 1 Dígito ) OTED ( One-Touch Exchange of Die) Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Um dos indicadores mensurados no projeto SMED é o tempo de setup ou o tempo de troca da ferramenta. Tempo de setup é o tempo da última peça boa até a primeira peça boa após a troca. Criado por Shigeo Shingo – 1909/1990 (Engenheiro que trabalhou na Toyota) e utilizado pela primeira vez em 1975 ( One-Touch Exchange of Die) ( Troca Rápida em Menos de 100 Segundos)
  4. 4. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Objetivos da Ferramenta SMED • Diminuir o tempo de trocas. • Atender mais clientes. • Maior segurança e autonomia • Reduzir estoques (lotes menores) • Tornar as linhas e os equipamentos mais flexíveis. Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 • Tornar as linhas e os equipamentos mais flexíveis. • Padronizar as atividades. • Diminuir as operações internas na máquina durante o set up. • Aumentar as operações externas na máquina durante o set up. • Eliminar os erros frequentes nos momentos das trocas. • Maior simplicidade no armazenamento das ferramentas. • Reduzir perdas de produção. • Reduzir investimentos em novas máquinas. • Reduzir tarefas improdutivas.
  5. 5. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – Saindo do tradicional e fugindo um pouco da teoria vista em treinamentos, vamos antes conhecer na prática este conceito, que muitas vezes já o aplicamos naturamente sem saber e que se observarmos ao nosso redor, veremos que temos bons exemplos dentro de casa para aprofundarmos o assunto e passarmos a repensar nossa rotina diária dando a devida atenção ao mesmo. Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Veremos então a seguir: Aplicações que atendem o conceito SMED Aplicações que não atendem o conceito SMED
  6. 6. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Aplicações que atendem o conceito SMED Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Prensa com duas mesas para troca de ferramentas Ferramenta adaptada quanto a altura através de calço e sistema se fixação rápida através de clamps hidráulicos
  7. 7. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Aplicações que atendem o conceito SMED Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Ferramenta sem calço desenvolvida na altura correta e com clamps de fixação Bancada com ferramentas e acessórios de fixação devidamente organizados e de fácil acesso.
  8. 8. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Aplicações que atendem o conceito SMED Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Suporte para troca do ferramental viabilizando a retirada e entrada com auxílio de ponte rolante. Prateleira organizada com ferramental em local pré-definido facilitando a localização.
  9. 9. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Aplicações que não atendem o conceito SMED Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Ferramental fixado de forma improvisada, com calços para compensação de altura e utilização de tirantes e sargentos para retenção da mesma a base da prensa. Uma única mesa de preparação que serve para retirar e depois colocar outra ferramenta. Carrinho para troca do ferramental sem sobremesa de preparação.
  10. 10. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Aplicações que não atendem o conceito SMED Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Sem o suporte e calços já incluso na ferramenta, a troca de ferramental é feita de forma insegura e lenta com a empilhadeira. Prateleira desorganizada com ferramental sem local pré-definido, sem identificação dificultando a localização e aramazenagem.
  11. 11. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – Depois de ver exemplos práticos do conceito, vamos agora estudar um pouco do conceito para promovermos então nosso melhoramento contínuo em nossas rotinas. Veremos então a seguir: O que é de fato o SMED Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 O que é de fato o SMED Quais são os benefícios do SMED Quais são as etapas de Implementação do SMED Quais são os efeitos do SMED Quais os riscos e deterioração depois do SMED
  12. 12. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN O SMED é um método, desenvolvido no grupo Toyota por Shigeo Shingo, que se utiliza na análise e melhoria do tempo perdido nas mudanças de série de fabricação (também chamado tempo de preparação). Porque devemos reduzir o tempo de Set up? Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 1) Para aumentar sua capacidade de produção utilizando mais tempo de máquina operando durante uma jornada de trabalho. 2) Para reduzir os níveis de inventários e seu respectivo Lead Time. 3) Para produção de lotes mais pequenos incrementando assim a flexibilidade na produção.
  13. 13. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN O SMED e seus benefícios: Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013
  14. 14. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN O SMED passo a passo: Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013
  15. 15. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN O SMED e seu efeito: 50min 400 min 1 lote Tempo liquido de operação 5 lotes (Sem SMED): Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 50 min 80 min 50 min 80 min 50 min 80 min 50 min 80 min 50 min 80 min 50 min 80 min 10 min 80 min 10 min 80 min 10 min 80 min 10 min 80 min 10 min 80 min 5 lotes (Sem SMED): 5 lotes (Com SMED): Conseguimos produzir mais itens no mesmo espaço de tempo em quantidades menores mas atendendo aos pedidos.
  16. 16. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Matriz de Swotz para SMED: 1. Liberação carga máquina para outros produtos. 2. Maior flexibilidade nas entregas. 1. Custo elevado com acessórios. 2. Treinamentos ineficazes. 3. Muita oscilação na demanda (carteira). Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 1. Melhor desempenho produtivo. 2. Maior flexibilidade na produção. 3. Maior segurança para Qualidade. 4. Maior desenvolvimento do operador. 5. Melhor gestão do planejamento. 6. Redução significativa dos estoques 1. Menor tempo para manutenção. 2. Cultura de planejamento da produção. 3. Desinteresse dos Operadores. 4. Desinteresse dos Líderes. 5. Falta de apoio gerencial. 6. Ineficácia intervenções de manutenção.
  17. 17. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED - passo 1: Efetuar um estudo estratificado dos movimentos atual no Set up Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Importante: Elaborar um spaghet shart contemplando todos os movimentos executados pelo operador durante o set up. Estudar todos os movimentos e promover ações para racionalização dos movimentos culturais desnecessários.
  18. 18. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED - passo 1: Efetuar um estudo estratificado do trabalho na condição atual do Set up Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Importante: Separar o trabalho interno do trabalho externo durante o set up, ou seja, o que se consegue fazer com a máquina parada do que se consegue fazer somente com a máquina parada. Utilizar vídeo e cronometragem dos movimentos executados pelo operador.
  19. 19. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – passo 2: Separar o que o trabalho interno do trabalho externo. Importante: Fazer um levantamento de todos os recursos necessários para execução Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 recursos necessários para execução do Set up. Avaliar estudo do trabalho realizado no passo 1 certificar o trabalho interno do trabalho externo.
  20. 20. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – passo 3: Transformar o trabalho interno em trabalho externo. Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Importante: Preparar ao máximo a próxima ferramenta a entrar na máquina, deixando-a ao lado da mesma em local devidamente identificado. Viabilizar ao máximo a troca simultânea entrando e saindo as ferramentas. Uso de mesas preparatórias é bem visto
  21. 21. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – passo 4: Reduzir o trabalho interno. Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Importante: Projetar ferramentas com sistemas de indexação e centragem. Padronizar os tamanhos de ferramentas. Utilizar de recursos para automatizar movimentos de fixação Padronizar altura das ferramentas Desenvolver engates rápidos
  22. 22. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – passo 5: Reduzir o trabalho externo. Importante: Identificar todas as ferramentas com código e descrição. Especificar nas ferramentas os valores de regulagem. Identificar na ferramental a alocação para armazenagem. Identificar os locais de armazenagem das ferramentas. Ter local adequado para armazenagem das ferramentas de fixação. Disponibilizar os meios produtivos para fixação e movimentação. Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Implementar gestão visual dos ferramentais e dos set ups. Prateleira organizada com ferramental em local pré-definido facilitando a localização.
  23. 23. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – Contabilizar os ganhos, valorizar a equipe e apresentar o resultado. 50% 75% 90% Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Cambio original Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 75% 90%
  24. 24. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN SMED – Padronizar e promover a expansão horizontal para demais máquinas. HOJA DE COMBINACION DE TRABAJO Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Importante: Elaborar instruções de trabalho para set up em cada máquina otimizada. Manter em cada máquina a sequência de movimentos a serem executados pelos operadores.
  25. 25. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN Fonte de pesquisa e créditos: O Sistema SMED. Uma revolução na produção por Shigeo Shingo. Engº. Eduardo Avi - eduardo.avi@uol.com.br Juan Díaz de León - Xignux . Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 Juan Díaz de León - Xignux . Prof. Paulino G. Francischini. Google. Youtube. Fabricantes de dispositivos para troca rápida de ferramentas.
  26. 26. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN FIM e Jose Donizetti Moraes - 26/07/2013 e OBRIGADO

×