Muda mura muri

1,987 views
1,634 views

Published on

Combater os Sete Desperdícios é o principio básico do Lean Manufacturing e infelizmente muitos profissionais nem sabem quais são e nem como tratar estes desperdícios, para isso conhecer e entender muito bem o Muda Mura e Muri é essêncial para todos os níveis de uma empresa.

Published in: Automotive
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
1,987
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Muda mura muri

  1. 1. Muda Mura MuriEm uma tradução simplificada destas palavras podemos interpretar as mesmascomo:1. Muda – Perda, desperdício ou atividade que consome recurso da empresa enão agrega valor ao produto.2. Mura – Perda, desperdício ou atividade decorrente de uma variação noprocesso de fabricação de um produto e que pode gerar uma falha dequalidade.3. Muri – Perda, desperdício ou atividade decorrente do exagero no processo defabricação, seja de movimento pelos operadores, excesso de estoque,movimentação de materiais e que são completamente desnecessários aomesmo.São as perdas encontradas no processo produtivo, onde são executadas atividadesque agregam valor ao produto.Reduzindo ou eliminando o desperdício, é claro, um dos objetivos fundamentais dequalquer pessoa orientada para a Qualidade e Produtividade.
  2. 2. Taichi Ohno da Toyota identificou o que são chamados os Sete Desperdícios ousete MUDAs, sendo a forma mais comum de muda encontrados e classificados:Perdas por Super Produção, o que leva a excesso de estoque, a papelada,manuseio, armazenamento, espaço, juros, máquinas, defeitos, as pessoas edespesas gerais. Muitas vezes, é difícil ver essa perda quando todo mundo pareceocupado. Normalmente isso é identificado pela quantidade de peças existente entreas operações, para uma melhor ilustração desta perda, basta tentarmos aplicar emuma determinada célula ou linha de montagem o conceito do “One Piece Flow”,quando isso for tentado veremos de uma maneira mais fácil onde está o gargalo dalinha e então promovemos ações via um projeto de Kaikaku visando quebrar estegargalo ou promover um balanceamento da célula ou linha de montagem, nalinguagem Lean neste caso, falta o GEMBA-CHO pois é inconcebível um Lídertreinado e preparado para liderar uma equipe aceitar um desbalanceamento ougargalo e não sinalizar as perdas.Dentro com conceito Lean, devemos tratar estas perdas, e um esforço adicionalpode ser necessário em um processo ineficiente, porém cuidados devem sertomados para que uma tentativa de otimização não se torne um fracasso total:Perdas por Superprodução, na tentativa de se tratar estoques em excesso, podemoscometer toda uma série de pecados, devemos então reduzir os estoques de formagradualmente através de um inventário verdadeiramente controlado e confiável(fazer tudo de uma vez vai provocar o colapso total na empresa).Perda por Transporte e Perda por Tempo em Espera, isto inclui a movimentação depessoas, a partir de ações simples, quando em um só lugar temos umaconcentração geográfica onde os operadores devem ter tudo à mão, na Qualidadecerta, na hora certa e na quantidade certa pois é necessário para redução dodesperdício de movimento nas operações e na espera para execução das mesmas.Uma outra perda muito importante a ser considera são as perdas provenientes dodefeitos nos produto (Falha de Qualidade), materiais ou componentes, que podemcausar confusão, retrabalho e atrapalhando um conjunto sincronizado de processos.Neste caso mais uma vez a figura do GEMBA-CHO é importante pois deve partirdele a iniciativa de praticar um dos principais conceitos do Lean Manufacturing oFTQ (First Quality Time) – Qualidade em Primeiro Lugar ou Faça Certo da PrimeiraVez e que foi popularizado como “Não receba errado, não faça errado e não envieerrado”.Uma visão simplificada da muda é: Perder tempo desperdiçando um recurso deconsumo como material, como um recurso de mão de obra, com um problema deQualidade que gera insatisfação do cliente interno e externo além de retrabalho,deve ser erradicado da mentalidade das pessoas em todos os níveis da empresa, éuma questão cultural e como tal deve ser tratada, isso demanda tempo, paciência,treinamento, disciplina e rigor aplicado não ameaçado.
  3. 3. No início falamos sobre os “Sete Desperdícios”, mas comentamos basicamentesobre 3, é importante esclarecer que os “Sete Desperdícios” são perdas visíveis einvisíveis e estão assim elencadas:1. Transporte,2. Inventário,3. Espera,4. Super Produção,5. Qualidade,6. Tempo no Processo,7. Operações ou movimentos desnecessários,Atualmente alguns especialistas adicionaram um desperdício ou perda, e tratam aausência de Habilidade como uma perda, logo podem ouvir falar em OitoDesperdícios, mas tratar estas perdas significa tratar os 3Ms em um literatura Lean.Mais uma vez cabe a Alta Administração identificar porque os conceitos do LeanManufacturing não estão sendo utilizados de modo eficaz e corrigir estas falhas poistodo trabalho em busca de uma Manufatura Lean vai por terra e esta fadada aofracasso, onde o momento atual de demanda e mercado não permite mais asobrevivência de empresas com gestão ineficiente que nem se quer conhece suasperdas e nem tão pouco possui os KPIs necessários para seu constantemonitoramento e atuação em busca das melhores práticas a tempos disponíveis.Créditos do texto a:Por: Jose Donizetti Moraes - 01/06/2013

×