A estrutura do texto dissertativo

3,167 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,167
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
216
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A estrutura do texto dissertativo

  1. 1. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  2. 2. Dissertar é tratar com desenvolvimento um ponto doutrinário, um tema abstrato, um assunto genérico. Ou seja: Dissertar é expor ideias em torno de um problema qualquer. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  3. 3. exposição de um assunto esclarecimento das verdades que o envolvem discussão da problemática que nele reside defesa de princípios tomada de posições Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  4. 4. pela análise objetiva de um assunto pela sequência lógica das ideias, quando refletidas e expressas coerência na exposição delas Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  5. 5. Exige reflexão e seleção de ideias. Exige que se monte um plano de desenvolvimento. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  6. 6. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  7. 7. 1º Parágrafo = TEMA + argumento 1 + argumento 2 + argumento 3 2º Parágrafo = Desenvolvimento do argumento 1 3º Parágrafo = Desenvolvimento do argumento 2 4º Parágrafo = Desenvolvimento do argumento 3 5º Parágrafo = Expressão inicial + reafirmação do TEMA + observação final Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  8. 8. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  9. 9. 1º Parágrafo = Apresentação do TEMA (com ligeira ampliação) 2º Parágrafo = Causa (com explicações adicionais) 3º Parágrafo = Conseqüência (com explicações adicionais) 4º Parágrafo = Expressão inicial + reafirmação do TEMA + observação final Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  10. 10. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  11. 11. 1º Parágrafo = Apresentação do TEMA 2º Parágrafo = Análise dos aspectos favoráveis 3º Parágrafo = Análise dos aspectos contrários 4º Parágrafo = Expressão inicial + posicionamento pessoal em relação ao TEMA + observação final Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  12. 12. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  13. 13. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  14. 14. 1º Parágrafo = Apresentação do TEMA 2º Parágrafo = Retrospectiva histórica (época mais distante) 3º Parágrafo = Retrospectiva histórica (época mais próxima e época atual) 4º Parágrafo = Expressão inicial + reafirmação do TEMA (agora sob uma perspectiva histórica) Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  15. 15. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  16. 16. a) examinar o tema, entendê-lo e relacioná-lo a alguma situação conhecida; b) anotar as ideias (argumentos favoráveis e contrários) que conseguir sobre o tema; c) decidir a posição (favorável ou contrária) que vai defender; d) fazer um rol do vocabulário (elenco de palavras) que se refere ao assunto; e) rascunhar a dissertação a partir do tema, com rápida introdução em que podem aparecer dados históricos, opiniões gerais; f) apresentar os argumentos, começando pelos mais simples, já atacando os contrários e enaltecendo os favoráveis; Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  17. 17. g) concluir o trabalho, à vista dos argumentos, com a posição que está defendendo; h) revisar o texto: - eliminando o que for supérfluo ou ineficaz, como repetições, frases que pouco dizem (e que, portanto, não fazem falta); - alterando, se preciso, a ordem dos argumentos; - corrigindo os erros de concordância, de regência, de pontuação, de ortografia e de acentuação; i) Rever o texto, analisando-o como supõe que o examinador o analisará e, se necessário, modificá-lo; j) Passar a limpo, lembrando-se de que nenhum examinador gostaria de decifrar a letra. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  18. 18. 1. Introdução:  É o início do texto, contendo o tema a ser desenvolvido, exposto com muita clareza e de maneira panorâmica: O quê? Quem? Como? Quando? Onde? Por quê?  Envolve o problema a ser analisado. Geralmente, pode ser exposto em apenas um parágrafo.  Uma introdução não deve ser muito longa para não desmotivar ou ficar cansativa para o leitor. Deve-se evitar em uma introdução: . Iniciar uma ideia geral que não transpassa por todo o texto; . Usar chavões; . Iniciar a introdução com as mesmas palavras do título; . Fazer desvios do assunto principal; . Escrever período longo; . Escrever de forma pessoal, ou seja, usar a 1ª pessoa. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  19. 19. 2. Desenvolvimento:  É o corpo do texto, onde se organiza o pensamento e se articulam as ideias. É construído pelos argumentos que, no caso, representam o posicionamento adotado.  Os argumentos podem se classificar em: argumento de autoridade, argumento por ilustração, argumento do pensamento lógico, argumentação de prova concreta e argumentação de competência linguística. Argumento por autoridade é a citação de frase ou pensamento de autor do tema em questão. Pode ser uma “faca de dois gumes”, de forma positiva, fazendo-se uma intertextualidade, ou negativa, se for inadequado ao tema proposto. Argumento por ilustração é o uso de exemplos relativos à realidade. Argumento do pensamento lógico é uma ideia que parte do geral para o particular ou, ao contrário, do particular para o geral. Argumento de prova concreta é uma prova concreta, seja de lei, dados estatísticos, fatos do conhecimento geral, como o reforço da ideia defendida. Argumento da competência linguística é o uso da incorreção gramatical que gera problemas na coerência do texto. Deve-se evitar em um desenvolvimento: . Repetições; . Escrever pormenorizando; . Exemplos extremamente excessivos; . Usar de exemplos fracos e fora do contexto. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  20. 20. 3. Conclusão: É a síntese do problema tratado no decorrer do texto, fechamento do texto. Na conclusão, as ideias tratadas no texto propõem uma solução. O ponto de vista do escritor, apesar de ter aparecido em outras partes, adquire maior destaque na conclusão. Deve-se evitar em uma conclusão: . Não conseguir finalizar, deixando o texto sem um desfecho; . Expressões óbvias como “em resumo”, “concluindo”, “terminando”. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  21. 21. Além da estrutura global do texto argumentativo, é importante conhecer a estrutura de uma de suas unidades básicas: o parágrafo. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  22. 22. Construção do parágrafo Parágrafo é uma unidade de texto organizada em torno de uma ideia-núcleo, que é desenvolvida por ideias secundárias. O parágrafo pode ser formado por uma ou mais frases, sendo seu tamanho variável. No texto argumentativo, os parágrafos devem estar todos relacionados à tese ou ideia principal do texto, geralmente apresentada na introdução. Embora existam diferentes formas de organização de parágrafos, os textos argumentativos e alguns gêneros jornalísticos apresentam uma estrutura-padrão. Essa estrutura consiste em três partes: a ideia-núcleo, as ideias secundárias (que desenvolvem a ideia-núcleo), a conclusão (em parágrafos curtos, é raro haver conclusão). Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  23. 23. Vejamos um exemplo: Texto para análise Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  24. 24. Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos, pois existem populações imersas em completa miséria, a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais e, além do mais, o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico. TEMA/TESE/PROBLEMA ARGUMENTO 1 ARGUMENTO 2 ARGUMENTO 3 INTRODUÇÃO: 1º. PARÁGRAFO: TEMA + argumento 1 + argumento 2 + argumento 3 (PANORAMICAMENTE) Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  25. 25. Embora o planeta disponha de riquezas incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer entre Estados, quer entre indivíduos – encontramos legiões de famintos em pontos específicos da Terra. Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas regiões da África, vemos, com tristeza, a falência da solidariedade humana e da colaboração entre as nações. DESENVOLVIMENTO DO ARGUMENTO 1 DESENVOLVIMENTO: 2º. PARÁGRAFO 2° parágrafo :desenvolvimento da argumentação Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  26. 26. Além disso, nestas últimas décadas, temos assistido, com certa preocupação, aos conflitos internacionais que se sucedem. Muitos trazem, na memória, a triste lembrança das guerras do Vietnã e da Coreia, as quais provocaram grande extermínio. Em nossos dias, testemunhamos conflitos na antiga Iugoslávia, em alguns membros da Comunidade dos Estados Independentes, sem falar da Guerra do Golfo, que tanta apreensão nos causou. DESENVOLVIMENTO DO ARGUMENTO 2 DESENVOLVIMENTO: 3º. PARÁGRAFO 3° parágrafo: desenvolvimento da argumentação Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  27. 27. Outra preocupação constante é o desequilíbrio ecológico, provocado pela ambição desmedida de alguns, que promovem desmatamentos desordenados e poluem as águas dos rios. Tais atitudes contribuem para que o meio ambiente, em virtude de tantas agressões, acabe por se transformar em um local inabitável. DESENVOLVIMENTO DO ARGUMENTO 3 DESENVOLVIMENTO: 4º. PARÁGRAFO 4° parágrafo: desenvolvimento da argumentação Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  28. 28. Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras. CONCLUSÃO CONCLUSÃO: ÚLTIMO PARÁGRAFO 5° parágrafo: expressão inicial + reafirmação do tema + observação final. Prof. José Antonio Ferreira da Silva

×