Empreendedorismo e gestao estrategica da empresa

2,649 views
2,488 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,649
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Empreendedorismo e gestao estrategica da empresa

  1. 1. BREVE REFLEXÃO!Prezado participante, se o seu projeto de vida profissional é enfrentar riscos eincertezas de um negócio próprio que poderá levá-lo ao sucesso, ou não,dependendo de sua determinação, estudo e estratégias de negócio, então vocêestá no caminho certo!Entretanto, ser você não tem esse perfil, desista de tal ideia e procureaperfeiçoar-se numa profissão, cujo objetivo é lidar com o chefe, a rotina dodia-a-dia e o relógio de ponto. Finalmente, desejo-lhe também sucesso! 1
  2. 2. Muitos empreendedores de sucesso iniciaram seus empreendimentospraticamente do zero. Henry Ford criou a linha de montagem para seus veículos. Com o Ford T revoluciona a indústria automobilística. Bill Gates, após a venda do 86-DOS por USS 8 milhões, cria a Microsoft. Steven Paul Jobs, cria a Apple inc. 2
  3. 3. EMPREENDEDORISMO E GESTÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA
  4. 4. Prof. Jorge RobertoPerfil: Pós-Graduado em Planejamento e Gestão Estratégica: Fundação GetulioVargas – FGV/EBAPE/EPGE. Introdução ao Planejamento Estratégico – FGV/Cademp.Pensamento Estratégico – FGV Online. Inteligência Competitiva – FGV Online. Tutorialde Professores – FGV Online. Metodologia do Ensino Superior – Tutorial – FGV Online.Professor da Fundação Getulio Vargas – FGV/Cademp, no seguinte curso: ComoGerenciar em Pequenos e Médios Negócios (2012). Coordenador Acadêmico do Cursode Pós-Graduação (MBA Executive) de Direito Econômico e Empresarial – FGV/EPGE –ACEI, 1997/1998. Professor de Empreendedorismo e Estratégia Empresarial.Treinamento para Micro e Pequenas Empresas.Missão: ajudar as pessoas a encontrarem o seu próprio caminho no mundo dosnegócios, bem como colaborar no crescimento das micro e pequenas empresas nocenário turbulento da globalização. Site: www.jorobertocursoslivres.com.br Blog: www.joroberto.blogspot.com.br E-mail: joroberto2010@gmail.com
  5. 5. EMPREENDEDORISMO E GESTÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESAProgramaOrigem e evolução do empreendedorismo. O espírito empreendedor. Características e condutas do empreendedor.Visão e missão empreendedora. O processo empreendedor. Noção de plano de negócio. Estratégia empresarial eInteligência competitiva. Matriz SWOT. Vendas e pesquisa de mercado. Liderança organizacional. Gestão daqualidade e pessoas. Aspectos financeiros/contábeis/tributação. Reflexão sobre os conceitos: comprador, cliente econsumidor. Produtos: bens e serviços. Diferença entre conquistar e manter clientes. Como recuperar clientesinsatisfeitos. A visão da liderança. Motivação da Equipe. Rotinas de atendimento com qualidade. Criatividade noprograma de fidelização da clientela. Redes sociais..Público AlvoPessoas que desejam iniciar-se no empreendedorismo assegurando a viabilidade, a competitividade e asustentabilidade do respectivo negócio em uma época de constante transformação em face da globalização, bemcomo estudantes do ensino médio e superior que tem como objetivo estimular seu espírito empreendedorbuscando as competências necessárias para transformar ideias empreendedoras em um plano de negócio,definindo estratégias e focando vantagem competitiva no mercado escolhido.MetodologiaAulas expositivas em PowerPoint e exercícios, seguidas de debates inspirados na realidade da empresa atual e/oudo grupo participante se o curso for presencial. Curso via skype não tem tutoria.Carga Horária30 horas/aula para curso presenciais ou via skype.
  6. 6. Realmente, tais pessoas empreendedoras podem encontrar-se “nasmais diversas situações”, tais como os que possuem uma boa ideiae não sabem como colocá-la na prática; como também aquelesempreendedores que pretendem ultrapassar o estágio deEmpreendedor Individual para Microempresário, ou mesmo dePequeno ou Médio Empresário.Assim, sendo, no transcorrer da apresentação, entraremos emcontato com uma visão mais sistêmica e estratégica doempreendedorismo quando implementado; serão, então,abordados alguns elementos essenciais para compreensão doMarketing, bem como das Finanças, das Operações, dos RecursosHumanos, todavia sempre dando ênfase a estratégia para que oempreendedor não fique a deriva no cenário turbulento daconcorrência.” 6
  7. 7. “A concorrência representa apenas uma das forças no ambiente em que aempresa opera [...] o ambiente tarefa inclui os participantes imediatosenvolvidos na produção, distribuição e promoção da oferta. Os participantesprincipais são a empresa, os fornecedores, os distribuidores, os revendedores eos clientes-alvo [...] o ambiente geral é formado por seis componentes: oambiente demográfico, ambiente econômico, ambiente natural (meioambiente), ambiente tecnológico, ambiente político-legal e ambientesociocultural.”(KOTLER; Philip. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1998. KELLER, Kevin L. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo, PearsonPrentice Hall, 2006, p. 24). 7
  8. 8. ESTUDAR EMPREENDEDORISMO“Existe um crescente interesse nacional e internacional em estudar temas voltados aoempreendedorismo, uma vez que a geração de negócios está diretamente ligada àprosperidade das nações, e a ação empreendedora é o processo dinâmico pelo qualse pode gerar mais riquezas. Essa prosperidade é obtida por pessoas que assumemriscos, em termos de patrimônio ou comprometimento. Tais pessoas são chamadasempreendedores e podem ser encontradas em diversas situações.”FARAH, Osvaldo Elias. CAVALCANTI, Marly. DIAS, Elaine Aparecida. JUNQUEIRA, Carmen Rita Cardoso. Capítulo1 - O Empreendedor. Empreendedorismo estratégico: criação e gestão de pequenas empresas.FARAH, Osvaldo Elias. CAVALCANTI, Marly. MARCONDES, Luciana Passos (orgs.). São Paulo: Cengage Learning,2008, p. 1. 8
  9. 9. Sem dúvida que o objetivo de um empreendedor é conseguir lucro, pois nenhumhomem de negócios que assim se considere investirá capital e tempo onde osdemonstrativos não mostram um potencial definido de lucro. Andar na ‘cordabamba’ jamais será seu foco, mas isto não quer dizer que a turbulência domercado não provoque alguma instabilidade a ser superada.Portanto, a mente do empresário sempre funciona na busca da estabilidade,controle e bons resultados financeiros.Lucratividade e sustentabilidade são palavras de ordem no mercado! 9
  10. 10. AS DEZ CARACTERÍSTICAS DO EMPREENDEDORBusca de oportunidade e iniciativa (se antecipar aos fatos e criar novas oportunidadesde negócios)Persistência (enfrentar os obstáculos decididamente)Correr riscos calculados (assumir desafios ou riscos moderados e responderpessoalmente por eles)Exigência de qualidade e eficiência (decisão de fazer sempre as expectativas de prazos epadrões de qualidade)Comprometimento (com o cliente e com o próprio empresário)Busca de informações (busca pessoalmente, consulta especialistas)Estabelecimento de metas (estabelece metas de longo e curto prazo mensuráveis)Planejamento e monitoramento sistemáticos (planeja e aprende a acompanhá-losistematicamente a fim de atingir as metas a que se propôs)Persuasão e rede de contatos (saber persuadir e utilizar sua rede de contatos atuandopara desenvolver e manter relações comerciais)Independência e autoconfiança (busca autonomia em relação a normas e procedimentospara alcançar o sucesso).http://empretec.sebrae.com.br/2010/05/05/as-dez-caracteristicas-do-empreendedor/ Acesso: 12.09.2012/19:40. 10
  11. 11. - Otimiza os recursos visando atingir metas - Estabelece as metas e os objetivos parapreestabelecidas depois conseguir recursos- Busca adaptar-se às mudanças - Busca iniciar mudanças- Trabalha dentro de uma estrutura existente Define tarefa e papéis que criam uma estrutura na organização- Busca conhecimentos gerenciais e técnicas - Apoia-se na autoconfiança, na sua própria visão e na capacidade de inovação e criação de valor- Padrão de trabalho implica análise racional - Padrão de trabalho implica imaginação e criatividade- Foca o trabalho em grupo - Foca a evolução individual e a comunicação do grupo- Trabalha centrado em processosque levam - Trabalha centrado no planejamento deem conta o meio em que eles se desenvolve m processos que resultam de uma visão diferenciada do meio- Apoia-se na cultura da afiliação - Apoia-se na cultura da liderança- Desenvolve padrões em busca de aplicações - Desenvolve padrões em busca de regrasconcretas e específicas gerais e abstratas- Enfatiza a adaptabilidade - Enfatiza a perseverança- Busca do conhecimento em gerenciamento de - Busca do conhecimento que elevam arecursos da própria especialização ocupação de espaço no mercado Fonte adaptada: Adminstração.com.br, 2009. 11
  12. 12. MOTIVAÇÕES EMPREENDEDORAS1. São as motivações pessoais:• Tradição familiar• Colocar conhecimentos adquiridos em prática• Necessidade de autorrealização profissional• Necessidade de reconhecimento (status)• Contribuir para o desenvolvimento social• Necessidade de ser seu próprio chefe2. E as motivações materiais• Ganhar dinheiro (Aumentar renda ou ficar rico)• Disponibilidade de recursos• Porque estava desempregado• Visualização de oportunidade inovadora• Existência de órgão de apoio e financiamento• Mercado aquecidoFonte: Adaptado da Unipem 12
  13. 13. KOPENHAGENRenata de Moraes Vichi, vice-presidente da empresa.“O empreendedor tem que estar sempre atento às mudanças de mercado, visandoinovar e ir ao encontro das preferências dos seus consumidores, com apreocupação de atender o interesse do investidor, motivar o colaborador egarantir a satisfação do público. Esta é a missão e a mensagem da Kopenhagenpara todos que, assim como nós, lutam por um Brasil melhor.”In, Abra uma loja para o sucesso. Ferreira, Orlando; Pivetti André; Araújo, Luisa.Bom Texto Editora. Capitulo XVI > O que as empresas de sucesso têm a dizer, p. 211. 13
  14. 14. VEJA A VANTAGEM DE SER EMPREENDEDOR:• Autonomia para tomar decisões• Desafio• Controle financeiroMAS,OBSERVE TAMBÉM AS DESVANTAGENS DO SEREMPREENDEDOR:• Grande sacrifício pessoal• Sobrecarga de responsabilidades• Pequena margem de erro em razão de não poder absorver impactos de decisões erradas 14
  15. 15. GUIA PARA O SUCESSO > Veja o que dispõe os estudos, A. Ibrahim e J. Goldwin, na publicaçãodo periódico American Journal of Sma:ll Business (1986), ao identificar fatores de sucesso das empresas:1. Em primeiro lugar, estão os valores associados à pessoa do empreendedor, ou seja, as virtudes que são características de quem quer iniciar seu próprio negócio.2. Em segundo lugar, estão as habilidades gerenciais, que incluem estratégias de nicho, gerenciamento dofluxo de caixa, um sistema orçamentário simples, mas eficiente, experiência anterior, educação e culturaorganizacional simples.3. Por fim, estão as habilidades pessoais, que incluem um bom relacionamento com um representante decrédito, boas relações com clientes e boas relações com os empregados.Ibid: MENDES, Jerônimo. Empreendedorismo para jovens: ferramentas, exemplos reais e exercícios para alinhar a sua vocação com o seuprojeto de vida. São Paulo: Atlas, 2012, p. 60. 15
  16. 16.  Inimigo maior que a concorrência é a postura de vendedor (ra) arrogante, comsentimento de autossuficiência; O vendedor deve conhecer os prazos de pagamento, bem como as condições parafechamento da venda e política de descontos.“Ética é a ciência da conduta humana, segundo o bem e o mal, com vistas à felicidade. É a ciênciaque estuda a vida do ser humano, sob o ponto de vista da qualidade da sua conduta.” Ética: deve haver sinergia na equipe, bem como a capacidade de relacionar-se bemcom os clientes;ALONSO, Félix Ruiz. LÓPES, Francisco Granizo. CASTRUCCI, Plínio de Lauro. Curso de ética em administraçãoempresarial e pública. 3ª ed. São Paulo: 2012, p. 3. 16
  17. 17. CUIDADO COM AS PESSOAS NEGATIVAS, POIS PODERÃO LIQUIDAR COM SEUS SONHOS! “Foi estabelecido cientificamente que a mamangava não pode voar.Sua cabeça é grande demais e suas asas pequenas demais para sustentar o corpo. Segundo as leis da aerodinâmica, ela simplesmente não poderia voar. Mas ninguém disse isso a mamangava. E assim ela voa.” Autor desconhecido 17
  18. 18. “O sábio pergunta a si próprio a causa de seus fracassos. O insensato pergunta aos outros.” Confúcio 18
  19. 19. “todo mundo sabia que era impossível de ser feito até que um dia veio alguém e fez.” Winston Churchill “E como ele não sabia que era impossível, foi lá e fez.” Jean Cocteau 19
  20. 20. TENHA DETERMINAÇÃO, POIS MUITAS OPORTUNIDADES TE ESPERAM NO MERCADO!Massa de renda (em bilhões de R$)Classe A 216, 1Classe B 329,5Classe C 427,6Classe D 381,2Classe E 25,0Fonte: IBGE, PNAD 2002 – 2008 (adaptada) 20Revista Meu Próprio Negócio – Editora Online
  21. 21. Planeje sempre antes de colocar a ideia em prática para não se perder no caminho Diálogo entre Alice e o Gato Cheshire em Alice no País das Maravilhas do Inglês Lewis Carroll “Pode dizer-me que caminho devo tomar?” - perguntou Alice. “Isso vai depender do lugar para onde quer ir” - respondeu o Gato. “Não tenho destino certo” - disse Alice. “Nesse caso, qualquer caminho serve” - disse o Gato. 21
  22. 22. Faz-se oportuno conhecermos alguns personagens importantespara o estudo e desenvolvimento sobre o temaempreendedorismo. 22
  23. 23.  Empreendedorismo: termo desconhecido na idade média. 1725: Richard Cantillon , investidor irlandês, denomina de entrepreneurship o individuo inovador, ou seja, aquela pessoa que assume riscos. 1800: o termo empreendedor foi cunhado e muito usado pelo economista francês Jean-Baptiste Say. Este considerava o desenvolvimento econômico como consequência da criação de novos empreendimentos. 23
  24. 24. O tema EMPREENDEDORISMO ganhou fama mundial após as pesquisas coordenadaspelo GEM – Global Entrepreneurship Monitor, em 1999. GEM: É pioneiro em pesquisa mundial sobre empreendedorismo. Pesquisa realizada em 2011 pelo GEM constatou que o Brasil possui a mais alta taxa de empreendedorismo entre o grupo das 20 maiores economias do mundo : G-20. Empreendedores formais ou informais: 68% abriram negócio por terem vislumbrado uma oportunidade de negócio, enquanto 32% abriram negócio por necessidade.> É executado no Brasil através do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade –IBQP, desde 2000. 24
  25. 25. Assim disse SCHUMPETER, referindo-se ao personagem empreendedor:“O empreendedor é o responsável pelo processo de destruição criativa, sendo o impulsofundamental que aciona e mantém em marcha o motor capitalista, constantementecriando novos produtos, novos métodos de produção, novos mercados e,implacavelmente, sobrepondo-se aos antigos métodos eficientes e mais caro.”SCHUMPETER, J. “Managers and entrepreneurs: a useffill disction.” Administrative science quaterly. V. 42,p. 429-51, 1959. “Teoria do Desenvolvimento economico.” Joseph Alois Schumpeter (1883-1950). 25
  26. 26. Continuando, SCHUMPETER descreve cinco fatores que modificam o ambienteeconômico:1 – Criação de novo negócio;2 – Introdução de novo método de produção;3 – Introdução de novo bem (produto ou serviço);4 – Abertura de novos mercados;5 – Descoberta de novas fontes de matéria prima. 26
  27. 27. Para Peter Drucker,“empreendedorismo é um comportamento e não um traço de personalidade esuas bases são o conceito e a teoria, e não a intuição.”No pensamento de Peter Drucker, o empreendedorismo é um comportamento;não uma característica da personalidade do indivíduo. Tem como elementosbásico o conceito e a teoria, mas não a intuição. 27
  28. 28. Em 1930, dois personagens de proa nos negócios dos EstadosUnidos dão destaques ao uso as estratégia: Alfred Sloan, principal executivo da GM (1023-1946)Chester Bernard, executivo da New Jersey Bell, ao referir-se aos“fatores estratégicos de uma empresa.” 28
  29. 29. Após 1912: A Harvard Business inclui como disciplina obrigatória a política de negócios.Nesse ambiente destacam-se os professores Roland Christensen e Kenneth Andrews. Década de 1950: Estes desenvolvem a clássica análise Swot 29
  30. 30. Alfred D. Chandler, Jr foi um professor de Administração e História Econômicana Harvard Business School. Seu pensamento sobre a estrutura organizacionalcorresponde ao desenho da organização, bem como sua sinergia, envolvendo 4fases, quais sejam: Acumulação de recursos; Racionalização do uso derecursos; Continuação do crescimento; Racionalização do uso dos recursos emexpansão.Suas pesquisas levaram-no a uma nova forma de ver a gestão: a abordagemcontingencial. 30
  31. 31. Na visão de Prahalad , as empresas e as instituições financeiras ainda nãoaprenderam a lidar com a população da base da pirâmide, pois no mundoquatro bilhões de pessoas que vivem apenas com cerca de cinco dólares pordia. Também um terço dessa população sobrevive com menos de um dólarpor dia. Assim, segundo Prahalad, as empresas, ao agir simplesmente nopróprio interesse próprio, podem melhorar a vida dessas pessoas. Assimsendo, o caminho é criar produtos e serviços sob medida para atender a essaparcela da população, transformando-a num gigantesco mercadoconsumidor.Hamel, com o inseparável Prahalad, explicam que muitos dos gestoresdesprezaram o seu papel de arquitetos do futuro. “Qualquer empresa podeinfluenciar o futuro do seu sector. As competências-chave de hoje serãovantagens competitivas no futuro.” 31
  32. 32. Pensar nova abordagem sobre o pensamento estratégicoAmbiente interno > competências essenciais > ambiente externo >competição para liderança dos produtos. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS: Recursos + Capacidades = Vantagem competitiva 32
  33. 33. A estratégia está menos preocupada em garantir uma adequação total entremetas e recursos e mais preocupada em criar metas que superem os limites edesafiam os funcionários a conseguir o aparentemente impossível (...) vaialém da locação de recursos escassos e projetos que competem entre si;estratégia é a luta para superar limitações de recursos através de uma buscacriativa e infindável da melhor alavancagem de recursos.”C. K. R. Prahalad e Gary Hamel. 33
  34. 34. “O segredo está em competir para ser único, diferente. Ser o melhor não é mais suficiente, porque todos estão empenhados em ser o melhor.” Michael Porter 34
  35. 35. “Uma estratégia competitiva efetiva assume uma ação ofensiva ou defensivade modo a criar uma posição defensável contra as cinco forças competitvas(...).” Michael Porter 35
  36. 36. A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZULW. Chan Kim e Reneé Mauborne“As empresas que se perderam no oceano vermelho adotaram umaabordagem convencional, empenhando-se para vencer a concorrência pormeio da construção de posições defensáveis no âmbito da ordem setorialvigente. Surpreendentemente, as empresas criadoras de oceanos azuis nãorecorreram aos concorrentes como paradigmas. Em vez disso, adotaram umalógica estratégica diferente, que denominamos inovação de valor.”Conclusão: Não ficar se digladiando no oceano vermelho, pois melhor seriauma nova abordagem, ou seja, inovar no oceano azul, criando novo bem enovo mercado. 36
  37. 37. CICLO DE VIDA DA ESTRATÉGIAEstratégia PretendidaEstratégia DeliberadaEstratégia RealizadaHenry MintzbergMINTZBERG, Henry. AHLSTRAND, Bruce. LAMPEL, Joseph. Safári da estratégia. 2ª ed. Porto Alegre:Bookman, 2010, Capítulos 1 e 2. 37
  38. 38. COMPARAÇÃO ENTRE A ESTRATÉGIA MILITAR E A ESTRATÉGIA EMPRESARIAL• Objetivo da estratégia militar: conquista de território;• Objetivo da estratégia empresarial: conquista de mercado.• Análise militar: condições do clima e terreno, bem como distribuição de forças e estrutura de comando;• Análise da estratégia empresarial: estudo de mercado, estrutura da indústria, pontos fortes e fracos, bem como organização me liderança. Resultado:• Na área militar – estratégia militar e plano de campanha;• Na área empresarial – estratégia empresarial e plano estratégico. 38
  39. 39. EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ESTRATÉGICO1950 – 1ª fase: planejamento financeiro/Orçamento/? Miopia1960: Planejamento empresarial a longo prazo/? Falta de previsão nas surpresas1970: Estratégia corporativa/planejamento estratégico/? Falta de foco na implementação1975/85: Análise da indústria e competição/ ? Foco somente nas indústrias1985/90: Vantagem competitiva/administração estratégica/? Desalinhamento com afilosofia organizacional1990: Valor da empresa. A gestão estratégica tem como foco a integração entre oplanejamento e o controle, na organização estratégica, bem como na coordenação detodos os recursos para atingir o objetivo definidoAtualmente:Renovação dinâmica da empresa, bem como inovação, alianças estrangeiras e criação deredes empresariais. 39
  40. 40. O QUE É ESTRATÉGIA?“Estratégia é a determinação das metas e dos objetivos básicos de longo prazo de umaempresa e adoção de cursos de ação e alocação de recursos necessários para realizaras metas.” Alfred Dupont Chandler Apud David Besanko* “Cada movimento no jogo de xadrez altera a visão de futuro.” “Cada avanço écausa, cada reação é efeito.”* AGEU, Barros. Gestão estratégica nas pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2005,p. 123. 40
  41. 41. HABILIDADES EM PENSAMENTO ESTRATÉGICO• Atrelar o plano pessoal à visão e objetivos da organização;• A estratégia pessoal deve incluir um sistema de acesso regular as novas necessidades dosclientes;• Compreensão clara sobre a concorrência no momento atual e pensamento futuro;• Possuir um sistema para examinar e avaliar novas formas de fazer as coisas;• Será preciso fazer uma verificação constante para mudar e prevenir problemas. Estespoderão exigir urgência ou causar impacto na empresa;• O plano deverá ter durabilidade a longo prazo, pois faze parte do processo deplanejamento estratégico considerar possibilidades futuras. 41
  42. 42. OBRAS RECOMENDADAS PARA APROFUNDAMENTO DO TEMAHITT, Michael A. IRELAND, R. Duane. HOSKISSON, Robert E. Adminstraçãoestratégica. 7ª ed. Norte-americana. São Paulo: Cengage Learning., 2008, Capítulo 1.MINTZBERG, Henry. AHLSTRAND, Bruce. LAMPEL, Joseph. Safári da estratégia. 2ª ed.Porto Alegre: Bookman, 2010, Capítulos 1 e 2. 42
  43. 43. CASOS DE SUCESSO:Tokyo Tsushin Kogyo) aos 25 anos de idade junto com Masaru Ibuka, este trezes anosmais velho que Akio. A Sony hoje é sinônimo de qualidade no mundo todo, embora comorigem no EUA.Akio Morita Masaru Ibuka,> Alexandre Costa fundou a Cacau Show no bairro Casa Verde – São Paulo - com menosde 20 anos de idade, unindo visão e dedicação ao negócio. Alexandre Costa> Soichiro Honda, depois de quase falir e se frustrar por quase 20 anos, finalmente abriu aTokai Seiki Heavy Industries, iniciando com a fabricação de anéis de pistão comqualidade. Hoje é uma empresas de sucesso mundial em motocicletas, veículos, barcos eaviões. Soichiro Honda 43
  44. 44. Obrigado a todos (as) e bons negócios! Prof. Jorge RobertoContato:Site: www.jorobertocursoslivres.com.brwww.joroberto.blogspot.com.brE-mail: joroberto2010@gmail.com 44

×