TRABALHO INDIVIDUAL SOBRE O TEMA DA NOÇÃO  MODERNA DE COMUNICAÇÃO (SOCIOLOGIA DA               COMUNICAÇÃO)   Por Jorge Lo...
caraterizadora de registo (em que o Homem tem acesso às mensagens que estãosempre disponíveis, conservadas nas linguagens ...
descreve o ato de comunicação em apenas quatro perguntas) e o modelo de Shannone Weaver (cuja expressão mais clara se resu...
Já os modelos de base cibernética são os modelos de comunicação que integram aretroação ou o “feedback” como elemento regu...
Santos, J.R.; “O que é Comunicação”; Lisboa; Difusão Cultural; 1992http://www.knoow.net/cienceconempr/gestao/comunicacao.h...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Trabalho individual sobre o tema da noção moderna de comunicação

1,315 views
1,173 views

Published on

Este trabalho (ou relatório, como inicialmente chamei) foi feito no âmbito da unidade curricular de Sociologia da Comunicação nas primeiras semanas do 1º Semestre do meu ano de caloiro do curso de licenciatura em Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Viseu. ESTE TRABALHO NÃO É UM ARTIGO CIENTÍFICO!

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,315
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho individual sobre o tema da noção moderna de comunicação

  1. 1. TRABALHO INDIVIDUAL SOBRE O TEMA DA NOÇÃO MODERNA DE COMUNICAÇÃO (SOCIOLOGIA DA COMUNICAÇÃO) Por Jorge Lopes, nº 9978, Turma A do 1º Ano do Curso de Licenciatura em Comunicação Social da Escola Superior de Educação de Viseu 1º Semestre, Ano Letivo 2012/2013, Data da realização do trabalho: Outubro de 2012O que é a comunicação? Qual será a definição mais exata deste termo? Acomunicação é muito mais do que apenas a transmissão de informação entre dois oumais sujeitos ou objetos (apesar de grande parte das pessoas considerar que ossujeitos podem e devem ser, de um modo geral, humanos, o que é verdade com o fatode grande parte dos sujeitos estar integrada na comunicação entre humanos, ossujeitos poderão não ser exclusivamente humanos como é o caso da comunicaçãoentre máquinas) ou do que apenas transmitir mensagens. É também fazer com que seconcretize o transporte de ideais e emoções expressas através de um código. É fazertambém com que comunicar tenha mais um significado de transmitir sentidos, causaisou intencionais, de um ponto para o outro. Mas, à medida que o conceito inicial decomunicação que consistia em situações de diálogo entre duas ou mais pessoas(emissor e recetor) ia progredindo e avançando para outras perspetivas e conceitos, acomunicação em si passava a estender-se a outras formas de diálogo comunicativocomo comunicação entre animais ou comunicação entre máquinas.A origem da palavra “comunicação” é já muito antiga, tendo em conta a definiçãoinicial de atividade realizada em conjunto e a formação da palavra consistida empalavras de origem latina (“co” – sentido de reunião –, “munis” – estar encarregado –,“tio” – atividade). Já a comunicação em si tem sido objeto de uma história rica,vantajosa e evolutiva em função das tecnologias de informação e comunicação que sepoderia tornar numa espiral de evolução tendo em conta as funções, o tempo e ascircunstâncias em que se sucedem. Começamos com a comunicação interpessoal,que começa quando o Homem utiliza meios como gestos, voz, fogo, língua ou mímicapara se expressar. A palavra que melhor caracteriza esse tipo de comunicação é aexteriorização (em que é caraterizada pela uniformização da expressão corporal everbal). Seguimos depois para a comunicação de elite, que envolve mais a escrita àmedida que esta se torne uma configuração comunicativa mais agressiva e poderosa.A palavra caraterizadora é a transposição (em que o Homem começa a criar ouniverso dos sons e das imagens de forma separada bem como começa a transpor assuas ideias). A comunicação de massas tem dois momentos históricos que o formam:em primeiro lugar, a invenção da tipografia e, com ela, da imprensa no século XV porGutenberg, e em segundo lugar, o desenvolvimento e progresso da “Galáxia deMarconi” no século XIX que demonstra, por fim, a emergência das telecomunicações.A palavra que melhor carateriza esta fase é a amplificação (em que já não basta saberpara comunicar, é preciso ter acesso aos meios que permitam fazer uma comunicaçãode massas). Finalmente, acontece a comunicação individual que surge com apossibilidade das novas tecnologias oferecerem às pessoas uma série de meios sejapara emitir ou para receber mensagens que, por fim, dão lugar à palavra
  2. 2. caraterizadora de registo (em que o Homem tem acesso às mensagens que estãosempre disponíveis, conservadas nas linguagens mais apropriadas e que permitemtranspor no tempo e no espaço). Também podemos incluir a comunicação emambientes virtuais que faz com que, hoje em dia, se possa abrir às pessoas um mundocompleto, rico e interativo de informações oriundas de várias partes do mundo semque eles possam deslocar aos lugares onde vieram essas tais informações. Ainda bempresente e integrada na comunicação em ambientes virtuais, está lá uma rede decomunicação que permite a transmissão de experiências e ideias à distância de umasó visão interativa e eletrónica (exemplos: teletexto, redes sociais, CD-ROM, etc.).A forma como se executa a comunicação é básica e essencial: existe um emissor (queé a fonte da mensagem, é quem pensa, codifica e envia a mensagem), um recetor(que recebe e descodifica a mensagem emitida pelo emissor e que pode ser um oumais pessoas do género para a mensagem recebida), um canal de comunicação (quefaz a ligação entre o emissor e o recetor e que também representa o meio através doqual é transmitida a mensagem que podem ser, por exemplo, o telefone, a rádio, atelevisão, o ar, etc.), o “feedback” (que é a transmissão, ao emissor, da reação dorecetor em relação à mensagem transmitida) e o ruído (que é uma obstrução que podemais ou menos intensa ao processo de comunicação e que pode ocorrer em cada fasedo processo e que está dividida em dois tipos específicos de ruídos: os ruídos internos– se ocorrerem durante as fases de codificação ou descodificação da mensagem – eos ruídos externos – se ocorrerem no canal de transmissão.). Já a mensagem éconstituída pela informação que se movimenta de uma pessoa para outra ou maispessoas e poderá conter ruído.Mas o processo de comunicação é muito mais do que aquilo que eu escrevi nestaslinhas. Existe também o código e o referente. O código é o sistema de comunicaçãoque permite transmitir a mensagem e o referente é algo que pode, pelo menos,motivar uma pessoa a comunicar com outra ou mais pessoas (sendo constituído pelocontexto, pela situação e pelos objetos aos quais a mensagem remete).Já a linguagem (sistema organizado de sinais que serve como meio de comunicaçãoentre os indivíduos) pode ser dividida em linguagem verbal (que corresponde aocódigo que utiliza a palavra falada ou escrita) e em linguagem não-verbal (quecorresponde ao código que não é preciso usar palavra).Então, o problema é, agora, a forma como se pode estudar um objeto que mudamuitíssimas vezes de forma. A solução poderá ser encontrada na seguinte maneira:enquanto a comunicação é considerado um processo social, já o estudo dacomunicação deve ser integrado e interligado ao estudo da cultura. Os estudos sobreas mais diversas teorias da comunicação estão ligados a diversos estilos e formas deestudos: modelos processuais, estudos cibernéticos, estudos americanos, estudoseuropeus e escola canadiana (nesta última, onde se destaca Marshall McLuhan).Os modelos de comunicação mais apelativos são os modelos de base linear (modelosque dissociam as funções do emissor e do recetor e que apresentam a comunicaçãocomo sendo a transmissão de mensagens entre esses dois intervenientes) e osmodelos de base cibernética. Os modelos de base linear poderão ser bastantevariados, mas os mais representativos são o modelo de Lasswell (em que ele
  3. 3. descreve o ato de comunicação em apenas quatro perguntas) e o modelo de Shannone Weaver (cuja expressão mais clara se resume através de um esquema linearmatemático e unidirecional para caraterizar como se faz o processo comunicativo etambém para permitir a transmissão de informações de um lado para outro).O modelo linear de Lasswell pode ser elaborado da seguinte maneira: Através de Com que Quem? Diz o quê? que canal? efeito? (Emissor) (Mensagem) (Meio) (Resposta)Já o modelo linear de Shannon e Weaver pode ser elaborado da seguinte maneira: Origem Transmissor Mensagem Canal Sinal Sinal (Ruído) Recetor Mensagem DestinoNeste esquema, o processo que passa desde a origem até à mensagem é, toda ela,correspondente ao código.
  4. 4. Já os modelos de base cibernética são os modelos de comunicação que integram aretroação ou o “feedback” como elemento regulador da circularidade de informação eque reconhecem a comunicação como um valor central para o ser humano e para asociedade.Vamos esquematizar o modelo cibernético de Weiner (que considerou o campo dacibernética como sendo a teoria da regulação da comunicação):Vamos agora esquematizar o modelo cibernético de Schramm, relativo à comunicaçãointerpessoal, e que traz significativas alterações aos modelos lineares (entre elas, ofato de cada emissor poder funcionar também como recetor num mesmo ato decomunicação, graças ao mecanismo de retroação ou “feedback”):Neste esquema, o sinal pode ser entendido como uma mensagem e ainda estábastante presente o método do “feedback” que faz com que a reação do recetor àmensagem seja transmitida de volta ao emissor. Cada interveniente neste esquematem a habilidade de descodificar e interpretar mensagens recebidas e de codificarmensagens a emitir. Na verdade, Schramm revela que o emissor, ao emitir umamensagem, não só está a emitir essa mesma mensagem mas também a emitir váriasmensagens. Neste modelo, o “feedback” é semelhante à reação, uma vez que quandoo recetor recebe a mensagem, ele reage e vai codificar a sua própria mensagem emfunção daquilo que recebeu que poderá prover dos gestos, da fala, da mímica, dapostura corporal, etc.Para finalizar, a comunicação moderna é, de um modo geral, toda a transmissão deinformação existente no mundo, seja entre humanos, animais ou máquinas, numdialeto de informação importante. A comunicação é, nestes tempos que correm hoje,uma força social e cultural que se carateriza por si mesma e que se vê de algoimportante e intangível para a existência da vida humana e animal bem como para asobrevivência das máquinas.BIBLIOGRAFIA
  5. 5. Santos, J.R.; “O que é Comunicação”; Lisboa; Difusão Cultural; 1992http://www.knoow.net/cienceconempr/gestao/comunicacao.htm; Data deconsulta: 10/10/2012http://www.prof2000.pt/USERS/folhalcino/ideias/varias/mensagem.htm; Data deconsulta: 10/10/2012http://www.coladaweb.com/portugues/a-linguagem-e-os-processos-de-comunicacao; Data de consulta: 10/10/2012http://modelosdecomunicacao.blogspot.pt/p/modelos-de-base-cibernetica.html;Data de consulta: 10/10/2012http://comunicaroque.blogs.sapo.pt/3582.html; Data de consulta: 11/10/2012http://industrias-culturais.blogspot.pt/2005/07/norbert-wiener-e-ciberntica-no-livro.html; Data de consulta: 11/10/2012http://communicare-tmc.blogspot.pt/p/genese-da-comunicacao.html; Data deconsulta: 11/10/2012

×