Modal Rodoviário

  • 7,466 views
Uploaded on

O presente trabalho tem como objetivo demonstrar a precariedade das rodovias e a dificuldade enferentada no transporte rodoviário.

O presente trabalho tem como objetivo demonstrar a precariedade das rodovias e a dificuldade enferentada no transporte rodoviário.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
7,466
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
76
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Transporte Rodoviário Richard Antonio Malavolta Gomes da Silva RA.: 0000044182 Mariane de Oliveira Valasquez da Costa RA.: 0000043364 João Paulo dos Santos RA.: 0000044949 Samantha Ribeiro de Souza RA.: 0000043417 Jaqueline Guidio RA.: 0000044042
  • 2. Faculdade AnhangueraLogística Internacional Vinicius Amore
  • 3. Procuramos informar no nosso blog um jeito fácil e pratico de explicar ahistória do modal rodoviário e trazera foco os problemas que esse modalsofre em nossas estradas brasileiras e latinas americanas.
  • 4. A foto abaixo mostra uma estrada do estado de Goiás onde circula a maior frota decaminhões carregados com soja para fins deexportação com destino aos portos no litoral brasileiro.
  • 5. Dos quase 10 mil quilômetros de estradas asfaltadas em Goiás, atualmente pelo menos 11 trechos apontados pelaAgetop estão em péssimas condições de tráfego. Motoristas,contudo apontam outros pontos das rodovias estaduais ondetambém não é possível trafegar com tranqüilidade, devido às péssimas condições de manutenção ou até de construção das vias. Em algumas estradas falta acostamento e a sinalização é precária.
  • 6. Dados da Agetop indicam que 70% das GOs apresentam estado de conservação entre regular e ótimo. O restante demanda reparos maisurgentes e cuidados na hora de dirigir. Muitos desses trechos têm maisde 20 anos desde que foram construídos e por causa do grande volume de carros e caminhões que neles trafegam diariamente já estão em avançada deterioração.
  • 7. No estado de São Paulo, onde circula a maior parte das mercadorias, éonde o caminhoneiro paga mais pela utilização das rodovias. Com isso o produto e o valor do frete, acaba chegando mais caro do que deveria para a mesa do consumidor.
  • 8. Entretanto, as empresas embarcadoras pretendem aumentar bastante a participação dos modais ferroviário e aquaviário em suas matrizes nos próximos anos. Segundo a opinião destas empresas, caso os meios alternativos às rodovias tenham capacidade para comportar o elevado aumento da movimentação de cargas, a representatividade do modalrodoviário deverá cair até 2009. Entretanto, nota-se que, mesmo havendo uma forte tendência ao aumento do uso da multimodalidade, o modal rodoviário ainda será predominante e responsável por uma parcela expressiva das cargas transportadas no país.
  • 9. Os baixos investimentos nos sistemas ferroviário e aquaviário vêm prejudicando a produtividade na movimentação de cargas no país e dificultando a reestruturação da matriz de transporte brasileira.Atualmente, a extensão da malha férrea brasileira é pequena e parte das linhas existentes está em más condições de tráfego. A rede ferroviária está longe de compor um sistema eficiente e integrado. Nos portos, problemas de recursos e de gestão comprometem a velocidade de carga e descarga, causando grandes esperas de naviospara atracação, congestionamentos, longas filas de veículos e enormes prejuízos financeiros.
  • 10. Nesta conjuntura, projetos infraestruturais, como: Pavimentação erecuperação da malha rodoviária; Ampliação e reestruturação das linhas férreas e modernização e Acesso e dragagem nos portos. Devem constar na lista de investimentos prioritários para viabilizar o crescimento econômico do país. Gerar condições para o desenvolvimento da multimodalidade é essencial para estimular o desenvolvimento econômico do Brasil.
  • 11. Se, por um lado, os elevados custos e os diversos problemas estruturais, associados às questões políticas e sociais, definem um cenário de grandes dificuldades, por outro, a necessidade de se sobressair no mercado e as pressões simultâneas por redução de custos e melhoria de qualidade estão levando as empresas embarcadoras a buscarem alternativas para tornar o transporte mais eficiente.O CEL identificou, a partir de pesquisa com grandes empresas embarcadoras, as iniciativas específicas para melhoria da eficiência no transporte rodoviário. Dentre as diferentes frentes de ação adotadas pelas empresas, destacam-se:  Melhoria na gestão de terceiros.  Colaboração de transporte.  Planejamento das redes logísticas.  Investimento em tecnologia da informação.
  • 12. Conclusão
  • 13. A importância da gestão de transporte é evidenciada quando se observamaspectos relativos ao nível de decisões tomadas, à estrutura organizacional da área de transportes, aos serviços oferecidos aos clientes e aos custos envolvidos. Atualmente, o Brasil é um país extremamente dependente domodal rodoviário. Mesmo com a tendência ao aumento da participação dos outros modais, o rodoviário ainda será predominante. A falta de investimentos em infraestrutura no país é um obstáculo à reestruturação da matriz e ao desenvolvimento econômico. Para que as empresas possam se sustentar no mercado, reduzir seuscustos e melhorar os serviços oferecidos, é necessário que sejam tomadas diversas iniciativas para o aumento da eficiência do transporte rodoviário, como, por exemplo, melhor gestão de terceiros, adoção de práticas colaborativas no transporte, planejamento de rede e investimentos em TI.