Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Mesa Redonda   Biblioteca ComunitáRia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Mesa Redonda Biblioteca ComunitáRia

  • 2,328 views
Published

Analisa a importância da biblioteca como instrumento de ação social, bem como faz diferenciações conceituais entre a biblioteca comunitária e a popular. Faz uma breve análise sobre as ações sociais de …

Analisa a importância da biblioteca como instrumento de ação social, bem como faz diferenciações conceituais entre a biblioteca comunitária e a popular. Faz uma breve análise sobre as ações sociais de uma biblioteca considerando seus aspectos identitários.

Published in Travel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,328
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
25
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Biblioteca Comunitária como instrumento de ação social e estímulo à cultura Jonathas Carvalho [email_address]
  • 2. AÇÃO SOCIAL?
    • Ação social é um comportamento humano, ou seja, uma atitude interior ou exterior voltada para ação;
    • Esse comportamento só é ação social quando o ator atribui a sua conduta um significado ou sentido próprio;
    • Esse sentido se relaciona com o comportamento de outras pessoas.
    • Max Weber, 1979.
  • 3. Ação não é somente uma situação pragmaticamente envidada, mas um conjunto de idéias bem estruturadas, dentro de uma tessitura consciente dos seus objetivos e finalidades. Isso implica dizer que a ação exige um eminente grau de planejamento e equilíbrio das idéias, a fim de que elas sejam aplicadas com perspectivas mais efetivas de êxito. Dermeval Saviani (adaptado)
  • 4. MISSÃO DA BIBLIOTECA
    • A missão social da Biblioteca foi inicialmente articulada no final do século XIX, principalmente com o advento da Biblioteconomia;
    • Missão básica de uma biblioteca: Organização, preservação e disseminação da informação;
    • Missão social básica da biblioteca: aplicar os elementos de organização, preservação e disseminação da informação, visando suprir as necessidades da população carente de informações.
  • 5. BIBLIOTECA COMUNITÁRIA OU POPULAR? UMA QUESTÃO ALÉM DA NOMENCLATURA
    • Biblioteca Comunitária
    • Instrumento de reprodução da ideologia dominante?
    • Comumente não busca uma conscientização da comunidade;
    • Se Limita a trabalhar com o livro como sendo o principal e/ou um dos únicos suportes informacionais;
  • 6. BIBLIOTECA COMUNITÁRIA OU POPULAR? UMA QUESTÃO ALÉM DA NOMENCLATURA
    • Biblioteca Popular
    • Visa estruturar uma concepção de identidade social a comunidade, tornando-a sujeito social de sua história;
    • “ A idéia de Biblioteca Popular, e sua prática, aproximou a biblioteca das camadas populares, procurou estruturá-la de baixo para cima, criou condições para torná-la participativa. A biblioteca passou a acompanhar seu tempo, inseriu-se na história, ofereceu uma contribuição renovadora para a área”.
    • Rabello (1987, p. 41).
  • 7. AÇÕES SOCIAIS DE UMA BIBLIOTECA QUE SERVE A COMUNIDADE
    • Trilogia da ação social das bibliotecas:
    • Pública – Escolar – Comunitária ou popular
    • Estas bibliotecas devem agir como aparelhos ideológicos integrados manifestando dar suporte informacional a comunidade
  • 8. IDENTIDADE DA BIBLIOTECA NA COMUNIDADE: ações fragmentadas
    • IDENTIDADE NEGATIVA:
    • Falta de uma estrutura organizada de ação;
    • Não conhece o seu usuário;
    • Falta de investimentos, tanto do governo, como de outras instituições para o desenvolvimento de projetos;
    • Falta de profissional capacitado
  • 9. IDENTIDADE SOCIAL DA BIBLIOTECA NA COMUNIDADE: aparelho reprodutor de cultura
    • IDENTIDADE SUBJETIVA
    • Elemento pró-ativo da biblioteca na comunidade: acesso e inclusão informacional;
    • Preocupação com a qualidade dessa informação;
    • Ações que estimulem aproximar a biblioteca das práticas cotidianas dos usuários da comunidade.
    • Preocupação com o comportamento humano.
  • 10. " Nós precisamos atingir a população carente, a população carente de informações. Não será com essa postura apática, passiva e reacionária da biblioteca de hoje que o conseguiremos. Não basta espalharmos bibliotecas em cada quarteirão, em cada esquina. É preciso que o bibliotecário que atuar nessas bibliotecas seja um outro bibliotecário; é preciso que ele seja consciente da sua real função social; é preciso que ele saiba que o seu trabalho pode e deve alterar pensamentos e comportamentos; é preciso que ele vá até a população, que ele procure o povo, que ele trabalhe com a comunidade”. Almeida Júnior (1997, p. 92).
  • 11. " As bibliotecas ainda não estão voltadas para o povo. Elas ainda não perceberam que sua função primordial é atendê-los. Povo aqui entendido como aquele que possui mínimas condições de vida, ou nem as mínimas; aquele que não exerce ou não procura, ou não exige, ou não luta por seus direitos, por que nem ao menos os conhece; aquele que vive a margem dos acontecimentos, por pura desinformação; o migrante, principalmente da zona rural; os trabalhadores sem qualificação e, obviamente, sua família”. Almeida Júnior (1997, p. 77-78).
  • 12. Nossa luta não deve ser apenas pela e para elaboração de um discurso visando a inserção de uma biblioteca na comunidade, mas a contemplação deste discurso nas práticas cotidianas, que promova acesso e inclusão informacional, pois só assim a biblioteca se manifesta como ente (sujeito) e passa a ser uma marca identitária da (e na) comunidade que serve. Jonathas Carvalho
  • 13. REFERÊNCIAS
    • ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Biblioteca Pública: ambigüidade, conformismo e ação guerrilheira do bibliotecário. São Paulo: APB, 1995, n.15. 12p.
    • _________ Sociedade e Biblioteconomia. São Paulo: Pólis, APB, 1997. 129 p.
    • RABELLO, Odilia Clark Peres. Da biblioteca pública à biblioteca popular: análise das contradições de uma trajetória. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG , Belo Horizonte, ano 16, n.1, p.19-42, março, 1987.
    • SAVIANI , Dermeval. Educação: do senso comum à consciência Filosófica. São Paulo: Cortez, 1984.
    • WEBER, Max. Sociologia. São Paulo: Ed. Atlas, 1979.
  • 14. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!