O lixo urbano

26,377 views
26,113 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
26,377
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
404
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O lixo urbano

  1. 1. UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: Educação Ambiental ALUNO: Joasildo de Morais Santos Pólo: Campina Grande
  2. 2. Resíduos Sólidos <ul><li>Os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU's), vulgarmente denominados por lixo urbano, são resultantes da atividade doméstica e comercial das povoações. A sua composição varia de população para população, dependendo da situação sócio-econômica e das condições e hábitos de vida de cada um. Esses resíduos podem ser classificados das seguintes maneiras: </li></ul><ul><li>Matéria orgânica : Restos de comida, da sua preparação e limpeza... Papel e papelão : Jornais, revistas, caixas e embalagens... Plásticos : Garrafas, garrafões, frascos, embalagens, boiões, etc. Vidro : Garrafas, frascos, copos, etc. </li></ul><ul><li>Metais: Latas </li></ul><ul><li>Outros: Roupas, óleos de cozinha e óleos de motor, resíduos informáticos... </li></ul>
  3. 3. Resíduos Sólidos <ul><li>Resíduos Sólidos Produzidos (25% Entulho, 9% Serviços Complementares, 1% Serviços Saúde, 29% Industriais, 36% Domiciliares) </li></ul><ul><li>Destinação Final do Lixo (67% Lixões, 22% Aterros Controlados, 11% Aterros Sanitários) </li></ul><ul><li>Lixo Domiciliar (53% Matéria Orgânica, 15% Papel/Papelão, 14% Plásticos, 3% Metais, 1% Vidros, 14% outros) </li></ul><ul><li>Desempenho da Frota (20%: Bom/Ótimo, 40% razoável, 40% Deficiente/Crítico) </li></ul><ul><li>Resíduos Industriais (65% sem Informações, 27% reaproveitamento, 5% centrais, 1% Lixões, 1% Aterros, 1% Outros) Resíduos Sólidos Produzidos (25% Entulho, 9% Serviços Complementares, 1% Serviços Saúde, 29% Industriais, 36% Domiciliares) </li></ul><ul><li>Destinação Final do Lixo (67% Lixões, 22% Aterros Controlados, 11% Aterros Sanitários) </li></ul><ul><li>Lixo Domiciliar (53% Matéria Orgânica, 15% Papel/Papelão, 14% Plásticos, 3% Metais, 1% Vidros, 14% outros) </li></ul><ul><li>Desempenho da Frota (20%: Bom/Ótimo, 40% razoável, 40% Deficiente/Crítico) </li></ul><ul><li>Resíduos Industriais (65% sem Informações, 27% reaproveitamento, 5% centrais, 1% Lixões, 1% Aterros, 1% Outros) </li></ul>
  4. 4. LIXO URBANO <ul><li>ATERROS </li></ul><ul><ul><li>LIXÃO </li></ul></ul><ul><ul><li>CONTROLADO </li></ul></ul><ul><ul><li>SANITÁRIO </li></ul></ul><ul><li>INCINERAÇÃO </li></ul><ul><li>SEPARAÇÃO/RECICLAGEM </li></ul><ul><li>COMPOSTAGEM </li></ul>
  5. 5. Problemas do lixo <ul><li>Onde há serviço de coleta, o lixo é depositado em terrenos usados exclusivamente para esse fim, os chamados lixões, que são depositados a céu aberto, ou então enterrado e compactado em aterros sanitários. Esses locais sofrem graves impactos ambientais. O acúmulo de lixo no solo traz uma série de problemas não somente para alguns ecossistemas, mas também para a sociedade: proliferação de insetos e ratos, que podem transmitir várias doenças, decomposição bacteriana da matéria orgânica que além de gerar um mau cheiro típico, produz um caldo escuro e ácido denominado chorume, o qual, nos grandes lixões, infiltra-se no subsolo, contaminado o lençol freático, contaminação do solo e das pessoas que manipulam o lixo com produtos tóxicos e o acúmulo de materiais não-biodegradáveis. </li></ul><ul><li>Todos os dias, milhares de pessoas, os catadores de lixo, afluem para os lixões em várias cidades do mundo subdesenvolvido, em busca de restos de alimentos e de alguns objetos úteis para seu miserável dia-a-dia. Acrescente-se, ainda, um problema de ordem estética, pois o lixo torna a paisagem urbana feia e suja, causando poluição visual. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>As soluções para o problema do lixo urbano são várias, dependendo da fonte produtora. No caso do lixo hospitalar , por exemplo, não há outra saída a não ser a incineração, dada a sua alta periculosidade por causa do risco de contaminação. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Para o lixo orgânico, predominante nos países subdesenvolvidos, o ideal seria o retorno do lixo ao solo, para servir como adubo orgânico ou também para a produção de gás metano, resultante da fermentação anaeróbica, que pode ser usado como combustível. No Brasil aproximadamente 70% do total do lixo domiciliar é orgânico, essa é uma boa saída para o país. Em muitos países da Europa Ocidental, o lixo orgânico é triturado e enviado pela pia ao esgoto. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Já para o lixo inorgânico, o ideal seria a coleta seletiva, que possibilitaria a reciclagem de grande parte dos materiais contidos no lixo domiciliar e industrial. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Muitos países instalaram usinas de incinerações do lixo. Mas, a não ser que a energia produzida seja utilizada para algum fim, como no caso da França, que utiliza para aquecimento dos metrôs, essa é uma saída pouco racional em termos ambientais, pois desperdiça grande quantidade de matérias e de energia, além de poluir o ar. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A grande dificuldade para um melhor aproveitamento do lixo está exatamente na forma de coleta. Como é sólido, o lixo tem de ser coletado por caminhões, o que por si só já cria algumas dificuldades. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Para fazer uma coleta seletiva, seria necessário maior número de coletas, o que implicaria maior quantidade de veículos. Além disso, é preciso que a sociedade se conscientize da importância da coleta seletiva. Cobrar isso de populações pobres, que mal tem onde morar e o que comer, soa ridículo. </li></ul>Soluções para o lixo
  7. 7. COMPOSTAGEM <ul><li>Decomposição da matéria orgânica contida em restos de origem animal ou vegetal, por bactérias e fungos. Este processo tem como resultado final um produto - o composto orgânico - que pode ser aplicado ao solo para melhorar suas características, sem ocasionar riscos ao meio ambiente (adubo orgânico). </li></ul>
  8. 8. O LIXÃO <ul><li>São locais onde o lixo é depositado, em grande quantidade, sobre a superfície do solo e a céu aberto, sem qualquer controle sobre os efeitos danosos ao ambiente e a população </li></ul>
  9. 9. Para onde vai o lixo: <ul><li>Todo esse lixo gerado tem um destino, ou seja: 76% do lixo coletado no país fica a céu aberto, ou seja, 182400 toneladas que é coletado por dia. O restante vai para aterros (controlados, 13%; ou sanitários, 10%), usinas de compostagem (0,9%), incineradores (0,1%) e uma insignificante parte é recuperada em centrais de reciclagem. </li></ul><ul><li>Estima-se que o Brasil perca, por ano, R$ 4,6 bilhões (cálculo de 1996) no mínimo, ao não reaproveitar o lixo que produz. 40% dos municípios não recebem nenhum serviço de coleta de lixo. 40 mil toneladas de lixo ficam sem coleta diariamente. A coleta seletiva é praticada em pouco mais de 80 municípios brasileiros, basicamente nas regiões Sul e Sudeste do país. </li></ul><ul><li>O motivo disso é que reciclar é quinze vezes mais caro que jogar lixo em aterros. Para se ter uma idéia, cada cinqüenta quilos de papel usado, transformado em papel novo, evita que uma árvore seja cortada. </li></ul><ul><li>Cada cinqüenta quilos de alumínio usado e reciclado, evita que sejam extraídos do solo cerca de cinco mil quilos de minério, a bauxita. </li></ul>
  10. 10. Para onde vai o lixo: <ul><li>Com um quilo de vidro quebrado, faz-se exatamente um quilo de vidro novo. E a grande vantagem do vidro é que ele pode ser reciclado infinitas vezes. </li></ul><ul><li>Agora imagine só os aterros sanitários: quanto material que está lá, ocupando espaço, e poderia ter sido reciclado! Quantas latinhas você já jogou fora? Quantas árvores você poderia ter ajudado a preservar? </li></ul><ul><li>Uma das alternativas dos destinos do lixo é o aterro sanitário que é um processo utilizado para a disposição de resíduos sólidos no solo, particularmente, lixo domiciliar, 88% que, fundamentado em &quot;critérios de engenharia e normas operacionais específicas, permite a confinação segura em termos de controle de poluição ambiental, proteção à saúde pública&quot; ; ou, &quot;forma de disposição final de resíduos sólidos urbanos no solo, através de confinamento em camadas cobertas com material inerte, geralmente, solo, de acordo com normas operacionais específicas, e de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança, minimizando os impactos ambientais&quot; . </li></ul>
  11. 11. O ATERRO SANITÁRIO <ul><li>É um método em que o lixo é comprimido por intermédio de máquinas que diminuem o volume. Com o trabalho do trator, o lixo é empurrado, espalhado e amassado sobre o solo (compactação), sendo coberto por uma camada de areia, o que minimiza odores, evita incêndios e impede a proliferação de insetos roedores. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>É a atividade de transformar materiais já usados em novos produtos que podem ser comercializados. Exemplo : papéis velhos retornam às indústrias e são transformados em novas folhas. </li></ul>RECICLAGEM
  13. 13. COLETA SELETIVA <ul><li>É separar o lixo para que seja enviado para reciclagem. Significa não misturar materiais recicláveis com o restante do lixo. Ela pode ser feita por um cidadão sozinho ou organizada em comunidades : condomínios, empresas, escolas, clubes, cidades, etc. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>As grandes causas das problemáticas ambientais que ameaçam a qualidade de vida das pessoas são o crescimento demográfico e o da produção de bens e serviços, ou seja, da Economia. Contudo, desde a primeira metade do Século XX, mais acentuadamente de meados deste século, as atividades econômicas crescem a taxas significativamente maiores do que as da população humana. Esse consumo material não acontece impunemente e suas conseqüências são óbvias. </li></ul>
  15. 15. Minimização de resíduos <ul><li>3 Rs : </li></ul><ul><li>Reduzir o lixo evitando o desperdício, </li></ul><ul><li>Reaproveitar tudo o que for possível antes de jogar fora </li></ul><ul><li>e só então enviar para Reciclar . </li></ul>
  16. 16. BIBLIOGRAFIA <ul><li>www.saaeg.com.br/a/educacao. ppt </li></ul><ul><li>http://www.ongorigem.org.br/blog/lixo-urbano-e-suas-consequencias-4/ </li></ul><ul><li>www.wikipedia.org </li></ul>

×