Your SlideShare is downloading. ×
História da literatura brasileira barroco
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

História da literatura brasileira barroco

397
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
397
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. HISTÓRIA DA LITERATURABRASILEIRAProfessor Júnior Souza
  • 2. BARROCO
  • 3. MUNDO Portugal sob domínio espanhol; Atuação da Companhia de Jesus; Católicos x Protestantes; Absolutismo;
  • 4. BRASIL Ciclo da cana-de-açúcar; Invasões holandesas; Revolta dos irmãos Beckman (1984); Guerra dos Mascates (PE-1710)
  • 5. CARACTERÍSTICAS Tentativade unir valores opostos;  Renascimento x Contra-Reforma;  Mitologia x Catolicismo;  Antropocentrismo x Teocentrismo; Homem angustiado; Cultismo e Conceptismo; Rebuscamento, hipérbole, metáforas.
  • 6. AUTORES Bento Teixeira  “Prosopeia” LX Olhai o grande gozo e doce glória Que tereis quando, postos em descanso, Contardes esta larga e triste história, Junto do pátrio lar, seguro e manso. Que vai da batalha a ter victória, O que do Mar inchado a um remanso, Isso então haverá de vosso estado Aos males que tiverdes já passado.
  • 7. AUTORES Gregório de Matos Guerra Tristes sucessos, casos lastimosos, Desgraças nunca vistas, nem faladas. São, ó Bahia, vésperas choradas De outros que estão por vir estranhos Sentimo-nos confusos e teimosos Pois não damos remédios as já passadas, Nem prevemos tampouco as esperadas Como que estamos delas desejosos.
  • 8. AUTORES Padre Antonio Vieira  Sermão da Sexagésima;  Sermão pelo bom sucesso das armas de Portugal contra as de Holanda;  Sermão de Santo Antonio aos peixes;
  • 9.  Sermão de Santo Antônio aos Peixes Vos estis sal terrae. S. Mateus, V, l3. I Vós, diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores, sois o sal da terra: e chama-lhes sal da terra, porque quer que façam na terra o que faz o sal. O efeito do sal é impedir a corrupção; mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será, ou qual pode ser a causa desta corrupção? Ou é porque o sal não salga, ou porque a terra se não deixa salgar. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores não pregam a verdadeira doutrina; ou porque a terra se não deixa salgar e os ouvintes, sendo verdadeira a doutrina que lhes dão, a não querem receber. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores dizem uma cousa e fazem outra; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes querem antes imitar o que eles fazem, que fazer o que dizem. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores se pregam a si e não a Cristo; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes, em vez de servir a Cristo, servem a seus apetites. Não é tudo isto verdade? Ainda mal!

×